Tag Filippo Di Cesare

Engineering do Brasil quer ampliar mercado em Minas

A Engineering, multinacional italiana fornecedora de soluções e serviços de TI, participou nesta quinta-feira (12/06), do projeto Venda Mais Indústria 4.0, da FIEMG. A empresa está entre as maiores de TI na Europa e busca ampliar sua participação no Brasil. “Essa é uma oportunidade para as empresas mineiras. Os avanços não podem mais esperar porque a velocidade das plataformas mundiais é tão rápida que o Brasil ficou muito atrasado. Quem ficar de fora neste momento não terá como se recuperar”, alertou o presidente da Câmara Ítalo-Brasileira, Valentino Rizzioli.

Durante o evento Digital Transformation Day, o CEO da Engineering do Brasil, o italiano Filippo di Cesare, ressaltou que o Brasil está caminhando em direção à indústria 4.0, mas tem entraves pela frente. “Há sérios problemas de infraestrutura, como por exemplo, de banda larga, que poderia trazer grandes transformações para o agronegócio e outros setores”, diz.

A empresa apresentou oportunidades oferecidas pelas tecnologias digitais e como o DigitalOne, o digital transformation framework (conjunto de metodologias, ferramentas de software, tecnologias e consultoria) desenvolvidas para melhor acompanhar as empresas ao longo do jornada de transformação digital.

A Engineering registra mais de 1,5 bi US$ de receita anual e está presente no Brasil desde 2008, com cerca de 600 colaboradores entre São Paulo e Belo Horizonte e mais de 150 clientes. “Foi muito positiva a escolha feita tempo atrás da criação no Brasil de um departamento digital que apenas trabalhasse – como uma organização horizontal e ágil – no digital. Até hoje temos desenvolvido uma oferta abrangente e uma abordagem holística que está alcançando grande sucesso no mercado”, disse.

O executivo enxerga perspectivas de crescimento. “A Inteligência Artificial (IA) é um dos pontos tecnológicos mais efervescentes com que trabalhamos, o volume de soluções de negócios empresariais baseadas em plataformas de IA está crescendo drasticamente e será uma das tecnologias mais disruptivas dos próximos anos”, prevê.

Outra área de investimento da empresa é no desenvolvimento de fortes capacidades de APIS (interface de programação de aplicativos) para ajudar as empresas a fazer disso as bases de sua estratégia digital, permitindo novos produtos digitais, modelos de negócios, canais de negócios, ecossistemas, entre outros. “As APIS são fundamentais para alcançar a agilidade dos negócios e acelerar o processo de entrega de novas ideias ao mercado e a Engineering do Brasil atua com grande conhecimento neste setor”, afirmou.

Para o gerente de Educação para a Indústria da FIEMG, Ricardo Aloysio, a digitalização é o primeiro passo para a indústria entrar no novo patamar da Indústria 4.0. “A indústria nacional para ser competitiva terá que passar a utilizar tecnologias digitais para fazer crescer seus negócios fabricando produtos mais inteligentes e com processos mais autônomos”, disse.

Aloysio falou sobre a evolução dos processos produtivos por meio da aplicação de tecnologias que permitam aumentar seu controle, qualidade, eficiência e autonomia. “Na indústria 4.0 é possível reduzir os custos de manutenção entre 10% e 40%, o consumo de energia entre 10% e 20% e aumentar a eficiência do trabalho entre 10% e 25%”, contabilizou.

Para trilhar esse caminho há nove tecnologias habilitadoras: segurança da informação, realidade aumentada, big data, robôs autônomos, simulações, manufatura aditiva, sistemas integrados, computação de nuvem, e IoT (do inglês, Internet of Things) – internet das coisas. “Precisamos identificar as necessidades das indústrias, priorizar o que será realizado, desenvolver soluções customizadas para o seu processo e se adequar na nova forma de trabalho”, disse.

O Projeto Venda Mais é uma iniciativa da FIEMG, por meio da Superintendência de Desenvolvimento Industrial, através da Gerência de Capitalização e Acesso a Mercados e tem como objetivo aproximar os fornecedores dos clientes, dando oportunidades para o conhecimento de novas soluções e aumentando a possibilidade de negócios lucrativos para ambas as partes.

Tags, , , , , ,

FIEMG, Câmara Ítalo-Brasileira e Engineering do Brasil realizam o Digital Transformation Day em MG

No próximo dia 12 julho a partir das 8 horas, na sede do FIEMG, em Belo Horizonte (MG), será realizado o “Digital Transformation Day”. Trata-se de um evento, que faz parte do Projeto VENDA MAIS INDÚSTRIA 4.0, no qual serão apresentados paras as empresas oportunidades oferecidas pelas tecnologias digitais e como expandir seu Business Model, transformar e digitalizar as operações, descobrir novas oportunidades de monetização e criar um grande valor em Customer Experience.

Na ocasião, a Engineering do Brasil irá apresentar o DigitalOne, o digital transformation framework (conjunto de metodologias, ferramentas de software, tecnologias e consultoria) desenvolvidas para melhor acompanhar as empresas ao longo do jornada de Transformação Digital. Ainda durante o evento serão mostrados cases reais de como o uso das tecnologias de Inteligência Artificial, Machine Learning, Chatbot, Omnichannel, APIS, Digital Integration são usadas concretamente nas empresas digitais para melhorar a Customer Experience, as operações e como habilitar ecossistemas de parceiros e clientes.

Filippo di Cesare, CEO da Engineering do Brasil, afirma com satisfação que a empresa está fazendo um grande investimento no Brasil: “Foi muito positiva a escolha feita tempo atrás da criação no Brasil de um departamento digital que apenas trabalhasse – como uma organização horizontal e ágil – no digital, que tem tido resultados brilhantes. Até hoje temos desenvolvido uma oferta abrangente e uma abordagem holística que está alcançando grande sucesso no mercado. Pessoalmente, estou muito feliz com os resultados alcançados e enxergo grande perspectivas de crescimento. Não há dúvida de que a Inteligência Artificial é um dos pontos tecnológicos mais efervescentes com que trabalhamos, o volume de soluções de negócios empresariais baseadas em plataformas de Inteligência Artificial está crescendo drasticamente e será uma das tecnologias mais disruptivas dos próximos anos”.

“Outra área que investimos muito (e que será mostrado no evento) é no desenvolvimento de fortes capacidades de APIS para ajudar as empresas a fazer disso as bases de sua estratégia digital, permitindo novos produtos digitais, modelos de negócios, canais de negócios, ecossistemas, entre outros. As APIS são fundamentais para alcançar a agilidade dos negócios e acelerar o processo de entrega de novas ideias ao mercado e a Engineering do Brasil atua com grande conhecimento neste setor”, finaliza Di Cesare.

A Engineering está entre as maiores empresas da Europa, que atua em Digital Transformation, com mais de 1,5 bi US$ de receita anual e presente no Brasil desde 2008 com cerca de 600 colaboradores entre SP e BH e mais de 150 clientes.

Digital Transformation Day
Dia 12/07
Horário: das 8h às 15h
Local: Sede da FIEMG
Endereço: Avenida do Contorno 4520, 4456, Foyer (Auditótio 4º), Funcionários, Belo Horizonte, MG
Inscrições: https://www.sympla.com.br/projeto-venda-mais-industria-40__314127

Tags, , , , , , , , , ,

Inteligência Artificial: A batalha entre dados e algoritmos

Por Filippo Di Cesare

Não há dúvida de que a Inteligência Artificial é um dos pontos tecnológicos mais efervescentes. Segundo o estudo do Gartner “O valor comercial da inteligência artificial em todo o mundo, 2017-2025”, é que o volume de soluções de negócios empresariais baseadas em plataformas de Inteligência Artificial crescerá drasticamente em todo o mundo, com um aumento de 70%, em 2018 em relação ao ano anterior. E isso pode triplicar em 2022, quando o negócio deve valer US$ 3,900 bilhões.

A explosão da Inteligência Artificial tem transformado profundamente a sociedade moderna, impulsionado pela capacidade computacional cada vez maior e as quantidades continuamente crescentes de dados e informações disponíveis hoje. Isso afetará todos os aspectos de nossas vidas e será uma das tecnologias mais disruptivas dos próximos anos.

Para mim, é claro que, como diretor de uma empresa voltada para auxiliar seus clientes na transformação digital, a adoção de soluções utilizando Inteligência Artificial é a base das atividades diárias e dos motivos de debate com colegas e clientes. Hoje, lendo a imprensa especializada e fóruns de discussão na Internet, parece haver uma batalha entre dados e algoritmos, para suportar os melhores aplicativos baseados em IA. É possível ler artigos que parecem ser quase expressões de facções opostas; tendenciosa de acordo com a preferência de dados sobre algoritmos ou vice-versa.

O que caracteriza a Inteligência Artificial do ponto de vista tecnológico é o método/modelo de aprendizagem com o qual a inteligência se torna habilidosa em uma tarefa ou ação (daí a distinção entre os vários Machine Learning, Aprendizagem Profunda, etc). Portanto, dados quanto os algoritmos são necessários para o desenvolvimento de uma aplicação baseada em IA.

Existe realmente uma batalha entre dados e algoritmos?

Já faz muito tempo desde que deixei a Faculdade de Ciências Estatísticas em Bolonha (Itália), mas com todos os investimentos que estamos fazendo na empresa no campo de Machine Learning e Inteligência Artificial em geral, eu estou frequentemente envolvido nessas áreas em interessantes discussões de projetos com meus colegas, que lideram o departamento Digital, e felizmente são muito mais experientes do que eu.
Do meu ponto de vista, se é verdade que – como afirma Geraldo Salandra – “Inteligência Artificial é o foguete, mas os dados são o combustível”, também é verdade e inegável que a IA é uma combinação de dados e algoritmos.

Não há dúvida de que sem combustível (ou seja, dados) você não vai a lugar algum, mas tenha em mente que também é verdade que a escolha do algoritmo correto pode compensar a má qualidade dos dados, e é igualmente certo que escolher um algoritmo errado pode empobrecer os efeitos de excelentes dados.

Devemos assumir que os dados são mais importantes que os algoritmos?

Eu não acho que é sempre assim. Eu entendo o valor fundamental da infraestrutura de dados e análise para alimentar os algoritmos de Inteligência Artificial.

Em nossa experiência cotidiana, “coleta e preparação de dados” são, de fato, as atividades que requerem mais tempo para o desenvolvimento de aplicações baseadas em Inteligência Artificial, comparadas com aquelas para a seleção e desenvolvimento de um modelo. É por isso que investimos muito para fornecer aos nossos clientes a melhor infraestrutura de dados para alimentar e treinar algoritmos.

Mas nos algoritmos é necessário um ótimo trabalho: ninguém pode dizer com certeza qual algoritmo terá o melhor desempenho sem antes ter tentado diferentes. Elaborar e comparar algoritmos e modelos para escolher os adequados é uma atividade crucial para definir o sucesso de uma solução de IA:

– Qual algoritmo devo usar?

– Quantas horas de treinamento de algoritmo tenho à minha disposição?

– Qual é o tipo, a qualidade e o tamanho dos dados disponíveis para mim?

A qualidade do conjunto de dados influenciará diretamente o sucesso do modelo preditivo. Com foco nos dados, é possível transformar um banco de dados ruim em um que vale a pena ser usado na aplicação da Inteligência Artificial, mas também é essencial escolher o algoritmo e modelo corretos que se ajustam aos dados disponíveis e que são consistentes com os dados dos objetivos de negócio.

Aqui estamos nós: o negócio. A palavra que muitas vezes falta nos artigos que li, onde a prioridade dos dados sobre os algoritmos é debatida ou vice-versa, são precisamente “negócios”. A disponibilidade de uma grande quantidade de dados de boa qualidade e algoritmos relevantes permite melhores informações e aplicações; mas obter esse tipo de dados e algoritmos não é apenas uma questão técnica: habilidades empresariais profundas são necessárias para gerar valor significativo e aplicativos de inteligência artificial para empresas.

Dados e algoritmos não se opõem, mas são aliados em uma estratégia orientada para os negócios.

Filippo Di Cesare, CEO da Engineering do Brasil – empresa do Grupo Engineering, multinacional italiana líder em Transformação Digital

Tags, , , ,

Engineering do Brasil busca ampliar sua atuação no mercado brasileiro em 2017

A Engineering – multinacional italiana fornecedora de soluções e serviços de TI, está entre as maiores empresas de TI na Europa e sendo um player global, quer ampliar a sua participação no mercado brasileiro. Atuando fortemente em Business Integration, Consultoria, Softwares e Outsourcing, tem presença consolidada em todos os mercados verticais e opera principalmente em cinco unidades de negócios: Telecomunicações, Indústria & Serviços, Finanças, Administração Pública & Saúde e Transporte & Trânsito. Possui expertise tecnológica, profundo conhecimento dos processos, forte relacionamento com o cliente, criando assim, soluções personalizadas e aderentes às necessidades. Está presente em países como Argentina, Espanha, Bélgica, Noruega, Alemanha, EUA e Sérvia.

No Brasil desde 2008, a Engineering é referência em competência de negócios e visão integrada de tecnologias e soluções. Com projetos em mais de 150 grandes clientes e mais de 600 funcionários, a empresa possui escritórios nas principais cidades do Brasil: Belo Horizonte, Curitiba, Rio de Janeiro, São Paulo, Santo André e Vitória, além de uma filial na capital Argentina, Buenos Aires.

Atendendo a grandes organizações empresariais, órgãos governamentais, prefeituras, gigantes da telecomunicação, empresas do setor privado, indústrias automobilísticas e grandes fornecedoras de água e energia, a Engineering do Brasil trabalha em um modelo de negócio que cria valores tangíveis ao longo de toda sua cadeia de fornecimento.

Entre seus principais projetos estão a implementação de ERP, Soluções Fiscais, VAS, WFM (Work Force Management), soluções para o ramo de Telecomunicações, Energia & Utilities, Mobilidade Urbana & Trânsito, Soluções Paperless para gestão de documentos e Automação Industrial – Indústria 4.0 e Internet das Coisas, entre outras.

Desde janeiro de 2016, a Engineering do Brasil está sob novo comando, com o italiano Filippo Di Cesare. “Por oferecer uma ampla gama de soluções em softwares e serviços, somos a melhor escolha para as empresas que desejam entender e se destacar na era da Transformação Digital. Mais do que fornecedores, nós atuamos como parceiros, que conhecem no detalhe o negócio do cliente, e com o domínio da tecnologia, podemos planejar e desenvolver uma estratégia de TI que seja altamente eficaz em atender as necessidades do cliente. ”, explica o presidente.

Como uma forma de aumentar a visibilidade da marca e torná-la mais próxima do público, a Engineering do Brasil participará de três dos principais encontros de tecnologia do país: o IT Forum +, em agosto; o SAP Forum Brasil, em setembro; o IT Forum Expo, em novembro; entre outros.

“Vivemos um momento único na nossa história, com a TI sendo responsável por levar a inovação para todos os patamares das empresas e entendemos nosso papel de fornecedor de soluções tecnológicas inovadoras, como uma grande responsabilidade. A interação que temos com os nossos clientes, nos permite participar de sua jornada digital, contribuindo para que continuem líderes de seus segmentos no futuro, e aproveitem todas as oportunidades que a evolução tecnológica pode trazer para o seu negócio”, comenta o presidente.

Tags, , , , , ,