Tag profissional do futuro

Indústria 4.0 e a qualificação do profissional do futuro – Por Cesar Gaitán

A Indústria 4.0 vive um período de desenvolvimento inicial no Brasil. Segundo pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), a digitalização do processo produtivo industrial deve atingir 21,8% das empresas brasileiras até 2027. Hoje em dia, somente 1,6% das empresas ouvidas afirmam já operar no campo tecnológico conhecido como indústria 4.0.

A indústria brasileira precisa de uma diretriz bem definida e para o desenvolvimento e amadurecimento dessa nova era tecnológica. A cadeia de produção, assim como o modelo de negócio, deverá ser repensada, considerando que muitos dos processos serão alterados exigindo novas capacidades técnicas e comportamentais e a qualificação do novo profissional será um elemento chave para viabilizar essa mudança.

De olho nesse cenário, desenvolvemos o primeiro curso que aborda a indústria 4.0 em específico que trata sobre o perfil do novo profissional, os novos panoramas dos processos produtivos da Indústria, sua evolução e impactos socioeconômicos. O maior objetivo com esse curso é apresentar de uma forma prática os conceitos, tecnologias e novos modelos de negócios da indústria 4.0, tendo em vista que é extremamente importante compreender e aprender em detalhes essa nova realidade para adaptar-se às mudanças que estão por vir.

Há muito trabalho pela frente. É preciso de um foco específico para permitir que a indústria consiga implementar esse novo conceito tecnológico, mas acreditamos que a formação profissional irá sustentar essa transformação.

As empresas precisarão incorporar o desenvolvimento dessas tecnologias, e fazê-las com relativa agilidade a fim de evitar que o gap de competitividade entre o Brasil e alguns de seus principais competidores aumente. É necessário tornar a Indústria 4.0 uma realidade no Brasil.

César Gaitan, Diretor Geral do Cluster América do Sul da Festo

Tags, , , , ,

Indústria 4.0 e a qualificação do profissional do futuro

Por Cesar Gaitán

A Indústria 4.0 vive um período de desenvolvimento inicial no Brasil. Segundo pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), a digitalização do processo produtivo industrial deve atingir 21,8% das empresas brasileiras até 2027. Hoje em dia, somente 1,6% das empresas ouvidas afirmam já operar no campo tecnológico conhecido como indústria 4.0.

A indústria brasileira precisa de uma diretriz bem definida e para o desenvolvimento e amadurecimento dessa nova era tecnológica. A cadeia de produção, assim como o modelo de negócio, deverá ser repensada, considerando que muitos dos processos serão alterados exigindo novas capacidades técnicas e comportamentais e a qualificação do novo profissional será um elemento chave para viabilizar essa mudança.

De olho nesse cenário, desenvolvemos o primeiro curso que aborda a indústria 4.0 em específico que trata sobre o perfil do novo profissional, os novos panoramas dos processos produtivos da Indústria, sua evolução e impactos socioeconômicos. O maior objetivo com esse curso é apresentar de uma forma prática os conceitos, tecnologias e novos modelos de negócios da indústria 4.0, tendo em vista que é extremamente importante compreender e aprender em detalhes essa nova realidade para adaptar-se às mudanças que estão por vir.

Há muito trabalho pela frente. É preciso de um foco específico para permitir que a indústria consiga implementar esse novo conceito tecnológico, mas acreditamos que a formação profissional irá sustentar essa transformação.

As empresas precisarão incorporar o desenvolvimento dessas tecnologias, e fazê-las com relativa agilidade a fim de evitar que o gap de competitividade entre o Brasil e alguns de seus principais competidores aumente. É necessário tornar a Indústria 4.0 uma realidade no Brasil.

César Gaitan é Diretor Geral do Cluster América do Sul da Festo

Tags, , , , , , , ,

Atitude empreendedora, inteligência emocional e múltiplas habilidades são características do profissional do futuro

O mundo mudou e os profissionais precisam se adaptar ao novo perfil de profissional que as empresas estão buscando. É o que revela um estudo realizado pela Workana, plataforma de trabalho freelance com atuação em toda a América Latina. De acordo com o levantamento, características que antes não eram tão importantes, passam a ser fundamentais para o profissional do futuro como atitude empreendedora, inteligência emocional e múltiplas habilidades.

De acordo com Guillermo Bracciaforte, cofundador da Workana, a mudança parte dos dois lados, tanto de empresas quanto de profissionais. “Ao mesmo tempo que as empresas buscam profissionais que não apenas cumpram ordens, mas que tenham atitudes empreendedoras, esses trabalhadores também não querem mais simplesmente obedecer, mas sim, fazer parte da empresa com ideias criativas”, aponta Bracciaforte. Ele ainda destaca que esse é um grande benefício para as empresas, que podem ter à disposição pessoas que colaborem para seu crescimento no mercado.

Acompanhando esse movimento, os profissionais também buscam desenvolver diversas habilidades, além de investirem em qualificação profissional para se manterem atualizados. O estudo realizado pela Workana apontou também que no último ano 80% dos profissionais latino-americanos investiram em qualificação. Para Bracciaforte, essa é uma tendência que deve seguir em crescimento na região, já que as empresas buscam cada vez mais pessoas qualificadas que executem tarefas especializadas.

Confira outras mudanças no perfil do profissional apontadas pela Workana:

Tags, , , ,