Tag EMC

O código não tem que ser secreto – Por: Marcio Sanchiro

Há três anos, a possibilidade de que a EMC um dia ofereceria um código aberto livremente para o mundo seria considerada uma heresia. Até então, a ideia era a de que apenas compartilharíamos nosso próprio código fonte sobre nosso cadáver. Reconhecemos, naquela época, que para ganharmos no mundo da nuvem nativa era preciso fazer uma mudança radical de atitude em relação a código aberto. Por quê?

Em primeiro lugar, porque o sucesso como fornecedor neste mercado tem a ver com ter o apoio da comunidade sobre aquilo que você faz. Segundo porque o código aberto nos permite avançar mais rápido no desenvolvimento feito por comunidades de desenvolvedores. E em terceiro lugar, queremos eliminar as preocupações em torno de lock-in (obrigaçãoem alterar o preço de um produto de acordo com diferentes clientes).

Esta mudança de paradigma levou alguns anos para se manifestar, mas recentemente aceleramos o passo. Ao fazer essas contribuições, aprendemos detalhes importantes sobre a participação no mundo do Open Source que valem a pena compartilhar:

1. Quando você sente que está quase pronto para compartilhar seu código, você já está

Tradicionalmente, quando imaginamos o lançamento de um produto, pensamos: “Temos que deixá-lo perfeito e resolver tudo antes de colocá-lo no mercado”. Mas quando o assunto é código aberto é muito menos importante obter coisas perfeitas inicialmente e mais importante lançá-lo como domínio público para que a comunidade possa trabalhar, crescer junto com ele e, aí sim, deixá-lo perfeito.

O que aprendemos com os lançamentos recentes é que você tem mais credibilidade lançando o software e assumindo esta condição de aperfeiçoamento ao invés de vez de fingir que tudo está impecável e tratar o lançamento como um produto acabado.

2. Você não precisa da comunidade para começar o projeto, mas precisa do seu comprometimento para finalizá-lo

Você pode pensar que ao liberar o código aberto de algum projeto, será necessário ter mais 50 parcerias engatilhadas para compensá-lo. Na verdade você não precisa. A chave para a condução de uma iniciativa colaborativa está em apenas ter comprometimento em desenvolver um trabalho de qualidade. Se ele tiver de fato valor, a própria comunidade vai sustentar seu desenvolvimento.

3. Sua comunidade é auto seletiva

Você não consegue sempre escolher seus parceiros – a comunidade sim, os seleciona. A Intel é um dos nossos grandes parceiros, mas não antecipamos as principais contribuições que, em conjunto, fizemos com a Oregon State University. A universidade já usa um código aberto iniciado pela EMC e Intel para desenvolver um novo plug-in.

E por quê a universidade se envolveu numa iniciativa dessas? A participação em projetos de código aberto são uma ótima maneira para os alunos projetarem seus talentos e nomes na sociedade e no meio científico.

4. Nem todas as licenças de código aberto são iguais

Existem muito tipos de licenças diferentes para códigos abertos. As diferenças entre as licenças são extremamente importantes para entender como elas podem afetar a contribuição da comunidade. Considerando-se que é possível garantir que todo o código desenvolvido como resultado do projeto continua a ser um “open source”, os outros desenvolvedores podem ter ainda mais interesse com diferentes projetos. Nosso próximo lançamento sairá inicialmente sob uma licença pública do Mozilla e, em seguida, migrará para o Apache License 2.0, beneficiando a comunidade de maneira única.

E quais os próximos passos? Achamos que muito do desenvolvimento de software e da nossa própria natureza vai trilhar pelo caminho do open source. Isso é comprovado de diversas formas e acontece cada vez mais. Parte de nossos códigossão inclusive compartilhados publicamente em nosso site, na comunidade de desenvolvedores: EMC{code} community.

Conheça os nossos códigos, nos diga o que pensa e contribua em sua programação. Seus comentários vão nos ajudar a nos tornar melhores membros da comunidade do código aberto e a sua contribuição vai fazer um melhor software para todos.

*Marcio Sanchiro, Especialista Sênior em Cloud e Storage no Brasil e Cone Sul da EMC

Tags, , ,

Verint anuncia interoperabilidade com a EMC para fornecer soluções líderes de armazenamento na Nuvem

A Verint® Systems Inc., uma das maiores empresas de software do mundo, anuncia que suas soluções de Workforce Optimization™ concluíram com êxito o teste de interoperabilidade com a aplicação Elastic Cloud Storage (ECS™) da EMC, provando que seus sistemas têm plena capacidade para comunicação e operação integrada. O resultado se dá devido à arquitetura segura e escalável, em conformidade com os requisitos regulatórios e de governança para clientes, possibilitando à Verint fornecer uma solução otimizada para o arquivamento de mídias gravadas e metadados.

A gama de soluções de Workforce Optimization (WFO) da Verint, que integra o portfólio de Customer Engagement Optimization™, é projetada para ajudar organizações a impulsionarem o engajamento mais inteligente com clientes, aumentando a produtividade dos funcionários em toda a empresa e fornecendo a orientação necessária em tempo real para melhorar a experiência geral do consumidor. Ela auxilia a capturar e analisar as interações com clientes em todos os canais, descobrir tendências de negócios e áreas de oportunidades, habilitar organizações na obtenção de informações valiosas para a área de compliance, melhorar os processos de negócios, impulsionar o desempenho da força de trabalho e implementar estratégias centradas no cliente para aumentar a fidelidade e a retenção.

A solução de Elastic Cloud Storage (ECS), da EMC, fornece um sistema de armazenamento multifuncional de nível empresarial para a carga de trabalho tradicional e da próxima geração para a empresa e para os provedores de serviços em Nuvem. A ECS é uma plataforma completa de arnazenamento, definida por software, que cumpre todos os requisitos de Nuvem em todas as escalas. Essa oferta de terceira geração da EMC, baseada em objetos, proporciona a simplicidade e o baixo custo de Nuvem Pública, ao mesmo tempo em que aproveita o gerenciamento de riscos, conformidade e soberania de dados (do inglês, data sovereignty) de Nuvem Privada. A solução também oferece economia de escala em Cloud (Nuvem) com um custo total de compra mais baixo em comparação com os provedores de armazenamento em Nuvem pública, acessibilidade universal (objeto, arquivo, HDFS) e capacidade de desenvolvimento mais rápido de aplicações.

A experiência da Verint em ajudar organizações a capturarem, analisarem e agirem sobre os clientes e sobre a inteligência de negócios foi um passo natural em direção à certificação WFO e na obtenção da interoperabilidade com a solução da EMC®.

“A interoperabilidade com a Elastic Cloud Storage da EMC permite que nossos clientes se beneficiem de uma solução confiável para o arquivamento de mídias e metadados”, afirma Oren Stern, Vice-Presidente Sênior de Estratégia de Produto da Verint Enterprise Intelligence Solutions™. “A EMC é uma das mais bem-sucedidas empresas de armazenamento e gerenciamento de dados do mundo, tornando essa união ideal para os nossos clientes.”

“Em um cenário de terceira plataforma, estruturas de dados estão tomando conta de tudo, o que significa que os clientes precisam de soluções não só para argumentar, mas também para otimizar seus dados orientados a objeto”, afirma Para Manuvir Das, Vice-Presidente Sênior das Divisões de Software Avançado e Tecnologias Emergentes da EMC. “A interoperabilidade da Elastic Cloud Storage da EMC com as soluções da Verint de Workforce Optimization nos ajudará a ampliar nosso alcance global e a oferta de tecnologias líderes da indústria e de soluções eficientes para mais organizações”.

A primeira fase de testes de interoperabilidade do oferecimento das soluções de WFO da Verint e Elastic Cloud Storage da EMC foi completada em meados de 2015. As duas companhias continuam trabalhando juntas em ações de aproximação para manterem-se atualizadas com as últimas versões de software da ECS e da Verint.

Tags, , , , ,

EMC acelera mudança para código aberto

Projeto open source do RackHD™ e nova versão do CoprHD reforçam os investimentos da EMC com a comunidade de desenvolvimento e auxiliam nos desafios de gestão em data centers de hiperescala

A EMC Corporation (NYSE: EMC) anuncia o lançamento do RackHD™ (Rack “H” “D”), um conjunto de tecnologias independentes de plataforma projetadas para resolver o desafio de gerenciar e orquestrar servidores e recursos de rede em hiperescala. Além disso, a empresa está trazendo atualizações para o CoprHD, o REX-Ray™ e novas colaborações com a Intel e a Oregon State University.

Novos destaques:
• EMC lança o projeto de código aberto do RackHD, disponível sob licença do Apache, versão 2.0.

• O RackHD oferece tecnologia independente de plataforma para proporcionar automatização efetiva do gerenciamento de hardware e orquestração em hiperescala.

• A comunidade do CoprHD lança a primeira atualização, o CoprHD 2.4, com novo suporte ao ECS (EMC Elastic Cloud Storage) e ao EMC XtremIO 4.0.

• A comunidade do CoprHD lança dois novos projetos com a Intel e a Oregon State University para adicionar suporte a armazenamento terceirizado e integração do OpenStack.

• EMC atualiza o mecanismo de orquestração de armazenamento do REX-Ray com suporte ao EMC VMAX, ao EMC Isilon e ao GCE (Google Compute Engine).

De acordo com John Roese, vice-presidente sênior e CTO da EMC Corporation, as soluções aprimoradas abordam desafios significativos no gerenciamento de data centers definidos por software. “Ao tornar essas tecnologias abertas e acessíveis, a comunidade de desenvolvimento pode trabalhar em conjunto para beneficiar uma ampla gama de organizações e aplicações”, afirma o executivo.

“É um momento emocionante para a EMC com esse novo modelo de desenvolvimento em que temos os funcionários da empresa desenvolvendo códigos diretamente para ajudar a resolver grandes desafios no setor, enquanto desenvolvem novas tecnologias de um modo que permite a participação, contribuição, crítica e colaboração de todos”, completa.

O software RackHD oferece M&O (Management and Orchestration, gerenciamento e orquestração) de hardware que automatiza a detecção, a descrição, o provisionamento e a programação em uma grande variedade de servidores atuais e um roteiro para adicionar dispositivos de rede no futuro.

Os datacenters modernos são uma mistura de armazenamento de vários fornecedores, sistema de rede e servidores com uma crescente variedade de hardwares COTS (Commercial Off-the-Shelf, prontos para uso), sendo aplicados no aumento de casos de uso em hiperescala. Instalar sistemas operacionais de baixo nível ou atualizar microcódigo e BIOS em diversos dispositivos é tarefa manual complicada para engenheiros de datacenter. E se tornam ainda mais difíceis e caras em hiperescala. O RackHD foi criado para automatizar e simplificar essas tarefas fundamentais em uma ampla gama de hardware de datacenters.

Desenvolvedores podem usar a API do RackHD como componente em um sistema de orquestração maior ou criar uma interface de usuário para gerenciar serviços de hardware, independentemente do hardware subjacente no local. Foi projetada para ajudar organizações a acelerar a implementação de aplicativos modernos (Platform 3) que dependem de grandes números de servidores genéricos e infraestrutura heterogênea.

Hoje, o RackHD suporta uma grande variedade de servidores de datacenter com base no processador Intel® e detecção e monitoramento para switches. Foi estabelecida uma comunidade do projeto em EMC {code}, a comunidade Onramp para capacitação de desenvolvedores, para encorajar contribuições que estendam o suporte ao dispositivo heterogêneo e que desenvolvam novos recursos úteis para o datacenter definido por software. Uma lista detalhada de recursos está disponível na página da comunidade em GitHub: https://github.com/RackHD

Para o vice-presidente e gerente geral de Cloud Platform Business da Pivotal, James Watters, a parceria com a equipe de projetos do RackHD possibilitou à Pivotal executar implementações bare metal e híbridas pela primeira vez. “A força e a flexibilidade do RackHD permitiram uma transição do conceito para a demonstração da tecnologia em apenas duas semanas sem alterações no código central do CloudFoundry”, diz Watters.

A comunidade do CoprHD lança versão 2.4

O CoprHD é um software de automatização de armazenamento de código aberto que centraliza e transforma o armazenamento de vários fornecedores em uma plataforma simples e expansível. A comunidade da tecnologia fez sua primeira versão oficial com o CoprHD 2.4 para incluir novos recursos, projetos, contribuidores da comunidade e um novo switch de licenciamento para a licença do Apache, versão 2.0. A nova versão aumenta o escopo do software para incluir o armazenamento em object EMC® ECS™ e uma nova API REST do software EMC XtremIO® 4.0. Uma lista detalhada de recursos e plataformas suportadas está disponível na comunidade do projeto: https://coprhd.github.io/

A Intel e a Oregon State University, nos Estados Unidos da América, juntaram-se à comunidade do CoprHD como os novos contribuidores. A Intel está liderando um projeto para integrar a Keystone no software, permitindo o uso da API do Cinder e/ou da tecnologia para oferecer serviços de armazenamento em block. Esse recurso permite que as organizações ofereçam uma Interface de gerenciamento de armazenamento única para serviços do OpenStack.

Segundo Bev Crair, vice-presidente e gerente geral de Storage Group da Intel, o usuário final exige flexibilidade e segurança no desempenho dos serviços de TI, o que está direcionando o setor de soluções de armazenamento definidas por software. “A controladora do CoprHD Software-Defined Storage permite que plataformas em nuvem, como o OpenStack, gerenciem o armazenamento heterogêneo. Isso se alinha ao comprometimento e contribuições da Intel à comunidade de código aberto e nossos esforços para acelerar o desenvolvimento de soluções de armazenamento definidas por software”, afirma Crair.

Como um esforço para expandir o ecossistema do CoprHD, a comunidade do sofrware desenvolveu um SDK de camadas mais baixas projetado para permitir que fornecedores de armazenamento e terceiros possam adicionar suporte para outros sistemas de armazenamento ao CoprHD, com mais facilidade. Os alunos da Oregon State University estão desenvolvendo o primeiro plug-in com o SDK de camadas mais baixas para um novo driver do EMC ScaleIO®. Finalmente, ele substituirá o driver do ScaleIO na versão atual e servirá como caso de teste para desenvolvimento adicional do SDK de camadas mais baixas.

“Descobrimos como foi difícil implementar qualquer tipo de ferramenta de automatização para obter uma mistura heterogênea de sistemas de armazenamento. Colaborar com a comunidade do CoprHD nos permitirá atingir nossos objetivos de evitar o limite de fornecedores e dar suporte a toda a nossa infraestrutura”, explica Shayne Huddleston, diretor de infraestrutura de TI da Oregon State University.

A EMC atualiza o mecanismo de orquestração de armazenamento REX-Ray

A EMC também anunciou uma nova versão de seu mecanismo de orquestração de armazenamento REX-Ray, projeto de código aberto da EMC {code} que oferece acesso ao armazenamento persistente para tempo de execução de contêineres, incluindo aqueles fornecidos pela Docker, Mesos e outras. Ele foi projetado para permitir o recurso de armazenamento avançado em plataformas na nuvem, de virtualização e armazenamento comum.

A versão 0.3 contém diversas novas atualizações por meio de contribuições da comunidade, incluindo suporte à plataforma de armazenamento expandida do GCE (Google Compute Engine) e os sistemas de armazenamento EMC Isilon® e EMC VMAX®. Além disso, o REX-Ray foi atualizado com uma função de montagem de volume preventiva que permite ao host reatribuir volumes montados de hosts sem resposta. Isso garante que os aplicativos mantenham o acesso ao armazenamento persistente. O REX-Ray 0.3 está disponível sob a licença do Apache, versão 2.0 e hospedado no GitHub em: https://github.com/emccode/rexray.

Tags, , , , , ,

EMC movimenta mercado de TI com Programa de Talentos

A EMC anuncia o lançamento do seu Programa de Talentos, iniciativa da divisão EMC Academic Alliance. O programa visa ampliar o apoio e atuação da empresa no âmbito da educação, no segmento de tecnologia. Atualmente, alunos de universidades parceiras recebem conteúdo didático sobre armazenamento e gerenciamento de informações, virtualização e infraestrutura em nuvem, desenvolvido por especialistas EMC. Com o Programa de Talentos, a EMC estende sua atuação ao mercado de trabalho, avaliando e indicando esses alunos treinados para vagas em empresas parceiras e clientes.

A criação do Programa de Talentos EMC vem ao encontro da necessidade do mercado de trabalho por mão de obra especializada, principalmente na indústria de tecnologia da informação. Segundo o estudo “Tendências e Desafios no Gerenciamento de Armazenamento”, do IDC em parceria com a EMC, que ranqueou os maiores desafios identificados por gestores e profissionais de tecnologia, desde pequenas até grandes empresas, a falta de profissionais com qualificações em armazenamento (storage) está em sexto lugar, e a falta de profissionais especializados em computação em nuvem (cloud) em oitavo lugar.

De acordo com Eduardo Lima, gerente de Programas Acadêmicos da EMC, “existe uma distância entre o que a faculdade forma e o que o mercado precisa. As empresas têm grandes desafios para encontrar profissionais que conheçam e saibam trabalhar com storage, cloud e big data. A iniciativa da EMC visa oferecer ao mercado de trabalho pessoas treinadas e com experiência em implantar soluções tecnológicas nas empresas”.

Cresce, em alta velocidade, o aumento da quantidade de dados que são gerados. Com isso, a necessidade de usuários finais e de empresas de qualquer porte, de armazenar, analisar, gerenciar é enorme e será ainda mais urgente no futuro próximo. O estudo EMC Information Generation, que explora o impacto de uma crescente comunidade global de cidadãos digitais, informa que por volta de 2020, terão criado 44 zettabytes de dados por meio de dispositivos (ou 44 trilhões de gigabytes), segundo os institutos Gartner e IDC.

A EMC também anuncia que a IT-One, empresa especializada em prover consultoria, soluções de Hybrid Cloud para ambientes corporativos de TI, serviços gerenciados e serviços especializados, com sede em Minas Gerais, é a primeira parceira da EMC no Programa de Talentos. A IT-One será a primeira a ter acesso aos alunos, saídos diretamente de universidades da região, com conhecimentos e habilidades específicas para gerenciar e integrar a gama completa de tecnologias, que podem abranger desde o armazenamento EMC até VMware e Vblock, por exemplo.

Mauro Moraes, Gerente de Soluções da IT-One, diz que a empresa enxerga grandes oportunidades na iniciativa do EMC Academic Alliance, “o programa permite fazer um marketing de conhecimentos em soluções e perfis de profissionais. Além de aproximar a IT-One das universidades, nos dá um diferencial competitivo importante, pois os alunos chegam com uma direção no mundo da tecnologia. É uma oportunidade de negócio, pelo valor adicionado e distinção em relação aos demais currículos”.

Com o Programa de Talentos, a IT-One poderá fortalecer seu quadro técnico com os profissionais formados nas universidades parceiras da região que atua. Os alunos serão recrutados a partir dos cursos e avaliações do programa EMC Academic Alliance, e os contratados, por sua vez, entrarão em um processo de treinamento focado nas necessidades de seu time técnico, de maneira ágil e com a primeira fase completa ainda na faculdade. “Até o final de 2015 a expectativa é receber cerca de 30 indicações de profissionais, para os quais já temos seis vagas aguardando. O trabalho que a Federação EMC está desenvolvendo é fundamental, pois acompanhamos a movimentação e necessidades do mercado”, comenta Moraes.

“Formando profissionais especializados, o Programa de Talentos EMC dá o passo adiante para promover o crescimento do mercado e ajudará na continuidade do desenvolvimento desse profissional. Assim, abre-se um ciclo essencial na construção da base qualitativa da educação segmentada do país e de profissionais do setor brasileiro de tecnologia”, diz Carlos Cunha, presidente da EMC Brasil.

Eduardo Lima comenta que o Centro de Pesquisa & Desenvolvimento em Big Data da EMC, com sede no Rio de Janeiro, despertou ainda mais o interesse das universidades por cursos sobre Big Data. “Parceiros de negócios terão acesso facilitado a estes profissionais, com conhecimento estratégico de uma das grandes tendências globais em tecnologia que é o big data”, destaca.

Ao todo a EMC já contratou 16 profissionais treinados em universidades parceiras com o EMC Academic Alliance. Para este ano, a empresa já possui mais quatro vagas em aberto. Somente neste primeiro semestre, foram mais de 1.800 estudantes treinados. Em 2014, o EMC Academic Alliance somou mais de 6.400 alunos treinados, em 190 universidades da América do Sul, sendo 175 somente no Brasil, e mais 15 em países como Colômbia, Argentina, Peru e Chile. O histórico soma mais de 14 mil alunos na região, desde 2011.

Os cursos oferecidos às universidades pelo EMC Academic Alliance são certificados pela empresa e se dividem em quatro categorias, as quais a EMC é líder de mercado, sendo armazenamento, cloud, big data e backup. Os cursos são conceituais, teóricos e agnósticos e os conhecimentos adquiridos podem ser aplicados a qualquer segmento da indústria e qualquer profissional do mercado pode fazê-lo.

A meta deste ano do EMC Academic Alliance é chegar a 210 universidades, sendo 7500 estudantes treinados e, destes, aproximadamente 750 avaliados, que serão automaticamente adicionados à base de dados do Programa de Talentos EMC, que pode ser usada para recrutamento tanto pela EMC quanto por clientes e parceiros.

Tags, , , , , , , , , , ,

Intel apresenta novas tecnologias no Ciab FEBRABAN 2015

A Intel Brasil participa da 25ª edição do Ciab FEBRABAN, que ocorre entre os dias 16 e 18 de junho, no Transamérica Expo Center, em São Paulo. A empresa apresentará novidades com 6 grandes parceiros (Cisco*, Dell*, EMC*, HP*, Oracle* e SAP*), além de sua subsidiária, Intel Security. As soluções levadas para o maior evento de tecnologia para o mercado financeiro estão alinhadas com as grandes tendências do mercado – em especial, soluções de Cloud Computing, Big Data, Segurança, Mobilidade e Storage.

“As tecnologias que a Intel e seus parceiros apresentarão no Ciab endereçam os novos e frequentes desafios para a eficiência e a segurança dos sistemas de TI, num cenário em que a quantidade de dados dentro das corporações é crescente”, comenta Fábio de Paula, Diretor da Intel Brasil para o mercado corporativo. “As novidades que traremos em 2015 para o evento são algumas das mais avançadas soluções para resolver problemas de segurança das informações do mercado financeiro”.

Soluções apresentadas pelos parceiros

A Cisco apresentará soluções para Cloud Computing com Cisco One Enterprise Cloud Suite baseado nos processadores Intel® Xeon®. Para Internet de Todas as Coisas, focado no mercado financeiro, a Cisco ressalta as seguintes soluções: automação na tomada de decisões em segurança física & video surveillance; integração de segurança física com sensores automatizados com o gerador de névoa; mobilidade nos transportes e gestão automatizada de energia elétrica. Todas as informações são processadas em plataformas baseadas em processadores Intel®. Ao abordar o tema ambiente colaborativo, a Cisco apresenta soluções de mobilidade, gestão de fila e telepresença como um serviço baseados em tablets com tecnologia Intel®.

A Dell trará novidades para o mercado corporativo com foco no setor financeiro. Para computação pessoal, a principal novidade será a tecnologia de reconhecimento facial para evitar fraudes, que explora os recursos Intel® RealSense™ por meio do software Certiface*, da OITI Technologies* – empresa de software parceira da Intel. Já para Data Centers, haverá soluções de segurança de dados, Information Management e Data Center Management com servidores baseados nos processadores Intel® Xeon® e otimizados com as soluções de software Intel®.

A HP apresentará diversas novidades nessa edição do CIAB. Uma delas é a solução Cloud System 8.0, suportada pelos servidores baseados nas mais recentes versões dos processadores Intel® Xeon®, base para diversas aplicações como big data e sistemas convergentes. A HP é parceira de ecossistema do Intel® Open Network Platform Server e as empresas colaboram nas soluções HP ProLiant Server e HP Networking Solutions, que capacitam clientes a consolidar cargas de trabalho de rede, reduzir custos de implantação e aumentar a velocidade de serviço.

A EMC apresentará por meio das vitrines de soluções diversos temas relevantes ao mercado financeiro como: Infraestrutura convergente, big data, software defined data center, entre outros. Para endereçar estes desafios a EMC conta com suas tecnologias baseadas nos processadores Intel® Xeon® que aliam alta performance, eficiência e custo-benefício para os data centers

Em parceria com a Oracle, a Intel ressalta a relevância da infraestrutura para suportar as inovações do setor financeiro como IoT, centralizando todo o processamento com maior rapidez e segurança para a linha EXA, baseada nas últimas versões dos processadores Intel® Xeon® e otimizadas em hardware e software graças ao desenvolvimento conjunto dos times Oracle e Intel.

Já a SAP apresenta soluções com SAP HANA, otimizadas para arquitetura Intel® que entregam insights em tempo real para tomada de decisões e otimização de processos.

Tags, , , , , , , ,