Tag CorpFlex

Outsourcing de TI: CorpFlex cresce base de clientes em 98% em 2017

Especializada em Cloud Corporativa e soluções de outsourcing de TI, a CorpFlex encarou os desafios de 2017 com afinco – intensificando a qualidade de atendimento ao cliente, expandindo sua estrutura organizacional e frente de negócios – e um dos bons resultados colhidos a partir dessas iniciativas foi o crescimento da base de clientes em 98%.

Dentre os novos clientes, destacou-se o segmento de Varejo que contribuiu fortemente para o crescimento de sua base. De acordo com Edivaldo Rocha, CEO da CorpFlex, “o setor de Varejo apresentou resultados melhores em relação aos anos anteriores isso devido a uma mudança de Mindset, principalmente dos empresários, pois trazer a tecnologia para melhorar o uptime do negócio e principalmente focar no conhecimento dos clientes é fundamental, uma vez que temos ofertas corporativas aderentes a esse nicho e com preços competitivos”.

Para o CEO, além do bom desempenho do Varejo, outras razões foram favoráveis à companhia, tais como: processos otimizados dando mais agilidade na geração de leads; maior capacitação e o engajamento da equipe comercial – por meio de treinamentos semanais; o suporte consultivo de staff de arquitetos de solução disponível aos executivos da empresa e o trabalho mais próximo entre as áreas de Marketing e Comercial.

Ainda, Diogo Santos, foi nomeado como novo CTO da empresa. Este executivo conta com mais de 20 anos de experiência em TIC – e está há três na CorpFlex.

Outras mudanças organizacionais e estruturais colaboraram com os bons resultados, trazendo mais qualidade para os nossos clientes, automatizando atendimentos e relatórios mais detalhados.

Para 2018, a meta é ainda mais desafiadora: dobrar o número de clientes conquistados em 2017. A estratégia, de acordo com Rocha, é a expansão no primeiro semestre para regiões pouco exploradas por meio de representantes comerciais.

Em relação ao portfólio, o foco será na oferta de serviços gerenciados (Managed Services), assim como lançamentos visando a oferta de infraestrutura e serviços multicloud e também serviços de gestão da segurança da informação.

Tags, , , , , , , ,

Indústria 4.0: jornada para cloud com transformação digital – Por João Alfredo Pimentel

Estamos em franca transformação digital e a indústria 4.0 no Brasil tem ainda longo caminho a percorrer em vários setores da economia de forma gradual e disrruptiva.

Somados ao potencial combinado de tecnologias como a Internet das Coisas (IoT), Big Data, Analytics, Aprendizado de Máquina, cloud computing, computação cognitiva e inteligência artificial, robótica, entre outros, esta nova revolução tecnológica agrega redução de custos, ganhos de eficiência e receita adicional provocada por novos modelos de negócios.

Cunhado em Hannover, na Alemanha, durante evento em 2011, o termo indústria 4.0 foi citado pela primeira vez por um grupo de pesquisadores que fez algumas recomendações ao governo alemão e, dois anos mais tarde, a indústria 4.0 começou, de fato, a ser desenvolvida naquele país. Desde então, este é um processo em expansão. Assim como o governo alemão, outros países e grandes companhias já despertaram para o valor da Indústria 4.0.

Tais ganhos proporcionam ainda crescimento econômico, o potencial de geração de Valor da Industria 4.0 no mundo, provocará forte geração de empregos qualificados e elevação da qualidade de vida.

De acordo com vários institutos de pesquisa em 10 anos, 49% dos empregos tradicionais que conhecemos não existirão e 40 % das empresas que conhecemos também não estarão no mercado, devido à forte pressão das tecnologias disrruptivas combinada com modelos de negócios inovadores.

Justamente por estes motivos que precisamos nos posicionar a respeito e pensarmos em um modelo de desenvolvimento adequado ao nosso País que nos torne cada vez mais competitivos e mais produtivos.

Estamos diante de uma nova revolução tecnológica, a quarta revolução industrial combinada com tecnologia de nuvem, com o uso de redes inteligentes capazes de agendar manutenções de máquinas, prever falhas em processos e propor mudanças na produção. Há uma descentralização do controle dos processos produtivos e o uso em escala de dispositivos inteligentes interconectados só tende a crescer. Essas mudanças ao longo de toda a cadeia de produção e logística são profundas e agregam eficiência para diversos setores como saúde, energia, transporte, logística, varejo, construção, agronegócio e manufatura.

Tal qual a proliferação de aparelhos celulares hoje em dia, o que era impensado há 20 anos para a maior parte dos brasileiros, para se tornar uma realidade, a Indústria 4.0 necessita de investimentos em tecnologias emergentes de TI, Cloud Computing, automação e na Internet das Coisas. A boa notícia é que a maior parte dessas tecnologias já estão disponíveis, por exemplo Cloud Computing como primeiro passo para as empresas iniciarem sua jornada para a transformação digital dos seus negócios. O próximo passo é tornar estas inovações conhecidas e acessíveis a todos, nas mais diversas verticais de negócios.

Temos pela frente uma verdadeira jornada iniciando com a migração para Cloud Computing, aliviando as corporações de investimentos pontuais, trazendo uma forte redução dos custos, liberando tempo e recursos das áreas de tecnologia e operações para focarem na transição gradativa para que a Indústria 4.0 possa ganhar terreno durante a crise e na retomada da economia.

Não devemos temer o aumento do desemprego com o avanço da automação, por exemplo. Devemos educar e qualificar nossa mão de obra para que estes profissionais possam trabalhar na outra ponta da cadeia de valor: no desenvolvimento, programação e gestão de toda essa tecnologia.

O perfil dos trabalhadores está mudando em todo o mundo, e o Brasil precisa se adequar ao novo cenário rapidamente, em uma agenda positiva de aumento de produtividade e inovação. Se não investirmos na educação e qualificação das pessoas, com foco em tecnologia, vamos assistir passivamente os nossos postos de trabalhos manuais serem preenchidos por computadores e máquinas com robótica integrada com inteligência artificial e aprendizado de máquina.

É hora de abusarmos da criatividade e aprendermos a tomar decisões de modo rápido e a solucionar problemas. Por mais avançadas que possam ser, as máquinas ainda precisam de pessoas, de programadores, engenheiros, técnicos e inteligência. As pessoas estão na base de todo este processo.

Se bem aplicada e gerenciada, a tecnologia Cloud Computing e Transformação Digital são as alavancas para melhorar o desempenho das operações, reduzir custos, aumentar a produtividade, aumentar as vendas e ajudar a sair da crise fortalecido. A tecnologia de Cloud Computing combinada com Transformação Digital catalisa o aumento da demanda por produtos customizados, gerando uma melhor experiência para os consumidores e um aumento da satisfação.

Todos têm a ganhar na jornada para Cloud com Transformação Digital.

João Alfredo Pimentel é fundador da CorpFlex, especializada em soluções de Cloud Corporativa e outsourcing de TI

Tags,

CorpFlex é credenciada como Partner Microsoft SQL Server

A CorpFlex, empresa especializada em Cloud Corporativa e soluções de outsourcing de TI, recebeu o selo de parceria (partner) Microsoft SQL Server, que destaca e comprova a experiência da companhia com a plataforma e valida os conhecimentos e habilidades necessários para configurar, implantar e desenvolver soluções com o Microsoft SQL Server.

“A CorpFlex trabalha com as principais plataformas de bancos de dados, sendo uma delas a SQL Server. Esta é uma certificação que atesta que temos profissionais qualificados e certificados no produto e também a nossa qualidade. O processo de certificação tem algumas fases, englobando o próprio cadastro da empresa, os nomes dos profissionais certificados e também cases de sucesso em que o cliente aprova o trabalho desenvolvido com a plataforma”, explicou Jackson Ribeiro de Souza, coordenador de Banco de Dados da CorpFlex.

Tags, , ,

Transformação digital deve começar pelo básico – Por Edivaldo Rocha

Nasci em Japurá, no noroeste do Paraná, uma cidade que tem 9 mil habitantes e foi ali, no meio de uma fazenda de gado, e um ambiente simples, que comecei a compreender sobre o que realmente faz diferença no sucesso de qualquer empreendimento: o gerenciamento do capital humano. Desde cedo notei que todos gostam de ser bem tratado e ter o seu trabalho reconhecido e é essa a política que busco implementar. Sabemos que as pessoas são o nosso ativo mais importante.

Uma boa gestão de pessoas entende a necessidade do outro, sabe atrair, conquistar, reter, sabe o que cada um precisa para viver bem. Eu tenho prazer em poder contribuir com a evolução dos empregados da empresa, tenho conversas diárias, com muitos colaboradores para ensinar coisas simples como, por exemplo, a fazer um fluxo de caixa, sobre os objetivos de sua vida pessoal e profissional, como estão se preparando e o que os motiva a evoluir.

Como líder e gestor eu sei que é preciso que meus colaboradores tenham a vida pessoal e financeira bem resolvida, uma pessoa cheia de dívidas não vai conseguir produzir de forma adequada, vai estar sempre com a cabeça em outro lugar, e quero ajuda-los para não ter este tipo de preocupação, pois preciso deles 101% focados em nossos clientes. Decidi ajudar estas pessoas a olhar para o básico, fazer o simples, de maneira eficiente, que gere resultados reais para suas vidas e para a empresa, sendo assim, busco o melhor que cada colaborador pode entregar.

Cada gestor sabe que precisa manter os colaboradores engajados, fazer com que todas as tarefas e metas sejam cumpridas de acordo com o planejado. E cabe aos líderes encontrar formas de adaptar a empresa e todos que dela fazem parte às mudanças do mercado.

Sei que os funcionários também podem ter este crescimento como meta. Eu incentivo para que cada líder pense como dono e encontrem os caminhos da mudança, temos sempre que nos reinventar, criar coisas novas. Toda empresa de tecnologia precisa respirar a mudança.

Além de identificarmos os líderes, programamos investir na formação da equipe. Isso garante com que os funcionários reciclem seus conhecimentos e consequentemente, passem a oferecer um melhor serviço e um melhor atendimento aos nossos clientes porque somos preocupados com a qualidade da prestação de nossos serviços.

E não há nada de espetacular nisso, é algo bem simples, mas que muitas vezes é esquecido pelas grandes corporações, pelos CEOs das maiores empresas. E voltando ao básico da boa administração estamos transformando a empresa, sendo mais produtivos e com uma equipe mais feliz.

Edivaldo Rocha, CEO da CorpFlex.

Tags,

Aramis Menswear investe em cloud corporativa da CorpFlex

A Aramis Menswear, grife de moda masculina, adquiriu a solução cloud da CorpFlex, empresa especializada em cloud corporativa e outsourcing de TI, para hospedar sua solução de gestão empresarial – ERP. Presente no mercado há 20 anos, a Aramis possui atuação nacional por meio de suas 43 lojas próprias, 27 franquias, uma loja virtual e mais de 600 multimarcas em todo Brasil.

A parceria com a CorpFlex surgiu da necessidade da rede de lojas garantir a alta disponibilidade do ambiente de TI, que devido ao aumento da demanda apresentava paradas constantes que acabavam comprometendo a operação e gerando a insatisfação dos cerca de 90 usuários internos. “A instabilidade do nosso ambiente de TI foi determinante para migrarmos para os serviços gerenciados da CorpFlex, colocando em Cloud nosso sistema de gestão”, conta Irineu Ugliano, gerente de TI da Aramis.

O projeto teve início em junho de 2016 e foi implementado em agosto, tempo considerado recorde pela Aramis em razão da complexidade de migrar o sistema de missão crítica para a nuvem. Além da solução de Cloud, a CorpFlex é responsável pela gestão do ambiente de TI, suporte e back-up para uma estrutura que atende cerca de 90 usuários. “Estamos satisfeitos com a qualidade dos serviços prestados pela CorpFlex. Eliminamos os problemas de instabilidade garantindo a produtividade da empresa”, completa.

De acordo com Ugliano, a migração do sistema do antigo data center para o novo era a principal preocupação da área de TI da Aramis no momento da “virada da chave”, mas um planejamento bem orquestrado entre as equipes das duas empresas proporcionou uma implementação tranquila.

“Criamos, durante um certo período de tempo, um ambiente de testes para avaliar o comportamento do sistema. Essa prática garantiu a finalização da operação em apenas 36 horas, superando o tempo previsto. Fizemos uma virada bem-sucedida, sem maiores problemas, apenas com pequenos ajustes”, comemora o gerente de TI da Aramis.

Após a implantação da solução, a Aramis detectou a necessidade de ampliar o projeto para suportar a performance da empresa. “Nós fomos identificando as necessidades dos upgrades aos poucos e a CorpFlex rapidamente nos auxiliou com os ajustes do ambiente. O projeto iniciou com três servidores, e pouco tempo depois já ampliamos a infraestrutura totalizando quatro servidores. Esse foi um dos grandes benefícios desse modelo de cloud, mais econômico, ágil e flexível”, avalia Ugliano.

A satisfação com a parceria, além dos ganhos de performance e redução de custos também resultou na ampliação do escopo dos serviços da CorpFlex que irá envolver a infraestrutura de rede das lojas próprias e da matriz da empresa. A CorpFlex irá implementar firewalls de última geração para trazer mais segurança à rede e será responsável pela gestão e monitoramento dos equipamentos.

Tags, , ,

Hug Pay firma parceria com CorpFlex para hospedar sua plataforma tecnológica em Nuvem

A CorpFlex, empresa especializada em cloud corporativa e outsourcing de TI, foi a empresa escolhida pela Hug Pay para hospedar sua plataforma tecnológica em Cloud Privada.

A Hug Pay foi criada em 2015 pelo empresário Thiago Moura que decidiu empreender depois de conhecer alguns modelos de negócios nos Estados Unidos de soluções para pessoas não bancarizadas e que teriam forte apelo em todo o Brasil. “Com a tecnologia que a Hug Pay já possuía, estávamos procurando um modelo de negócio onde tivéssemos cobertura nacional com um parceiro forte para atender a demanda da nossa plataforma”, explica Thiago Moura, CEO da Hug Pay.

De acordo com Moura, o app da Hug Pay trará a praticidade de uma plataforma de serviços financeiros na palma da mão do usuário com produtos inovadores, tais como cartão digital de débito (dispensando o uso do cartão de plástico), saque e depósito em dinheiro em qualquer lotérica do Brasil. Além disso, o aplicativo Hug Pay ainda possibilita emitir extrato da conta, pagamento de contas, recarga de celular pré-pago, entre outros produtos que já estão em desenvolvimento e trarão maior comodidade para o usuário Hug Pay.

O app HugPay permite também receber um saldo em conta e transferir para outro usuário Hug Pay para que ele também possa fazer o saque ou utilizar os recursos em outras funcionalidades do aplicativo. “Nossa proposta de serviços é inovadora; as lotéricas trazem capilaridade e facilidade aos usuários da Hug Pay para carregar sua conta para uso do Cartão Digital ou demais funcionalidades do app. Somos pioneiros nesse segmento e vamos quebrar paradigmas na prestação de serviços com uso da tecnologia e a CorpFlex foi o parceiro de TI ideal para viabilizar nossa solução em Nuvem, reduzindo nossos custos de infraestrutura e agregando segurança em nosso aplicativo”, comenta o CEO da Hug Pay.

O objetivo da parceria, acrescenta Thiago Moura, é beneficiar o desenvolvimento da central de produtos financeiros seguindo a tendência de serviços financeiros digitais. “Com a CorpFlex no projeto, a Hug Pay ganhou credibilidade, segurança e uma infraestrutura de TI avançada que agregou estabilidade e alta performance para a solução”, afirma.

“Apostamos no projeto da startup porque acreditamos no potencial de mercado da solução, pois se trata de uma ideia inovadora. Poder ter a liberdade de movimentar o seu próprio dinheiro sem a necessidade de ter um vínculo obrigatório com um banco dá ao cliente uma autonomia e praticidade enormes. Esse é o futuro”, diz Marcos Andrade, CMO da CorpFlex.

O aplicativo Hug Pay está em fase final de integração com os bancos, e a previsão é de que esteja operando normalmente no começo de 2017. Para saber mais, acesse: http://hugpay.com.br/

Tags, , , , ,