Tag Prefeitura de Curitiba

Huawei, Prefeitura de Curitiba e Instituto Smart City Business formalizam cooperação institucional

view.aspx

A Prefeitura de Curitiba, a empresa Huawei e o Instituto Smart City Business firmaram uma carta de intenções de cooperação institucional para promoção do conceito de cidades inteligentes (smart cities). Pelo acordo, a Huawei apresentará produtos e ideias já implementadas em outras cidades no mundo que são referência internacional em qualidade de vida, desenvolvimento e respeito ao cidadão, bem como a demonstrar o conhecimento relacionado a projetos de cidades inteligentes existentes no mundo.

“Buscamos parcerias com diferentes instituições, sempre focados na melhoria da qualidade de vida dos cidadãos. Neste sentido, a prefeitura tem desenvolvido projetos em conjunto com universidades, instituições de pesquisa e governos. A Huawei é uma empresa com atuação destacada nesta área e temos interesse em conhecer os projetos, ideias e experiências da empresa em outras cidades do mundo”, observa Paulo Miranda, secretário de Informação e Tecnologia.

A carta de intenções foi assinada na última semana em cerimônia que contou com a presença do Prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, o CEO da Huawei do Brasil, Jason Zhao, e o Presidente do Instituto Smart City Business, Leopoldo de Albuquerque, também parceiro nesta cooperação.

“Estamos muito entusiasmados em colaborar com o Município de Curitiba para o desenvolvimento e aplicação do conceito de cidades inteligentes. A Huawei acredita que a inovação tecnológica dedicada a tornar as cidades mais inteligentes resulta em cidadãos mais seguros, saudáveis, felizes e capazes de aproveitar suas vida de forma plena. O conceito de cidades inteligentes também irá promover a conexão entre prefeituras e cidadãos, tornando essa relação mais rápida e eficiente”, diz Jason Zhao, CEO da Huawei do Brasil.

Presente em mais de 170 países e territórios, a Huawei participou em dezenas de projetos de cidades inteligentes e seguras em todo o mundo, inclusive no Brasil, onde a empresa participa de iniciativas em Águas de São Pedro, em São Paulo, e Luís Eduardo Magalhães, na Bahia. A Huawei também investe em pesquisa e desenvolvimento no campo das cidades inteligentes e seguras por meio de parcerias com universidades brasileiras, como a Universidade de São Paulo e a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Para o presidente do Instituto Smart City Business, esta iniciativa prática mostra o real objetivo da entidade que realizou seu congresso na capital paranaense em de março deste ano, e manteve aquecido o diálogo entre a Prefeitura e os chineses. “Promovemos uma agenda de debates para aproximar a iniciativa privada da gestão pública, esta parceria é um dos resultados práticos do nosso último evento e tenho certeza que a Huawei fará aqui será uma vitrine para outras cidades brasileiras e da América Latina”, destaca Albuquerque.

Tags, , , , , ,

ICI desenvolve novo portal de Atendimento ao Cidadão para Curitiba

imagem.ashx

Com layout repaginado e funcionalidades que facilitam o relacionamento com a população curitibana, está no ar o novo portal de Atendimento ao Cidadão. Desenvolvido pelo ICI para a Prefeitura de Curitiba, o portal reúne informações sobre os principais serviços prestados pela Central 156, além de ferramenta de atendimento on-line (chat) e área para cadastro pessoal do cidadão. Com essa atualização, a previsão é de que aumente o número de acessos via internet, que hoje contabiliza média de 8 mil visitas por mês.

“A Central 156 é um instrumento consolidado na cidade de Curitiba. Esperamos que o portal de Atendimento ao Cidadão contribua efetivamente com esse serviço, facilitando ainda mais o fluxo de informações entre o cidadão e a prefeitura”, diz o diretor-presidente do ICI, Luís Mário Luchetta.

Segundo o coordenador de Atendimento ao Cidadão do ICI, Ozires de Oliveira, o objetivo do projeto foi modernizar e ampliar o acesso da população à Central 156. Agora, todos os usuários poderão criar um perfil exclusivo e personalizado ao entrar no portal. “Na criação da conta, o cidadão informa todos os seus dados uma única vez, obtendo login e senha de acesso”, explica. “A partir daí, basta estar logado no sistema para acompanhar e solicitar as melhorias que deseja, sem precisar informar novamente seus dados, como acontecia no portal anterior.”

Outra forma de acesso é efetuando login via perfil do Facebook. “Da rede social, importaremos apenas informações básicas como nome e localização, para que a pessoa consiga conectar-se ao site e concluir o cadastro dentro de nosso sistema”, explica o gerente de Serviços, Luiz Fernando Lucas.

Uma novidade para compreensão do problema sinalizado pelo cidadão é a possibilidade de compartilhamento de fotos ao final de cada ocorrência aberta. “Essa ferramenta vai apoiar o trabalho do atendente da Central, que fará o primeiro atendimento, e também do responsável pelo pedido na Prefeitura de Curitiba, pois a foto demonstra a situação do local”, comenta o gerente. “A existência de foto não implica priorização da solicitação, as urgências já estão predefinidas em sistema e as demais situações são avaliadas caso a caso”, pondera.

Ainda, o portal de Atendimento ao Cidadão é responsivo, o que assegura boa navegação em qualquer dispositivo, com diferentes tamanhos de tela. Acesse pelo seguinte endereço: www.central156.org.br

Fonte: ICI

Tags, , , ,

STJ nega à prefeitura de Curitiba acesso a contratos do ICI com fornecedores

Há mais de um ano, a prefeitura de Curitiba busca, na justiça, ter acesso aos contratos particulares do Instituto Curitiba de Informática. Quatro decisões consecutivas, em três instâncias do judiciário, consideraram os pedidos do município desnecessários e sem respaldo legal. A decisão mais recente foi proferida pelo presidente do Superior Tribunal de Justiça.

No final de 2013, o município ingressou com demanda, na justiça estadual, para ter acesso aos contratos privados do ICI, alegando dever de fiscalização. A liminar foi negada pelo juiz da 1ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba, sob o entendimento de que era desnecessário conhecer tais instrumentos, por haver outros modos de fiscalização, previstos no próprio contrato de gestão firmado entre as partes.

Não satisfeito, o município ingressou com Agravo no Tribunal de Justiça do Paraná. Novamente, o TJ-PR negou liminar, confirmando a decisão do juiz da 1ªa Vara por entender não ser plausível o pedido.

Após duas tentativas fracassadas, o município entrou com pedido de Recurso Especial ao Superior Tribunal de Justiça. Esse pedido também foi negado pelo TJ-PR, que decide se tal recurso sobe ou não ao STJ.

Diante de nova negativa, o município ingressou com outro recurso, um Agravo, no STJ. O pedido foi apreciado pelo Ministro Francisco Falcão, presidente daquela Corte, que, mais uma vez, negou o pedido por não considerá-lo robusto.

Por quatro vezes, em três instâncias, o Poder Judiciário decidiu que o pedido do município, de ter acesso aos contratos privados do ICI, não tem respaldo legal. Essa série de decisões confirma ser correta e já bem fiscalizada a relação do Instituto Curitiba de Informática com a Prefeitura e também com seus fornecedores.

Fonte: Curitiba IT

Tags, ,

Decisão do STF valida contratação de Organizações Sociais na prestação de serviços públicos

Uma decisão recente do Supremo Tribunal Federal, neste ano, confirma definitivamente a validade da prestação de serviços públicos não exclusivos por Organizações Sociais em parceria com o Poder Público.

Em sessão plenária, por votação majoritária, a Suprema Corte julgou parcialmente procedente a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 1923, dando interpretação conforme a Constituição às normas que dispensam licitação em celebração de contratos de gestão firmados entre o Poder Público e as Organizações Sociais para a prestação de serviços públicos de ensino, pesquisa científica, desenvolvimento tecnológico, proteção e preservação ao meio ambiente, cultura e saúde. Na ação iniciada em 1998, o Partido dos Trabalhadores (PT) e o Partido Democrático Trabalhista (PDT) questionavam a Lei 9.637/1998, e o inciso XXIV do artigo 24 da Lei 8.666/1993 (Lei das Licitações).

Essa decisão confirma que a Prefeitura de Curitiba acertou no modelo que adotou, há quase 17 anos, para o desenvolvimento e execução de projetos nas áreas da Tecnologia da Informação e Comunicação. No fim da década de 90, Curitiba inovou ao promover a qualificação do Instituto Curitiba de Informática – ICI como Organização Social, que permitiu estar sediado aqui o melhor modelo de implementação de sistemas e serviços de informática pública no Brasil, que levou Curitiba a ser a cidade mais digital do Brasil e a estar entre as cidades mais inteligentes do planeta.

Para o ICI, a decisão do STF é histórica e fortalece sua atuação em todo o território nacional como centro de referência em pesquisa, integração, desenvolvimento e implementação de soluções completas na área de Tecnologia da Informação e Comunicação para a gestão governamental.

A respeito do “desenvolvimento científico, pesquisa e capacitação tecnológica nacional” por meio das Organizações Sociais, o diretor-presidente do ICI, Luís Mário Luchetta, afirma que “não restam dúvidas de que a Tecnologia da Informação representa um elemento transformador das relações entre governo e sociedade. As organizações sociais estão disseminadas em vários setores da sociedade, realizando relevantes e imprescindíveis serviços públicos, frise-se, serviços públicos, e não uma atividade econômica qualquer. Por outro lado, apesar de prestarem efetivos serviços públicos, as organizações não titularizam qualquer espécie de prerrogativa de direito público. Não gozam de prerrogativas processuais ou prerrogativas de autoridade, respondendo apenas pela execução e regular aplicação dos recursos e bens públicos vinculados ao contrato de gestão que firmam com o Poder Público.”

Fonte: Instituto Curitiba de Informática

Tags, , , , , , , , ,

Instituto Curitiba de Informática cria área de novas tecnologias

00002014

Com o objetivo de oferecer serviços e produtos inovadores para a gestão pública, o ICI investiu em uma área de novas tecnologias. “Os colaboradores da equipe dedicam-se a pesquisar e internalizar conhecimentos que podem ser aplicados tanto nos produtos atuais do ICI quanto em novas soluções”, explica o gerente de Sistemas Wagner Morais Correa.

“O objetivo é que possamos estimular diversas equipes do ICI na aplicação de novas tecnologias, oportunizando o trabalho em diferentes áreas de interesse dos colaboradores”, afirma. Para ele, o ganho se dá no desenvolvimento tecnológico e na valorização dos profissionais dentro do ICI.

O aplicativo do Cartão Qualidade, com previsão de lançamento no final de junho, foi o primeiro produto a ser desenvolvido com o apoio dos colaboradores do setor. “Depois de pesquisar novas tecnologias, formam-se núcleos dentro das equipes que se tornam responsáveis por dar continuidade ao desenvolvimento”, afirma Wagner.

De acordo com o gerente, o ICI investiu em licenciamento de software para o uso da plataforma Xamarim e também na aquisição de equipamentos que permitem desenvolver soluções mobile para sistemas Android e IOS, além de treinamento para os colaboradores.

Fonte: Instituto Curitiba de Informática

Tags, , , , ,

A viabilidade do Instituto Curitiba de Informática

Por Luís Mário Luchetta
publicado no portal Baguete

Indo direto ao ponto, a inovação concretizada por Curitiba com a criação do Instituto Curitiba de Informática – ICI, faz parte das mudanças que ocorrem no plano mundial neste início de século e do milênio, dentre as quais, talvez a mais significativa, a aliança estratégica entre Estado e Sociedade.

Isto porque, cada vez mais, nota-se a incapacidade do Estado em executar, por meios próprios, todas as políticas públicas demandadas pela sociedade. Cada vez mais a sociedade civil organizada é chamada a participar ativa e organizadamente da execução de serviços para viabilizar a máquina administrativa e a consecução das necessidades públicas.

Nesta seara, as instituições sem fins lucrativos sempre estiveram ao lado do Poder Público, numa espécie de “braço do governo”, desempenhando funções não exclusivas do Estado e absorvendo suas carências e incapacidades.
Ao final da década de 90, o terceiro setor adquire enorme relevância em razão da participação da sociedade civil na gestão pública, pois sob o manto legal, admite-se a capacidade destas de influirem concretamente nas decisões e nas atuações públicas, numa manifestação de “democracia participativa”, uma vez ultrapassada a fase da democracia meramente representativa.

Percebe-se, portanto, que não há impedimento constitucional algum à assunção a instituições sem fins lucrativos da tarefa e missão de interesse social em colaboração com a Administração Pública. Desde que cumpridos os requisitos de salvaguarda do interesse público. A cooperação é lícita e até mesmo estimulada pela Constituição da República.

Falando agora especificamente do “desenvolvimento científico, pesquisa e capacitação tecnológica nacional”, não restam dúvidas de que a tecnologia da informação representa um elemento transformador das relações entre governo e sociedade.

A Constituição Federal, no artigo 218, determina que o Estado deverá promover e incentivar a pesquisa e a capacitação tecnológicas para a solução dos problemas brasileiros e para o desenvolvimento do sistema produtivo nacional e regional.
Em seu artigo 219, reforçando o desenvolvimento de empresas nacionais na área de tecnologia, a CF disciplina que o mercado interno integra o patrimônio nacional e será incentivado a viabilizar a autonomia tecnológica do País.

O reflexo da norma acima almeja fomentar as empresas nacionais a buscar a independência em relação aos recursos tecnológicos estrangeiros, bem como a gerar capital intelectual de alto nível nas mais diversas áreas de produção industrial e comercial de tecnologia da informação e comunicação, a fim de proporcionar crescimento de toda a cadeia produtiva local, regional e nacional.
Projetos informatizados, soluções integradas de sistemas aplicativos específicos, ferramentas tecnológicas para aprimorar a gestão, etc. são assuntos estratégicos dentro de qualquer organização, seja pública ou privada, a ponto de não imaginarmos nossas vidas sem os recursos da tecnologia da informação.

Na seara do Poder Público, parece inconcebível imaginar como seria o atendimento do Instituto Nacional de Seguridade Social – INSS, por exemplo, sem a existência de um sistema informatizado de dados. E as informações relativas ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço? Como seriam armazenadas sem os recursos da tecnologia da informação?
Estes são apenas dois dos milhares de exemplos que nos levam a concluir que todos nós, pessoas físicas ou jurídicas, públicas ou privadas, estabelecemos uma relação umbilical de dependência com os bens e serviços de TI.

Não é por outra razão que se tem dito que a TI é o “coração” das organizações. Quando mal gerenciada, a TI pode causar a paralisia da instituição ou, de modo contrário, impulsioná-la.
Sob o ponto de vista econômico-financeiro, a área de TI também releva importância em termos de contratações de soluções. Para se ter uma ideia, o orçamento total previsto para a contratação de soluções de TI para a Administração Pública Federal para o ano de 2011 foi de aproximadamente 18 bilhões de reais!

Tudo isto porque os recursos e soluções de tecnologia da Informação permitem a obtenção de ganhos de produtividade, tempo, qualidade e segurança para agregar valor aos processos de trabalho da Administração e aos serviços prestados aos cidadãos.

Sendo assim, resta evidente que a Administração está cada vez mais dependente do bom e regular funcionamento dos serviços de Tecnologia da Informação. E a tendência é de aumento dessa dependência por razões lógicas: a cada ano são disponibilizados mais serviços aos cidadãos por meio de sistemas de informática, por isto, o “e-Gov” (Governo Eletrônico) tende a se ampliar.
Lembremo-nos que, há anos, por meio da Lei nº. 7.232, de 1984, o Congresso Nacional já declarava que a Política Nacional de Informática deveria se orientar pela “natureza estratégica da informação e a influência desta no esforço desenvolvido pela Nação para alcançar melhores estágios de bem estar social”.

Além disto, releva anotar que há, no país, cerca de 1.600 organizações desse tipo em funcionamento. Elas estão em 14 estados e em cerca de 160 municípios.

No nível federal, têm destaque instituições de pesquisa incluídas no Sistema Nacional de Ciência e Tecnologia, como o Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), o Laboratório Nacional de Luz Síncroton, o Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE) e o Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá (no Amazonas), além da Associação das Pioneiras Sociais, gestora da Rede Sarah de Hospitais de Reabilitação e Hospital Sírio Libanês.
Observa-se, pelos exemplos acima, que as organizações sociais estão disseminadas em vários setores da sociedade, realizando relevantes e imprescindíveis serviços públicos, frise-se, serviços públicos, e não uma atividade econômica qualquer.

Por outro lado, apesar de prestarem efetivos serviços públicos, as organizações não titularizam qualquer espécie de prerrogativa de direito público. Não gozam de prerrogativas processuais ou prerrogativas de autoridade, respondendo apenas pela execução e regular aplicação dos recursos e bens públicos vinculados ao contrato de gestão que firma com o Poder Público.

E Curitiba inovou ao criar o Instituto Curitiba de Informática – ICI, ainda em 1998, e essa inovação permitiu estar sediado aqui o melhor modelo de implementação de sistemas e serviços de informática pública no Brasil, que levou Curitiba a ser a cidade mais digital do Brasil e terceira cidade mais inteligente do planeta.

*Luís Mário Luchetta é presidente do ICI e da Federação Assespro

Tags, , , , ,

Solução de TI facilita melhoria salarial de servidores municipais em Curitiba

Parte da equipe responsável pelo projeto

Servidores da Prefeitura Municipal de Curitiba migraram de faixa salarial neste início de ano. O processo que beneficiou os servidores municipais que participaram do crescimento horizontal e os profissionais do magistério, que em 2013 se inscreveram para o crescimento vertical, foi feito por meio de sistema desenvolvido pelo ICI.

No caso específico dos professores, já que todos os servidores municipais tiveram a inscrição para o crescimento horizontal feita automaticamente pelo sistema, as inscrições para o crescimento vertical ocorreram pelo Gurhu Online (Gol), em versão atualizada especialmente para o processo. O acesso ao sistema se dá por meio de nome de usuário e senha, o que garante a confiabilidade do processo.

Após a fase de inscrições, cada servidor informou pelo Gol os cursos que fez fora da Prefeitura de Curitiba – os cursos feitos dentro da estrutura da prefeitura foram cadastrados automaticamente pelo sistema Aprendere, também criado pelo ICI.

Esses cursos realizados pelos profissionais foram avaliados na fase de validação e seleção das competências. Em seguida, ocorreu a etapa dos impedimentos, gerados a partir de regras sobre número de faltas, lotações em que se encontra, entre outras. Esta qualificação dos servidores para os crescimentos gerou pontuações, disponibilizadas virtualmente no formulário do Gol.

Com todo o processo finalizado, inclusive após a apresentação de recurso pelos interessados, o procedimento de crescimento horizontal e vertical foi encerrado na quinta-feira (8), o que gerou uma nova situação funcional para o servidor que subiu de faixa salarial. A classificação do crescimento vertical e a lista de todos os servidores contemplados com o horizontal foram publicadas no Diário Oficial do Município.

Fonte: ICI – Instituto Curitiba de Informática

Tags, , , ,

ICI: Central 156 de Curitiba vai ter atendimento em inglês para Copa 2014

A equipe da Central de Atendimento e Informações 156 da Prefeitura de Curitiba, que é mantida e operacionalizada pelo ICI, participará nos próximos quatro meses de um curso básico de inglês com foco em atendimento. O objetivo é preparar um grupo de 25 teleatendentes para a demanda prevista nesse idioma na ocasião da Copa do Mundo Fifa 2014.
“Trabalhamos sempre pela qualificação dos colaboradores e melhoria contínua no atendimento”, comenta o diretor-presidente do ICI, Luís Mário Luchetta. “Como Curitiba é uma das cidades-sede da Copa, é fundamental que a equipe de teleatendentes esteja preparada para um atendimento diferenciado.”

O curso será ministrado pela Universidade Livre do Comércio, duas vezes por semana. Será dividido em cinco módulos: 1) expressões básicas para as aulas, cumprimentos, alfabeto, números, endereço, telefone; 2) primeiros contatos, apresentações pessoais e profissionais oferecendo ajuda; 3) desenvolvimento integrado da escuta, fala, leitura e escrita; 4) informações, comandos e descrição de objetos; 5) transportes, pontos turísticos, informações sobre a cidade, localizações e direções.

Saiba mais na reportagem em vídeo do programa de tv Valor Agregado.

Tags, , , ,

Tecnologia desenvolvida pelo ICI facilita uso do Cartão Qualidade de Curitiba

Com quase 50 mil usuários, o Cartão Qualidade da Prefeitura de Curitiba é utilizado em diversas atividades ligados aos poder público municipal e ainda serve como instrumento de crédito consignado. O smart card desenvolvido pelo Instituto Curitiba de Informática tem mais de 15 anos de história e passa constantemente por inovações. Veja mais detalhes em uma reportagem em vídeo do programa de tv Valor Agregado.

Tags, , , ,

Vice-prefeita de Curitiba visita o ICI

O diretor-presidente do ICI, Luís Mário Luchetta, recebeu a vice-prefeita de Curitiba, Mirian Gonçalves. Ela veio acompanhada da equipe de seu gabinete para conhecer a estrutura organizacional do Instituto e algumas soluções de tecnologia da informação e comunicação desenvolvidas para a Prefeitura de Curitiba.
Guiados pelo diretor técnico Fabricio Zanini, os visitantes percorreram todos os setores da sede do ICI, onde conheceram a Central 156, o departamento de suporte técnico, área de desenvolvimento de sistemas, Data Center, entre outros.
Logo após, Zanini e a equipe de Atendimento e Gestão de Projetos do ICI demonstraram cases da Central 156 e Secretaria Municipal do Abastecimento, soluções desenvolvidas com base em inteligência de negócio, georreferenciamento e máquina de regras de negócio.
A vice-prefeita disse que considera “impossível gerir qualquer tipo de negócio sem tecnologia”. Mirian demonstrou entusiasmo com a apresentação a que assistiu: “Estou impressionada com a quantidade de dados disponíveis para a Prefeitura de Curitiba.” Ela disse que espera ter acesso às informações em breve, para que seus assessores possam começar a trabalhar com base nesses dados. “Minha equipe tem alto nível de competência, acredito que temos condições de utilizar essas informações da melhor maneira possível”, declarou.
O diretor-presidente do ICI, Luís Mário Luchetta, colocou o Instituto à disposição da vice-prefeita para analisar e viabilizar o que for necessário de acordo com as necessidades do gabinete. Mirian Gonçalves agradeceu pela disponibilidade e completou: “Tem o lado vice-prefeita e o lado secretária do Trabalho e Emprego. Os dois funcionam bem. Gostei do que vi, vamos trabalhar muito juntos.”

Fonte: ICI

Tags, , , , ,

Serviço de tecnologia analisa e antecipa soluções para a cidade de Curitiba

Em uma entreivsta ao programa de tv Valor Agregado, Eduardo Zifchak, Gerente de Sistemas e Novas Tecnologias do Instituto Curitiba de Informática. ele fala sobre o S3i – Serviço Integrado de Inteligência da Informação. Esse serviço analisa e antecipa soluções para a cidade de Curitiba.

Tags, , , , ,

Secretários de Administração e Tecnologia de Curitiba elogiam estrutura do ICI

Fabricio Zanini, Paulo Miranda, Fábio Scatolin e Luís Mário Luchetta

O diretor-presidente do ICI, Luís Mário Luchetta, recebeu nesta segunda-feira (15) os secretários municipais de Administração, Fábio Dória Scatolin, e Informação e Tecnologia, Paulo Roberto Miranda. Acompanhados também pelo diretor técnico Fabricio Zanini, os secretários circularam por todas as áreas do Instituto, conhecendo sua estrutura organizacional.
Zanini apresentou soluções desenvolvidas pelo ICI para a Prefeitura de Curitiba, como um case de Business Intelligence da Central 156, e a consequente visualização desses dados em plataforma de geoprocessamento.
O secretário Fábio Dória Scatolin disse que foi “muito boa” a visita, pois foi a primeira vez que ele pode conhecer mais do ICI. “Já estive várias vezes no Instituto para as reuniões do Conselho de Administração”, comentou. “Esta foi a primeira apresentação que acompanho. Temos que avaliar esse trabalho como ferramenta de política pública e otimizar sua utilização.”
Paulo Roberto Miranda ratificou as palavras de Scatolin: “Precisamos explorar melhor o potencial dessas ferramentas de tecnologia da informação.”

Tags, , , ,

Curitiba: central 156 da prefeitura atinge 95% de aprovação

Fonte: Instituto Curitiba de Informática

A Central 156, operada pelo ICI, manteve de janeiro a maio deste ano uma importante marca: 95% de aprovação dos usuários. O número é resultado de um controle de qualidade intensivo da Central, que conta com vários sistemas de avaliação para subsidiar melhorias nos teleatendimentos.
De acordo com o coordenador de Atendimento ao Cidadão do ICI, Ozires Oliveira, foi a primeira vez que a Central 156 atingiu o patamar: “Historicamente, a avaliação ficava sempre em 89 ou 90% de aprovação, nunca havia passado de 90%.” Neste mês, o índice está em 94,13%.
Recentemente, a Central intensificou as metas de qualidade do teleatendimento (leia matéria relacionada), com o objetivo de alcançar sempre o conceito A nas avaliações internas. Este conceito é obtido a partir da média das pontuações de todos os teleatendentes, e é importante para garantir o melhor atendimento prestado ao cidadão.
Satisfação
A Central recebe, em média, 6,3 mil ligações por dia, das quais 67% são de pedidos de informações e 33% solicitações de serviços.
Quando o cidadão solicita algum serviço, o caso é encaminhado à Prefeitura de Curitiba e ele tem a opção de receber ligações para acompanhar o andamento da situação. A aprovação dos usuários é medida por enquetes feitas nos retornos dessas ligações. Elas medem a satisfação em relação aos serviços da Central 156 e da Prefeitura – são indicadores diferentes.
Além do teleatendimento, a Central 156 possui chat (conversa on-line), que registra 5,2 mil atendimentos mensais, e solicitações convencionais via internet, que totalizam 6,7 mil atendimentos em igual período.

Veja como funciona a central em reportagem do programa de tv Valor Agregado:

Tags, , , , ,

Curitiba será divulgada em Londres no Goal to Brasil

Representantes da prefeitura de Curitiba viajaram neste final de semana para Londres (Inglaterra) para participar do evento Goal to Brasil, que tem como objetivo divulgar a cultura brasileira e a infraestrutura em desenvolvimento nas 12 cidades-sedes que vão abrigar os jogos do mundial de 2014.

A 10ª Edição do Goal to Brasil terá Curitiba como cidade-anfitriã e será essencial para a divulgação da capital paranaense na Europa. O evento, marcado para terça-feira (12), é voltado à mídia especializada, operadoras e agências de turismo da Inglaterra e toda Europa. A viagem é patrocinada pela Embratur.

A preparação das 12 cidades-sedes para a Copa do Mundo de 2014 será o principal tema explorado no evento e a administração de Curitiba pretende mostrar o potencial turístico e os projetos que estão sendo desenvolvidos, inclusive do novo estádio Arena da Baixada, para atrair e bem recepcionar visitantes das mais diversas partes do mundo.

“Queremos divulgar nossa cidade da melhor maneira possível e aproveitar essa grande oportunidade para colocar Curitiba na rota do turismo internacional”, enfatizou o diretor do Instituto Municipal de Turismo (Ctur), Paulo Colnaghi.

A programação do Goal to Brasil tem início às 10 horas de terça-feira (horário local), no London Film Museum, com uma coletiva de imprensa, com a participação de representantes da Embratur e do Ministério do Turismo. Na sequência, Curitiba ganha espaço e seus representantes respondem os questionamentos da imprensa especializada e agentes de viagens.

À tarde, ocorrem as chamadas mesas de trabalho, nas quais as cidades-sede da Copa do Mundo expõem materiais de divulgação (panfletos, folders e vídeos) para o público.

À noite, durante evento que vai apresentar as características das cinco regiões brasileiras, Curitiba volta a ser o centro das atenções. A capital paranaense, como cidade-anfitriã, será apresentada a Europa por meio de palestras e informações repassadas pelo corpo técnico da Prefeitura de Curitiba e do governo do Estado.

Para finalizar as ações do Goal to Brasil, um coquetel no qual o chef de cozinha Celso Freire – que inclusive trabalhou na embaixada do Brasil em Londres – irá difundir a culinária paranaense e pratos típicos do país. A parte musical ficará a cargo do Trio Quintino – grupo escolhido pela Fundação Cultural para representar o lado artístico de Curitiba.

Tags, ,