Tag servidores

Atos forma aliança com Dell para revenda mundial dos servidores Bullion

A Atos, líder mundial em transformação digital, fortalece o seu relacionamento com a Dell EMC por meio de um novo acordo de distribuição, segundo o qual a EMC revenderá os servidores de ponta x86 de 8 a 16 processadores da linha Bullion da Atos. Esse novo acordo se alinha com o objetivo de ambas as empresas de acompanhar seus clientes em sua transformação digital e apoiar a massiva “datatização” de seus negócios.

Os servidores Bullion são certificados pela SAP e pela Oracle e completam o portfólio de servidores PowerEdge avançados da Dell EMC. Ambas as empresas trabalharão em estreita colaboração nas atividades de vendas e marketing para fornecer soluções de alto desempenho nas áreas de Big Data, Internet das Coisas, desenvolvimento de nuvens privadas e soluções SAP HANA. O acordo de distribuição do Bullion é um novo passo na colaboração contínua entre as duas empresas.

“A Atos mostra o seu compromisso ao trabalhar com os melhores parceiros tecnológicos do mundo para oferecer tecnologia de ponta a seus clientes. O acordo de distribuição do Bullion é um novo passo adiante no relacionamento entre a Dell EMC e a Atos”, explica o vice-presidente executivo e Chefe de Operações Globais da Atos, Eric Grall. “O objetivo dessa parceria é apoiar nossos clientes em sua transformação digital com soluções de alta qualidade, inovadoras e líderes de mercado”, diz.

“Nos últimos anos, a Dell EMC e a Atos têm trabalhado juntas, combinando os servidores Bullion e as soluções de armazenamento unificado da Dell EMC, para fornecer aos nossos clientes uma solução líder para a implantação de projetos SAP HANA de missão crítica. A inclusão do Bullion complementa o portfólio da Dell de servidores PowerEdge líderes da indústria para hospedar as cargas de trabalho mais críticas com alto desempenho, confiabilidade e escalabilidade”, finaliza Ravi Pendekanti, Vice-Presidente Sênior da Divisão de Soluções de Servidores da Dell EMC.

Mais de 100 milhões de usuários em todo o mundo

A linha de servidores Bullion foi amplamente adotada por empresas e governos, principalmente na Europa, América do Norte, África e Brasil. Devido às suas características únicas, o Bullion apoia a transformação digital de muitos clientes e oferece:

• Capacidade de memória excepcional de até 24 terabytes, para aplicações de Big Data, em memória e em tempo real.

• Superior escalabilidade, disponibilidade e operacionalidade, que o tornam a plataforma de expansão ideal para aplicativos empresariais e bancos de dados em memória muito grandes.

• Redução do Custo Total de Propriedade (TCO) de até 35% para grandes Data Lakes e clusters virtualizados em projetos de consolidação de bancos de dados,

• Certificação oficial SAP e Oracle,

• Alternativa tecnológica com menor custo de software em Sparc e HP-UX.

O Bullion faz parte das infraestruturas de suporte de dados intensivos e tempo real do Atos Codex, um conjunto completo de soluções e recursos para o projeto, desenvolvimento, operação e proteção de dados inteligentes e serviços empresariais cognitivos, plataformas de dados e Internet das Coisas.

Disponibilidade

A Atos é uma das poucas empresas do mundo a oferecer uma plataforma de mais de 8 terabytes totalmente certificada pela SAP e pela Oracle. Os servidores Bullion estão definindo um novo padrão da indústria para a computação empresarial de ponta, oferecendo valor em tempo real nos volumes de dados em rápido crescimento. Os servidores Bullion já estão disponíveis na Dell EMC. Para mais informações sobre o Bullion, acesse aqui.

Tags, , ,

Park Place Technologies adquire NCE Group Limited

A Park Place Technologies anunciou hoje que concluiu a maior aquisição da história da empresa, adquirindo o NCE Group Limited (NCE), fornecedora global de reparo e manutenção de centrais de dados terceirizada. Embora os termos da transação não tenham sido divulgados, essa aquisição aumenta substancialmente o portfólio de clientes globais da Park Place e sua presença na Europa. As empresas planejam iniciar imediatamente a integração de operações, parceiros de canal, clientes e funcionários, acrescentando mais de 280 pessoas à equipe atual da Park Place Technologies.

“A NCE tem proporcionado serviços excepcionais, profundo conhecimento de produtos e expertise do setor por mais de 35 anos”, declarou Ed Kenty, presidente e CEO da Park Place Technologies. “Com design e entrega centrais à identidade da NCE, estamos empolgados por alavancar sua experiência exclusiva e liderança exemplar à medida que ampliamos ainda mais nossa capacidade e atendimento, além das funções de suporte para nossos clientes.”

Desde 1981, a NCE atende clientes em todo os EUA e Reino Unido, tendo crescido a ponto de prestar serviços a empresas Fortune 100, além de clientes TI de pequeno e médio porte em uma vasta gama de setores. Com sede em Wiltshire, Reino Unido, a NCE há muito atua como líder proeminente no setor de manutenção terceirizada de hardware empresarial pós-garantia. Ao integrar-se com a Park Place, os clientes da NCE podem esperar beneficiar-se de maiores eficácias e serviços com melhor relação custo/benefício. A expertise adicional de hardware de central de dados da NCE também ampliará a capacidade de a Park Place fornecer para seus clientes.

“Com o passar dos anos, a NCE ajudou a milhares de empresas com suas necessidades de TI”, declarou Andrew Genever, ex-CEO da NCE e recém-nomeado vice-presidente de operações de depósito na Park Place Technologies. “Ao nos unirmos à Park Place, continuaremos prestando um atendimento excepcional a nossos clientes em todo o mundo utilizando, ao mesmo tempo, a ampla expertise da Park Place. Nossos clientes se beneficiarão de maior acesso a capacidades de engenharia, melhores tempos de resposta e uma melhor experiência de atendimento. Essa aquisição aprimorará ainda mais o modo como trabalhamos com nossos parceiros de canais, solidificando nossa capacidade de satisfazer as necessidades de TI em constante mudança de nossos clientes.”

“Durante as últimas semanas, a Park Place Technologies anunciou diversas aquisições”, declarou Chris Adams, presidente e diretor de operações da Park Place Technologies. “Hoje, nós recebemos a NCE na família Park Place Por meio dessa aquisição, estamos solidificando a posição de mercado da Park Place como maior prestadora global totalmente dedicada à manutenção de centrais de dados. Estamos expandindo nossa pegada em mercados europeus adicionais e acrescentando talento aos locais mais remotos no setor a fim de apoiar nossa crescente base de clientes e enriquecer sua experiência.”

Essa transação marca a sexta aquisição da Park Place Technologies neste último ano, bem como o esforço mais recente da empresa em demonstrar seu comprometimento global de pavimentar o futuro para manutenção de hardware pós-garantia e armazenamento do legado empresarial.

Em novembro de 2016, a Park Place Technologies abriu um local na Ásia-Pacífico (APAC) em Cingapura. Mais recentemente, a Park Place Technologies adquiriu a Prestige Data Center Solutions, com sede no Reino Unido, a Performance Data, com sede em Cingapura e a Allen Myland, Inc., com sede nos EUA, expandindo ainda mais seu alcance global e ofertas de serviço.

Tags, , ,

IDC: mercado brasileiro de servidores x86 cresceu 12% em receita no primeiro trimestre de 2017

view (6) Entre janeiro e março deste ano, setor gerou receita de US$ 116 milhões. Em unidades, o crescimento foi de 15% na comparação ano a ano

Estudo realizado pela IDC Brasil, líder em inteligência de mercado, serviços de consultoria e conferências com as indústrias de Tecnologia da Informação e Telecomunicações, revela que o mercado de servidores X86 cresceu 12% em receita nos três primeiros meses de 2017 e chegou à marca de US$ 116 milhões, contra US$ 104 milhões no mesmo período de 2016. Em unidades, houve um crescimento de 15% no primeiro trimestre deste ano, com 25.688 equipamentos comercializados.

“As fabricantes de servidores x86 tiveram um comportamento mais agressivo no começo de 2017 e realizaram muitas campanhas promocionais. Além disso, ainda havia sobra de estoque de 2016, o que influenciou o aumento na receita e até no número de unidades comercializadas”, diz Luis Altamirano, analista de pesquisas da IDC Brasil.

Apesar do crescimento no primeiro trimestre, para 2017 a IDC Brasil prevê baixa de 14% na receita de servidores x86 mas, por outro lado, aumento de 6% em unidades vendidas. “Em 2016, a receita gerada foi de US$ 492 milhões, principalmente por conta dos grandes negócios globais que tiveram impacto no país”, acrescenta Altamirano.

Para este ano, a expectativa é de que isso não ocorra novamente e, consequentemente, o mercado chegue a US$ 425 milhões. “Em 2017, não teremos muitos investimentos em servidores de alta performance e os fabricantes devem focar em volume, principalmente de aparelhos em formato de torre”, finaliza.

Tags, ,

Gartner aponta queda de 5,8% na receita mundial de servidores no terceiro trimestre de 2016

O Gartner, Inc., líder mundial em pesquisa e aconselhamento imparcial em tecnologia, aponta uma queda de 5,8% na receita mundial de servidores no terceiro trimestre de 2016 em comparação ao mesmo período de 2015. As remessas globais caíram 2,6% comparado ao ano anterior. Entre os cinco maiores fornecedores, apenas a Cisco obteve um aumento na receita, enquanto a Huawei e a Inspur Electronics registraram crescimento nas remessas. HPE, Dell e Lenovo sofreram declínios tanto na receita quanto nas remessas desses equipamentos.

“O mercado de servidores foi impactado durante o terceiro trimestre de 2016 por planejamentos de gastos mais conservadores mundialmente. Isso foi agravado pela capacidade dos usuários finais de alavancar máquinas virtuais adicionais em servidores x86 já existentes (sem novos hardwares) para atender às suas necessidades de aplicações de servidor. Os provedores de servidores precisarão revigorar e melhorar suas proposições de valor para ajudar os usuários finais a justificar as substituições e o crescimento de hardware do servidor caso queiram levar o mercado de volta a uma situação positiva”, afirma Jeffrey Hewitt, Vice-Presidente de Pesquisas do Gartner.
Todas as regiões apresentaram declínio em remessas, exceto a Europa Oriental, que apresentou crescimento de 0,9%. Em receita, todas as regiões sofreram queda, com exceção do Japão, que cresceu 1,3%.

Os servidores x86 tiveram redução de 2,3% nas remessas e de 1,6% na receita no terceiro trimestre de 2016. Entre os cinco maiores fornecedores, somente a Cisco não apresentou declínio na receita. Já nas remessas, apenas a Huawei e a Inspur Electronics tiveram crescimento.

Apesar de uma diminuição de 11,8%, a HPE continua liderando o mercado mundial de servidores (com base na receita), com participação de mercado de 25,5% (veja Tabela 1). A Dell teve queda de 7,9%, mas manteve o segundo lugar no mercado com 17,5% de participação. A Lenovo ficou com o terceiro lugar, com 7,8%. Já a IBM caiu para a quinta posição e teve o maior declínio entre os cinco principais fornecedores.

A HPE liderou o ranking durante o terceiro trimestre de 2016, com 18,3% de participação no mercado (veja Tabela 2). Apesar de uma queda de 9,8%, a Dell obteve a segunda posição, com 16,8% do mercado. Já a Huawei e a Inspur foram as únicas entre as cinco maiores a aumentarem a remessa de servidores no período.

Na Europa, Oriente Médio e África (EMEA), as remessas de servidores totalizaram 481 mil unidades no terceiro trimestre de 2016, uma queda de 9,7% ano após ano (veja Tabela 4). A receita de servidores chegou a US$ 2,6 bilhões, um declínio de 12,1% comparado ao mesmo período de 2015 (veja Tabela 3).

“Esse é o terceiro trimestre consecutivo de diminuição de receita no mercado EMEA. Os padrões de gastos dos grandes provedores de Cloud dificultaram a repetição do desempenho do terceiro trimestre de 2015 em alguns países, porém, a realidade é que a demanda tem sido fraca em toda a região”, explica Adrian O’Connell, Diretor de Pesquisas do Gartner.

Em relação à receita, quatro dos cinco maiores fornecedores sofreram uma queda no terceiro trimestre de 2016. A HPE continuou no primeiro lugar, mas teve uma diminuição da receita de 1,8% no período. A Dell também apresentou queda nesse segmento, embora sua parcela tenha permanecido estável, diminuindo a diferença entre as duas empresas. A receita da IBM caiu 20%, visto que a companhia ainda sente os efeitos da alienação de seu x86. Ela também não conseguiu manter seu desempenho do ano passado neste trimestre, quando se beneficiou de vendas de reposição relativamente fortes. Já a Lenovo ficou com o terceiro lugar em receita, mas continuou a observar uma queda de 16,4%.

A HPE apresentou um desempenho fraco de remessas, perdendo mais de três pontos percentuais na parcela do mercado. A Dell e a Lenovo, respectivamente na segunda e terceira posição, conseguiram manter sua parcela de mercado alinhando suas quedas de remessas às do mercado global. Considerando as condições globais de remessa, foi um resultado positivo. Somente os fornecedores de white box na categoria “Outros” conseguiram aumentar sua participação.

“Isso não configura uma desaceleração repentina após o resultado do referendo britânico, mas um sinal da demanda fraca contínua em todo o mercado EMEA, com poucos fabricantes com efeito positivo. Com servidores que não são x86 caindo para menos de 12% da receita global, o mercado está altamente exposto aos efeitos negativos que a virtualização e os serviços externos de Nuvem podem ter sobre plataformas x86 mais baratas. É provável que o EMEA continue sendo uma região muito difícil para os fornecedores de servidores,” completa O’Connell.

Tags, , , , , , , ,

Intel provê solução de gerenciamento térmico e energético para Mandic Cloud Solutions

A Intel foi escolhida pela Mandic Cloud Solutions, uma das principais empresas brasileiras de computação em nuvem com mais de 20 anos no mercado, para ajudar a resolver um problema comum nas empresas: reduzir os altos custos com energia elétrica. A solução encontrada foi a ativação do Intel® Node Manager, um recurso disponível nos servidores baseados na família de processadores Intel® Xeon®, que tem como principal funcionalidade a optimização do uso de cada watt consumido pelo parque instalado, e do software OMPC (Open Manager Power Center), da Dell, que gerencia o consumo de energia e temperatura dos servidores. Isso permitiu à Mandic Cloud Solutions balancear o uso dos equipamentos, reduzindo o consumo de energia e ampliando a capacidade de uso de seus servidores. O resultado foi uma diminuição de 30% no consumo de energia elétrica e um aumento em até 40% da capacidade de ocupação nos racks de servidores da Mandic.

Acompanhando esta redução no consumo, também foi possível um maior controle e monitoramento das temperaturas dos servidores, diminuindo consideravelmente o risco de paradas inesperadas. Além disso, a Mandic Cloud Solutions minimizou o impacto ambiental de sua operação.

“Aperfeiçoar a gestão do consumo de energia elétrica sempre foi um aspecto de grande importância para empresas competitivas. Com o passar do tempo, a elevação no preço da energia e um mundo que caminha cada vez mais rápido para favorecer empresas com um perfil sustentável, fez com que este tipo de gestão se tornasse imperativo. Deixou de ser uma opção e se tornou uma das principais obrigações dos gestores. E isto vale para as companhias de todos os tamanhos”, explica Fábio Iunes de Paula, Diretor da Área de Negócios da Intel.

“Oferecendo soluções de IaaS (Infrastructure as a Service) e SaaS (Software as a Service) para seus clientes, a Mandic Cloud tinha um desafio no gerenciamento de consumo de energia elétrica. Estamos muito satisfeitos em contribuir para os bons resultados obtidos”, conclui.

Na visão de Diego Morgado, gerente de operações da Mandic Cloud Solutions, a solução foi além da superfície do problema. “ O projeto trouxe visibilidade de algo que não era perceptível a olho nu. Energia também exige gestão, que por sua vez traz aumento de eficiência”. Como a Mandic tem 100% de seu negócio baseado em data centers e servidores, Morgado explica que o grande foco da companhia é oferta de alta disponibilidade, qualidade e desempenho. “Algo muito alinhado a isso é o preço. Temos vários concorrentes fortes no mercado e por isso precisamos de uma estrutura tão boa quanto e com preço competitivo”, completa.

Para colocar toda a operação de pé, foram necessárias apenas duas semanas. Assim que a solução entrou em funcionamento, a área de operações da empresa dedicou os 30 dias seguintes à coleta das primeiras informações que permitiram fazer a análise técnica. A partir dos resultados desta análise foi possível estabelecer os parâmetros para o gerenciamento de toda a infraestrutura. Através disto, foi possível fazer um balanceamento eficiente de todo o data center.

“Isso é extremamente importante para nós, uma vez que conseguimos evitar a criação de zonas quentes e reduzir o consumo de ar condicionado”, afirma o Morgado. “Essa inteligência só é possível graças ao fornecimento de informações em tempo real. Se a equipe recebe o alerta de que um servidor está consumindo demais, o balanceamento de carga é feito na hora, estabilizando o ambiente”. Hoje 100% do parque de data centers é monitorado de forma centralizada, permitindo identificar rapidamente quais máquinas estão consumindo mais energia do que deveriam, e porquê.

Para mais informações sobre o Intel Node Manager, acesse http://www.intel.com/content/www/us/en/data-center/data-center-management/node-manager-general.html.

Tags, , ,