Tag Paulo Nigro

Aché investe R$ 500 milhões em expansão de operações para Nordeste e Norte

unnamed-79

O Aché Laboratórios Farmacêuticos anuncia a expansão de suas operações industrias e de distribuição para Pernambuco. O acordo com o Estado foi selado em cerimônia na manhã de hoje, no Palácio do Campo das Princesas, em Recife, com a presença do governador Paulo Câmara, secretários do governo, representantes da Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper) e executivos do laboratório farmacêutico. O Aché vai investir mais de R$ 500 milhões com a construção de uma fábrica de medicamentos em uma área de 250 mil m², além de um Centro de Distribuição na região metropolitana de Recife.

O projeto será desenvolvido em fases. A expectativa é de que a nova unidade, quando estiver em plena operação, em 2021, aumente a capacidade produtiva instalada do Aché em aproximadamente 50%, suportando o crescimento projetado para os próximos 15 anos. A previsão é que as novas operações gerem cerca de 500 empregos diretos, além de, aproximadamente, 2.500 postos de trabalho indiretos.

“Já presente na região, o Aché vai ampliar sua atuação no Nordeste e Norte, mercados em pleno crescimento e de extrema importância para a companhia. A nova fábrica em Recife também se configura como importante plataforma de exportação, acelerando nosso programa de internacionalização. A iniciativa está em linha com a estratégia de crescer por meio da inovação e excelência operacional com foco nos clientes e consumidores de uma forma sustentável, levando mais vida às pessoas onde quer que elas estejam”, afirma Paulo Nigro, presidente do Aché”.

“Criamos a parceria com uma empresa que acredita na inovação e em novos processos para ganhos de produtividade. Estou muito confiante que vamos progredir com parcerias, trabalho e com pessoas que acreditam que investir em Pernambuco vale a pena. A partir de hoje, o Aché passa a ser uma empresa pernambucana e de todos os pernambucanos”, afirma Paulo Câmera, governador de Pernambuco.

Crescendo de Norte a Sul

O plano de expansão é fruto do Planejamento Estratégico do Aché, criado em 2015 para direcionar o crescimento da companhia até 2030. A expectativa é de dobrar a receita líquida da empresa a cada cinco anos, defendendo o core business, fundamentado em medicamentos sob prescrição, além de ampliar a presença em outros segmentos em que o Aché atua, como MIP (medicamentos isentos de prescrição), Genéricos, Nutracêuticos, Dermocosméticos e Cuidados Especiais.

Para impulsionar seu crescimento, a companhia iniciou um processo de reestruturação dividindo o País em duas regiões: uma que compreende o Sul/Sudeste; e a outra o Nordeste/Norte. Isso permitirá ao laboratório fortalecer sua atuação por meio de grande capilaridade nacional.

Em abril de 2016, o Aché realizou a aquisição da Nortis Farmacêutica, de Londrina (PR), para ampliar e fortalecer sua presença em antibióticos, alcançando capacidade de produção mensal de 1,2 milhão de blísteres e 400 mil frascos. Em junho, a companhia anunciou também a aquisição da divisão farmacêutica do laboratório Tiaraju, empresa gaúcha voltada à produção de fitomedicamentos. Ao adquirir a divisão de fitomedicamentos da Tiaraju, o Aché, já estabelecido como indústria nacional de ponta, inovadora e com amplo e completo portfólio para tratamento nas mais variadas classes terapêuticas, demonstra seu compromisso com a prevenção de doenças, orientando e motivando a população a adotar um comportamento saudável, para se ter uma vida mais longa e com qualidade.

Em sua atuação como empresa corresponsável pelo desenvolvimento social, o Aché avaliará junto à sociedade local o interesse na implantação de programas voltados ao esporte, em escolas municipais, no entorno de sua futura fábrica. Com isso, reafirma seu propósito de levar mais vida às pessoas onde quer que elas estejam, acreditando no poder transformador da cultura, das artes, da educação e do esporte para uma vida mais plena e feliz.

Tags, , ,

Sistema de Granulação em fábrica do Aché em SP permitirá ampliar produtividade de medicamentos sólidos em até 150%

unnamed-36

O Aché inaugurou, em sua fábrica na capital paulista, Sistema de Granulação utilizado para a produção de comprimidos. A iniciativa visa a modernizar e ampliar a plataforma industrial e tecnológica da companhia. Com a implementação, será possível aumentar a fabricação de granulados em até 150% para medicamentos sólidos.

Projetado pela empresa norte-americana Freund Vector, em parceria com empresas da Alemanha e da Suíça, o equipamento High Shear adquirido pelo Aché é o mais moderno do mercado farmacêutico. A iniciativa é fruto de um investimento de R$ 12 milhões.

“A inauguração desta linha faz parte da proposta do Aché de crescer com excelência operacional e inovação, mantendo o foco no cliente e garantindo a sustentabilidade. Isso nos ajuda a continuar levando mais vida para a população, por meio de prevenção e tratamentos que trazem saúde e bem-estar”, afirma Paulo Nigro, presidente do Aché.

Otimização de espaço

O antigo sistema ocupava 206 m². Com o novo equipamento, em apenas 96m², será possível reduzir o processo produtivo de granulados de 30 para 12 horas. Além da maior produtividade, o novo sistema contribui para o aumento da segurança e qualidade, por automatizar processos e diminuir a intervenção humana.

No espaço restante, será possível contar com outras duas linhas de produção, inauguradas futuramente. “Até 2020, triplicaremos a capacidade de produção de medicamentos sólidos na fábrica”, avalia Maria Cristina Salay, gerente de Produção.

A idealização do projeto teve início em julho de 2014 e os estudos duraram até novembro de 2015, quando o equipamento foi adquirido pela empresa.

Para 2016, o Aché tem investimentos industriais previstos da ordem de R$ 70 milhões, com o aumento esperado de produção de 15%, totalizando cerca de 300 milhões de unidades no ano.

Tags, , , , ,

Aché Laboratórios apresenta cases de sucesso em TI no SAP Forum Brasil

O Aché Laboratórios participou da 20ª edição do SAP Forum Brasil, realizada em 15 e 16 de março, em São Paulo. A companhia foi representada pelo presidente Paulo Nigro, que participou de plenária sobre a transformação digital da sociedade. A equipe de Tecnologia da Informação (TI) do laboratório também participou do evento, por meio de palestras sobre cases de soluções tecnológicas que contribuem com as áreas do negócio.

“A tecnologia é fundamental para integrar todos os atores da cadeia produtiva e seus processos, permitindo que nos concentremos em desenvolver soluções para levar mais vida, saúde e bem-estar à população. Com isso, conseguimos focar no cliente, levando informações e produtos de qualidade para prevenção e tratamentos”, avalia Nigro.

Segundo o presidente, a companhia completa 50 anos na vanguarda do setor, investindo em inovação para continuar crescendo com sustentabilidade, foco no cliente e excelência operacional. Em 2015, os aportes em inovação somaram cerca de 15 milhões para projetos que impactaram todas as áreas da companhia.

Consumidor protagonista

Eduardo Kondo, gerente de Tecnologia da Informação do Aché, participou de mesa redonda sobre a transformação digital na indústria de Bens de Consumo. Segundo ele, a área da saúde passa por uma grande mudança por conta da enorme quantidade de informação disponibilizada na rede global de computadores. Todos os meses, internautas realizam cerca de 80 milhões de pesquisas sobre saúde no País, demonstrando que o consumidor está se colocando como protagonista na relação com sua saúde.

“O Aché está acompanhando esta transformação, com o desenvolvimento de diversas soluções que vão integrar informações de especialistas e experiências de consumidores em uma plataforma digital unificada, facilitando o fluxo de informação, contribuindo para a prevenção e o tratamento”, explica Kondo.

Alta performance em sistemas

Uma das palestras realizadas pela equipe de TI do Aché foi sobre a implementação do SAP HANA para as empresas do Grupo – Aché e Biosintética –, além das controladas: Magenta, Mafra e Propecus. O trabalho durou quatro meses e foi concluído em fevereiro de 2016, envolvendo cerca de 100 pessoas da companhia e cinco empresas prestadoras de serviço.

A iniciativa já trouxe ganhos de redução do armazenamento de informação, economia com o licenciamento de banco de dados, bem como diminuição de infraestrutura de servidores. Isso já possibilitou, por exemplo, a redução do tempo do processo de fluxo de caixa em algumas transações de duas horas para três minutos. A extração de notas fiscais para a composição de transporte, que antes durava cerca de 30 minutos, hoje dura menos de um minuto.

“Outros benefícios estão em algumas etapas dentro do processo de fechamento contábil, reduzidas de 10 minutos para um processamento instantâneo e online. Estamos em uma curva de maturidade ascendente, aperfeiçoando todos os aspectos da plataforma. O projeto trará ganho de performance, tornando alguns processos até 10 vezes mais rápidos”, afirma Leandro Roldão, gerente de Sistemas da Informação do Aché.

Agilidade no faturamento

Outra palestra apresentada foi sobre a adoção da solução SAP Nota Fiscal Eletrônica 10.0 para integrar a cadeia de suprimentos por meio de projetos B2B. A solução permitiu à companhia automatizar e acelerar processos relacionados à emissão de notas fiscais, atendendo perfeitamente à regulamentação e reduzindo custos.

O projeto possibilitou aumento de 75% da velocidade de liberação das notas fiscais e reduziu totalmente a espera de caminhões, resultando aumento de 42% de produtividade no recebimento de mercadorias. “A adoção desse novo sistema também garantiu a eliminação de erro no processo de faturamento, diminuindo o volume de lançamentos manuais e possibilitando a conferência antecipada das informações de fornecedores e clientes”, avalia.

Segundo Roldão, o projeto foi tão bem avaliado que virou referência de benchmark no mercado. “No último ano, fomos procurados por dez empresas que nos pediram apoio para a implantação do sistema, provando que nosso modelo foi um completo sucesso”, afirma.

Tags, ,