Tag José Roberto Marques

CONARH 2016: Coaching é a ferramenta mais eficaz em desenvolvimento de liderança

Em sua 42ª edição, o evento acontece entre os dias 15 e 18 de agosto, no Transamérica Expo Center, em São Paulo

Transformar o ambiente organizacional em um local propício ao desenvolvimento dos colaboradores e o crescimento da empresa de forma conjunta é fundamental. No cenário atual, ainda mais. Com a globalização, a tecnologia, o imediatismo e a concorrência cada vez maior, alcançar e manter um lugar de destaque no mercado torna-se um desafio diário

É notório que conduzir uma equipe não é algo fácil. Afinal, para desempenhar a liderança são necessárias competências técnicas e comportamentais para levar pessoas de personalidades únicas a se comprometerem com a organização e, consequentemente, atingirem ou mesmo superarem a performance necessária ao negócio.

E é com o tema “Gestão que inspira, pessoas que conquistam” que a Associação Brasileira de Recursos Humanos – ABRH, promove a 42ª edição do Congresso Nacional Sobre Gestão de Pessoas – CONARH, que acontece entre os dias 15 e 18 de agosto, no Transamérica Expo Center, em São Paulo-SP.

O Instituto Brasileiro de Coaching – IBC, pelo quinto ano consecutivo, é apoiador e patrocinador do evento. Para José Roberto Marques, Master Coach Senior e Presidente do IBC, o processo de coaching é uma valiosa ferramenta para o desenvolvimento de quem se prepara ou está iniciando o desafio de liderar outros talentos: “através técnicas e as ferramentas do coaching e sua aplicação efetiva, a liderança pode desenvolver seus pontos fortes, eliminar comportamentos sabotadores, potencializar habilidades e competências, entender melhor seus liderados e atuar como um líder humanizado que se foca nas pessoas e nos resultados, mas sempre em conjunto”.

Com um estande de 242m² e um auditório próprio com capacidade para 150 pessoas, o IBC promoverá palestras, mini-cursos, talk shows e workshops, com participações de José Roberto Marques – presidente do IBC, Eliane Senna – Superintendente de Gestão de Pessoas BRB, Viviane Sala – Gerente de RH Cielo, Gilberto Ohara – especialista em Neurociência, Helder Kamei – Mestre em Psicologia Positiva, Vanessa Amaral – Talentos Humanos Wickbold, entre muitos outros.

O Stand do IBC

Localizado no Hall B, próximo ao auditório principal, o stand do IBC disponibilizará aos participantes, gratuitamente, o Coaching Assessment, poderoso mapeamento de perfil comportamental, com devolutiva da equipe de consultores de negócio do IBC. A programação das palestras diárias, podem ser conferidas em: http://lp1.ibccoaching.com.br/ibc-no-conarh/

IBC no Congresso

O presidente do IBC, José Roberto Marques, realizará duas palestras. A primeira acontece na segunda (15/08), às 19h, no Espaço Coners 4, com o tema “A Influência do Mindset nos Resultados organizacionais”, e a segunda será realizada na terça-feira (16/08) também às 19h, no Espaço Coners 4, e o tema é “Leader Coach – Como Desenvolver Uma Liderança Inspiradora”.

CONARH

O CONARH é o maior evento de Gestão de Pessoas da América Latina, o segundo do mundo. Cerca de 30 mil pessoas visitam o evento, que conta com palestras especiais, que abordam temas atuais ligados a gestão de pessoas nas organizações, bem como tendências e novidades da área.

Vale lembrar que, para visitar a Expo ABRH e ter acesso ao stand do IBC e suas atividades, a entrada é GRATUITA. Para aqueles que desejam participar do CONARH as inscrições podem ser realizadas aqui.

Tags, , , , ,

7 em cada 10 brasileiros desejam flexibilidade no trabalho

Uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), divulgada em março de 2016, apontou que sete em cada dez brasileiros gostariam de ter flexibilidade de horário no trabalho.

A pesquisa, que contou com 2002 entrevistados em 140 municípios brasileiros, mostra que 38% dos profissionais com emprego formal possuem flexibilidade de horário de entrada e saída. Já os que realizam atividades informais, esse número sobe para 76%.

O home office ou locais alternativos são o desejo de 73% dos entrevistados. Além disso, 53% gostaria de dividir as férias em mais períodos; 58% gostariam de reduzir o horário do almoço para saírem mais cedo; 63% gostariam de trabalhar mais horas por dia em troca de folgas semanais, como por exemplo trabalhar 10 horas ou 9 horas por dia e folgar ou trabalhar meio período na sexta; e 62% gostariam de receber o vale-transporte em dinheiro.

Quando questionados sobre a crise, 43% dos entrevistados realizariam acordos de redução de jornada e salário para manutenção do emprego, caso necessário, já 54% não aceitariam.

O desejo da flexibilidade da carga horária dos profissionais brasileiros pode estar ligado a busca pelo equilíbrio entre vida pessoal e profissional. “A qualidade de vida das pessoas está em alinhar o trabalho com a vida pessoal, trazendo realização nos dois âmbitos”, afirma José Roberto Marques, presidente do Instituto Brasileiro de Coaching – IBC.

Ainda de acordo com Marques, as pessoas buscam tempo para resolver questões pessoais, fazer atividades físicas, cuidar da alimentação, ampliar seus relacionamentos, aprimorar seus conhecimentos (estudos), e até mesmo empreender. “Há àqueles profissionais que possuem um emprego formal, mas buscam uma renda extra, e a flexibilidade de horário contribui para a realização dessa atividade”, explica.

Flexibilidade X Produtividade

A grande preocupação das empresas em oferecer flexibilidade de horário e local de trabalho, está na manutenção da produtividade. “O brasileiro trabalha mais horas que o americano e produz seis vezes menos, segundo uma pesquisa da Organização Internacional do Trabalho, o que pode gerar desconforto para as empresas quando se fala em flexibilidade”, afirma José Roberto Marques.

Por outro lado, Marques acredita que implementando uma cultura de alta performance, com foco e comprometimento dos profissionais, pode-se sim realizar acordos de flexibilidade quanto ao local e horários de trabalho. “O profissional deve enxergar isso como um benefício, e se valer de suas atribuições para conquistá-lo. Estar focado 100% no desempenho de suas funções durante a jornada de trabalho é muito importante”, cita o presidente do IBC.

Liderança X Flexibilidade

Os acordos de redução de jornada, flexibilidade de horário, diluição de férias, devem ser realizados diretamente com o líder e repassados ao departamento de Recursos Humanos.

Nesse sentido, o líder é peça fundamental para que isso ocorra ou não. Ele deve estar ciente de todas as atividades realizadas pelos profissionais, bem como dos resultados esperados pela organização.

“Líderes, com habilidades de Coaching, se destacam porque além de conhecer os diferentes perfis comportamentais presentes no ambiente corporativo, também entendem que os tempos mudaram, ou seja, que é preciso acompanhar as novas gerações de profissionais e buscar conciliar o modelo tradicional com um mais flexível e atual”, ressalta Marques.

Vale lembrar que algumas questões como estas esbarram em leis trabalhistas, o que deve ser visto com cuidado com o departamento de Recursos Humanos, bem como algumas organizações não permitem esse tipo de flexibilidade por motivos de turnos e atividades desempenhadas.

Tags, , , ,

Como pedir desculpas? Entenda como isto impacta em sua organização

Por José Roberto Marques, Master Coah e Presidente do IBC – Instituto Brasileiro de Coaching

Existe um ditado popular que diz que – “Se errar é humano, perdoar é divino”. De fato, todo o ser humano é falho e, como tal, comete erros que podem prejudicar a si mesmo e as pessoas à sua volta. Entretanto, mais do que se conformar com esta característica, é preciso ter a capacidade de reconhecer seus vacilos e saber como pedir desculpas.

Todos nós somos imperfeitos e suscetíveis a erros. Por isso, em muitos momentos, no trabalho e em nossa vida particular, nos deixamos levar por fofocas, emoções conflitantes e julgamentos negativos, que nos fazem tomar decisões erradas e ofender nossos colegas, amigos e parentes, por exemplo.

Assim cometemos atos impulsivos, proferimos palavras duras com o intuito de apenas magoar, ferir e diminuir o outro, achando que assim vamos resolver nossos problemas. Ledo engano! Cada vez que brigamos ou discutimos com alguém, não estamos desabafando, mas sim, alimentando uma rede de intrigas que nos levam a desenvolver sentimentos negativos.

Para evitar estes tipos de situações devemos aprender com nossos erros, buscar se conhecer na essência e desenvolver maior controle emocional. Também é essencial sempre fazer autoavaliações, que permitam identificar os pontos de melhoria e eliminar os comportamentos que sabotam as relações.

PROBLEMAS DE RELACIONAMENTO NAS EMPRESAS

Em nosso ambiente de trabalho temos que nos relacionar com diversos tipos de pessoas com hábitos e formas de pensar e agir, às vezes, muito diferentes de nós. Porém, não são nossos colegas que são ruins, mas a nossa forma de vê-los que é. Digo isso porque aplicamos o nosso próprio filtro e fazemos julgamentos baseados em nossas crenças, valores e experiências de vida.

Neste sentido, responda sinceramente – Quantas vezes você teve que mudar de opinião sobre alguém na empresa que, sem conhecer, considerou “metido, arrogante ou antipático”? Várias, não é mesmo? E mesmo que não tenha pedido desculpas pessoalmente a esta pessoa, com certeza, mentalmente você sentiu certo remorso por pensar desta maneira.

Neste sentido os profissionais de RH devem estar atentos aos maus comportamentos dos colaboradores e buscar a melhoria contínua na comunicação e nas relações interpessoais. Assim, devem trabalhar, em conjunto com os gestores, para criar estratégias efetivas e desenvolver um ambiente saudável no trabalho, onde haja integração, maturidade profissional e respeito às diferenças.

Por isso, pedir desculpas, antes de tudo, é reconhecer, verdadeiramente, que você errou ou estava errado em sua fala ou ato. Por isso, quando for se desculpar, com um gestor ou colega de trabalho, use palavras positivas, demonstre arrependimento, ouça o que tem a dizer e seja sempre sincero em suas colocações.

Lembre-se ainda que do mesmo modo que poderia ser você, que a outra pessoa também tem o direito de desculpá-lo ou não. Entretanto, é preciso que haja um pedido de desculpas formal para que você possa ser ouvido, entendido e quem sabe até, perdoado.

COMO O COACHING PODE AJUDAR?

Uma excelente alternativa para desenvolver os profissionais e diminuir problemas de relacionamento nas empresas, é o Coaching. Este extraordinário processo ajuda os profissionais a trabalharem diversos aspectos de seus comportamentos, de modo a identificar seus pontos de melhoria no que tange suas relações interpessoais.

Esta poderosa metodologia, de aceleração de resultados e desenvolvimento humano, usa diversas técnicas e ferramentas para ajudar o colaborador a fazer seu autofeedback, ou seja, a refletir sobre suas ações e crenças e avaliar como tudo isso afeta seu desempenho e sua forma de se relacionar com seus colegas.

Além disso, o Coaching estimula o desenvolvimento de novas habilidades de comunicação, o aprimoramento da capacidade de ouvir e de falar com assertividade, como também o aumento do respeito às diferenças, o que permite aos profissionais respeitarem-se uns aos outros e trabalhar, harmonicamente, em equipe.

Tags, ,