Tag Senai

Desafio de Startups Petrobras Distribuidora abre oportunidade para projetos de inovação

A partir de hoje (19), estarão abertas as inscrições para o “Desafio de Startups Petrobras Distribuidora”, uma seleção pública de empresas em estágio inicial que apresentem soluções inovadoras para os segmentos de atuação da companhia, a partir de três vertentes: Mobilidade para Pessoas, Mobilidade para Negócios e Sustentabilidade. O desafio, que integra o Edital de Inovação para a Indústria, será lançado no Rio de Janeiro (dia 19/6, às 14h, no auditório da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro – FIRJAN). O público interessado também poderá assistir às apresentações em São Paulo (dia 20, no SENAI Mário Amato) e no Recife (dia 25, no Porto Digital). As inscrições vão até o dia 19/08/18.

Um comitê de avaliação, composto por especialistas da Petrobras Distribuidora e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) fará a seleção de até dez startups. Cada projeto receberá o valor máximo de R$ 150 mil e deverá ser desenvolvido em até 12 meses. São consideradas startups empresas de micro ou pequeno porte (MPE), desde que tenham CNPJ ativo com até cinco anos de existência. Todas as informações sobre o Edital, como critérios para participação e regulamento completo, podem ser consultados em https://www.sympla.com.br/editaldeinovacao.

O “Desafio de Startups Petrobras Distribuidora” tem como objetivo encontrar empresas que possuam competência técnica em tecnologias digitais, como Internet das Coisas (IoT), Realidade Aumentada e Virtual, Inteligência Artificial, Big Data, Analitycs e Bl (Business Inteligence).

TEMÁTICAS – Na primeira temática, Mobilidade para Pessoas, são esperados projetos de inovação que provoquem impacto positivo na percepção dos clientes (perfil B2C) desenvolvendo e/ou potencializando negócios de varejo aplicáveis em postos de combustíveis, lojas de conveniência e centros de lubrificação, que promovam uma experiência diferenciada e a atração do consumidor aos pontos de venda.

Já para o segmento B2B, inserido na temática Mobilidade para Negócios, a busca é por projetos que utilizem tecnologias digitais para a maximização da eficiência operacional em bases de distribuição de combustíveis, no transporte rodoviário, na gestão de estoques e na colaboração dos elos da cadeia logística da BR, que cobre todo o território nacional.

Finalmente, para a terceira temática, Sustentabilidade, a expectativa é receber propostas que, entre outras, mitiguem os riscos de impacto das atividades na segurança das operações, na sociedade e no meio ambiente.De acordo com o gerente executivo de TI da BR, Aspen Andersen, a companhia vem realizando movimentos de incentivo à entrega e implementação de soluções inovadoras. O executivo cita, entre outras iniciativas, o “Inova BR”, um concurso para a força de trabalho que permeou temas estratégicos, como experiência do cliente, geração de receitas e novos negócios; e o “Hackaton Postos Petrobras”, competição que desafiou entusiastas do segmento de tecnologia a criarem soluções digitais para melhorar a experiência dos consumidores na rede de Postos Petrobras.

“Incentivamos nossa força de trabalho a apresentar livremente ideias que poderiam contribuir para o processo de constante transformação por que passa o mercado de distribuição. Os resultados foram excepcionais. Entendemos haver espaço, também, para um olhar externo, que poderá apontar novos caminhos para a superação desses desafios”, afirma Andersen, ressaltando a importância da parceria com o SENAI, instituição que detém expertise em inovação e acesso ao ecossistema das startups.

INOVAÇÃO – O Edital de Inovação para a Indústria é uma iniciativa do SENAI, do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e do Serviço Social da Indústria (SESI). Nesta edição, estão disponíveis R$ 55 milhões, em cinco categorias, para financiar o desenvolvimento de soluções inovadoras para a indústria brasileira, sejam novos produtos, processos ou serviços de caráter inovador, incremental ou radical. A chamada da Petrobras Distribuidora é a primeira de 2018 na categoria C: Empreendedorismo Industrial – Inovação na Cadeia de Valor, que busca estimular a conexão entre grandes indústrias e startups, micro e pequenas empresas.

“A chamada faz parte da estratégia do Sebrae em promover uma maior integração entre pequenas e grandes empresas da cadeia produtiva, visando especialmente o desenvolvimento tecnológico conjunto. Com isso, os pequenos negócios têm a oportunidade de investir em inovações de maneira bem mais assertiva, tendo em vista que esses produtos ou serviços serão desenvolvidos a partir de demandas reais de mercado”, explica o gerente de inovação, Célio Cabral. “Nesse processo, as pequenas empresas ganham também com o suporte técnico que pode ser ofertado pelas grandes empresas, infraestrutura para testes de protótipos, rede logística e de distribuição, dentre outros. Por outro lado, as grandes empresas ganham com a agilidade, baixo custo e o conhecimento instalado nas pequenas empresas para inovação”, completa.

A seleção dos projetos pelo Edital de Inovação para a Indústria é feita com base em critérios como potencial de inovação e de comercialização do produto ou do processo. Além do fomento, as instituições oferecem apoio na forma de infraestrutura para desenvolver as propostas selecionadas por meio dos Institutos SENAI de Inovação e dos Institutos SENAI de Tecnologia.

“O Edital de Inovação para a Indústria é a porta de entrada do SENAI para grandes empresas e startups cocriarem soluções. Inovar é vencer, mas ninguém inova sozinho. Mais de 500 pesquisadores estão à disposição para acelerar projetos inovadores ao mercado”, explica o gerente-executivo de Inovação e Tecnologia do SENAI, Marcelo Prim.

Apresentações do Edital de Inovação para a Indústria

Rio de Janeiro
Data: 19/6/18
Horário: 14h às 16h
Local: Auditório Firjan – Av. Graça Aranha, 1 – Centro, Rio de Janeiro.

São Paulo
Data: 20/6/18
Horário: 14h às 16h
Local: SENAI Mário Amato – Bairro Assunção – São Bernardo do Campo – SP.

Recife
Data: 25/6/18
Horário: 14h às 16h
Local: Porto Digital – R. do Apolo, 235, bairro do Recife.

Fonte: Petrobras

Tags, , , , , ,

Brasil conquista 2º lugar no mundial de profissões técnicas, a WorldSkills

Bruno Gruner levou o ouro em Polimecânica e Automação

O Brasil se mantém na elite da educação profissional do mundo. Com um total de 34.901 pontos, o país ficou em 2º lugar geral na maior competição de profissões técnicas do planeta, a WorldSkills. Os russos ficaram em primeiro, com 35.461 pontos. Entre os dias 15 e 18 de outubro, mais de 1.200 jovens de 68 países competiram em 52 ocupações do setor industrial e de serviços em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos.

A delegação brasileira foi composta por 56 competidores, 51 alunos e ex-alunos do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e 5 do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), que competiram em 50 ocupações. É bom lembrar que na última edição da WorldSkills, em 2015, o país ficou em primeiro lugar.

“Em Abu Dhabi o Brasil demonstrou seu padrão de excelência em educação profissional. Estamos entre os melhores países do mundo (China, Coreia do Sul, Suíça e Rússia) e isso é importante para criar oportunidades para os jovens e competitividade para a as empresas. Estamos orgulhosos com o resultado alcançado pelo jovens do SENAI e do Senac que, com muita fibra e talento, representaram o Brasil”, destacou o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade.

Para o diretor-geral do SENAI, Rafael Lucchesi, o resultado demonstra o alto nível do Brasil no conjunto das profissões. “É o nível de excelência que o Brasil tem e que dificilmente nós conseguimos reproduzir em outros rankings, seja de desempenho econômico, de competitividade, inovação ou de educação regular. Em educação profissional, o Brasil tem excelência, que é uma porta para a juventude brasileira”, disse.

MEDALHAS – Embora o país tenha ficado em segundo no ranking de pontos, no quadro geral de medalhas os brasileiros ficaram em 4º lugar. Foram 15 medalhas em Abu Dhabi, sendo 7 de ouro, 5 de prata e 3 de bronze, além de 26 certificados de excelência. Considerando apenas as medalhas, a primeira posição ficou a China, Coreia do Sul e Suíça, mas o Brasil se manteve à frente de países com bastante tradição na disputa, como França, Japão, Áustria e Alemanha. Confira as medalhas conquistadas:

Medalha de ouro
Mecatrônica, Eletricidade Industrial, Manufatura Integrada, Tornearia CNC, Polimecânica e Automação, Escultura em Pedra e Tecnologia de Mídia Impressa;

Medalha de prata
Tecnologia da Moda, Joalheria, Construção de Estruturas Metálicas, Manutenção Industrial e Desenho Mecânico – CAD;

Medalha de bronze
Marcenaria de Estruturas, Movelaria e Construção de Estruturas para Concreto.

EXCELÊNCIA DE ENSINO TÉCNICO – Se em outros rankings mundiais de educação o Brasil não consegue melhorar sua posição, em educação profissional o caminho é inverso. Na última edição do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa, na sigla em inglês), o país registrou queda de pontuação nas três áreas avaliadas: Ciências, Leitura e Matemática. Com isso, o Brasil ficou na 63ª posição em ciências, na 59ª em leitura e na 66ª colocação em matemática. A prova foi aplicada em 70 países.

O 2º lugar na WorldSkills, dentre 68 países, demonstra que os investimentos feitos pelo SENAI no ensino técnico têm resultados positivos. O SENAI é o maior complexo de educação profissional e serviços tecnológicos das Américas. Desde 1942, formou mais de 71 milhões de trabalhadores para 28 áreas da indústria brasileira, da iniciação profissional até a graduação e pós-graduação tecnológica. A instituição está presente em todas as regiões do Brasil com 555 escolas e 442 unidades móveis, entre as quais os barcos-escola Samaúma I e Samaúma II, que atendem a região Amazônica.

Estudo encomendado pelo SENAI com base em dados do suplemento especial, divulgado em março, da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2014, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostra que profissionais que fazem cursos técnicos têm um acréscimo na renda de 18%, em média, em relação a pessoas com perfis socioeconômicos semelhantes que concluíram apenas o ensino médio.

A COMPETIÇÃO – Nas provas da WorldSkills, realizadas durante quatro dias, os participantes devem completar os desafios propostos na competição dentro de padrões internacionais de qualidade. É exigido que os alunos demonstrem habilidades técnicas individuais e coletivas em profissões da indústria e do setor de serviços, como Automação Industrial, Eletrônica, Eletricidade, Cozinha e Confeitaria, entre outras. Cada modalidade tem a participação de apenas um representante de cada país, seja uma pessoa ou uma equipe.

O Brasil participa do torneio desde 1983. Nesse tempo, os resultados na disputa melhoraram a cada edição e a equipe brasileira tornou-se uma certeza no top five do mundial, ao lado de nações que são referência educacional, como Coreia do Sul e Alemanha.

Presidentes de federações de indústrias comentaram o resultado

“Nós fizemos um papel muito bonito, isso mostra a qualificação do ensino que o SENAI transmite aos alunos”, destacou o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS), Gilberto Petry.

“Novamente o Brasil dá uma demonstração da excelência do nosso ensino profissional. Saímos daqui fortalecidos”, disse Glauco José Côrte, presidente da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC).

“Os competidores estão de parabéns, foram competentes e estão fazendo a diferença no mundo”, afirmou o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP), Edson Luiz Campagnolo.

Fonte: CNI

Tags,

App gratuito da Fiesp traz oportunidades de negócios com Sesi, Senai e Aeronáutica

A fim de promover e ampliar o campo de negócios para pequenas, médias e grandes empresas, o Departamento de Ação Regional da Fiesp (Depar) criou o sistema “Ponte de Negócios”. Com a nova plataforma, composta por site e aplicativo, companhias e profissionais autônomos têm acesso aos processos de licitação de compra do Sesi, Senai, Centro Logístico da Aeronáutica e demais parceiros.

As oportunidades estão concentradas nas áreas de obras, serviços, materiais e equipamentos, aluguéis e locações, setor médico e odontológico e setor bélico e de defesa. Além disso, os processos de compra publicados pelas entidades estão separados por lotes de diferentes quantidades, de modo a contemplar também os pequenos e médios fornecedores do Estado.

Na avaliação do diretor Depar, Sylvio de Barros, o objetivo da nova ferramenta é divulgar com transparência novas oportunidades de negócios para o maior leque de empresas possível, permitindo a multiplicação de parceiros e potenciais compradores. “A ideia é criar um novo mercado para a indústria”, explica.

Os interessados podem baixar gratuitamente o app, disponível na App Store, Google Play e Microsoft, basta realizar um cadastro com nome, CPF, e-mail e senha. O app envia semanalmente alertas personalizados sobre as novas oportunidades aos participantes. Mais informações no site da iniciativa: www.fiesp.com.br/pontedenegocios.

Tags, , , , ,

Inseed Investimentos anuncia parceria com SENAI

Parceria irá impulsionar o desenvolvimento de startups de base tecnológicas que participam do Edital SENAI SESI de Inovação.

A Inseed Investimentos, gestora de recursos focada em empresas inovadoras com alto potencial de crescimento, firmou parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) para impulsionar o desenvolvimento de startups que participam do Edital SENAI SESI de Inovação.

Segundo Alexandre Alves, diretor da Inseed, o acordo vai facilitar a seleção de empresas que receberão investimentos dos fundos FIMA e Criatec 3, criados pelo BNDES e direcionados para empresas de base tecnológica em estágio inicial. Além disso, irá disseminar a cultura da inovação e o fortalecimento de ecossistemas brasileiros de inovação. Para o diretor-geral do SENAI, Rafael Lucchesi, o objetivo do acordo é estimular o crescimento dessas empresas, que são motores do desenvolvimento da inovação no país.

O FIMA foi o primeiro fundo destinado ao segmento de Inovação Tecnológica Sustentável do Brasil, com R$ 165 milhões de capital comprometido e tem foco em negócios que possuem soluções aplicadas ao meio ambiente. Já o Criatec 3 é considerado o maior fundo de apoio ao empreendedorismo e inovação para o desenvolvimento de empresas early stage no Brasil e tem como setores prioritários Tecnologias da Informação e da Comunicação, Biotecnologia, Agronegócio, Novos Materiais e Nanotecnologia.

INSEED Investimentos

A INSEED Investimentos é uma gestora de recursos focada em empresas inovadoras com alto potencial de crescimento. A experiência adquirida, empreendendo negócios inovadores, e os resultados obtidos na gestão de fundos de Capital Empreendedor fazem da INSEED pioneira e grande especialista em empresas inovadoras em early stage no Brasil. A gestora gere e multiplica valor para investidores e empreendedores e estimula a cultura empreendedora em todo o país.

Totaliza R$ 485 milhões sob gestão e um track record de resultados positivos, com mais de 45 investimentos nos últimos 12 anos, 14 desinvestimentos com retorno médio próximo a 30% a.a., e uma carteira remanescente que cresce 45% a.a. desde 2008. O motivo desses resultados tão significativos, num contexto não tão favorável à inovação, é que a INSEED compreende o empreendedor em sua essência e sabe como multiplicar o valor do negócio investido.

Tags, , , , ,

InovAtiva Brasil abre inscrições para segundo Ciclo de Aceleração de startups no ano

Empresas inovadoras iniciantes de qualquer setor podem concorrem a uma das 300 vagas no maior programa público de aceleração do mundo

Começaram as inscrições para o maior e mais completo programa de aceleração do país, o InovAtiva Brasil. Startups de todo o país e de qualquer setor da economia podem concorrer a uma das 300 vagas para o programa que proporciona capacitação, mentoria e conexão aos selecionados. Os interessados têm até o dia 27 de junho para submeter inscrições, somente pelo site do programa.

Criado em 2013 pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, o InovAtiva Brasil é um programa que auxilia e orienta empreendedores iniciantes com uma boa tecnologia mas pouco conhecimento de negócio, oferecendo capacitação e mentoria para o estabelecimento de novos negócios inovadores. O InovAtiva é executado pela Fundação CERTI e tem como parceiros estratégicos o SEBRAE e o SENAI.

De acordo com o Ministro Marcos Pereira, o InovAtiva Brasil é uma política pública robusta que tem potencial para elevar consideravelmente o número de empresas brasileiras inovadoras e competitivas no mercado global no longo prazo. “Esse é o quarto ano do programa e já são diversos os casos de sucesso das startups participantes, inclusive com algumas abrindo mercado no exterior”, afirmou.
Esta é a primeira vez que o InovAtiva abre um segundo Ciclo de Aceleração em um mesmo ano. A primeira edição de 2016, que vai até 29 de agosto, selecionou 300 startups de 21 estados, entre os 1.372 projetos submetidos. Segundo Secretário de Inovação e Novos Negócios do ministério, Marcos Vinícius de Souza, não há notícia no mundo de outro programa público que ofereça um ciclo completo de aceleração, com capacitação, mentoria e conexão para startups, na escala de 600 empresas por ano como o InovAtiva fará a partir de 2016.

Para Souza, atingir essa meta demonstra a maturidade alcançada pelo InovAtiva como um programa de aceleração verdadeiramente de larga escala e abrangência nacional. “O apoio do SEBRAE e de outros parceiros é fundamental para alcançarmos esse objetivo, pois só com eles o programa tem força e capilaridade para chegar a um número tão grande empresas sem perder qualidade”, afirmou.

Podem submeter projetos startups que tenham negócios inovadores com faturamento anual máximo de R$ 3,6 milhões e que não tenha recebido investimento em participação de terceiros (investidor anjo, fundo de investimento) acima de R$ 500 mil.

O programa oferece capacitação de nível mundial em empreendedorismo inovador, por meio de cursos gratuitos e outras atividades; acesso a mentores nacionais e internacionais; conexão com possíveis parceiros, investidores e grandes empresas; suporte para internacionalização; e vantagens adicionais para startups em outros programas públicos e privados parceiros.

Tags, , , , , , , ,

CNI implanta nova tecnologia para gerenciar informações dos SENAIs

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) está implantando um novo sistema para capturar informações geradas pelas atividades de ensino do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) de todo o país. O InnFluit, da Procenge, passou a gerir dados de pessoas físicas, cursos, turmas, matrículas, metas, certificações profissionais, assessoria e consultoria em educação, permitindo o cadastro, consulta, edição e emissão de relatórios, com regras de hierarquia e totalmente integrado a outros sistemas internos. A solução está rodando em fase piloto no Distrito Federal e no Paraná, mas será ampliada, em breve, para os demais estados.

O desenvolvimento e a homologação do novo sistema foram realizados em 30 dias e a plataforma proporcionará ao SENAI condições de ajustes permanentes de acordo com as novas necessidades que forem surgindo. Também foram implantados recursos que o sistema anterior não contemplava, como a gestão de documentos (GED) e de processos de negócios (BPM). “A área de Tecnologia da Informação da CNI gerencia mais de 120 sistemas. O InnFluit é uma plataforma sobre a qual podemos configurar e substituir os mais antigos e que não condizem mais com as demandas do SENAI e do Sistema Indústria”, comentou José Luna, diretor regional da Procenge. Para ele, a implantação do InnFluit na CNI comprova a eficiência da plataforma na integração de processos. “Ela promove a melhoria do desempenho da organização, reduz custos, duplicidades de informação e conflitos entre os sistemas. Também permite a realização de uma análise mais crítica das informações geradas e a melhoria da comunicação entre os setores da empresa, colaborando para gerar os resultados estabelecidos no planejamento estratégico do cliente”, explica.

A expectativa é que a utilização do InnFluit seja ampliada gradativamente para todo o Sistema Indústria (CNI, SESI e IEL, além do SENAI). A previsão é que o número de usuários no SENAI ultrapasse a casa dos 300 ainda este semestre.

SOBRE O SISTEMA – Grande parte das empresas ainda gerencia informações de seus procedimentos táticos e operacionais em planilhas ou por meio de softwares específicos que não se comunicam entre si. O InnFluit resolve, sob medida, problemas de automação e integração dos processos de gestão de forma mais rápida e a partir de uma metodologia ágil de concepção. Ele consegue unificar todas as operações, desde o backoffice (retaguarda) ao core business que, normalmente, não são cobertos por um ERP ou que são cobertos por vários sistemas e planilhas sem qualquer tipo de integração.

A plataforma desenha fluxos de trabalho com regras de negócio, formulários parametrizados, consultas, gráficos, relatórios e aplicar recursos multimídia. Estão disponíveis, ainda, aplicações de gestão de processos, documentos, projetos, contratos, equipes, auditorias, marketing e vendas e ocorrências. Também é possível implantar soluções personalizadas para processos específicos como gestão da qualidade (EQM), geração de relatórios, integração com sistemas legados, automação departamental, gestão de projetos (EPM), controle financeiro, indexação e busca de documentos (GED), gestão de relacionamento com o cliente (CRM), entre outras personalizadas que o cliente imaginar e precisar.

O conceito do InnFluit é baseado no desenvolvimento de fluxos ponta a ponta, mais intuitivo, atraente e aderente aos usuários que participam de toda a prototipação e implementação (co-criação). Os desenvolvedores só entram em ação quando há necessidade de integrar regras avançadas de negócios, com cálculos mais complexos. Sua implantação varia de acordo com a necessidade do cliente, responsável por apontar quais processos mais impactam na sua operação e que ele gostaria de automatizar e integrar.

A solução pode partir de sistemas especialistas já existentes ou de algum problema/falta de automatização no gerenciamento de informação (planilhas estáticas). A partir da definição destas prioridades, a plataforma evolui até atingir 100% de cobertura das áreas, departamentos e processos demandados. A plataforma também tem a capacidade de se expandir, incorporando as novas necessidades do negócio do cliente, na medida em que ele for se desenvolvendo. Entre os ganhos permitidos estão eficiência e produtividade através da resolução de problemas operacionais e redução de erros, retrabalhos e riscos.

O tempo de implementação do InnFluit varia de acordo com a complexidade dos processos do cliente. Um processo simples pode ser automatizado em duas horas e outros processos mais complexos poderão levar alguns dias.

Tags, , , , , , ,

Cafetec em Curitiba: Sebrae detalha Programa de TI e Senai apresenta ofertas para certificações mps.br

Aconteceu no Sebrae, em Curitiba, o primeiro Cafetec voltado para empresas do Arranjo Produtivo Local de Software. O evento é uma das novidades do Programa de TI da instituição para o desenvolvimento do setor na capital e região metropolitana. Em um café da manhã voltado para networking e apresentação de conteúdo e oportunidades para o setor, os empresários conheceram o trabalho do Senai Paraná em certificações importantes para empresas de software como o mps.br. Veja reportagem do programa de tv Valor Agregado.

Tags, , , ,

Edital Senai Sesi oferece R$ 30 milhões para inovação

Estão abertas as inscrições para a edição 2013 do Edital Senai Sesi de Inovação. Este ano serão destinados, no total, R$ 30,5 milhões para projetos desenvolvidos em parceria com o Senai (R$ 20 milhões) ou com o Sesi (R$ 7,5 milhões), e em bolsas de Desenvolvimento Tecnológico e Industrial (R$ 3 milhões), oferecidas pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), por meio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). O aporte de recursos por projeto pode chegar até R$ 300 mil.

O primeiro edital foi lançado em 2004, pelo Senai, para incentivar o desenvolvimento ou a implementação de projetos inovadores que gerem novos negócios e promovam a melhoria na produtividade. Em 2009, o Sesi passou a participar também do Edital de Inovação através do fomento de projetos focados em tecnologias inovadoras para as áreas de educação, saúde e segurança no trabalho, lazer e responsabilidade social empresarial. No total, o edital já contemplou 412 propostas em todo o país. Em 2012, o Paraná aprovou 19 projetos, colocando o Estado em primeiro lugar no ranking de aprovação da edição.

Para a gerente de serviços tecnológicos e inovação do Senai no Paraná, Sonia Parolin, o principal benefício do Edital de Inovação é dar às indústrias as condições necessárias para que elas possam desenvolver projetos inovadores. “Com os recursos recebidos, as indústrias podem ter acesso a diversos serviços, entre eles, os oferecidos pelo Senai”, explica a gerente. “O Senai oferece às indústrias a maior rede privada de serviços laboratoriais do país, atuando nos 27 estados brasileiros, além de consultorias em todas as áreas setoriais e transversais para fomentar a competitividade no mercado local e global”, finaliza Sonia.

Histórias de Sucesso

A Madeplast, empresa paranaense que produz madeira ecológica, teve projetos aprovados nos editais de 2009 e 2010. Em sua primeira participação, desenvolveu em parceria com o Senai um projeto de pesquisa aplicada e desenvolvimento de compósitos de madeira plástica para construção civil e arquitetura, aprimorando o desenvolvimento da matéria-prima da indústria. Já em 2010 desenvolveu um produto, a persiana externa de material sustentável.

Segundo a gestora de pesquisa, desenvolvimento e inovação da Madeplast, Patrícia Naldony, o aporte, somando os dois projetos, foi de aproximadamente R$ 600 mil. “O Senai também prestou consultoria na gestão do projeto e disponibilizou sua estrutura para realização de ensaios físicos e mecânicos que comprovam a durabilidade e a resistência do nosso produto”, conta Patricia. Segundo a gestora, os benefícios da participação nos Editais puderam ser sentidos rapidamente. “Através da participação nos Editais, a Madeplast pode diversificar seu portfólio de produtos e aumentar seu faturamento”, relata.

Outra empresa contemplada pelo Edital de Inovação foi a PepsiCo, de Curitiba, na edição de 2011. Em parceria com o Sesi, a indústria desenvolveu o “Manual Sesi Pilates na Indústria”, uma iniciativa que visa agregar saúde e qualidade de vida à comunidade industrial, através da prática de atividades físicas.

Através do projeto, 15 professores do Sesi foram capacitados no método de Pilates de solo e de aparelho – seis deles atuaram diretamente no projeto, dentro da PepsiCo. Cerca de 20 funcionários da empresa, voluntários, participaram das aulas, que aconteceram ao longo de 18 meses, em dois turnos e no próprio local de trabalho. Ao término desse período, os profissionais envolvidos na ação puderam constatar vários benefícios para os praticantes de Pilates, entre eles, a diminuição de dores, a melhora da postura e o aumento da flexibilidade.

As empresas interessadas no apoio têm até 30 de setembro para inscrever suas ideias através do site www.editaldeinovacao.com.br.

Tags, , ,

Curitiba se prepara para aprovar Lei Municipal de Inovação

O projeto da Lei Municipal de Inovação de Curitiba deverá ser votado pela Câmara de Veradores ainda este semestre. Iniciativa do Senai Centro Internacional de Inovação, o projeto foi entregue, em 2012, ao vereador Felipe Braga Cortes (PSDB). “Começamos a debater no final do ano passado, porém, não houve tempo hábil para votação e aprovação. Agora vamos alinhar o texto junto com a equipe do novo prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, e reapresentar já na primeira sessão, em fevereiro, com a expectativa de sancionar em, no máximo, três meses”, explica o vereador. A Lei Municipal de Inovação irá complementar a Lei Estadual, sancionada pelo governador Beto Richa em setembro de 2012.

Lideranças empresariais, universidades e representantes de centros de Pesquisa e Desenvolvimento e Inovação (P&D&I) defendem a importância da aprovação imediata de uma Lei Municipal de Inovação voltada às iniciativas de P&D&I das empresas com sede em Curitiba. O objetivo é fortalecer as parcerias publico-privadas de transferência de conhecimento e tecnologia entre universidades e empresas, além de garantir recursos financeiros e incentivos fiscais para as iniciativas inovadoras e posicionar o governo municipal como ator importante de fomento ao desenvolvimento de inovações, por meio da sua participação e uso do seu poder de compra.

Segundo especialistas, a aprovação de uma lei voltada ao incremento da inovação no município não conflita ou se sobrepõe às Leis Estadual e Federal. “Uma legislação municipal é complementar as já existentes e trará benefícios efetivos às empresas, como incentivos com base na receita do município, uma vez que a contrapartida da inovação irá contribuir para o desenvolvimento de Curitiba”, afirma o coordenador do Conselho Temático de Política Industrial, Inovação e Design da Fiep, Rodrigo Martins.

Para o gerente de inovação do Senai no Paraná, Filipe Cassapo, a Lei Municipal irá facilitar a obtenção de recursos em todas as esferas. “Uma legislação municpal irá garantir o acesso das empresas a recursos locais e ainda poderá facilitar, por crescimento em escala, a captação de recursos estaduais e federais”, explica.

Benefícios – Entre os benefícios que a Lei Municipal poderá trazer, estão os incentivos fiscais e a criação de um Fundo Municipal de Inovação (FMI), com recursos do município para o fomento de ideias e projetos inovadores, além de permitir uma proximidade maior entre as empresas, universidades e institutos de pesquisa e desenvolvimento. O texto também deverá prever a aquisição e incorporação de soluções inovadoras pela Prefeitura, fazendo uso do poder de compra do município.

No Brasil, seis municípios possuem uma Lei de Inovação: Joinville e Florianópolis em Santa Catarina, São Bernardo do Campo e Sorocaba, em São Paulo, Vitória, no Espirito Santo, e Santa Maria, no Rio Grande do Sul. Além dessas, outras cidades estão seguindo o mesmo caminho: Curitiba e Maringá, no Paraná, Juiz de Fora e Varginha, em Minas Gerais, Recife, em Pernambuco, e Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.

“A ideia central da criação de valor no município por meio da Lei Municipal da Inovação é recompensar, com o direcionamento de recursos financeiros, em formato de subvenções ou isenções fiscais, as empresas que fortalecem a economia e os empregos locais por meio da pesquisa, desenvolvimento e inovação”, explica Cassapo.

Um bom exemplo, segundo o gerente de inovação do Senai no Paraná, é o que irá ocorrer na cidade de Florianópolis, que pretende aplicar R$ 15 milhões de recursos do orçamento municipal via Fundo Municipal de Inovação e Programa de Incentivo à Inovação.

Cassapo acrescenta que, assim como fez com Curitiba, o Senai Centro Internacional de Inovação está à disposição dos municípios – Prefeituras e Câmaras de Vereadores – para orientar no desenvolvimento de um projeto de lei municipal de inovação.

Tags, , , ,

Faculdades Tecnológicas do Senai recebem inscrições até a próxima semana

Estão abertas até a próxima semana, as inscrições para o vestibular das Faculdades Tecnológicas do Senai no Paraná. Há cursos em Curitiba, Telêmaco Borba, Cascavel e Toledo. As inscrições para o vestibular agendado vão até terça-feira (27). O vestibular acontece dia 1º de dezembro, das 15h às 17 horas. O vestibular agendado pode ser feito até dia 30. Mais informações sobre inscrições e edital no site www.faculdadesdaindustria.com.br.
Em Curitiba, há vagas para os cursos de Design de Moda e Controle de Obras, ofertados no Senai no Jardim Botânico; e para o curso de Fabricação Mecânica, no Senai na Cidade Industrial de Curitiba. Em Telêmaco Borba, são ofertados os cursos de Automação Industrial e Papel e Celulose. Em Toledo, há vagas para o curso de Alimentos. Já em Cascavel, os interessados podem se inscrever para os cursos de Gestão da Produção Industrial e Manutenção Industrial.
Os cursos superiores de Tecnologia (Tecnólogos) se caracterizam por serem focados em determinada área e são, normalmente, realizados em um tempo menor que os outros, como bacharelados e licenciaturas. Para o setor industrial a duração de cada curso é de três anos

Tags, ,

Faculdade Tecnológica do Senai abre inscrições para o vestibular

Estão abertas as inscrições para o vestibular das sete Faculdades Tecnológicas do Senai Paraná. No total são 13 cursos ofertados em Curitiba, Telêmaco Borba, Londrina, Maringá, Cascavel e Toledo. As inscrições podem ser feita até 6 de julho pela internet, no site www.pr.senai.br/graduacao. O vestibular acontece dia 8 de julho. As aulas começam dia 23 de julho.
Em Curitiba, são duas faculdades: a do Jardim Botânico, que oferta os cursos de Controle de Obras e Design de Moda; e a da Cidade Industrial de Curitiba (CIC), que oferta Fabricação Mecânica e Processos Ambientais.
A Faculdade Tecnologia Senai CIC já está em funcionamento deste fevereiro, com o curso superior em Fabricação Mecânica. As demais faculdades estão iniciando agora.
Os cursos têm duração de três anos. O ensino superior ofertado pelo Senai é voltado, exclusivamente, ao atendimento das demandas das indústrias. Os cursos superiores de Tecnologia se caracterizam por serem focados em determinada área e, normalmente, realizados em um tempo menor que os outros cursos superiores, como bacharelados e licenciaturas.

Cursos – Todos os cursos ofertados em Curitiba acontecem no período noturno. Há 40 vagas para cada turma. O curso superior de Tecnologia em Fabricação Mecânica visa atender à demanda das indústrias da área metalmecânica, capacitando profissionais para atuação nos mais diversos segmentos do setor industrial. O tecnólogo desta área atua no segmento de fabricação, envolvendo usinagem, conformação, soldagem, montagem e outros processos mecânicos.
Já o curso de Tecnologia em Processos Ambientais proporciona ao aluno conhecimentos para planejar, gerenciar e executar ações ambientais, bem como participar de pesquisas tecnológicas com foco no desenvolvimento sustentável. O profissional desta área pode atuar tanto na área industrial quanto na agroindústria.
O profissional formado pelo curso de Tecnologia em Controle de Obras poderá atuar juntamente com engenheiros civis no controle da qualidade de obras e na implantação de sistemas de gestão e controle, capazes de reduzir riscos e impactos, e otimizar a utilização de recursos, minimizando os impactos ambientais.
O Curso Tecnólogo em Design de Moda está focado no desenvolvimento de competências e habilidades que abrangem a inovação, o entendimento da moda como negócio e a flexibilidade de atuação em cenários competitivos. O profissional formado poderá atuar em empresas de confecção, fiações, tecelagens, empresas de varejo de moda, indústrias de aviamentos, empresas de assessoria e consultoria de moda e tendências, estúdios de design e empresas de comunicação de moda.

Tags, ,