Tag Nuvem Shop

7 dicas para potencializar suas vendas na Black Friday

Por Manuella Lima

Com a Black Friday se aproximando, cresce a preocupação dos lojistas online em elaborar estratégias especiais para potencializar as vendas nesse período. O avanço da era digital está alinhado ao crescimento do comércio eletrônico e, hoje, de acordo com expectativa da Ebit/Nielsen, o e-commerce continua sendo o principal canal de venda durante a data. Ainda segundo o levantamento, a expectativa de faturamento da Black Friday este ano é de 2,43 bilhões de reais, valor 15% acima do observado em 2017.

Para auxiliar os empreendedores online, ou até mesmo, estimular aqueles que querem aproveitar o período para abrir um e-commerce, confira sete dicas para organizar a loja e intensificar as vendas antes, durante e depois da Black Friday.

1 – Identifique os produtos que entrarão em oferta

Para começar, é preciso identificar os itens de sua loja que farão parte da campanha de Black Friday. Para isso, você pode unir necessidade e oportunidade. De que forma? Aproveite para queimar o estoque de produtos que não têm muita saída, modelos mais antigos, ou peças da coleção anterior, caso você tenha um e-commerce de moda, por exemplo.

2- Defina o valor dos descontos

Uma vez que você já elegeu os produtos que irá destacar na Black Friday, é importante também calcular precisamente o valor do desconto para cada um deles. As ofertas devem ser sempre reais, por isso, não maquie preços e nunca ofereça descontos que não existem. Hoje, os consumidores estão cada vez mais atentos e exigentes com relação à mudança de preços dos produtos.

3- Crie estratégia de vendas e planeje o estoque

Para esquentar as vendas, você pode criar estratégias como o lançamento de edições limitadas de produtos ou kits, ou até mesmo oferecer frete gratuito. Outro ponto crucial é o planejamento do seu estoque, de acordo com a demanda. A dica é fazer uma projeção do quanto você pretende vender, com base em experiências de anos anteriores, ou até mesmo no quanto você investiu em publicidade para a data, para que não faltem nem sobrem muitos produtos.

4 – Agilidade na compra

O cliente precisa bater o olho na sua loja e já identificar onde estão as ofertas especiais de Black Friday. Crie uma categoria especial de promoções para que os produtos sejam encontrados com mais facilidade. É interessante, por exemplo, ter um banner anunciando as promoções exclusivas para a data e uma aba especial, na home do seu site, que reúna os itens em oferta. Com a correria do dia a dia, os consumidores possuem menos tempo e, na web, existe grande chance de ocorrer dispersão, caso eles não encontrem um conteúdo atrativo.

É muito importante que sua loja também esteja ajustada para a versão dos dispositivos móveis, para que o consumidor possa realizar a compra de qualquer local, a qualquer momento. Essa tendência de compras via mobile cresce a cada ano e segundo dados das lojas cadastradas na plataforma da Nuvem Shop, durante o período da Black Friday de 2017, 43% das vendas foram realizadas via dispositivos móveis.

5 – Priorizar a qualidade do atendimento

Prepare iniciativas que promovam um bom serviço de atendimento. Você pode gravar vídeos contando detalhes sobre os produtos, ou deixar respostas prontas para dúvidas frequentes. É preciso atender bem não só antes e durante a venda, mas também no pós-venda. Prepare-se para os pedidos de trocas e as dúvidas que surgirão quando o produto chegar à casa do consumidor. Caso seja necessário, contrate mais gente para auxiliar nas demandas dos pedidos. Ter um bom atendimento garante a fidelização dos clientes.

6 – Aposte em divulgação

Trabalhe na divulgação de suas ofertas. Crie artes, imagens e textos atrativos para publicar em suas redes sociais ou faça banners com o tema para decorar sua loja. As redes sociais são uma ótima maneira de divulgação rápida, fácil e de baixo custo. Além disso, você pode produzir anúncios mostrando os pontos fortes da sua loja e os principais produtos em promoção. Outra dica, se você já tem uma base de cadastros de clientes, é o e-mail marketing, muito utilizado para atrair clientes que já compraram no estabelecimento e fazê-los comprar de novo.

Lembre-se que, para o sucesso de qualquer divulgação, é preciso saber qual seu objetivo com a campanha, conhecer o público-alvo e considerar o perfil das pessoas que você deseja atingir, quando criar a publicidade online. Caso contrário, você pode perder dinheiro com ações generalistas e sem foco.

7 – Aproveite para fidelizar os clientes

Por fim, depois de colocar em prática as dicas acima, é necessário fidelizar os clientes. Você pode enviar e-mails agradecendo a compra, cupons de desconto, ou estender o prazo das ofertas. Além disso, que tal enviar um mimo no pacote do produto? É uma estratégia que pode cuidar muito pouco e, com certeza, vai surpreender e encantar o cliente. Dessa forma, você consegue cativar os consumidores, para que eles voltem a comprar em outras datas sazonais, como o Natal.

Gostou das dicas? Todas são frutos da experiência dos consultores Nuvem Shop, plataforma de e-commerce com mais de 20 mil marcas que movimentam o mercado online. Para ficar por dentro de todas as novidades do universo do e-commerce não deixe de acompanhar nosso blog.

Manuella Lima, Coordenadora de Projetos de Marketing na Nuvem Shop, plataforma de e-commerce líder na América Latina.

Tags, , ,

Nuvem Shop é finalista do Prêmio Melhores do Ano AbComm

A Nuvem Shop, detentora de uma plataforma de serviços de e-commerce, está na fase final do Prêmio Melhores do Ano AbComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico). A empresa está na disputa como “Melhor Plataforma de E-commerce” e seu co-fundador, Alejandro Vázquez, foi selecionado na categoria “Empreendedor Digital”. Para confirmar a escolha, é necessário clicar no e-mail de confirmação após o voto.

O objetivo do prêmio da AbComm é evidenciar as melhores empresas e profissionais do mercado digital. Os vencedores das 11 categorias serão anunciados durante a cerimônia de premiação que acontece no dia 11 de abril, a partir das 9h no Teatro Gazeta em São Paulo, com transmissão ao vivo para todo Brasil.

O crescimento da Nuvem Shop no mercado brasileiro acompanha a evolução do setor de e-commerce no país. Com um serviço de alta qualidade, a empresa vem catalisando o empreendedorismo e geração de empregos, ajudando a estimular a economia local. Com apenas cinco anos de operação no Brasil, a Nuvem Shop já está entre as principais plataformas de comércio eletrônico do país. Somente em 2017, a plataforma da companhia movimentou cerca de R$ 380 milhões GMV (Transações Gross Merchandise Value). Atualmente o Brasil é o principal mercado de atuação da Nuvem Shop, com mais de 50% do faturamento.

Tags, , , , , , , ,

Como está mudando o consumidor de e-commerce no Brasil e no mundo

A Nuvem Shop, plataforma de e-commerce com mais de 18.000 lojas online ativas, responsáveis por mais de $120M USD em vendas por ano, fez um estudo baseado no comportamento de mais de 1 milhão de consumidores. Estes clientes das lojas da plataforma realizaram mais de 120 milhões de visitas nestes e-commerces, e o resultado desta análise diz bastante sobre os caminhos do mercado.

Tendências

Nos últimos anos, tem-se observado um crescimento significativo da utilização de dispositivos móveis, como reflexo do aumento da demanda por praticidade, mobilidade e agilidade nas atividades do dia a dia.

Segundo recente pesquisa do Google, considerando pessoas com capacidade de compra, acima de 16 anos, Coreia e China apresentam os números mais altos no cenário de 2017, com as impressionantes marcas de 92% e 83% dos habitantes, respectivamente, fazendo uso de dispositivos móveis. No mesmo relatório, Brasil e Argentina, países de grande expressão no Mercosul e territórios de forte atuação da Nuvem Shop, apresentaram notável evolução nos índices, fechando o ano passado com um crescimento acima de 150%, em relação ao ano de 2013.

País 2013 2017

Argentina 31% 73%

Brasil 26% 67%

China 47% 83%

Corea 73% 92%

Estados Unidos 56% 78%

Essa tendência afeta diretamente os e-commerces, que precisam adaptar-se aos novos hábitos de consumo. Na Nuvem Shop, por exemplo, não há mais lojas que realizam vendas exclusivamente via desktop. Já o oposto tem acontecido: 14% das lojas da plataforma concretizam mais de 80% das suas vendas através de um dispositivo móvel.

Vistas e vendas por dispositivo móvel

Em um comparativo da evolução das visitas, em relação às vendas via dispositivos móveis, feito entre as lojas hospedadas na plataforma, observa-se que em 2015, 50% das visitas eram provenientes de mobile e 50% chegavam via desktop. Em 2016, os dispositivos móveis ultrapassaram os acessos por desktop, chegando a 58%, frente a 42% do dispositivo fixo. Em 2017, os números deram um salto ainda mais significativo, onde as visitas recebidas de smartphones e tablets chegaram a 69%, deixando o desktop completamente para trás, com apenas 31% dos acessos.

A mudança no comportamento dos usuários em relação ao dispositivo preferido de acesso às lojas online refletiram-se diretamente nas vendas, passando de apenas 30% das vendas efetivadas via mobile em 2016, para 45% em 2017: um salto de 50% em apenas um ano. Por conta de questões ligadas a confiabilidade e navegabilidade, o desktop ainda permanece com maior taxa de conversão de vendas, cerca de 55%, mas a tendência dentro dos próximos um ou dois anos, é que ocorra a mesma virada observada nos percentuais de visitação, com os dispositivos móveis assumindo a liderança na preferência dos consumidores para compra.

Os consumidores estão comprando por dispositivos móveis?

Um outro forte sinal da tendência mobile que o mercado vem experimentando é a aproximação dos valores de ticket médio das compras via dispositivos móveis, em relação ao desktop. Em 2017, o ticket médio de compras feitas por smartphones e tablets foi de R$ 200,19, enquanto a média de valores das compras feitas no desktop chegaram a R$ 258,77.

Uma das razões para o ticket médio ser menor via dispositivos móveis, logicamente, é a questão da confiança do consumidor em fazer compras de maior porte através esse tipo de dispositivo. Um consumidor com hábitos mais conservadores ainda tende a querer ver fotos e conferir detalhes do pedido em uma tela maior, antes de concretizar as transações. Porém, com as mudanças observadas no perfil do cliente online e a tendência à fabricação de dispositivos móveis cada vez mais sofisticados e repletos de novos recursos, esta realidade está prestes a se transformar.

Soma-se a isso o fato de que o cliente ainda está começando a experimentar e se sentir à vontade com esse tipo de transação. Nas primeiras experiências, o consumidor compra volumes menores, o que somado ao baixo valor de risco de investimento adotado por ele, resulta em um ticket médio inferior ao alcançado no desktop. A reversão desse quadro seguirá com o aumento da confiança em suas experiências positivas em transações online.

“As compras em mobile costumam ter menos quantidade de produtos e por isso a diferença em ticket médio. Mais um motivo para seguirmos trabalhando para oferecer uma experiência de compra ainda mais positiva nestes aparelhos.”, relata Santiago Sosa, CEO da Nuvem Shop.

Canais utilizados para atendimento

Um outro ponto que chama atenção, a partir dessa nova tendência móvel e digital do e-commerce, é a diversificação dos canais de atendimento e os percentuais significativos do uso de e-mail e das redes sociais para esse fim, ambos com 84,8% de utilização, segundo dados das lojas hospedadas na plataforma Nuvem Shop. Com uma característica ainda mais mobile, o terceiro canal mais utilizado pelas lojas para contato é o Whats App, com 83% de preferência, quase ultrapassando as duas primeiras opções. Em seguida, o telefone ainda é um forte aliado no atendimento das empresas, com 62,1%, seguido do chat, e do skype, com 39,4% e 4,2% respectivamente.

– Telefone – 62,1%

– E-mail – 84,8%

– Chat na loja – 39,4%

– Redes Sociais – 84,8%

– Skype – 4,2%

– Whatsapp – 83%

Observa-se a rapidez dessa evolução de acessos via dispositivos móveis, atestando a importância de layouts responsivos, de alinhamento com novas formas de atendimento, e até práticas de publicidade que respeitem esse novo meio de navegar. A importância de ter uma loja responsiva, pois mesmo quando não se trata de fechar a venda pelo celular, normalmente é neste dispositivo que a visita inicial é feita e a decisão de compra é tomada.

Redes Sociais

A posição de destaque das redes sociais como canal de atendimento preferido pelos consumidores não é obra do acaso. Diante de tantas alterações relativamente recentes nos hábitos de consumo, certamente, uma das que mais se mostram evidentes e bem sucedidas é a utilização destes meios, não só como canais de divulgação, e de atendimento, mas também para efetivação de vendas.

“Com a mudança de desktop pro mobile, as redes sociais ganham mais relevância. Uma vez que os consumidores navegam muito por elas através de seus dispositivos móveis, rapidamente se tornaram uma fonte de contato e de venda para lojistas.”, continua Sosa. Dentro das redes sociais que mais levam vendas para as lojas, o Instagram representava 17% no quarto trimestre de 2016. No mesmo período de 2017, subiu para 36%.

Entre as redes sociais, os meios mais direcionados para a exposição de imagens, como Pinterest e Instagram, ganharam bastante espaço na estratégias de exposição das marcas e vendas de produtos.

“Com a falta de tempo e a disseminação da internet rápida, é cada vez maior o número de pessoas que prefere fazer compras por dispositivos móveis, que são acessíveis de qualquer lugar. Aí entra o papel fundamental das redes sociais, principalmente o Instagram. Ele serve como ponte entre empresa e cliente, para apresentar os produtos, mostrar as combinações possíveis e despertar desejo”, afirma Bruna Ohana, Analista de Marketing da loja Stravaganza, especializada em moda feminina.

Diante disso, plataformas de e-commerce, lojistas e demais serviços online devem ficar atentos às tendências e fazer rápidas adaptações para possibilitar, cada vez mais, a conversão de acessos em vendas.

Datas comemorativas

A nova dinâmica do mercado e a ascensão do e-commerce nos últimos anos trouxe um outro aspecto interessante, relativo ao comportamento de compra do consumidor em datas comemorativas.

Datas expressivas do comércio varejista, como dias das Crianças ou Natal, perderam posição no ranking de vendas para a tão esperada Black Friday, enquanto que o dia das mães foi parar em último lugar, considerando as vendas de clientes da Nuvem Shop.

De fato, a Black Friday tem se tornado um fenômeno, dentro e fora da internet nos últimos anos, ao anunciar promoções impactantes e fazer divulgações massivas em todo tipo de mídia. O consumo no BF 2017 esteve acima de todas as principais datas comemorativas. As vendas desse verdadeiro fenômeno ficaram 100% acima de outras datas famosas, como dia dos pais, dia das mães, e dia dos namorados, e 75% acima do Natal e do dia das crianças.

Seguindo uma tendência forte do e-commerce, no que se diz respeito à venda de produtos (desconsiderando os serviços), o segmento de moda representou 60% das vendas da Black Friday 2017, mais que os 55% de 2016.

Ainda seguindo a tendência ao crescimento das compras via mobile, em 2017, as vendas via smartphones e tablet chegaram aos 44%, superando com folga os 33% de 2016.

A BF é uma data nova, com pouco mais de 5 anos, e já ganha espaço com os consumidores, se tornando a mais importante do e-commerce. Diante desse cenário, é preciso estar atento e ser ágil na percepção da necessidade e implementação das mudanças, quando menos se espera, os ventos sopram e a próxima onda de inovação no comportamento do consumidor chegar, ditar novas tendências. É preciso surfar as novas ondas, para não ficar pra trás.

Este artigo foi escrito com base nos estudos realizados pela plataforma Nuvem Shop, que deram origem a um material completo sobre os resultados e tendências do e-commerce. Baixe o estudo completo aqui.

Tags, , , , , , , , ,

Compras virtuais por meio de dispositivos móveis crescem 75% no último trimestre

A enorme expansão do mercado de dispositivos móveis transformou o Brasil no sexto país do mundo em número de usuários de smartphones, impulsionado cada vez mais o m-commerce. As transações realizadas via dispositivos móveis ganham ainda mais importância para o comércio eletrônico. Cresce o número de transações mobile, assim como o volume de compras, aumentando a participação na receita dos lojistas virtuais.

Para acompanhar o comportamento desse nicho do e-commerce no país, a Nuvem Shop, acaba de realizar um levantamento que aponta o aumento de 75% no número de compras virtuais realizadas por meio de dispositivos móveis no último trimestre (julho a setembro), em comparação com o mesmo período de 2016. A tendência se confirma ao considerar o período entre janeiro e setembro de 2017, onde houve um aumento de 80% comparado ao mesmo período do ano anterior. Os resultados foram extraídos da base de lojistas que utilizam a plataforma de serviços de e-commerce da Nuvem Shop, que possui mais de 15 mil lojas movimentando o mercado online atualmente.

De acordo com Alejandro Vásquez, cofundador e diretor da equipe de atendimento ao cliente da Nuvem Shop, o levantamento ajuda a identificar o perfil dos consumidores e as principais tendências do mercado de e-commerce. “O nosso comportamento como consumidor está mudando junto com os celulares e os empreendedores e varejistas têm excelentes oportunidades de aumentar as vendas. É preciso estar atento ao crescimento das transações via dispositivos móveis”.

Terceiro trimestre de 2017

O recorte do terceiro trimestre revelou ainda que o volume das compras via mobile representou 46% do total de transações, contra 35% no mesmo período do ano passado, um crescimento de 11%.

Também o percentual de receita dos lojistas virtuais decorrente das transações mobile cresceu 9,5%, passando de 26% em 2016 para 35% em 2017. Neste período, o ticket médio de vendas via mobile foi de R$ 210,00.

A origem do tráfego via dispositivos móveis tem grande representatividade e no último trimestre, foi responsável por 71% do total de acessos nas lojas virtuais hospedadas na plataforma da Nuvem Shop, sendo 34% via Facebook; 27% via Google; 15% internautas que digitam o domínio direto da loja; 13% via Instagram; e 11% via outros meios online.

No terceiro trimestre de 2017 o segmento de moda realizou o maior volume de negócios, com 57% das transações, seguido de saúde e beleza, com 13% e casa e jardim, com 6%. O destaque foi o segmento de tecnologia, com ticket médio campeão de R$ 467,00.

Janeiro a setembro de 2017

A Nuvem Shop também levantou os dados do m-commerce referentes a 2017, contemplando os meses de janeiro até setembro. Semelhante aos resultados do último trimestre, durante todo o ano, é possível observar um crescimento do volume das compras via mobile, que passou de 34% em 2016 para 44%, ou seja, um aumento de 10%.

A receita dos lojistas via transações mobile, que em 2016 era de 23%, agora é de 33%, um incremento também na casa dos 10%. Já o ticket médio de vendas via mobile de janeiro a setembro de 2017, foi de R$ 198,00.

O segmento de moda segue na liderança dos negócios virtuais, com 56% das transações, seguido de saúde e beleza, com 15%, e casa e jardim, com 6%.

A origem do tráfego via mobile foi responsável por 69% do total de acessos nas lojas hospedadas na plataforma da Nuvem Shop, sendo 37% via Facebook; 26% via Google; 16% internautas que digitam o domínio direto da loja; 11% via Instagram; e 11% via outros meios online.

Tags, , ,

Nuvem Shop recebe aporte de R$ 24 milhões e Brasil é mercado prioritário

Com a expectativa do e-commerce na América Latina ultrapassar a marca dos 50 bilhões de dólares em 2017, a Nuvem Shop assegurou U$7 milhões na rodada B de investimentos, para permitir que pequenas e médias empresas embarquem nessa oportunidade.

A companhia oferece aos comerciantes uma plataforma de e-commerce omnicanal. Utilizando a mais alta tecnologia, os clientes podem vender seus produtos através de suas lojas online – tanto em canais mobile quanto desktop – personalizadas com sua identidade de marca única, e com acesso a ferramentas de marketing e análise de dados.

A plataforma da Nuvem Shop é integrada com os maiores meios de pagamento locais e serviços complementares, tornando fácil para o lojista a opção de oferecer pagamentos via cartão de crédito, pagamentos offline, entregas no mesmo dia, entregas porta-a-porta e demais serviços de logística. Sobretudo, a companhia permite que os donos de negócios vendam seus produtos nos principais marketplaces da região, promovendo aos seus clientes canais adicionais de venda para desenvolverem suas empresas.

O e-commerce na América Latina espera atingir a uma taxa de crescimento anual composta (CAGR – Compound Annual Growth Rate) de 17% entre 2014 e 2019, alcançando 85 bilhões de dólares ao final do período. Brasil, México e Argentina são as três principais economias da região. A Nuvem Shop está na liderança dessa região permitindo que mais de 15 mil negócios online tenham operações de sucesso.

A rodada foi liderada por Elevar Equity, a quem se uniram IGNIA Partners e os atuais investidores Kaszek Ventures, NXTP Labs e FJ Labs.

“Com recursos limitados, milhões de PME’s ao longo da América Latina têm dificuldade de acessar o crescente mercado de e-commerce da região, atenuando suas perspectivas de crescimento. Ao prover a estes desatendidos negócios – a espinha dorsal da economia da região – com os recursos e suporte no setup, gerenciamento e promoção de seus negócios online, a Nuvem Shop está catalisando o empreendedorismo e geração de empregos, ajudando a estimular a economia local”, relata Johanna Posada Gil, co-fundadora da Elevar Equity.

Referindo-se ao investimento, Santiago Sosa – CEO da Nuvem Shop – disse: “Nós estamos tocados por essa oportunidade. Nosso principal objetivo é continuar desenvolvendo tecnologia que facilitará aos nossos clientes atingirem sucesso num mercado muitíssimo competitivo. Nos próximos meses, vamos continuar a lançar produtos e integrações que vão permitir que os comerciantes expandam suas vendas enquanto mantêm o dia-a-dia administrativo simples e indolor. Nós sabemos que prosperar com um negócio é muito difícil, e a tecnologia está dramaticamente mudando a forma como as companhias fazem negócios. Nós estamos aqui para simplificar essa transição.”

A Nuvem Shop iniciou suas operações em 2010, na Argentina, onde opera sob o nome Tienda Nube (www.tiendanube.com). Em 2012, a companhia expandiu para o Brasil, onde hoje se encontra o maior número de vendas. A companhia conta com um total de 100 colaboradores, localizados principalmente nos escritórios de Buenos Aires e São Paulo. Uma parte deste investimento também será direcionado para expandir as operações para o México.

“Nós vemos uma enorme oportunidade de aumentar o market share do e-commerce no México, e de torná-lo viável para companhias de todos os tamanhos, catalisando o crescimento de centenas de empreendedores da região. A Nuvem Shop desenvolveu a melhor solução para negócios interessados em vender online, e está respaldada por um forte e impressionante time. Estamos animados com essa nova parceria e focados em prover esse suporte para o crescimento no México”, atestou Álvaro Rodriguez, co-fundador e gerente de parcerias da IGNIA.

Tags, , , , , ,

Como se preparar para vender mais no Dia dos Pais?

O Dia dos Pais, comemorado no dia 13 de agosto, é tradicionalmente uma data para celebrar e comemorar quem nos deu a vida, mas, ao mesmo tempo, é uma grande oportunidade para gerar vendas, levando em conta que esta data se transformou em um dos acontecimentos de maior destaque no calendário do marketing brasileiro.

Além dos canais tradicionais, que atraem naturalmente o interesse dos compradores, as lojas online se posicionam como uma grande vitrine para quem busca o presente perfeito para o Dia dos Pais.

Entre tantas possibilidades, o desafio para os lojistas é posicionar-se como a primeira opção no mercado e oferecer ao comprador mais que um produto, uma experiência inesquecível.

E como se preparar para vender mais? Os especialistas da Nuvem Shop, desenvolveram um guia rápido para não esquecer nenhum detalhe.

Esquentar os motores: quanto mais cedo começar, melhores serão os resultados. Para vender mais, é imprescindível lembrar do aumento da procura na data que está por vir. Uma maneira de esquentar os motores, é começar a produzir e distribuir conteúdo especial para a data nas redes sociais, blogs e através de campanhas de email marketing. No blog da Nuvem Shop há tutoriais e recomendações para impulsionar cada uma das campanhas.

Personalizar a loja: as datas especiais merecem designs especiais. Assim como os shoppings mudam suas decorações, o mundo online se transforma inteiro para receber os clientes nessas comemorações. É importante criar uma identidade visual diferenciada. Tematizar a homepage da loja, as capas das redes sociais, as newsletters, assim como as fotografias dos produtos, para chamar a atenção do público e conquistá-lo. Uma dica é incluir banners temáticos no site, que direcionem para as páginas de ofertas.

Oferecer promoções e benefícios: estas ações devem agregar valor ao cliente verdadeiramente. Além de oferecer descontos atrativos, algumas opções interessantes podem ser: adicionar um brinde à compra, oferecer edições limitadas e exclusivas, bonificar os envios, elaborar pacotes e kits especiais para a data, oferecer vale-presentes, entre outros. Pense no cliente e ofereça um benefício que o motive a comprar.

Adaptar-se ao mundo mobile: já tem uma loja mobile? Cada vez mais pessoas buscam, comparam e compram produtos através de dispositivos móveis, mais ainda em datas comemorativas. Para captar este público, é imprescindível preparar a loja para proporcionar uma experiência completamente responsiva, ou seja, onde o cliente possa navegar e encontrar os produtos com a mesma funcionalidade e qualidade estética da loja acessada no desktop. Caso ainda não tenha aderido ao mundo mobile, é possível começar em poucos minutos.

Atenção: antecipar a data, personalizar a loja, oferecer promoções e estar nos canais mais visitados são grande parte do caminho para vender adequadamente. No entanto, há ainda um aspecto fundamental que faz toda a diferença e acompanha cada um destes passos: o atendimento ao cliente. Essa recomendação é permanente, o serviço ao cliente deve ser um ponto-chave na sua estratégia de negócio. Naturalmente, em datas especiais a demanda aumenta e, portanto, é necessário prever a ampliação do suporte. Assegure-se de contar com os recursos necessários para estar presente e à disposição em todos os canais disponíveis.

Por fim, preparar-se de antemão, personalizar e tematizar cada canal, conceder benefícios, estar disponível em diversos meios e, sobretudo, oferecer uma atenção diferenciada são parte dos aspectos essenciais para vender mais durante o Dia dos Pais e transformar uma compra em uma experiência inesquecível.

Tags, , ,

Black Friday: entenda o que é e veja dicas para lojas

A Black Friday é uma data que cada ano tem maior relevância no mercado brasileiro. A data é uma prática comercial herdada dos Estados Unidos, ocorre logo após o feriado americano de Ações de Graças que, em 2016, será no dia 25 de novembro.

Começou com os grandes varejistas mas, hoje, os médios e pequenos também aproveitam, ano a ano, a onda de descontos. O importante é ter em conta que, ainda que a concorrência por preços mais baixos seja a principal estratégia das grandes lojas, se recomenda aos lojistas trabalhar forte no diferencial de atendimento personalizado e relacionamento único com o cliente.

Os números do ano passado e o que se espera para 2016

Em 2015 essa data movimentou 1,5 bilhão em vendas no varejo on-line. O valor supera o arrecadado em 2014, de R$ 872 milhões, segundo dados da ClearSale, empresa que monitora o faturamento do evento, em parceria com Busca Descontos, organizador da Black Friday.

Para edição 2016 é previsto que as vendas aumentem de a 20% a 30% em relação ao ano passado, para um valor entre R$1,9 bilhão e R$2,1 bilhões, segundo uma pesquisa feita pelo Google Brasil sobre a intenção de compras no país.

E na Nuvem Shop, uma plataforma de e-commerce voltada para pequenos e médios empreendedores, a edição do ano passado foi marcada por um aumento no volume de vendas equivalente a 285% em relação à da semana anterior, em um dia comum. Isso significa que a preparação dos lojistas valeu muito a pena.

Dicas para a sua loja virtual

Os pequenos negócios, sejam eles virtuais ou físicos, podem aproveitar as oportunidades que essas datas de compra trazem ao aplicar uma série de estratégias que você pode conferir agora:

Antes de dar início às ofertas, é importante definir os produtos que devem receber os descontos. Embora seja tradicional colocar toda a loja “abaixo”, você pode dar descontos agressivos apenas em alguns itens. A ideia é sempre fazer com que o estoque funcione de forma saudável.

Ainda que seja recomendado colocar os produtos menos vendidos com maiores margens de desconto, é relevante que o seu produto mais conhecido também esteja em oferta. Essa pode ser uma ótima maneira de ganhar novos clientes que há tempos estavam interessados naquele item, mas que por algum motivo nunca compraram (sim, eles existem!).

2. Implemente estratégias de marketing adequadas ao seu negócio

Se você trabalha com ferramentas de e-mail marketing, esse é um bom momento para analisar a sua lista e segmentá-la: você tem clientes fiéis ou apenas usuários que deixaram seus contatos para receber novidades? A ideia é pensar em uma estratégia mais individualizada para cada público consumidor.

Por exemplo: para o cliente que já comprou mais de uma vez, talvez um cupom de desconto mais agressivo ou a oportunidade de ganhar um super brinde possa ter um efeito positivo. Para aquele que nunca comprou, um desconto no seu produto “carro-chefe” pode ser o caminho para fechar mais uma venda. Lembre-se: ser objetivo e direto em todos os e-mails que enviar.

Para ganhar um diferencial entre a concorrência e garantir mais vendas, você pode incrementar seu e-commerce com os banners gratuitos. Por exemplo, a plataforma Nuvem Shop oferece a seus lojistas alguns exclusivos.

3. Ofereça um super atendimento

Esse é um ponto imbatível dos pequenos lojistas: atendimento eficiente e mais afetuoso. Se a concorrência é grande, você pode “fisgar” o visitante se oferecer um atendimento online personalizado. É importante contar com uma ferramenta que possa atender a múltiplos visitantes em dias de grande movimento.

A Nuvem Shop te ensina a adicionar um chat online para o seu e-commerce de uma maneira bem simples. Nem sempre é preciso que você esteja online 24 horas por dia, mas nos períodos mais movimentados (como Black Friday e Natal) pode ser interessante ampliar esse horário. Outro ponto essencial é destacar-se no pós-venda, oferecendo uma política de trocas e retornos eficiente.

4. Seja ativo nas redes sociais

Você já deve ter percebido que as pessoas adoram compartilhar boas ofertas. Como as redes sociais ganham novos ativos comunicadores a cada dia que passa, lembre-se de publicar nas páginas do seu negócio com hashtags como #BlackFridayBrasil, #BlackFriday2016, entre outras.

Já está comprovado que a Black Friday é uma experiência única para cada lojista e, agora, é preciso estar preparado. Lembre-se que, se um cliente passou por uma experiência agradável durante essa data, onde todo mundo está fazendo compras on-line, com certeza ele voltará ao longo do ano, e essa fidelização é muito importante para a sua marca.

Tags, , ,

Millennials: o que traz satisfação para os empregados que fazem parte da geração mais jovem do mercado?

Desde o início do Século XX se fala sobre a importância que a felicidade dos trabalhadores tem nos resultados de uma empresa. No entanto, o que acontece em uma empresa na qual tanto os chefes quanto os funcionários tem menos de 35 anos?

Olhar apenas para os clientes não é uma boa estratégia para uma empresa: de certo modo, seu público alvo também são os funcionários, cuja satisfação contribui – e muito – com os resultados da companhia. Todavia, as condições de trabalho que as novas gerações – como os Millennials (também conhecidos como a Geração Y), que inclui os nascidos entre 1980 e 2000 – esperam, são diferentes das do passado. As empresas que sabem disso, se preocupam especialmente em manter “apaixonados” seus Millennials, para conseguir um melhor clima no local de trabalho, uma maior retenção de talentos e, finalmente, um melhor rendimento da companhia em geral.

A Nuvem Shop, – uma startup que oferece serviços para que empreendedores possam criar suas próprias lojas online – trabalha com um modelo muito atrativo para seus funcionários jovens, que acaba refletindo nas palavras dos próprios empregados ao responder uma enquete proposta pela empresa.
Os Millennials dão valor ao uso dos recursos tecnológicos somados à experiência do colaborativo. É o caso de Arnon, 25, que assinala que “o processo de seleção foi completo, mas foi todo através do Skype, exceto a última entrevista, que foi pessoalmente. Foi uma experiência única, muito organizada e objetiva”.
“Prezo por ser escutado, assim como a possibilidade de trabalhar de forma remota”, disse Pedro, 31.

Rotinas

Pelas respostas recebidas nesta enquete, um ambiente rígido e rotineiro pode espantá-los. Luna, 29, afirma: “A experiência na Nuvem Shop se caracteriza pela flexibilidade, o companheirismo e a forte apreciação dos valores e da cultura, que caminham lado a lado. As relações são mais horizontais, os desafios são grandes e a rotina praticamente não existe”.

Por sua vez, Luane, 27 tem foco na liberdade de mudar um pouco as regras fixas: “Aprecio o ambiente mais favorável à criatividade, à imaginação e ao rendimento, sem muita burocracia”.
Como característica desta geração, é marcante o fato de querer trabalhar com o que lhes apaixona e deixar sua identidade, sentir que sua colaboração é importante.

“A principal vantagem de trabalhar em uma startup é a possibilidade de fazer a diferença, propor ideias e desenvolvê-las. Isso é extremamente gratificante a nível profissional e pessoal”, disse Danniela, 31.

A motivação e a inspiração

Para os Milennials, esses dois pontos devem estar sempre presentes em sua vida e, além disso, o fato de serem “obrigados” à fazer algo não os agrada. “O trabalho em equipe, a atmosfera de “vamos juntos conquistar o mundo”, a liberdade de pensamento e expressão e a possibilidade de participar de diferentes projetos, de aprender sobre os novos aspectos do negócio e como nosso trabalho se reflete em todo ecossistema é incrível.”, afirma Itallo, 24.

Além desses pontos, o fato de sempre aprenderem coisas novas também é um fator principal para a motivação dos Milennials. “Nunca estamos fazendo as mesmas coisas, nunca nos estagnamos na zona de conforto: as mudanças são muitas e rápidas, o que requer de nós uma vontade e um esforço maior, o que é muito estimulante.”, conclui Arnon, 25.

E ainda que os Millennials lutem contra a rotina, a estabilidade lhes parece fazer falta. Esse é o pensamento de Bruno, 35, que afirma: “As frequentes mudanças relacionadas às startups – as vezes de objetivo ou de foco – pode fazer-nos sentir certa instabilidade ou falta de organização, e em certas ocasiões há projetos que não se concretizam por falta de investimento de tempo”.
“Nestes esquemas flexíveis, às vezes nos damos conta que estamos fazendo mais do que achávamos que íamos fazer, cansando e sentindo que nem sempre somos reconhecidos, mas quando o momento de crise passa, enxergamos o quanto vale a pena o esforço.”, conclui Renata, 33.
Até os fundadores da Nuvem Shop pertencem à Geração Y, e formam uma equipe onde todos, e cada um, se sentem totalmente responsáveis pelos resultados.

Um caso como este serve para que cada companhia analise as condições de trabalho de seus empregados, observe se correspondem às necessidades e desejos das novas gerações que estão se inserindo no mercado de trabalho, e tome decisões para mudar em todos os aspectos onde possam existir oportunidades de melhora em suas empresas, tornando-as ainda melhores para seus colaboradores e seus clientes.

Tags, , ,

E-commerce ou loja tradicional? Um comparativo para criar sinergia entre o mundo físico e o online

Se está pensando em iniciar um empreendimento ou um negócio, ou quer melhorar sua performance de vendas, veja a seguinte análise das características das lojas virtuais e físicas.

Há alguns anos, “abrir um negócio”, significava, sem sombra de dúvidas, conseguir um fiador, alugar um local, juntar vários meses de aluguel para “entrar” e pensar na habilitação, pintura, decoração, despesas: condomínio, empregados, etc. Hoje, a tecnologia nos permite duas alternativas: abrir uma loja online para começar com um baixo investimento (e que talvez funcione tão bem que nunca nos interesse chegar a um local tradicional) ou incorporar um e-commerce à loja física para aumentar não só as vendas, mas também o alcance e assim aproveitar o auge das vendas online – que vêm crescendo a passos largos na América Latina.

Este dado deixa claro que a opção de ter somente uma loja física é uma espécie de auto boicote do empreendedor, que estaria se privando de vender em um mercado em expansão, o qual pode ingressar com um investimento baixíssimo.

A plataforma Nuvem Shop põe preto no branco para que cada empreendedor avalie seu caso:

Captura de Tela 2016-09-06 às 17.47.45

Se a loja física já existe, tendo estoque, clientes e experiência em vendas, convém aproveitar tudo isso e adicionar uma loja online para alcançar a clientela que já está na internet. É uma forma de agradar clientes com todas as preferências: os que procuram pela internet e os que ainda gostam de comprar ao vivo.

Sem dúvidas, o mundo online apresenta enormes vantagens quantitativas e qualitativas, e conseguir uma sinergia entre a loja física e a online, como por exemplo um bom ERP, a unificação da identidade visual, e o aproveitamento do espaço de estoque, permite aproveitar as vantagens de cada um destes canais, fazendo com que eles evoluam mutuamente.

Tags, , , ,

Os 10 motivos que levam os jovens a optar por trabalhar numa startup

Geralmente a vida em uma startup está associada a certos conceitos tais como: “horários flexíveis”, “uma mesa de ping-pong” ou “um escritório mais despojado“, aspectos que não refletem ou representam o que realmente ocorre em tais empresas, na realidade, nem se aproximam do espírito que se respira quando se inicia um empreendimento deste estilo.

Como não existe uma definição única de startup, pode-se considerá-la como uma companhia com um alto potencial de crescimento a um ritmo muito acelerado e que, além disso, sustenta uma missão ambiciosa tentando resolver algum tipo de problema ou necessidade de uma grande quantidade de pessoas ou organizações.

Companhias como Nuvem shop, Cinemad ou Brownie do Luiz se aplicam a esta definição. Cada uma delas tem uma missão ambiciosa junto com objetivos agressivos, ano após ano, e para alcança-los, requerem um dinamismo especial de trabalho. Por outro lado, há exemplos de empresas que já transcorreram esta definição de startup e que hoje são grandes companhias como é o caso do Mercado Livre, Google, Facebook, entre outras empresas.

O fenômeno das companhias modernas traz consigo uma quebra de paradigma ligada a diversos aspectos tradicionais do ambiente de trabalho. Por exemplo, em que o Google contribuiu neste sentido? São mundialmente conhecidas as mudanças inovadoras que foram geradas em seuambiente de trabalho: horários flexíveis, ambientes que estimulam a imaginação, refeitórios livres, escritórios dinâmicos e muito mais. Representam, além disso, um modelo de negócio de êxito e lideram no quesito inovação.

Então, qual é a motivação para ingressar em uma startup? Por quê os jovens se atraem pelo desafio de fazer parte delas?

Para esta pergunta, há resposta. Segundo, Randstad Award, os jovens se preocupam mais em ter um bom treinamento, com o conteúdo do trabalho que realizam, e com a oportunidade de crescimento profissional. Portanto, todas as organizações que busquem ser uma marca forte voltada para esta geração deverão trabalhar desta maneira para chamar sua atenção e atraí-los.

Os motivos pelos quais um jovem decide integrar uma startup poderiam ser resumidos em 10 itens:

1. Adeus à rotina: ingressar no mundo startup envolve mudar de atividades ao longo do dia, ser parte de trocas constantes na organização das equipes de trabalho, ter que provar, errar e melhorar constantemente, tendo a sensação de que a casa está fora de ordem ou feita caos. Uma startup necessita de agilidade para tomar novos rumos constantemente; caso contrário, morre na praia.

2. Crescimento profissional: em uma startup não é possível falar em um limite em relação ao plano de carreira, evolução e desafio pessoal. O aprendizado é contínuo, se baseia no ato de fazer, e a realidade com constantes mudanças faz com que os desafios se renovem a cada passo. Definitivamente, não há limites para o crescimento, tudo depende das próprias ações, resultados e expectativas.

3. Horários fixos? Em uma startup desaparece a noção de “cumprir” um horário. Os prazos de trabalho, por exemplo, têm uma ordem, mas estão ligados à atitude e as capacidades. Dentro de uma startup todos fazem sua parte; cada dia conta e pode fazer a diferença entre o êxito e o fracasso.

4. O dinheiro não é tudo: obviamente a aspiração por um salário competitivo existe mas fica em segundo plano no rol das prioridades dentro de uma startup.

5. Perks (benefícios): A dinâmica de trabalho permite oferecer certas vantagens muito valorizadas neste meio, como horários flexíveis, a possibilidade de trabalhar em “home office” ou um escritório com um ambiente mais despojado. As corporações, por sua vez, oferecem outro tipo de benefícios.

6. Gerar um impacto real: uma startup nasce com a ideia de sanar um problema ou necessidade que muitas pessoas ou organizações têm. Esta acaba por ser a missão da companhia.

7. Nome próprio: ao fazer parte de uma equipe pequena, de menos de 100 pessoas, o que cada um faz ou deixa de fazer pode realmente fazer a diferença. Portanto, todos têm nome e sobrenome e um certo protagonismo a desenvolver.

8. Empreender dentro de uma startup: muitos dos que se juntam a uma startup o fazem porque querem empreender algum dia ou inclusive já fizeram. A realidade é que se juntar a uma startup já é empreender. Todas as companhias têm recursos limitados para executar e alcançar seus objetivos, mas em uma startup tal limitação é particularmente mais notória e por isso deve-se pensar em ideias bem inovadoras e diferentes

9. União em equipes: em uma startup se respira um ar de compromisso e entusiasmo. Por se tratar de equipes menores, a união e a coesão se dão naturalmente. Se trabalha em um ambiente de superação continua que envolve uma entrega de 110%. E, através desta dinâmica, todos ensinam a todos.

10. Formar uma cultura: a cultura de trabalho é formada em equipe de maneira horizontal. Não resulta de uma estrutura vertical, onde as ações e costumes da equipe vêm especialmente dos integrantes de hierarquias superiores e dão um rumo ao estilo de trabalho e aos valores da empresa.

Tags, , , , , , ,

Conheça as 8 ferramentas mais populares para cobrar por suas vendas online de forma segura

Por José Abuchaem Diretor de Marketing da Nuvem Shop

O comércio eletrônico revolucionou o mercado. A cada dia, ganha mais adeptos interessados em comprar no conforto do lar, com a facilidade de interfaces intuitivas e elaboradas. Uma única questão, contudo, ainda gera certa insegurança nas pessoas: o pagamento.
Afinal, como cada ferramenta funciona? Como administrador de um negócio online, você precisa estar por dentro desse tema e oferecer a opção mais segura e prática ao cliente e ao seu caixa.
Muitas das plataformas que dão suporte as lojas virtuais, oferecem integração com varias ferramentas ao mesmo tempo. Esse é o caso da Nuvem Shop por exemplo.
Neste artigo, trazemos algumas informações para que você entenda melhor os serviços e faça sua escolha com mais tranquilidade.

Algumas das ferramentas mais utilizadas no Brasil

Cielo

Considerada uma adquirente por fazer a conexão diretamente com as bandeiras de cartão, a Cielo é uma das plataformas mais populares do Brasil e oferece planos a partir de R$ 59,90 mensais.
O dinheiro das vendas feitas no débito é contabilizado em até um dia útil (com taxa de 2%), enquanto o das vendas em crédito leva até 31 dias corridos (com taxa de 2,5%).
O serviço não tem limite de vendas ou valores e conta com um monitoramento constante para evitar fraudes.

Moip

O Moip, por sua vez, atua como um facilitador de pagamento: coordena todas as transações de forma integrada e com checkout transparente, o que impacta diretamente na conversão dos visitantes.
Para compras no cartão de crédito, são cobrados uma taxa de 5,49% e R$ 0,69 por transação (ou 4,59% + R$ 0,69 se você usa a Nuvem Shop). Para boleto e débito online, os valores mudam: taxa de 3,49% e R$ 0,69 por transação (ou 2,39% + R$0,69 para os nossos lojistas). Compras parceladas têm proporções diferentes, que você pode conferir aqui.
Os prazos para recebimento do dinheiro também variam em cada caso e, com vendas e valores ilimitados, a plataforma ainda oferece o Programa Venda Protegida de cobertura antifraude.

PagSeguro

O PagSeguro é outra alternativa facilitadora de pagamento que tem um público significativamente grande. Além de cartões de crédito, débito e boleto bancário, também aceita vendas pagas através de depósito em conta e carteira eletrônica.
Um de seus diferenciais é a variedade de checkouts; você pode escolher entre três padrões diferentes de acordo com a necessidade de seu e-commerce: Padrão, Lightbox (janela interna) e Transparente (integrado).
O prazo para recebimento do dinheiro é de 30 dias, o valor fixo por transação é de R$ 0,40 e a taxa é de 3,99% em compras à vista ou parceladas.

PayPal

Outro intermediador de pagamento bastante popular e eficiente é o PayPal. Trabalha exclusivamente com cartões de crédito e débito em conta de bancos específicos, mas compensa essa “limitação” com a possibilidade de vendas internacionais, pouco comum entre os concorrentes.
Para transações à vista no Brasil, as taxas são de 4,99% mais R$ 0,60 (ou 3,99% + R$0,40 para quem usa a Nuvem Shop). Já as vendas a prazo contam com 2,39% em cada parcela. Em negociações para o exterior, há uma tarifa fixa de acordo com cada moeda e uma porcentagem de 5,99%.
O dinheiro é disponibilizado em sua conta PayPal dentro de 24 horas, ou em sua conta bancária em até três dias úteis. Se quiser, você ainda pode usar esse saldo para comprar produtos através da própria plataforma.

MercadoPago

O MercadoLivre é um excelente serviço de vendas, e integrá-lo à sua loja virtual traz diversos benefícios. Seu facilitador de pagamento próprio, o MercadoPago, também se mostra bastante eficiente.
Com taxas de 4,99% sobre cada transação, você permite que seus clientes parcelem as compras em até 24 vezes. Em até 14 dias após a comprovação do pagamento, o dinheiro é depositado em sua conta.
Para quem também usa o marketplace, contudo, não há custos e o saldo se atualiza apenas quando o consumidor e o lojista (você) qualificam a compra. O serviço conta ainda com um sistema completo de segurança, que garante acompanhamento 24 horas por dia e oferece o Programa de Proteção ao Vendedor.

DinheiroMail ou PayU

A PayU (antigamente conhecida como DinheiroMail) é outra boa opção facilitadora de pagamento. Seus principais destaques são a disponibilidade para sete países diferentes da América Latina e o Módulo Antifraude, que previne golpes e furtos.
Possui dois planos: o para lojistas de e-commerce iniciantes (com taxas de 3.99% mais R$ 0,39 por transação) e o avançado, com pagamento em um clique e outros recursos adicionais. O dinheiro das vendas é creditado em até 48 horas úteis.
Não há limite de transações, mas aquelas feitas através de boleto bancário devem ter valor entre R$ 10 e R$ 5000.

BCash

Outro facilitador de pagamentos eficiente e popular é o Bcash. Permitindo apenas vendas em território nacional, o serviço conta com taxas a partir de 4,95% para as mais diversas formas de pagamento e também possibilita o parcelamento em até 24 vezes.
O dinheiro pode ser retirado depois de 14 dias úteis e o primeiro saque de cada mês é gratuito, enquanto os outros custam R$ 2,50. Contas verificadas não têm limite de vendas ou valores, mas as não validadas permitem até R$ 1000 (versão pessoal) ou R$ 2000 (versão empresarial).
Você ainda conta com a ferramenta antifraude Fcontrol e pode escolher o plano mais adequado para a realidade do seu negócio.

Itaú Shopline

O Itaú, sendo um dos principais bancos do Brasil, também desenvolveu seu próprio facilitador de pagamento: Itaú Shopline. As vantagens de ter uma conta corrente e utilizar esse serviço em seu e-commerce é o controle através do Itaú Bankline Empresa, com funcionalidades e informações bastante úteis.
Além disso, você facilita a compra para seus clientes que usam o banco, permitindo que paguem pelas compras à vista por transferência ou através de boleto bancário, cartão de crédito Itaucard e financiamento por crediário automático.
As taxas e prazos variam de acordo com o seu contrato, portanto, vale a pena conversar com o seu gerente.

Tags, , , , , , , , , ,

6 dicas simples para montar uma estratégia de vídeos no seu e-commerce

O e-commerce está na sua melhor fase. É fato que já é um negócio multidispositivo e que milhões de transações são concretizadas por meio de smartphones.

Mesmo assim, as conquistas não passam por aí: websites, redes sociais e aplicativos fazem parte do cenário atual e o novo potencial está no vídeo. O auge mundial do formato do Snapchat, YouTube, Instagram, entre outras plataformas, é apenas um indício disso.

Os vídeos em páginas de e-commerce aumentam significativamente as chances de vendas. Segundo um estudo recente realizado pelo Liveclicker, as lojas online que contam com vídeos vendem cerca de 80% a mais e têm a oportunidade de aumentar o valor do produto em até 50%.

Agora, como começar a usar o vídeo em um e-commerce?

A plataforma Nuvem Shop recomenda 6 usos básicos do vídeo para que pequenas e grandes lojas virtuais possam utilizar este recurso e aumentar sua visibilidade e vendas.

Fazer vídeos de produto: é fundamental que os clientes possam conhecer os produtos e suas características. Uma boa maneira de chamar a atenção é incluir humor e diversão no roteiro. Com este formato bem implementado, é possível atrair mais atenção.

Criar vídeos tutoriais: os tutoriais em vídeo ajudarão os clientes a tirar maior proveito do produto. Além disso, permitem que eles sanem suas duvidas e tenham suas expectativas correspondidas. Esse tipo de vídeo acaba sendo uma ótima ferramenta de atenção ao cliente.

Implementar vídeos promocionais: está chegando alguma data especial? Essa categoria de vídeo permite atingir o emocional dos clientes e motivar sua intenção de compra.

Contar histórias em vídeo: o vídeo tem potencial de viralizar e aumentar a credibilidade de uma loja. Então, que tal contar a história dos criadores de uma marca por meio deste recurso audiovisual? Aqui um exemplo de uma página com vídeos dedicados a contar as histórias de sucesso dos clientes. Você pode usá-los como referência.

Educar em vídeo: dependendo do seu negócio, vídeos que eduquem sobre o mercado podem criar um maior vínculo com o cliente. O formato de vídeo é utilizado frequentemente para transmitir dicas, novidades e tendências do e-commerce, por meio de entrevistas com profissionais, aulas ou vídeos com dicas rápidas.

Agregar qualidade e efeitos: vídeos com apresentador, narrações em off e imagens profissionais garantem ainda mais confiança ao produto. Uma boa câmera HD (presente na maioria dos smartphones), luz – indispensável para destacar os pontos fortes do produto – , tripé – para demonstrar diferentes perspectivas – e som – pode ser necessário um microfone -,cuidando para que o espaço onde se filma seja silencioso e se possa registrar e ouvir com clareza as informações.

Essas foram 6 dicas simples da para montar uma estratégia de #VideoRevolution. Agora, mãos à obra!

Tags, ,