Tag Cietec

Cietec participa de evento internacional de startups da ELAN

O Cietec (Centro de Inovação, Empreendedorismo e Tecnologia), gestor da Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de São Paulo IPEN/USP, é palestrante do encontro da ELAN Network (European and Latin American Business Services and Innovation Network), paralelo ao BIN@SP, nos dias 7 a 9 de novembro. A intenção do evento é conectar empresas brasileiras e europeias que queiram fazer negócios, facilitando a aceleração e o desenvolvimento de oportunidades.

A participação do Cietec se dará no dia 8 de novembro, às 16h20, no painel de apresentação dos maiores centros tecnológicos europeus e brasileiros. A sessão tem como objetivo identificar áreas de colaboração para a criação de múltiplas alianças entre Europa e Brasil, alcançando um impacto maior nas atividades de transferência de tecnologia entre as duas partes. Também participarão: TNO (Holanda), Tecnalia (Espanha), VTT (Finlândia), RBI (Croácia), Tecnopuc (RS), Parque Tecnológico de Sorocaba (SP) e Porto Digital (PE).

Nos dois dias de evento, ainda acontecerão palestras sobre o cenário de negócios no Brasil, desafios e oportunidades em saúde, energias renováveis e TIC. Igualmente serão discutidas oportunidades de desenvolvimento para empresas com base em tecnologia, com a participação de agências de fomento como FINEP e Investe São Paulo. A programação será encerrada com a visita às fábricas da Embraer e Natura.

Também durante o encontro da ELAN, empresas europeias estarão buscando parcerias para desenvolvimento de tecnologias em saúde, TIC e energias renováveis. Os europeus virão em peso ao país, com confirmação de mais de 40 empresas, entre elas: Asserta Global Healthcare Solutions (Espanha), BioVectis (Polônia), EIDT – Engenharia, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico (Portugal), Fun Academy Oy (Finlândia), EngiScience (Portugal), Ingeteam (Espanha), NIMGenetics (Espanha), OceanSource (Alemanha). Há presença confirmada de latino-americanos, como a Red Triple Helice de Investigación y Desarollo (Peru).

Segundo Sergio Risola, diretor-executivo do Cietec, o encontro – que também tem apoio da Anprotec e da Agência USP de Inovação – será importante pela troca de experiências com os parceiros internacionais. “O evento como um todo reunirá os mais relevantes atores brasileiros e europeus para uma vivência para prospecção de parcerias e negócios”, conta o especialista. E complementa: “por isso, recomenda-se a participação de startups que buscam chances fora do país”.

A ELAN Network é uma iniciativa coordenada pelo parque tecnológico espanhol Tecnalia, cujo principal objetivo é fornecer informações para pequenas e médias empresas europeias que almejam fazer negócios estratégicos nos países latino-americanos. Com isso, gera-se oportunidades de abertura de mercados tanto para as empresas da Europa, quanto da América Latina, especialmente nos setores de energias renováveis, biotecnologia e bioeconomia, tecnologias ambientais, saúde, tecnologia da informação e comunicação, nanotecnologias e novos materiais.

Em 2016, o evento da ELAN Network será concomitante ao BIN@SP, evento que conecta acadêmicos, empresários e cientistas para formar uma rede de apoio mútuo para a troca de boas práticas e oportunidades em Inovação. Liderado pela Business & Innovation Network (composto por USP, Universidade do Porto e Universidade de Sheffield), o encontro será realizado no Centro de Difusão Internacional da USP de 7 a 9 de novembro.

Tags, , , , , , ,

Startup do Cietec desenvolve solução de santinho digital para candidatos a eleições municipais

Inovação do Midiacode permite que eleitores saibam mais informações do que aquelas distribuídas nos panfletos

Com a proximidade das eleições municipais, os candidatos e partidos políticos procuram oportunidades para divulgar seus planos de governo e conquistar eleitores. O uso da tecnologia pode ajudar muito nessa tarefa, com o uso do santinho digital, no qual um código smart-conectado dá acesso a informações ilimitadas que colaboram na estratégia de marketing da campanha.

A solução é um serviço do Midiacode, projeto da Novari, startup da Incubadora de Empresas de Base Tecnológica IPEN/USP/Cietec, que inovou em uma tecnologia para que os eleitores e consumidores capturem conteúdo do meio impresso e o armazene no smartphone. Com essa inovação, o conteúdo não tem alterações: um panfleto entregue na rua será digitalmente capturado na íntegra, dando fácil acesso a outros conteúdos, como planos de governo, imagens, páginas web, vídeos, redes sociais e e-commerce (no caso de panfletos de lojas de varejo, por exemplo).

Segundo Robson Lisboa, idealizador e conselheiro do projeto, o sucesso da campanha de um candidato está na sua capacidade de inovar e ser criativo. “Independente da estratégia do partido, o meio digital, principalmente os smartphones, não pode ser ignorado”, explica. O CEO da startup conta que o santinho digital permite que os candidatos possam entregar mais informação para seus eleitores, além de vídeos, plano de governo e links para seus sites. “Os eleitores que usarem a tecnologia do santinho digital poderão ainda compartilhar o conteúdo escaneado com amigos e familiares nas redes sociais, como o WhatsApp, por exemplo”, conclui o idealizador do Midiacode.

Sergio Risola, diretor-executivo do Cietec, lembra que as novas regras estabelecidas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), exigem mais criatividade dos especialistas em marketing político. “Esse ano, existe uma legislação que limita o investimento em campanhas eleitorais, além de reduzir o tempo de propaganda gratuita e menos dias para publicidade de programas de governo”, explica o especialista em inovação. “A ideia do Midiacode é colaborar com os candidatos e responsáveis por suas campanhas, oferecendo uma oportunidade para divulgação tecnológica e de baixo custo, podendo chegar até a um custo zero”, conclui.

O código smart-conectado do Midiacode pode ser colocado em todo material impresso, como folhetos, adesivos de carro, cartazes, banners. Para o eleitor ter acesso às informações, basta ele apontar a câmera do celular para o símbolo, capturando os dados do mundo físico (santinho ou adesivo) e armazená-las no mundo digital (smartphone).

Tags, , , , , , , , , ,

Curso de inovação mapeia fronteiras tecnológicas no Brasil

bcaf9f9e-f3cb-4be7-b236-4343a93d1a16

O Centro de Inovação, Empreendedorismo e Tecnologia (Cietec), gestor da Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de São Paulo USP/Ipen, em conjunto com a Agência USP de Inovação e a Escola da Inovação realizarão um curso para apresentação de algumas das principais iniciativas tecnológicas desenvolvidas no Brasil. O evento terá também o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP).

Na oportunidade será lançada ao mercado a Escola da Inovação, que tem o objetivo de propor, não só o ensino teórico e ferramental de como inovar, mas principalmente ensinar inovando, junto com professores colaboradores que encabeçam projetos de inovação tecnológica em seu trabalho diário.

O curso “As fronteiras da Tecnologia no Brasil” abordará algumas das principais tecnologias da atualidade, mostrando, pela primeira vez, o que está sendo pesquisado e desenvolvido pelas startups brasileiras na Incubadora da USP/IPEN. Serão discutidos temas diversos, de Realidade Virtual a Genômica, passando por Internet das Coisas, Games e Biotecnologia. Será também destacado o Programa PIPE da FAPESP, que oferece subsídios para pesquisas de inovação em pequenas empresas.

Os temas serão apresentados pelos pesquisadores e empreendedores que desenvolvem, na prática, esses projetos. Esse é o grande diferencial deste curso de inovação, pois os participantes terão contato direto com aqueles que estão desenvolvendo as tecnologias e poderão conhecer quais são seus desafios, suas dificuldades e todas as questões para tirarem do papel esses empreendimentos tecnológicos.

Além disso, o curso proporcionará atividades práticas em todas as áreas, permitindo que os participantes realmente experienciem a tecnologia que será demonstrada.

Programação do Curso:

• Apresentação sobre o curso e a Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de São Paulo USP/IPEN – Cietec por Sergio Risola e Jose Aluizio Guimarães.

• Breve apresentação sobre o programa PIPE / FAPESP – Prof. Dr. Lucio Angnes

• A nova era da Genômica e a medicina personalizada por Ricardo di Lazzaro Filho.
Ricardo é empreendedor em série. CEO do Grupo Genera – Inovação em Saúde. Médico, Farmacêutico e Bioquímico pela USP.

• Games e realidade virtual: bem-vindos a uma nova realidade por Pedro Monteiro Kayatt
Pedro é CEO da VR Monkey. Engenheiro de computação pela POLI-USP, mestre pela Politecnico di Milano.

• Internet of things, a internet em todas as coisas por Conrado Leite de Vitor
Conrado é CEO da Pullup. Engenheiro Elétrico com ênfase em sistemas eletrônicos (POLI-USP).

• Biotecnologia e a nova revolução industrial por Rafael Vicente de Pádua Ferreira.
Rafael é CEO da Itatijuca Biotech. Engenheiro Ambiental e Biomédico, mestre e doutor pela USP.

Informações Gerais:

Período: 26/09/2016 a 29/09/2016, das 19 às 22hs
Local: Agência USP de Inovação – AUSPIN
Av. Torres de Oliveira, 76 – Jaguaré (Próximo à Cidade Universitária)
Valor: R$ 500,00 | Pagamento pelo UOL PagSeguro
Inscrição: www.escoladainovacao.com.br

Tags, , , , , , , , ,

Startup do Cietec é vencedora do Oitavo Concurso Acelera Startup da Fiesp

A empresa de biotecnologia BR3, associada à Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de São Paulo Cietec/IPEN/USP, foi a vencedora na categoria Operacional do Oitavo Concurso Acelera Startup, promovido pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo – Fiesp. A premiação aconteceu dia 5 de julho e o reconhecimento veio pelo inseticida biológico DengueTech, produto que elimina larvas do Aedes aegypti, desenvolvido a partir de pesquisas de cientistas ligados à Fiocruz.

O DengueTech é um tablete que contém o microrganismo Bacillus thuringiensis israelensis, conhecido como Bti. Seu funcionamento é muito simples, basta colocar o comprimido no recipiente onde pode se acumular água, mesmo que ainda esteja seco, e isso já basta para inviabilizar o criadouro por um período de 60 dias. Quando a água chegar e os ovos do mosquito eclodirem, as larvas vão ingerir o Bti e morrerão antes de se tornarem adultos.

A BR3 competiu no Oitavo Concurso Acelera Startup da Fiesp com mais de 4.500 empresas. Ao entregar o prêmio ao empreendedor Rodrigo Perez, CEO da BR3, o presidente da Fiesp e do Ciesp, Paulo Skaf, destacou a importância de um produto como esse e disse que a Fiesp vai dar apoio para o desenvolvimento da empresa.

Sergio Risola, diretor-executivo do Cietec, é um entusiasta do DengueTech. “A função da incubadora é incentivar suas empresas a inovarem de forma a impactar positivamente a sociedade. O DengueTech, sem dúvida, é um dos produtos mais relevantes que já saíram do Cietec, nos nossos 18 anos de atividade”.

Tags, , , , , , ,

Startup do Cietec lança primeiro serviço de genômica pessoal do Brasil

A Genera, empresa da Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de São Paulo Cietec/USP/IPEN, colocou no mercado um novo serviço de identificação de características genéticas. Reconhecida por popularizar testes de ancestralidade, agora a startup investe no myGene, por meio do qual é possível averiguar traços que marcam doenças e mutações.

Ricardo di Lazzaro Filho, médico e sócio-fundador da Genera, explica que esse é a primeira iniciativa de Medicina Personalizada no país. A partir da análise, verifica-se a suscetibilidade do paciente para diabetes, doenças cardíacas e neurológicas, além de mutações raras que seriam sinal de câncer e outras síndromes genéticas. Também são analisados resultados relacionados à tendência à calvície, metabolismo de cafeína, intolerância à lactose, entre outros. A intenção é que o paciente consiga personalizar a prevenção e antecipar tratamentos.

O primeiro passo do myGene é uma consulta com um médico geneticista, para uma entrevista sobre histórico pessoal e saúde. Nessa etapa o paciente recolhe o material – saliva e sangue – e pode decidir quais exames quer realizar. Segundo di Lazzaro, “esse tipo de teste é o começo de uma revolução na Medicina, e a tendência é que fique cada vez mais acessível à população”, afirma. O médico completa que “algumas pessoas têm receio em relação aos dados surpreendentes que podem vir a descobrir. Mas a ideia central é que o diagnóstico precoce incentive a cuidar da saúde”.

Os resultados são lidos em um retorno ao médico geneticista, que direciona o paciente aos especialistas, de acordo com o laudo. André Chinchio, sócio da Genera, conta seu caso ao realizar o teste: “descobri que tenho duas alterações raras relacionadas a doenças cardiovasculares. Meu avô paterno e tio materno morreram jovens de infarto. Hoje, com 32 anos, já comecei a me prevenir”.

Sergio Risola, diretor-executivo do Cietec, conta que hoje a Genera é uma das mais inovadoras startups do país na área de saúde. “A área de testes genéticos será muito promissora em um futuro próximo. Desde 2012, quando a empresa se associou à incubadora, vemos seu rápido desenvolvimento com muita atenção”, conta o executivo. “A Genera começou com um pequeno escritório no Cietec e hoje tem um amplo laboratório, com modernos equipamentos de análise de DNA”, completa Risola.

Tags, , , , ,

Agilidade das startups dá vantagem na crise, afirma diretor durante abertura do Acelera Startup

Agência Indusnet Fiesp

Na abertura, nesta segunda-feira (16/11), da fase final do 7º Acelera Startup, concurso de empreendedorismo da Fiesp, Bruno Ghizoni, diretor do Comitê Acelera Fiesp (CAF), disse que “por incrível que pareça”, o momento no Brasil é bom para as startups. “Vocês são mais ágeis, pensam fora da caixa.” Lembrou que os finalistas da sétima edição do Acelera Startup foram escolhidos entre cerca de 5.000 empresas e “já são mais que vencedores”.

Participam 316 empreendedores que tiveram projetos ou startups selecionados na primeira fase de avaliação. São dois dias de um exclusivo processo de aceleração, com palestras, workshops, mentorias e avaliações classificatórias. As categorias desta edição são Geral; Agronegócio; Educação; Saúde e Bem-estar.

Sylvio Gomide, diretor titular do CAF, fez um paralelo entre os atentados na França e a crise enfrentada pelo Brasil. No nosso caso, afirmou, parte da solução vem da educação e do trabalho. “O momento de reflexão é importante para nós”, disse. “Não podemos fingir que nada está acontecendo. A primeira resposta é educação, e a segunda é trabalho, a geração de renda, de emprego.”

Gomide explicou a importância da campanha “Não Vou Pagar o Pato”, com participação ativa da Fiesp, e pediu a participação do público.

Também elogiou a presença dos empreendedores no Acelera Startups. “É importante contar com a participação de todos vocês. Na última edição, 17 Estados participaram deste concurso.”

Os 12 mais bem avaliados (sendo oito operacionais e quatro pré-operacionais) chegarão como finalistas do evento, podendo apresentar seu negócio, no modelo de elevator pitch (até 3 minutos), à banca de investidores mais seleta do mercado. Dois deles serão os grandes vencedores, sendo um operacional e outro pré-operacional, independentemente da categoria. Pela primeira vez, serão premiados projetos e empresas inovadoras tanto em fase pré-operacional quanto operacional.

O público pôde participar das palestras sobre inovação, investimento e empreendedorismo, também transmitidas ao vivo pela Internet. Na terça-feira (17/11) poderá acompanhar as apresentações dos pitches (apresentações) dos finalistas aos investidores.

Ambiente empreendedor

A primeira palestra, sob o título Inovação – O case da Agência Africa, teve como moderadora Daniela Saad, diretora do CAF e da área comercial dos canais pagos da Band. Em sua apresentação, Sérgio Gordilho, sócio da agência Africa, ressaltou o ambiente favorável ao empreendedorismo na Fiesp, que estimula as startups. Na Bahia, há condição semelhante para a criatividade, disse, como explicação para a grande presença de publicitários e especialistas em marketing em seu Estado.

Gordilho disse que “crise é inovação. Isso é o ponto. Tire o esse, e crise vira crie”. Numa crise, explicou, é preciso olhar de forma diferente tudo que se faz. “Porque isso é inovação – tentar fazer melhor. É alterar a forma de fazer. O que é o bom da crise? Crise é um grande momento de inovar.”

O sócio da agência Africa deu também conselhos práticos sobre comunicação ao público. “Para saber a melhor mídia é preciso conhecer seu consumidor. A melhor mídia é onde ele está. Você sabe para quem sua empresa foi feita? Vivemos um mundo de oportunidade nas mídias, porque o brasileiro é conectado. Primeiro entenda seu consumidor – a partir daí fica fácil.”

Gordilho encerrou sua apresentação estimulando os empreendedores: “Trabalhem, foquem, cresçam”.

Investimentos

O primeiro painel do dia, O mercado faz o pitch aos empreendedores – O que existe para ajudar minha startup?. teve intensa participação do público. O moderador do painel, Bruno Ghizoni, explicou que a ideia das apresentações foi mostrar o outro lado para o empreendedor.

Leonardo Pereira, chefe do departamento de capital empreendedor do BNDES, classificou como “impressionante como o empreendedorismo se desenvolve no Brasil, e mais especificamente em São Paulo, e como o ecossistema favorece isso.”

O BNDES, explicou, tenta criar produtos para dinamizar o ecossistema de inovação. Citou como problema no Brasil a remuneração dos títulos do Governo. “Dão 14% a 15% ao ano, e os investidores querem mais do que isso” na hora de escolher empreendimentos. Além desse retorno, o empreendedor precisa ficar de olho nos concorrentes. “Investidor quer ver capacidade do gestor e quer ver resultados.”

Fernanda Bordin, gerente da área de inovação e negócios da Mercedes-Benz, disse que a empresa tem abertura para startups, mas os empreendedores têm que ir preparados – “é preciso convencer muitas pessoas pelo caminho”. Disse que o LinkedIn funciona como canal para apresentar a startup à Mercedes – “mas não aquele pedido padrão de ‘adicionar’”. É preciso pensar como se fosse um pitch de elevador, contar o que a empresa tem a oferecer.

Fábio Kiyan, coordenador de Estratégia Tecnológica da Embraer, disse que a empresa toma ações focadas em fortalecer ecossistema de inovação. Parte importante do que a Embraer vai precisar, explicou, virá de startups. “O Acelera é programa muito importante para a Embraer.” Eventos como ele ajudam a Embraer a identificar fornecedores e encontrar soluções para problemas de curto prazo.

Sérgio Risola, diretor-executivo do Centro de Inovação, Empreendimento e Tecnologia (Cietec), frisou o tamanho – “é o maior do Brasil” – e a qualidade do Acelera Startup. Sobre a incubadora em que trabalha, disse que procuro “tornar simples, segura e escalável a inovação”. Cietec ajuda a criar asas, mas voa junto.

Também participaram do painel Rodrigo Comazzetto, gestor regional de São Paulo do Fundo Criatec 2, Anderson Borille, coordenador da Divisão de Engenharia Mecânica do ITA, e Alexandre Barros, coordenador da Incubadora de Negócios do Cecompi. Borille e Barros destacaram o ambiente favorável à inovação no Vale do Paraíba, com a presença de indústria aeronáutica, aeroespacial e de defesa.

Labs

O segundo painel do Acelera, A nova onda do mercado: Labs – O que são? O que minha startup ganha com isso?, foi mediado por Marcos Moraes, diretor do CAF. José Cláudio Cyrineu Terra, diretor de Inovação do Hospital Israelita Albert Einstein, lembrou que inovação precisa de uma visão diferente. Disse que o hospital quer impactar o ecossistema de inovação da saúde no Brasil. Para acelerar startups da área de saúde, ajuda em pontos como a área científica. “Sem ecossistema de inovação extremamente forte, nossos problemas na área de saúde não serão resolvidos”, afirmou. O hospital criou uma “garagem” para projetos, e contratou 15 engenheiros, de áreas como mecatrônica. Conseguiu montar portfólio de 30 projetos num ano.

Patrick Teyssonneyre, diretor de Inovação e Tecnologia da Braskem, alertou os participantes que o modelo de negócios tem sido a deficiência nos pitches (mais de 70) que acompanhou. “Precisa evoluir nisso”, afirmou. Célio Antunes, presidente da Impacta Tecnologia, citou projeto de plataforma de e-learning desenvolvida por seus alunos. Ele comprou 20% da empresa, e a solução virou comercial.

Sobre o Acelera

Uma boa ideia na cabeça e a chance de encontrar seu potencial investidor, no elevador, e convencê-lo em prazo recorde: esta é uma das propostas do dinâmico Concurso Acelera Startup. O Acelera Startup incentiva o empreendedorismo inovador e aproxima projetos e empresas de investidores.

Cerca de 50 investidores, com potencial de investimento de R$ 500 bilhões, formarão a maior banca do país. Trata-se da maior arena de aceleração do Brasil, que tem como objetivo fomentar o empreendedorismo e a inovação, atraindo o maior número de empreendedores e de investidores para a geração de negócios. Somando as seis edições anteriores, o evento já gerou investimentos de mais de R$ 3 milhões.

Confira toda programação no site http://hotsite.fiesp.com.br/acelera/

Tags, , , , , , , , , , , , , ,

Cietec fecha parceria com entidade da área de software

Cietec (Centro de Inovação, Empreendedorismo e Tecnologia) e a Associação Brasileira de Software (ABES) celebraram convênio para incentivar as empresas de base tecnológica e startups da incubadora. As entidades darão suporte para o desenvolvimento e inovação de seus produtos e serviços.

Além do apoio para criação e manutenção das novas empresas dados pelo Cietec, a parceria com a ABES vai possibilitar acesso a suporte jurídico, consultoria para fomento e inovação, além de integração com os principais players do mercado. A instituição da área de software também passará a dar palestras a cada dois meses para o público do centro de inovação.
Para Sergio Risola, diretor-executivo do Cietec, a iniciativa ajudará as startups da incubadora a terem mais um diferencial comparando com o resto do mercado. “Sempre nos associamos a atores representativos dos setores de atuação dos nossos incubados, visando a melhorar a competitividade dos projetos”, explica o especialista.

“O Cietec tem grande experiência no apoio à inovação, ao empreendedorismo e aos processos de incubação e pós-incubação de micro e pequenas empresas da área de tecnologia. Esse acordo aproxima as duas entidades para a identificação de projetos ligados à inovação tecnológica, incentivo aos novos empresários e para ajudar a criar condições dessas jovens empresas desenvolverem seus projetos”, comenta Jorge Sukarie, presidente da ABES.

A associação entre o Cietec e a ABES também isentará as jovens empresas do setor de software nascidas no centro de inovação de pagamentos de mensalidade por dois anos. O acesso aos eventos organizados pela entidade também será facilitado.
Com esse programa, ABES passa a apoiar a organização e gestão de novos projetos de incubadoras e de fomento a startups. As empresas em fase de incubação por organismos credenciados e aquelas classificadas como microempresas, com faturamento anual de até 360 mil reais, poderão filiar-se a ABES em condições especiais para participar das atividades associativas e receberem seus serviços e orientações especializadas para que ampliem suas chances de sucesso.

Tags, , , ,