Tag programadores

Escola global de tecnologia chega ao Brasil para transformar qualquer profissional em programador e criador digital

A falta de profissionais de TI capacitados, no Brasil, é, sem dúvida, um dos maiores gargalos encontrados pelas empresas no momento de fazer uma contratação, déficit que pode chegar a 161 mil postos até 2019, segundo levantamento recente da IDC. Pensando nisso, a Ironhack, tech school com sedes em Madrid, Barcelona, Paris, Miami, Amsterdã, Cidade do México e Berlim, escolheu São Paulo para inaugurar o seu oitavo bootcamp.

Com um modelo de ensino intensivo e imersivo baseado no conceito de “aprender fazendo”, a empresa oferece cursos de treinamento para programadores e web designers (UX/UI) alinhados às necessidades do mercado, uma metodologia que tem garantido 85% de empregabilidade de seus alunos, em no máximo três meses. Em apenas cinco anos de operação, a Ironhack já formou mais de 1,5 mil estudantes de 70 nacionalidades diferentes, em programas com duração entre 9 e 24 semanas.

A companhia foi criada em 2013 por Ariel Quiñones e Gonzalo Manrique, que se conheceram em um programa de MBA na Wharton School. Depois de observarem as pessoas investirem grandes quantias em educação e, mesmo assim, terem dificuldade em conseguir ingressar ao mercado de trabalho, os empreendedores criaram, em Madrid, uma startup voltada para o ensino de tecnologia.

Depois de ampliar a sua atuação para EUA e França, a Ironhack recebeu o aporte de 3 milhões de dólares do fundo JME Venture Capital para viabilizar sua expansão para a América Latina e Europa, incluindo a abertura do bootcamp na capital paulista, o primeiro sul-americano, além de unidades na Cidade do México, Berlim e Amsterdã.

“Estamos seguros de que nosso conceito de educação personalizada, ágil e sintonizada com as últimas mudanças tecnológicas trará para São Paulo novas oportunidades para quem busca uma recolocação ou, ainda, ingressar para o mercado de trabalho de TI”, explica Mario Posadas, Gerente de Expansão da Ironhack no Brasil. Segundo ele, diferente dos modelos educativos tradicionais, a escola permite que os alunos aprendam com seus próprios objetivos, seja para se aperfeiçoar tecnicamente, impulsionar a carreira ou mudar de área profissional. “Esta metodologia do bootcamp é bastante adequada para quem busca uma rápida mudança profissional”, lembra Posadas.

Outro diferencial da escola de programação é o suporte dado à recolocação profissional. Após a conclusão do curso, a escola promove uma Feira de Contratação ao longo de quatro dias, momento em que as próprias empresas vão até o Campus para conhecer e entrevistar os alunos. Entre as companhias, destaca-se a parceria global com Google, Rocket Internet, Boston Consulting Group, Twitter, VISA, entre outras.

“Com a Ironhack, quem deseja mudar de carreira consegue sair apto a trabalhar como desenvolvedor júnior ou em outras funções da área de tecnologia, um dos segmentos que mais emprega atualmente, com remunerações proporcionalmente mais altas se comparadas a outros segmentos, no Brasil”, destaca o Cofundador Ariel Quiñones. De acordo com uma pesquisa da consultoria Robert Half, o salário de um desenvolvedor júnior gira em torno de R$ 5 mil em solo brasileiro, mas pode chegar à casa dos R$ 20 mil para profissionais mais experientes.

Por ser um mercado tradicionalmente dominado por homens, a escola de programação oferece bolsas de 10% para mulheres que desejam se matricular nos seus cursos. A Ironhack inicia seu primeiro programa no país em 15 de outubro, com duração prevista de nove semanas. As inscrições já estão abertas no site oficial da escola:www.ironhack.com. O programa, full time, com aulas em português, tem carga de 40 horas semanais e todos os conhecimentos técnicos ensinados por professores experientes são testados em projetos.

Tags, , , , ,

Governante de Dubai lança Iniciativa de Educação em TI para criar um milhão de codificadores árabes

Hussain Sajwani, Chairman of DAMAC (PRNewsfoto/DAMAC Properties)

Fundação Hussain Sajwani – DAMAC, um empreendimento conjunto entre a DAMAC Properties e seu Presidente do Conselho, Sr. Hussain Sajwani, assinou um memorando de parceria para apoiar e patrocinar a Iniciativa Um Milhão de Codificadores Árabes. A Iniciativa, lançada pelo Vice-Presidente dos EAU, Primeiro-Ministro e Governante de Dubai, Sua Alteza o Sheikh Mohammed bin Rashid Al Maktoum, tem por objetivo fornecer treinamento gratuito em codificação para um milhão de árabes.

O Sheikh Mohammed disse, “Agradecemos à Fundação Hussain Sajwani – DAMAC por apoiar a Iniciativa Um Milhão de Codificadores Árabes, a qual procura capacitar os árabes com a linguagem da era moderna – um passo essencial para a construção de um futuro mais brilhante. As instituições do nosso setor privado são parceiras importantes no desenvolvimento e têm um papel ativo na construção das sociedades do futuro”.

‘Um Milhão de Codificadores Árabes’ é a primeira iniciativa de educação pan-árabe criada em colaboração com a Fundação Hussain Sajwani – DAMAC, uma iniciativa filantrópica conjunta entre o Grupo DAMAC e seu Presidente do Conselho, para apoiar a visão de Sua Alteza o Sheikh Mohammed bin Rashid Al Maktoum para a criação de uma sociedade capacitada e mais feliz através do aprendizado e do desenvolvimento de habilidades.

O acordo de parceria foi assinado durante uma cerimônia realizada nos escritórios da Fundação Dubai Future no prédio Emirates Towers, por Sua Excelência Mohammed bin Abdullah Al Gergawi, Ministro de Assuntos do Governo e do Futuro, Vice-Presidente do Conselho e Diretor Gerente da Fundação Dubai Future e Hussain Sajwani, Presidente do Conselho da DAMAC Properties.

Comentando sobre a iniciativa, Sua Excelência Al Gergawi disse, “Essa iniciativa tem por objetivo fornecer as capacidades fundamentais e conjuntos de habilidades, das quais os participantes precisarão no futuro, sem custos, para ajudar o mundo árabe na criação de soluções necessárias para impulsionar o desenvolvimento sustentável, construindo, ao mesmo tempo, uma economia baseada em conhecimento e sustentada pela tecnologia”.

“A Fundação Hussain Sajwani – DAMAC está comprometida com a capacitação da visão de Sua Alteza o Sheikh Mohammed bin Rashid Al Maktoum de um futuro melhor, através de sociedades capacitadas e mais felizes por todo o mundo árabe”, disse Sajwani. “Estou muito satisfeito por ter a Iniciativa Um Milhão de Codificadores Árabes como nossa primeira iniciativa e pela nossa parceria com a Fundação Dubai Future”.

A Iniciativa Um Milhão de Codificadores Árabes faz parte das Iniciativas Globais Mohammed bin Rashid (MBRGI – Mohammed bin Rashid Global Initiatives), a fundação beneficente dedicada à disseminação da educação e do conhecimento para contribuir com um renascimento no mundo árabe e para o progresso da região através de investimentos nos jovens, cuja energia e habilidades construirão o futuro.

A iniciativa, que é gerenciada pela Fundação Dubai Future, é formada por três fases que serão completadas durante o período de dois anos. A primeira fase inclui a inscrição de estudantes e tutores árabes de todo o mundo no endereço http://www.arabcoders.ae. Aqui os participantes podem começar a treinar gratuitamente e receberão um certificado no final de cada curso.

Na segunda fase, os 1.000 melhores estudantes serão selecionados através do Desafio dos Codificadores, e depois poderão se inscrever e ganhar cursos mais avançados, bolsas de estudos e cursos vocacionais para profissionais.

Na terceira fase serão selecionados os 10 melhores codificadores. O vencedor do primeiro lugar receberá um prêmio de US$ 1 milhão, enquanto os outros 9 classificados receberão, cada um deles, US$ 50.000. Os quatro tutores melhores classificados receberão o total de US$ 200.000, sendo US$ 50.000 para cada um.

A iniciativa irá capacitar os árabes para conseguirem empregos – as estatísticas atuais revelam que, globalmente, aproximadamente 80 milhões de empregos estarão disponíveis em 2020 em software, aplicativos para smartphones e desenvolvimento da Internet.

Informações adicionais estão disponíveis no endereço http://www.damacproperties.com

Tags, ,

TCS convida universitários a participarem de competição mundial de programação

A Tata Consultancy Services (TCS), empresa líder em serviços de TI, consultoria e soluções de negócios, anuncia que estão abertas as inscrições para o CodeVita 2016, competição que promove a excelência e a constante aprendizagem entre jovens, principalmente estudantes de engenharia e ciências do mundo todo. As melhores equipes poderão participar da final mundial que será realizada na Índia no início de 2017 e a premiação aos três primeiros colocados soma US$20 mil dólares.

Os estudantes que quiserem participar devem fazer a inscrição diretamente no site www.tcscodevita.com. São aptos para participar os jovens dos cursos de Engenharia e Ciências que estão matriculados em universidades.

A competição possibilita que os participantes ganhem experiência em programação e aprimorem suas habilidades na vida prática em torno da computação. Com essa iniciativa, a TCS tenta apresentar a programação como um esporte.

“O desenvolvimento de talentos e a cooperação com instituições de ensino são alguns dos pilares centrais da TCS, por meio dos quais oferecemos oportunidades únicas para o crescimento profissional de estudantes da área de TI”, afirma Tushar Parikh, Country Head da Tata Consultancy Services (TCS) Brasil.

É indispensável que os alunos tenham conhecimento em inglês para participar da competição. As inscrições são gratuitas e vale ressaltar que são válidas para equipes compostas por no mínimo 2 integrantes. Porém, cada membro do time precisa se registrar individualmente.

A competição será realizada da seguinte forma:

=> Etapa 1: A primeira rodada consiste em uma série de problemas de programação (codificação) que devem ser resolvidos em tempo real. As equipes com as melhores soluções se qualificarão para a grande final com base na classificação geral.

=> Grande Final: A etapa final será realizada na sede da Tata Consultancy Services Limited (TCSL), na Índia.

Por que participar?

Os estudantes poderão:

· Demonstrar e colocar em prática suas habilidades como programadores
· Enfrentar problemas da vida real e resolvê-los em uma competição com os melhores programadores do mundo
· Ganhar reconhecimento mundial
· Ser candidato a ter uma carreira profissional com a marca de TI mais poderosa do mundo

Quais são os prêmios?

· Primeiro lugar: USD $10.000
· Segundo lugar: USD $7.000
· Terceiro lugar: USD $3.000
· Oportunidade de emprego global como estagiários
· Classificação global entre os melhores programadores

As inscrições se encerrarão em 6 de novembro de 2016, às 16h30 (BRT).

Tags, , , , , ,