Tag captura de dados

Newland reforça estratégia para aumentar sua presença no mercado brasileiro

Com o objetivo de ampliar sua participação no mercado brasileiro, a companhia chinesa Newland, decidiu participar, pela primeira vez, da maior feira de automação da América Latina, a Autocom, de 3 a 5 de abril, em São Paulo. A companhia que é a quarta maior fabricante mundial de leitores de códigos de barras (VDC Research Group), com 2.800 funcionários e um valor de mercado da ordem de 3 bilhões de dólares (portal Bloomberg), tem entre seus clientes na América Latina, empresas como o Banco do Brasil e a Soriana, segunda maior rede de supermercados do México e, na Ásia, gigantes como a AliPay, líder chinesa em soluções para pagamento online, com 520 milhões de usuários e os Correios da China, que utilizam atualmente mais de 120 mil coletores de dados Newland. No Brasil, a Newland já comercializou mais de 60 mil leitores, sendo 60% para instituições governamentais, 20% para o segmento bancário e 20% para empresas de varejo.

“Comercializamos nossos produtos no Brasil desde 2009, mas pretendemos crescer nossa participação neste mercado muito importante, aumentando a visibilidade de nossa marca – e por isso estamos participando da Autocom, assim como firmando laços com novos parceiros comerciais”, explica Hernan Campero, VP de Vendas e Gerente Geral para América Latina.

Durante o evento, a companhia vai mostrar todas a sua linha de produtos de aquisição de dados, uma das mais completas do mercado mundial, que inclui engines ou módulos de leitura de códigos de barras 1D e 2D, leitores tipo pistola 1D e 2D, leitores sem fio, leitores de montagem fixa, verificadores de preços, coletores de dados e smartphones robustos e, ainda, uma linha de acessórios.

“A tecnologia da Newland hoje está disponível para todo tipo de empresa, independente do seu porte, pois temos um modelo comercial que permite atender desde clientes muito pequenos, até as grandes corporações. Com nossa rede de canais podemos alcançar desde o usuário final, que provavelmente sente-se à vontade com um parceiro de negócios um pouco menor, até empresas multinacionais, que certamente vão procurar nossos parceiros de negócios com estrutura mais robusta”, afirma Campero.

A companhia fabrica seus produtos em território chinês, mas tem flexibilidade para utilizar os estoques nos Estados Unidos, onde dispõe de depósitos em Miami e na Califórnia, assim como enviar os equipamentos diretamente da China . Na América Latina e na Europa conta com equipes regionais compostas por executivos experientes, conhecedores dos mercados e das necessidades específicas dos clientes locais. Varejo e logística, além do setor bancário, são os mercados prioritários da companhia no Brasil. Mas, a Newland também é forte no fornecimento em regime OEM (sigla em inglês para designar Fabricante Original do Equipamento), atendendo inúmeras empresas montadoras. Os produtos da Newland caracterizam-se pela elevada tecnologia e pela excelente relação custo X benefício.

Novidades

Saiba mais sobre cada equipamento que será apresentado na Autocom 2018:

HR1250: leitor 1D extremamente econômico que possui tecnologia Linear Imager e ótimo desempenho. Faz 300 leituras por minuto. O produto é ideal para aplicações no varejo.

HR1150: um dos melhores leitores 1D no mercado. Preço acessível, altíssima resolução e leitura angular, permitindo a leitura de código de barras maiores em curta distância. É indicado para bancos e lojas que precisam ler boletos bancários.

HR1550: leitor 1D industrial leve. Tem IP54 e boa resistência a quedas. Indicado para áreas de logística ou varejo com produtos mais pesados como lojas de construção.

HR2160 e HR2260: leitores 2D com excelente relação custo X benefício. É excelente para aplicações em que a leitura dos códigos 1D de forma omnidirecional é necessária ou quando é necessário ler códigos 1D e 2D misturados.

HR3250: leitor de 2D de alta performance. Ideal para aplicações com códigos bidimensionais.

HR4250: leitor 2D industrial leve com sensor megapixel e IP42. Indicado para aplicações de logística (depósitos) ou fabricação, já que lê códigos de alta densidade.

HR1550CE e HR3290-CS: leitores sem fio 1D e 2D com distância de transmissão de até 50 metros. Pode ser utilizado em aplicações de varejo e logística em que a utilização de cabo possa gerar risco de acidentes ou de interrupção da operação.

BS8060: leitor Bluetooth compacto com opção de leitores 1D e 2D. É muito para aplicações que requerem mobilidade e baixo custo. Pode se conectar a smartphones e tablets.

Engines: diversos tamanhos e modelos de engines 1D e 2D. Indicado para integradores que precisam desenhar seus próprios equipamentos.

FM100 e FM430: leitores fixos, uma versão encapsulada de um módulo de leitura. Podem ser usados por quem não quer ter o trabalho de desenvolver uma placa ou fazer integração. As aplicações podem ser feitas desde quiosques até no varejo, onde o espaço seja muito reduzido.

FR2050, FM3050, FM3056: leitores com área de leitura maior para permitir leitura intuitiva de códigos de barras em tela de celulares e smartphones. São normalmente utilizados por quem precisa oferecer soluções de registro de assistentes em eventos, cinemas, etc.

FR4060: leitor de apresentação 1D e 2D com sensores infravermelhos para melhorar ainda mais a velocidade de leitura. Conta com botão de otimização de leitura em tela de celular ou impresso em papel e é recomendado para varejo (lojas pequenas, postos de gasolina, etc.).

MT6550 e MT9050: coletores de dados Android e estão entre os modelos mais vendidos no mundo. São ideais para soluções na área de logística, transporte, correios, etc.

iX75 e iX85: tablets Android muito resistentes que podem ser aplicados em empresas das áreas elétrica, mineração, indústria, entre outros.

NQuire300: terminal de informações ou verificador de preços com tela colorida e som estéreo. Apresenta muitas opções de leitura e comunicação: 1D, 2D, RFID, USB, Ethernet, WiFi, POE, acionadores de reles, etc. Normalmente utilizados em verificação de preços, controle de acesso, casas lotéricas, farmácias, estacionamentos, entre outros.

Tags, , , , , , , ,

Datalogic apresenta nova tecnologia de identificação

A Datalogic, líder global nos mercados de captura automática de dados e automação industrial, apresenta soluções de identificação por leitura de códigos de barras para o mercado industrial alimentício.

Os produtos serão demonstrados na 33ª Edição da Fispal Tecnologia, no espaço São Paulo Expo, no Km 1,5 da Rodovia Imigrantes. A família de equipamentos Matrix da Datalogic permite a leitura de códigos lineares ou bidimensionais em diferentes tipos de equipamentos usados na indústria e no comércio.

Entre as vantagens do rastreamento de produtos industrializados em seus processos de fabricação, está a possibilidade de localizar falhas ou defeitos de composição na linha de produção e apontar áreas de processamento que necessitam ser melhoradas ou atualizadas. Tanto para produtos de consumo rápido (carnes, congelados e embutidos) quanto na indústria eletrônica ou mecânica os benefícios permitem a otimização de processos, economia de recursos e inclusão de procedimentos para a melhoria final de insumos.

A tecnologia de monitoramento via leitura de códigos de barras já está em implantação pela indústria farmacêutica por conta da atualização na legislação brasileira de rastreabilidade de medicamentos, suplementos e vitaminas. A nova lei deve também fazer com que em breve, outros segmentos do mercado também sigam este caminho, a exemplo do setor alimentício.

Como líder global em tecnologia de automação, a Datalogic, fundada na Itália, hoje possui uma fábrica no Brasil, em Jundiaí, interior de São Paulo. A companhia terá uma exibição extensiva dessa tecnologia em seu estande, localizado na Rua C-141 da feira. Neste ano a empresa traz com exclusividade seus leitores de dados Matrix 120, Matrix 210, Matrix 300 e Matrix 410 para uma demonstração exclusiva de performance. Durante o evento, será demonstrada a velocidade e a precisão de captação de imagens por esses equipamentos por meio de um jogo interativo com bolinhas de golfe trazendo suas superfícies gravadas identificadas com códigos de barras bidimensionais. Os leitores podem registrar com precisão as informações grafadas em uma distância de até três metros e têm capacidade de detecção para até 180 mais de 1200 unidades por minuto, simulando situações randômicas e diárias na indústria. Desta forma, como ocorre em ambientes de manufatura, desde a produção nas esteiras, até o momento de embalo ou encaminhamento para os pontos de distribuição e vendas, os itens podem ser monitorados em tempo real, acelerando as entregas e melhorando a qualidade do produto final.

“No Brasil as indústrias farmacêuticas e alimentícias são estão entre as que mais adotam este tipo de solução para rastreabilidade. Na montagem automobilística 100% dos processos já são monitorados por leituras unidimensionais e bidimensionais. A tendência é que mais mercados incorporem estes recursos e num futuro próximo toda a indústria faça uso do mesmo”, afirma Domingos Mancinelli, Diretor Comercial para Indústrias da Datalogic na América Latina.

A Datalogic está no mercado de identificação desde 1972 e atualmente 60%mais de 35% deste tipo de leitores utilizados no mercado mundial são da empresa.

Tags, , , ,

Datalogic leva inovação a varejistas na NRF 2017

A Datalogic, líder mundial nos mercados de Captura Automática de Dados e Automação Industrial e fabricante de classe mundial de leitores de códigos de barras, computadores móveis, sensores, sistemas de visão e equipamentos de marcação a laser, inicia o ano trazendo soluções inovadoras aos varejistas na National Retail Federation (NRF) Big Show 2017, no estande de número 3827. A NRF acontecerá entre os dias 15 e 17 de janeiro no Javits Center, em Nova York, e a companhia demonstrará soluções inovadoras que atendem todo o mercado de varejo – da cadeia de suprimentos ao checkout.

A Datalogic é provedor de vanguarda em soluções e tecnologias de ponta para o varejo ao redor do mundo. Com tecnologia e inovação que melhoram a experiência do consumidor na loja, a soluções que aumentam a produtividade e eficiência das empresas, a Datalogic oferece as soluções mais completas do mercado.

“A Datalogic está posicionada de maneira única no varejo e fornece a mais completa linha de soluções para o setor. Nós desenvolvemos nossos produtos e tecnologias para atender os varejistas e seus clientes, com o objetivo de simplificar e melhorar a experiência de compra e aumentar a eficiência e a produtividade das empresas em todas as suas áreas: de produção, inventário e chão de loja”, afirma Pietro Todescato, CTO da Datalogic. “Durante a NRF, os visitantes experimentarão em primeira mão uma extensa variedade de tecnologias e soluções que nós ofertamos, como: soluções RFID, gestão de gôndolas, venda assistida, soluções para setores de varejo alimentício e não-alimentício, leitura automatizada, prevenção de perdas, e muito mais. Será uma grande oportunidade para ver como a Datalogic entrega Inovação para todo o setor de Varejo”.

A Datalogic se apresentará na NRF 2017, o maior evento do Varejo, de 15 a 17 de janeiro de 2017, no Jacob K. Jatvits, na cidade de Nova York. Gerentes de Produto e Executivos estarão a disposição para apresentar e falar sobre os últimos lançamentos, soluções e tecnologias. Entre em contato com seu representante local da Datalogic para agendar uma reunião e obter mais informações.

Tags, , , , , ,

O ano já acabou para o Varejo? – Por Fábio Lopez

O impacto da instabilidade econômica de 2015 afetou os mais diversos setores, refletido em um ano complicado para o mercado. O varejo, que vinha até 2014 com um recorde de 10 anos seguidos de crescimento, também sentiu a força da recessão, fechando o ano com números abaixo do esperado. Em 2015, o setor alimentício fechou o ano com queda de 4,3% e o varejo ampliado, que inclui venda de veículos e materiais de construção, com baixa de 8,6%, segundo o IBGE. De uma forma geral, o varejo funciona como um termômetro do mercado: é um dos últimos a sentir a recessão, mas também é o primeiro a reagir. E o setor já vem apresentando novas maneiras para retomar o caminho do crescimento em 2016, aliando otimização de gestão a novas estratégias de negócio.

Em períodos de economia instável, é essencial para varejistas “olharem para dentro”, buscando soluções que otimizem as operações, diminuam desperdícios e perdas e garantam margens mais controladas. Porém, para que o varejo volte a crescer em 2016, é necessário aliar uma gestão mais eficaz a satisfação de cliente, trabalhando de forma mais eficiente para fazer com que ele compre mais e volte com uma regularidade maior para as lojas, além de atrair novos consumidores. Uma estratégia que se acentuou para um atendimento diferenciado aos clientes é a aposta em novos formatos de loja: supermercados de bairro e o atacarejo. +

Supermercados de Bairro

Uma das tendências das grandes redes que vem se acentuando é reduzir a abertura de hipermercados e passar a abrir lojas menores, que atendam um público de bairro. Os novos estabelecimentos, apesar de não contar com a mesma variedade de produtos de uma unidade maior, atendem bem ao consumo de uma região. A aposta aqui é em oferecer aos clientes uma experiência de compra rápida, em que ele encontre os produtos básicos do dia a dia que procura e não enfrente filas para concluir a compra.

Satisfação do cliente é um dos principais focos dos mercados de bairro, que devem adotar soluções de tecnologia como forma de aliar melhor experiência de compra a ganhos de produtividade e redução de custos. Automatizar totalmente as operações é chave e, devido ao tamanho reduzido da loja e a menor variedade de produtos, aplicações mais simples, que não exigem um investimento tão alto, podem ser adotadas tanto por unidades de grandes redes como por lojas familiares. Leitores verticais para códigos de barras e coletores de dados mais enxutos são soluções de tecnologia recomendadas e acessíveis, além de softwares com aplicações de gestão muito menos complexas que as usadas em grandes lojas.

Atacarejo

Modelo de loja que já vinha conquistando espaço, mas que com a instabilidade econômica ganhou ainda mais força no mercado, o atacarejo, como diz o nome, atende tanto o atacado como a pessoa física (varejo). Com preços competitivos, vendendo no varejo com valores de atacado, o formato vem conquistando aumentos na porcentagem de vendas e clientes de pessoa física, que buscam por alternativas mais econômicas e melhores preços, o que demanda dos varejistas mais atenção a esse público crescente.

De lojas amplas e grande variedade de produtos e ofertas, o atacarejo precisa de soluções mais robustas de gestão e, principalmente, um processo bem desenhado de automação. Ter um deposito automatizado, mas um controle de disponibilidade de produto mal organizado atrapalha funcionamento e resultados. Toda a informação deve ser tratada e revertida em ações, aumentando a produtividade e melhorando a relação com o cliente, ainda mais importante agora com o aumento da parcela de pessoas física no atacarejo. Aliar uma gestão bem estruturada a soluções que gerem contato mais próximo com o consumidor, como papa-filas e auto-compra, é a melhor maneira de fortalecer o formato.

Fábio Lopez é diretor de vendas da Datalogic ADC para Brasil e Sul da América Latina

Tags, , , , , , , ,

Datalogic anuncia novo Diretor de Operações para fábrica em Jundiaí e busca excelência operacional

A Datalogic, líder mundial nos mercados de Captura Automática de Dados e Automação Industrial e fabricante de classe mundial de leitores de códigos de barras, computadores móveis, sensores, sistemas de visão e equipamentos de marcação a laser, anuncia Luis Gustavo Longuini Brandão como novo Diretor de operações da fábrica de Jundiaí.

“Excelência operacional é um dos nossos principais objetivos”, disse Brandão. Com 9 anos de experiência gerenciando operações, o executivo já passou por empresas como Itaucom, Motorola, Foxconn e Sanmina, adquirindo conhecimento em redução de custos operacionais e de logística, geração de caixa positivo, entre outros. “Terei contato com a operação e darei suporte aos projetos globais, aplicando também filosofias de redução de custo”, completou Brandão, que também tem experiências na implementação de programas Lean Seis Sigma, que visam redução de desperdício e otimização de processos.

“Trabalharemos ainda visando a aproximação da área de operação às área de negócios, de forma a tornar o crescimento da empresa ainda mais sustentável e integrado, e impulsionando novas oportunidades”, completou Luis Gustavo Longuini Brandão, que é formado em Estatística pela UNICAMP,pós-graduado em Finanças pela mesma instituição e certificado LSS Master Black Belt.

Tags, , ,