Tag IT FORUM EXPO/ BLACK HAT

IT FORUM EXPO/ BLACK HAT discute fronteiras da segurança da informação

Especialistas em segurança da informação apontaram a fragilidade do Brasil em lidar com as novas exigências de Segurança da Informação em debate realizado no primeiro dia de evento do IT Forum Expo/ Black Hat, principal feira de Tecnologia da Informação da América Latina. Participaram do debate: Francesco Pollola, da Tracenet IT Solutions; Marco Carvalho, da CompTIA; Tiago Jesuino, da CEABS Serviços; e Alexandre Knoploch, da ASEGI (Associação Brasileira de Profissionais de Segurança da Informação e Defesa Cibernética).

Francesco Pollola defendeu a criação de incentivos tributários para que as empresas brasileiras invistam mais nesse setor. “A maioria delas são reativas nas questões de segurança dos seus dados”, diz. Para ele, muitas vezes, a falta de informação entre os executivos impede que as equipes de TI consigam convencê-los a adotar procedimentos caso envolvam custos altos. Outro problema detectado pelo especialista é a questão cultural, pois, de nada adianta uma empresa fazer investimentos em segurança da informação, se os próprios funcionários são negligentes quanto à proteção dos próprios sistemas.

Para Tiago, é difícil mensurar as consequências de um prejuízo causado, por exemplo, por um vazamento de informações, quando a tecnologia não está diretamente vinculada ao negócio em si. “Nessas situações, costumo aconselhar que a área de TI realize simulações para mostrar aos gestores da empresa o efeito prático de tais vulnerabilidades. Só desta maneira eles conseguirão perceber que os riscos podem comprometer os seus ganhos e, com isso, aprovar os projetos de segurança necessários”, afirma.

Alexandre mencionou que a falta de profissionais especializados em segurança da informação também impede que o Brasil se desenvolva mais nesse quesito. “No Brasil, não temos nenhum curso de graduação voltado exclusivamente à segurança cibernética”, lembrou.

Por fim, Marco acrescentou que a vulnerabilidade na segurança da informação pode ser encarada como uma oportunidade de negócio. “Uma rede de farmácias que mostrar aos seus clientes o cuidado tomado com os dados pessoais coletados por eles, certamente, ganhará a confiança e a fidelidade do seu público”, exemplifica. Ele também lembrou que o profissional de TI é um dos mais cobiçados atualmente. “Resta, agora, levar essa cultura para o restante da gestão nas empresas”, conclui.

Tags