Tag Investe São Paulo

Dubai foca no Brasil para ampliar parcerias estratégicas com os setores público e privado do país

A Câmara de Comércio e Indústria de Dubai está liderando uma missão comercial de alto nível na América Latina de 15 a 22 de abril, como parte de sua série de Fórum de Negócios Globais, que abrangerá Brasil, Paraguai e Argentina. Os objetivos da missão são aumentar a cooperação econômica entre a América Latina e Dubai e promover o Emirado como um centro de comércio e investimento atraente na região.

A delegação é composta por empresários, investidores, tomadores de decisão, e funcionários líderes dos Emirados Árabes Unidos. Os delegados se reunirão com representantes dos setores público e privado dos países latino-americanos para discutir sinergias entre a região e Dubai, e explorar novas oportunidades em vários setores prioritários, incluindo logística, agronegócio, manufatura, energia renovável e turismo. Atualmente, a Câmara de Dubai é uma das maiores câmaras globais em termos de adesão, e conta com mais de 200.000 empresas registradas.

“Estamos otimistas em relação à nossa missão comercial para a América Latina, o Brasil é o principal parceiro de negócios da região e o comércio não-petrolífero registrou cerca de R$50 bilhões em 2016. Nossa intenção é trocar ideias e estreitar a cooperação entre as duas regiões, encontrando novas formas de desenvolver negócios e soluções. O Brasil é um país com enormes oportunidades para as empresas de Dubai”, disse Majid Al Ghurair, Presidente da Câmara de Comércio e Indústria de Dubai.

Na capital paulista, no dia 17 de abril, os membros da delegação da Câmara terão um encontro com autoridades da prefeitura de São Paulo, como o prefeito João Doria e os secretários Julio Serson (Assuntos Internacionais) e Wilson Poit (Privatizações e Parcerias). Em seguida, a delegação terá uma reunião com representantes da FIESP; Francisco Luna, Gerente do Escritório da Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) em São Paulo, e um grupo de executivos de empresas brasileiras.

Na parte da tarde, os membros da Câmara de Dubai se encontrarão com Marcio França, vice-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do estado e Sérgio Costa, Diretor Executivo da Investe São Paulo, agência de promoção de investimentos ligada à pasta.

“Nós já realizamos algumas missões para Dubai, e temos estreitado cada vez mais as ligações com representantes da região para que seus investidores saibam que podem contar com nosso apoio gratuito para estabelecer uma base em São Paulo que possa servir toda a América Latina. Também temos ajudado as pequenas e médias empresas paulistas a estarem atentos para os mercados que podem ser bons para seus produtos lá”, afirma Costa.

Durante o evento, a delegação vai anunciar uma iniciativa para reforçar os laços bilaterais entre os Emirados e empresas da América Latina. A delegação de Dubai também promoverá o Global Business Forum na América Latina, que foi inaugurado em novembro de 2016 e tem como objetivo explorar oportunidades mútuas e apoiar as empresas de Dubai a entrarem nos mercados latino-americanos, além de atrair mais empresas do continente americano para os Emirados Árabes Unidos.

Descubra os principais setores que devem gerar oportunidades de negócios entre os Emirados Árabes Unidos e o Brasil
O Brasil teve resultados positivos em uma série de setores de mercado que despertaram o interesse dos investidores dos EAU, conheça os principais segmentos:

Logística
Em junho de 2015, o Brasil apresentou um novo programa de concessões de infraestrutura, que pretende atrair US $ 64 bilhões em investimentos nos próximos cinco anos para atualizar e operar estradas, ferrovias, portos e aeroportos em 20 estados do Brasil.
Energia Renovável

Em 2015, o setor de energia renovável do país foi o maior receptor de investimentos na América Latina e entre os 10 melhores do mundo (7ª posição) com valor de mais de R$21 bilhões. Embora esse valor esteja em torno de 10% abaixo dos investimentos do ano passado; um recorde de mais de R$15 bilhões foi para o financiamento de ativos eólicos, enquanto os financiamentos de projetos solares chegaram a US $ 657 milhões, um recorde também, que, potencialmente marca o início de um grande novo mercado para células solares.

Turismo
A capacidade atual dos hotéis no Brasil situa-se em 94.000 quartos e espera-se um aumento substancial de 74,5%, para chegar a 164 mil quartos, em 2020. O país atraiu 6,4 milhões de turistas estrangeiros em 2014 e o Ministério do Turismo afirmou que cerca de US $ 4 bilhões de investimentos no setor seria necessário nos próximos anos para acompanhar o crescimento das chegadas de turistas.

Agronegócio
As exportações do agronegócio brasileiro para o mundo alcançaram mais de R$240 bilhões em 2015 e o país pretende expandir sua participação no comércio agrícola mundial de 7% para 10%. Fatores fundamentais continuam a ser muito atrativos para a indústria de agronegócio local, especialmente com a recente queda do Real, diminuindo os custos de produção. Ao longo dos esforços governamentais, o Instituto Brasileiro de Pesquisa Agrícola abriu recentemente um novo departamento de P & D dedicado aos “alimentos funcionais”, que ajudam a melhorar a saúde e prevenir doenças como iogurtes, bebidas probióticas, bebidas esportivas, pão integral e água de coco.

Manufatura
A indústria automotiva brasileira atraiu 8% das entradas de IED em 2015, enquanto a indústria química atraiu outros 4%. Vale ressaltar também que o Brasil está se promovendo cada vez mais na fabricação de têxteis, aeronáutica, produtos farmacêuticos e metais.

Tags, , , , , ,

Prefeito do Centro Financeiro de Londres vem ao Brasil para promover elos econômicos

833324_1 Entre os dias 01 e 05 de maio, o Lord Mayor Jeffrey Mountevans, o chefe da City of London Corporation (que gerencia/controla o distrito financeiro de Londres), estará no Brasil liderando uma delegação de empresas britânicas para refoçar a cooperação bilateral entre o Reino Unido e o Brasil.

Sobre a visita ao país, Jeffrey Mountevans disse: “Brasil e Reino Unido têm uma parceria forte e colaborativa – nosso relacionamento comercial existe há mais de duzentos anos e temos trabalhado juntos tanto em momentos bons quanto naqueles que apresentam um maior desafio”.

Na capital paulista, ele visitará a Investe São Paulo para conhecer mais sobre as oportunidades presentes no Estado e promovê-las em Londres. Também terá reuniões para discutir gestões de ativos e promover a expertise britânica nesta área. “O Reino Unido é o maior centro europeu de gestão de investimentos, gerenciando cerca de £2,2 trilhões (aproximadamente 12 trilhões de reais) em nome de clientes estrangeiros. É um destino extremamente atraente para fundos institucionais, bem como para famílias e indivíduos que procuram um ambiente de investimento seguro e estável”, disse Mountevans.

Ainda na cidade de São Paulo, ele presidirá discussões sobre Fintechs. “Temos uma oportunidade incrível para o Reino Unido e o Brasil trabalharem juntos – como Londres tem um fácil acesso a talentos mundiais e uma cultura de inovação e o Brasil tem um interesse cada vez maior nesta área, os dois países são parceiros naturais. O Reino Unido é considerado uma capital global na área de Fintech, só no ano passado gerou uma receita de £ 6,6 bilhões (cerca de 36 bilhões de reais) nesta área”, disse.

No Rio, ele visita a SUSEP (Superintendência de Seguros Privados), órgão responsável pelo controle e fiscalização dos mercados de seguro, previdência aberta, capitalização e resseguro, e em Belo Horizonte se reunirá com empresas para discutir o mercado de seguro e resseguro nas áreas de mineração, energia e agricultura. Ele também vai abordar as oportunidades em Minas Gerais para o setor de mineração nos mercados de capitais, e como resultado do Diálogo Econômico-Financeiro realizado em Londres em 2015, haverá também uma discussão para alinhar os próximos passos da força tarefa UK-Brazil na área de seguros.

Tags, , , , , , ,

Investe SP capta investimento de R$ 12,8 bilhões para data center hubs em Campinas e Sorocaba

Foto:Luiz Granzotto/PMC

Foto:Luiz Granzotto/PMC

O presidente da Investe São Paulo, Juan Quirós, atendeu nesta terça-feira (12/01), em Campinas, a empresa americana TechxAct, com sede em Washington, que tem projetos de implantação de data centers hubs de abrangência internacional para armazenamento e administração de dados de clientes mundiais.
A empresa deve investir, em Campinas e Sorocaba, cerca de R$ 12,8 bilhões, gerando aproximadamente 20 mil empregos diretos em cada município e 43 mil indiretos ao longo da execução total do programa.

A pedido do prefeito de Campinas, Jonas Donizette, Quirós mostrou aos dirigentes da empresa os serviços da Investe São Paulo. O chairman G.H. Paryavi e o vice-presidente da TechxAct, Carlos Tavares, explicaram que, em 2030, o mundo terá 250 bilhões de equipamentos conectados na internet.

“Todos dependerão do armazenamento e gerenciamento de dados em nuvens. Os data centers já se apresentam como o maior prestador de serviços do mundo. É um setor que garante estabilidade, rentabilidade e crescimento únicos. E nossa intenção é criar um Silicon Valey em Campinas”, afirmou o vice-presidente da empresa, que tem um hub em operação na cidade norte-americana Loundoun Count, Virgínia.

O projeto é também conhecido como Universal Clouds, a primeira nuvem global de administração de dados. “Não existirá indústria que não vai estar no nosso negócio num futuro muito breve. Campinas tem mão de obra capacitada para treinarmos para este empreendimento, que vai armazenar, por exemplo, dados essenciais de países do Oriente Médio, da Europa, e da Ásia. Isso porque o Brasil tem boas relações com todos os países do mundo, não tem rejeição, o que é um grande fator que favorece a instalação de data centers hubs”, ressaltou Carlos Tavares.

Dentre os serviços dos data center hubs a serem instalados em Campinas e Sorocaba está também a recuperação de problemas nos sistemas de armazenamento de dados mundiais. “Para se ter uma ideia, um segundo de paralização nesses sistemas representa um prejuízo de US$ 80 milhões (Cerca de R$ 320 milhões)”, afirmou o chairman H.G. Paryavi, lembrando ainda que o retorno do investimento supera as expectativas.

O prefeito de Campinas disse que a cidade tem todas as condições para abrigar o investimento e que há uma conjugação de forças inéditas no momento, entre a Prefeitura, o Governo do Estado e demais órgãos envolvidos, como os fornecedores de água e energia (presentes à reunião), que os investidores não encontrarão em outras unidades da federação.

Após reunião de trabalho, Juan Quirós imediatamente convocou equipe de especialistas e dois diretores da Investe SP para se deslocarem a Campinas e iniciar, na mesma noite, as reuniões técnicas para conhecer as necessidades dos investidores e detalharem o projeto. “Sabemos que a empresa tem intenção de criar um triângulo na América do Sul. Vamos assinar um memorando de entendimentos e nos esforçar para que a base do triângulo fique em duas cidades paulistas: Campinas e Sorocaba. A outra ponta deve ser, provavelmente, em Recife. O que importa é que São Paulo quer e terá estes 40 mil empregos diretos”, finaliza.

Fonte: Investe São Paulo

Tags, , , ,