Tag Futurecom 2016

Na Futurecom, IEEE debate desejo dos brasileiros por câmeras de monitoramento integradas a centrais de polícia

Em pesquisa realizada pelo DATAFOLHA, encomendada pela IEEE, maior organização global dedicada aos avanços da tecnologia para o benefício da humanidade, 36% da população brasileira pede a implantação de câmeras de monitoramento integradas às centrais de polícia, para garantir segurança pública, como melhor contribuição da tecnologia para o desenvolvimento urbano. O assunto foi debatido em painel pelos membros sênior da IEEE, Cyro Boccuzzi e Raul Colcher, durante a Futurecom, que se encerra nesta quinta-feira. O Instituto DATAFOLHA realizou ampla pesquisa nacional para descobrir dos brasileiros quais soluções tecnológicas são consideradas as mais importantes para suas cidades. Foram apresentadas 10 opções de tecnologia e ouvidas mais de 2 mil pessoas, de 130 municípios de diferentes portes, em 4 regiões do país.

Semáforos inteligentes e acessibilidade/apoio a deficientes físicos nos meios de transporte públicos praticamente empataram em segundo lugar, com índices bem menores (15% e 14%, respectivamente). Em terceiro lugar, os entrevistados citaram internet sem fio em ruas e praças e o monitoramento de tráfego urbano em tempo real (ambos com 8%), seguidos de interação dos usuários com serviços de transporte público (7%), veículos elétricos (4%), identificação automática de veículos e instalação de sensores em postes de iluminação (ambos com 3%) e sistemas inteligentes para cobrança de passagens (2%).

O objetivo do painel foi explicar os principais usos da tecnologia em prol da melhoria da vida urbana, além de apontar novas tendências que estão sendo desenvolvidas atualmente, como as redes inteligentes de energia. Um dos principais temas abordados foi redes inteligentes–as chamadas smart grids. Na avaliação de Cyro Boccuzzi, também CEO da consultoria ECOEE, “as redes inteligentes são a base fundamental da sociedade do século 21, uma vez que nada funciona sem energia: precisamos de um serviço confiável para manter segurança e conforto elementares, como pegar um elevador ou pagar uma conta com cartão de crédito. Empresas brasileiras vêm fazendo investimentos significativos na área de automação de subestações e redes e de tecnologia de comunicação e informação. E os consumidores brasileiros já começaram a adotar sistemas próprios de geração de energia, cujos preços estão caindo vertiginosamente no mercado internacional”.

Para Raul Colcher, CEO da consultoria Questera, “a implementação e uso de smart grids se encontram em fase inicial no Brasil, mas já existem investimentos privados representativos para o desenvolvimento e certificação de medidores inteligentes, dispositivos essenciais à viabilização das redes inteligentes de distribuição”. Porém, segundo aponta Boccuzzi, “ainda há a necessidade de regulamentar as tarifas inteligentes, que sinalizam adequadamente os custos de capacidade e congestionamento de redes. “Elas são a base de mudança do comportamento das pessoas para que haja o consumo consciente de energia; e, para sua implantação progressiva, as concessionárias ainda precisam fazer investimentos significativos, pois é preciso integrar essa geração distribuída ao seu sistema de forma eficiente. Ainda, haverá a necessidade de investimentos em medição inteligente”.

Melhoria da iluminação pública- Outro desafio é fornecer iluminação pública eficiente para as cidades. Para Boccuzzi, o Brasil tem uma grande oportunidade de implementar iluminação a LED, tecnologia madura e com bom custo-benefício. Entretanto os municípios, legalmente responsáveis pela gestão e expansão do serviço de iluminação pública, enfrentam restrições orçamentárias e exigências de investimento em outras áreas, como saúde, transporte, segurança e educação. “A saída tem sido a busca de parceiros privados para a operação e modernização destes serviços que, em função de sua granulosidade e presença no meio urbano, têm a vocação natural de ser a porta de entrada para a conectividade, podendo, assim, viabilizar uma grande melhoria nos demais serviços públicos, como transporte, segurança, saúde e outros”, afirmou.

E Colcher destacou um aspecto importante: “Quando se fala de iluminação pública, é importante ter em conta o papel que esses sistemas podem desempenhar no contexto das chamadas cidades inteligentes. O poste de iluminação, por ser um elemento de mobiliário urbano bem presente em todas as partes, também pode servir para ancorar sistemas vitais para a implementação de outras tecnologias essenciais, como, por exemplo, a de redes de acesso de dados (WiFi), postos de acesso à informação sobre transportes públicos ou difusão de câmeras de vídeo para monitoramento em centros de supervisão e controle e/ou apoio à segurança pública”.

O futuro das energias renováveis- Energias renováveis também são componente fundamental do futuro e, segundo Boccuzzi, o Brasil tem a mais bem-sucedida trajetória na área, possuindo a matriz elétrica mais limpa do mundo, construída à base de hidroeletricidade, além de também ter-se destacado em outras áreas de renováveis, como o álcool automotivo, a geração por biomassa, a energia eólica e mais recentemente a solar. “Certamente permaneceremos na vanguarda destas energias, por causa das dimensões e diversidades regionais do País e o extenso potencial existente para a sua exploração em base econômica”, prevê. O grande desafio dos próximos anos, porém, será rever o modelo econômico das concessões para integrar estas fontes distribuídas aos sistemas existentes.“Isso exigirá investimentos das companhias de distribuição e transmissão em sistemas de controles e equipamentos que preparem os sistemas atuais para a nova realidade, uma vez que foram projetados para operar de modo unidirecional. E o crescimento de pontos de injeção de renováveis no nível dos consumidores, de modo granular, trará a inevitável necessidade de gerenciamento dinâmico e situacional de fluxos de potência e da carga, de modo harmonioso”, sugeriu Boccuzzi.

Tags, , , , , , ,

Embratel lança soluções de Storage como Serviço

A Embratel lança hoje soluções de Storage as a Service: Cloud Storage e Network Storage. As novas ofertas permitem o armazenamento de arquivos e objetos na Nuvem da Embratel, com acesso via Internet e rede privada, com a vantagem que os clientes podem pagar conforme o uso dos serviços. Os novos produtos de armazenamento (storage) integram o portfólio de segurança da empresa e serão anunciados durante o Futurecom 2016, principal evento de TIC da América Latina e que acontece de 17 a 20 de outubro, em São Paulo.

“As ofertas Cloud Storage e Network Storage vieram complementar nossa família de serviços em Nuvem, tornando o portfólio de produtos da Embratel ainda mais completo, com maior abrangência e mais benefícios para empresas de todos os tamanhos”, diz Mário Rachid, Diretor Executivo de Soluções Digitais da Embratel. Segundo ele, as duas modalidades garantem alta disponibilidade de dados armazenados, com SLA (garantia de nível de serviço) de 99,9%, atrelada à alta performance e desempenho da rede da Embratel.

A Cloud Storage da Embratel é uma plataforma escalável para armazenamento, gerenciamento e distribuição de objetos na Nuvem via Internet, com alta disponibilidade e durabilidade. A nova oferta é ideal para guardar e disseminar conteúdos como sites e sistemas virtuais, fazer backup on-line e armazenar grande volume de dados como imagens, músicas, documentos, e-mail, entre outros. A nova solução destaca-se por utilizar o software de código aberto OpenStack para gerenciar os componentes de múltiplas infraestruturas virtualizadas, funcionando independentemente de servidores e de outros equipamentos.

Já com a Network Storage, o cliente consegue ampliar o desempenho e a capacidade de sua infraestrutura, associando seus servidores a uma solução de armazenamento de arquivos de forma centralizada, escalável e baseada na plataforma NAS – Network Attached Storage (armazenamento conectado à rede). A oferta é recomendada para o armazenamento de volumes de tamanhos e desempenhos variados que precisam estar acessíveis por rede privada, via protocolo NFS – Network File System (diretório virtual de compartilhamento entre computadores conectados em rede).

A solução ainda permite que arquivos salvos na rede sejam acessados ou compartilhados por mais de um dispositivo. Para contratar a oferta de Network Storage, é necessário que o cliente já possua servidores conectados ao Data Center da Embratel, que possui a maior abrangência de conexão de rede do Brasil, com ótima latência, alta velocidade e o melhor tempo de resposta para aplicações.
O portfólio de produtos da Embratel permite ao cliente terceirizar toda a sua infraestrutura de TI, inclusive com soluções como as de Cyber Intelligence, Data Center Virtual, Core Infrastructure, Network Suite, Experience Monitoring, Backup e Storage Protect, Security Services, Managed Services e Disaster Recovery.

Portfólio de segurança da Embratel

As soluções de Storage as a Service podem ser utilizadas em conjunto com a nova oferta de Cyber Intelligence, que está sendo lançada no mercado esta semana para proteger empresas de ataques cibernéticos e de invasões capazes de colocar em risco suas estruturas de TI e de Telecom. Também podem ser integradas a outras soluções da Embratel, como o Data Center Virtual, que é uma linha de serviços capaz de unir a flexibilidade das soluções hospedadas em Cloud com a robustez do Hosting gerenciado.

“Com a Embratel, os clientes possuem soluções completas, desde a infraestrutura até todo o suporte necessário as suas aplicações”, afirma Mário Rachid. Segundo ele, outro destaque do portfólio da Embratel é o Core Infrastructure que reúne todos os elementos essenciais para hospedar o ambiente de TI do cliente em um Centro de Dados. Já o Network Suite, oferece soluções de conectividade e alta disponibilidade de rede. Proporciona crescimento escalável, conforme a necessidade dos negócios. No âmbito do monitoramento, o Experience Monitoring inclui soluções com total integração em diferentes ambientes, correlacionando dados e permitindo visualização de indicadores de desempenho.

Na área de Backup, o produto Backup e Storage Protect permite fazer o armazenamento centralizado e gerenciado, garantindo maior benefício no ciclo de vida da informação. Com a adoção de políticas de proteção (backup), dados críticos ficam seguros e disponíveis a qualquer momento. O Security Services apresenta soluções flexíveis e em conformidade com as normas de segurança internacional. É uma linha de serviços que agrega melhorias contínuas, gerencia o risco e antecipa possíveis impactos nos negócios dos clientes.
Para o ambiente de gestão, a Embratel oferece o Managed Services para gerenciar cada componente do ambiente de TI das empresas, e o Disaster Recovery para cópia adicional de dados e proteção em caso de desastre.

Tags, , , , , , ,

Futurecom 2016: Claro e Ericsson apresentam testes inéditos com o 5G

A Claro e a Ericsson fazem o primeiro teste da tecnologia 5G no Brasil durante a Futurecom 2016. A demonstração permitirá que operadoras de telecomunicações e parceiros, como instituições acadêmicas, centros de saúde, setor de energia e agricultura, testem os recursos do 5G em uma rede ao vivo.

O 5G possibilitará às organizações entrarem em mercados pouco explorados e desenvolver novos modelos comerciais, incluindo aplicações voltadas para a internet das coisas. Os recursos disponíveis a partir do uso dessa tecnologia incluem maior capacidade de rede e ampliação do tráfego de dados, baixa necessidade de energia, mais segurança e confiabilidade, bem como latência reduzida.

“Esse é um importante passo para a evolução das redes de telefonia celular no Brasil. Estamos muito satisfeitos em viabilizar, pela primeira vez no país, testes com o 5G e participar ativamente do desenvolvimento dessa tecnologia. A quinta geração da telefonia móvel permitirá tráfego de dados centenas de vezes maior do que é oferecido hoje, podendo conectar 100 vezes mais dispositivos”, afirma André Sarcinelli, diretor de engenharia da Claro.

“Novas tecnologias de informação e comunicação (TIC) podem dar suporte à transformação virtual de todos os setores da sociedade, bem como de todas as indústrias. Estamos convencidos de que a próxima geração de banda larga móvel e de internet das coisas, habilitadas pelo 5G, vão acelerar ainda mais as oportunidades de avanço em diferentes setores da indústria e em novas aplicações”, diz Eduardo Ricotta, vice-presidente da Ericsson responsável pela unidade de negócio no Brasil. “Tirar os testes dos laboratórios e trazê-los para as redes, como estamos fazendo na Futurecom, é parte importante do processo que permitirá estar com as redes comerciais prontas em 2020”, complementa.

O acordo entre a Ericsson e a América Móvil, maior grupo de telecomunicações da América Latina e controlador das marcas Claro, NET e Embratel no Brasil, para testar o 5G foi feito em 2015, durante um encontro com o governo brasileiro na sede da Ericsson, na Suécia, onde a empresa anunciou que também daria suporte ao país em sua agenda digital.

Tags, , , , , , ,

Yahsat mantém investimento de US$ 200 milhões para universalização de banda larga via satélite no Brasil

A Yahsat, operadora de satélite sediada no Emirados Árabes Unidos, reitera no Futurecom 2016 sua entrada no mercado brasileiro. A companhia, que é a 7ª maior operadora de satélite em termos de receita, reconfirmou que fixou seus investimentos em US$ 200 milhões desde 2014 diante do lançamento de banda KA, o Al Yah 3.

Após o lançamento do terceiro satélite, a empresa que tem cobertura no Oriente Médio, África e regiões Central e Sudoeste da Ásia, também oferecerá serviços no Brasil a partir de 2017. Em maio de 2015, a Yahsat venceu um leilão público liderado pela Anatel e obteve os direitos de operar um satélite, como uma operadora brasileira, no mercado nacional onde a licença foi concedida no começo deste ano.

A Yahsat vê o Brasil como um dos principais mercados e tem feito investimentos até hoje que incluem dois teleportos no estado de São Paulo, nas cidades de Hortolândia e Jaguariúna. Os teleportos no país proverão uma rede segura e resiliente, assegurando alta disponibilidade e terminação de tráfego dentro do Brasil. Além disso, conforme a Yahsat se aproxima do lançamento em 2017, ela segue incrementando a equipe no Brasil, sediada em seu novo escritório na capital carioca, e está articulando com diversos parceiros estratégicos em sua cadeia de valor para a distribuição de seus serviços. Finalmente, para complementar seus negócios de banda larga, Yahsat também está fechando acordo com vários provedores de serviço como clientes pré-lançamento que têm intenção de usar a Yahsat VNO (operadora de rede virtual) para prover serviços sob medida para seus clientes corporativos finais.

No Futurecom 2016, Masood M. Sharif Mahmood, CEO da Yahsat, comentou sobre a expectativa em prestar serviços no Brasil. “Conforme nos aproximamos de lançar os serviços no Brasil, percebemos a grande oportunidade de conectar usuários por todo o país com uma conexão confiável e estável. Estamos caminhando a passos largos para construir os alicerces desta entrada em um importante mercado e desejamos completar esta jornada”.

Para Marcio Tiago, diretor geral da Yahsat no Brasil, o sucesso dos satélites Yahsat em outras partes do mundo trouxe a experiência para superar este desafio. “Muitos dos mercados que apoiamos são similares ao Brasil, onde há muitas comunidades sem ou com conexão limitada de internet, em que a velocidade de dados é inferior a 1 Mbps. Mais de 60% dos domicílios no Brasil ainda não tem internet banda larga”.

O Al Yah 3, um satélite dedicado exclusivamente à banda Ka, alcançará mais de 95% dos domicílios brasileiros em mais de 5 mil cidades, provendo serviços de banda larga rápida e acessível, assim como links de suporte econômicos e de alta velocidade para operadoras e provedores de serviços.

Em relação ao mercado de atacado, Marcio Tiago detalha a articulação feita até o momento. “Já estamos em negociações com operadoras, provedores de serviço via satélite e suas parceiras para adquirirem serviços de conectividade no atacado. Conexões via satélite de banda Ka são mais acessíveis, rápidas e abrangentes em cobertura, alcançando áreas que não se pode alcançar de forma econômica por soluções terrestres”, aponta Marcio.

A Yahsat no Brasil está participando do Futurecom 2016, em São Paulo, no Transamerica Expo Center, no corredor C, posição C4.

Painéis no Futurecom 2016 – Marcio Tiago, diretor geral da Yahsat no Brasil, participará de dois painéis do Futurecom:

– “Inovações nas Comunicações através de Satélites”, em 18/10, terça-feira, das 16h40-17h50, no auditório Argentina. O painel terá como foco a crescente demanda por serviços de conectividade constante de banda larga em qualquer lugar. As inovações nas arquiteturas das comunicações de banda larga por satélite (LEO, HTS, MSS) serão debatidas por executivos especialistas no sentido de rentabilizar e viabilizar serviços ao mercado com vantagens competitivas às operações com satélites.

– “Soluções para Conectar os Desconectados”, em 19/10, quarta-feira, das 16h40-18h30, no auditório México. O foco das discussões estará nas soluções com maior inovação, viabilidade e vontade política dos países da América Latina em um grande esforço para conectar os desconectados, sem o qual não haverá desenvolvimento sustentável na região.

Tags, , , ,

everis debate a Internet das Coisas na Futurecom 2016

Além de marcar presença na Futurecom 2016, que acontece de hoje (17) a quinta-feira (20/10), no estande do Grupo NTT, a everis, multinacional de consultoria que oferece soluções de estratégia e de negócios, do grupo NTT DATA, também participa de importantes painéis de discussão ao longo do evento.

Nesta segunda (17/10), às 11h30, Juantxo Guibelalde Folch, sócio da empresa, será um dos debatedores do painel que abordará um dos mais promissores mercados na área da tecnologia: a Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês). De acordo com Folch, as aplicações baseadas em IoT vão gerar muitas oportunidades, além de transformar diferentes setores em todo o mundo.

Estima-se que o mercado global de IoT alcance a cifra de US$ 1,7 trilhão em 2020. No Brasil, esse cenário não é diferente. A previsão, para esse mesmo período, é que a área movimente US$ 7 bilhões, quando o número de equipamentos ou wearables conectados deverá atingir a marca de 400 milhões no País.

Intitulado “IoT: Impacto nas Redes e Estratégias de Monetização”, o painel durante a Futurecom abordará estratégias de tecnologia, investimentos, operação e gestão necessários para que a infraestrutura de rede consiga suportar com qualidade o alto crescimento de dispositivos conectados e para que haja novas alternativas para a rentabilização dos serviços.

O sócio da everis explica que os usos e aplicações da IoT são os mais diversos e, neste momento, no Brasil, representa a próxima evolução da Internet, com potencial de impactar significativamente e positivamente diferentes indústrias. Entre os exemplos estão os mercados de seguros, com inovações que envolvem a utilização de robôs, wearables, drones, carros e casas inteligentes; finanças, por meio do monitoramento de produtos, serviços financeiros e de clientes; de manufatura, em que sensores, dispositivos e máquinas cada vez mais se conectarão à Internet, transformando dados desorganizados em insights de negócios; e, ainda, na evolução dos serviços de estrutura das cidades, proporcionando mais segurança e qualidade de vida às pessoas.

No entanto, o Brasil possui grandes desafios para alavancar definitivamente a área de IoT. Entre eles está a qualidade das redes, uma infraestrutura desafiadora e com alto custo de implantação e manutenção. “Com dimensões continentais, o País ainda apresenta grandes desafios relacionados à cobertura e se vê diante da crescente necessidade de redes de acesso que suporte todo esse novo ecossistema de IoT. Atualmente, o Brasil conta com 168 milhões de smartphones em uso. Nos próximos dois anos, estima-se que serão 236 milhões. E os smartphones representam somente uma parte uma parte deste ecossistema. Diante desse contexto e em função das necessidades de consumo e volume de dados, amplitude da cobertura e distâncias territoriais, é preciso fazer uso de distintas tecnologias combinadas como GSM, 3G, 4G, RF, até hoje limitadas e que precisam ser estabelecidas nas cidades e nos campos brasileiros”, afirma Folch.

A everis estabeleceu uma linha estratégica de negócios, chamada everis_IoT, que agrega toda a sua oferta smart e aborda diferentes campos da Internet das Coisas, como Digital Life, Utilities, Logística, Indústria 4.0 e Smarticities. Para isso, conta com uma equipe qualificada e especializada em IoT/M2M para atuar no desenvolvimento de soluções, além de um ecossistema de mais de 30 parceiros tecnológicos para hardwares e soluções baseado na filosofia open-innovation, somando mais de 681 mil dispositivos conectados.

Folck é engenheiro de telecomunicações, graduado em administração e negócios. Sua carreira de mais de 20 anos tem sido intimamente ligada ao mundo das telecomunicações. Entre 2003 e 2007, mudou-se para o Brasil para ser o CEO da everis no País. De 2014 a 2015, também foi vice-presidente da Associação Espanhola de Empresas de Eletrônica, Tecnologia da Informação, Telecomunicações e Conteúdo Digital (AMETIC). Atualmente, é sócio da everis_ IoT.

Tags, , , ,

RFS apresenta novas soluções de conectividade na Futurecom 2016

A RFS – Radio Frequency Systems, especialista global de infraestrutura de comunicação wireless e broadcast, participa novamente da Futurecom, que acontecerá de 17 e 20 de outubro, em São Paulo. A empresa, que está completando 40 anos de atividade no país, apresenta durante o evento inovadoras soluções para o mercado de telecomunicações da América Latina, com destaque para a solução Smart Pole, Antenas AllClearTM, Jumpers FACTORY-FIT 4.3-10 e soluções HYBRIFLEXTM para small cells.

No congresso, que acontece paralelamente à exposição, Abhijit Karandikar, diretor de estratégias de tecnologia na RFS, faz a palestra “Enfrentando os desafios à medida que as redes evoluem para o 5G”, no dia 19 de outubro (quarta-feira), das 14h40 às 15h10, no Auditório Chile.

O Smart Pole, que estará em demonstração no estande da RFS (E48), é uma plataforma modular urbana que permite a implementação de small cell e combina cobertura wireless, iluminação e sensores inteligentes e energia sustentável. Atendendo ao conceito de cidades inteligentes, o Smart Pole fornece monitoramento, carregamento de veículos elétricos e outros serviços, tais como aplicações de e-commerce.

“O Smart Pole é um sistema totalmente integrado. Na Futurecom 2016 não iremos apresentar somente os produtos conhecidos de nosso portfólio, mas também o que planejamos para o futuro, considerando a evolução de 5G e Internet das Coisas”, diz Marcos Wrobel, vice-presidente de Vendas para América Latina.

Outros produtos em exposição no estande são as antenas transparentes de banda larga e ultra banda larga indoor/outdoor com baixo impacto visual da linha AllClearTM, que reduzem drasticamente o impacto visual no meio ambiente, se misturando com o entorno; a nova geração de Jumpers FACTORY-FIT 4.3-10 com sistema de conectores 4.3-10 e design compacto e as soluções HYBRIFLEXTM para small cells

Congresso
No dia 19 de outubro, das 14h40 às 15h10, no Auditório Chile, Abhijit Karandikar, diretor de estratégias de tecnologia na RFS, apresentará o tema “Enfrentando os desafios à medida que as redes evoluem para o 5G”. O executivo falará sobre os novos desafios do 5G à medida que o tempo passa e se faz necessário atender às crescentes necessidades de capacidade e aplicativos. Esta discussão mostrará algumas ideias de como enfrentar os desafios das redes que evoluem para o 5G.

A experiência de Abhijit Karandikar engloba mais de 16 anos na indústria de telecomunicações em diversos cargos, tais como gerência de produto e desenvolvimento de negócios e engenharia de sistemas na Superconductor Technologies e RFS. Anteriormente, trabalhou no setor de energia alternativa, desenvolvendo motores de calor e aparelhos de resfriamento criogênico.

Futurecom 2016
17 a 20 de outubro
Transamérica Expo – São Paulo
Av. Dr. Mário Villas Boas Rodrigues – São Paulo
RFS – estande E48

PALESTRA
19 de outubro
das 14h40 às 15h10
Auditório Chile
“Enfrentando os desafios à medida que as redes evoluem para o 5G”
Abhijit Karandikar, diretor de estratégias de tecnologia na RFS

Tags, , , ,

NEC mostra tecnologias que conectam os mundos real e cibernéticos durante o Futurecom 2016

Entre os destaques que a NEC, líder global no desenvolvimento de tecnologias de ponta, apresenta durante o Futurecom 2016 (de 17 a 20 de outubro, no Transamérica Expo/SP), estão as tecnologias que impulsionarão as grandes mudanças sociais, por meio da conexão entre os mundos real e cibernético, a exemplo da biometria digital, inteligência artificial, reconhecimento facial, internet das coisas e Big Data. Na oportunidade, a empresa expõe também, em seu estande, localizado na posição 32 do corredor C, soluções inovadoras para os setores de Segurança, Telecom e Varejo.

De acordo com Daniel Mirabile, presidente da NEC no Brasil, a companhia tem como missão potencializar o poder de inovação da TIC (Tecnologia da Informação e Comunicação), a fim de solucionar várias questões sociais, que melhoram a estrutura da sociedade como um todo. “A internet das coisas, por exemplo, deve criar uma ligação mais intensa entre o real e o virtual. Quanto mais as coisas se conectarem e os dados forem analisados, maior será a possibilidade de ajudar a sociedade. A inteligência artificial aperfeiçoada auxiliará a inteligência humana, permitindo que dados ocultos sejam agregados e verificados”, afirma.

Uma das novidades que a NEC traz diretamente do laboratório da empresa no Japão é o ARm Keypad, composto por um teclado virtual e óculos vestíveis, utilizados com a tecnologia de realidade aumentada para transformar o antebraço do indivíduo em uma interface que se conecta com o computador. “Temos trazido muitas soluções do Japão, que têm sido utilizadas na sociedade. Esta inovação vem para estimular o mercado para as diversas possibilidades que a tecnologia pode oferecer, a fim de facilitar ainda mais o cotidiano das pessoas”, complementa Mirabile.

As soluções de biometria digital da NEC são reconhecidas mundialmente como as mais precisas do mercado e podem ser usadas para identificação da face, impressões digitais, entre outras. O público do Futurecom terá a oportunidade de conferir de perto a demonstração do sistema de reconhecimento facial desenvolvido pela empresa em diversas aplicações reais. Essas tecnologias da NEC são utilizadas com êxito, tanto em nível local quanto internacional, em diversos segmentos, como ocorre com os projetos de segurança pública e de sistemas de prevenção a fraudes no varejo. A chegada da Arcon, um dos principais players brasileiros no segmento de segurança cibernética, ao Grupo NEC também fortalece a oferta da companhia nesta área da TI.

Com foco no setor de Telecomunicações, a NEC apresenta soluções que visam otimizar as redes das operadoras, como é o caso do NFV (Network Function Virtualization ou Virtualização de Funções de Rede). Um dos destaques neste contexto é a tecnologia de vCPE (Virtualized Customer Premisses Equipment). “Ao otimizar suas redes, as operadoras conseguem criar novas funcionalidades e utilizar seus investimentos de forma mais eficiente, além de reduzir drasticamente o custo nas operações. Esta solução já está em processo avançado de testes na operadora VIVO, no Brasil”, continua o presidente da NEC no Brasil.

Para o Varejo, setor para o qual a empresa disponibiliza cada vez mais inovações que se convertem em incremento real para o negócio do cliente, a NEC tem ofertas que se estendem desde o Enterprise SDN, que permite que as redes sejam controladas dinamicamente, tornando-as um sistema de TIC flexível, até as soluções mais avançadas de frente de caixa (PDV – Ponto de Venda), as quais buscam garantir a melhor experiência e eficácia durante o processo de compra na loja. Outra inovação da NEC, que já é realidade no Japão, e que os visitantes poderão apreciar em primeira mão durante o evento, é a solução de pagamento por reconhecimento facial. “Hoje em dia, os bancos no Brasil utilizam biometria para acesso aos caixas eletrônicos. Mas, a tecnologia de reconhecimento facial, inclusive, para realizar pagamentos já é uma realidade, proporcionando facilidade e segurança”, finaliza Mirabile.

Participação da NEC no Congresso

– Painel: Impactos nas redes e estratégias de monetização

Executivo NEC: Roberto Murakami, diretor de soluções para operadoras da NEC no Brasil
Coordenador: Eduardo Levy, da SindiTelebrasil e Telco Nation Union
Data: 17 de outubro, segunda-feira
Horário: das 11h30 às 12h40
Local: Auditório Brasil

– Painel: Segurança nas comunicações & gerenciamento de riscos nos negócios

Executivo NEC: Rogério Reis, diretor de operações da Arcon, empresa que pertence à NEC Latin America
Coordenador: Ari Lopes, da Ovum
Data: 18 de outubro, terça-feira
Horário: das 10h50 às 12h
Local: Auditório Colômbia

– Painel: IoT: Revolucionando o estilo de vida dos cidadãos e impulsionando os negócios

Executivo NEC: Daniel Mirabile, presidente da NEC no Brasil
Coordenadora: Critiane Pelajo, da TV Globo
Data: 18 de outubro, terça-feira
Horário: das 11h20 às 12h40
Local: Auditório Brasil

– Painel: Economia Digital 2025: Tendências na Comunicação e Informação de Negócios Globais

Executivo NEC: Shinya Kukita, Diretor da Unidade International de Vendas e Operações de Negócios da NEC Corporation
Coordenador: Jorge Fernando Negrete, da Media Telecom
Data: 18 de outubro, terça-feira
Horário: das 15h10 às 16h30
Local: Auditório Brasil

– Painel dos presidentes: os pontos improrrogáveis da nova política setorial das telecomunicações

Executivo NEC: Daniel Mirabile, presidente da NEC no Brasil
Coordenadora: Heloísa Magalhães, do Valor Econômico
Data: 19 de outubro, quarta-feira
Horário: das 11h às 12h40
Local: Auditório Brasil

– Painel: Cidades Inteligentes contribuindo para segurança, mobilidade, saúde e educação

Executivo NEC: Wagner Coppede Júnior, diretor de soluções e engenharia da NEC no Brasil
Coordenador: Igor Lopes, do Portal Canaltech
Data: 19 de outubro, quarta-feira
Horário: das 15h20 às 16h30
Local: Auditório Brasil

Futurecom 2016

Data: de 17 a 20 de outubro de 2016
Horário: Congresso: das 9h às 12h
Exposição: das 13h às 20h
Local: Expo Transamérica / São Paulo

Tags, , , , , , ,

Embratel lança solução de Cyber Intelligence

A Embratel lança nesta semana a solução Embratel Cyber Intelligence para proteger empresas de ataques cibernéticos e invasões que podem colocar em risco suas estruturas de TI e de Telecom. O novo sistema e o portfólio de produtos de segurança da empresa serão apresentados ao público durante o Futurecom 2016, principal evento de TIC da América Latina e que acontece de 17 a 20 de outubro, em São Paulo.

“A prevenção de ataques continua sendo uma grande preocupação das empresas que já estão conscientes da importância do tema, mas que ainda se encontram despreparadas para reagir rapidamente diante de ataques e de invasões”, diz Mário Rachid, Diretor Executivo de Soluções Digitais da Embratel, destacando que a Embratel Cyber Intelligence ajuda na proteção das estruturas das empresas diante de ataques de hackers e cibercriminosos, garantindo a disponibilidade dos ambientes de TI e de Telecom.

O executivo estima que essa área de proteção da Embratel será uma das de maior crescimento nos próximos anos devido à transformação dos negócios tradicionais dos clientes em novos modelos cada vez mais digitais. Segundo ele, pesquisas apontam que 60% das empresas sofrerão grandes falhas em seus serviços até 2020 e as equipes de TI dessas organizações não terão habilidade para gerenciar sozinhas esses novos riscos. “Estimativas indicam que metade das companhias do mundo terá estruturas em Cloud ou Data Centers externos para recuperação de desastres primários até o ano que vem e, já em 2020, cerca de 30% das 2.000 maiores empresas globais estarão impactadas por grupos de ciberativistas ou cibercriminosos”, diz.

A nova solução destaca-se pela característica preventiva e pela capacidade de identificar previamente possíveis ameaças, inclusive monitorando o que acontece no tráfego da rede e detectando movimentos na Deep Web, Dark Web e de dispositivos de Internet das Coisas (IoT – Internet of Things).

Ataques cibernéticos geralmente seguem protocolos similares, sendo programados com uso de técnicas avançadas feitas a partir de pesquisas preliminares de rastreamento das empresas-alvo e de busca de informações públicas disponíveis em redes sociais, blogs e fóruns. Com base no material apurado, os cibercriminosos planejam as ações e as ferramentas que irão utilizar para invadir os pontos mais vulneráveis das empresas para tentar ultrapassar seus mecanismos e sistemas de defesa.

Além de impactos operacionais e financeiros, a indisponibilidade de comunicação pode causar grandes riscos de reputação por evidenciar eventuais fragilidades nas estruturas digitais de segurança das empresas. Além disso, pode expor clientes finais com possíveis divulgações não-autorizadas, como a exposição de seus dados pessoais. A nova solução da Embratel investiga e antecipa potenciais ameaças, criando uma barreira de proteção lógica contra diferentes tipos de ataques.

De forma preditiva, protege os elementos da infraestrutura das empresas antes mesmo da concretização de eventuais ameaças, garantindo a disponibilidade dos serviços e mantendo ativa a conexão à Internet das organizações. A partir da coleta de dados nos clientes, a Embratel cria um perfil com as caraterísticas técnicas de cada estrutura. Diante de qualquer alteração, as empresas são avisadas imediatamente sobre movimentos indevidos e sobre as melhores estratégias de defesa para se protegerem das ameaças e para prevenirem novos ataques de negação de serviço (DDoS).

Há mais de dez anos, a Embratel atua como fornecedora de soluções de segurança para proteção de dados. Foi a primeira empresa a ter, por exemplo, um centro de gerenciamento de segurança instalado no Brasil. O Centro de Cibersegurança da Embratel é direcionado para grandes grupos, conglomerados empresariais, bancos e eventos de porte como os Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016, dos quais a Embratel foi patrocinadora e fornecedora oficial de serviços de Telecomunicações, proporcionando qualidade e excelência mundial.

Agora, para o lançamento da nova solução, foi criado um novo centro de proteção de segurança no Data Center da Embratel. Com isso, a empresa amplia seu portfólio de produtos para permitir que médias e grandes empresas tenham acesso a filtros de investigação e a estruturas de segurança digital antes só disponíveis para grandes grupos empresariais. “Nossa nova solução pode ajudar as empresas a analisarem seus níveis de proteção e a monitorarem, com inteligência preditiva, eventuais movimentos na Internet”, diz o Diretor Executivo da Embratel.

A solução Embratel Cyber Intelligence já está disponível para compra e seu custo varia conforme as características e porte de cada empresa.

Diferenciais da oferta Cyber Intelligence da Embratel:

– Monitoramento de marca;
– Prevenção de ameaças de ataques de negação de serviço (DDoS);
– Detecção de possíveis modificações não-legítimas nos sites das empresas, como Defacements (ataques ou modificações em websites) e Trojans (Cavalo de Troia);
– Controle de eventuais vazamentos de informações confidenciais para terceiros e fontes públicas;
– Identificação de sites falsos da organização relacionados com o Phishing (forma de fraude eletrônica caracterizada pela obtenção de dados como uma fonte e/ou pessoa confiável);
– Detecção de campanhas contra as empresas e/ou ameaças em seus setores de atuação;
– Levantamento de informações relevantes sobre as empresas, inclusive vendas não-autorizadas em algum mercado negro da Dark Web;
– Diagnósticos especiais a partir de uma perspectiva externa para contribuir para a adoção de novas estratégias de proteção de estruturas, dados e informações.

Tags, , , ,

Abrintel aponta gargalos e soluções para destravar rede de telefonia e dados no Brasil

Durante o Futurecom 2016 – considerado o principal evento de telecomunicações, TI e internet da América Latina –, a Associação Brasileira de Infraestrutura para Telecomunicações (Abrintel) expõe os desafios para que São Paulo se torne uma das principais capitais digitais do continente. Na próxima terça-feira (18), às 18h, no auditório Chile, o presidente da entidade, Lourenço Coelho, mostrará ao público alguns dos obstáculos que a telefonia paulistana enfrenta atualmente. “É preciso apontar os problemas, mas principalmente as soluções. Esse evento contribuirá muito para todos terem uma visão da verdadeira capacidade da cidade em relação ao mundo 2.0. ”

No painel “São Paulo: é possível ser a Capital Digital da América Latina? ”, desenvolvido a partir de recente estudo feito pela Abrintel, serão apresentadas informações que mostram o caminho para que a cidade se torne referência entre as metrópoles do continente em relação a serviços de dados e telefonia, capazes de suportar a crescente digitalização das atividades econômicas. Ao longo da conferência, serão mostrados também os indicadores e os entraves para o desenvolvimento do setor. Nos últimos anos, mais de R$ 8 bilhões foram investidos no País. Até 2019, há um potencial represado de mais de R$ 4 bilhões.

Nas últimas décadas, os avanços em telecomunicações e TI têm provocado mudanças drásticas na sociedade. “Além do impacto econômico, o modo como atuamos em nossas relações culturais e sociais também se transformou. Com isso, a necessidade de São Paulo se tornar uma capital digital é cada vez mais importante e torna-se cada vez mais viável”, afirma o presidente da Abrintel.

A necessidade de infraestrutura que dê suporte ao crescimento digital da cidade é uma das tendências a ser debatida na Futurecom. O Brasil tem 72 mil torres instaladas (ERBs). Dessas, 5.603 estão na capital paulista. De acordo com o estudo desenvolvido pela entidade, um serviço de qualidade, que dinamize a economia 2.0 e transforme a cidade em uma sociedade digital, vai muito além da possibilidade de realizar uma ligação telefônica e requer uma infraestrutura que suporte o crescente tráfego de dados, como os dos aplicativos de celular (Whatsapp, Waze, e-mails, táxis, Uber etc.) e das máquinas de cartão (para pagamentos que vão de estabelecimentos fixos até entregadores de pizza, por exemplo). “No caso de São Paulo, para reverter esse quadro, é necessário triplicar o número atual de ERBs. No entanto, falta de torres não é o único entrave para a digitalização de São Paulo. Há outros pontos críticos que impedem o desenvolvimento da telefonia regional, como, por exemplo, a morosidade no processo de licenciamento (que leva, em média, mais de um ano) e a ausência de segurança jurídica”.

Já entre as soluções, a mais relevante é a revisão e atualização da legislação municipal conforme os parâmetros da recém-aprovada Lei Geral das Antenas, de forma a atender às necessidades de desenvolvimento, regularização e investimentos do setor. Nesse sentido, o Projeto de Lei n.º 751 (de 2013), que atualizaria a normativa existente, continua em processo de aprovação na Câmara Municipal, um entrave administrativo a impedir que as empresas regularizem os ativos e invistam na infraestrutura.

Para acessar o estudo na íntegra ou saber mais informações, acesse o site http://www.abrintel.org.br/

Serviço:
Quando: 18 de outubro
Local: Futurecom 2016
Onde: Transamérica Expo em São Paulo. Av. Dr. Mário Villas Boas Rodrigues, 387 – Santo Amaro – São Paulo, SP
Horário: das 18h às 18h30 (quantidade limitada de lugares).

Tags, , ,

TP-LINK lança portal para parceiros e reforça presença no mercado corporativo na Futurecom 2016

A TP-Link, empresa global líder em conectividade e parceira para um dia a dia conectado, anuncia que irá usar sua participação na Futurecom 2016 para estreitar os laços com revendedores e integradores de sistemas. Além disso, a empresa ainda irá lançar, durante o evento, ferramentas e plataformas de vendas voltadas ao mercado corporativo, com expansão das vendas em 2017.

“O principal objetivo de nosso stand neste ano é o recrutamento de canais e a divulgação do nosso novo Portal de Parceiros. Ainda iremos apresentar as vantagens do nosso programa”, explica Rafael Salgado, gerente de Vendas SMB/B2B da TP-LINK no Brasil.

A escolha da Futurecom para o anúncio do novo foco corporativo da empresa para o mercado SMB, se deve à estratégica concentração de público para este segmento, uma vez que se trata do maior evento de Tecnologia da Informação e Comunicação da América Latina.

“A TP-Link já é líder global em produtos SOHO (Small Office and Home) e temos forte presença de mercado nacional também neste segmento, além de grande confiabilidade na marca pela qualidade dos produtos. Queremos usar essa confiança para expandir nossa atuação em uma faixa maior do mercado”, salienta Salgado. “A principal intenção da empresa nesse momento é aumentar a participação e criar um ecossistema de vendas por meio de grandes integradores de sistemas, além de entrar em grandes processos de clientes finais corporativos e órgãos de governo”, completa.

Por esse motivo, a participação na Futurecom 2016 será ideal para a divulgação dos lançamentos do portfólio corporativo da empresa e um momento de estreitar relacionamento com os diversos canais e revendedores do mercado SMB e Enterprise, buscando o estabelecimento de novas parcerias no Brasil.

O evento terá o lançamento do Access Point AC1200 – EAP320, que oferece velocidades de mais de 1.2Gbps em duas bandas Wi-Fi 802.11ac com tecnologias MIMO e TurboQAM, e da linha de switches JetStream revisada, com novas e mais especializadas funcionalidades de software.

“Muitos clientes corporativos estão buscando uma alternativa viável para implementação de projetos junto a seus clientes finais, principalmente num cenário macroeconômico desfavorável no mercado brasileiro, com vista no médio prazo. Queremos atingir esse público que anseia por soluções de qualidade, competitivas e com a expertise que a TP-Link pode oferecer”, finaliza Salgado.

Futurecom 2016 – Driving Digital Innovation

Data: de 17 a 20 de outubro de 2016
Horário: das 9h00 às 20h (Trade Show e o Congresso Internacional)
Local: Transamérica Expo Center – Avenida Doutor Mário Vilas Boas Rodrigues, 387 – Santo Amaro, São Paulo – SP
Fale com nossos porta-vozes: Rua E – Estande E7

Tags, , , ,

Ruckus Wireless apresenta a tecnologia OpenG no Futurecom 2016

A Ruckus Wireless, unidade de negócios da Brocade, estará no Futurecom 2016 entre os dias 17 e 20 de outubro onde apresentará sua tecnologia OpenG™, solução desenvolvida para enfrentar os desafios de cobertura e capacidade de redes celulares internas.

A tecnologia OpenG combina espectro coordenado e compartilhado, por exemplo, na banda de 3,5 GHz nos EUA, usando small cells compatíveis com múltiplas operadoras. Seu objetivo é oferecer cobertura celular interna mais eficiente, econômica e que seja capaz de suprir as necessidades de conexão de clientes e funcionários de edifícios de todos os tamanhos. A solução da Ruckus oferece uma alternativa de rede móvel neutra significativamente mais barata e fácil de implantar do que os sistemas de antena distribuída (DAS) e de pequenas células tradicionais.
Geralmente as companhias utilizam a tecnologia Wi-Fi para conexão sem fio dentro de suas instalações, mas elas também precisam oferecer cobertura celular total para voz, e-911 e LTE-dados para seus funcionários e visitantes. Essa abordagem para a conectividade celular, ou seja, de fora para dentro, enfrenta vários desafios como, por exemplo, novos materiais de construção que impedem a passagem de sinais sem fio, falta de cobertura em andares mais altos e falhas de conectividade causadas pelas “sombras” de outros prédios.

Os provedores de serviço e os clientes corporativos estão em busca de soluções celulares internas que são fáceis de implementar, oferecem um custo total de propriedade atraente e que consiga ampliar a cobertura e o desempenho. Além disso, esses clientes precisam de soluções que suportam assinantes de várias redes móveis. Os sistemas de antenas distribuídas (DAS) e células pequenas tradicionais conseguem resolver alguns desses desafios, embora a sua adoção seja limitada por questões econômicas e a complexidade de instalação. Diferente da tecnologia OpenG que vem para solucionar esses desafios.

Visite o estande C44 da Ruckus Wireless no Futurecom 2016 para saber mais da tecnologia OpenG.

Congresso Futurecom 2016

Durante o Futurecom, Selina Lo, CEO da unidade de negócios da Brocade, Ruckus Wireless, apresentará o tema “Atendimento da demanda global: Três pilares no futuro conectado das cidades inteligentes”, dia 19 de outubro, às 14h40, no Auditório Argentina.

Em 2050 espera-se que 70% da população mundial viva em ambientes urbanos. Em paralelo a isso temos o papel da tecnologia que está mudando, com a confiança em futuras ‘cidades inteligentes’ para abastecer o consumo de energia eficiente, melhor infraestrutura e conectividade mais confiável, onde tudo estará conectado de forma centralizada.

Há desafios que existem hoje em ambientes urbanos e resolvê-los leva tempo. É por isso que o caminho para uma cidade mais inteligente em um mundo mais inteligente está sendo traçado agora. No Rio de Janeiro, por exemplo, mesmo os bairros de menor renda têm algum tipo de rede ou fornecedor Wi-Fi. No entanto, muitas vezes essa rede faz parte de uma infraestrutura insustentável e insegura.

Hoje, em quase todos os lugares do mundo exige-se conexão, seja para o acesso à educação, como para recursos de saúde e segurança pública. Enquanto o mundo se torna maior e os recursos menores, a corrida para fornecer um modelo de conexão viável é constante.

E aí entra o papel do gerenciamento de dados em nuvem. Com arquitetura flexível, é possível fazer mais de forma remota em qualquer configuração. E com dados facilmente recolhidos no backend, vários sistemas podem se ligar independentemente e resolver problemas rapidamente, antes de surgirem os custos.

No entanto, temos de começar por algum lado. Imaginar como desenvolver “cidades inteligentes” em escala – especialmente em torno de segurança com o importante papel que a “internet of all” (internet de tudo) traz – não acontece de um dia para o outro.

Nesta apresentação, Selina Lo, CEO da Unidade de Negócios Ruckus Wireless da Brocade, irá discutir o novo paradigma de conectividade global a partir do leque de soluções mais recentes da Ruckus & Brocade, e os desafios envolvidos com o fornecimento de simplicidade, estabilidade e segurança que o mundo demanda.

Ruckus Wireless na Futurecom 2016

Estande C44 – Hall C
17 a 20 de outubro de 2015
Exposição Internacional:
-12h às 20h (dias 17, 18 e 19)
-12h às 17h (dia 20)
Congresso Internacional:
9h30 às 18h30 (dias 17 a 20)
Transamérica Expo Center – Avenida Doutor Mário Vilas Boas Rodrigues, 387 – Santo Amaro, São Paulo – SP

Tags, ,

Grupo NTT traz inovações para a Futurecom 2016

Em uma área de 88m², o Grupo NTT traz para a Futurecom 2016 algumas de suas soluções mais recentes em redes, comunicações, software e computação em nuvem. Com sede no Japão e presente em 87 países, inclusive no Brasil, o Grupo marca presença também em quatro painéis deste que é considerado o principal evento de telecomunicações, TI e internet da América Latina, que acontece entre 17 e 20 de outubro, em São Paulo.

Por meio de suas empresas – everis/NTT DATA (business consulting e integração de sistemas), NTT Communications/Arkadin (redes de comunicação global, soluções ICT, serviços de colaboração e UC na nuvem), NTT DOCOMO/DOCOMO Digital (comunicação móvel, Direct Carrier Billing e mobile media enabler) e Dimension Data (Gerenciamento de Serviços ICT) – o Grupo apresentará ao público presente sua expertise na área de tecnologia com soluções empresariais abrangentes, desenvolvidas nas áreas de infraestrutura, serviços de rede, data centers e serviços de segurança.

“O Grupo NTT representa uma potência global que combina visões da indústria, tecnologia, profundo conhecimento em aplicações e expertise em telecomunicações e em segurança, com network sólido e abrangente. Estamos muito contentes em participar pela segunda vez da Futurecom, para apresentar ao público brasileiro um pouco das soluções e serviços de tecnologia avançados e inovadores, que tornaram o Grupo mundialmente conhecido”, afirma Kei Anzai, diretor de operações Américas da everis.

Além do mega estande, a participação do Grupo NTT destaca-se pelos quatro painéis que serão apresentados. No primeiro, o sócio-diretor da everis, Juantxo Guibelalde Folch, abordará o tema “IoT e o Impacto nas redes e as estratégias de monetização”, programado para às 11h30 do dia 17 de outubro, no auditório Brasil. Mais tarde, às 16h40, o diretor sênior para América Latina da NTT Communications, David C. Berrios, apresentará painel com o tema “Negócios disruptivos transformando a economia e repensando as empresas”, no auditório México.

Já no dia 19 de outubro, o responsável pela área de Operações e Redes na everis, Luciano Moyano Santana, participará do painel “Transformação na rede com SDN/NFV: Desafios e planos sustentáveis para o mundo digital”, às 10h10, no auditório Colômbia.

Individualmente, as empresas do Grupo estão entre as melhores marcas em seus setores de atuação. O Grupo NTT é um dos maiores operadores mundiais de centros de dados, garantindo a segurança das informações para milhares de clientes. Um exemplo disso é a rede integral de cabo marinho que constitui o segundo maior backbone IP do mundo, conectando mais de 230 centros de dados.

Tags, ,