Tag everis

everis tem nova diretoria de Talent Transformation para Américas

A everis , consultoria multinacional de negócios e TI do Grupo NTT Data, acaba de criar a área de Talent Transformation e contratou como diretora Leylah Halima Macluf, uma executiva com ampla experiência no mercado de consultoria e nas áreas de Pessoas e Recursos Humanos. Seu desafio é trazer a perspectiva humana para a transformação tecnológica e contribuir com o desenvolvimento e engajamento das pessoas durante os desafios de transformação digital nos projetos desenvolvidos pela everis na região das Américas.

“Nós percebemos que no mercado há necessidade de ter operação dedicada a ouvir, entender, auxiliar, desenvolver e incentivar as pessoas envolvidas ou impactadas pela transformação digital, para que compreendam a importância desta evolução corporativa e possam contribuir ainda mais para a inovação e o crescimento dos negócios dos empresas”, explica Raphael Saueia Bueno, sócio responsável pela área de Digital Strategy da everis Brasil.

Bueno acrescentou ainda que Leylah representa uma nova era no Change Transformation ao apoiar os projetos que envolvem as soluções Salesforce, SAP, ServiceNow e próprias, como o chatbot Eva, entre outras, em todos os países em que a everis atua na região – Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México e Peru. “É uma posição estratégica que nos ajudará a gerir a implementação das mudanças, nos aproximando das áreas de RH, sejam clientes finais ou parceiros nos projetos, a fim de aperfeiçoar e incentivar a colaboração de funcionários e terceiros envolvidos na operação, o que tende a aumentar a produtividade e reduzir significativamente a rotatividade”, detalha o sócio da everis.

Outra missão da nova diretora será aproximar a everis de startups de RH (RHTechs), cujas soluções sejam interessantes para adoção pelos clientes ou utilização para aprimorar as relações com a network da consultoria, que agora inclui profissionais e terceiros que trabalham remotamente.

Leylah tem mais de 15 anos de experiência em Recursos Humanos, área na qual ocupou cargos executivos, além de ter prestado serviços de consultoria para empresas de diversos setores, como manufatura, finanças, utilidades e público no Brasil, Canadá e EUA. É especialista em gestão de talentos, transformação cultural, programas desenvolvimento e treinamento, bem como de apoio a iniciativas de mudança e comunicação.

Anteriormente, a executiva foi gerente de Talentos e Cultura Organizacional da Coca Cola Femsa, coach executiva da Bbold, head de desenvolvimento organizacional da Archer Daniels Midland para a América do Sul, e gerente sênior de Desenvolvimento Organizacional do McDonalds, e gerente sênior de Capital Humano da Deloitte. “Penso que podemos contribuir de forma efetiva para que nossos projetos considerem o impacto humano que terão as novas tecnologias implementadas. Isso porque assim poderemos gerir eventuais gaps, minimizar riscos e conscientizar e engajar os talentos na transformação, destacando os benefícios das mudanças para o dia a dia profissional e para o incremento dos negócios”, afirma Leylah.

A nova diretora é graduada em Administração pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP) e coach executiva certificada pelo Ecossocial e coach de Pontos Fortes Gallup. Tem pós-graduação em Psicologia Positiva pela PUC do Rio Grande do Sul, MBA em Planejamento Estratégico e em Aplicações Tecnológicas pela Fundação Getúlio Vargas.

Tags, , , ,

NTT DATA e everis abrem inscrições para o 11º Concurso de Inovação Aberta

A NTT DATA, empresa líder em serviços de TI, e a everis, sua consultoria multinacional de negócios e TI, anunciam o lançamento da 11ª edição do Concurso Internacional de Inovação Aberta. Este ano, com o apoio da Microsoft e da JETRO São Paulo, respectivamente, empresa líder em tecnologia global e órgão do governo japonês para promoção comercial Brasil – Japão, convidam startups de negócios de todo o Brasil a enviarem suas ideias de novas tecnologias que podem tornar o mundo um lugar melhor. Os interessados podem se inscrever até 16 de outubro.

“Nesses cinco anos recebemos mais de 150 projetos inovadores nas etapas brasileiras do Open Innovation Contest. Agora, abrimos as inscrições para uma nova edição, com a finalidade de promover o contato e a geração de negócios entre nossos clientes, startups e as capacidades do grupo NTT DATA. Estamos com ótimos apoiadores e jurados, executivos de empresas renomadas, que irão nos ajudar na colaboração com startups que tenham potencial para solucionar os desafios e tendências dos setores relacionados”, explica Roberto Pereira, Head de Inovação da everis Brasil. O vencedor do concurso de Inovação Aberta tem a oportunidade de ampliar seu networking com autoridades e formadores de opinião locais e mundiais nos mais diversos setores relacionados à tecnologia. 

Danni Mnitentag, Vice-Presidente de Canais e Parcerias da Microsoft Brasil, afirma que a decisão de se tornar parceiro desta iniciativa da NTT DATA e da everis se baseou no compromisso comum às três empresas de investir em empreendedorismo, inovação e em soluções capazes de melhorar o ecossistema econômico e político dos países nos quais atuam. “Ficamos honrados com o convite para apoiar o concurso que representa uma excelente chance para as startups nacionais mostrarem seu talento em inovar e ajudar a transformar os negócios de diversos setores em benefício do mercado e da sociedade”, reforça Mnitentag.

A NTT DATA lançou o Open Innovation Contest em 2014, com o objetivo de promover o desenvolvimento de novos negócios por meio da inovação aberta. Neste 11º concurso, a ideia é incentivar a criação de novos negócios globais, apresentando desafios para áreas que deverão crescer como negócios digitais, como Cidades Inteligentes, Saúde Digital e Tecnologia Exponencial. No Brasil, onde o concurso é realizado com o apoio da everis, as startups poderão inscrever seus projetos em diferentes categorias da competição com o intuito de contribuir para o desenvolvimento dos seguintes setores:

Financeiro – podem ser encaminhados projetos que visam inclusão e educação financeira, geração de novos serviços financeiros, segurança digital e prevenção de fraudes.

Telecomunicações – há interesse em soluções para inteligência de inventário, movimentação e rastreamento de itens relevantes em estoque, de conectividade, de IoT para agrobusiness, bem como projetos autônomos e inteligentes para diagnóstico e manutenção de redes (eficiência operacional de campo).

Utilities e Energia – podem ser inscritos projetos que potencializem o conhecimento sobre o perfil do consumidor final, quanto aos hábitos familiares quanto aos consumos, e que ajudem no engajamento destes clientes, além de mitigação de fraudes na rede elétrica, reduzindo perda energética.

Varejo e Bens de Consumo – são considerados interessantes projetos para realização de ações diretas ao consumidor, novas logísticas que auxiliem nas entregas de “última milha”, modelos de colaboração e novos serviços para todos os elos da cadeia Indústria.

Para evitar a disseminação do novo coronavírus, este ano os eventos para anunciar os finalistas nos 14 países participantes e o vencedor do 11º concurso serão realizados on-line. O evento de anúncio dos finalistas brasileiros será realizado no dia 24 de novembro, . Em todo o mundo serão feitas seleções regionais de qualificação, com os vencedores sendo apresentados no “Grand Finale”, que acontece em 29 janeiro de 2021.

“A NTT DATA utiliza a experiência adquirida por meio deste concurso, assim como as empresas do grupo, o ecossistema de inovação e outras redes para alcançar um “win-win-win” entre as startups, os clientes e nossa equipe. Por isso, nós continuaremos apoiando a criação de novas empresas com foco em infraestrutura social e faremos todas as análises e eventos por meio de ferramentas on-line a fim de garantir a continuidade da iniciativa e a participação de um maior número de interessados, respeitando o bem-estar e a saúde de todos os envolvidos”, diz Kaz Okada, Senior Expert Open Innovation and Business Incubation NTT DATA Corporation.

Em 2019, 40 startups se inscreveram no Open Innovation Contest e a expectativa para este ano é ainda maior. Na edição anterior, por exemplo, destacaram-se as vencedoras Looqbox e a Mindify. A Loogbox ganhou ao apresentar sua solução de visualização de dados, que permite maior clareza na hora da tomada de decisão, atuando de modo prático como um “Google para empresas”, que fornece uma ferramenta com layout simples no qual os usuários podem  pesquisar o que necessitam dentro da infraestrutura da empresa. A Mindify, por sua vez, se destacou com seu software para automação e gestão de protocolos de medicina, baseado em evidências e otimizado para reduzir a burocracia e estimular diagnósticos precoces.

Histórico

Os negócios digitais expandiram para todos os setores da economia e continuam avançando ao mesmo tempo em que incorporam uma gama de tecnologias inovadoras. Este concurso permitiu à NTT DATA analisar propostas de negócios de mais de 1.500 empresas líderes em empreendimentos, realizando mais de 20 casos de comercialização de negócios em diversas áreas. Neste concurso, a NTT DATA vai colaborar com as empresas do grupo em todo o mundo para analisar possíveis parcerias e estabelecer rapidamente negócios com as startups.

Avaliação da colaboração potencial após o concurso

As equipes globais da NTT DATA avaliarão uma possível colaboração com as startups que demonstrarem sinergia com a NTT DATA. Em seguida abordaremos o cliente com uma Prova de Conceito (PoC) e outras soluções. A NTT DATA fornecerá até US$ 100 mil como apoio à PoC para cobrir os custos associados às viagens, operações e hardware/software.

Para mais informações e como se inscrever, acesse http://oi.nttdata.com/en/contest ou envie uma mensagem para OfficeofCTO@nttdata.com.

Empresas parceiras do grupo e mercados para o 11º Concurso de Inovação Aberta
Início do período de inscriçãoSexta-feira, 04 de setembro de 2020
Término do período de aplicaçãoDe acordo com o país sede. No Brasil será no dia 16 de outubro
Evento on-line para anúncio dos finalistasTerça-feira, 24 de novembro de 2020
Temas do concursoCidade Inteligente, Saúde Digital, e Tecnologia Exponencial para os setores financeiro, de telecomunicações, utilities e energia, varejo e bens de consumo.
Evento de anúncio do vencedor do OICO vencedor será anunciado em um evento on-line no dia 24 de novembro. Após as seleções regionais, as empresas vencedoras de cada região serão convidadas para participar da “Grand Finale”, que será realizada em 29 de janeiro de 2021.
Informações e procedimento de inscrição no concursoAs inscrições somente serão aceitas se enviadas pelo website. As informações sobre o concurso estão sujeitas a alterações sem aviso prévio, portanto, consulte o site oficial. Site oficial do concurso (inglês):https://oi.nttdata.com/en/contest/

Tags,

Especialistas em seguros e tecnologia debatem sobre Insurtechs em evento da camara-e.net

Apresentar o ecossistema das Insurtechs, lançar o primeiro mapeamento do setor no Brasil e discutir as inovações desse segmento do mercado segurador. Esses são os objetivos do evento a Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net), por meio do Comitê de Insurtechs, realiza na próxima quarta-feira (30), das 9h às 12h, em São Paulo.

O evento acontece no Cubo Coworking, hub de empreendedorismo que, assim como as Insurtechs, traz em seu DNA o gene da transformação digital ao conectar ideias, pessoas e tecnologia. Tanto que duas startups com projetos voltados para o mercado segurador terão espaço para apresentar suas propostas durante a reunião.

Além das startups, Alessandro Maracajá, da Solutions One, e Roberto Ciccone, da Everis, irão discorrer, respectivamente, sobre a importância da tecnologia para as Insurtechs e a realidade atual do segmento.

Evento: Reunião do Comitê de Insurtechs – camara-e.net
Quando: 30/08
Horário: das 9h às 11h30
Local: Cubo Coworking
Rua Casa do Ator , 919, Vila Olímpia – São Paulo, SP

PROGRAMAÇÃO

09h00 às 09h20 – Welcome Coffee
09h20 às 09h30 – Empreendedorismo (Flavio Pripas, Cubo)¨
09h30 às 10h10 – Comitê de Insurtechs (Gustavo Zobaran, coordenador)
Apresentação do Ecossistema de InsurTechs
Lançamento do 1o Mapeamento InsurTechs Brasil
10h10 às 10h30 – Coffee e Networking
10h30 às 10h40 – Startup 1
10h40 às 11h00 – “Tecnologia como chave para as InsurTechs” (Alessandro Maracajá, sócio diretor da Solutions One)
11h00 às 11h10 – Startup 2
11h10 às 11h50 – “InsurTechs, o futuro que já é presente” (Roberto Ciccone, head of insurance da Everis Américas)
11h50 às 12h00 – Encerramento

Tags, , , , ,

Startup LegalBot é a finalista brasileira do Open Innovation Business Contest no Japão

A startup LegalBot é a finalista brasileira do Open Innovation Business Contest, competição global que incentiva a inovação empresarial, promovida pela everis, multinacional de consultoria que oferece soluções de estratégia e de negócios, desenvolvimento e manutenção de aplicações tecnológicas e serviços de terceirização, e a NTT DATA. O anúncio da representante do Brasil aconteceu, no ISE Business School, em São Paulo.

A LegalBot disputou a semifinal da competição com outras cinco startups. Os projetos apresentados tinham foco em realidade virtual, aumentada e mista, Internet das Coisas (IoT) e inteligência artificial. Eles foram avaliados por um corpo de jurados de renomados profissionais do setor de tecnologia.

Dentro desse novo cenário disruptivo, a representante brasileira no Open Innovation Business Contest desenvolveu uma solução que visa democratizar o acesso à inteligência regulatória. Ela ganhou uma bolsa de estudos para o curso WeSTART do ISE Business School, um programa para empreendedores e investidores, e concorrerá na final, em Tóquio, no Japão, com outros nove projetos selecionados nas cidades de São Francisco, Londres, Tel Aviv, Tóquio, Toronto, Madri, Barcelona, Cingapura e Pequim.

O vencedor da grande final receberá um prêmio de US$ 30.000 e terá a oportunidade de trabalhar, por três meses, com uma equipe da NTT DATA – um dos principais fornecedores mundiais de serviços e inovação na área de TI – no desenvolvimento de um protótipo de serviço-produto, que será oferecido às empresas clientes da companhia.

Projeto finalista

Baseada em inteligência artificial, a plataforma da LegalBot auxilia os profissionais de governança, gestão de riscos e compliance na análise, seleção, classificação e organização dos diversos aspectos normativos.

Alexandre Bess, CEO da startup, explica que a regulação é hoje um problema global, que impacta diretamente a competitividade das empresas e dos países, inclusive, pode gerar enormes prejuízos. “Um dos principais problemas enfrentados pelos que atuam nessa área é o grande volume de normativas. No mercado financeiro, por exemplo, surgem mais de 300 regulações todos os meses”, comenta.

Para facilitar o contato e a experiência dos profissionais com as normativas de seus segmentos, a plataforma desenvolvida pela startup busca, analisa e interpreta as informações por meio de algoritmos. Dessa forma, cada usuário, conforme sua seleção, tem acesso aos dados pela web e aplicativo, ou seja, a tecnologia leva ao usuário o que ele realmente precisa saber sobre regulação.

“A sensação de ser o representante brasileiro na final do Open Innovation Business Contest é maravilhosa, pois sabemos o quanto a tecnologia é relevante para o mundo e teremos a oportunidade de apresentá-la para um público internacional”, comemora Bess.

Para Roberto Pereira, executivo responsável pelas iniciativas de Inovação na everis Brasil, o projeto da LegalBot tem total sinergia com a companhia, uma vez que a tecnologia de inteligência artificial oferece aos clientes maior agilidade para entrarem em novos mercados, principalmente no setor financeiro e de seguros, que são altamente regulados. “O fato de podermos acelerar o entendimento da regulação e aportar novas tecnologias, novos serviços e soluções, é importantíssimo”, destaca.

A semifinal brasileira do Open Innovation Business Contest, segundo Pereira, mostrou a força do ecossistema de inovação e o quanto é importante entender as novas tecnologias desde o início, para desenvolver capacidades, parceiros e identificar possíveis problemas durante a adaptação. “Por ser nosso modelo de negócios B2B2C, precisamos compreender o que nossos clientes pretendem ofertar aos clientes deles para que, juntos, possamos levar à sociedade soluções mais robustas”, observa.

Os outros cinco projetos semifinalistas

Plataforma de Realidade Virtual 360º na Nuvem – Beenoculus
Produto de economia criativa, com foco em potencializar o ecossistema de produção e distribuição de conteúdo 360º e o mercado publicitário.

Plataforma de Realidade Virtual para Projetos Imobiliários – VR Monkey
Permite que arquitetos e profissionais em geral do setor imobiliário façam visitas aos empreendimentos imobiliários, usando as mais recentes tecnologias de realidade virtual.

IOBike – Plataforma IoT para Bicicletas em Áreas Urbanas – LightUp
Solução de iluminação que conecta bicicletas à IoT (Internet das Coisas), proporcionando aos ciclistas segurança e interatividade, além da possibilidade de geomarketing a anunciantes.

Simulador integrado à gamificação que promove a reabilitação de pessoas com deficiência por meio da experiência de imersão produzida por realidade virtual – Fisioatual
Utiliza o entretenimento dos jogos integrado a uma plataforma instável, equipada com sensores. Funciona como um simulador de exercícios por meio da imersão na realidade virtual.

Plataforma de Realidade Virtual Inside Places – Inside Places
Com o uso desta ferramenta, arquitetos, designers de interiores e construtoras dão aos seus clientes a oportunidade de estarem dentro de seus imóveis antes mesmo de ficarem prontos.

Tags, , , , , , , , ,

Semifinal brasileira do Open Innovation Business Contest reúne seis projetos de realidade virtual

A everis, consultoria que oferece soluções de estratégia e de negócios, e a NTT DATA anunciam os semifinalistas brasileiros que concorrerão a uma vaga na grande final do Open Innovation Business Contest, competição global de startups, que reúne representantes de 10 países.

Entre os projetos inscritos na competição, de várias regiões do País, foram selecionados seis, todos de inovação empresarial na área de realidade virtual, aumentada e mista. No próximo dia 2 de fevereiro, o representante brasileiro será escolhido por uma comissão julgadora, formada por renomados profissionais do setor de tecnologia, no ISE Business School, em São Paulo, cidade sede da semifinal no Brasil.

O projeto brasileiro escolhido disputará a grande final da premiação, no mês de março, em Tóquio, no Japão, com outros nove projetos selecionados nas semifinais realizadas em São Francisco (Estados Unidos), Londres (Inglaterra), Tel Aviv (Israel), Tóquio (Japão), Toronto (Canadá), Madri e Barcelona (Espanha), Pequim (China) e Cingapura. E, também, ganhará uma bolsa de estudos para o curso WeSTART do ISE Business School, um programa para empreendedores e investidores se aperfeiçoarem e se conectarem.

O vencedor da grande final do Open Innovation Business Contest no Japão receberá US$ 30.000 para serem utilizados no desenvolvimento de seu projeto. Também faz parte da premiação, a oportunidade de trabalhar por três meses com uma equipe da NTT DATA – um dos principais fornecedores mundiais de serviços e inovação na área de TI – no desenvolvimento de um protótipo de serviço-produto, que será oferecido às empresas clientes da companhia.

O objetivo da everis e da NTT DATA é atrair ideias que promovam a inovação empresarial no campo da realidade virtual. Segundo Roberto Pereira, executivo responsável pelas iniciativas de Inovação na everis Brasil, as novas e crescentes exigências dão à inovação primazia nos mais diversos mercados. “Unir raciocínio produtivo e ação inovadora é essencial para obter vantagem competitiva”, destaca.

Os seis projetos semifinalistas

– Plataforma de Realidade Virtual 360º na Nuvem – Beenoculus
Responsável – Rawlinson Terrabuio – Curitiba- PR

Produto de economia criativa, com foco em potencializar o ecossistema de produção e distribuição de conteúdo 360º e o mercado publicitário. Trata-se de um óculos que transforma o smartphone em um ambiente de realidade virtual, permitindo o acesso a aplicativos e vídeos no formato side by. Em seu desenvolvimento foram utilizados recursos de realidade virtual e vídeo 360º. A base tecnológica emprega inteligência artificial e Big Data.

– Plataforma de Realidade Virtual para Projetos Imobiliários – Naked Monkey Games
Responsável – Pedro Matsumara Kayatt – São Paulo-SP

Essa plataforma de realidade virtual permite que arquitetos e profissionais em geral do setor imobiliário façam visitas, por um caminho mais simples aos empreendimentos imobiliários, usando as mais recentes tecnologias de realidade virtual como o HTC Vive e Oculus Rift.

– IOBike – Plataforma IoT para Bicicletas em Áreas Urbanas – LightUp
Responsável – Marcelo Abdala Daher – São Paulo-SP

Solução de iluminação que conecta bicicletas à IoT (Internet das Coisas), proporcionando aos ciclistas segurança e interatividade, além da possibilidade de geomarketing a anunciantes. Um hardware incorporado às rodas da bicicleta se comunica via Bluetooth com balizas geostáticas, que colhem os dados do tráfego de bicicletas, permitindo a interação com o local onde o ciclista circula. Além de melhorar o planejamento urbano e a infraestrutura cicloviária.

– Simulador integrado à gamificação que promove a reabilitação de pessoas com deficiência por meio da experiência de imersão produzida por realidade virtual – Fisioatual
Responsável – Dalton Kina – Catanduva-SP

O simulador utiliza o entretenimento dos jogos integrado a uma plataforma instável equipada com sensores que leem os movimentos das pessoas com deficiência, permitindo que a plataforma funcione como um simulador de exercícios por meio da imersão na realidade virtual. O equipamento é um motivador para a realização dos tratamentos de reabilitação.

– Plataforma de Realidade Virtual Inside Places – Inside Places
Responsável – Willian Machado – Londrina-PR

Com o uso desta ferramenta, arquitetos, designers de interiores e construtoras dão aos seus clientes a oportunidade de estarem dentro de seus imóveis antes mesmo de ficarem prontos, podendo conferir a textura dos materiais, as medidas do mobiliário e do ambiente. A plataforma permite que, por meio de um aplicativo, o cliente possa fazer um tour de 360º em realidade virtual pelo seu imóvel.

– Democratização do acesso à Inteligência Regulatória – LegalBot
Responsável – Alexandre Bess – São Paulo-SP

Com o uso de inteligência artificial, a solução auxilia os profissionais de governança, gestão de riscos e compliance na análise, seleção, classificação e organização dos diversos aspectos normativos. A plataforma aumenta o contato e a experiência do usuário junto às normativas, por meio de uma série de algoritmos que buscam e conseguem analisar e interpretar as informações desejadas.

Tags, , , , , , , ,

everis e NTT DATA lançam competição global de startups

A everis, consultoria que oferece soluções de estratégia e de negócios, em parceria com a NTT DATA, abriu as inscrições para o Open Innovation Business Contest, uma competição global de startups, que reunirá representantes de 10 países ao redor do mundo.

São Paulo sediará uma das semifinais, reunindo projetos com foco em realidade virtual, aumentada e mista, e que realizam cocriação neste universo. O projeto brasileiro selecionado para representar o País na competição concorrerá com os escolhidos na mesma etapa, nas cidades de Tóquio, São Francisco, Londres, Tel Aviv, Toronto, Madri, Barcelona, Cingapura, Pequim e São Paulo.

As inscrições podem ser feitas até o dia 19 de dezembro pelo site http://oi.nttdata.com/en/contest. Tanto os projetos submetidos quanto as apresentações dos candidatos deverão ser feitas em inglês.

A fase de apresentação em cada uma das cidades ocorrerá entre os meses de fevereiro e março de 2017. A grande final será em Tóquio, no mês de março.

“O gene da inovação está presente no DNA da everis desde a sua fundação, e cada vez mais buscamos investir em ideias que possam não só transformar os negócios dos nossos clientes como transformar a vida da sociedade. Nesta iniciativa, nosso objetivo é atrair ideias que promovam a inovação empresarial no campo da realidade virtual. Afinal, as novas e crescentes exigências dão à inovação primazia nos mais diversos mercados. Unir raciocínio produtivo e ação inovadora é essencial para obter vantagem competitiva”, afirma Roberto Godoy, sócio de Tecnologia na everis Brasil.

O vencedor do Open Innovation Business Contest receberá US$ 30.000 para serem utilizados no desenvolvimento do seu projeto e terá a oportunidade de trabalhar com uma equipe da NTT Data – um dos principais fornecedores mundiais de serviços e inovação na área de TI – por três meses, no desenvolvimento de um protótipo de serviço – produto, que será oferecido às empresas clientes da companhia.

Tags, , , , ,

Startup Fófuuu é a grande vencedora do Prêmio Empreenda Saúde 2016

O projeto vencedor da 2.ª edição do Prêmio Empreenda Saúde foi anunciado na noite de ontem (17/11) pela everis, multinacional de consultoria que oferece soluções de estratégia e de negócios, do Grupo NTT DATA. A cerimônia foi realizada no Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa, em São Paulo.

A escolhida foi a startup Fófuuu, liderada por Bruno Tachinardi, de São Paulo. O projeto une a medicina e a tecnologia de software para desenvolver exercícios divertidos de fonoaudiologia, utilizando uma interface de videogame. O objetivo é reinventar a experiência dos tratamentos por meio de brincadeiras e, assim, impactar positivamente a vida e o desenvolvimento de milhões de crianças com problemas de fala, como as portadoras de lábio leporino, e de aprendizado.

A Fófuuu recebeu R$ 50 mil, em barras de ouro, além de passar a contar com o acompanhamento profissional especializado da everis, para colocar o plano de negócios em prática no mercado brasileiro. Este é o objetivo do Prêmio Empreenda Saúde, que visa incentivar o empreendedorismo e a inovação, desenvolver talentos e reconhecer negócios com grande potencial no setor de saúde.

Vencer o Prêmio Empreenda Saúde, segundo Tachinardi, não poderia ter acontecido em um momento melhor, pois precisavam de recursos para dar continuidade ao projeto. Além disso, só a participação abriu muitas portas, de hospitais e entidades da área médica, o que não teria sido nada fácil sem ajuda do Prêmio. “Mas o que mais queríamos era a assessoria especializada da everis, que acreditamos ser de suma importância para nosso projeto entrar definitivamente no mercado.”

O presidente mundial da everis, Fernando Francés, presente à cerimônia, destacou que o incentivo às boas práticas, estimula o espírito inventivo e de superação entre futuros empreendedores, nas mais variadas áreas, seja na saúde, seja na tecnologia ou desenvolvimento. “Desse modo, estamos estimulando o surgimento de novos talentos que trarão grandes contribuições não só ao País, como também ao mundo.”

Já o Dr. Luiz Fernando Lima Reis, diretor de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio-Libanês e membro da Comissão Julgadora da premiação, comentou ser fundamental usar o conhecimento da pesquisa para acelerar o processo de inovação. “Todos os cinco finalistas do Prêmio Empreenda Saúde 2016 estão de parabéns, pois conseguiram transformar seus conhecimentos extremamente avançados em benefícios reais para a sociedade.”

Importância do projeto vencedor

Segundo estimativas da ASHA (sigla em inglês para Associação Americana de Fala, Linguagem e Audição), há 35 milhões de crianças no mundo, entre 3 a 6 anos, com transtornos de fala que precisam de tratamento. No Brasil, são aproximadamente 700 mil crianças.

Normalmente, as atividades de fonoaudiologia precisam ser realizadas todos os dias, para que tenham resultados satisfatórios. Na maioria das vezes, esses exercícios são realizados longe do consultório, com a ajuda de um familiar ou cuidador. Portanto, dependem do acompanhamento e esforços de terceiros, longe do acompanhamento profissional. Como grande parte dos exercícios é repetitiva e gera desconforto às crianças, há dificuldade na adesão ao tratamento.

O projeto Fófuuu visa, por meio dos jogos desenvolvidos, fazer com que crianças com dificuldades de fala realizem as atividades com prazer, aumentando o engajamento e, ao mesmo tempo, facilitando a vida dos pais e o acompanhamento dos fonoaudiólogos. A solução transforma a lista de exercícios em divertidas missões que guiam pais e filhos de forma lúdica e divertida. Com a ajuda do microfone do tablet ou smartphone, é possível fazer atividades de sopro, sons e reconhecimento de voz.

O sistema permite que os fonoaudiólogos criem rotinas de atividades para o treinamento em casa, com base no diagnóstico de seus pacientes. Da mesma forma, permite que o profissional acompanhe a execução e a evolução dos exercícios à distância.

No total, 208 projetos inscritos

A 2ª edição do Prêmio Empreenda Saúde recebeu a inscrição de 208 projetos com foco na melhoria do setor de saúde em três áreas: Assistência Integral à Saúde; Eficiência em Produtos e Processos Assistenciais; e Mecanismos de Integração Educacional e Saúde.

Todos os trabalhos foram avaliados por um corpo de jurados com representantes das áreas de ensino, pesquisa, inovação e empresários dos mais diversos âmbitos da saúde no Brasil. A análise dos projetos levou em conta os critérios de aplicabilidade (relevância do problema), inovação, e nível de contribuição para melhoria do sistema de saúde (tamanho da população beneficiada).

Além do Fófuuu, outros quatro projetos foram escolhidos como finalistas:

Listen
Autor: Thiago de Almeida Rocha – Joinville-SC
O projeto é baseado em um aplicativo para smartphones que permite às pessoas com perda auditiva ouvirem com maior definição. Como um aparelho auditivo é composto basicamente de quatro itens – processador, microfone, bateria e saída de som -, a solução utiliza estes mesmo recursos de um celular para torná-lo um aparelho auditivo.

Sistema conectado e portátil para retinografia de alta resolução
Autor: Flávio Pascoal Vieira – São Carlos-SP
Trata-se de equipamento portátil para exame de retina com significativas inovações tecnológicas, consonante com a telemedicina, para o qual foi desenvolvido um sistema óptico específico, de acordo com o seu tamanho e custo reduzidos. Para selecionar as melhores imagens da retina e criar vistas panorâmicas com alta resolução, foram criados novos algoritmos computacionais. Além disso, foi levado em consideração o uso de um smartphone integrado ao equipamento.

Beone Tech – Tratamento para Pé Diabético e feridas de difícil cicatrização
Autor: Caio Guimarães – Recife-PE
Nasceu de uma pesquisa acadêmica para solucionar alguns dos maiores desafios da medicina, o Pé Diabético. Pesquisando a aplicabilidade da fotobiomodulação, foi desenvolvida uma tecnologia embarcada empregando comprimentos de onda eletromagnéticos que conseguem dar comandos genéticos ao tecido, aumentando a velocidade e capacidade de cicatrização e diminuindo o processo inflamatório. O outro comprimento de onda é empregado para eliminar microrganismos que causariam infecções.

Nuclearis – Sistema de informações em medicina nuclear
Autor: Marcos Machado – Salvador-BA
É uma ferramenta que rastreia a desintegração dos radiofármacos (até mesmo dentro do paciente), oferece facilidade no agendamento/movimentação de exames com uma gestão integrada da radiofarmácia e da aquisição das imagens, além da monitoração de todas as etapas dos processos e, também facilidade na elaboração dos laudos a partir de inteligência de dados. A integração de todas essas funcionalidades promove previsibilidade de problemas que podem ocorrer durante a rotina de exames, padroniza a qualidade dos exames, melhora a gestão dos recursos e aumenta a produtividade.

Tags, , , , , , , , , , ,

everis anuncia nova diretora de Marketing e Comunicação para região Américas

A everis, multinacional de consultoria que oferece soluções de estratégia e de negócios, acaba de anunciar a contratação de Carla Kamoi como nova diretora de Brand & Communications Américas, que inclui Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Estados Unidos, México e Peru.

A executiva chega com a missão de alinhar as iniciativas da área com a estratégia da everis por meio de programas regionais e locais, com ações dirigidas para comunicar o valor e o modelo da companhia. Também será a responsável por aumentar a interação e as sinergias entre as várias equipes de marketing e comunicação, além de colaborar com as áreas de negócios, com o objetivo de materializar as oportunidades comerciais e de relacionamento da empresa.

Carla tem mais de 15 anos de experiência, adquirida em multinacionais, principalmente no segmento de TI, com passagens por empresas como Symantec, EMC e RSA (divisão de Segurança da EMC), Cisco, entre outras. É formada em Engenharia Mecânica pela Escola de Engenharia Industrial de São José dos Campos, com pós-graduação em Planejamento e Marketing pela Universidade São Paulo (USP) e MBA em Marketing pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM).

A executiva chega em um momento muito positivo da companhia. No último ano fiscal (de 1 de abril de 2015 a 31 de março de 2016), o faturamento da empresa nos sete países que compõem a região foi de 219 milhões de euros, com um crescimento consolidado próximo aos dois dígitos. No caso específico do Brasil, que ocupa a liderança do grupo na América Latina, os resultados alcançados foram bastante expressivos, ao atingir 197 milhões de reais, um crescimento de 20% em relação ao exercício anterior.

Expectativa positiva

Para o ano fiscal atual, a expectativa da everis é de manter seu ritmo de crescimento na casa dos dois dígitos, mantendo-se como uma das principais geradoras de empregos para jovens talentos, qualificando-os em todos os países onde opera. No caso brasileiro, a empresa vem investindo no capital humano, com a contratação de 400 pessoas em todas as cidades em que atua – Curitiba (PR), Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Uberlândia (MG) e Vitória (ES). Além da geração de empregos, a everis mantém, no País, sua política mundial de investir em programas de capacitação profissional.

Para sustentar o crescimento previsto, a companhia vem aumentando o volume de contratos com grandes multinacionais, potencializando alianças com os principais players do setor. Além disso, está fortalecendo suas áreas de negócios relacionadas a Big Data, mobilidade, Internet das Coisas (IoT), serviços de cloud e impulsionando grandes projetos de transformação digital por meio das tecnologias exponenciais (robótica ou inteligência artificial).

Tags, ,

everis debate a Internet das Coisas na Futurecom 2016

Além de marcar presença na Futurecom 2016, que acontece de hoje (17) a quinta-feira (20/10), no estande do Grupo NTT, a everis, multinacional de consultoria que oferece soluções de estratégia e de negócios, do grupo NTT DATA, também participa de importantes painéis de discussão ao longo do evento.

Nesta segunda (17/10), às 11h30, Juantxo Guibelalde Folch, sócio da empresa, será um dos debatedores do painel que abordará um dos mais promissores mercados na área da tecnologia: a Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês). De acordo com Folch, as aplicações baseadas em IoT vão gerar muitas oportunidades, além de transformar diferentes setores em todo o mundo.

Estima-se que o mercado global de IoT alcance a cifra de US$ 1,7 trilhão em 2020. No Brasil, esse cenário não é diferente. A previsão, para esse mesmo período, é que a área movimente US$ 7 bilhões, quando o número de equipamentos ou wearables conectados deverá atingir a marca de 400 milhões no País.

Intitulado “IoT: Impacto nas Redes e Estratégias de Monetização”, o painel durante a Futurecom abordará estratégias de tecnologia, investimentos, operação e gestão necessários para que a infraestrutura de rede consiga suportar com qualidade o alto crescimento de dispositivos conectados e para que haja novas alternativas para a rentabilização dos serviços.

O sócio da everis explica que os usos e aplicações da IoT são os mais diversos e, neste momento, no Brasil, representa a próxima evolução da Internet, com potencial de impactar significativamente e positivamente diferentes indústrias. Entre os exemplos estão os mercados de seguros, com inovações que envolvem a utilização de robôs, wearables, drones, carros e casas inteligentes; finanças, por meio do monitoramento de produtos, serviços financeiros e de clientes; de manufatura, em que sensores, dispositivos e máquinas cada vez mais se conectarão à Internet, transformando dados desorganizados em insights de negócios; e, ainda, na evolução dos serviços de estrutura das cidades, proporcionando mais segurança e qualidade de vida às pessoas.

No entanto, o Brasil possui grandes desafios para alavancar definitivamente a área de IoT. Entre eles está a qualidade das redes, uma infraestrutura desafiadora e com alto custo de implantação e manutenção. “Com dimensões continentais, o País ainda apresenta grandes desafios relacionados à cobertura e se vê diante da crescente necessidade de redes de acesso que suporte todo esse novo ecossistema de IoT. Atualmente, o Brasil conta com 168 milhões de smartphones em uso. Nos próximos dois anos, estima-se que serão 236 milhões. E os smartphones representam somente uma parte uma parte deste ecossistema. Diante desse contexto e em função das necessidades de consumo e volume de dados, amplitude da cobertura e distâncias territoriais, é preciso fazer uso de distintas tecnologias combinadas como GSM, 3G, 4G, RF, até hoje limitadas e que precisam ser estabelecidas nas cidades e nos campos brasileiros”, afirma Folch.

A everis estabeleceu uma linha estratégica de negócios, chamada everis_IoT, que agrega toda a sua oferta smart e aborda diferentes campos da Internet das Coisas, como Digital Life, Utilities, Logística, Indústria 4.0 e Smarticities. Para isso, conta com uma equipe qualificada e especializada em IoT/M2M para atuar no desenvolvimento de soluções, além de um ecossistema de mais de 30 parceiros tecnológicos para hardwares e soluções baseado na filosofia open-innovation, somando mais de 681 mil dispositivos conectados.

Folck é engenheiro de telecomunicações, graduado em administração e negócios. Sua carreira de mais de 20 anos tem sido intimamente ligada ao mundo das telecomunicações. Entre 2003 e 2007, mudou-se para o Brasil para ser o CEO da everis no País. De 2014 a 2015, também foi vice-presidente da Associação Espanhola de Empresas de Eletrônica, Tecnologia da Informação, Telecomunicações e Conteúdo Digital (AMETIC). Atualmente, é sócio da everis_ IoT.

Tags, , , ,

Startups revolucionam setor de seguros

A everis, multinacional de consultoria, que oferece soluções de estratégia e de negócios, do Grupo NTT DATA, acaba de lançar o relatório InsurTech Outlook. O estudo mostra um novo ecossistema com as empresas de seguros, as gigantes da tecnologia e as startups disruptivas InsurTech transformando o setor, que passa a investir substancialmente nessa nova modalidade de negócios. Em 2015, foram investidos 3,1 bilhões de dólares no mundo.

Segundo o relatório, os fundos de capital de risco das seguradoras estão diversificando seus investimentos para integrar novos recursos digitais em suas estratégias de negócios, para que, assim, possam oferecer um portfólio de serviços completo e de acordo com as atuais demandas dos consumidores.

Modelos de negócios alicerçados na economia colaborativa, Internet das Coisas (IoT), telemática, seguradoras digitais, além de uma nova forma de se relacionar com os clientes, seja por meio de canais como omnichannel e cross-selling, seja pela gamificação e o seguro personalizado são alguns dos desafios do setor, de acordo com o InsurTech Outlook.

Diante disso, inúmeras startups InsurTech estão surgindo no mercado, modificando a tradicional forma de fazer seguros. Mas, por outro lado, fortalecem o relacionamento com os clientes, graças a uma estrutura mais leve, em função do uso da tecnologia.

As gigantes da tecnologia, conhecidas como “GAFAAs” (Google, Apple, Facebook, Amazon e Alibaba) também estão investindo no mercado InsurTech, se valendo do potencial digital que detêm, das informações dos clientes disponíveis e da capacidade de processarem grandes volumes de dados.

Não há dúvidas que, por meio da aplicação de tecnologias de Big Data e Internet das Coisas, as gigantes mundiais da tecnologia transformarão o modelo de negócio das seguradoras, monetizando os dados dos clientes e abrindo o caminho para o desenvolvimento de novos produtos, além de redefinir políticas de seguro inteligentes.

O relatório da everis inclui uma análise do atual e possível futuro envolvimento das gigantes de tecnologia no setor. Cita os dispositivos da Apple que operam atualmente no setor da saúde, enquanto o seu sistema Carplay integrará novas funcionalidades para análise e prevenção de riscos.

Roberto Ciccone, sócio de seguros Américas, da everis, comenta que a indústria está gradualmente se reinventando frente aos desafios da transformação digital e passa a incorporar a inovação em seu DNA. “A questão vai muito além do uso ocasional de tecnologias disruptivas. Proporcionar uma experiência para corresponder às expectativas dos clientes e sistematizar a busca da eficiência é um imperativo”, afirma.

Segundo Ciccone, a everis acredita que integrar os modelos de negócios oferecidos pelas InsurTech é decisivo para a competitividade das empresas no contexto atual. “No Brasil não é diferente e as seguradoras já começam a se redefinir dentro desse novo ecossistema, que incorpora definitivamente as inovações tecnológicas.”

O InsurTech Outlook foi elaborado com base no maior banco de dados de startup B2B – ICT do mundo, o everis NEXT, plataforma de inovação aberta que conecta mais de um milhão e meio de startups a grandes empresas e outros atores relevantes e da indústria financeira.

O documento pode ser acessado pelo link https://goo.gl/nO0QBG

Tags, , , , , ,

Projeto de Realidade Virtual conquista primeira edição do everis innovation experience | Hackathon no Brasil

A everis, consultoria multinacional especializada em negócios e tecnologia, do grupo NTT DATA, em parceria com a Faculdade de tecnologia FIAP, centro de excelência em tecnologia e uma das instituições de ensino mais renomadas do País, e com patrocínio da Liferay, líder em soluções digitais e web, anunciaram o vencedor da primeira edição do everis innovation experience | Hackathon.

A maratona livre de programação teve como desafio o desenvolvimento do protótipo de uma solução em que as interações entre a everis e seus públicos pudessem ser digitais e colaborativas.

O grupo formado pelos estudantes Fabio Luis Lafuente Avila, Rodolfo Izidoro de Morais e Clauber Cesario de Souza, do 4º ano de Engenharia da Computação, pela FIAP, foram os vencedores do concurso com o trabalho Virtual Makers que explora a área da Realidade Virtual. Durante o hackathon, os pesquisadores desenvolveram um projeto/plataforma capaz de promover a comunicação entre pessoas, dentro de um ambiente virtual.

A solução permitirá que duas ou mais pessoas interajam como se estivessem em um mesmo ambiente, não importa a distância em que se encontrem. Elas estarão conectadas por um dispositivo de comunicação interpessoal composto por óculos especiais. Eles possibilitam a visualização de um ambiente no quais os usuários estão, virtualmente, em tempo real. Por meio deste recurso, será possível, por exemplo, realizar reuniões, conferências etc.

“O projeto vencedor se destaca pela forma simples na qual traz a solução de um problema” afirma Roberto Pereira, executivo que lidera as iniciativas de Inovação na everis Brasil. “Estamos contribuindo para incentivar a inovação e o empreendedorismo, além de estimular o desenvolvimento de novos talentos”.

O grupo vencedor do innovation experience | Hackathon terá seu projeto encubado pela everis. Além disso, cada integrante que participou desta solução, recebeu um voucher de R$ 1.000,00, que pode ser trocado em uma loja de produtos eletrônicos e também um voucher de R$ 1.000,00 para que participem do programa Shift FIAP. Este programa contempla cursos da FIAP de curta e média duração nas áreas de tecnologia, empreendedorismo, projetos, negócios e inovação.

Para Roberto Godoy, sócio da área de Tecnologia da everis Brasil, “a primeira edição do everis innovation experience | Hackathon foi muito bem-sucedida e atingiu os objetivos que tínhamos na estratégia de inovação na everis. Agora, precisamos dar sequência aos próximos passos para seguir inovando com soluções tecnológicas como as utilizadas durante o evento, que apresentaram um nível muito alto. ”

A importância do trabalho vencedor

“Com o Virtual Makers, o usuário poderá transmitir de forma visual a maneira em que ele enxerga o problema. Isso seria possível por meio de streaming (transmissão ao vivo) de vídeo, convertido à perspectiva de realidade virtual (da mesma forma que acontece com vídeos 3D, ele ‘espelha’ a imagem para dar à pessoa a sensação de estar dentro do vídeo). Assim, o especialista dentro da perspectiva do usuário poderá compreender muito mais rápido o cenário e, assim, oferecer assistência visual de forma imediata”, afirma o estudante Fabio Lafuente, integrante do grupo vencedor do everis innovation experience | Hackathon.

“Assim como o projeto vencedor, todos os projetos envolvidos têm grande potencial para fazer a diferença no mercado. Estamos muito honrados em incentivar a inovação e o empreendedorismo, além de estimular o desenvolvimento de novos talentos. Precisamos cada vez mais identificar boas iniciativas, que possam contribuir para a sociedade”, destaca Bruno Pimentel, consultor da Liferay e patrocinador do evento.

Primeira edição do everis innovation experience | Hackathon

A primeira maratona de programação promovida pela everis recebeu um total de 55 inscrições. Ao todo, 15 projetos foram à fase final de apresentação. Os trabalhos foram avaliados por um corpo de jurados o qual fizeram parte o Diretor na Telefónica S.A., Pedro Riviere, o sócio-diretor das empresas BuiltCode IT Solutions e BTC Tecnologia, Luciano Gaspar, o consultor da Liferay, Bruno Pimentel, o gerente de Relações Corporativas da FIAP, Ricardo Fortes, o editor de tecnologia da revista EXAME, Filipe Serrano, o executivo da Associação Brasileira de Startup (ABStartups), Rafael Ribeiro, o sócio de tecnologia da everis Brasil, Roberto Godoy e o executivo responsável pela área de Inovação da everis Brasil, Roberto Pereira.

A análise dos projetos levou em conta os critérios de aderência ao tema, inovação, foco no cliente, relevância, qualidade da entrega e do pitch. Os outros projetos de destaques foram:

1 – Projeto Vencedor: Fabio Luis Lafuente Avila, Rodolfo Izidoro de Morais e Clauber Cesario de Souza, de São Paulo, que compuseram o grupo Makers e desenvolveram o projeto Virtual Makers. Utilizando o recurso de “Realidade Virtual”, o dispositivo de comunicação interpessoal é capaz de promover a comunicação entre duas pessoas (em tempo real), dentro de um ambiente virtual.

2 – Segundo colocado: Álvaro de Viveiros Neto, Antônio Vinicius, Arthur Prado, Rafael Gregolin, Victor Matos, todos de São Paulo, que compuseram o grupo Smart Connect e desenvolveram o projeto: “Draws Four U”. Com a proposta de transformar linguagem em imagem, a solução voltada para profissionais do segmento corporativo tem como proposta (por meio de fluxogramas), melhorar os problemas da comunicação verbal para visual.

3 – Terceiro colocado – Angélica Santos, Flavia Moura, Fernanda Fattu, Rogério Oliveira, Raphael Melo, que compuseram o grupo Evatar e desenvolveram o projeto: “Efetivação na Negociação”. Com a proposta de aumentar a interação com os empreendedores e clientes. O dispositivo de identificação facial – direcionado a executivos e empresários -, mapeia as expressões faciais em tempo real e, somado com outros recursos, auxilia no processo de consolidação de negócios.

Para mais informações sobre o everis innovation experience | Hackathon acesse o site: http://www.everisinnovation.com.br

Tags, , , , , , , ,

Estudo da everis e The Economist aponta tendências tecnológicas sobre digitalização da força de trabalho

Computadores dotados de inteligência e capazes de aprender novas tarefas e robôs mais rápidos e eficientes. Elementos de um futuro que, na verdade, já são realidade e trazem um simples questionamento: o mercado está pronto para essas inovações? Para tentar responder a esta e a outras questões, o estudo “Preparação para a digitalização da força de trabalho” (Preparing for the Digitization of the WorkForce), realizado pela everis em parceria com a revista inglesa The Economist, explora como estas tendências estão mudando a natureza do trabalho no século 21 e como as organizações estão se preparando para esta revolução. O relatório ouviu 228 executivos de empresas nos Estados Unidos, Europa, América Latina e Ásia-Pacífico.

“As maiores tendências apresentadas no estudo são a eficiência dos robôs e a inteligência artificial. Há uma enorme demanda no mercado envolvendo estas inovações. Elas estão provando que cada vez mais é possível executar de maneira eficiente tarefas antes impossíveis de se realizar”, destaca Rodrigo Catalan especialista em Tecnologia da Informação e lidera a operação de Business Process Outsourcing da everis no Brasil

Novas oportunidades profissionais. Diante deste cenário, um dos pontos levantados é que a digitalização da força de trabalho acontece durante um momento de alta demanda por talentos. O desafio mais comum entre os entrevistados é a limitada oferta de mão de obra qualificada, problema que as tecnologias analisadas oferecem uma série de soluções, já que 80% dos entrevistados para este relatório acreditam que a capacidade de uma organização para utilizar fontes digitais de trabalho será um fator-chave para o seu sucesso no futuro.

A busca por necessidades mais estratégicas. O estudo aponta que mais da metade das empresas criaram uma estratégia para abordar a força de trabalho de digitalização, mas menos de um quarto delas chegaram a adotá-las. O impacto da digitalização de trabalho está na agenda corporativa, mas enquanto um total de 58% dos entrevistados planejaram uma estratégia que abrange a digitalização do trabalho, apenas 23% a implementaram de fato. Algumas barreiras comuns incluem a ausência de conhecimento técnico, processos de negócios com dificuldades de realizar mudanças e uma falta de vontade de inovar. Isso não significa que estas não estão sendo usadas, muito pelo contrário, elas apenas ainda não estão sendo utilizadas de forma estratégica.

Tecnologias beneficiarão mercados em cinco anos. O uso de robôs tem permitido que profissionais altamente qualificados possam concentrar seu talento onde é realmente necessário e de maneira mais estratégica. Em contrapartida, de acordo com o relatório, a falta de conhecimento técnico é o maior desafio na área. Para 45% dos entrevistados a falta de compreensão em novas técnicas e tecnologias é o principal entrave. Quando questionados se a organização faz algum uso de robôs em seus processos, o recurso é utilizado por apenas 38%. A maioria, 50% dos entrevistados, não utilizam ou não pretendem utilizá-la no futuro. No entanto, para 48% dos que participaram da pesquisa, nos próximos cinco anos, uma das áreas que mais se beneficiarão com a eficiência desta tecnologia é a de manufatura.

Ainda segundo Rodrigo Catalan, com o surgimento de novas tecnologias e redução de custos em hardware, três importantes tendências relacionadas à eficiência do uso de robôs podem levar as empresas inteligentes a repensar sua utilização: “A primeira, com o uso de robôs industriais para realização de diferentes tarefas saindo dos ambientes fabris e atuando, por exemplo, em hotéis ou restaurantes. A segunda, com o emprego de nuvem mais eficientes, que permitem o uso de um hardware robô ligado a um servidor para coordenar outras centenas de robôs em enormes armazéns, por exemplo. E a terceira, com o uso dos robôs fora de ambientes industriais, como no projeto do carro que dirige sozinho, drones e exoesqueletos, que são exemplos claros. Há também uma nova leva de produtos, como o robô pessoal Jibo, que prometem mudar a forma como interagimos com o mundo”, conclui.

De acordo com a Federação Internacional de Robótica (IFR), as vendas de robôs alcançaram 178,132 unidades em 2013, de longe o maior nível já registrado em um ano. Em 2014, eles aumentaram mais de 27%, a uma estimativa de 225 mil unidades.

A inteligência artificial (IA) já é bastante difundida no mundo dos negócios. A pesquisa revela que 43% dos entrevistados dizem que suas organizações estão fazendo algum uso desta tecnologia. A aplicação mais comum hoje é em análise de dados. Em relação a esta área, o estudo revela que cerca de 65% das companhias pretendem aplicar a IA, já que inovações recentes têm ajudado as empresas a extrair conhecimento e a aprender com o crescente volume de dados que coletam. Os respondentes também enxergam a IA como uma ferramenta para ajudar os profissionais a serem mais produtivos.

“Empresas de todos os setores irão se beneficiar do uso destas tecnologias, o setor financeiro, por exemplo, tem grandes oportunidades neste cenário, já que se trata de um setor que conta com um número significativo de profissionais qualificados executando tarefas de baixo valor agregado, mas que são fundamentais para as instituições. Algumas empresas já têm utilizado aplicações baseadas em IA para compreender os seus clientes, recomendar ou sugerir soluções pertinentes às suas necessidades”, explica Catalan.

Pontos importantes a se considerar no futuro. Nos próximos anos, as empresas precisarão começar a estudar novas possibilidades e a analisar quem já está colhendo os benefícios da digitalização para não ficarem para trás, já que as tecnologias cognitivas e o uso de robôs têm se tornado cada vez mais acessíveis e menos onerosas, reduzindo significativamente entraves à produtividade e inovação; a força de trabalho do futuro também precisa começar a ser pensada, em termos de habilidades que serão necessárias para estarem alinhadas às estratégias de crescimento e expansão dos negócios.

Tags, , , , , , ,