Tag Redpoint

BossaBox recebe aporte de R$ 8 milhões para potencializar transformação digital em empresas brasileiras

BossaBox, primeira a operar por squads-as-a-service no Brasil, acaba de receber um aporte de R$ 8 milhões liderado pela Astella Investimentos, acompanhada pela Redpoint eventures e MIT Angels – ambas empresas conhecidas por investir em empreendedores e startups que têm foco em tecnologia e no mercado digital. “A pandemia acelerou tendências que prevíamos na BossaBox e, por conta disso, tomamos a decisão de realizar essa captação. Estamos aqui para suprir o mercado que necessita de agilidade em inovação e transformação digital, bem como dar as melhores oportunidades de desenvolvimento para a nossa base de profissionais”, afirma André Abreu, CEO da BossaBox.

Planejando triplicar sua receita até o fim de 2020, a organização – que já desenvolveu soluções para empresas como Corteva, Valid, Neoenergia e Hering, entre outras – pretende fechar o ano com faturamento de R$ 11 milhões. A nova rodada de investimento fará com que a startup pioneira em conectar empresas a freelancers de tecnologia no Brasil entregue mais valor para todas as partes interessadas. Para seus clientes, a BossaBox quer ampliar a jornada de transformação digital em grandes corporações ao ir além da construção ágil de produtos digitais, apoiando também a inovação tecnológica e cultural dentro das organizações.

A empresa investirá em desenvolvimento profissional e pretende alcançar maiores níveis de impacto em sua base de prolancers, reforçando seu propósito de fazer com que profissionais de tecnologia de todo o país atuem em projetos com as marcas mais importantes do País, tudo isso sem precisarem se deslocar para os grandes centros urbanos. Com seu serviço, a BossaBox democratiza as oportunidades nessa área e aposta no desenvolvimento profissional dos prolancers, algo que será intensificado com o investimento recebido.

Para Marcelo Sato, sócio da Astella Investimentos, “a BossaBox traz o modelo mental típico aos times de desenvolvimento das startups de crescimento exponencial para o mundo corporativo em transformação digital. A solução permite aos gestores manterem o foco nas estratégias corporativas além de municiá-los com produtos digitais para se diferenciarem de forma rápida e eficiente. Encontramos no time de founders – André, Giovanni, Eduardo e João – a energia e conhecimento necessários para levar a BossaBox para o próximo estágio de maturidade e escalabilidade.”

O CEO da startup destaca ainda que o investimento é um grande reconhecimento pelo trabalho que a BossaBox tem desenvolvido durante os últimos anos. “Com fundos que são referência investindo em nossa empresa, conseguimos dar um grande passo para executar nossos planos. Ter o apoio do time da Astella e a Redpoint na companhia mostra que estamos no caminho certo e com a equipe certa. Somos fãs do trabalho que os dois fundos desenvolvem no ecossistema e estamos muito empolgados com o que está por vir com essa parceria”, comenta o empreendedor.

A BossaBox possui mais de 10 mil profissionais cadastrados e já desenvolveu mais de 90 projetos em todo o país. Com agilidade, excelência, segurança e praticidade, a plataforma monta em poucos dias o time que contribuirá em grandes projetos de inovação, além de absorver toda a responsabilidade pelo desenvolvimento das soluções adequadas a cada cliente. As organizações apostam na expertise e agilidade dos profissionais da BossaBox para acelerar a inovação dentro de estruturas mais tradicionais e alocar suas próprias equipes de tecnologia em projetos internos voltados para a estrutura de TI da companhia.

Depois de enfrentarem um rigoroso processo seletivo criado pela BossaBox, os prolancers, como são chamados os profissionais freelancers cadastrados na plataforma da startup, praticam novas habilidades, se envolvem em projetos relevantes, possuem autonomia e acesso a uma fonte de renda estável, mesmo trabalhando de forma remota.


A startup encontrou neste formato um meio de promover a diversidade e inclusão dentro da área de tecnologia, sem esquecer a qualidade. Além de ampliar o acesso a oportunidades profissionais que antes só estavam disponíveis nos grandes centros urbanos, a BossaBox também apoia ativamente iniciativas como a capacitação de mulheres em tecnologia da Reprograma, projeto para o qual a empresa doou toda a receita de seu evento Product Masterclass, realizado em julho e agosto deste ano.

Tags, , , , , ,

Cubo Itaú e Kroton firmam parceria e inauguram vertical de educação

O Cubo Itaú, maior espaço de fomento ao empreendedorismo tecnológico da América Latina, fundado pelo Itaú Unibanco com a Redpoint eventures, acaba de anunciar parceria com a Kroton, uma das principais organizações educacionais brasileiras, com 52 anos de história no setor. A conexão entre as instituições dá origem à vertical Cubo Education, selo que fortalece e agrega ainda mais valor e conhecimento tecnológico ao desenvolvimento da educação no Brasil.

A Kroton será a responsável por um andar voltado à educação no prédio do Cubo Itaú, a ser inaugurado no início do segundo semestre, dedicado ao fomento de edtechs. O espaço contará com lounges de aprendizagem, estúdios audiovisuais e salas de aula preparadas para analisar novos formatos e metodologias. Tudo sob curadoria da equipe de inovação da Kroton, responsável pela conectividade, acompanhamento e desenvolvimento de projetos para identificar possíveis oportunidades para o mercado.

“Educação é o pilar do crescimento de qualquer economia, e esse tema não poderia deixar de estar entre as verticais do Cubo. Estabelecer essa parceria com a Kroton certamente contribui para a evolução do ecossistema de startups. Estamos muito orgulhosos em realizar esse anúncio”, afirma Lineu Andrade, diretor de Tecnologia do Itaú Unibanco e responsável pelo Cubo Itaú.

Ao ampliar seus investimentos em inovação aberta, a Kroton quer se aproximar ainda mais de edtechs porque enxerga que esse é o caminho do futuro educacional. “A Kroton quer ser a empresa de educação mais digital do mundo; por isso, tem investido em processos de transformação digital que envolvem tanto a experiência dos alunos quanto uma profunda mudança em sua estrutura organizacional”, afirma Carlos Safini, vice-presidente de Tecnologia e Transformação Digital da Kroton.

Ao unir suas expertises, Kroton e Cubo Itaú pretendem construir o maior e mais bem-sucedido outpost de startups de educação da América Latina, referência mundial de conteúdo moderno e adaptado às competências do século 21. “Queremos acelerar a cultura digital na Kroton e oferecer aos nossos alunos a oportunidade de ter contato com o ambiente de inovação e empreendedorismo existente nas startups”, completa Safini.

Felipe Amaral de Mattos, diretor de Inovação e Analytics da Kroton, será um dos principais responsáveis pela condução do projeto Cubo Education. Antes de fazer parte da companhia, criou a startup de adaptive learning, Studiare, adquirida em outubro de 2015 pela Kroton. Mattos revela que a companhia oferecerá futuramente disciplinas de empreendedorismo com foco em startups que levarão em consideração todos os processos de criação desse ecossistema, desde a concepção de ideias até o desenvolvimento de um pitch de investimento. “Nosso foco é o sucesso dos alunos; por isso, queremos prepará-los para o mercado de trabalho, que está cada vez mais exigente e tecnológico. Vamos oferecer ferramentas para que eles expressem a criatividade e a veia empreendedora. Pretendemos, inclusive, acelerar as melhores ideias de startups”, finaliza.

Tags, , , , , , , , ,

As startups que se destacam em meio à crise

Em meio a uma grave recessão econômica que, ao que tudo indica, deve permanecer em 2016, o Brasil parece hoje um país arisco à inovação, e a novos investimentos. Felizmente, no entanto, esta é uma realidade distante do mercado de tecnologia, no qual o contínuo crescimento da base de usuários de internet, do consumo online e do número de aportes financeiros vêm impulsionando cada vez mais o desempenho de startups promissoras.

Na visão de Anderson Thees, sócio do fundo brasileiro de capital de risco Redpoint eventures, este é um movimento que deve se manter. “O Brasil possui hoje somente metade de sua população conectada à Internet. Ao mesmo tempo em que essas pessoas vão consumir cada vez mais utilizando as ferramentas digitais, a outra metade dos brasileiros irá, gradualmente, acessar a rede nos próximos anos”, explica. Thees lembra que o e-commerce e os serviços via web vêm crescendo cerca de 20% ao ano e que o Brasil já é hoje o quinto maior mercado de internet móvel no mundo.

Desde 2010, a América Latina como um todo presenciou um aumento de 800% no montante de investimentos de venture capital (capital de risco) em startups, totalizando hoje cerca de US$ 650 milhões. Somente neste ano, no Brasil, os investimentos já superaram a marca de US$ 150 milhões, um número ainda mais expressivo se levada em consideração a grande valorização cambial em 2015.

Tamanho resultado vem impulsionando o crescimento das empresas em estágio inicial. Um bom exemplo é a Viajanet. A empresa focada na venda on-line de passagens aumentou seu faturamento em 40% em relação a 2014. Este aumento foi possível graças ao crescimento da procura por passagens internacionais, resultado de várias promoções das empresas aéreas.

“Mesmo com o aumento do dólar, o preço médio em reais ficou cerca de 30% mais barato em alguns trechos para os Estados Unidos, gerando demanda em plena crise. Chegamos a mais que dobrar nossa venda de passagens aéreas internacionais”, diz Alex Todres, um dos fundadores da Viajanet.

Situação parecida ocorre com a Minuto Seguros. A corretora especializada na venda de seguros pela internet vem aproveitando a grande procura de apólices para carros usados, que bate recordes mensais consecutivos. A empresa explora um mercado que ainda tem muito a oferecer. De acordo com o órgão regulador SUSEP e estatísticas da Fenabrave e Anfavea, no Brasil só 15 milhões de veículos, do total de 45 milhões, são segurados.

“Do lançamento do site, em dezembro de 2011, até hoje, a empresa vem dobrando de tamanho a cada ano. Esperamos chegar ao fim de 2016 com mais 100 pessoas na operação, além dos 300 que temos atualmente”, diz o CEO da empresa, Marcelo Blay. A meta para 2015 é ampliar o volume de vendas em 100%.

Mas, talvez, o caso mais emblemático da pujança deste mercado seja o da PSafe. De 2014 para 2015, a companhia praticamente dobrou o número de downloads de seu aplicativo PSafe Total Android, atingindo a marca de 52 milhões de apps baixados. Neste período, a empresa atingiu ainda o valor de mercado de R$ 1 bilhão, sendo a primeira empresa de mobile app da América Latina a bater tal cifra. Em breve, a expansão também será geográfica, com a abertura de um escritório no México.

“Para a PSafe, internet rápida e segura é um bem público, similar à água potável e à energia, e direito do cidadão. Por isso, estamos desenvolvendo um projeto que envolve a instalação de redes seguras e gratuitas de Wi-Fi em estabelecimentos e transportes habilitados, chamado SafeWifi. Atualmente, a iniciativa já está disponível em mais de 500 bares e restaurantes de São Paulo e em fase piloto em 250 táxis na capital paulista. A expectativa é ampliar o escopo do projeto para o Rio de Janeiro e para outras capitais brasileiras em 2016”, conta Marco DeMello, CEO da PSafe.

Tags, , , , , , ,