Tag moda

Consumidores estão exigindo embalagens mais sustentáveis no e-commerce de moda

Uma nova pesquisa conduzida pela Smurfit Kappa, líder global de embalagens, revela que os consumidores estão exigindo embalagens mais sustentáveis ​​das marcas antes de realizarem compras online de moda. Esta pesquisa foi conduzida em quatro países europeus e apontou que 41% deste público se tornou mais consciente ecologicamente ao realizar as últimas compras desde o início da pandemia.

A pesquisa conduzida na Alemanha, Irlanda, Holanda e Reino Unido revelou também que quase metade dos consumidores compram itens de moda online uma vez por mês ou mais, refletindo uma popularidade crescente entre os compradores do sexo feminino (44%) e do masculino (43%).

Os consumidores estão agindo

Os consumidores estão fazendo escolhas conscientes quando se trata de compras de moda online, indicando que tomaram medidas nos últimos seis meses para garantirem que suas aquisições sejam o mais ecologicamente consciente possível.

A pesquisa demonstrou que:

• 23% dos consumidores de moda pesquisaram uma marca online para avaliar seu nível de sustentabilidade;

• 35% deles afirmou que não faria uma compra online de uma empresa de moda se descobrisse que sua embalagem não era ecológica

• 23% dos entrevistados recompraram de uma marca de moda com base em suas credenciais de sustentabilidade

Segundo Arco Berkenbosch, VP de Inovação e Desenvolvimento da Smurfit Kappa: “Os consumidores desejam que as marcas de moda online ajam com responsabilidade e considerem os impactos sociais e ambientais de seus negócios. As marcas de moda, inclusive todas as marcas, precisam se adaptar às demandas dos consumidores sobre sustentabilidade ou correm o risco de perderem os clientes. “Vale destacar ainda que nos quatro mercados pesquisados, o sentimento do consumidor e o foco na sustentabilidade são consistentes, destacando seu anseio de que as marcas devem continuar a priorizar e se comprometerem a melhorar suas práticas de sustentabilidade, mesmo durante a atual crise econômica.”


1. Consumidores de moda online são definidos como entrevistados que compraram itens de moda online uma vez por mês ou mais. Os consumidores gerais referem-se à amostra representativa natural pesquisada de cada mercado.Os consumidores estão ávidos para aprenderem mais

No entanto, os compradores de moda online estão enfrentando obstáculos quando se trata de fazer uma escolha sustentável. A pesquisa constatou a falta de informações acessíveis (34%), a falta de opções sustentáveis ​​(32%) e o custo (30%) como as principais barreiras para que ele atue de forma mais sustentável ao fazer compras online. Mais da metade dos entrevistados (57%) disseram que gostariam de ouvir mais sobre os esforços dos varejistas de moda online para serem sustentáveis ​​nas embalagens. Isso destaca o nível de influência da sustentabilidade no comportamento de compra dos consumidores e como os esforços das marcas podem ampliar ou corroer sua base de clientes.

Os consumidores estão pensando de forma mais ampla sobre a sustentabilidade de suas compras, incluindo a embalagem. Já as marcas devem repensar a sustentabilidade de suas embalagens se quiserem atender essas mudanças nas expectativas de seus consumidores.

Embalagem sustentável é uma consideração fundamental

A pesquisa descobriu que os consumidores de moda eram mais propensos a avaliarem a sustentabilidade das embalagens como um impacto positivo na impressão de sua compra em relação às técnicas tradicionais de marketing.

A maioria dos entrevistados afirmou que o uso eficiente de materiais (62%), a utilização de materiais sustentáveis ​​ (61%) e avaliar as credenciais de sustentabilidade de uma marca (56%) contribuem para uma impressão positiva de sua compra online assim que recebem a embalagem. Dois terços dos consumidores (66%) acreditam que os varejistas de moda online são responsáveis ​​por garantirem que suas embalagens sejam sustentáveis.

e-Commerce Fashion Portfólio

Em resposta ao crescimento contínuo do e-commerce e as expectativas do consumidor, a Smurfit Kappa expandiu sua gama de embalagens sustentáveis ​​projetadas para o mercado de varejo eletrônico de moda.

Com mecanismos de design inovadores que permitem fácil abertura e selagem nas devoluções, o e-Commerce Fashion Portfólio oferece uma ampla gama de soluções de embalagem flexíveis e com design diferenciado para produtos de todos os formatos e tamanhos. Ele são monomateriais e facilmente recicláveis ​​e biodegradáveis. Totalmente desenvolvido em papel, este portfolio oferece uma alternativa responsável às marcas à medida que a conscientização do consumidor e as preocupações com o desperdício de embalagens continuam crescendo.

“Os resultados apontam que a embalagem pode ter uma grande influência sobre os clientes e suas decisões de compra, tanto na oportunidade de fidelidade à marca para empresas que priorizam a sustentabilidade quanto as consequências potenciais para as companhias que não o fazem”, afirma Berkenbosch.

“Estamos trabalhando com nossos clientes de moda online para desenvolvermos soluções inovadoras de embalagens sustentáveis, ​​que se adequem ao formato de cada item, que protejam o produto durante o transporte, mas também se conectem com o consumidor quando ele chegar. Se quisermos reduzir o nível de resíduos de embalagens que não são sustentáveis, todos nós, incluindo as marcas, os consumidores e os fornecedores de embalagens, temos que trabalhar juntos para ter um impacto real”, conclui Berkenbosch.

Varejo Online de Moda no Brasil

Com a pandemia do Covid-19, o e-commerce no Brasil atingiu altos patamares assim como no mundo inteiro. Como as lojas físicas que estavam fechadas durante este período, o Varejo Online de moda não ficou atrás.

De acordo com um estudo realizado pela Conversion, consultoria de performance&SEO, que analisou o tráfego de mais de 200 maiores sites do Brasil, em 15 categorias, o setor de Moda e Acessórios obteve um crescimento de 65,52% durante a pandemia (jul – fev/ 2020).

“Todos os dados obtidos com a pesquisa e-Commerce Fashion Portfólio que realizamos demonstram que os consumidores estão cada vez mais conscientes ao optarem não apenas por produtos e serviços que sejam eticamente sustentáveis, mas também estão preocupados com toda cadeia de produção, inclusive as embalagens”, afirma Manual Alcalá, CEO da Smurfirt Kappa.

“No Brasil, tivemos um incremento do 1º para o 2º trimestre, de 148%, impulsionado, principalmente, pelos clientes dos segmentos de varejo e bebidas e agora estamos também conduzindo projetos para empresas do segmento de moda, que também tiveram um crescimento expressivo neste período e estão acelerando a venda por canais digitais de forma a transmitir uma experiência que o consumidor teria na loja física na sua casa por meio da embalagem”, complementa.

Tags, ,

Aramis lança iniciativa voltada para startups

No mercado de moda masculina há 20 anos, a Aramis inova constantemente e se mantém conectada às novas demandas do homem e da moda masculina contemporânea. Atenta a isso, a marca acaba de lançar o AramisLab, espaço focado 100% em inovação e conduzido por um time multidisciplinar, que busca soluções disruptivas para evolução de todo o negócio da companhia e, com soluções pioneiras e eficientes.

Para as startups interessadas em participar do AramisLab, basta acessar o link aramislab.com.br e preencher os dados solicitados. As informações serão analisadas pelo comitê de inovação da marca, composto pelo CEO, Richard Stad; gestores das áreas de Planejamento e TI, e pelo consultor de inovação, Doc Luz, com feedback posterior e agendamento de pitch entre os selecionados, na Digital House/SP.

Os projetos aprovados contarão com a mentoria do time Aramis, estrutura física para desenvolvimento da ideia, além da utilização da plataforma da empresa para ganho em escala e possibilidade de investimento da companhia.

Tags, , ,

COUROMODA 2018: fórum destaca inovação e moda na era digital

Neste terceiro dia do Fórum Couromoda/São Paulo Prêt-à-Porter, que acontece junto à COUROMODA 2018, o mais importante evento do setor calçadista brasileiro, especialistas de diversas áreas falaram sobre tecnologia e inovação no mercado de moda na era digital.

A abertura da agenda do dia ficou a cargo de Maurício Di Bonifácio, sócio-diretor da Fast Channel, empresa de tecnologia focada no aumento da vendas digitais, que abordou o tema “E-Commerce B2B: Digitalização e expansão do canal de venda B2B da indústia”. O especialista deu dicas de como a indústria e o varejo do calçado e da moda podem se reinventar, usando o canal digital como ferramenta de venda e de relacionamento comercial. “Comparado ao mercado internacional, o e-commerce B2B no Brasil ainda está engatinhando. Porém, essa é uma solução que ajudará no relacionamento com o cliente, atendendo-o na hora que ele necessita. Além disso, refletirá no desempenho de captação de novos clientes, ampliará a cobertura geográfica de atendimento, aumentará a participação dos produtos com maior margem e vai permitir o atendimento de pequenos pedidos”, comenta Maurício.

Na sequência, Rodrigo Valente, especialista em comunicação, gestão empresarial e consultor da 818 Consultoria, apresentou a palestra “Economia de atenção e gamificação para o setor de calçados”. Valente mostrou que vivemos um período antagônico, com uma abundância exponencial de informações e uma escassez preocupante de atenção. É neste contexto que a gamificação vem ganhando força em segmentos além do entretenimento, como na indústria e varejo. “A partir disso, será possível ver como a gamificação utiliza a mecânica, a estética e o pensamento de jogos para envolver as pessoas. Uma metodologia que se apropria de todo o processo de Game Design para propor um sistema de desenvolvimento humano e profissional que gera feedback instantâneo, propósito e interação social em contextos, como os da indústria e do varejo de calçados”, avalia o especialista.

O tema “O futuro digital”, ministrado pelo publicitário Jacques Meir, explorou cases internacionais já avançados nessa questão e desenhou um futuro 100% digital, o qual as empresas precisam direcionar esforços desde já para não desaparecerem do mundo dos negócios. “O futuro será totalmente direcionado pelo digital. O Brasil, de maneira geral, tem uma cultura muito voltada para o passado. O futuro nos assusta e encará-lo significa sair da zona de conforto para enfrentar processos de mudança. Se as empresas brasileiras não estiverem preparadas pra isso, serão atropeladas por quem estiver mais preparado”, diz Meier.

A estratégia de multicanais foi tema de Ingrid Pergentino, sócia diretora da i9Vendas, em sua palestra “Como aumentar suas vendas”. “O e-commerce é o canal que mais tende a crescer nos próximos anos e em qualquer tipo de negócio. A sua desvantagem é que, no Brasil, a Internet não é de qualidade. Por outro lado, pelo fato do celular estar à mão e, conforme as plataformas ficarem mais amigáveis, as compras e vendas serão por meio desse canal”, avalia.

Christian Tudesco, mestre em Marketing pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) e consultor empresarial nas áreas de marketing, estratégia e vendas, apresentou a palestra “Inovação, tecnologia e empreendedorismo: para onde vamos?”. Ele falou sobre o novo consumidor nessa era de informação e empreendedorismo, e convidou os participantes a realizarem uma reflexão sobre a construção e futuro dos negócios. “No passado, o poder estava nas mãos de quem tinha armamento e máquinário pesado, dinheiro e um grande número de funcionários. Hoje, o poder está nas mãos dos ‘nanos’, passando a ser mais leve, fluído, dinâmico, diminuindo distância”.

Redes Sociais criam proximidade com o consumidor

Fernando Souza, consultor e professor de marketing digital com mais de 15 anos de experiência na área, discutiu o papel das mídias sociais e sua relação com os negócios de moda. Souza explicou como as marcas podem se beneficiar das conexões entre as pessoas por meio das redes digitais para divulgar produtos e serviços, criando conteúdos para atrair a empatia e nutrir a audiência em perfis do Facebook e Instagram. “As redes sociais não podem ser encaradas como canais de vendas mas como um instrumento para aproximar a marca dos consumidores. A era do ‘vender’ dá lugar a era do ‘ajudar a comprar'”, analisa.

Imagem de marca e lifestyle

Encerrando o dia, Juliana Lopes – jornalista, professora, palestrante e consultora de moda, reforçou a importância da imagem de moda para a conectar o cliente ao produto. A especialista deu dicas sobre como fazer essa imagem contextualizada na moda e no corpo para provocar ainda mais desejo no consumidor. “A moda não existe sem imagem. Essa indústria trabalha com sensações. Além do produto, vende um sonho, uma imagem, um lifestyle”, afirma.

Tags, , , , , , , , ,

Reserva e Reserva Mini são as primeiras varejistas de moda de grande porte a aceitar o Bitcoin

A partir de hoje a Reserva e a Reserva Mini, marcas de moda masculina e infantil do Grupo Reserva, passam a aceitar bitcoin como forma de pagamento em seus e-commerces: usereserva.com e usereservamini.com. Elas são as primeiras de grande porte no mercado de moda a utilizarem pagamentos com a criptomoeda.

As transações serão administradas pela Mundipagg, gateway de pagamentos que irá fazer a operação das vendas e o armazenamento dos bitcoins. De acordo com Rony Meisler, CEO do Grupo Reserva, a ideia de operar com a moeda digital vai ao encontro do que a marca busca oferecer aos clientes. “Não aceitar o bitcoin é se negar a enxergar o novo e belo lugar para onde o mundo vai. Além disso, a decisão, apesar de pioneira, nos parece quase que óbvia: sempre estivemos a serviço de nossos consumidores e as criptomoedas já são para eles uma realidade.”, conta Meisler.

A compra funcionará da seguinte maneira: quando uma solicitação de pedido em bitcoin for feita pela Reserva para a Mundipagg, automaticamente é realizada a conversão de real para bitcoin, considerando a cotação daquele momento. Este valor é retornado para a Reserva na resposta da criação do pedido, exibindo o valor da compra em bitcoin para o comprador efetuar o pagamento. Tudo isso acontece em milissegundos.

A Reserva é o primeiro e-commerce a receber pagamentos por bitcoins transacionados pela Mundipagg. João Barcellos, CEO da Mundipagg, destaca a importância da parceria para a possibilidade de novos negócios. “A Mundipagg é uma empresa que admira soluções disruptivas e, acima de tudo, acredita que pagamentos devem ser fáceis. A Reserva tem sido um grande parceiro nos últimos dois anos, e quando nos procuraram querendo inovar ao aceitar Bitcoin abraçamos a ideia”, conta Barcellos.

Tags, , , , , , , , , ,

Portal de moda inaugura marketplace Stealthelook Shop

unnamed (92)

Manuela Bordasch, Catharina Dieterich e Arthur Chini, sócios do maior portal de conteúdo de moda comprável do Brasil, inauguram marketplace com curadoria exclusiva como estratégia de posicionamento.

O trio de empreendedores une mais uma vez moda à tecnologia em novo projeto, o Stealthelook.Shop, marketplace recém-lançado que tem na curadoria impecável seu diferencial. O endereço reúne marcas e designers já consagrados, como Joulik, Abi Project e Luiza Dias 111, a alguns nomes novos e outros estreantes no universo online, como Oh Studio, August e Pretty New, em um mix de produtos descolado totalmente alinhados à imagem dos idealizadores do site.

A nova plataforma, que conta também com seção destinada a itens vintage garimpados pelo globo, emergiu da possibilidade de expansão que os sócios notaram como inerente ao crescimento do portal de conteúdo, braço já forte e consolidado da marca STL. Com 40 marcas nacionais em seu portfólio inaugural, o StealTheLook.Shop já despertou o interesse em outras centenas de nomes que aguardam para ingressar no marketplace, provando que a nova empreitada tem tudo para alçar voos altos.

Sobre o portal:

Criado em 2012, com o investimento de R$ 30,00, pelos sócios Manuela Bordasch, Catharina Dieterich e Arthur Chini o Steal The Look nasceu da vontade de aliar moda à tecnologia, possibilitando a compra imediata de todo os produtos vinculados às matérias do portal. Hoje consolidado como fonte de informação de moda rápida e descomplicada, o endereço, que é a maior plataforma de conteúdo comprável nacional, contabiliza mais de 2,2 milhões de acessos mensais e faturamento previsto de R$ 3.5 milhões em 2017, considerando o lançamento do marketplace.

Tags, , , , , , ,

Plataforma virtual de moda Stylight aponta tendências do e-commerce para o final do ano

Infográfico  - ecommerce Natal 2015-2

Tags, , , , ,

Estudo da E.life: imagens publicadas no Instagram identificam looks da Copa do Mundo

Das unhas aos animais de estimação, Buzzmonitor, ferramenta de monitoramento exclusiva da E.Life, compilou os principais assuntos e temas das fotos dos usuários da plataforma associados às hashtags look, dodia, lookdodia, unha, make e cabelo

Em tempos de Copa do Mundo de Futebol no Brasil, as cores da seleção canarinho estão nas vitrines, nas ruas, nos bares, nas escolas e também dominam o Instagram. É o que mostra o mais novo estudo da E.life, realizado com sua ferramenta de monitoramento das redes sociais, Buzzmonitor, para identificar os principais assuntos e temas das imagens publicadas pelos usuários do Instagram em relação ao visual para acompanhar as partidas – roupas, acessórios, penteados, unha e maquiagem.

O Buzzmonitor permite a indexação de dados com maior facilidade e análises mais aprofundadas e complexas que envolvam estudos de imagem e semiótica. “De acordo com um estudo recente da Forrest Research, foi constatado que o engajamento na plataforma de fotos é cerca de 60 vezes superior a do Facebook”, comenta Stefany Oliveira, executiva de desenvolvimento de negócios da E.life Intelligence. A E.Life é líder na América Latina em serviços e software para inteligência estratégica e gestão da comunicação on-line.

Para o estudo Looks da Copa do Mundo 2014 – Análise de Instagram, a E.life coletou depoimentos com as hashtags #worldcup2014, #worldcup, #copa, #copadomundo, #copadascopas, #fifaworldcup, #fifaworldcup2014, #copa2014, #brasil2014 e #brazil2014 associadas à “look”, “dodia”, “lookdodia”, “unha”, “make” e “cabelo”. Foram analisadas 958 publicações no período de 13 a 17 de junho, utilizando um filtro de língua em português – e os principais destaques foram:

Looks envolvendo roupas, unhas e maquiagens foram, nessa ordem, os 3 tipos mais publicados no Instagram.
• Nail Art: as mulheres estão caprichando nos desenhos de suas unhas, feitos pela manicure ou por elas próprias (358 posts).
• As mulheres também estão elaborando maquiagens especiais para os jogos, com sombra para olhos nas cores verde e amarela em degradê (150 posts).
• Perucas e penteados inusitados também foram usados para compor o look da torcida (49 posts). Entre os acessórios, as pulseiras apareceram com maior frequência, em variados modelos, mas também se contam colares, brincos, cachecóis e até uma mochila estampada com a bandeira do Brasil.
• O look de Claudia Leitte na abertura da Copa rendeu elogios, piadas e brincadeiras como a comparação com a Galinha Pintadinha, e também posts de lojas que comercializam produtos similares ao usado pela cantora – como brincos e anéis.

O estudo ainda destaca as três publicações que receberam mais curtidas – um post do estudante ‘luis_h’, com quase 1100 “likes”, uma publicação da ‘lorealparisbrasil’ destacando os cabelos de Jennifer Lopez, com 974 curtidas, e uma de ‘vestidosc’ com sugestões de looks para torcer pela Alemanha com estilo, com 729 likes -, e os usuários que publicaram sobre o tema com mais frequência no período.
Mais informações sobre o Buzzmonitor estão no site www.buzzmonitor.com.br, onde também é possível conhecer e usar uma versão freemium do software, primeiro web-based low cost para coletar e classificar dados em mídias sociais e interagir com utilizadores. A busca no Instagram está disponível apenas na versão paga do Buzzmonitor
Mais informações sobre a E.life: www.elife.com.br

Tags, , , , ,