Tag Gustavo Selig

Imóveis residenciais novos em Curitiba acumularam valorização de 5,5% no primeiro semestre

O preço médio do metro quadrado privativo na capital paranaense chegou a R$ 5.991,00, em junho. O índice de correção dos studios, lofts e apartamentos de um dormitório foi de 10,7%, quase o dobro da média do mercado.

Os apartamentos residenciais novos ofertados em Curitiba acumularam valorização de 5,5% no primeiro semestre desse ano, chegando a R$ 5.991,00 o preço médio do metro quadrado privativo na cidade. Os dados são de pesquisa realizada pela Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi/PR) em parceria com a BRAIN Bureau de Inteligência Corporativa. Os studios, lofts e apartamentos de um dormitório acumularam a maior alta no período, com reajuste de 10,7%, e valor médio do metro quadrado a R$ 6.718,00. O desempenho, em valores percentuais, foi semelhante ao primeiro semestre do ano passado, em que o preço dos imóveis novos foi atualizado em 5,4%.

Os apartamentos novos de quatro dormitórios tiveram a segunda maior correção do período, de 7,1%, com valor médio do metro quadrado privativo a R$ 8.116,00. Já a variação dos apartamentos de dois e três dormitórios, no primeiro semestre do ano, foi próxima – de 5% e 4,3%, respectivamente – com média do metro quadrado privativo em R$ 5.524,00 e R$ 5.894,00, nessa ordem.

De acordo com o presidente da Ademi/PR, Gustavo Selig, os dados são uma amostra do que o comprador vai encontrar em relação a preços para os imóveis novos que serão apresentados na 23ª Feira de Imóveis do Paraná – 2014, a ser realizada de 27 a 30 de agosto, no Expo Renault Barigui, pavilhão de exposições do Parque Barigui, em Curitiba.

“O mercado imobiliário em Curitiba cresce com regularidade. O preço dos imóveis não vão baixar, visto que os custos para construir continuam em crescimento na cidade e, consequentemente, isso implica diretamente num acréscimo do valor de venda do bem. Quem quer sair do aluguel, ou mesmo trocar de residência, deve correr contra o relógio, sob o risco de pagar mais caro pela espera. A feira imobiliária, que acontece no fim do mês, é uma ótima oportunidade para o comprador buscar o imóvel do seu estilo e gosto, dentro do seu orçamento”, afirma Selig.

Considerando os últimos 12 meses, tendo junho como mês de referência, o preço dos apartamentos residenciais novos apresentou variação média de 9,8%. No período, as maiores correções foram para os studios, lofts e apartamentos de um dormitório, bem como para os apartamentos de quatro dormitórios, de 12,6% e de 12%, respectivamente. Já os as unidades de três dormitórios foram reajustadas em 11,7% e as de dois dormitórios em 7,1%.

Na variação mensal, os apartamentos residenciais novos foram reajustados em 1,5%. Os apartamentos de quatro dormitórios e os studios, lofts e apartamentos de um dormitório tiveram correções semelhantes – de 2,3% e de 2,2%, respectivamente – seguidos dos imóveis novos de dois dormitórios (1,6%) e de três dormitórios (1,1%). O levantamento da Ademi/PR contou com uma amostra de 348 empreendimentos e 12.238 apartamentos residenciais novos (na planta, em construção ou concluídos), à venda por construtoras, incorporadoras e imobiliárias, em Curitiba.

Bairros – Considerando o valor dos imóveis novos disponíveis para a venda em Curitiba, em junho, o Batel manteve-se na liderança para o maior valor do metro quadrado privativo para studios, lofts e apartamentos de um dormitório, na média de R$ 9.581,00, valor 3,1% maior do que o apurado em maio para a tipologia na região. Em relação aos apartamentos de dois dormitórios, o bairro desbancou o São Francisco da liderança, com preço médio do metro quadrado privativo de R$ 11.541,00. O Batel também mantém-se na dianteira quanto aos valores para as unidades novas de três dormitórios, com metro quadrado privativo de R$ 9.050,00, em média. Entre os imóveis novos com quatro dormitórios, o Ecoville permanece na liderança, com o valor médio do metro quadrado privativo a R$ 8.979,00.

Veja também uma entrevista em vídeo com Gustavo Selig. O presidente da Ademi-PR fala sobre o mercado imobiliário e a preparação para a Feira de Imóveis, que acontece no final de agosto. Ele também descarta o risco de bolha imobiliária.

Tags, , ,

Mercado aquecido "dobra" tamanho de Feira de Imóveis do Paraná

Número de visitantes de feira imobiliária é quase o dobro da edição anterior

Trinta e sete mil pessoas conheceram os principais lançamentos imobiliários de Curitiba, região metropolitana e no litoral catarinense durante a 21ª edição da Feira de Imóveis do Paraná, realizada de 29 de agosto a 2 de setembro, na Expo Renault Barigui, em Curitiba. O presidente da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi/PR), Gustavo Selig, destaca que o número de visitantes foi quase o dobro do ano passado.

“O perfil do público do evento foi bem comprador. Percebe-se, a cada ano, um crescimento no número de pessoas que visitam a feira com a intenção de tirar a proposta, fechar o negócio e adquirir a casa própria e não apenas de conferir as novidades do mercado”, afirma Selig.

O número de negócios gerados na mostra também surpreendeu os expositores. O resultado oficial deve sair apenas nas próximas semanas, mas a organização da feira imobiliária acredita que o volume de vendas realizadas e encaminhadas no evento deve chegar a R$ 50 milhões, montante 11% maior do que a edição passada.

Na Hestia Construções e Empreendimentos, o volume de negócios realizados e originados ficou próximo aos R$ 10 milhões, compreendendo imóveis novos, materiais de acabamento, móveis e artigos de decoração. “Este desempenho se deve, em parte, pelo fato de a empresa ter apartamentos em localização privilegiada, próximo à região central, com dois e três quartos, perfil que compreende a maior parte da busca por imóveis novos em Curitiba”, explica o gerente regional da construtora, Aloizio Henrique Pereira.

Estreante no evento, a Swell Construções e Incorporações também comemora o resultado, contabilizado quatro vendas, além de 10 propostas. “Vários clientes que estiveram na feira visitaram o plantão de vendas e estão em processo de negociação para compra do apartamento. Nosso pré-lançamento, na Praça da Ucrânia, também foi bem aceito”, afirma a diretora de marketing e compras da empresa, Vanessa Pissetti.

Na Thá, foram nove apartamentos comercializados nos cinco dias da feira imobiliária. “O resultado ficou acima das nossas expectativas. O comprador veio sabendo o que ele queria e a maior parte adquiriu o imóvel com a finalidade de moradia”, relata a gerente de vendas da companhia, Ana Valeria Dias Martins.

A procura foi grande no segmento econômico, para imóveis enquadrados no Minha Casa Minha Vida. O sócio da Construtora Bouw, de São José dos Pinhais, Ronaldo Carvalho da Silva, conta que a empresa comercializou 20 apartamentos dentro do programa federal e que conta um cadastro de mais de 150 interessados. “Nosso público é formado pelos casais jovens que buscam o primeiro imóvel. A maioria das vendas foi para pessoas que hoje moram em Curitiba”, descreve.

O bom desempenho também se deu para os imóveis de alto padrão, com valor acima de R$ 600 mil. “Notamos que o público veio bem mais direcionado ao tipo de produto e padrão que a construtora trabalha. Tivemos uma média de 15 a 20 atendimentos por dia de pessoas que querem trocar seu imóvel por um maior, com melhor padrão e localização”, afirma a gerente comercial da Laguna, Isabel Raad Carneiro.

Texto:
Maria Emilia Staczuk
assessoria de imprensa

Tags, , ,