Tag MCTI

Finep apresenta mudanças na concessão de crédito

A Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) divulgou sua nova Política Operacional (PO), com alterações concentradas no financiamento reembolsável concedido diretamente pela entidade vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). Um dos principais objetivos da mudança foi construir uma metodologia que permita aprimorar a seleção de planos estratégicos de inovação (PEIs) de acordo com as prioridades da agência, e com foco em inovação.

O novo modelo vai se centrar em dois eixos referenciais para a avaliação dos PEIs: grau de inovação e relevância da inovação. O primeiro levará em consideração fatores como a intensidade da inovação, a abrangência e a trajetória de inovação da empresa. O segundo terá como direcionadores a relevância do tema dentro das prioridades do setor, a relevância para a companhia e a internacionalização. Essa avaliação será o ponto de partida para o enquadramento dos planos estratégicos de inovação nas novas linhas de ação, que são três: Inovação Pioneira, Inovação para Competitividade e Inovação para Desempenho.

Em Inovação Pioneira, enquadram-se PEIs que apresentam elevado grau de inovação e de relevância para o setor econômico beneficiado. As propostas devem resultar em inovações por meio do desenvolvimento de produtos, processos ou serviços inéditos para o Brasil.

A linha Inovação para Competitividade é voltada para PEIs centrados no desenvolvimento ou significativo aprimoramento de produtos, processos ou serviços, que tenham também potencial para impactar o posicionamento competitivo da empresa no mercado.

Já na modalidade Inovação para Desempenho se enquadram as PEIs que resultam em inovações de produtos, processos ou serviços no âmbito da empresa. Esses planos se qualificam como uma iniciativa da organização de adotar uma estratégia de inovação, ainda que possam ter impacto limitado no setor econômico no qual estão inseridos. Podem ser centrados em atualização tecnológica, por meio da absorção ou aquisição de tecnologia, sendo capazes de impactar na produtividade da empresa, em sua estrutura de custos ou no desempenho de seus produtos e serviços.

Manutenção

A linha de Pré-Investimento foi mantida e, além dessas, a Finep dispõe de uma linha especial destinada a ações de interesse estratégico para o País, chamada Inovação Crítica. Esta linha se aplicará a propostas demandas pelo Governo que necessitem de desenvolvimento tecnológico para atender a prioridades nacionais.

Saiba mais em http://www.finep.gov.br/noticias/todas-noticias/5129-finep-apresenta-nova-politica-operacional-com-mudancas-no-credito

Fonte: Finep

Tags, , , , , ,

Programa Impulsiona busca soluções em inovação aberta para grandes empresas do país

Lançamento do Impulsiona, fotos:Gelson Bampi

A partir deste mês, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação lança o Impulsiona programa setorial que visa o fortalecimento da cadeia produtiva e tem o objetivo de desafiar empresas e empreendedores para solucionar questões da indústria. O projeto é uma realização do Senai PR que incentiva a inovação aberta como metodologia de engajamento e geração de novos negócios.

“Quando pessoas talentosas compartilham suas ideias criativas surgem contribuições significativas para o desenvolvimento de novos produtos. Esse programa traz uma possibilidade real de aplicação de ideias inovadoras provocando melhorias na indústria brasileira.” afirma Filipe Miguel Cassapo, Gerente de Inovação do Centro Internacional de Inovação Senai PR.

Podem participar organizações de todos os portes e diferentes áreas de atuação seja um grupo de pesquisa universitário, um empreendedor independente, uma startup ou empresas capazes de propor soluções por meio da co-criação de ideias. Basta acessar a plataforma http://www.inovemaispr.com.br/impulsiona para entender o escopo de cada desafio e enviar o projeto até o dia 31 de julho de 2015.

Nesta edição, os desafios serão lançados pelas empresas Renault, Grupo Enel, Belgo Bekaert e Label Group AM que irão avaliar a relevância mercadológica, o grau de inovação, a viabilidade técnica e econômica e a referência prévia de uso de cada projeto.

“Ações como essa contribuem para criar um ambiente de colaboração e parceria e ajudam a concretização de negócios e projetos, o que é importante para o desenvolvimento do país”, afirma o secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do MCTI, Armando Milioni.

O programa tem o apoio do Sistema FIRJAN, IEL-MG e Senai-AM que já atuam como parceiros da indústria em todo o país.

Desafio Impulsiona Renault

A Renault promove continuamente programas internos e externos que buscam aliar a inovação em seus processos auxiliando a empresa a alcançar novos patamares.

Atualmente, enfrenta um desafio de diminuição da perda de potencial produtivo e buscando solucionar esse problema lança o seguinte desafio: Como podemos otimizar por meio de um sistema Hardware + Software, a detecção de portas switchs inativas e que realize a troca para outra em funcionamento de maneira automática, sem comprometer o processo de produção?

São alguns dos requisitos técnicos: desenvolvimento de um sistema que se comunique com qualquer equipamento, tenha interface de rede, seja robusto para trabalhar em ambiente industrial com dimensões máximas de 15X15cm. As ideias aprovadas deverão apresentar um projeto, com a possibilidade de compra da tecnologia pela montadora.

Desafio Impulsiona Belgo Bekaert

No anseio em desenvolver novos mercados para as plataformas de aços de protensão e fibras Dramix®, buscar diferenciação e cooperar com a Indústria da Construção Civil, a Belgo Bekaert procura parcerias comerciais e de pesquisa e desenvolvimento.

Por isso, lança o seguinte desafio: Como podemos utilizar a solução combinada de concreto protendido e fibra de aço para a criação e/ou melhoria de performance de estruturas pré-fabricadas?

As ideias podem abranger torres eólicas, dormentes, peças delgadas como painéis e telhas, vigas especiais, postes e estacas, barreiras rodoviárias e outras aplicações. O foco é na melhoria de resistência à impacto e a fadiga, controle de fissuração, assegurando performance de utilização, mantendo ou reduzindo o custo da solução reforçada convencionalmente.

Desafio Impulsiona Grupo Enel

A Enel Brasil, empresa de energia que atua no país nos segmentos de distribuição, geração, transmissão e serviços, visa o desenvolvimento tecnológico por meio da inovação, agregando valor e gerando soluções que beneficiem a população. Neste sentido, propõe o seguinte desafio: Como podemos melhorar os nossos métodos de instalação de sistemas solares no Brasil, otimizando o tempo de instalação em 50% e reduzindo aproximadamente em 15% o custo praticado no mercado de varejo, de forma que não comprometa as construções nas quais o serviço está sendo realizado e levando em consideração que temos uma grande diversidade de telhados?

Os projetos devem abranger produto e serviço e podem ser baseadas em KIT’s existentes no mercado internacional com modelo de instalação. As ideias aprovadas deverão ser apresentadas em protótipos, com a possibilidade de compra, parceria ou incubação de startups.

Desafio Impulsiona Label Group AM

Formado por empresas especializadas em serviços de impressão, o Label Group tem em seu portfólio a confecção de adesivos à base de petróleo. No entanto, produtos desta natureza apresentam alto custo de fabricação tornando o processo de produção pouco sustentável.

Nesse contexto, o Grupo vem lançar o seguinte desafio: Como podemos substituir os adesivos à base de petróleo, através de um processo sustentável, utilizando resinas naturais encontradas na flora regional da Amazônia?

Para tanto, apontam alguns os requisitos técnicos: aderência com papel offset/couche, BOPP, PET, PE, vinil; espessura de 0,05mm e 0,10mm; temperatura mínima de aplicação -20°C; coloração transparente ou verde e fixação permanente. As ideias aprovadas deverão apresentar um projeto ou protótipo, possibilitando novas parcerias ou a compra de tecnologia.

Senai PR

Há mais de 70 anos, o Senai PR (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) atua no Paraná acompanhando as necessidades de modernização e inovação da indústria. Situado no Campus da Indústria, o Centro Internacional de Inovação articula produtos e serviços buscando o aumento da competividade de maneira estratégica, criativa, incentiva o empreendedorismo, a inovação em negócios, a gestão do conhecimento e de capital, o design, a tecnologia e a sustentabilidade.

Serviço:

Programa Impulsiona Senai PR
Centro Internacional de Inovação Senai PR
Inscrições: até 31 de julho de 2015
Informações: laura.padilha@fiepr.org.br ou (41) 3271-7563

Tags, , , , , , , , ,

Conheça as doze aceleradoras qualificadas pelo Programa Start-Up Brasil para 2015-2016

 

O Programa Start-Up Brasil, iniciativa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), com gestão operacional da Softex, acaba de selecionar as 12 aceleradoras que serão responsáveis por acelerar startups das futuras turmas do Programa, durante o período de 2015-2016. Lançado por meio da Secretaria de Política de Informática (Sepin), a terceira edição recebeu propostas até o dia 31 de janeiro e a seleção, que ocorreu no dia 25 de fevereiro, levou em conta questões como equipe e estrutura; experiência em aceleração e investimento, rede de relacionamento e alinhamento com o Programa Start-Up Brasil.

As aceleradoras qualificadas terão como responsabilidades oferecer um programa completo de aceleração, acompanhar as empresas no dia a dia, difundir e estimular a cultura empreendedora, contribuir para a inserção delas no exterior e as empresas estrangeiras no Brasil, bem como o de realizar aportes de capital de no mínimo R$ 20 mil em troca de uma participação acionária de no máximo 20%.

“Nos anos anteriores, identificamos que o tempo de validação do produto/negócio no mercado, ou seja o tempo que se leva para entender se o mercado pagará para usar o produto, foi de 31% menor entre as startups que estavam com uma aceleradora”, enfatiza Vitor Andrade, Responsável pelas Operações do Programa Start-Up Brasil. “Acreditamos que o trabalho com elas é a forma mais eficiente de fomentarmos as startups, empresas nascentes de base tecnológica e com alto potencial de crescimento, e assim contribuir para o desenvolvimento econômico e social do Brasil por meio da inovação,” finaliza.

Conheça o resultado das 12 aceleradoras qualificadas para 2015/2016:

21212 | Rio de Janeiro (RJ)
Acelera Cimatec | Salvador (BA)
Acelera MGTI, Fumsoft | Belo Horizonte (MG)
Aceleratech | São Paulo (SP)
Baita | Campinas (SP)
C.E.S.A.R. Labs | Recife (PE)
Gema Ventures | São Paulo (SP)
Jump Brasil | Recife (PE)
TechMall | Belo Horizonte (MG)
Ventiur | Porto Alegre (RS)
Wayra | São Paulo (SP)
WOW | Porto Alegre (RS)
Rede de Aceleradoras

Apesar do anúncio das 12 aceleradoras acima que farão parte da aceleração das futuras turmas, a rede não para por aí. Com esse resultado, o Programa Start-Up Brasil contará agora com 17 aceleradoras, que compreendem também a aceleração das turmas 1 a 4 e que continuam trabalhando lado a lado para que as empresas cresçam e virem grandes casos de sucesso no ecossistema empreendedor brasileiro. São elas:

1ª edição – Edital 2013, aceleradoras das Turmas 1 e 2: 21212, Acelera MGTI, Acelera Partners, Aceleratech, Outsource Brazil, Papaya, Pipa, Start You Up e Wayra.

2ª edição – Edital 2014, aceleradoras das Turmas 3 e 4: 21212, Acelera Cimatec, Acelera MGTI, Aceleratech, Baita, C.E.S.A.R. Labs, Pipa, Start You Up, TechMall, Ventiur, Wayra e WOW.

Neste edital, entraram para a lista a Jump Brasil, do Porto Digital, e a Gema Ventures. A partir de agora, um novo trabalho se inicia com as aceleradoras qualificadas para 2015/2016, mas muitas ações continuam com as que já estão rodando turmas anteriores. Importante ressaltar, ainda, que a partir da participação no Programa Start-Up Brasil, as aceleradoras se uniram e criaram a Abraii, Associação de Aceleradoras de Inovação e Investimento, que visa contribuir de forma conjunta/associada para o amadurecimento do Ecossistema Empreendedor Brasileiro.

Lista de Espera (ordem alfabética)

85 Labs, Ceará
Start You Up, Espírito Santo
Outsource Brazil, Rio de Janeiro
FabriQ, Manaus
Conheça todas as aceleradoras no site do Start-Up Brasil:

http://www.startupbrasil.org.br/quem-aceleradoras/. As novas estarão lá em breve.

 

Fonte: StartUP Brasil

Tags, ,

Empresas brasileiras voltam à CeBIT para ampliar presença nos principais mercados internacionais

Este ano, o pavilhão brasileiro na CeBIT (www.cebit.de), considerado o evento mais importante da indústria digital internacional, contará com 17 empresas integrantes do programa de internacionalização competitiva de software e serviços de Tecnologia da Informação (TI) desenvolvido pela Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro – SOFTEX (www.softex.br) em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos – Apex-Brasil (www.apexbrasil.com.br). A mostra, que terá como tema central “Shareconomy” e a Polônia como país parceiro, será realizada de 5 a 9 de março em Hanover, na Alemanha.

Um ano após sua participação histórica como país parceiro, o Brasil se apresentará novamente como uma nação inovadora, com um setor de TICs altamente flexível e orientado a serviços, e com um enorme potencial de crescimento. O objetivo é colher os resultados da projeção mundial conquistada em 2012 e dar continuidade à estratégia de consolidar internacionalmente a imagem de um país produtor de tecnologias avançadas, inovadoras e de alcance global. Embora o ciclo de venda de soluções de software seja longo, podendo superar até um ano, a SOFTEX estimou em US$ 60 milhões – para um prazo de 18 meses – o volume de negócios para as empresas integrantes da delegação que compareceu à edição 2012 da CeBIT.

“Temas atuais como mobilidade, segurança, infraestrutura, computação em nuvem, gestão do conhecimento, compartilhamento e soluções para mercados de nicho e web são familiares para as empresas brasileiras e foram incluídos no desenvolvimento de seus produtos. Estamos confiantes de que a nossa 14ª participação consecutiva na CeBIT se traduzirá em importantes contatos iniciais com potencial para se transformarem em negócios concretos, após cumprido o ciclo de maturação característico do setor”, destaca Rubén Delgado, presidente da SOFTEX.

Representando o governo brasileiro, estão confirmadas as participações de Virgílio Almeida, Secretário de Política de Informática do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (SEPIN-MCTI); e de José Gontijo, diretor do Departamento de Indústria, Ciência e Tecnologia da Secretaria de Telecomunicações do Ministério das Comunicações (MiniCom) entre os palestrantes do Fórum International Business Area (IBA).
DESTAQUES DO ESTANDE BRASIL IT+ – No estande Brasil IT+, localizado no Hall 6, as 17 empresas brasileiras inscritas para o evento apresentarão um extenso portfolio de soluções de mobilidade, RFID (Radio Frequency Identification), gestão de redes, simuladores de voo, educação, jogos e aplicações industriais e comerciais.

Integram a delegação nacional Argotechno, Arquivo Digital, Bausystems, CEITEC, Datacom, Diponto, Educandus, Eteg, Fundação Guamá, K&D – Kieling & Dittrich Tecnologia, Learn4Fun, Parque Tecnológico da Universidade do Rio Grande do Sul (UFRGS), SBPA Simuladores de Voo, SIGGA, Softexpert, STA Holding e Tecnosinos.

O CEITEC (www.ceitec-sa.com) levará para o evento produtos como CTC11002, um chip RFID LF (baixa frequência) projetado como parte de um sistema de ponta para rastrear gado, e o CTC13001, um chip RFID UHF (Ultra High Frequency) para múltiplas aplicações em logística e cadeia de fornecimento de bens, que pode ser utilizado para a identificação de bagagem aérea, produtos no varejo (supermercados, vestuário) e saúde (medicamentos e controle de pacientes). Os visitantes da CeBIT também poderão conhecer o CTC12000, um chip HF RFID (alta frequência) projetado para identificação e rastreamento de produtos perecíveis. Uma de suas possíveis aplicações é em sacos de plasma de sangue.

A Educandus (www.educandus.com.br), desenvolvedora de soluções para educação, apresentará o jogo SOS Natureza, que permite o uso de dispositivos de realidade virtual para a captura de movimentos do usuário; e o NEWTON, laboratório virtual de Física construído a partir das experiências de professores e alunos.

Os visitantes do estande Brasil IT+ na CeBIT também poderão conhecer as soluções para ensino e treinamento aeronáutico desenvolvidas pela SBPA Simulators (www.flysbpa.com.br). Destaque para o SBPA AATD Flight Simulator, uma cabine confeccionada em fibra de vidro com painel de instrumentos em escala aproximada e projetor para visualização externa. Seu software, certificado pela Federal Aviation Administration EUA (FAA), incorpora informações sobre todas as fases de voo de aeronaves como Cessna Skyhawk 172R, Arrow Piper Seneca IV e V, permitindo a visualização dos instrumentos do avião, gráficos de desempenho e mapas, entre outras informações. Em seu programa de treinamento, o sistema possibilita a simulação de falhas nos motores, instrumentos, controles manuais e danos à superfície do avião.

Já o Parque Tecnológico da Universidade do Rio Grande do Sul (UFRGS) se posicionará como um centro para a realização de projetos de cooperação internacional para pesquisa e desenvolvimento.
EXPECTATIVA DE BONS NEGÓCIOS – Estimulada pelo sucesso obtido na edição do ano passado, quando fechou um negócio no valor de US$ 250 mil com a espanhola BTG, a STA Holding (www.staholding.com) comparecerá à CeBIT pela quarta vez. “Levaremos uma nova plataforma ERP desenvolvida especialmente para a indústria de transporte de valores. Disponível em português, inglês e espanhol, ela faz toda a gestão da cadeia, traçando rotas seguras e inteligentes que podem ser alteradas após o início do serviço de transporte”, explica Luiz Pimentel, presidente da STA Holding.

Nos últimos três anos, lembra Pimentel, a companhia nunca deixou a feira sem contratos fechados. “O evento nos traz uma exposição institucional extremamente importante, ainda mais agora que estamos em busca de um parceiro europeu. Depois de abrirmos um escritório nos Estados Unidos, nosso plano de internacionalização prevê o estabelecimento de uma unidade na Europa e a CeBIT nos permite mapear oportunidades em diversos mercados da região”, ressalta.

Em sua segunda participação consecutiva na mostra, a SoftExpert (www.softexpert.com), empresa líder de mercado em soluções para a excelência na gestão, espera resultados semelhantes aos da edição de 2012, na qual firmou parceria com a alemã BCS – Business Consulting Service – para atuação na Alemanha e França.

“Com a nossa presença no evento damos continuidade às ações de expansão de nossas operações no exterior e ampliação da visibilidade de marca no mercado internacional”, destaca Marco Hintz, diretor de Desenvolvimento de Negócios da SoftExpert, acrescentando que a empresa já possui parceiros também na Espanha, Itália, Portugal, Reino Unido, Romênia e Turquia.
A INDÚSTRIA BRASILEIRA DE SOFTWARE E SERVIÇOS DE TI EM NÚMEROS – A Indústria Brasileira de Software e Serviços de TI (IBSS) é integrada por aproximadamente 73 mil empresas, em sua maioria de micro e pequeno porte.

Mesmo com um mercado interno extremamente demandante, as companhias brasileiras vêm ampliando cada vez mais a sua presença nos principais mercados mundiais. Segundo dados do Observatório SOFTEX, unidade de estudos e pesquisas da Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro, a receita líquida do país com exportação foi de aproximadamente US$ 1,9 bilhão em 2012.

Cerca de 604 mil pessoas, entre sócios e assalariados, atuam nesse setor econômico considerado prioritário pelo Governo Federal e que, de acordo com estimativa do Observatório SOFTEX, alcançará uma receita líquida de US$ 36,5 bilhões este ano.

A organização do pavilhão brasileiro na CeBIT está a cargo da SOFTSUL (www.softsul.org.br), agente SOFTEX no Rio Grande do Sul, e a participação nacional no evento conta ainda com o apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), do Ministério das Comunicações (MiniCom) e da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP).

Brasil IT+ na CeBIT 2013
Data: 5 a 9 de março – Horário: das 09h00 – 18h00
Local: Messegelände (Recinto de Feiras de Hannover) – Hall 6 – K 02 – CeBIT PRO

Tags, , , , ,

Vídeo: lançamento do Plano TI Maior

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação lançou o Programa Estratégico de Software e Serviços de Tecnologia da Informação “TI MAIOR”. A ideia é estimular o desenvolvimento do setor no Brasil. A cerimônia de lançamento aconteceu em São Paulo, nesta segunda-feira (20), e contou com a presença do Ministro Marco Antonio Raupp e dos secretários do MCTI Luiz Antonio Elias e Virgílio Almeida.

WebTv Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Tags, , , ,