Tag restaurantes

Startup vê demanda por digitalização de restaurantes quadruplicar e recebe aporte para expandir operação

A Styme, startup de serviços para restaurantes e consumidores, já sente o reaquecimento do mercado com a procura cada vez maior de restaurantes por serviços de tecnologia que auxiliem na digitalização dos processos operacionais e, consequentemente, na retomada das atividades devido à pandemia. Desde julho, a Styme conquistou 60 novos clientes e acaba de receber um aporte de R﹩ 400 mil para expandir sua operação em todo o país, com a expectativa de crescer cerca de 120% em relação aos clientes e 173% em faturamento até o fim deste ano.

A principal questão a ser solucionada é o distanciamento entre clientes e funcionários dos estabelecimentos de alimentação sem perder a qualidade e empatia no atendimento. Um dos principais serviços da startup nesse sentido é a plataforma de cardápios digitais, disponibilizados via tablets, que permitem uma experiência completa reduzindo em até 70% o contato com os garçons. Casa Graviola, Méz, Cachaçaria Água Doce, Habib´s, Ragazzo, Dasbrot, B de Burguer, Hot n Tender e Camarão Express são alguns dos clientes que utilizam a plataforma.

A qualidade visual do menu digital, desenvolvido com design e curadoria fotográfica de cada prato, além de informações detalhadas sobre sua composição, estimula o desejo pelo menu e melhora a experiência do cliente, que consegue ter uma perspectiva mais real do produto oferecido, diminuindo o volume de dúvidas a serem tiradas com os garçons e, portanto, o contato entre as partes.

Além disso, a Styme utiliza inteligência artificial para programar a venda sugestiva de acordo com as opções selecionadas pelo consumidor. Enquanto o cliente pede um simples prato como um hambúrguer, o cardápio sugere acompanhamentos que harmonizam com o item selecionado pelo cliente. O pedido feito pela interface é enviado diretamente à cozinha, sem intermédio de funcionários do local.

A tecnologia otimiza em 30% os custos com a mão de obra, além de contribuir com um aumento de até 20% do tíquete médio do restaurante. “O garçom para de fazer aquele trabalho operacional e foca em ser um consultor de vendas. Além disso, conseguimos captar informações dos clientes e o nível de satisfação do atendimento por meio de pesquisas impostas pelo cardápio”, explica Frederico Tonietto, CEO da Styme.

A plataforma também permite que o restaurante tenha processos mais ágeis, podendo ajustar promoções, formatos, combos e até mesmo o próprio menu, de acordo com os pratos que estão sendo mais vendidos e que indicam a preferência dos clientes. Até o fim deste ano, a Styme deve lançar a versão do cardápio digital com pagamento via QR CODE.

A Styme também é parceria da Linx, líder no segmento de softwares de gestão para o varejo, que permite conexão do cardápio digital com os sistemas operacionais de restaurantes de todo o país. Hoje, a solução atende em média 50 mil pedidos por mês e está presente em 12 estados do Brasil.

Tags, , ,

Executivo conta como manter 120 restaurantes empresariais funcionando em meio ao caótico cenário nacional

Uma aptidão do empreendedor brasileiro é a reinvenção. O nosso empresário foi obrigado a desenvolver características como reação rápida diante das situações adversas, flexibilidade e jogo de cintura. Afinal, para fazer negócio no Brasil é preciso se reinventar a cada crise, a fim de minimizar os impactos da instabilidade política e econômica do Brasil. E como então manter um negócio em meio a tudo isso: greves, crises de abastecimento, alta do dólar e dos combustíveis, sem perder a qualidade e é claro, a esperança?

Enquanto grande parte das empresas de refeições empresariais pararam diante dos problemas enfrentados pela última paralisação, o que, por sua vez, provocou a parada de muitas indústrias, a Exal – Excelência em Alimentação, se manteve firme ao longo de toda a crise. Roberto Costa de Oliveira, presidente da empresa responsável por 120 restaurantes de norte a sul do país, o segredo é criatividade e determinação. “Durante os últimos dias, enfrentamos a ausência de entregas dos nossos fornecedores principais – desde hortifrútis e carnes, até estocados secos e gás GLP – e uma logística desafiadora dos restaurantes situados entre o Rio Grande do Sul à Bahia. Muitos pararam, mas nós não, conseguimos manter todos os restaurantes em funcionamento, mesmo com algumas reduções ou alterações de cardápio e uma breve exceção”, avalia.

Prejuízo x reconhecimento

Para Oliveira, a essência de tudo foi contar com uma equipe altamente motivada. A empresa montou um comitê de crise que se reunia duas vezes por dia, para avaliar as múltiplas situações. A velocidade na troca de informações e as ações incisivas foram, para ele, parte importante nesse processo. “Nossos 1.500 colaboradores e a rápida atuação do comitê foram fundamentais para que tudo corresse bem, sem eles nada seria possível. Afinal, liderança ativa nesta situação é essencial para incentivar as equipes, repetindo nosso compromisso com o cliente, e aproveitando a oportunidade para mostrar nossos diferenciais”.

Os reflexos da greve ainda aparecem no abastecimento, por isso é importante saber como se adequar. Segundo o gestor, tanto no período crítico, como agora, a preocupação foi se adaptar sem perder a qualidade. “Na busca frenética por matérias-primas faltantes, não descuidamos da alta qualidade a que nos propomos. Apesar de inesperado, a responsabilidade pela qualidade estava sempre à frente, não usamos nenhuma matéria-prima que representasse risco, apesar de alguns cardápios terem sofrido reduções para conservação de insumos”, complementa.

O esforço da empresa surtiu efeito. “Recebemos diversos e-mails dos clientes elogiando a nossa performance e confirmando a nossa parceria estratégica”, conta. A empresa ainda não calculou os prejuízos derivados da crise, mas Oliveira afirma que nada será repassado aos clientes. “Para nós, o comprometimento com o cliente e a confiança que ele deposita em nossos serviços são sagrados. Por isso, em vez de aumentar preços, a nossa estratégia é fortalecer ainda mais a nossa política de custos. Empreender é justamente reagir positiva, construtiva e tenazmente às constantes ameaças, em especial às totalmente inesperadas”, finaliza o empresário.

Tags, , , ,

iFood lança plataforma para restaurantes criarem sites próprios

Seguindo seu propósito de revolucionar o universo da alimentação por uma vida mais prática e prazerosa, o iFood anuncia o Meu Site, uma plataforma online criada para ajudar restaurantes a criarem sites e aplicativos próprios.

“Nosso foco agora é entregar as melhores soluções para os restaurantes e, para isso, estamos ampliando os serviços que oferecemos. O iFood tem como um de seus objetivos potencializar o faturamento do negócio do parceiro, oferecendo as melhores ferramentas de gestão e novos canais para gerar ainda mais pedidos, porque para nós nenhum restaurante é pequeno. O Meu Site é apenas mais uma iniciativa que desenvolvemos, assim como o iFood Shop e o iFood Delivery, que ajudam o restaurante a maximizar seu lucro e expandir seu negócio”, explica Gustavo Molina, Diretor de B2B do iFood.

O Meu Site (meusite.ifood.com.br/) é um serviço totalmente gratuito e oferecido para todos os restaurantes, sejam parceiros da plataforma ou não. Nele, o restaurante pode divulgar seu cardápio e informações num site personalizado com a cara do estabelecimento. O site é compatível com todos os formatos de tela, seja desktop, celular ou tablet, independente da marca e modelo. O iFood também oferece uma equipe disponível para atendimento aos restaurantes.

O delivery é uma das áreas de serviços alimentícios que mais cresce no Brasil e o iFood não apenas atua como um consultor na gestão dos restaurantes, como representa um incremento nos negócios de seus parceiros. Os restaurantes cadastrados no iFood crescem, em média, 50% já nos três primeiros meses.

Tags, , , , , , , ,

Aplicativo agiliza pedidos na mesa ou para retirada no balcão de bares, restaurantes e filas nas baladas

Um dos principais pilares da Transformação Digital é aprimorar a experiência do consumidor na hora de lidar com empresas e serviços. No segmento de Alimentação, que engloba lanchonetes, restaurantes e bares, os estabelecimentos começam a descobrir o uso da tecnologia para economizar o tempo dos clientes. A prova disso é que a recente implementação de terminais de autoatendimento em lojas das principais redes de fast-food tem proporcionado um aumento de até 20% nas vendas e 6% no tíquete médio.

Com a proposta de inovar no atendimento de pequenos e médios estabelecimentos, a isyBuy chega para melhorar a experiência do consumidor em bares, restaurantes, fastfoods, pubs e baladas, ao disponibilizar o cardápio no aplicativo para o cliente solicitar a comida, bebida, sobremesa ou, até a conta. Além do modelo de autosserviço, o app proporciona também as modalidades de takeout (pede, paga e retira, indicado principalmente para praças de alimentação), delivery com taxa mais econômica e também funciona como comanda na balada permitindo que o cliente realize o pagamento pelo celular e possa ir direto para a saída.

Facilmente adaptável e conectado aos sistemas de gestão dos comércios, o aplicativo é homologado de acordo com a nova regulamentação para pagamentos eletrônicos via Câmara Interbancária de Pagamentos (CIP), que entra em vigência em 2018 e, por esse motivo, é o próprio responsável pelo processamento de todas as transações com segurança.

“Temos sentido uma boa recepção do mercado, que tem percebido a necessidade de aderir ao digital e a proporcionar novas experiências aos seus consumidores, especialmente no segmento de lazer, em que muitas vezes o atendimento pode deixar a desejar”, afirma Gabriel Rizzi, sócio fundador da isyBuy , que está presente em 22 estabelecimentos como TeaHub, Forneria Urbana, Go Fresh e agora começou a entrar no ramo das hamburguerias, o qual tem se mostrado uma grande força para a solução Café Suplicy, todos inicialmente em São Paulo. “Os comércios vêm notando que o cliente tem consumido mais ao consultar todo o cardápio sem pressa. Além disso, podem diminuir custos operacionais e de mão de obra”, aponta o executivo.

Investimentos e expectativas

Concebida em 2015 e desenvolvida desde então, a empresa foi lançada ao mercado após a garantia do funcionamento completo de sua operação, na metade de 2017. No meio deste caminho, recebeu investimentos do Verity Group, consultoria especializada em Transformação Digital, e passou a fazer parte de seu ecossistema, que conta também com as empresas Verity, QA360, especialista em testes de aplicação, e JUST, desenvolvedora de produtos digitais.

Alexandro Barsi, CEO do Verity Group, ressalta que a isyBuy chamou a atenção por oferecer uma plataforma que agiliza atendimento ao usuário final, bem como, pelo potencial em se transformar em uma fintech – empresa de tecnologia que atua na área financeira –, completando o ecossistema do grupo. “O objetivo é oferecermos todas as ferramentas e produtos para o processo da transformação digital, de ponta a ponta, desde a discutir a ideia até a sua execução”, afirma Barsi.

“O apoio da Verity foi fundamental para construirmos a casa, porque nos proporcionou acesso a um grande time de profissionais de arquitetura da informação de primeira linha, garantindo a robustez que nossa plataforma precisava para podermos dialogar com os estabelecimentos”, completa Rizzi.

Disponível para Android e iOS, a expectativa da isyBuy é gerar 20 mil pedidos ao mês para 2 mil estabelecimentos em seu primeiro ano.

Tags, , , , , , ,

Infor reforça estratégia com setor de hospitalidade

A Infor, provedora líder de softwares de negócios desenvolvidos por indústria e na nuvem, anunciou hoje que o setor de hospitalidade tem passado por um momento de expansão. As soluções para empresas de turismo, hotelaria, jogos (como cassinos e casas de jogos) e restaurantes, que ampliam a visibilidade empresarial, têm interfaces modernas para os usuários e desenvolvimento flexível, contribuíram para a expansão do relacionamento com mais de 3 mil organizações no ano fiscal de 2017, encerrado em maio.

Entre novos clientes da Infor e os que expandiram o relacionamento com a companhia estão as marcas Trumpo Hotels, AMResorts, 1 Hotel Brooklin Bridge (uma propriedade da rede Starwood hotel), Hersha Hospitality, Unscripited Durham e The Time Nyack (todos do grupo Dream Hotel), Holekulani, e Hotel Fantasyland, e rede Accor, da América Latina.

“No Vienna House, precisávamos oferecer aos nossos hóspedes uma experiência moderna e bonita e encontramos na Infor o foco que precisávamos, alinhado ao valor da companhia, e por isso escolhemos implementar o Infor HMS”, afirmou Stefan Urdl, diretor de TI do Vienna House. “O Infor HSM é flexível o bastante para entender nossas necessidades únicas, de nos dar insights valiosos sobre nossas propriedades. Assim, podemos ter acesso a informações importantes para as tomadas de decisões de negócios”.

As soluções da Infor para hospitalidade são destinadas a ajudar clientes a se diferenciar em um cenário competitivo e concorrido, por conterem funcionalidades específicas e escaláveis que permitem entregar resultados mensuráveis. As soluções que integram a suíte de hospitalidade da Infor permite melhor interação social, móvel, analítica, e tecnologias em nuvem para agilizar as operações e melhorar a experiência dos hóspedes.

“A presença da Infor no setor de hospitalidade cresceu muito ano passado, e esse ano queremos reforçar o relacionamento da companhia com esse setor, que também passa a ser uma das nossas prioridades no Brasil e América Latina”, afirmou Gabriel Lobitsky, diretor de vendas da Infor para Brasil e Sul da América Latina.

Para Stewart Applbaum, vice-presidente sênior de hospitalidade da Infor, o intuito da companhia, globalmente é continuar a estreitar o relacionamento com o setor, e expandir a atuação nos próximos anos: “temos trabalhado para desenvolver novos produtos, melhorar os existentes e pretendemos continuar investindo em inovação e transformação para os nossos clientes”.

A Infor fez melhorias nas soluções EzRMS e HMS, nos últimos anos. As duas soluções-chave para a suíte de hospitalidade passaram por atualizações. Agora, o EzRMS, conta com a capacidade de machine learning e modelos preditivos mais dinâmicos, que tornaram o sistema mais preciso, com resposta rápida para situações inesperadas e menos dependente de histórico de dados; o Infor HMS, para clientes de jogos, também ganhou o novo módulo HMS Gaming, que permite aos usuários procurar pelo registro do jogador de forma rápida, facilitando sua localização e até sua premiação, além de prover informações em tempo real para toda a organização, com uma boa experiência para o usuário.

Tags, , ,

Chatbot exclusivo para restaurantes chega ao mercado

unnamed (10)

A inteligência artificial está revolucionando o jeito como as marcas se comunicam com consumidores, simplificando, até mesmo, hábitos como pedir uma pizza. Com o lançamento do Gigio, nome dado ao chatbot pronto para receber encomendas de comidas, desenvolvido pela Hive Marketing Technology, solicitar uma refeição se tornou algo tão simples quanto enviar mensagem para um amigo. A ferramenta, de interface simples e intuitiva, já está sendo usada por restaurantes no Brasil e nos Estados Unidos.

O Gigio funciona integrado ao Facebook Messenger sendo uma alternativa aos aplicativos em geral, cada vez menos baixados nos dispositivos móveis. “Não há mais necessidade de baixar um app e passar por várias telas para pedir uma refeição. Basta, simplesmente, abrir o contato do restaurante preferido, no Facebook Messenger, e fazer o pedido”, explica Mitikazu Lisboa, CEO da Hive.

Pedir uma pizza no Gigio, por exemplo, leva menos de um minuto, incluindo tarefas desde a escolha do sabor até a forma de pagamento. Enquanto a solicitação está sendo feita, o restaurante acompanha todo o processo por um administrador ou email e autoriza o pedido. Já nos próximos contatos, o chatbot saberá exatamente quem é o cliente e seu endereço. Além disso, apresenta os produtos do cardápio e preços sem que o cliente precise perguntar a um atendente ou visitar um site.

“As diferenças na eficiência entre um atendimento via telefone e um feito pelo Gigio são inúmeras. Quando o consumidor escreve ‘oi’, o chatbot já sabe quem é e quais foram seus últimos pedidos. O atendente humano ainda tem que anotar detalhes dos pedidos e dados de localização e telefone do cliente, além de, muitas vezes, ter que atender mais de uma ligação por vez”, explica Lisboa.

A tecnologia funciona por meio de assinatura e foi construída para ser usada por centenas de estabelecimentos, de forma totalmente individualizada. Ela pode ainda ser moldada de acordo com a demanda de cada empresa. Segundo Lisboa, a plataforma pronta reduz o seu custo de aquisição. “O cliente não paga pelo desenvolvimento da tecnologia do zero. O investimento seria muito alto e acabaria inviabilizando o negócio”, destaca.

Tags, , , , ,

Domino´s terá assistente virtual para delivery

Seja pelo celular ou computador, pagamos contas, fazemos compras e muitas outras atividades que eliminam a necessidade de telefonemas e o contato direto na lojas. Essa tendência tem mudado o comportamento do consumo de muitos brasileiros, o que abre cada vez mais espaço para os chatbots, ou, assistentes virtuais.

E a partir de novembro deste ano, chega ao mercado o Pepperobot, bot criado em parceria entre a Harlio, empresa brasileira desenvolvedora de chatbots, e a rede de pizzaria Domino’s. A função do bot será facilitar os pedidos delivery nas unidades de Batel, Ecoville, Juvevê e Portão, em Curitiba. Sem precisar de downloads, de forma gratuita, com linguagem natural e através do messenger do facebook, o robô informará o menu para pedido de delivery, fará o pedido e futuramente pagamentos.

“Tudo acontecerá da mesma maneira que acontece o atendimento via telefone, mas desta vez pelo bot, na internet”, explica um dos sócios da Harlio, Diego Ramiro. De acordo com ele, atualmente a tecnologia do Pepperobot está pronta para suportar quantos usuários for necessário. “Temos como meta para o ano que vem transitar pelo menos 10% do faturamento da Domino’s pelo chatbot, ou seja, rodar mais de 1.600 pedidos por mês só nas lojas de Curitiba”, afirma Ramiro.

Um dos sócios da rede Domino’s de Curitiba, Leopoldo Guerios, diz estar bastante animado com a inovação, principalmente por já fazer parte da marca sempre lançar novas tendências de tecnologia associadas com a comercialização dos produtos da rede.

Desde abril deste ano o facebook disponibilizou ferramentas para desenvolvedores de outras empresas criarem chatbots no Messenger. A novidade representa um grande avanço sobre os aplicativos tradicionais com um custo de desenvolvimento 70% mais barato que qualquer aplicativo e por conta de sua inteligência artificial, que se aperfeiçoa constantemente com as conversas e interações, eles podem interpretar seus erros e fazer sugestões.

E as perspectivas do negócio dos bots são animadoras: dados do Bank Of America Merrill Lynch mostram que o segmento pode movimentar até US$ 153 bilhões até 2020.

Tags, , , , ,

Plataforma global do Retail Food Group leva a um desempenho recorde

Um forte crescimento orgânico, sinergias de aquisição e iniciativas para aumento de receitas proporcionaram ao Retail Food Group Limited (RFG, a empresa ou grupo)(ASX:RFG) um lucro líquido depois dos impostos (Net Profit After Tax, NPAT) subjacente a 1H16 de $32,1 milhões, um aumento de 27,1% sobre o período anterior correspondente (previous corresponding period, PCP), conforme relatado nos resultados semestrais recentemente divulgados da empresa.

O forte resultado de lucro da empresa foi produto de um EBITDA recorde de $53,5 milhões em 1H16, representando um aumento de 36,4% no PCP, demonstrando um robusto potencial inerente no modelo de negócios do Grupo.

O diretor administrativo do RFG, Tony Alford, disse que o impressionante histórico de desempenho da empresa, o crescimento no investimento e as sólidas remunerações aos acionistas desde que a empresa entrou na bolsa de valores, em 2006, a posicionaram muito bem para capitalizar a futura expansão global.

“Em relação à escala e penetração de rede, o RFG superou a marca de 2.500 lojas, tem o sistema da marca licenciado em 63 territórios internacionais e tem aumentado exponencialmente as oportunidades globais agora disponíveis para a empresa, tanto pela perspectiva de franquia quanto pela de fornecedor”, declarou.

“O RFG é atualmente, indiscutivelmente, um líder em seu setor, não apenas nacionalmente, mas em todo o mundo”.

Contribuindo aproximadamente com 17% (ou $9 milhões) do EBITDA do grupo em 1H16, as operações internacionais do RFG foram conduzidas pelo comissionamento de um recorde de 73 novas lojas e a concessão de seis novas franquias para parceiros locais experientes na Nova Zelândia e em Myanmar.

“As operações internacionais do RFG proporcionam à empresa uma plataforma para um crescimento sustentável de risco relativamente baixo”, segundo Alford. “Ainda existem oportunidades significativas para penetração em novos mercados, com o foco na expansão de sua presença na Índia, Ásia, Europa, Oriente Médio e nos EUA”.

Em relação às operações internacionais de café, as instalações de torrefação da empresa em Los Angeles foram renovadas e foram renomeadas para Di Bella Coffee, com uma loja on-line estabelecida para aproveitar a emergente cultura de café espresso nos EUA.

A empresa planeja lançar outros centros internacionais de torrefação e distribuição de café, sendo a primeira programada a ser comissionada ainda em 2016.

Com operações globais cada vez mais diversificadas, iniciativas de condução de crescimento fortes por todas as unidades de negócios e diversas novas fontes de receita sendo pesquisadas, Alford disse que o RFG se mantém dinâmico nas suas perspectivas para o ano fiscal 2016 e além.

Sobre a Retail Food Group Limited

A RFG é proprietária dos sistemas de franquia Donut King, Brumby’s Bakery, Michel’s Patisserie, bb’s Café, Gloria Jean’s Coffees, It’s A Grind, The Coffee Guy, Café2U, Esquires, Pizza Capers e Crust Gourmet Pizza Bar. A empresa é uma importante atacadista de torrefação de café, fornecendo para o sistema de marcas existente e terceiros sob as marcas fabricantes de café Di Bella Coffee, Evolution Coffee Roasters Group e Roasting Australia.

Tags,

Food Service: como está o atendimento? – Por Marco Condado*

jGLW74Wf

Estamos com o dia a dia cada vez mais corrido e, com isso, a alimentação fora do lar cresce ano após ano. A concorrência aumenta e são diversos os alimentos oferecidos por restaurantes, lanchonetes e muitos outros tipos de estabelecimentos.

Mas como está o atendimento ?

Quando fazemos está pergunta, logo ouvimos respostas do tipo “não tem mais mão de obra” ou “essa geração Y e Z não ficam no trabalho”. Com certeza, temos um pouco de verdade nestas afirmações, mas prefiro acreditar que, assim como o mercado é dinâmico, nossos modelos de gestão têm que se atualizar, buscar novas formas de superar os desafios que encontramos hoje. Outro ponto importante que devemos nos preocupar, além de entender os desafios atuais, é saber o papel do líder. Por isso, gestores, empreendedores ou empresários precisam atuar. Muitos planos são elaborados estrategicamente e falham na execução.

O bom atendimento passa por vários fatores antes do contato com o cliente. Contratar o colaborador com perfil correto é o primeiro passo, na busca por vencer o turnover. Nem sempre contratamos uma pessoa que tem características para o atendimento. Atributos como simpatia, sorriso, fluência verbal, precisam ser vistos. A seguir, vem um ponto muito importante: ambiente de trabalho. Em várias pesquisas entre funcionários eles apontam que trabalham em uma excelente empresa quando se orgulham de fazer o que fazem, confiam nas pessoas para as quais trabalham, gostam das pessoas com as quais trabalham, além de fatores ligados às gerações Y e Z, com comunicação dinâmica, por exemplo, acostumados com redes sociais e internet. Recebemos muitas informações e, com grande rapidez, precisamos nos adaptar. Também é bom buscar interação. Para muitos jovens, é importante participar dos rumos ou construção das metas da empresa. E neste contexto o papel do líder é fundamental.

A estrutura de trabalho também influencia no ambiente, pois, em um mundo globalizado, os funcionários de várias marcas e segmentos se conversam e fazem comparações. Depois, vem o conhecimento do líder sobre o seu negócio e o mercado em que está. Essas informações passam credibilidade para sua equipe e não podemos deixar de falar em treinamento e acompanhamento. Será que minha equipe está preparada ? Para que isso aconteça, é preciso uma plano de trabalho, com treinamento constante, metas mensuráveis, acompanhamento e feedback.

Pontos como esses podem ser decisivos para fortalecer o atendimento e ajudar o cliente no seu momento de escolha. Por isso, vamos nessa, mãos à obra, buscar excelência no atendimento e encantar o cliente !!

Bom trabalho a todos.

*Marco Condado (marco@condado.biz) , gerente de operações especializado em Food Service

Tags, , ,