Tag cartões inteligentes

Cinco razões para colégios e universidades adotarem cartões inteligentes

Por Fernando Giroto, Diretor de Vendas da HID Global para Brasil e Cone Sul da Divisão de Secure Issuance

Você sabia que 95% das Universidades e Faculdades ainda dependem de tecnologias antigas, como tarjas magnéticas ou cartões de proximidade simples para controle de acesso, ou seja, para gerenciar quem entra e quem sai de suas instalações? Infelizmente, tecnologias ultrapassadas deixam as instituições vulneráveis em relação à segurança e, por muitas vezes, resultam em fraudes ou duplicações de cartões.

No entanto, devido ao aumento das populações universitárias e dos avanços tecnológicos, muitas instituições passaram a buscar por soluções mais seguras, econômicas e ágeis para atender às necessidades de seu corpo docente e de estudantes, não só para proteger pessoas, bens e dados, mas para conectar alunos a uma infinidade de serviços e aplicações em todo o campus – desde instalações físicas, acesso às redes lógicas, pagamentos sem dinheiro, acompanhamento de serviço e atendimento.

Para proporcionar uma experiência de credencial mais segura, conveniente e flexível para seus alunos, professores e funcionários, as universidades que sabem como se antecipar ao futuro, estão agora deixando para trás as tecnologias tradicionais de cartão de tarja magnética, de baixa frequência e proximidade, para privilegiar tecnologias de alta frequência que utilizam um único cartão para seus programas de identificação de estudantes.

Existem cinco razões principais pelas quais essas instituições estão migrando para cartões inteligentes:

1. Maior segurança e proteção

A atualização da tecnologia para cartões inteligentes sem contato reforça o controle de acesso físico aos edifícios, enquanto fortalece o acesso à rede, computadores, documentos, registros médicos e financeiros dos estudantes. Além disso, as tecnologias incorporadas do cartão inteligente impedem a clonagem e o uso fraudulento de cartões, garantindo não só o acesso seguro ao prédio, mas a proteção para outras funcionalidades do cartão, como compras por débito ou outras transações bancárias. A migração para uma credencial segura “inteligente” também pode eliminar a necessidade de chaves físicas – que podem ser facilmente copiadas e são notoriamente vulneráveis à perda ou roubo.

2. Conveniência do titular do cartão

Documento com foto, ID para acesso em condomínios, cartão da biblioteca ou cafeteria, bilhete de ônibus, quantos cartões os estudantes universitários gerenciam hoje? Com Smart Cards sem contato, as instituições podem combinar todas essas funções em um único cartão, e não apenas para agilizar suas operações, mas melhorar a experiência de credencial no campus para estudantes e funcionários.

3. Maior flexibilidade

Além da conveniência no campus, os cartões inteligentes para múltiplas aplicações permitem a interoperabilidade segura com aplicativos fora da unidade, como transporte e bancário. Além disso, com a flexibilidade oferecida pela tecnologia de cartão inteligente, é permitido adicionar novas aplicações ou modificar configurações de aplicativos existentes, como de acesso à biblioteca ou planos de alimentação, em qualquer momento e sem ter que emitir novos cartões.

4. Ganhos de eficiência no longo prazo e economia de custos

Os cartões inteligentes multifunções melhoram a segurança das operações, permitem fluxos de trabalho mais eficientes e gerenciamento mais fácil dos programas de Identificação de estudantes, professores e funcionários. Ao melhorar o gerenciamento de riscos com o aumento da segurança dos cartões inteligentes, as universidades também podem se beneficiar de uma redução de seus prêmios de seguro.

5. Caminho para o futuro

A migração para uma plataforma de tecnologia de cartão inteligente unificada para cobrir todas as necessidades de aplicativos, oferece às instituições a capacidade de transição em seu próprio ritmo à medida que o orçamento e os recursos permitem, fornecendo uma base sólida para adicionar novas tecnologias e capacidades conforme elas se tornem disponíveis ou cada vez mais acessíveis. Leia o Resumo Executivo da HID Global e saiba mais sobre cada uma destas razões fundamentais pelas quais as universidades e faculdades estão migrando para cartões inteligentes multifuncionais.

Tags, , , ,

Mais segurança no campus sem comprometer a acessibilidade

Por Rogério Coradini, Diretor Comercial da HID Global no Brasil

Como garantir a segurança para estudantes, professores, funcionários e visitantes e ainda assim permitir que se movimentem livremente pelo campus? Como reforçar a segurança física sem sacrificar o fácil acesso às instalações da instituição, recursos e serviços? Estas são perguntas que faculdades e universidades rotineiramente se fazem sobre a questão da segurança no campus.

À medida que cresce o uso de cartões de identidade fraudulentos, inclusive em escolas e universidades, aumentando consequentemente o risco de violência, há uma necessidade indiscutível de melhorar a segurança sem impactar a experiência do usuário. Mas, por onde começar?

Se por um lado a segurança em um campus escolar é uma prioridade extremamente alta, por outro também é importante para estudantes (e professores) sentirem-se confortáveis e bem-vindos em sua escola. Esse espírito de “liberdade” não pode ser sufocado, certo?

A boa notícia é que a solução pode não ser tão desafiadora como antes. Hoje, a vasta maioria das carteiras estudantis tem códigos de barras ou tecnologia de tarja magnética para fornecer acesso a salas de aula, livrarias, laboratórios, restaurantes e demais dependências. Usar cartão inteligente sem contato com um smart chip embutido é mais seguro porque ele não pode ser clonado facilmente e, por consequência, é menor a probabilidade de que indivíduos não autorizados obtenham informações desses cartões. Um dos principais benefícios de alavancar o uso da tecnologia de cartões inteligentes sem contato é a facilidade de usá-lo para prover a estudantes e membros da faculdade o acesso a várias instalações e serviços do campus com um simples toque do cartão em um leitor. Como as informações são exclusivas ao usuário, os cartões podem ser configurados para permitir o acesso a prédios, aplicações ou serviços específicos.

Algumas escolas estão começando também a adicionar a opção de credenciais móveis. Esta tecnologia aproveita a proliferação de smartphones colocando a credencial dos estudantes em seus celulares e então usando-a para dar aos alunos ingresso a instalações e sistemas de pagamento no campus.

Se sua instituição não está pronta para fazer o upgrade da tecnologia de cartões devido ao orçamento ou restrições de recursos, há diversas opções disponíveis para universidades e faculdades que são relativamente acessíveis e fáceis de implementar. Uma opção simples desse tipo é a adição de um elemento de segurança visual (VSE, do inglês visual security element) para carteiras estudantis, o que torna as credenciais de alunos e funcionários mais fáceis de serem verificadas. De opções abertas a secretas, sobreposições holográficas, microtexto, imagens fluorescentes e outras ferramentas VSE proveem um método rápido para determinar se o cartão é autêntico.

Além de credenciais estudantis, a segurança do campus também pode ser bastante reforçada com um efetivo sistema de gerenciamento de visitantes. Um sistema como esse possibilita fazer check-in, check-out e monitoramento de todos os visitantes do campus, melhorando a segurança de estudantes e staff, sem impedir sua acessibilidade.

Muitas soluções de segurança podem ser usadas para proteger efetivamente o campus e seus ativos sem impedir estudantes e colaboradores de aproveitar tudo o que é oferecido.

Saiba como a Universidade George Mason utilizou cartões inteligentes sem contato para melhorar a experiência do estudante em seu campus.

Tags, , , , , , ,

Unitec Semicondutores abre mais de 100 novas vagas neste ano e prevê novas contratações

A Unitec Semicondutores, maior e mais moderna fábrica do segmento no hemisfério Sul, vai abrir cerca de 150 vagas neste ano, englobando contratações em várias posições como jovens aprendizes, estagiários, técnicos, profissionais com formação superior e especializados em diversas áreas. Para conhecer as oportunidades e se inscrever, basta acessar o site www.unitecgroup.net e acessar o link “Carreiras”.

Diante de novos investimentos definidos, a empresa ampliou em 25% sua previsão inicial de contratações, que era de 400 colaboradores, e passou para cerca de 500 até 2017. Atualmente, a companhia possui um efetivo de 150 pessoas e o objetivo é fechar 2016 com 300 colaboradores. Hoje, a empresa conta com profissionais de 10 nacionalidades diferentes, uma vez que na indústria de alta tecnologia é uma das pioneiras em todo o hemisfério sul.

Uma das alavancas dos novos postos de trabalho é a Unitec Soluções, subsidiária criada recentemente com o objetivo de oferecer soluções integradas em semicondutores. A nova unidade utiliza engenharia de software e hardware, além de promover parcerias estratégicas para o atendimento ao cliente. Outro importante investimento é na linha de encapsulamento de chips que irá começar a operar ainda no primeiro semestre deste ano. O processo é a fase final da cadeia de semicondutores e consiste em encapsular os circuitos integrados a serem usados em cartões inteligentes, por exemplo. A nova linha irá operar inicialmente em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte.

A gerente de Recursos Humanos da companhia, Camila Scorsatto, explica o momento: “A Unitec está iniciando as suas operações e comercialização com força total, bem como diversificando de seus negócios e atividades. Por isso, vamos precisar de mais profissionais. Somos uma empresa inovadora e que busca talentos. Além da repatriação de brasileiros em atuação no exterior, buscamos pessoas que conheçam e/ou tenham afinidade com as atividades relacionadas à indústria de alta tecnologia”.

A Unitec é a primeira empresa brasileira a atuar em todas as etapas do processo produtivo de semicondutores. A companhia já está desenhando chips (etapa conhecida como design) para aplicações diversas. A fabricação própria dos semicondutores está prevista para 2017, na sede da companhia, em Ribeirão das Neves, também na região metropolitana de Belo Horizonte. Até o momento, a companhia já investiu cerca de R$ 1 bilhão.

Tags, , , ,