Page

Tag delivery

Rappi recebe investimento de US$185 mi e anuncia expansão no Brasil

Sete meses após chegar ao Brasil, depois ser investida pelos principais fundos do Vale do Silício, a Rappi, startup que disponibiliza assistentes pessoais para compras e entregas 24h por dia, anuncia o recebimento de um aporte de 185 milhões de dólares, que será usado para expandir a operação em quatro novas capitais brasileiras e para ampliar as categorias de serviços. Atualmente, a Rappi está presente em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte e Curitiba.

“Sabemos que o bem mais precioso das pessoas é o tempo e a Rappi tem a missão de facilitar o dia a dia de qualquer pessoa nas grandes cidades, onde o trânsito é ruim. Esse valor será usado para expandir nossa atuação e oferecer mais serviços de uma forma prática, segura e cômoda”, explica o Sócio Presidente da empresa, Bruno Nardon. Parte do investimento veio dos fundos Sequoia Capital e Andreessen Horowitz e cerca de $105 milhões vieram da Delivery Hero, empresa de delivery de alimentos. O valor será usado para abrir operações em Recife, Fortaleza, Salvador e Brasília.

Atualmente, a Rappi conta com as seguintes categorias: Supermercados, Farmácia, Restaurante – inclusive, aqueles que não oferecem entrega à domicílio -, Bebidas, Pets, Conveniência e Qualquer Coisa – esta última inclui a compra de qualquer produto, pela qual já receberam pedidos inusitados, como colchão de ioga, viagra, balões de gás hélio, camisinha e piscinas de plástico.

Além da operação brasileira, que deve ser abranger cerca de 15 cidades nos próximos meses, a Rappi está presente na Colômbia (Bogotá, Cartagena, Medellín, Barranquilla, Laureles, Cali e Bucaramanga) e no México (Guadalajara, Monterrey, Pedregal e Cidade do México). São cerca de 2 milhões de usuários em todo o mundo. O usuário pode optar por usar a plataforma via web ou por meio do aplicativo, que pode ser baixado gratuitamente nas lojas Google Play e App Store.

Tags, , , , , ,

iFood tem mais de 100 vagas abertas

Autonomia, oportunidade real de crescimento, espírito empreendedor, locais para descanso, com videogames, e espaços integrados, que favorecem o compartilhamento de conhecimento, além de bebidas e comidas à vontade são algumas das características do iFood. A empresa brasileira de seis anos é bem avaliada na plataforma Love Mondays pelos colaboradores e acaba de ganhar dois prêmios Great Place To Work. Com mais de 600 colaboradores e registrando um crescimento médio de 120% ao ano, o iFood mantém essa cultura de startup e não para de contratar. Mais de 100 vagas estão abertas e as candidaturas podem ser feitas pela aba Carreiras no site institucional iFood e pela página do iFood no Linkedin.

O iFood busca por talentos que compartilham dos mesmos valores da empresa, que são empreendedorismo, simplicidade, resultado e cliente e que se sintam confortáveis em trabalhar num ambiente em que a mudança é uma certeza. As posições abertas são para diversos níveis, desde jovens talentos até líderes, nas áreas de Tecnologia, Comercial, Finanças, Operações, RH, Jurídico e Marketing.

Na empresa, o contato inicial já é diferente. Por que não trocar a tensão de uma entrevista de emprego por um bate-papo informal? No iFood, o candidato é um convidado, então nada melhor do que oferecer a atmosfera do ambiente mais leve para o primeira entrevista presencial. A informalidade e o senso de colaboração são marcas registradas da empresa. Independentemente do momento de vida e dos cargos, todos têm a oportunidade de conversar de igual para igual; trocar experiências e conhecimento.

A integração no iFood é feita por colaboradores de todas as áreas da empresa e tem duração de quatro meses. Nesse tempo, os novos integrantes do time passam por diferentes sessões, chamadas de Delivery de Conhecimento, onde vão conhecendo mais da empresa, do negócio, das pessoas e vão compartilhando dúvidas e sugestões até se encerrar com o bate-papo com o CEO. É um processo muito rico em que todos aprendem e ensinam.

O desenvolvimento dos colaboradores é o principal foco do iFood. A proposta é que eles terminem o processo sempre melhores do que entraram, independentemente da contratação. Isso faz parte do jeito iFood de ser, ou seja, a empresa estimula a inovação e o empreendedorismo no dia-a-dia.

Tags, , , , , , , , ,

App de delivery que recebeu investimentos no Vale do Silício chega ao Brasil

A startup Rappi, acelerada no Vale do Silício, garante a compra e entrega de qualquer produto em menos de 1 hora

Chega ao Brasil a startup Rappi, um aplicativo que disponibiliza assistentes pessoais pela cidade e tem como missão facilitar a vida do brasileiro, fazendo as compras do dia a dia. Em apenas alguns cliques os usuários podem solicitar serviços de delivery 24 horas por dia em cinco categorias diferentes: Supermercados, Farmácia, Restaurante – inclusive, aqueles que não oferecem entrega à domicílio -, Bebidas e “O que você deseja?” – esta última inclui a compra de qualquer produto, pela qual já receberam pedidos inusitados, como colchão de ioga, viagra, camisinha e piscinas de plástico.

“Sabemos que hoje em dia o bem mais precioso é o tempo e a Rappi nasceu para facilitar o dia a dia de qualquer pessoa, disponibilizando um assistente pessoal que pode comprar ou retirar encomendas em locais desejados, de uma forma prática, segura e cômoda”, explica Bruno Nardon, Sócio Presidente da empresa. “Além disso, a Rappi tem como objetivo ser parceiro dos estabelecimentos e dos nossos assistentes – os entregadores das mercadorias – auxiliando na demanda de compra e flexibilidade de agenda, respectivamente”, completa Ricardo Bechara, Diretor de Operações.

Todos os pedidos realizados são acompanhados em tempo real pelo cliente, que pode interagir via chat com o assistente que aceitou o pedido e o time de suporte da Rappi. O pagamento é feito via cartão de crédito ou débito, após o serviço ser finalizado.

Todos os profissionais parceiros que utilizam o aplicativo passam por uma triagem rígida, onde devem participar de uma palestra informativa, além de apresentar antecedentes criminais e capacidade de uma entrega de qualidade, a fim de garantir a segurança e satisfação de seus clientes. A Rappi garante os mesmos preços das lojas físicas e ainda conta com personal shoppers especializados em escolher os melhores produtos do supermercado para os usuários.

Lançada em 2015, é investida pelos principais fundos do vale do silício, começou suas operações na Colômbia, e recém chegou ao Brasil em Julho de 2017. A empresa foi fundada pelos colombianos Símon Borrero, Sebastian Mejía e Felipe Villamarin e acelerada em 2016 no Y Combinator, a mais importante incubadora de start-ups do mundo, levantando uma rodada recorde de investimentos com Andreessen Horowitz, em seu primeiro investimento na América Latina, +monashees, ONEVC,Sequoia Capital entre outros.

A Rappi funciona em São Paulo, e pretende expandir seus serviços para as principais capitais do Brasil nos próximos meses. Além disso, está presente na Colômbia (Bogotá, Cartagena, Medellín, Barranquilla, Laureles, Cali e Bucaramanga) e no México (Guadalajara, Monterrey, Pedregal e Cidade do México). O usuário pode optar por usar a plataforma via web ou por meio do aplicativo, que pode ser baixado gratuitamente nas lojas Google Play e App Store.

Tags, , ,

iFood adota chatbot que possibilita pedir pizza pelo Facebook

unnamed (39)

O iFood apresenta um novo recurso para tornar a experiência de comprar pizza, prato mais pedido do delivery online, ainda mais fácil: o iFood Guru Beta. Essa é uma forma prática e rápida de fazer o pedido, via Messenger do Facebook.

Uma das mais inovadoras foodtechs do mundo, a empresa lançou o recurso para se aproximar dos usuários e simplificar o delivery de comida. Para fazer um pedido, o consumidor precisa apenas iniciar uma conversa com a página do Facebook www.facebook.com/iFoodGuru.

A interação é feita com um robô que, utilizando linguagem natural, recomenda os restaurantes mais adequados para atender àquele pedido, com base na localização, avaliação dos estabelecimentos e sabores disponíveis. Utilizando a versão beta do serviço, é possível pedir uma ou mais pizzas e bebidas. Em breve, o chatbot poderá recomendar outros tipos de culinárias.

“Depois de escolher o sabor, o usuário vai receber as notificações confirmando o pedido e a entrega, direto pelo Messenger. Aí, é só fazer pagamento no ato da entrega”, explica Paulo Floriano, Diretor de Inovação no iFood.

Com a novidade, os consumidores ganham praticidade e economizam tempo, sem precisar parar o que estão fazendo para realizar um pedido. “Como serviço, precisamos estar disponíveis onde nossos usuários estão, independentemente da plataforma. Sabemos que o tempo dos nossos usuários é precioso, e estar em outras plataformas, como o Facebook Messenger, nos ajuda a estar mais perto deles. O iFood está investindo em soluções que ajudem os consumidores no dia a dia e facilitem ainda mais a vida deles”, finaliza Floriano.

Tags, , , ,

Delivery de comida: Pesquisa aponta que 42% dos pedidos são realizados de forma on-line

Pesquisa inédita de comportamento encomendada pela PedidosJá, junto ao instituto de pesquisas Ipsos, revela que 42% das solicitações de entrega de comida no país já são efetuadas em plataformas digitais, seja por aplicativos agregadores ou sites próprios dos restaurantes. Avaliado com base nos hábitos de consumo de 1.005 pessoas residentes em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Brasília e Curitiba, o estudo também mostra que 57% dos entrevistados já pediram refeições em casa pelo menos uma vez na vida.

Entre os consumidores de delivery, 68% deles são considerados ‘heavy users’, ou seja, utilizam o serviço pelo menos uma vez por mês. A capital paulista possui o maior percentual deste público, com 75% de participação, seguido por Belo Horizonte (70%), Rio de Janeiro (68%), Porto Alegre (66%), Brasília (61%) e Curitiba (60%). Ainda entre os clientes, 51% pedem ao menos uma entrega por semana e 21% informam que solicitam de duas a três vezes por semana.

De acordo com Bruna Rebello, gerente comercial da PedidosJá no Brasil, o levantamento mostra que cada vez mais as pessoas preferem contar com a tecnologia para efetuar os pedidos no conforto de casa ou até mesmo no escritório. “Sem dúvida, a escolha dos usuários pelos meios digitais é reflexo da facilidade de consultar o cardápio e realizar a solicitação, além do fato de não precisar falar com atendentes”, avalia.

O estudo encomendado pela PedidosJá informa também que as mulheres são as maiores responsáveis pelos pedidos de comida no país, com 53% de participação no total de solicitações. A ocasião em que elas mais preferem pedir – 44% – são nos momentos de reunião com toda a família. “Esse dado serve para desmistificar de vez o fato de que o delivery é utilizado em sua maioria por homens solteiros e que vivem sozinhos”, argumenta Rebello.

A pesquisa também apresenta os principais motivos na tomada de decisão dos consumidores. Para 32% dos respondentes, a ocasião perfeita para realizar o pedido é quando não querem ser obrigados ou não estão dispostos a cozinhar, 11% revelaram que usam o serviço em encontros com amigos e, por último, 9% justificaram que pedem quando desejam comer algo especial e que não sabem fazer.

Por fim, o levantamento também coletou os tipos de comida mais solicitados pelos brasileiros. As pizzas lideram este quesito com ampla folga (57%). Em seguida, aparecem massas em geral (9%), sushi (8%) e comida chinesa (5%).

Tags, , , , ,