Tag pré-pago

epay leva à Latam Retail Show 2016 suas soluções em pré-pagos para o varejo

A epay Brasil, empresa do grupo Euronet e maior distribuidor de conteúdo pré-pago do país, marca presença pela segunda vez na Latam Retail Show 2016, que acontece de 23 a 25 de agosto, no Expo Center Norte, em São Paulo. A empresa vai expor todo seu portfólio de serviços pré-pagos, em especial as soluções de cartões pré-pagos marca própria para redes varejistas.

As vantagens de lojas comercializarem cartões presente de sua marca são inúmeras para o varejo, principalmente em um momento de busca por novas soluções para aumentar o fluxo de clientes em loja, e consequentemente, o faturamento.

1. Todo varejo pode vender

Cartões pré-pagos caem bem em qualquer tipo de varejo. Dispostos próximos ao caixa, os vale-compras da própria loja são mais comuns em supermercados, lojas de departamento, eletroeletrônicos e livrarias, mas se encaixam bem em diversos segmentos do varejo. “Há um grande mercado a explorar, uma vez que novos segmentos demonstram cada vez mais interesse por esse tipo de solução de pagamento e na feira vamos mostrar isso”, diz Rogério Lima, diretor de vendas & marketing da epay Brasil.

2. O consumidor acaba consumindo um valor maior do que o valor do cartão-presente

“Cada vez mais o brasileiro utiliza cartões-presente de várias lojas e marcas tanto para consumo próprio quanto para dar de presente”, diz Rogério. Quemganhaum cartão pré-pago acaba consumindo mais do que o valor carregado, aumentando o ticket médio da loja. Além disso, aproximadamente 10% do total dos cartõesvendidos ficam com valor residual – que não é utilizado pelo consumidor, e que após o prazo de vencimento pode se transformar emmargem adicional para o varejo.

3. Cartões podem ser temáticos

As lojas podem mudar a “cara” dos cartões de acordo com a sazonalidade do varejo e temas específicos, por exemplo, “Vale-fralda”, que nada mais é do que um cartão pré-pago tematizado, porém direcionando a uma necessidade especifica. “Isso funciona bastante para presentes”, diz Rogério. “A loja pode fazer cartões de páscoa, natal e temáticas diferentes na arte do cartão para gerar engajamento e reconhecimento da marca.

4. Cartões pré-pagos aumentam a rentabilidade e gera conhecimento da marca

Na média, a venda de cartões aumenta em 15% a rentabilidade do varejista. “Mas esse percentual varia conforme a operação e do nível de infraestrutura do varejo.

Beer or Coffee

O estande da epay Brasil na Latam Retail Show terá uma novidade! Os visitantes terão um aplicativo disponível chamado “BeerorCoffee”, especializado em gerar networking. Por meio desta parceria, o visitante poderá baixar o App e através de geolocalização ele poderá fazer novos contatos na feira, alinhados com seu interesse de negócios! Os interessados poderão convidar outras pessoas para tomar um café no estande da epay. Tudo por meio do App.

Tags, , , ,

Chega ao mercado o Conta Um, uma conta corrente para os desbancarizados

Mais de 55 milhões de pessoas não possuem uma conta bancária no Brasil. É de olho nesse potencial de mercado que surge a Conta Um, uma conta corrente virtual com cartão pré-pago, benefícios, promoções e serviços exclusivos. A empresa tem, atualmente, mais de 25 mil usuários ativos e espera fechar o ano com mais de 150 mil correntistas.

A ideia do negócio nasceu em 2015, a partir da inviabilidade do uso de boletos e outras formas dispendiosas às empresas que necessitam fazer cobranças recorrentes de valores pequenos de clientes não bancarizados. O Diretor da empresa, Pierre Schurmann, viu nesse contexto uma solução ao oferecer uma conta digital de baixo custo, fácil aquisição e simples gerenciamento.

“O público excluído desse sistema não tem acesso a serviços básicos por não possuir um perfil adequado ao modelo que os bancos buscam. O alto índice de desconfiança, tanto pelos possíveis correntistas quanto pelas Instituições, afeta as possibilidades de relacionamento. As pessoas precisam se sentir seguras e assistidas por um banco para conseguirem movimentar seus próprios recursos”, comenta Schurmann.

Atuando também no auxílio de pagamento de folha de empresas que possuem colaboradores que recebem até dois salários mínimos, a Conta Um trabalha junto a PMEs gerindo os pagamentos. “É uma solução que pode ajudar muito as empresas nesta gestão, minimizando custos e aumentando o controle e segurança. Recebemos o dinheiro das empresas e depositamos em nossa conta corrente virtual, onde o usuário tem acesso a todas as funções de uma conta bancária tradicional e um cartão, de bandeira MasterCard, para adquirir produtos e pagar contas”, explica Schurmann.

Tags, , , , ,

6 motivos para o varejo apostar em venda de cartões pré-pagos

As vendas do comércio varejista brasileiro despencaram em 2015 e fecharam o ano em queda de 4,3% (IBGE). Nessa toada, os varejistas buscam alternativas para alavancar a rentabilidade, sem alto investimento. A resposta é simples: cartões pré-pagos. Isso mesmo: cartões da própria marca da loja, ou de conte&uacu te;dos variados, como Netflix, Google Play, games e vale-compras. A epay Brasil, empresa global que responsável pelas operações pré-pagas das principais redes varejistas, descreve os seis motivos para lojistas investirem na modalidade:

1. Qualquer tipo de varejo pode vender

Cartões pré-pagos caem bem em qualquer tipo de varejo. Dispostos próximos ao caixa, podem oferecer conteúdo próprio (vale-compras da própria loja), ou conteúdos diversos como games, assinaturas, cursos etc. As vendas de pré-pagos ocorrem principalmente em supermercados, drogarias, lojas de games, lojas de departamento, eletroeletrônicos e livrarias, mas se encaixam bem em diversos segmentos do varejo.

2. Comercializar conteúdo pré-pago não exige investimento em estoque

O varejista que quiser vender pré-pago não precisa investir em estoque. Os cartões só são ativadosno no caixa da loja. Com isso, a perda é zero o que aumenta a variedade de oferta sem investimento.

3. O varejista agrega valor para o consumidor

O valor agregado de produtos como cartões pré-pagos de serviços como Netflix, games online e Google Play por exemplo, é indiscutível. São esses cartões que possibilitam o acesso de consumidores desbancarizados a conteúdos diversos, nos quais não poderiam comprar sem o uso de cartão de credito. “Atualmente, mais de 40% da população adulta não é bancarizada”, diz Rogério Lima, diretor de marketing da epay Brasil.

4. O consumidor acaba gastando mais do que o valor do cartão pré-pago da loja

“Cada vez mais o brasileiro utiliza cartões-presente de várias lojas tanto para consumo próprio quanto para dar de presente”, diz Rogério. Quemganhaum cartão pré-pago acaba consumindo mais do que o valor carregado, aumentando o ticket médio da loja. Além disso, aproximadamente 10% do total dos cartõesvendidos ficam com valor residual – que não é utilizado pelo consumidor, e que após o prazo de vencimento pode se transformar emmargem adicional para o varejo.

5. Cartões podem ser temáticos

As lojas podem mudar a “cara” dos cartões de acordo com a sazonalidade do varejo e temas específicos, por exemplo “Vale-fralda”, que nada mais é do que um cartão pré-pago tematizado, porém direcionando a uma necessidade especifica. “Isso funciona bastante para presentes”, diz Rogério. “A loja pode fazer cartões de páscoa, natale temáticas diferentes na arte do cartão para gerar engajamento e reconhecimento da marca.

6. Cartões pré-pagos aumentam a rentabilidade

Na média, a venda de cartões aumenta em 15% a rentabilidade do varejista. “Mas esse percentual varia em decorrência da operação e do nível de infraestrutura do varejo.

Tags, ,

O retorno ao pré-pago

Nem todo consumidor pode ter acesso a serviços mais baratos e de qualidade, como Netflix,X-Box Live, games online ou conteúdos digitais, já que grande parcela dos brasileiros (mais de 40%) nem sequer tem conta bancária ou, se tem, busca maior controle dos seus gastos.

Não faz sentido que a tecnologia democratize e viabilize o acesso a novos conteúdos, se a sua aquisição depende de bancos e de cartões de crédito. Está aí o princípio dos cartões pré-pagos, disponíveis nos caixa de supermercados, farmácias, livrarias e lojas de conveniência.
Com eles, uma vasta gama de consumidores pode ter acesso a uma infinidade de serviços que antes era restrito apenas a quem possuía cartão de crédito ou conta em banco.

No Brasil, o acesso à internet via smartphones já ultrapassa a marca de 54 milhões de usuários, e com isso, o interesse de consumidores em adquirir conteúdos digitais, tais como games, filmes, livros, músicas entre outras facilidades pelo celular já é uma realidade.

Segundo a epay Brasil – maior processadora de soluções pré-pagas do mundo e responsável pela tecnologia por trás de cartões pré-pagos de diversos conteúdos no país – amovimentação do mercado deste tipo de compra aumentos. “ O cenário econômico atual possibilita a grande parte da população não bancarizada acesso a produtos e serviços por meio de soluções pré-pagas que permite não só acesso a conteúdos digitais como também mais facilidade para controlar as despesas do dia-a-dia”, diz Solange Cunha, Presidente Nacional da epay Brasil.

A epay global faturou mais de R$782milhões de dólares em 2014 “O varejo brasileiro cada vez mais vem aderindo aos nossos produtos e serviços, e há perspectiva de crescimento acima de dois dígitos nos próximos dois anos”, diz Solange

Tags, ,