Tag Google Cloud

Google Cloud e SAP lançam concurso global de empreendedorismo social

Economia Circular 2030 busca projetos originais que beneficiem qualquer aspecto da economia global com base nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável estabelecidos pela ONU

O Google Cloud e a SAP anunciaram hoje, 23, durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, um concurso global de empreendedorismo social, com o objetivo de impulsionar o crescimento econômico de forma sustentável. A competição, chamada de Economia Circular 2030, estimula os participantes a tirar o máximo proveito de tecnologias para criar projetos inovadores para atingir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU) até 2030.

A parceria estratégica faz parte do engajamento de Google Cloud e SAP para solucionar desafios globais atuais, incluindo aqueles relacionados à pobreza, desigualdade, clima, degradação ambiental, prosperidade, paz e justiça.

Podem participar do concurso empreendedores sociais, ONGs, organizações sem fins lucrativos ou voltadas para a área social, além de associações comunitárias. Os candidatos devem ser maiores de 18 anos e enviar, entre 22 de janeiro e 17 de março, propostas que ajudem a gerar receita para a produção e o consumo responsáveis, com o apoio de soluções Google Cloud e SAP. As inscrições devem ser feitas por meio do site oficial.

Após a seleção, cinco semifinalistas serão convidados para o Google Cloud Next, principal evento anual de computação em nuvem do Google, que acontece entre 9 e 11 de abril, em San Francisco (EUA). Na ocasião, os participantes poderão aprender como usar soluções de computação em nuvem em seus projetos diretamente com nossos especialistas. Os semifinalistas também participarão de um hackathon para colocar em prática os conhecimentos adquiridos ao longo do evento.

O grande vencedor do concurso Economia Circular 2030 será anunciado durante o evento SAP Sapphire, que será realizado entre os dias 7 e 9 de maio, em Orlando (EUA). Ele será premiado com US$ 200 mil, além da participação no Bootcamp do Google Cloud for Startups. Os outro quatro finalistas receberão um prêmio de US$ 50 mil e mentoria individual com profissionais do Google Cloud e SAP.

Inteligência artificial e a economia circular

A Fundação Ellen MacArthur e o Google, com o apoio da McKinsey, produziram um paper para explicar sobre como a inteligência artificial pode acelerar a transição para uma economia circular.

O estudo é baseado em mais de 40 entrevistas com especialistas e apresenta os primeiros insights sobre como a inteligência artificial pode ser aplicada para gerar uma economia circular em escala. O estudo avalia duas cadeias de valor, alimentos e agricultura, além de eletrônicos. Para a primeira cadeia, a estimativa é de que a IA possa gerar US$ 127 bilhões por ano em 2030; para a segunda, a oportunidade gira em torno de US$ 90 bilhões por ano.

O que é economia circular?

A economia circular é um tipo de economia em que o crescimento é gradualmente separado do consumo de recursos finitos. Seus princípios incluem projetar soluções para lixo e poluição, manter produtos e materiais em uso e regenerar sistemas naturais.

O que é inteligência artificial?

A inteligência artificial (IA) lida com modelos e sistemas que desempenham funções geralmente associadas com a inteligência humana, como raciocinar e aprender. Como uma das principais tendências, a IA deve adicionar US$ 13 trilhões em atividade econômica em todo o mundo até 2030.

Tags, , , , ,

Google Cloud lança versão 2.0 do Hire

O Google simplificou os processos de contratação com o lançamento do Hire no ano passado, integrando-o às ferramentas que os recrutadores já usam em boa parte do dia – Gmail, Google Agenda e outros aplicativos do G Suite. Segundo os recrutadores, o Hire aprimorou fundamentalmente o modo como eles trabalham, diminuindo o tempo gasto na conclusão de tarefas comuns de recrutamento, como revisar candidaturas ou programar entrevistas, em até 84%. Baseado nos comentários dos usuários, para resultados ainda melhores, o Google lançou a versão 2.0 do aplicativo com algumas inovações.

Ao incorporar o Google AI (inteligência artificial), o Hire reduz tarefas repetitivas e demoradas em interações com apenas um clique. Isso significa que as equipes de contratação podem gastar menos tempo com logística e mais tempo se conectando com as pessoas.

Veja um pouco mais sobre o que os recrutadores podem fazer com o novo Hire:

Agendar entrevistas em segundos

Recrutadores gastam muito tempo gerenciando a logística de entrevistas – encontrando tempo disponível em calendários, reservando salas e reunindo as informações certas para que os entrevistadores se preparem. Para agilizar esse processo, o Hire agora usa IA para sugerir automaticamente entrevistadores e horários ideais, reduzindo o agendamento de entrevistas para apenas alguns cliques.

Se um entrevistador cancelar na última hora, o Hire avisa e recomenda entrevistadores substitutos disponíveis e facilita o convite rápido para eles. Isso significa que as equipes de contratação podem investir tempo na preparação de entrevistas e na construção de relacionamentos com os candidatos, em vez de agendar salas e verificar calendários.

Realce automático dos currículos

Grande parte do tempo dos recrutadores é gasto na revisão de currículos. Ao observar as pessoas interagindo com o Hire, nota-se que eles usavam com frequência “Ctrl + F” para procurar as habilidades certas enquanto examinavam um currículo – uma tarefa repetitiva e manual que poderia ser facilmente automatizada. Usando a inteligência artificial, o Hire agora analisa automaticamente os termos em uma descrição de trabalho ou consulta de pesquisa e os realça automaticamente nos currículos, incluindo sinônimos e siglas.

Clique para chamar candidatos

Independentemente de estarem analisando candidatos, conduzindo entrevistas ou acompanhando ofertas de emprego, os recrutadores costumam ter dezenas de conversas por telefone todos os dias. Isso significa gastar muito tempo procurando números de telefone ou anotações. A nova versão do Hire agora simplifica todas as conversas telefônicas com a funcionalidade “clique para ligar” e registra automaticamente as chamadas para que os membros da equipe saibam quem falou com um candidato.

“O uso do Hire do Google ajudou a agilizar os processos que costumavam ocupar muito do meu tempo, o que permite me concentrar nos próximos passos para garantir que os candidatos tenham a melhor experiência possível”, afirma Anna McMurray, headhunter da Dandelion Chocolate.

Há uma grande oportunidade para a tecnologia – especificamente para a inteligência artificial – ajudar as pessoas a trabalhar mais rapidamente e, portanto, concentrar seu tempo e esforço em atividades exclusivamente humanas. “Em última análise, é isso que o Hire é, e a funcionalidade que estamos lançando hoje demonstra nosso compromisso em ajudar as empresas a se concentrarem nas pessoas e criarem melhores equipes”, afirma Berit Hoffman, gerente de produto sênior do Hire.

Tags, , , ,

Google Cloud: 4 novas maneiras de integrar e colaborar no G Suite

O funcionário médio usa 36 serviços de nuvem no trabalho para colaborar ou compartilhar arquivos. Este número é maior do que o de horas que temos em um dia. Com tantos aplicativos e serviços, é importante que sua empresa opte por ferramentas modernas e abertas que facilitam o trabalho com qualquer pessoa, seja dentro ou fora da organização.

Com o objetivo de reduzir a complexidade dos processos, Google Cloud anuncia novas integrações no Hangouts Meet e no Google Calendar, além de melhor interoperabilidade com a Microsoft, para promover melhores experiências ao usuário durante reuniões independentemente da tecnologia de conferência que esteja sendo utilizada, além de oferecer novas maneiras de colaborar no Hangouts Chat e Sheets.

Colaboração mais fácil com a nova compatibilidade no Hangouts Meet

Nada é mais frustrante do que realizar uma reunião e ter problemas para fazer com que as pessoas participem por causa de falhas tecnológicas. Isso pode interromper fluxos de trabalho e diminuir a produtividade. Para facilitar o uso de soluções de reunião, sem que as empresas precisem se preocupar com a compatibilidade com o equipamento que já possuem, o Google tornou o Meet compatível com os sistemas tradicionais de videoconferência, como Polycom e Cisco. Em parceria com a Pexip, as equipes poderão participar de uma reunião do Google Meet utilizando seus equipamentos preferidos. Isso ficará disponível nas próximas semanas. Também será permitido que usuários do Microsoft Skype for Business participem facilmente de uma reunião no Meet, diretamente desde o aplicativo da Skype.

O Spotify se beneficiou do uso do Hangouts Meet para colaborar tanto interna como externamente. “A interoperabilidade entre o Hangouts Meet e outros sistemas de videoconferência é fundamental para permitir a colaboração. Agora podemos nos concentrar em ter reuniões produtivas em vez de nos preocupar com a tecnologia”, afirma Martin Antonsson, engenheiro de infraestrutura de antivírus da Spotify.

Criação de complementos no Google Agenda para participar de reuniões de maneira fácil

Um dos maiores segredos para ter reuniões produtivas é garantir que as pessoas certas estejam presentes. É por isso que o Google anuncia o suporte para conferências de terceiros integrado no Google Calendar. Em breve, os provedores de conferência poderão facilmente construir add-ons para criar, visualizar e participar de uma videoconferência diretamente de um evento do Google Calendar. Basta clicar em um link no convite do Google Calendar para participar na Web ou em dispositivos móveis.

Cisco Webex está criando um complemento para ajudar os usuários a agendarem facilmente reuniões diretamente no Google Agenda, sem precisar de um download ou plug-in. Arkadin, GoToMeeting, LogMeIn, Dialpad, RingCentral, Vidyo e Vonage também estão criando complementos para ajudá-los a se encontrarem mais facilmente com seus clientes. Esses complementos de conferência de terceiros estarão disponíveis no G Suite Marketplace nos próximos meses, com detalhes para desenvolvedores.

Desde o ano passado, ficou mais fácil visualizar a disponibilidade de agendas no Google Calendar e no Microsoft Exchange. Com base nisso, também desenvolvemos uma maneira de reservar recursos, como salas e equipamentos, no Microsoft Exchange. Dessa maneira, nos próximos meses, Quem usa o G Suite poderá ver e reservar facilmente recursos armazenados no Exchange e no Office 365.

Trabalhando com equipes fora do domínio no bate-papo do Hangouts

Uma vez que já temos as pessoas certas na sala certa e com a configuração certa, é importante poder compartilhar informações em tempo real, mesmo com pessoas que não trabalhem na mesma empresa Por isso, daqui alguns meses, será possível incluir pessoas de fora da sua organização no bate-papo, facilitando o alinhamento com clientes, fornecedores, parceiros e outros, tudo em um só lugar.

Resuelve, uma empresa de gestão de dívidas de consumidores com sede no México, usa o acesso de convidados no Chat para se conectar com pessoas de fora de sua organização. “O Hangouts Chat foi crucial para a capacidade da empresa de expandir para outros mercados”, diz Jordi Adame, diretor de tecnologia da Resuelve. “Isso ajudou nossas equipes internas a serem produtivas e esperamos conectar-nos a pessoas de fora da nossa organização de maneira igualmente eficiente”, finaliza.

Novas integrações SAP com o Planilhas Google

As empresas geralmente têm dados comerciais críticos em seus sistemas SAP. Em uma próxima versão da SAP, os funcionários poderão descobrir informações adicionais de seu conteúdo de ERP, importando-o diretamente para o Planilhas Google. Com essa nova integração, será possível pular a exportação manual de dados para .csv e enviá-los para o Drive. Em vez disso, basta exportar diretamente para o Planilhas Google e analisar os dados com ferramentas, como tabelas dinâmicas inteligentes.

Tags,

Google Cloud OnBoard 2018 vai treinar 10.000 desenvolvedores em seis capitais do Brasil

O Cloud OnBoard, maior programa do Google Cloud para capacitação de desenvolvedores, irá dobrar de tamanho, oferecendo 10.000 vagas em todo o Brasil. Em 2018, seis capitais do Brasil receberão os especialistas do Google para um dia inteiro de treinamentos, todos ministrados em estádios de futebol. As inscrições, que já estão abertas, podem ser feitas no site oficial do evento.

A primeira cidade a sediar o evento é Salvador/BA, no dia 4 de maio. A Arena Fonte Nova vai reservar mil lugares em sua arquibancada para a atividade, que traz conteúdo inédito e exclusivo. Como parte do compromisso do Google com a formação e aperfeiçoamento de desenvolvedores, o objetivo do Cloud OnBoard é elevar o nível de conhecimento dos profissionais nas novas tecnologias de nuvem, contribuindo, assim, para uma maior especialização do mercado de trabalho no Brasil.

Além de contribuir com as apresentações, os profissionais do Google também estarão junto com o público nas arquibancadas para dar suporte a eventuais dúvidas e promover o networking entre os participantes, que também é um dos focos do programa.

“O treinamento oferece conteúdo sobre o que há de mais recente no Google Cloud Platform, desde os conceitos básicos da infraestrutura de nuvem do Google até as tecnologias mais avançadas de Machine Learning, Big Data e Analytics. Além de ser gratuito, o evento oferece excelentes oportunidades de networking, atualização dos conhecimentos e fortalecimento dos laços entre diferentes comunidades de desenvolvedores.”, comenta Helena Kale, responsável pela área de Field Marketing do Google Cloud para América Latina.

Depois da capital baiana, o Cloud OnBoard viaja pelo país, passando por Recife/PE, Belo Horizonte/MG, Rio de Janeiro/RJ, Porto Alegre/RS e São Paulo/SP, cidade que vai contar também com transmissão ao vivo via YouTube. Os estádios abrirão seus portões a partir das 8h e, todos os participantes receberão seus certificados de participação.

A edição do Brasil do Cloud OnBoard, que tem a expectativa de treinar 10 mil desenvolvedores, faz parte da passagem do roadshow global pela América Latina. As capitais da Argentina, Chile e México são os próximos destinos da iniciativa, realizada em mais de 60 cidades ao redor do mundo.

Exec Connect

O Cloud OnBoard 2018 traz ainda o ExecConnect, espaço exclusivo para executivos e tomadores de decisão em tecnologia nas empresas. Ambientada na temática futebolística, a iniciativa oferece uma experiência imersiva, demonstrações das tecnologias de nuvem e conteúdos exclusivos elaborados sob medida para as seis edições do evento.

Agenda

Inscrições gratuitas: goo.gl/jrwkcN

Cloud OnBoard 2018 – Salvador/BA

Data: 4 de maio.

Local: Arena Fonte Nova.

Endereço: Ladeira da Fonte das Pedras, sem número.

Horário: A partir das 8h.

Capacidade: 1.000 pessoas

Cloud OnBoard 2018 – Belo Horizonte/MG

Data: 8 de maio.

Local: Estádio do Mineirão.

Endereço: Avenida Antônio Abrahão Caran, 1.001.

Horário: A partir das 8h.

Capacidade: 1.000 pessoas

Cloud On Board 2018 – Recife/PE

Data: 10 de maio.

Local: Arena Pernambuco.

Endereço: Avenida Deus É Fiel, 1A.

Horário: A partir das 8h.

Capacidade: 1.000 pessoas

Cloud OnBoard 2018 – São Paulo/SP

Data: 18 de maio.

Local: Allianz Parque.

Endereço: Avenida Francisco Matarazzo, 1.705.

Horário: A partir das 8h.

Capacidade: 4.000 pessoas, além de transmissão via streaming para todo o Brasil

Cloud OnBoard 2018 – Rio de Janeiro/RJ

Data: 25 de maio.

Local: Estádio do Maracanã.

Endereço: Avenida Presidente Castelo Branco, portão 3.

Horário: A partir das 8h.

Capacidade: 2.000 pessoas

Cloud OnBoard 2018 – Porto Alegre/RS

Data: 28 de maio.

Local: Arena do Grêmio.

Endereço: Avenida Padre Leopoldo Brentano, 110.

Horário: A partir das 8h.

Capacidade: 1.000 pessoas

Tags, , , , , , , , ,

Google Cloud lança Text-to-Speech, nova solução que permite aos clientes converter texto em mais de 32 vozes

Text-to-Speech chega com base em versão atualizada do WaveNet, executada na infraestrutura Google Cloud TPU, que gera formas de onda brutas 1.000 vezes mais rápidas que o modelo original

Google Cloud expande seu portfólio de produtos em inteligência artificial e lança o Text-to-Speech, nova ferramenta que permite aos clientes a conversão de fala em texto em mais de 32 vozes em 12 idiomas diferentes, inclusive português. É a primeira vez que a empresa disponibiliza o WaveNet, um produto inovador de pesquisa de síntese de voz da DeepMind, para o público.

“Muitos produtos do Google como, por exemplo, o Google Assistant, Search e Maps, vêm com uma síntese de texto para fala incorporada, de alta qualidade, que produz fala com som natural. Os desenvolvedores nos disseram que gostariam de adicionar texto para voz a seus próprios aplicativos. Por isso, hoje estamos trazendo essa tecnologia para o Google Cloud Platform, com o Cloud Text-to-Speech”, declara Dan Aharon, gerente de produto de Google Cloud AI

Além de permitir que os usuários escolham entre 32 vozes diferentes de 12 idiomas, o Cloud Text-to-Speech também traz pronúncias mais assertivas em textos complexos, como nomes, datas, horários e endereços. O produto, já utilizado por empresas como Cisco e Dolphin ONE, permite a personalização do tom, a taxa de fala e o ganho de volume da voz, além de oferecer suporte a diversos formatos de áudio, incluindo MP3 e WAV.

Com o Cloud Text-to-Speech é possível selecionar vozes de alta fidelidade construídas com base no WaveNet, um modelo generativo para áudio bruto criado pela DeepMind. O WaveNet traz uma fala mais natural, fazendo com que os usuários prefiram o seu áudio ao invés de outras tecnologias de conversão de texto em voz que já existem no mercado.

Tags, , , , , , ,

Google Cloud reduz custos de pesquisas científicas de instituto do MIT e de Harvard

Com o objetivo de oferecer cada vez mais oportunidade de crescimento aos seus usuários, além de espaço ilimitado para armazenamento de dados em nuvem segura, o Google Cloud Platform tem ajudado também na redução dos custos de pesquisas científicas. Um exemplo é o caso de sucesso do Broad Institute do MIT e Harvard, pioneiro centro de pesquisa biomédico de genomas.

“Tem sido um privilégio apoiar o Broad em sua missão de avançar na pesquisa biológica e no tratamento de doenças, além de estabelecer as bases para uma nova geração de terapias. Fazemos parte de um marco importante para a comunidade científica, já que no GCP o custo de executar o projeto foi reduzido para pouco mais de US $ 5 por genoma”, afirma Jonathan Sheffi, Gerente de Produto de Genômica e Ciências de Vida, Google Cloud.

Em média, um genoma humano entra em um seqüenciador a cada 10 minutos. Até a data, o instituto processou mais de 76 mil genomas, gerando 24 TB de dados por dia e armazenando mais de 36PB de dados na plataforma de nuvem do Google. Uma vez que os dados genômicos são gerados, o processamento e a análise são feitas em etapas ligadas a um projeto automatizado, chamado de GATK Best Practices.

Em 2015, quando o projeto GATK Best Practices foi trazido para o Google, o custo para executá-lo era de US $ 45. Desde então, a redução chegou a 90%, mantendo a qualidade do resultado. Entre os benefícios alcançados até hoje estão o aumento da eficiência e a redução dos custos em aproximadamente 30%, já que no passado o armazenamento local dos dados consumia a maior parte do orçamento de computação do instituto, e a otimização da transmissão das informações, com os algoritmos lendo os dados diretamente do Google Cloud Storage, o que requer menos espaço em disco. “Além disso, a adoção da nuvem permitiu uma economia extra de 35% dos gastos, com o uso de máquinas virtuais preemptivas, que são 80% mais baratas”, conclui Jonathan.

O Instituto Broad lançou recentemente a versão open-source 4.0 do GATK, que permite que pesquisadores, até mesmo os sem treinamento computacional, tenham acesso ao projeto GATK Best Practices no portal de análise baseado na nuvem do FireCloud.

Tags, , , , , ,

Google Cloud e Dropbox anunciam parceria para integrar plataformas

Google Cloud e Dropbox anunciaram esta semana uma parceria para entregar uma ferramenta mais unificada aos seus usuários. Trabalhando com o Google Cloud, o Dropbox planeja desenvolver uma série de integrações multiplataforma que conectem ferramentas e conteúdo de produtividade em nuvem do G Suite (Gmail, Documentos, Planilhas, Slides, Hangouts) com sua plataforma de colaboração global. Essas integrações serão acessíveis para todos os usuários do Dropbox.

Com isso:

Os usuários poderão criar, abrir e editar Google Docs, Sheets e Slides que estão armazenados no Dropbox;

Dentro do Dropbox, os usuários terão a opção de abrir e editar arquivos compatíveis diretamente no Google Docs, Sheets e Slides;

Os administradores do Dropbox Business poderão gerenciar o Google Docs, Sheets e Slides como qualquer outro conteúdo que esteja no Dropbox.

“Nosso objetivo é tornar o G Suite acessível, não importando quais ferramentas você utilize para trabalhar”, diz Ritcha Ranjan, diretora de gerenciamento de produto do Google Cloud. “Trabalhar com o Dropbox para fazer nossos apps trabalharem melhor juntos ajuda nossos clientes a direcionarem seu tempo no trabalho que realmente importa”.

Muito além dos Documentos e Arquivos

O Dropbox desenvolverá integrações adicionais com o Gmail e o Hangouts Chat, ajudando as equipes a manterem o conteúdo do projeto conectado às conversas em torno dele:

Novo Dropbox para complementos do Gmail: os usuários poderão selecionar e gerar links de arquivos Dropbox diretamente do Gmail. Além disso, eles podem optar por ver metadados no conteúdo do Dropbox no Gmail, incluindo data de criação, última versão salva e último acesso.

Nova integração do Chat do Dropbox e do Hangouts do Google: a integração permitirá aos usuários pesquisar, compartilhar e visualizar arquivos do Dropbox no Hangouts do Google.

Tags, , , , , , , , ,

Google Cloud promove treinamento gratuito para desenvolvedores

Bootcamp terá dois dias dedicados a machine learning e kubernetes, que contarão com especialistas do Google e laboratórios práticos

O Google Cloud oferecerá dois dias de treinamentos gratuitos para desenvolvedores em 8 e 9 de novembro, em São Paulo. Machine learning e kubernetes serão os temas de cada dia do Bootcamp, respectivamente, com aulas ministradas por especialistas do Google e laboratórios práticos para colocar em ação os ensinamentos. Podem se inscrever gratuitamente programadores, cientistas de dados, desenvolvedores e profissionais de operações que desejem aprimorar seu conhecimento sobre as ferramentas da plataforma de Google Cloud. É a primeira vez que o Google oferece este tipo de treinamento de maneira gratuita no Brasil.

No primeiro dia do Bootcamp, os profissionais inscritos aprenderão conceitos de Machine Learning, tendo acesso a aulas sobre desenvolvimento, avaliação e produção de modelos de aprendizado de máquinas. O segundo dia será dedicado a noções básicas de kubernetes, sistema de código aberto desenvolvido pelo Google para gerenciamento de aplicativos, mostrando como colocar cargas de trabalho em containers, implementar clusters no Google Container Engine, fazer integração contínua e escalar aplicações para gerenciar aumento de tráfego.

Em paralelo ao Bootcamp para desenvolvedores, acontecerá o Google Cloud Summit, evento gratuito com mais de 20 palestras sobre Google Cloud, G Suite, Maps, dispositivos de nuvem, entre outros. O evento reunirá executivos, clientes, parceiros, desenvolvedores, profissionais de TI e engenheiros para discutir o futuro da nuvem. Na programação, estarão temas atuais e relevantes, como big data, machine learning, desenvolvimento de aplicativos, infraestrutura, operações, colaboração, produtividade e mobilidade. Além disso, haverá a participação de especialistas internacionais do Google e a apresentação de casos de sucesso de grandes empresas e startups, para que o público conheça os benefícios da adoção da nuvem na prática.

Onde se inscrever para os dois eventos:

Developer Bootcamp:
https://goo.gl/tvFXMR

Google Cloud Summit: https://goo.gl/rXx3pV

Tags, , , ,

Google Cloud anuncia novo diretor de vendas para Latam

Com 20 anos de experiência, João Carlos Bolonha chega à empresa para ajudar os clientes na transformação digital de seus negócios

Como parte das ações locais da área de Cloud, o Google anuncia a chegada de João Carlos Bolonha como diretor de vendas para a América Latina. Com 20 anos de experiência, o executivo possui especialização em liderança organizacional pela Georgetown University, MBA pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), graduação em computação pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e é formado pela Escola Técnica Estadual de São Paulo (ETESP). Nos últimos anos, Bolonha esteve à frente da operação de soluções Cloud da Microsoft, onde foi responsável pela implementação da área.

“O Google está vivendo um momento único no mercado, com a estruturação de componentes essenciais para o negócio, com o pagamento em moeda local, políticas comerciais e de governança simples, o que traz mais segurança e velocidade de adoção aos nossos parceiros e clientes”, afirma Bolonha.

Para Bolonha, hoje, o maior desafio das empresas é se organizar para incorporar as tecnologias de computação em nuvem, que estão em constante evolução. Para atingir esse objetivo, muitas corporações tradicionais estão rompendo barreiras, sejam culturais ou de governança, pois sabem que a adoção da tecnologia é um caminho sem volta. “O meu objetivo será impactar os clientes desta nova região de Cloud para que consigam absorver ao máximo os benefícios da nuvem”, explica.

Entre as tendências que devem impactar o mercado brasileiro está o aumento de modelos de negócio 100% baseados na nuvem, uma realidade já comum para muitas startups brasileiras, mas que deve se estender rapidamente. Bolonha acredita que haverá, nos próximos anos, um aumento exponencial de empresas disruptivas habilitadas pela nuvem, em diversos setores. Com relação às empresas tradicionais, o executivo acredita que devam ter uma escala mais clara e acelerada na nuvem.

Recentemente, o Google anunciou o lançamento de uma região de Cloud aqui no Brasil, para atender clientes da América Latina. Entre os diferenciais anunciados estão a redução de até 95% na latência e a cobrança em reais, que facilitou e democratizou a contratação de serviços de Cloud no país.

Tags, ,

Conheça 4 erros comuns na gestão de dados – Por Cláudio Santos

Atualmente, a gestão de dados é uma das áreas mais importantes dentro das companhias. O setor é responsável em desenvolver e administrar, de modo centralizado, as estratégias, procedimentos e práticas no processo de gerenciamento dos recursos, incluindo todo o planejamento para a sua definição, padronização, organização, proteção e utilização.

Entretanto, durante as atividades que demandam uso de dados, eventualmente ocorrem erros. No dia a dia da gestão organizacional, estamos presos a padrões corporativos que exigem um gerenciamento eficiente. São eles: identificar e resolver problemas.

Dessa forma, confira quatro erros comuns relacionados à gestão de dados:

1. Não definir metas

A falta de objetivos já ocasionou a falha de projetos por conta do problema na gestão dos dados. Nesses momentos, a principal pergunta que deve ser feita é: “Onde desejo chegar?” Dessa forma, é possível gerenciar as informações de maneira mais assertiva, criando um bom plano de ações em conjunto.

2. Não estipular qual o seu público

Atirar para todos os lados não significa acertar o alvo. É importante esclarecer que quanto mais pessoas a empresa quiser atingir, sem que ocorra um padrão ou critério que defina as características desses indivíduos, mais difícil será de obter os resultados desejados. Além de uma boa definição de metas, é preciso realizar uma profunda análise de segmentação, onde o uso dos dados possa ser mais específico. Tendo uma mira certa, a decisão torna-se mais eficiente e gera bons frutos.

3. Não saber utilizar o volume dos dados coletados

Com a expansão constante do big data, o conceito da importância dos grandes volumes de dados se expandiu rapidamente dentre diversos setores da indústria. Possuir um montante de informações é fundamental, mas não é preciso abusar. Em sua maioria, a base necessária para a realização de algumas ações está no small data, que são pequenos dados essenciais para o embasamento do processo decisório. É importante se concentrar nos que realmente vão ao encontro do objetivo para que haja sucesso.

4. Estruturação de informações

O processo final de uma coleta de dados é a estruturação dos mesmos. Identificar padrões de respostas e mapeá-los são essenciais para identificar os resultados. Na maioria das vezes, diversos erros podem ocorrer nesse momento e não dar a devida atenção na correção dos problemas pode prejudicar a documentação dos objetivos atingidos, impactando na tomada de decisões.

É importante manter o foco no gerenciamento para obter um bom desfecho. Evitar os erros mais comuns pode ser um primeiro passo para aumentar o índice de assertividade nas companhias.

Cláudio Santos é CEO da Santo Digital, empresa líder em Google Cloud e G-Suite.

Tags, , , ,