Tag Mozilla

Mozilla debate o poder da Internet em São Francisco

Em junho, a Mozilla executou várias ações de alto nível para chamar a atenção do público para os problemas que a Internet enfrenta, quando se trata de uma ameaça existencial: ataques da FCC à Neutralidade da Rede.

Na última semana do mês, a Mozilla apresentou o debate Noite para a Saúde na Internet – uma noite especial para celebrar as pessoas e ideias que fazem nosso maior recurso global, a Internet, uma força tão transformadora para o mundo.

O evento aconteceu no Centro SFJazz e contou com música, filmes e histórias de um grupo diversificado. Os palestrantes e artistas foram: Sens. Franken e Wyden, DeRay McKesson, Lauren Duca, Moshe Kasher, Neko Case e muito mais.

A Mozilla também está lançando o IRL, um podcast que descompactará a dinâmica complicada entre nossas vidas on-line e off-line. Comando pela personalidade Veronica Belmont, influenciadora do meio online, o programa abordará vários problemas que afetam a web – desde a alfabetização na web até a privacidade e a descentralização.

No setor de tecnologias emergentes, os dispositivos habilitados para voz representam o futuro da Internet, mas muitas pessoas ao redor do mundo não podem acessá-las porque não reconhecem muitos idiomas. Uma Internet saudável depende de todos ter acesso, por isso é fundamental que criemos uma ferramenta que permita a todos contribuir com isso. É por isso que a organização criou a Common Voice, uma ferramenta revolucionária que as pessoas podem usar para integrar a voz nas aplicações diárias. Este é o primeiro aplicativo crowdsourcing como esse.

Do lado do navegador, o Firefox não é apenas novo e melhorado; É também um dos melhores exemplos do que as comunidades de código aberto podem criar para a web. O Firefox representa Internet Health, oferecendo ferramentas de usuários como Do not Track e outras proteções de privacidade avançadas. Ao contrário de outros navegadores, o Firefox apenas rastreia informações mínimas do usuário, colocando sua privacidade com lucro.

Tags, ,

Hackathon da Mozilla reforça a importância da saúde da Internet

O Global Sprint da Mozilla acontece nos dias 1 e 2 de junho de 2017 em mais de 20 países, incluindo o Brasil. É um evento público internacional que representa uma oportunidade de dinamizar projetos de código aberto com novos insights e contribuições de todo o mundo. Nos últimos anos, centenas de pessoas em mais de 35 cidades participaram do hackathon.

O evento tem como objetivo incentivar a construção de projetos em prol de uma Internet mais saudável, de forma colaborativa e divertida. Além disso, reúne on-line uma rede diversificada de cientistas, educadores, artistas, engenheiros e outros interessados para inovar e ajudar a combater notícias falsas, capacitar as pessoas para proteger sua privacidade on-line e criar uma Internet mais saudável.

“Iniciativas como essas nos fazem ver e entender a forma que cada um enxerga a Internet e como pretendem fazer dela algo mais inclusivo”, exalta Geraldo Barros, Mozillian. “Além disso, é uma oportunidade de pessoas de todo o mundo participar de projetos abertos ou mostrar seus projetos abertos e obter ajuda em seu desenvolvimento baseados nos princípios do trabalho aberto que é o core/núcleo da Mozilla e neste mesmo tempo as pessoas tem oportunidade de aprender os conceitos básicos de participação, colaboração e compartilhamento em projetos conduzidos pela comunidade.”

Nesta quinta-feira e sexta-feira, a Mozilla realiza um hackathon gigante a fim de alimentar a rede de pessoas que estão lutando para tornar a web um lugar mais seguro e inclusivo. Na sexta-feira, 2, ele acontecerá presencialmente no Google Campus (Rua Coronel Oscar Porto, 70 – Paraíso) das 9h às 17h. Inscrições: geraldobarrosinbox@gmail.com.geraldobarrosinbox@gmail.com

Tags, , , ,

Projeto brasileiro vence como Solução Original no Equal Rating Innovation Challenge

Lançado em outubro de 2016 pela Mozilla, o Equal Rating Innovation Challenge anuncia hoje, 29, os vencedores das três categorias: Melhor proposta (métrica-chave: escalabilidade); Melhor finalista geral; e, Solução Original (métrica-chave: alto potencial de retorno). Entre os ganhadores, o projeto brasileiro CooLab – Cooperativa de Redes Livres -, liderado por Bruno Vianna, ganhou como Solução Original (alto potencial de retorno). O projeto, que surgiu da necessidade de se criar um modelo mais sustentável para financiar projetos comunitários de telecomunicações, fomenta a instalação de redes de acesso à internet pelas comunidades, que depois retornam o investimento através de taxas de cooperação, co-criando conhecimento e respeitando as culturas locais.

“Participar do desafio foi uma experiência de aprendizagem fantástica, com grande apoio da equipe da Mozilla e muitas oportunidades de conexões em Nova York. Estamos honrados por termos sido escolhidos e o resultado representou um grande passo, pois com o prêmio, pretendemos dar início a uma operação experimental, publicando uma chamada aberta para novas redes comunitárias de todo o país, procurando novos fundos para atingirmos nosso principal objetivo: a sustentabilidade”, relata Bruno.

Focado na identificação de novas soluções criativas para conectar os desconectados, as soluções podiam variar de produtos de consumo e novos serviços móveis, novos modelos de negócios a propostas de infraestrutura.

A chamada pode ser encontrada no site do projeto: www.coolab.org

unnamed (30)

Tags, , , ,

Começa hoje, em Londres, a 7ª edição anual do MozFest, realizado pela Mozilla

Com milhares de visitantes vindos de 50 países todos os anos, o MozFest é considerado evento obrigatório para o movimento pela Internet aberta e gratuita. Durante este último fim de semana de outubro, os participantes poderão participar de diversas atividades e compartilhar ideias durante as palestras. Além de poderem participar de um playground para entusiastas do mundo on-line, aficionados por Internet e tecnautas a favor do código aberto, acontece também uma hackatona, brainstorming coletivo de mentes criativas.

Diversidade e inclusão são valores centrais na concepção do MozFest. Durante o final de semana, os visitantes terão acesso a mais de 400 sessões interativas e internacionais com duração entre 30 e 90 minutos, sendo muitas delas apresentadas em inglês. No entanto, pela primeira vez na história do evento, haverá sessões disponíveis em espanhol, francês, alemão, árabe, lituano e japonês.

Com a função de incubadoras de ideias, as sessões permitem que os participantes se juntem a especialistas em tecnologia e tirem seus projetos do papel. Na verdade, muitos projetos da Mozilla nasceram no MozFest, incluindo o Lightbeam, complemento do Firefox que permite visualizar os sites primários e de terceiros com os quais interagimos na Web, e o pacote gratuito e de código aberto de ferramentas de aprendizado da Mozilla, que ensinam o usuário a ler, escrever e participar ativamente da vida on-line.

Cinco temas, dez espaços

Este ano, o MozFest se concentrará em cinco temas cruciais para a Web aberta e gratuita:

• Segurança e privacidade on-line: discute como podemos compreender e controlar o uso e a coleta dos nossos dados. O que devemos fazer para assegurar maior propriedade sobre nossas identidades digitais?

• Inovação aberta: reflete sobre como podemos garantir que o acesso livre continue sendo o princípio central da Internet. Códigos e padrões abertos significam que qualquer um pode criar e inovar na Internet, sem a necessidade de permissões.

• Descentralização: indica que os dispositivos e plataformas que usamos podem trabalhar em colaboração por serem baseados nos mesmos padrões. Assim, informações e conteúdo fluem livremente e garantem uma melhor experiência on-line.

• Alfabetização web: faz referência às habilidades necessárias para participar do mundo digital. Elas permitem que as pessoas criem, definam e defendam a Web.

• Inclusão digital: determina que todos podem participar do mundo digital. Muitas pessoas ainda são excluídas da Internet aberta e gratuita e queremos acabar com isso.

Esses temas serão discutidos em 10 espaços, onde ocorrem workshops, demonstrações, discussões, instalações interativas e sessões colaborativas. Entre os tópicos estão Cultura e Arte Digital, Jornalismo, Ciência Aberta, Open Badges, Fuel The Movement (reforma de direito autoral da União Europeia), Tradução e Localização, Zona Jovem, Desmistificação da Web, Dilemas em Espaços Conectados e a exposição de arte digital MozEx.

Sete atividades imperdíveis do MozFest

Com mais de 400 sessões a escolher e uma excelente série de palestras, é fácil encontrar inovação, conversas inspiradoras e colaboração criativa em qualquer canto do festival. Confira abaixo sete atividades imperdíveis:

• Acessibilidade: nós da Mozilla acreditamos que a Web deva ser acessível a todos, em qualquer lugar em que haja conexão com a Internet. A11y é um numerônimo amplamente conhecido na Web que faz referência à interação entre seres humanos e computadores, especificamente à acessibilidade de pessoas com deficiência. Nossos colegas do #A11yHacks, Carousel, Drake Music e Shapearts, explorarão questões relacionadas à acessibilidade durante o MozFest.

• Instalações interativas: a agência de designs criativos TODO (responsável pelo Codemoji) exibirá instalações interativas e educacionais relacionadas aos cinco temas da Mozilla, oferecendo diferentes perspectivas na Web.

• Realidade virtual: prefere a realidade virtual à vida real cotidiana? Sem problemas. As ferramentas A-Frame e A-Painter da Mozilla estarão presentes para que os visitantes naveguem por mundos virtuais e criem experiências de realidade virtual.

• Série inaugural de palestras: grandes nomes subirão aos palcos na seção “Diálogos + Debates” para discutir os principais problemas enfrentados na Web e pela sociedade nos dias atuais. Assista às falas de pesquisadores especializados em vigilância e discriminação, experts em tecnologia dedicados à garantia da liberdade de expressão e repórteres envolvidos na cobertura da guerra civil na Síria realizada pelo jornalismo aberto. Confira os palestrantes aqui.

• O futuro da Web: a Internet não é mais definida por telas e teclados — ela está cada vez mais ao nosso redor. É essencial garantir a manutenção do caráter aberto e gratuito da era do desktop às inovações, sejam elas a realidade virtual ou wearables inteligentes. Por essa razão, exploraremos a ética da Internet das Coisas (IoT) no novo espaço Dilemas em Espaços Conectados.

• MozEx: uma exposição de arte digital que explora as conexões entre arte, sociedade e mundo digital. Criada por artistas individuais e curada pelos museus Tate e Victoria & Albert, ambos de Londres, a exposição destaca o valor da arte na sociedade por meio da alfabetização Web, inclusão e acessibilidade digitais, privacidade, políticas e hacking.

• Reforma do direito autoral na UE: a União Europeia oferece uma oportunidade única de reforma das leis de direito autoral a fim de expandir a criatividade e a inovação. Participe de instalações de arte interativas, workshops práticos e debates enriquecedores para descobrir o que você pode fazer a respeito.

O ingresso mais desejado deste fim de semana

A Mozilla convida a todos a participarem do MozFest, independentemente de onde moram, background e nível de experiência. A inscrição é rápida e fácil. Os ingressos custam a partir de £3 (aproximadamente R$11,50) para jovens e £45,00 (aproximadamente R$ 173) para adultos. Os ingressos podem ser comprados antecipadamente on-line.

A MozFest 2016 acontece em Ravensbourne, uma universidade cuja missão é aplicar criativamente a tecnologia digital para design e comunicação.

Tags,

Carta aberta ao CEO da Microsoft: Não retroceda quanto à escolha e ao controle

Satya,

Estou escrevendo para falar com você a respeito de um aspecto muito preocupante do Windows 10. Especificamente, pelo fato de que a experiência da atualização parece ter sido projetada para renegar a escolha que seus clientes têm feito sobre a experiência de Internet que eles querem ter, e substituí-la com a experiência de Internet que a Microsoft quer que eles tenham.

Quando vimos pela primeira vez a experiência do upgrade do Windows 10 que tira a escolha dos usuários, ignorando de fato suas preferências já existentes para o navegador da Web e outros aplicativos, entramos em contato com a sua equipe para discutirmos este assunto. Infelizmente, não houve nenhum resultado nem qualquer progresso significativo, por isso, o motivo desta carta.

Compreendemos que ainda é tecnicamente possível preservar as configurações e padrões anteriores dos usuários, mas o design de toda a experiência de upgrade e as APIs das configurações padrão foram alteradas para tornar isso menos óbvio e mais difícil. Agora é necessário mais do que o dobro de número de cliques, rolar através de conteúdos e alguma sofisticação técnica para as pessoas reafirmarem as escolhas que tinham feito previamente em versões anteriores do Windows. É confuso, difícil de navegar e fácil de se perder.

A Mozilla existe para oferecer escolhas, controle e oportunidades para todos. Criamos o Firefox e outros produtos por esta razão. Por isso também construímos a Mozilla como uma organização sem fins lucrativos. E trabalhamos para que a experiência com Internet, além de nossos produtos, represente esses valores o máximo que podemos.

Às vezes vemos grande progresso, quando produtos de consumo respeitam os indivíduos e suas escolhas. Com o lançamento do Windows 10, contudo, estamos profundamente desapontados ao ver a Microsoft dar um passo tão dramático para trás.

Essas mudanças não nos trazem inquietações porque nós somos a organização que faz o Firefox. Eles trazem inquietações porque há milhões de usuários que gostam do Windows e que estão vendo suas escolhas serem ignoradas, além de porque há um aumento da complexidade colocado no caminho de todos se e quando eles quiserem fazer uma escolha diferente do que o que prefere a Microsoft.

Nós pedimos fortemente que você reconsidere sua tática de negócios nesse caso e, mais uma vez, respeite o direito de escolha das pessoas e o controle de suas experiências online, tornando mais fácil, óbvio e intuitivo para as pessoas manter as escolhas que eles já fizeram por meio deste upgrade. Deve ser mais fácil para as pessoas declararem novas escolhas e preferências, não apenas para outros produtos da Microsoft, através das APIs das configurações padrão e interfaces de usuário.

Por favor, dê a seus usuários a escolha e o controle que eles merecem no Windows 10.

Chris Beard
CEO, Mozilla

Tags, , ,

Firefox para Android ultrapassa 100 milhões de downloads

A Mozilla está orgulhosa em anunciar que a versão para Android do Firefox acaba de ultrapassar a marca de 100 milhões de downloads na Google Play e vem recebendo avaliações dos usuários acima de 4 estrelas. Com personalização, fácil configuração de pesquisa e compartilhamento adaptável, além de tutoriais de privacidade e painel de complementos na página inicial, o navegador da marca cria uma experiência de uso que ultrapassa a simples navegação. Isto tudo para permitir que os usuários tenham maior flexibilidade e controle de suas vidas online.

O Firefox para Android é o navegador móvel disponível atualmente com maior nível de customização e conta com uma grande quantidade de recursos para proteger a privacidade online e agilizar o acesso aos conteúdos favoritos dos usuários. O objetivo da Mozilla sempre foi entregar um produto que as pessoas amassem e que refletisse seus valores, que são promover a abertura, inovação e oportunidades na web. Ao escolher e usar o Firefox como o navegador padrão no Android, os usuários estão reforçando essa missão e incorporando a cultura da Mozilla como parte de suas vidas digitais.

“Criamos a versão móvel do nosso navegador para o Android visando permitir que o usuário tivesse o poder do Firefox em qualquer lugar. Não chegaríamos aqui o apoio dessas pessoas. Agradecemos a todos que fizeram a experiência Android possível e aos usuários que nos ajudam a trazer novos recursos para mais pessoas a cada dia”, comemora Karen Rudnitski, gerente de produto sênior para o Firefox Mobile.

Em comemoração aos 100 milhões de downloads, a organização listou os 10 fatos mais importantes que ajudaram a moldar a versão do Firefox para Android:

– 29 março de 2011: lançamento do Firefox para Android com o Firefox Sync para integrar a experiência entre qualquer dispositivo ou plataforma.

– 26 de junho de 2012: versão para Android ganha atualização dinâmica para acesso à Web mais rápido e recurso “Do Not Track” para aumentar a privacidade.

– 19 fev 2013: Firefox disponibiliza temas leves para o Android e oferece maior personalização do navegador.

– 17 de setembro de 2013: QuickShare é lançado para o Firefox no Android para conferir mais opções de compartilhamento de conteúdo web nas redes sociais.

– 29 de outubro de 2013: Firefox para Android se torna o primeiro a introduzir o Guest Browsing para fornecer recursos de privacidade adicionais.

– 07 de novembro de 2013: Firefox para Android passa a ser pré-instalado no Kobo Arc Tablets e smartphones Gigabyte GSmart Simba SX1.

– 10 de dezembro de 2013: Firefox para Android introduz novos recursos de personalização do histórico, Top Sites, favoritos, lista de leitura e páginas de tela inicial, permitindo acesso facilitado aos conteúdos que o usuário deseja ver.

– 14 de outubro de 2014: Mozilla lança uma maneira rápida e fácil de enviar vídeos do Firefox para Android direto para a TV por meio de streaming através do Roku e Chromecast.

– 10 de novembro de 2014: Mozilla incorpora o DuckDuckGo como uma opção de pesquisa pré-instalada.

– 9 de abril de 2015: Firefox para Android ultrapassa 100 milhões de downloads.

Tags, ,