Tag Jump Brasil

Jump Brasil anuncia resultado de aceleração

Foram selecionadas cinco startups de Pernambuco e uma de São Paulo

A aceleradora Jump Brasil, ligada ao parque tecnológico recifense Porto Digital, divulgou as startups escolhidas para sua primeira turma de aceleração. São cinco empresas: Teslabit, Epitrack, Archimedes, Fast e Clapme.

Para chegar ao resultado, representantes do Porto Digital, do Instituto Talento Brasil (ITB) e investidores assistiram a pitches das 14 startups pré-selecionadas. Pedro Souza, gestor da aceleradora, explica que “cada uma das empresas teve 10 minutos para falar sobre seu produto para uma banca com o time da Jump e do ITB”. Depois, os investidores sabatinaram cada equipe por mais 15 minutos.

Segundo Souza, os aspectos observados pela banca para tomar a decisão foram: a inovação da solução apresentada, o modelo de negócios, o tamanho do mercado, o retorno esperado e a capacidade de execução do time.

O gerente da aceleradora completa: “Das cinco empresas selecionadas, temos soluções que atacam mercados interessantes como o de energia, saúde, produtividade, educação e entretenimento. O destaque é para Clapme que é de São Paulo e está fazendo o movimento ‘inverso’ ao optar ser acelerada em Recife”.

Confira detalhes das empresas aprovadas:

Teslabit (Pernambuco): serviço completo de gestão energética. Fornece, em tempo real, todos os dados relativos à energia consumida.
Epitrack (Pernambuco): startup da área de saúde, como vigilância epidemiológica em dispositivos móveis, detecção digital de doenças e treinamento para epidemiologistas.

Archimedes (Pernambuco): sistema avaliativo integrado e completo para faculdades e escolas. Concentra-se no desenvolvimento de avaliações integradas e contextualizadas para direcionar o desenvolvimento do aluno e da instituição de ensino.

Fast (Pernambuco): empresa especializada no desenvolvimento de software para diversas plataformas e também em consultoria em gestão da inovação.

Clapme (São Paulo): plataforma de transmissão online de shows que tem 100 mil usuários cadastrados, dos quais 10 mil são artistas e bandas.

Sobre o Porto Digital

O Porto Digital é um dos pilares da nova economia do Estado de Pernambuco, com 200 empresas que faturaram uma média de R$ 1 bilhão (2010) e empregam mais de 6.500 pessoas. Sua atuação se dá em atividades altamente intensivas em conhecime nto e inovação, que são software e serviços de tecnologias da informação e comunicação e economia criativa, em especial os segmentos de games, multimídia, cine-vídeo-animação, música, design e fotografia, além de propaganda e publicidade.

Considerado uma referência na implementação do modelo da ‘triple helix’, o Porto Digital é fruto de uma ação coordenada entre empresas, governo e academia, que resultou, após 10 anos de sua fundação (2000), num dos principais ambientes de inovação do País.

Tags, , , , , ,

Porto Digital abre edital para aceleradora Jump Brasil

A primeira turma terá cinco empresas de base tecnológica e economia criativa, que receberão R$ 40 mil para impulsionar negócios

O parque tecnológico Porto Digital, reconhecido como um dos melhores habitats de inovação do Brasil, divulgou edital para seleção de cinco empresas para sua aceleradora. A Jump Brasil é uma parceria entre o hub recifense, o Instituto Talento Brasil e a Jereissati Participações.

As startups selecionadas passarão por um processo de aceleração realizado em cinco meses. Nesse período, as empresas receberão aporte financeiro de R$ 40 mil para a estruturação de modelo de negócios. Também é parte do programa sessões de capacitação, mentoria, consultoria empresarial, conexão com investidores e seminários. “Durante o processo, os empreendedores passarão pelas etapas de descoberta, validação e aquisição de clientes, culminando com a realização de um ‘investorsday’, quando as startups serão apresentadas aos investidores”, explica Pedro Souza, gerente de aceleração da Jump Brasil.

Para participar, as empresas devem submeter, até dia 29 de maio, o formulário disponível no site da Jump Brasil (www.jumpbrasil.com), assim como anexar um vídeo de dois minutos com apresentação e justificativa de inscrição. Os selecionados nessa etapa passarão por entrevista presencial, na sede da aceleradora. Os finalistas assinarão contratos de participação societária. “Trata-se de uma contrapartida aos recursos investidos, infraestrutura e serviços aportados. A sociedade será de 6% a 12%, a depender do estágio de desenvolvimento do negócio”, justifica Souza.

“O Porto Digital possui uma estratégia de desenvolvimento do empreendedorismo e inovação suportada por incubadoras e aceleradoras. O público-alvo da Jump Brasil são as empresas que já apresentam maturidade no seu modelo de negócios e perspectivas de atender às demandas do mercado”, comenta Francisco Saboya, presidente do parque tecnológico.

Ao todo, serão investidos R$ 20 milhões por um período de cinco anos para estruturação de startups, promoção de eventos, reforma e manutenção da estrutura física da Jump. Os recursos são oriundos do Grupo Jereissati Participações.
Desenvolvendo a Cidade

Ademais de acelerar o crescimento de startups, a Jump Brasil se propõe a contribuir para o desenvolvimento de soluções urbanas voltadas para o bem-estar social. Na chamada atual, uma das vagas será oferecida a empresa que tiver projeto dentro dos seguintes temas: mobilidade urbana, energia, poluição, sustentabilidade e segurança.

Ambiente de coworking e interação

A sede da Jump, não só oferece suporte físico para as empresas aceleradas, mas também é um ambiente de coworking, composto por 24 estações de trabalho, espaços de convivência, food service e área de exibição para 70 pessoas. A intenção é possibilitar interação entre os empreendedores, permitir que possam receber clientes, participar e realizar eventos e exibições, criar conexões e se inspirarem para desenvolver atividades em colaboração.

Tags, , ,