Tag bring your own device

Brasoftware e Citrix promovem evento em Brasília sobre tecnologias para trabalho remoto

A Brasoftware, uma das principais provedoras de soluções de tecnologia do Brasil, e a Citrix, líder em virtualização, redes e infraestrutura de nuvem que permitem novas maneiras para as pessoas trabalharem melhor, promovem um encontro em Brasília, no dia 7 de junho, para debater novas tendências na implementação de ferramentas de trabalho remoto.

Será realizado um jantar especial no Restaurante Baby Beef Rubaiyat, localizado no Trecho 11, na Asa Sul de Brasília, a partir das 19h. O evento tem vagas limitadas, é gratuito e as inscrições podem ser realizadas até 6 de junho por meio do link.

O evento é uma oportunidade para gestores e executivos da área de TI descobrirem como deixar suas equipes trabalhando em sintonia, de qualquer lugar, com qualquer dispositivo. O objetivo é adequar as empresas à realidade atual de remodelação do local de trabalho e prepará-las para os desafios de disponibilidade e gestão.

A Brasoftware mostrará aos participantes como as Soluções Citrix podem preparar os negócios para vencer esses novos obstáculos. Os principais temas serão: o aumento de produtividade de equipe; a implementação de dispositivos BYOD (Bring Your Own Device) sem comprometer a segurança; e a redução de custos do gerenciamento dos aplicativos.

Jantar Especial – Brasoftware e Citrix

Data: 07/06/2016

Horário: a partir das 19h

Local: Restaurante Baby Beef Rubaiyat – Trecho 11, Asa Sul – Brasília/DF

Inscrições: até 06/06/2016 pelo site.

Tags, , , , ,

Perigos e vantagens do uso do celular pessoal em âmbito corporativo

Dados da Forrester Research, empresa americana de pesquisa de mercado em tecnologia, apontam uma tendência na utilização de dispositivos móveis pessoais nas empresas. Isso porque, ao adotar o uso do telefone pessoal, a companhia tem a oportunidade de reduzir os custos com investimento em aparelhos e os funcionários têm a simplicidade de usar um único dispositivo, gerando informações centralizadas.

Em contrapartida, surgem também os riscos e a vulnerabilidade dessa prática. O uso do telefone pessoal nas atividades corporativas demanda riscos de segurança às empresas, com vazamentos de dados, perda de controle de gastos, integridade do hardware, além de diversas implicações jurídicas.

Esse cenário abriu um nicho de mercado para aplicativos e mecanismos de segurança com grande potencial, principalmente na América Latina. Somente em 2015, as empresas investiram globalmente cerca de US$ 6,6 bilhões em gerenciamento de dispositivos móveis (MDM), segundo a Forrester Research. No Brasil, em 2015, a Navita empresa líder desse mercado no país, registrou 200 mil dispositivos móveis (smatphones e tablets) controlados por ferramentas de gerenciamento de dispositivos móveis (MDM) e aumento de 40% na produtividade.

Para dispositivos enquadrados como BYOD (Bring Your Own Device) verifica-se redução de custo para as empresas, por não necessitar adquirir aparelhos, entretanto é importante implementar um programa que contemple segurança, políticas, processos e governança para que a economia gerada não converta em prejuízo por vazamento de informações corporativas importantes. A Navita recomenda que as empresas assumam o controle da situação, evitando riscos, principalmente trabalhistas, e ampliando os benefícios do programa.

As principais soluções para garantir a segurança de dados em dispositivos móveis estão: a criptografia de hardware e software, conteneirização do ambiente pessoal e corporativo, permitindo apartar as políticas de segurança aplicadas e conteúdos, além do transporte seguro de pacotes e documentos trafegados e rastreabilidade das informações.

Fabio Nunes, diretor de produtos e inovação na Navita, afirma “em geral as empresas tem dificuldades de monitorar e confirmar o tempo de trabalho com telefone pessoal por funcionários, especialmente no caso de demissões. Um funcionário pode dizer que estava trabalhando 24h pela empresa em seu próprio telefone e a mesma terá dificuldades para se justificar. Outro ponto é com relação às informações da empresa. Quando este funcionário sair de sua companhia, o que fazer com os dados (e-mails, planilhas, arquivos, entre outros) que ficaram armazenados no seu equipamento pessoal? Para resolver o primeiro ponto é importante ter um instrumento jurídico assinado entre a empresa e seu funcionário isentando a empresa de certas responsabilidades. Para o segundo, é necessária alguma tecnologia e existem ferramentas específicas para isso”.

Além destas ações para garantir a segurança no uso do celular pessoal em âmbito corporativo, a Navitadisponibilizou em seu site um Guia de Boas Práticas para gestão de telecom com informações e sugestões exclusivas que podem ser utilizadas pelos gestores de todos os tipos de empresa.

Tags, , , ,

60% das empresas na América Latina acreditam que BYOD é ameaça para segurança corporativa

A maioria das empresas considera a tendência Bring your own device (BYOD), em que os funcionários usam seus dispositivos móveis pessoais no trabalho, como uma ameaça crescente para a companhia. Mesmo assim, a porcentagem que toma medidas para minimizar essas ameaças é relativamente pequena, de acordo com os resultados da Pesquisa de Riscos Globais de Segurança Corporativa de TI de 2013, realizada pela B2B International em colaboração com a Kaspersky Lab. Essa pesquisa envolveu entrevistas com representantes de empresas em 24 países, incluindo Brasil, Chile, Colômbia, México e Peru.

Globalmente, os entrevistados do Japão expressaram a maior preocupação em relação a essa tendência crescente e as ameaças associadas: 93% concordaram que o BYOD é uma ameaça para suas empresas. As empresas da América do Norte (69%) também mostraram um alto nível de preocupação, assim como os do Oriente Médio (65%),da Europa Ocidental (62%) e América Latina (60%). As empresas Russas foram as menos preocupadas, com 57% dos participantes reconhecendo a ameaça que as políticas BYOD representam.

Ao mesmo tempo, a maioria das empresas não planeja introduzir nenhuma medida de proibição contra o uso de dispositivos pessoais no local de trabalho. Pelo contrário, cerca de 31% dos entrevistados globais disseram que pretendem incentivar o uso de smartphones e tablets, já na América Latina essa porcentagem chega a 39%. 34% disseram que não acreditam que medidas proibitivas impediriam os funcionários de usar seus próprios dispositivos, na região latino-americana esse índice fica em 33%.

No entanto, o percentual de empresas que pretendem restringir o uso de dispositivos pessoais para fins de trabalho está em ascensão: o número de entrevistados na região que relatam planos para impor restrições cresceu de 22% em 2012 para 23% em 2013. A porcentagem de empresas que pretendem impor restrições mais severas contra o uso de dispositivos pessoais no trabalho subiu de 4% para 5%.

É fácil ver por que as empresas se preocupam cada vez mais com as ameaças que os dispositivos móveis representam: a pesquisa também mostra que o uso indevido desses dispositivos é uma causa frequente de incidentes de segurança de TI, resultando na perda de dados críticos da empresa. Quase 21% (2% a mais que em 2012) dos entrevistados na América Latina disseram que suas empresas sofreram vazamentos de dados confidenciais por meio de clientes de email para dispositivos móveis, mensagens de texto e outros canais disponíveis para os proprietários de smartphones e tablets.

Mas relativamente poucas empresas estão adotando produtos de software especializados para se proteger contra essas ameaças. Cerca de 38% das empresas usam soluções antivírus para integrar, proteger e gerenciar os dispositivos móveis na rede corporativa, e apenas 20% usam soluções de Gerenciamento de Dispositivos Móveis.

Conforme o BYOD torna-se mais comum e aumenta o número de incidentes envolvendo dispositivos móveis, assegurar o gerenciamento centralizado desses dispositivos e mantê-los seguros tornou-se uma necessidade importante e relevante. É igualmente importante que as soluções que executam essas funções sejam fáceis de usar, fáceis de gerenciar e fáceis de integrar na rede corporativa.

O Kaspersky Security for Mobile está disponível como uma solução direcionada ou como um componente do Kaspersky Endpoint Security for Business. Um agente móvel é instalado em nível de dispositivo para oferecer proteção avançada contra ameaças de malware, enquanto o Gerenciamento de Dispositivos Móveis faz com que a configuração segura dos dispositivos móveis seja simples e direta. Os dados corporativos podem ser isolados e criptografados em um contêiner no dispositivo pessoal e, graças às funções de Localização, Bloqueio e Limpeza Remota, esses dados poderão ser apagados, caso o dispositivo seja perdido ou roubado. Um único console administrativo unificado significa que todos os endpoints corporativos, incluindo dispositivos móveis BYOD, podem ser gerenciados em conjunto em uma única plataforma de segurança integrada.

Tags, , , , ,