Tag Dinneer

Festival internacional de jantares compartilhados em São Paulo gera negócios através de bitcoin

Se o avanço da tecnologia foi o responsável pelo nascimento de ferramentas de economia compartilhada que movimentam bilhões em todo o mundo, a penetração delas nos mais cotidianos dos atos tornaram possível a contratação de serviços de hospedagem, transporte e refeições compartilhadas em apenas alguns cliques.

Como se já não fosse disruptivo o bastante, a empresa brasileira Dinneer realizadora do festival internacional de jantares compartilhados, edição São Paulo www.globalfoodweek.com passou a aceitar dos apaixonados por experiências gastronómicas, a moeda virtual Bitcoin, fechando um ciclo digno de distopia futurista que está revolucionando os meios de pagamentos e recebimentos em todo o mundo.

“A implementação do meio de pagamento foi um pedido dos próprios participantes, afirma, Flavio Estevam, responsável pela empresa Dinneer que realiza o Global Food Week em 46 países.”

Eram pelo menos dez e-mails por semana, contabiliza. “No último festival realizado em Toronto, tivemos dezenas de pedidos de participantes mas na época não aceitávamos a moeda. Em São Paulo não estão sendo diferente, já temos alguns jantares confirmados e pagos com Bitcoin. Além de nãopagarmos nada de tarifa, a transação é muito eficiente.”, conta Estevam. Tiro certo. Até 22/12, onze jantares tinham sido pagos com bitcoins.

Entre as experiências que você encontra no Global Food Week, chefs profissionais e cozinheiros amadores de outras nacionalidades servem em suas próprias casas, pratos típicos de seus países como Portugal, Argentina, Itália, Haiti, China, Peru e México.

O Global Food Week que vai de 19 a 29 de janeiro, já está aceitando inscrições de Anfitriões que desejam cozinhar em suas próprias casas e também daqueles que desejam reservar uma experiência diferente – Inscreva-se e saiba mais: www.globalfoodweek.com

Muito além da comida, a proposta é uma verdadeira imersão cultural possibilitando experimentar pratos típicos preparados por expatriados de todos os cantos do mundo sem sair de São Paulo.

Tags, , , , , , , , , , ,

Startup Dinneer recebe novo aporte de grupo americano

dinneer-03

A startup brasileira de jantares compartilhados acaba de receber um aporte de fundos de investimentos americanos. Trata-se do Dinneee.com que conecta anfitriões que oferecem jantares em suas próprias casas – uma espécie de “Airbnb da comida”. Ela é uma das startups brasileiras com melhor presença internacional: são 270 cidades de 42 países diferentes.

Os fundos Eldar Investments e ECS Capital Partners escolheram a Dinneer, a primeira startup sul-americana a receber investimento por eles. A companhia já tinha recebido investimento, em 2016, da Bossa Nova Investimentos, que lidera um fundo que no ano passado investiu mais de R$10 milhões em 16 startups e este ano deve dobrar o valor total investido.

O Dinneer é uma das startups que representam o conceito de share economy e que vem causando impacto em vários setores da economia. Entre as gigantes do setor estão Airbnb, Uber, Doghero e Blablacar

A ideia não é ser um restaurante

Para usar o serviço como visitante, basta entrar no site, escolher uma refeição entre as oferecidas, realizar a reserva com base nos preços, os pratos oferecidos, número de visitantes e local do jantar. Assim, no dia e na hora agendados o anfitrião recebe os visitantes em casa para degustar o banquete completo.

A Dinneer acompanha o processo e se esforça para que o anfitrião siga o seu padrão de qualidade e atendimento, servindo entrada, prato principal, sobremesa e bebidas para todos visitantes. Além disso, ela também gerencia todo processo de pagamento e contato entre os anfitriões e os visitantes.

O anfitrião recebe 90% do valor do anúncio 24 horas após o encontro. “A proposta de valor é muito diferente de um restaurante, pois o ambiente caseiro e o contato próximo com o anfitrião eleva o nível da experiência. Já no restaurante tradicional o cliente não tem um ambiente exclusivo ou a oportunidade de sentar na mesa para comer com o dono do restaurante”, destaca Flavio Estevam, CEO do Dinneer.

Expansão Internacional

Nas 270 cidades em que opera – em 42 países diferentes -, a companhia visa o mercado de expatriados brasileiros, que apresenta mais de 4 milhões em todo o mundo. A ideia é que a startup facilite o trabalho para que brasileiros realizem jantares com outros brasileiros. Hoje existem mais de 3.000 anfitriões na plataforma.

Ela vai, com o dinheiro, expandir para outros mercados. “Com a nova rodada de investimento, nós vamos replicar o mesmo modelo para outros expatriados, são eles: espanhóis, japoneses e argentinos. A nossa missão é dar aos expatriados do mundo inteiro o acesso a sua comida nativa, trazendo um impacto financeiro e emocional positivo em suas vidas”, termina Estevam.

Tags, , , , , ,

Startup Dinneer é selecionada por aceleradora no Canadá e visa mercado global

unnamed-55

O Dinneer.com, plataforma brasileira de jantares compartilhados foi selecionado pela Launch Academy, aceleradora canadense para fazer parte de um projeto voltado exclusivamente para oito startups brasileiras. A canadense já foi responsável pela aceleração de mais de 400 startups, levantando mais de US$80 milhões e criando mais de 800 empregos em todo o mundo.

O projeto, chamado “LEAP International”, selecionou dentre o mercado de startups brasileiras oito com potencial para desenvolvimento de seus negócios: a aceleração, como define Flavio Estevam, CEO do Dinneer, “é uma forma de impulsionar a startup em curto prazo, através de mentorias de especialistas em diversas áreas do negócio”. A aceleração consiste em um programa de dois meses, e o Dinneer receberá aporte de investidores privados durante o período.

O CEO da Launching Academy, Walia, avisa aos novos empreendedores que “conquistar recursos quando a empresa ainda é um embrião está ficando cada vez mais difícil. Os investidores estão buscando cada vez mais startups já com um mercado consolidado para expandir os negócios”.

É aí que entra o Dinneer: Flavio afirma que um dos resultados previstos é quadruplicar a presença da empresa no mercado internacional, passando a atuar, até dezembro em 100 países. “Esta seleção é um reconhecimento do trabalho que temos feito” continua o empreendedor “já provamos que a economia compartilhada é o futuro e que há um mercado promissor em jantares compartilhados”, referindo-se ao 1º Festival de Gastronomia Digital no mundo, organizado pela start-up em julho deste ano.

Tags, , , , , ,