Tag Intermodal

Inovações em automação industrial impulsionam a cadeia de distribuição

A “Indústria 4.0”, como está sendo chamada a evolução dos mercados sob a perspectiva da automação industrial, voltou a ser tema de destaque entre os principais players dos setores de comércio exterior, logística e transporte de cargas. O assunto veio à tona após o secretário de inovação e novos negócios do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Marcos Vinícius de Souza, participar do encontro do G20, na última semana, na Alemanha, para discutir o processo de digitalização das empresas e muitos outros conteúdos relacionados à manufatura avançada.

As empresas que atuam no mercado de automação nacional estão atentas às discussões em torno do assunto e vêm investindo na criação de novos serviços que atendam aos mais variados segmentos, que necessitam cada vez mais de soluções automatizadas, como a cadeia de distribuição.

A Compex Tecnologia é uma delas. Com um portfólio completo em coletores de dados, leitores de códigos de barras e impressoras térmicas, a companhia adiantou que vem realizando uma mudança de tecnologia em seus produtos. “Estamos trocando o sistema operacional Windows pelo Android, o que nos permite trazer novos equipamentos ao país. Nosso último lançamento no Brasil foi o PM 80, um coletor de dados 5.0 que fornece soluções para todos os tipos de exigências de indústrias de armazenagem, varejo, centros de distribuição, fábricas, entre outros segmentos”, destaca o diretor de produtos da companhia, Rafael Mendes.

Mendes salienta também que a Compex já disponibiliza três versões do equipamento ao mercado nacional. ”Uma com a tecnologia 4G, outra com 4G e leitura NFC (etiquetas de leitura de curta distância) e uma terceira versão mais simples, um leitor de códigos de barras basicamente, para atender as empresas que optam por opções de baixo custo. Este é um dos únicos produtos no mercado com esse programa operacional, aliás, fomos os primeiros a trazer essa tecnologia para o Brasil”, acrescenta o executivo, que apresentará a novidade na 23ª Intermodal South America, que será realizada na próxima semana, de 4 a 6 de abril, em São Paulo (SP).

Já a Speed Sistemas, especializada em automação e integração de sistemas de segurança em portos e recintos alfandegados, aposta em soluções completas que permitem o aumento na efetividade das operações de acessos portuários, diminuindo o tempo em filas e permitindo uma melhora de produtividade. “Ao implantar nossas soluções de automação, o cliente pode reduzir em até 70% o tempo de entrada, identificação, controle e liberação de caminhões nos portões de acesso aos portos”, afirma o presidente da empresa, Paulo Hack.

A IACIT, responsável pelo desenvolvimento de produtos e serviços de alta tecnologia, por sua vez, segue investindo em modernas opções de telemetria. Sua mais recente novidade no mercado nacional é o RCS 0500, um sistema portátil e online (em nuvem, baseado no conceito “Internet of Things (IoT)”), que efetua o monitoramento simultâneo sem fio, criptografado e georreferenciado de dados de contêineres refrigerados. “Nosso sistema é inovador ao permitir o acompanhamento da temperatura das cargas online, sendo composto por unidades coletoras portáteis, concentradores e um sistema de nuvem de alta disponibilidade, com isso diminui-se o custo para a operação logística envolvendo contêineres refrigerados”, explica o presidente da companhia, Luiz Teixeira.

Teixeira ressalta ainda as principais características de sua solução. “O RCS 0500 conta com alta resolução temporal, infraestrutura minimizada, disponibilização imediata de informações coletadas, escalabilidade e disseminação da informação, interface web responsiva, geração de alarmes automáticos por perfil de usuário, geolocalização dos refrigerados, consciência situacional, rastreabilidade da informação, conceito Big Data, entre outras especificações”, completa o executivo. A IACIT e a Speed Sistemas também apresentarão suas novidades na Intermodal 2017.

Debate – Como forma de estimular os investimentos em novas tecnologias; de discutir a “Indústria 4.0”, seus conceitos, sua aplicação e seu impacto no mercado; de abordar as macro-tendências tecnológicas que deverão transformar o cenário logístico atual e de apresentar as iniciativas de diversas empresas no âmbito da inovação, a Intermodal South America 2017 realizará o seminário “Tendências Tecnológicas da Logística”, no dia 6 de abril, a partir das 08h30.

Um dos destaques dessa conferência será o painel “O que as empresas estão fazendo para inovar em momentos de crise?”, às 11h40, que irá expor cases de sucesso de companhias que alcançaram bons resultados em suas operações ao adotarem recursos de tecnologia avançada, como a White Martins, multinacional que atua na fabricação de gases industriais. O diretor de logística da empresa na América Latina, Marcos Guimarães, palestrará sobre o uso da telemetria para o controle de abastecimento de gases industriais com a aplicação de Big Data Analytics e Cloud Storage.

O painel terá a participação também do vice presidente de logística dos Correios, José Furian Filho; do gerente de logística e transporte da Pirelli na América Latina, Rodolfo Giotto; do gerente de projetos logísticos da Natura, Pérsio Pastana, e do coordenador de projetos da empresa de cosméticos, Felipe Riul.

Tags, ,

Tecnologia inteligente é o futuro da indústria que atende o comércio internacional

O investimento cada vez maior em tecnologia é visto por muitos especialistas como tendência nos setores de comércio exterior, logística e transporte de cargas. Integrando a chamada “Indústria 4.0” ou “Quarta Revolução Industrial”, que prevê a evolução e a transformação dos mercados no âmbito de novas soluções e de tecnologias inteligentes, grandes empresas apostam no desenvolvimento de softwares e serviços automatizados e integrados para reduzir custos, aumentar a eficiência, a produtividade e a competitividade.

Uma delas é a Bysoft/NSI. De acordo com a CEO da empresa, Edneia Moura Chebabi, a Bysoft não desenvolve apenas sistemas que visam a gestão dos processos relacionados ao comércio exterior, mas soluções cognitivas, com foco na produtividade e na redução de custos de todos os intervenientes da cadeia: agentes de carga, exportadores, importadores e despachantes aduaneiros. “Todas as nossas soluções são integradas, de maneira inteligente, provendo informações online e em tempo real que são distribuídas pela cadeia e permitem a rápida tomada de decisões tanto pela indústria quanto pelo prestador de serviços”, afirma.

A executiva acrescenta ainda que, controlar os prazos de cada fase do processo de desembaraço aduaneiro é a expertise da companhia e cita alguns exemplos dos serviços oferecidos. “Os processos da indústria farmacêutica são um exemplo, pois envolvem o controle por parte da Anvisa. Contribuímos para que o prazo de liberação dos produtos seja infinitamente menor, proporcionando o peticionamento de forma automatizada. Outro exemplo são as contenções de multas, em processos que envolvem o Siscarga (sistema de controle de cargas da Receita Federal), no qual ofertamos uma ferramenta de integração em tempo real, com alertas automáticos”, ressalta a CEO da Bysoft, que será uma das expositoras da Intermodal South America, de 4 a 6 de abril, em São Paulo (SP).

Por outro lado, quando o assunto é a tecnologia aplicada ao segmento portuário, a T2S Tecnologia aposta no desenvolvimento de softwares customizados para os principais portos e terminais do país. Segundo o diretor comercial da empresa, Ricardo Pupo Larguesa, o ano de 2016, na contramão da crise econômica, foi muito bom para a T2S. “Expandimos nossa atuação para diversos outros estados. Em um comparativo de 2015 para 2016, esse foi um dos fatores que fez com que registrássemos um crescimento de mais de 60% em nosso faturamento”, comemora.

Larguesa destaca também alguns cases que contribuíram para que a empresa pudesse alcançar este resultado. “Fizemos algumas grandes implementações no último ano, como a troca do sistema de controle operacional do terminal de contêineres do porto de Paranaguá, no Paraná, por um software norte-americano, o Navis, do qual somos parceiros. Paralelamente, realizamos também a substituição do sistema operacional do terminal de contêineres do porto de Suape, em Pernambuco, que entrará em produção agora em fevereiro”.

“Outras implementações que estão em andamento são as dos novos sistemas de operações dos terminais da Wilson Sons em Rio Grande, no Rio Grande do Sul, e em Salvador, Bahia, com conclusões previstas para o final do primeiro semestre e para o fim do segundo semestre deste ano, respectivamente”, completa o diretor comercial da T2S Tecnologia, que também irá apresentar suas novidades na Intermodal.

“A inserção dos conceitos de Sistemas Ciber-Físicos, Internet das Coisas e Computação em Nuvem não só nos portos, mas em todas as vertentes dos setores de transportes de carga, logística e comércio exterior é, felizmente, um caminho sem volta. A iniciativa privada vem estudando e implementando muitas possibilidades. Só na Intermodal temos mais de 12empresas de tecnologia expondo soluções. O setor acadêmico também contribui. Vale lembrar que, já em 2008, a Escola Politécnica (Poli) da USP começava a desenvolver, por exemplo, uma tecnologia de rastreamento da cadeia logística da carne bovina, que agiliza o processo de exportação, e que hoje é o sistema oficial utilizado pelo Ministério da Agricultura”, reforça Ricardo Barbosa, gerente do evento.

Tendências – De olho no futuro da inovação no transporte, armazenagem e distribuição de cargas, a 23ª edição da Intermodal promoverá o evento “Tendências Tecnológicas na Logística”, em um encontro que reunirá especialistas, executivos e representantes do setor, onde serão apresentadas e discutidas as últimas tendências e estratégias em conceitos, modelos, processos e tecnologias inteligentes.

Com início às 08h30 do dia 6 de abril, o evento contará com uma repleta grade de programação. Às 09h, a gerente de logística da Ajinomoto, Maristella Andrade, palestrará sobre a aplicação do footprint como solução integrada para otimizar a cadeia de suprimentos. Às 09h40, o diretor industrial da Lóreal, Antônio Grandini, e o professor de logística e orientador de gestão empresarial da consultoria Premiatta, Paulo Bertaglia, dissertarão sobre “a quarta revolução industrial” e a “logística 4.0”.

Já às 10h50 será a vez do professor e coordenador do laboratório em logística e transporte da Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo da Universidade Estadual de Campinas (FEC/UNICAMP), Orlando Fontes Lima, que apresentará o raio x da logística do futuro e as macro tendências tecnológicas que podem transformar o cenário logístico atual. Por fim, às 11h40, o diretor de logística e transporte da Pirelli na América Latina, Rodolfo Giotto, debaterá sobre o que as empresas estão fazendo para inovar em momentos de crise.

Para mais informações sobre essa e outras conferências da Intermodal 2017, acesse – http://www.intermodal.com.br/pt/conferencia-2/primeiro-dia

Tags, , , , , , , , ,