Tag Daniel Leipnitz

Rua de Florianópolis vira laboratório de inovação urbana

Presidente da ACATE, Daniel Leipnitz, e prefeito Gean Loureiro assinam termo para criação do Laboratório de Inovação Urbana.
Crédito: Cristiano Andujar/PMF

Florianópolis acaba de dar um importante passo para tornar-se uma cidade inteligente. A Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia (ACATE), Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (ACIF) e a prefeitura municipal firmaram convênio para desenvolver um Laboratório de Inovação Urbana. A primeira etapa será na Rua Vidal Ramos, no Centro, onde serão instalados ainda no mês de outubro roteadores Wi-Fi e câmeras inteligentes, que poderão ser acessadas pelos comerciantes e órgãos de segurança pública.

Segundo a consultoria Urban Systems, cidade inteligente é um modelo de urbanização e gestão pública que emprega os recentes avanços da tecnologia para tornar as cidades mais eficientes e seguras. Florianópolis deve alcançar os 800 mil habitantes em 2035 e hoje, com 469 mil, já enfrenta vários desafios. De acordo com o Índice de Cidades Empreendedoras 2016, da Endeavor, alguns dos principais gargalos estão relacionados a desenvolvimento urbano sustentável, mobilidade, gestão de resíduos, crise fiscal e financeira, digitalização dos serviços públicos e tempo para abertura de empresas. Sendo um dos principais polos tecnológicos do Brasil, o município tem capacidade de solucionar essas dores e ser reconhecido como uma cidade inteligente.

“Nós escolhemos a Rua Vidal Ramos para o projeto piloto porque seus lojistas e moradores já são muito organizados. Eles conseguiram que a rua fosse revitalizada e hoje ela é um modelo de urbanismo para a cidade”, explica Thaís Nahas, consultora em Cidades Inteligentes do Laboratório de Inovação Urbana. O objetivo é tornar a rua mais inteligente e lançá-la como um modelo para o Brasil ao implantar no local as tecnologias de ponta de empresas da região, fortalecendo também a economia local.

“É um projeto que, além de levar os benefícios da tecnologia para os comerciantes e moradores, pretende dar mais visibilidade para a rua, aumentando a circulação de pessoas. A iniciativa ainda visa a difundir a cultura de inovação – muito forte dentro das empresas – entre os cidadãos de Florianópolis, tornando a cidade cada vez mais competitiva e com uma economia mais forte”, ressalta Diego Ramos, diretor da Vertical Conectividade da ACATE.

O Laboratório de Inovação Urbana será viabilizado pelas empresas do setor tecnológico, que cederam suas soluções ao projeto: a Algar Telecom fornecerá toda a conectividade; a Intelbras irá conceder os roteadores e as câmeras; a Seventh doará licenças do software de Gestão e Análise de videomonitoramento, além do aplicativo para que os lojistas possam se automonitorar; a Khronos prestará o serviço de atendimento a ocorrências; e a Teltec Solutions entregará toda a infraestrutura de nuvem para o acesso e armazenamento das imagens.

Segundo Marcus Rocha, superintendente de Ciência, Tecnologia e Inovação de Florianópolis, o projeto é muito positivo para a prefeitura, pois serão várias câmeras ligadas a custo quase zero, podendo monitorar locais em que hoje não há acesso. “A intenção é transformar Florianópolis em um laboratório a céu aberto para a inovação. A ação na Vidal Ramos é a primeira de um projeto-piloto do Laboratório de Inovação Urbana, que será desenvolvido a longo prazo. O objetivo é viabilizar projetos de inovação que impactem em questões urbanas da cidade”, afirma Rocha.

Rosângela Macedo Coelho, diretora da Regional Centro da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (ACIF), tem uma loja na Vidal Ramos há mais 20 anos e acompanhou todo o processo de revitalização e reforço na segurança da rua. Ela diz que os lojistas estão muito otimistas com a possibilidade de monitorar todo o comércio local dentro de suas empresas. “Para nós, que já vivemos momentos de muita insegurança, medo da violência e sofremos com os prejuízos de furtos frequentes, iniciativas como essa trazem esperança e confiança de impulsionarmos os negócios”, afirma.

Após a implementação da conectividade e segurança, que é a primeira etapa do projeto, a rua deve receber tecnologias que aprimorem sua sustentabilidade, como a geração de energia renovável e sensores de nível de ruído, poluição e incidência solar. Para os próximos estágios do Laboratório de Inovação Urbana, será realizado um concurso de soluções inovadoras de base tecnológica entre os associados à ACATE, que busquem melhorar a qualidade de vida dos cidadãos e visitantes de Florianópolis.

Fonte: ACATE

Tags, , , , , , , ,

Santa Catarina ganha a primeira iniciativa para fortalecer ecossistema de fintechs no Brasil

Vertical Fintech, da Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia, pretende incentivar empresas a desenvolver ofertas competitivas para o setor financeiro.

De acordo com levantamento do FintechLab, iniciativa da Clay Innovation, existem no Brasil mais de 200 startups fornecendo serviços financeiros inovadores para pessoas e empresas. São as chamadas fintechs, que desafiam ou complementam as ofertas tradicionais das grandes empresas do setor financeiro.

Para promover o desenvolvimento desse segmento em Santa Catarina, a Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia (ACATE) lança a Vertical Fintech, que conta com apoio da Cetip, por meio de seu programa de inovação Foresee. É a primeira iniciativa desse tipo no Brasil.

Na vertical, as fintechs se reúnem mensalmente para trocar experiências e desenvolver o setor. Elas dividem também suas dúvidas e necessidades e contam com o apoio e orientação da Cetip e da consultoria Clay Innovation.

“Além da promoção de eventos e de incentivar o compartilhamento de experiências entre seus membros, a Vertical pretende proporcionar o desenvolvimento de ofertas complementares e competitivas para o setor de serviços financeiros, a partir da colaboração entre as empresas”, diz o diretor do grupo, Roberto Dagnoni, que é vice-presidente e diretor-executivo de Novos Negócios da Cetip. A empresa é a maior depositária de títulos privados de renda fixa da América Latina, a maior câmara de ativos privados do país e a companhia líder na prestação de serviços de entrega eletrônica das informações necessárias para o registro de contratos e anotações dos gravames pelos órgãos de trânsito.

Segundo estudo da Capgemini, o uso de serviços de fintechs no Brasil está acima da média global. A pesquisa mostra que 74% dos consumidores brasileiros utilizam produtos ou serviços dessa categoria, enquanto a média global é de 63%. Para o presidente da ACATE, Daniel Leipnitz, as fintechs têm revolucionado o modo como as pessoas realizam operações financeiras. “Essas startups estão impactando os negócios das instituições financeiras, que têm buscado se reinventar, sobretudo na maneira como se relacionam com os clientes”, explica. Leipnitz reforça que população está indo menos aos bancos e passando a utilizar tecnologias alinhadas com o conceito de fintech, como aplicativos para pagamentos, empréstimos e gestão financeira.

Tags, , , , , ,