Tag BMW Group

Microsoft e o BMW Group lançam a plataforma aberta de fabricação

A Microsoft Corp. e o BMW Group anunciaram uma nova iniciativa comunitária para possibilitar uma inovação mais rápida e com mais eficiência em relação ao custo no setor de fabricação. Na fabricação da atualidade, a produção e a lucratividade podem ser prejudicadas por sistemas proprietários complexos que criam silos de dados e tornam a produtividade mais lenta. A Plataforma Aberta de Fabricação (OMP – Open Manufacturing Platform) é projetada para quebrar essas barreiras por meio da criação de uma estrutura de tecnologia aberta e comunidade interindustrial. Espera-se que a iniciativa apoie o desenvolvimento de soluções inteligentes de fábrica que serão compartilhadas por par ticipantes OMP em setores de produção automotiva e mais amplos. A meta é acelerar os futuros desenvolvimentos industriais da IoT, reduzir o prazo de maturação e impulsionar eficiências de produção tratando, ao mesmo tempo, de desafios industriais comuns.

Desenvolvida na plataforma em nuvem para IoT industrial Microsoft Azure, a OMP tem a intenção de proporcionar aos membros da comunidade uma arquitetura de referência com componentes de código aberto baseados em padrões industriais abertos e um modelo aberto de dados. Além de facilitar a colaboração essa abordagem de plataforma é projetada para destravar e padronizar modelos de dados que possibilitam cenários de aprendizado automático (machine learning) e analítica — dados que têm sido tradicionalmente gerenciados em sistemas proprietários. Utilizando casos de uso industrial e código de amostra, os membros da comunidade e outros parceiros terão a capacidade de desenvolver seus próprios serviços e soluções mantendo, ao mesmo tempo, o controle sobre seus dados.

“A Microsoft está unindo forças com o BMW Group a fim de transformar a eficiência de produção digital por toda a indústria”, declarou Scott Guthrie, vice-presidente executivo, Microsoft Cloud + AI Group. “Nosso comprometimento com o desenvolvimento de uma comunidade aberta vai criar novas oportunidades para colaboração por toda a cadeia de valor de fabricação.”

Atualmente com mais de 3.000 máquinas, robôs e sistemas de transporte autônomos conectados à plataforma IoT do BMW Group, que é desenvolvida na nuvem da Microsoft Azure, IoT e capacidades de IA, o BMW Group planeja contribuir com casos de uso inicial relevantes à comunidade OMP. Um exemplo é o uso por parte da empresa de sua plataforma de IoT para a segunda geração de seus sistemas de transporte autônomo na fábrica do BMW Group em Regensburg, Alemanha, um dos 30 locais de montagem e produção do BMW Group em todo o mundo. Esse caso de uso permitiu ao BMW Group simplificar grandemente seus processos de logística por meio de uma coordenação central do sistema de transportes, criando uma eficiência logística ainda maior. No futuro, esse e outros casos de uso — como os feedback loops digitais, gestão digital de cadeia de suprimentos e manu tenção preventiva — serão disponibilizados e, de fato, desenvolvidos ainda mais dentro da comunidade OMP.

“Especializar-se na complexa tarefa de produzir produtos premium individualizados requer soluções de software de TI inovadoras”, declarou Oliver Zipse, membro do conselho administrativo da BMW AG, Production. “A interconexão dos locais de produção e sistemas, bem como a integração segura de parceiros e fornecedores são especialmente importantes. Temos confiado na nuvem desde 2016 e estamos desenvolvendo, de maneira consistente, novas abordagens. Com a Plataforma Aberta de Fabricação como o próximo passo, queremos tornar nossas soluções disponíveis a outras empresas e alavancar, em conjunto, nosso potencial a fim de assegurar nossa sólida posição no mercado no longo prazo”.

A OMP é a próxima evolução da parceria tecnológica duradoura e do comprometimento mútuo à inovação e à criação de oportunidades para sucesso coletivo em toda a indústria por parte do BMW Group e da Microsoft. Por meio da OMP, os membros da comunidade terão maiores oportunidades de destravar o potencial de seus dados, permitindo-lhes desenvolver e integrar soluções industriais mais rapidamente e com segurança bem como, por sua vez, beneficiar-se da contribuição e do aprendizado de outras organizações.

A OMP será projetada para tratar de desafios industriais comuns, como a conectividade à máquina e integração de sistemas nas instalações. Isso vai facilitar a reutilização de soluções de software entre as OEMs, fornecedores e outros parceiros, reduzindo significativamente os custos de implementação. Por exemplo, um padrão de robótica baseado em ROS para sistemas de transporte autônomos para produção e logística será contribuído para a OMP a fim de que qualquer um possa utilizá-lo. A OMP será compatível com a arquitetura de referência da Indústria 4.0, alavancando o padrão de interoperabilidade industrial OPC UA.

“São notícias realmente muito boas para o setor de fabricação”, declarou Stefan Hoppe, presidente e CEO da OPC Foundation. “O uso de padrões abertos da indústria internacional como OPC UA na comunidade OMP permite aos fabricantes, desenvolvedores de máquinas e fornecedores integrar seus sistemas e equipamentos existentes de maneira eficiente e segura. Por muito tempo, as empresas promoveram ecossistemas proprietários e fechados — o comprometimento da OMP ao desenvolvimento aberto moldará a fabricação do futuro.”

A plataforma subjacente continuará a evoluir com o tempo, junto com os requisitos de fabricação, a fim de incorporar novas inovações incluindo áreas de analítica, inteligência artificial e feedback loops digitais.

A comunidade OMP mais ampla está sendo formada agora, com recrutamento de parceiros adicionais em andamento. Espera-se que o Comitê Consultivo da OMP esteja em operação com um conjunto inicial de quatro a seis parceiros em vigor e um mínimo de 15 casos de uso implementados em ambientes de produção seletos até o final de 2019. Os dois parceiros iniciais, a Microsoft e o BMW Group, encorajam outros fabricantes e fornecedores, incluindo empresas de fora do setor automotivo, a unirem-se à comunidade.

Tags, , , ,

BMW Group investe em automação e em robôs leves

Exoesqueletos atuam como uma estrutura de suporte para o corpo, facilitando o trabalho

Exoesqueletos atuam como uma estrutura de suporte para o corpo, facilitando o trabalho

Enquanto no passado homem e máquina trabalhavam em áreas separadas dentro das indústrias e linhas de produção, inclusive protegidas por barreiras físicas, esse cenário mudou nos últimos anos e, hoje, robôs leves, exoesqueletos e ferramentas digitais auxiliam as pessoas diretamente em suas atividades, tornando o sistema de produção mais ágil e mais adaptável. O BMW Group acredita e investe continuamente na modernização de suas fábricas, reduzindo a quantidade de tarefas extenuantes e ergonomicamente desfavoráveis.

“A digitalização permite ao BMW Group ter mais opções para gerenciar os sistemas de produção. As pessoas estão agora mais livres para dedicar-se a questões de alta complexidade dentro da produção automotiva”, afirma Christian Dunckern, head de Sistemas de Produção, Planejamento, Ferramental e Engenharia de fábricas do BMW Group.

A utilização de robôs e ferramentas inovadoras permite que os colaboradores se dediquem a tarefas criativas, trabalhos de precisão e gerenciamento da qualidade. Por outro lado, os sistemas de suporte auxiliam as pessoas em tarefas repetitivas e extenuantes. Na linha de produção, os robôs leves não têm ponto fixo: são móveis e podem ser aplicados em mais de uma etapa.

BMW no caminho da inovação: cooperação entre homem e máquina

O primeiro robô leve a integrar a linha de produção do BMW Group chegou em 2013, na fábrica de Spartanburg, nos Estados Unidos e foi apelidado pela equipe local de “Miss Charlotte”. Sua função básica era montar o isolamento acústico das portas. Miss Charlotte continua em operação e, hoje, outros 40 robôs leves atuam nas plantas do grupo; até o meio do ano, a previsão é de que esse número suba para 60.

A fábrica do BMW Group em Dingolfing, na Alemanha, conta com um robô preso ao teto cuja função é erguer as engrenagens, que pesam cerca de 5,5 quilos, e encaixá-las perfeitamente sem causar danos às rodas dentadas. Este tipo de trabalho torna-se altamente seguro à medida que sensores especiais monitoram todo o processo e pausam o trabalho imediatamente se um obstáculo for detectado.

A aplicação do adesivo no para-brisa dos carros é uma tarefa particularmente desafiadora, que envolve a cooperação entre homem e máquina. Os adesivos são muito viscosos e devem ser aplicados de maneira uniforme, sem desníveis. Na planta de Leipzig, um robô leve executa o serviço juntamente com os colaboradores, melhorando o índice de acerto.

Os robôs leves também garantem a segurança dos humanos, já que podem ser aplicados em áreas onde há grandes sistemas robóticos, protegidos por cercas. Sua flexibilidade e o pouco espaço ocupado permitem que as pessoas acessem esses locais com a ajuda dessas novas máquinas, minimizando riscos.

Assistentes digitais que otimizam o trabalho

Se antes os telefones celulares eram utilizados unicamente para fazer ligações, hoje em dia eles acumulam uma série de funções; diversas tecnologias inovadoras derivam da mobilidade oferecida por esses sistemas, especialmente no ambiente de produção.

No caso do BMW Group, luvas especiais que contam com leitor de código de barras diminuem o tempo de trabalho, escaneando os objetos com praticidade e rapidez, com apenas um toque do polegar no botão acoplado no indicador. 230 dessas luvas tecnológicas estarão em uso até o final deste ano, nas fábricas do BMW Group.

Outro exemplo é o uso de realidade aumentada por meio de aparelhos como tablets, que proporcionam a visualização hipotética de um componente sobreposto a outro, conforme especificações virtuais. Isso permite comparar e fazer avaliações prévias, fazer simulações e resolver potenciais problemas. A realidade aumentada é aplicada nas fases de validação de conceitos, inspeção das primeiras amostras, avaliação de ferramentas e na manutenção dos sistemas em uso.

Exoesqueletos que podem ser “vestidos” diretamente sobre o corpo atuam como um reforço, uma estrutura de suporte para o corpo. Os exoesqueletos para o tronco fortalecem os movimentos dos braços de trabalhadores que precisam fazer tarefas tediosas, oferecendo força extra. 24 deles já estão sendo aplicados nas fábricas do BMW Group em Spartanburg; outros 44 serão adicionados ao longo de 2017.

Já os exoesqueletos para a parte inferior do corpo servem para melhorar a postura e oferecer alívio em atividades que requerem posições que podem afetar a saúde das pessoas. Como se estivessem sentados em uma cadeira, os colaboradores trocam prolongados períodos em pé por posições mais confortáveis. O exoesqueleto para os membros inferiores funciona como talas acopladas ao tronco e travadas em posições específicas. Atualmente, 11 deles já estão em operação nas fábricas do grupo.

“Em tempos de digitalização, precisamos estar atentos à aplicabilidade dessas novas tecnologias ao modelo de negócio da companhia. Não há ninguém mais qualificado do que os próprios colaboradores que atuam diariamente em nosso sistema de produção para avaliar a efetividade dessa nova proposta. No BMW Group, a tecnologia está a serviço das pessoas, expandindo sua criatividade e eficiência”, finaliza Christian Dunckern.

Tags, , , ,

BMW Group, Intel e Mobileye terão veículos autônomos em teste nas ruas no segundo semestre de 2017

BMW Group, Intel e Mobileye anunciaram hoje, durante a CES 2017, que uma frota de aproximadamente 40 veículos autônomos da BMW estará nas ruas até o segundo semestre de 2017, demonstrando os significativos avanços alcançados pelas três empresas rumo à condução totalmente autônoma. As empresas ainda explicaram que o BMW Série 7 empregará tecnologias de ponta de Intel e Mobileye durante os testes globais, começando nos EUA e Europa.

Este anúncio é continuidade da parceria que foi anunciada em julho do ano passado. As empresas desenvolveram uma arquitetura escalável que pode ser adotada por outros desenvolvedores automotivos e fabricantes de carros para realizar projetos em estado da arte e criar marcas diferenciadas. As ofertas variam dos principais módulos individuais integrados à uma completa solução fim a fim que fornece uma ampla gama de experiências diferenciadas para os consumidores.

“Transformar a condução autônoma em realidade é a ambição compartilhada por trás da nossa cooperação com Intel e Mobileye. Esta parceria conta com todas as habilidades e talentos necessários para superar os enormes desafios tecnológicos que teremos pela frente, bem como para a comercialização de veículos autoconduzidos. Por isso, já estamos pensando em termos de escalabilidade e em dar as boas-vindas para outras empresas – fabricantes, fornecedores ou empresas de tecnologia – para participar e contribuir para a nossa plataforma autônoma. Este ano, a nossa frota de veículos já testará esta tecnologia conjunta globalmente sob condições reais de trânsito. Este é um significativo passo adiante rumo ao lançamento do BMW iNEXT em 2021, que será o primeiro veículo totalmente autônomo do BMW Group”, declarou Klaus Fröhlich, Membro do Conselho Administrativo do BMW AG para Desenvolvimento.

“Do ponto de vista da indústria, já observamos economia, com o compartilhamento de custos, e produtividade com a aceleração do desenvolvimento de uma plataforma completamente autônoma. O sistema automotivo na nuvem terá um comportamento consistente e previsível e está validado para o mais alto nível de segurança”, disse o CEO da Intel, Brian Krzanich. “É por isso que esta parceria está inovando. Criamos uma equipe dedicada com objetivos claros e compartilhados, além de uma cultura de inovação, agilidade e responsabilidade”.

“Ao longo dos últimos seis meses, tivemos um ótimo progresso no projeto de uma solução em estado da arte para a condução autônoma tanto em estradas, quanto em áreas urbanas. A solução foi definida de uma maneira escalável para permitir que os fabricantes de carros afiliados atendam seus requisitos únicos”, disse o Cofundador, Chairman e CTO da Mobileye, o Professor Amnon Shashua.

Como parte dessa parceria, o BMW Group será responsável pelo controle e dinâmica da condução e avaliação da segurança funcional geral, incluindo a configuração de um mecanismo de simulação de alto desempenho, a integração geral de componentes, a produção de protótipos e, eventualmente, a ampliação da plataforma por meio dos parceiros de implantação.

A Intel traz para esta parceria elementos da computação de alto desempenho que abrangem do veículo ao data center. A recém lançada solução Intel® GO™ para a condução autônoma oferece processador e tecnologias FPGA de classe mundial para o equilíbrio mais eficiente de desempenho e poder, ao mesmo tempo em que atende os exigentes requisitos de temperatura e segurança da indústria automotiva. Dentro do carro, a solução Intel GO oferece uma plataforma computacional e de desenvolvimento escalável para funções críticas, incluindo união de sensores, política de condução, modelagem do ambiente, planejamento do caminho e tomada de decisões. No data center, a Intel GO oferece uma ampla gama de tecnologias que variam dos processadores de alto desempenho Intel® Xeon® aos FPGAs Intel® Arria® 10, aos Intel® Solid State Drives e à plataforma Intel® Nervana™ para inteligência artificial, que fornece um mecanismo poderoso, treinamento em aprendizagem profunda e a infraestrutura de simulação necessários para a indústria de condução autônoma.

A Mobileye contribui com o seu processador de visão computacional de alto desempenho EyeQ®5 proprietário, que oferece segurança funcional automotiva e desempenho com baixo consumo de energia. O EyeQ®5 é responsável pelo processamento e interpretação da entrada dos sensores de visão do entorno em 360 graus, bem como a localização. O EyeQ®5, em conjunto com as tecnologias de CPU e FPGA da Intel, forma a Plataforma Computacional Central que será integrada em cada veículo autônomo.

A Mobileye colaborará ainda mais com o BMW Group para desenvolver uma solução de união de sensores, criando um modelo completo do ambiente que cerca o veículo, usando dados de entrada dos sensores de visão, radar convencional e a laser. Além disso, estabelece uma política de condução, incluindo os algoritmos de reforço do aprendizado da Mobileye usados para dotar o sistema do veículo com a Inteligência artificial necessária para negociar com segurança situações complexas de condução.

Para fomentar ainda mais o desenvolvimento da plataforma autônoma, a parceria planeja lançar amostras de hardware e atualizações de software nos próximos anos. O modelo iNEXT da BMW, que será lançado em 2021, será a base da estratégia de condução autônoma do BMW Group. Depois deste veículo, uma gama de modelos altamente automatizados de todas as marcas do BMW Group será lançada.

Tags, , , , , ,