Tag aviação

GE Aviação e Teradata formam parceria estratégica

A divisão de aviação da GE e a Teradata (NYSE:TDC), empresa líder na área de análise de dados, anunciaram uma parceria estratégica com o intuito de gerar resultados de negócios com uso de analytics na companhia líder em linhas aéreas.

Com a parceria, a GE e a Teradata desenvolverão produtos e serviços para o mercado de aviação comercial para atender áreas de negócios, como marketing, vendas, serviços e suporte. O objetivo é contar com uma solução completa e pronta para o mercado – que já está disponível para ser implementada.

Ao combinar operações, ativos e redes da GE Aviação com a informação do cliente, vendas, marketing, e suporte de back office, as empresas criaram um ecossistema de fácil desenvolvimento, escala e uso. Com a solução, interrupções de vôo, por exemplo, podem ser administradas pela GE, enquanto a experiência do cliente, pela Teradata. A combinação das soluções permite que a gestão de interrupções se torne um processo completo, por que é capaz de adicionar informaçõs sobre gestão de inventários, logística, agendamento, e mão de obra. Do ponto de vista do negócio, a combinação melhora as operações de vôos, e inclusive, permite a manutenção preditiva, otimizando a eficiência operacional e melhorando a satisfação dos clientes.

“Está claro que a Teradata se destaca na área de dados e análises pelo tamanho e escala exigida por uma companhia de aviação global”, afirmou Andrew Coleman, diretor comercial da GE Aviação Soluções de Negócios Digitais. “Ao unir nossa experiência na gestão de performance de ativos e otimização de operações com a da Teradata, em gerar insigths dos clientes com uma grande quantidade de dados e múltiplas abordagens analíticas, o mercado de aviação ganhará uma solução que entrega conhecimentos compreensivos e aplicáveis”.

“A Teradata e a GE Aviação estão colaborando e ajudando clientes a usar abordagens analíticas para solucionar problemas complexos, de forma rápida, com insights acionáveis que são críticos para decisões de negócios”, afirmou Oliver Ratzesberger, vice-presidente executivo e diretor de produtos da Teradata. “A plataforma GE Predix é bem conhecida e respeitada na indústria de aviação, e estamos felizes em trabalhar em parceria com a GE Aviation Digital Solutions para ampliar esse ecosistema com as tecnologias da Teradata”.

Com a liderança global na indústria de aviação, a expectativa de resultados com a oferta conjunta é de um impacto positivo imediato para os clientes da indústria de aviação global.

Tags, , , ,

Embraer adota Salesforce para enriquecer a experiência do cliente

A Salesforce (NYSE: CRM), líder global em CRM, acaba de anunciar que a Embraer, gigante do setor aeronáutico com mais de 1.800 clientes globais e 5.600 aviões em operação atualmente, implementou o Salesforce para transformar sua conexão com os clientes e entregar experiências mais personalizadas e relevantes.

Há muito tempo a Embraer vinha usando processos manuais e sistemas desatualizados para gerenciar os negócios nos mercados da aviação comercial, militar e executiva. Consequentemente, ela não tinha uma visão total dos seus clientes, nem a capacidade de estabelecer relacionamentos mais personalizados e inteligentes. A companhia procurou a Salesforce para transformar esses relacionamentos e implementou o Sales Cloud, Service Cloud, Marketing Cloud, Community Cloud, Analytics e a Salesforce Platform. Com as soluções, a Embraer passou a centralizar as informações de cada um de seus aviões comerciais que, antes, se encontravam distribuídas em 80 bancos de dados diferentes.

Com uma visão unificada de toda a sua frota, agora a Embraer consegue compreender rapidamente a situação de cada aeronave e antecipar as potenciais necessidades das companhias aéreas. Assim, ela oferece uma interação mais proativa, desde o momento da prospecção inicial, passando pela compra da aeronave e chegando aos serviços de manutenção ao longo de todo o ciclo de vida dela.

A Embraer também usa Salesforce para dar autonomia a seus clientes: com a Community Cloud, eles acessam um catálogo de mais de 600 produtos e serviços, como Wi-Fi complementar, disposição de assentos e design interior. Assim, personalizam as aeronaves e atendem melhor seus passageiros.

“Nossa principal missão é prever o imprevisível, pois nossos clientes certamente não gostam de surpresas nem de interrupções operacionais”, diz Johann Bordais, presidente e CEO de Serviços e Suporte da Embraer. “A Salesforce nos oferece uma plataforma moderna e escalável, além de nos ajudar a alcançar uma compreensão profunda de nossos clientes para que possamos encantá-los de novas maneiras”.

“O setor de fabricação de aviões é um dos grandes propulsores do comércio e transporte globais. É essencial que os fabricantes invistam em tecnologias inovadoras para entregar melhores experiências às companhias aéreas e seus passageiros”, diz Cindy Bolt, vice-presidente sênior da Salesforce para Indústria, Manufatura e Bens de Consumo. “A Embraer entende a necessidade de adaptar-se e adotar as inovações tecnológicas para interagir com os clientes de maneira mais inteligente. Estamos muito felizes em fazer parte da jornada de transformação digital da empresa”.

Tags, , , , ,

A banda larga para voos será um mercado de 130 bilhões de dólares em 2035

As companhias aéreas devem se beneficiar de receitas significativas no crescimento de comércio eletrônico, publicidade e conteúdo premium viabilizado por banda larga

A London School of Economics and Political Science prevê que companhias aéreas da América Latina irão gerar US$1,9 bilhão de ganhos incrementais

26 de setembro de 2017: a banda larga a bordo tem o potencial de criar um mercado global de 130 bilhões de dólares nos próximos 20 anos, resultando em uma receita adicional de US$ 1,9 bilhão para as companhias aéreas da América Latina. Esta é a conclusão de uma pesquisa de estudo inédita ‘Sky High Economics: Quantifying the commercial opportunities of passenger connectivity for the global airline industry’ (em português, Economia do Céu: quantificação de oportunidades comerciais de conectividade para passageiros para a indústria aérea global), realizada pela London School of Economics and Political Science (LSE) em associação com a Inmarsat (LSE: ISAT. L), a fornecedora líder no mundo de comunicações globais móveis via satélite.

Potencial de mercado

Com base em dados atuais da IATA e fontes da indústria, o estudo Sky High Economics desenvolveu um modelo de previsão independente. O modelo prevê que os rendimentos complementares viabilizados por banda larga para as companhias aéreas terão quatro principais fluxos de receita:

• Cobranças para o acesso à banda larga – oferecer conectividade para passageiros a bordo

• Comércio eletrônico e “destination shopping” – fazer compras a bordo de aeronaves com maior leque de produtos e ofertas em tempo real

• Publicidade – pagamento-por-clique, impressões, acordos de patrocínio com anunciantes

• Conteúdo premium – oferecer conteúdo ao vivo, vídeo por demanda e pacote de acesso W-IFEC

Atualmente, apenas cerca de 53 de uma estimativa de 5000 companhias aéreas em todo o mundo oferecem conectividade de banda larga a bordo. Seguindo a forte demanda por parte de passageiros, a internet a bordo estará amplamente difundida em aviões comerciais até 2035. Atualmente, as companhias aéreas recebem um adicional de 17 dólares por passageiro por serviços complementares ‘tradicionais’, como compras ‘duty free’ e vendas de varejo, alimentos e bebidas a bordo. As receitas complementares viabilizadas por banda larga irão acrescentar um adicional de 4 dólares até 2035.

Vetores de crescimento

As operadoras de serviço completo pretendem reivindicar a maior parte das receitas de companhias aéreas (63%), gerando 19 bilhões de dólares até 2035. Com as maiores oportunidades obtidas nos tempos de voo mais longos, a receita adicional virá da capacidade de maximizar as plataformas de comércio eletrônico e de acordos com provedores de conteúdo para oferecer pacotes premium. O estudo ‘Sky High Economics’ prevê que as operadoras de baixo custo irão gerar 11 bilhões de dólares até 2035, sendo que a maior parte virá da venda de conectividade para os passageiros.

Diferenças regionais

A pesquisa também identificou que em termos regionais, a maior oportunidade para serviços adicionais viabilizados por banda larga está na região Ásia-Pacífico. Impulsionadas pelo crescimento do número de passageiros e pela disponibilidade de serviços, as companhias aéreas da região Ásia-Pacífico irão se beneficiar de 10,3 bilhões dólares em receitas complementares até 2035, seguidas pelas companhias da Europa (8,2 bilhões de dólares) e América do Norte (7,6 bilhões de dólares). A América Latina se beneficiará com US$ 1,9 bilhão de dólares, Oriente Médio com US$ 1,3 bilhão e África com US$ 590 milhões.

O Dr. Alexander Grous (B. Ec, MBA, M.Com, MA, PhD.), do Departamento de Mídia e Comunicações, LSE e autor de Sky High Economics disse: “A oportunidade disponível às companhias aéreas é enorme. O estudo Sky High Economics prevê a criação de um mercado de 130 bilhões de dólares nas próximas duas décadas. Se as companhias aéreas, globalmente, puderem oferecer uma conexão de banda larga confiável, isso será o catalisador para a implementação de pacotes mais criativos de publicidade, conteúdo e comércio eletrônico. Veremos acordos de negócio inovadores serem feitos, parcerias serem formadas e modelos de negócios serem fundamentalmente modificados para que novos participantes tenham oportunidades nos 100 bilhões de dólares das companhias aéreas. A receita complementar viabilizada por banda larga tem o potencial de criar um novo mercado e é algo que as companhias aéreas precisam planejar agora.”

Frederik van Essen, vice-presidente senior de Estratégia e Desenvolvimento de Negócios da Inmarsat Aviation, comentou: “A medida que começarem a agir mais como varejistas, as companhias aéreas perceberão os benefícios de eliminar a lacuna da conectividade a bordo. Isso resultará no desbloqueio de 15 bilhões de dólares por ano em receitas complementares adicionais na próxima década e será uma das maiores fontes de crescimento. A chave para este potencial e a obtenção de receitas eventuais de 30 bilhões de dólares, é a internet rápida e de alta qualidade a bordo que seja confiável e sem interrupções.”

A Inmarsat está transformando a indústria da aviação global trazendo conectividade plena para cada aeronave e rota de voo no mundo. A Inmarst é a primeira e única operadora com uma completa rede de satélite de alta produtividade (HTS) de próxima geração abrangendo o mundo todo. A Inmarsat é também a única operadora de banda larga de aviação capaz de conectar a aeronave completa desde a cabine de passageiros até a cabine de comando. As soluções para passageiros oferecidas pela Inmarsat são líderes no mundo e complementadas por seus serviços de operações e segurança certificados pelos padrões da indústria. O ‘GX Aviation’ é o primeiro serviço global de banda larga de alta velocidade a bordo no mundo a partir de uma única operadora. Isto permite que passageiros de companhias aéreas naveguem na internet, transmitam vídeos, verifiquem mídias sociais e muito mais durante os voos, com uma experiência de conectividade a bordo comparável aos serviços de banda larga móvel disponíveis em terra.

Tags, , , , ,

Embraer abre processo seletivo para programa de engenheiros em parceria com o ITA

A Embraer abre inscrições para o Programa de Especialização em Engenharia (PEE), que selecionará até 30 engenheiros recém-formados interessados em atuar na área de engenharia de desenvolvimento de produtos da empresa. Os interessados podem se inscrever até o dia 24 de setembro pelo embraer.com.br/PEE. O curso terá início em 19 de fevereiro de 2018 e tem duração de um ano e meio. Podem participar engenheiros com inglês avançado graduados entre 2015 e 2017 nas modalidades aeronáutica, civil, computação, eletrônica, materiais, mecânica, mecatrônica, naval, produção, química ou outras áreas relacionadas.

Em parceria com o ITA, o PEE é um programa corporativo que visa à capacitação de engenheiros e oferece título de mestrado profissional em engenharia aeronáutica, reconhecido pela CAPES / MEC. Todos os cursos e atividades são ministradas em dependências da companhia por profissionais da Embraer e consultores contratados.

O Programa

O Programa de Especialização em Engenharia combina a carga de especialização técnica com o desenvolvimento de conhecimento multidisciplinar. O programa está estruturado em três fases distintas com duração de 5 a 6 meses cada (Fundamentos de Aeronáutica, Especialização e “Projeto Avião”). As aulas são ministradas de segunda a sexta-feira, em período integral das 7h30 às 17h, por professores do ITA, especialistas da Embraer e consultores de diversos países.

Desde que o PEE foi criado, já foram formadas 24 turmas, com cerca de 1.400 engenheiros aptos a atuar em diferentes etapas da cadeia industrial da aviação.

Tags, , ,

Embraer faz parceria para inovação com a Uber Elevate Network

A Embraer anunciou hoje um acordo com a Uber visando a explorar o conceito de um ecossistema – denominado Uber Elevate Network – que poderá permitir o desenvolvimento e implantação de pequenos veículos elétricos com decolagem e aterrissagem vertical (VTOLs, na sigla em inglês) para deslocamentos curtos no espaço urbano. O anúncio foi feito em Dallas, Texas, na sessão de abertura do Uber Elevate Summit.

Essa parceria preliminar é um projeto gerado pelo Centro de Inovação de Negócios da Embraer. Anunciado no mês passado, quando a empresa revelou sua intenção de promover inovações no transporte aéreo, o Centro tem sede em Melbourne, na Flórida, e equipes no Vale do Silício, Califórnia, e em Boston, Massachusetts.

“Acreditamos firmemente que é preciso explorar vários novos conceitos de negócios que podem afetar o transporte aéreo no futuro. Essa é uma oportunidade única para ajudarmos a complementar o conhecimento de transporte aéreo dessa que é uma empresa revolucionária e visionária no transporte terrestre. No exercício dessa parceria, vamos desenvolver novas tecnologias, novos produtos e novos modelos de negócios que podem gerar oportunidades para a Embraer no futuro”, disse Paulo Cesar de Souza e Silva, CEO da Embraer.

“Compartilhamos a visão de que a situação do transporte em regiões urbanas congestionadas está pronta para soluções inovadoras, como a aviação sob demanda. A liderança da Embraer na aviação comercial e executiva foi obtida por meio da introdução de aeronaves e serviços inovadores. Estamos confiantes de que esse nosso DNA também agregará valor a novos conceitos de transporte urbano”, disse Antonio Campello, diretor de Inovação Corporativa.

“A Embraer é a maior fabricante de jatos comerciais de até 130 assentos e um dos parceiros mais experientes da Uber neste segmento. Seu conhecimento de certificação de aeronaves com tecnologia fly-by-wire embarcadas e sua confiança de que eles podem igualmente tornar essa tecnologia acessível a aeronaves muito menores é um ingrediente essencial para o nosso sucesso”, disse Mark Moore, diretor de Engenharia de Aviação da Uber.

Fonte: Embraer

Tags, , , , , , ,

Delta moderniza a experiência com rede Wi-Fi e completa 100 aeronaves com o sistema 2Ku

unnamed (45)

Para verificar e-mails ou assistir aos seus programas favoritos, nunca foi tão fácil ficar conectado desde a decolagem até o pouso, graças à expansão da rede Wi-Fi da Delta, que utiliza o modelo 2Ku da Gogo, a tecnologia líder da indústria de redes sem fio para voos. A companhia aérea recentemente atualizou sua centésima aeronave com essa tecnologia aperfeiçoada.

A rede Wi-Fi da Delta opera com a tecnologia de última geração, que fornece cobertura consistente e ininterrupta em qualquer lugar do mundo, inclusive sobre oceanos. A rede de alta velocidade da companhia aérea faz com que os clientes se sintam em casa, incluindo a transmissão de vídeo e uso de redes corporativas (como VPN) globalmente. Ao contrário das versões anteriores da tecnologia em voo da Delta, agora os clientes podem usar a rede Wi-Fi por toda viagem em aeronaves com o modelo 2Ku.

A Delta tem atualmente a maior frota de aeronaves com a tecnologia 2kU da Gogo e o maior acordo de uso do modelo de tecnologia do que qualquer outra companhia aérea do mundo, que deve garantir a instalação de rede Wi-Fi de alta velocidade em mais de 600 aeronaves para voos domésticos e internacionais nos próximos dois anos. O modelo 2Ku está sendo instalado em frotas nacionais de aeronaves de fuselagem estreita já existentes da Delta, enquanto as novas aeronaves Airbus A350 e Bombardier C-Series serão entregues já equipadas com o sistema. O 2Ku também será oferecido nas aeronaves Airbus A330-900Neo quando entrarem na frota da Delta em 2019.

Usando antenas de satélite duplas de banda KU – uma para recepção do sinal ascendente até a aeronave e a outra para o retorno do sinal ao solo – o modelo 2Ku oferece aos clientes velocidade e largura de banda 20 vezes mais rápidas que a tecnologia original ATG (ar-solo) da Gogo.

“Temos o compromisso de oferecer uma rede Wi-Fi com velocidade e acessibilidade semelhantes à rede que nossos clientes têm em casa”, disse Joe Kiely, diretor-geral de Produto e Experiência ao Cliente da Delta. “As atualizações do Wi-Fi estão oferecendo aos clientes conectividade significativamente mais rápida, permitindo que os passageiros em viagens de negócios enviem arquivos pesados e realizem multifunções com facilidade, enquanto aqueles com mais tempo podem assistir seus programas favoritos”.

Hoje, uma aeronave da Delta equipada com o modelo 2Ku oferece qualidade na performance de vídeo com 15 Mbps por assento. Com a instalação do modem de próxima geração da Gogo, o desempenho vai aumentar ainda mais. As aeronaves da Delta com o 2Ku instalado começarão a receber o novo modem no segundo semestre de 2017. Com o lançamento de satélites de alta taxa de transferência e o novo modem instalado, os clientes terão velocidades acima de 20 Mbps por assento no fim de 2017 e início de 2018.

A Delta opera a maior frota equipada com Wi-Fi do mundo, incluindo toda as 660 aeronaves de linha principal doméstica. Mais de 1.000 aeronaves da Delta, incluindo quase todos os jatos regionais de duas classes Delta Connection e 100% da sua frota internacional de longo percurso, estão equipadas com rede Wi-Fi durante o voo, oferecendo acesso a mais de 370 mil clientes por dia.

A Delta já completou a instalação da tecnologia Wi-Fi por satélite de primeira geração da Gogo, equipada com satélite de banda KU, em toda a sua frota internacional de aeronaves de fuselagem larga, incluindo Boeing 747, 767, 777 e Airbus A330, além do Boeing 757, que opera em rotas de longa distância.

Tags, , , ,

Primeiras aeronaves KC-390 serão entregues em 2018

A Força Aérea Brasileira vai receber duas aeronaves KC-390 até o final de 2018, resultado de uma parceria entre FAB e a Embraer. A informação foi passada durante coletiva sobre o programa, realizada durante a LAAD Defence & Security no Rio de Janeiro. O diretor do programa KC-390 na Embraer, Paulo Gastão Silva, deu detalhes sobre o andamento do projeto e explicou que o contrato, assinado em 2014, prevê a entrega de 28 aeronaves deste tipo ao longo de 12 anos.

Um dos aviões, o primeiro da série a ser entregue, está em fase de montagem da fuselagem e da asa. O segundo já foi iniciado. Além disso, atualmente, dois protótipos estão sendo usados para ensaios e, juntos, acumulam mais de 900 horas de voo. “Os resultados dos ensaios confirmam as previsões do projeto. Nossos testes são realizados em conjunto com a Força Aérea Brasileira e o Exército”, explicou Gastão Silva.

O diretor ressaltou, ainda, que durante as simulações nenhum acidente foi registrado e que o desempenho da aeronave é diferenciado e tem sido elogiado pelos militares brasileiros. Os próximos passos no planejamento do programa KC-390 incluem a continuidade dos ensaios de certificação para sistemas e performance. Um dos protótipos deve ser levado para o Paris Air Show também.

Sobre uma variante civil do avião, Gastão Silva disse que a ideia sempre fez parte dos planos do programa. ‘Esse interesse já vem se concretizando e devemos competir também nessa fatia de mercado. Mas não posso dar mais detalhes’, finalizou.

Presente na coletiva, o presidente e CEO da Embraer Defesa e Segurança, Jackson Schneider, adiantou que a entrega das duas aeronaves para o próximo ano vai acontecer em etapas. Um avião chega no primeiro semestre de 2018 e o próximo no segundo semestre do mesmo ano. Para 2019, ele contou que três aviões encontram-se em desenvolvimento

Tags, , , , , , ,

A NATS, provedora de controle de tráfego aéreo do Reino Unido, escolhe a Rohde & Schwarz para implementar seu segundo sistema de voz

A NATS escolheu o sistema de comunicações por voz baseado em IP R&S VCS-4G da Rohde & Schwarz como seu segundo sistema de voz para suas comunicações de controle de tráfego aéreo (ATC — air traffic control) no espaço aéreo do Reino Unido. Dentro do contexto da iniciativa Céu Único Europeu (SES — Single European Sky), a NATS irá modernizar toda sua infraestrutura de administração de tráfego aéreo (ATM — air traffic management) nos próximos anos. O diretor de Administração da Cadeia de Suprimentos da NATS, Tim Bullock, explica: “A NATS controla mais de 2,4 milhões de voos por ano. Nossos sistemas precisam ser flexíveis e capazes de lidar com altas cargas de trabalho, para garantir operações efici entes às companhias aéreas e seus passageiros. Encontramos na Rohde & Schwarz uma parceira inovadora e confiável. Nós a integramos à equipe colaborativa de fornecedores que se associaram a nós nessa jornada de transformação da ATM para a implementação do sistema SESAR”.

A Rohde & Schwarz irá começar a implementação do segundo sistema de voz em 2017. A empresa irá fornecer resiliência avançada para comunicações por rádio baseadas em voz no espaço aéreo do Reino Unido. Os centros de controle de tráfego aéreo em Swanwick e Prestwick, bem como o centro corporativo e técnico da NATS em Whiteley, serão todos equipados em uma implementação por fases que será concluída em 2020. O pedido inclui a entrega, implementação e suporte vitalício de mais de 450 posições de trabalho de controladores (CWP — controller working positions) R&S VCS-4G. Até 1.700 rádios e várias linhas terra-terra serão conectadas ao sistema.

Conforme o tráfego aéreo se torna mais cheio, há uma demanda crescente por realocação de recursos flexível, baseada em carga, ao mesmo tempo que assegura um controle do tráfego aéreo eficiente e sustentável, atendendo os mais altos padrões de segurança. A Rohde & Schwarz vence esse desafio com o R&S VCS-4G totalmente baseado em VoIP, com uma arquitetura distribuída e redundante.

Tags, , , , ,

Airbus seleciona 50 equipes para quinta competição global Fly Your Ideas

400

Um recorde de 5.499 alunos de todo o mundo se inscreveram para participar da quinta edição da Fly Your Ideas da Airbus, o desafio global para alunos organizado em parceria com a UNESCO.

Um grupo de 60 inovadores e especialistas da Airbus e avaliou as ideias submetidas por 356 equipes de 89 países. O rigoroso processo de avaliação aconteceu em diferentes locais da Airbus na França, Alemanha, Espanha e Reino Unido, com 50 equipes de alunos selecionadas para chegar à segunda fase da competição, que se inicia em janeiro de 2017.

A competição é liderada por equipes registradas na região da Ásia-Pacífico. As 50 equipes compreendem 202 alunos representando 38 nacionalidades diferentes. Com 52% das equipes tendo uma mescla de homens e mulheres, dois terços de todas as equipes possuem algo de diversidade, por exemplo, com membros vindo de países diferentes ou que estudam assuntos distintos. Isso reflete o comprometimento à diversidade da Airbus, que encara isso como um propulsor essencial à inovação e ao sucesso.

As ideias inovadoras das 50 equipes escolhidas incluem carrinhos de bagagem robotizados, assentos para passageiros que permitem embarque fora da aeronave, novas soluções para melhor aproveitamento da energia e aplicações de realidade virtual.

“A Fly Your Ideas é única, e estamos orgulhosos do envolvimento dos funcionários da Airbus em toda a empresa, que apoiam a competição, quer como avaliadores, mentores ou especialistas”, declara Charles Champion, vice-presidente executivo de engenharia da Airbus. “Estamos oferecendo aos alunos uma oportunidade rara de interagir diretamente com especialistas sênior de todos os setores de negócios da empresa. Em troca, esses especialistas vão se beneficiar da interação direta com talentos de todo o mundo, todos compartilhando da mesma paixão por um dos setores mais empolgantes do mundo.”

Cada uma das equipes tem 100 dias para refinar e desenvolver suas ideias. As cinco primeiras equipes que chegarem à terceira fase passarão uma semana no “ProtoSpace” localizado no sede da Airbus em Toulouse a fim de fazer um protótipo, testar e visualizar suas ideias usando equipamentos modernos com a orientação personalizada da Airbus. A equipe vencedora receberá um prêmio de 30.000 euros, o segundo lugar 15.000 euros, em um evento de premiação em maio de 2017.

A partir de janeiro de 2017, as 50 equipes vão começar a desenvolver suas ideias e compartilhar atualizações quanto ao seu progresso com fotos, esboços e histórias publicadas em www.airbus-fyi.com.

Tags, , , , ,

Delta e GOL promovem a inovação do turismo aéreo em Hackathon no Brasil

A Delta Air Lines (NYSE: DAL) e sua parceria brasileira, GOL Linhas Aéreas Inteligentes, estão patrocinando neste ano o Hackathon realizado pela Associação Brasileira de Agentes de Viagens (ABAV). A competição brasileira reúne jovens especializados em tecnologia para participarem de uma maratona de programação na qual irão desenvolver soluções destinadas para o setor de turismo. O evento desafia os grupos a criarem soluções digitais para aprimorar a experiência e a interatividade entre agentes de viagens e seus clientes.

unnamed

A competição será realizada entre os dias 28 e 30 de setembro durante a ABAV Expo Internacional de Turismo, a feira de turismo mais completa, tradicional e importante do Brasil, na qual a Delta e suas parceiras GOL, KLM e Air France patrocinam o espaço da Ilha Corporativa. Esta área busca atender à crescente demanda do setor de viagens de negócios, incentivando a troca de experiências com os gestores de viagens de empresas de diversos setores que estarão presentes no evento.

“A importância de nossa parceria é oferecer aos talentosos jovens uma experiência que é divertida, envolvente e que fornece a eles oportunidades para demonstrarem seus talentos, ” disse Luciano Macagno, diretor da Delta para o Brasil. “A Delta e a GOL são líderes da indústria na expansão da experiência do cliente por meio da utilização de tecnologia e inovação. Estamos muito empolgados para oferecer oportunidades para os jovens alcançarem o sucesso e caminharem em direção à realização de seus sonhos. ”

A Delta concederá aos vencedores do Hackathon cinco passagens para Orlando, Flórida, pois a companhia aérea possui um voo diário e direto para a cidade a partir do Brasil. A GOL oferecerá passagens domésticas para o segundo colocado. Os vencedores serão selecionados por uma comissão julgadora.

Tags, , , , , ,

Avianca Brasil é a primeira empresa aérea da América do Sul com internet a bordo

view.aspx

A Avianca Brasil é a primeira companhia aérea da América do Sul com internet a bordo. A empresa obteve em junho aprovação da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) para instalação dos equipamentos necessários e, em 19 de setembro, recebeu a autorização para utilizar a conexão via satélite.

O serviço é fornecido em parceria com a Global Eagle Entertainment (GEE), uma das líderes mundiais em conteúdo e conectividade via satélite. Os passageiros da Avianca Brasil podem usar seus dispositivos eletrônicos pessoais, como laptops, smartphones e tablets, para acessar internet, enviar e receber mensagens por aplicativos e por e-mail. O uso adicional da tecnologia SpeedNet, exclusiva da GEE, proporciona uma experiência única de navegação por satélite.

“A paixão das pessoas em voar Avianca Brasil é o que nos move. Nós dedicamos, de verdade, muito esforço e atenção na busca por novas formas de surpreender positivamente nossos clientes. Hoje, temos muito orgulho de apresentar nossa companhia como a pioneira da América do Sul na oferta de um serviço de conectividade a bordo. É mais um marco da nossa inovação”, destacou José Efromovich, presidente do Conselho da Avianca Brasil.

“Nossa larga experiência como um dos maiores fornecedores de conectividade e entretenimento de bordo em todo o mundo, juntamente com as nossas tecnologias patenteadas, darão aos passageiros da Avianca Brasil uma experiência de internet no ar sem precedentes”, acrescentou o Abel Avellan, presidente da GEE.

O serviço de conectividade será gratuito durante os três primeiros meses. Durante esse período, a companhia fará pesquisas juntos aos clientes, a fim de garantir que as características do produto atendam plenamente às necessidades dos usuários. “Nosso principal objetivo ao oferecer internet a bordo é aprimorar cada vez mais a experiência de viagem dos clientes, que, atualmente, já encontram em nossas aeronaves opções de entretenimento, amplo espaço entre poltronas e serviço de bordo incomparável”, destacou Efromovich.

A Avianca Brasil iniciou o projeto em dezembro de 2014. A modificação das aeronaves será feita gradualmente, com conclusão prevista até dezembro de 2017.

Tags, , , , , , , ,

Embraer é eleita pela segunda vez consecutiva a indústria que mais produz valor aos stakeholders

Ranking da Dom Strategy Partners analisou resultados, reputação,
competitividade e risco

A Embraer é eleita pela segunda vez consecutiva a companhias do setor industrial que mais produz valores tangíveis e intangíveis aos seus stakeholders, conforme aponta a edição 2016 do ranking Mais Valor Produzido (MVP) Brasil, desenvolvido pela consultoria nacional DOM Strategy Partners.

Com o objetivo de avaliar a capacidade das instituições em gerar e proteger valor não apenas para si, mas também para seus clientes, consumidores, acionistas, funcionários e sociedade, o levantamento mensurou ativos como Eficácia da Estratégia Corporativa, Resultados Gerados, Crescimento Evolutivo, Valor das Marcas, Qualidade de Relacionamento com Clientes, Governança Corporativa, Sustentabilidade, Gestão de Talentos, Cultura Corporativa, Inovação, Conhecimento, Grau de Transformação e Uso das Tecnologias Digitais, dentre outros.

O CEO da DOM Strategy Partners, Daniel Domeneghetti, explica que neste ano o desafio do estudo foi entender como o mercado industrial se comunicou com os seus principais públicos diante da crise econômica, uma vez que o setor teve um recuo 9,1% no primeiro semestre de 2016, de acordo com dados do IBGE. “Se compararmos os resultados de 2015, a Embraer teve um queda na média deste ano por
conta da economia estagnada que impactou diretamente na fluidez da comunicação com os seus stakeholders, mantendo-se na liderança”, explica o executivo.

A Embraer neste ano teve a pontuação de 8,06, nove décimos a menos do que em 2015. A Duratex, segundo lugar também no ano passado, saltou de 7,92 para 8,02. A Philips entra no lugar da Gerdau e estreia no ranking em terceiro lugar com 8,01. Outra estreante, a Votorantim, ocupa o quarto lugar com 7,92. A vaga era da Fibria na última edição, que neste ano ficou na quinta posição, fechando o MVP com a nota 7,90.

Para viabilizar a pesquisa, a consultoria se apoiou na metodologia EVM (Enterprise Value Management), tática que defende a tese de que o valor produzido pelas empresas, tanto gerado, como protegido, seja este tangível ou intangível, é agregado (ou destruído) e materializado (quantificado) em função da percepção de valor apreendida e tangibilizado pelos stakeholders.

O levantamento e o resultado analítico também uniu uma série de interações, pesquisas e monitorias feitas pela DOM com os diferentes públicos das empresas mais relevantes dos setores. Já a resposta
sobre capacidade de cada empresa gerar e proteger valor para si e para esses públicos foi feita a partir da quantificação das quatro dimensões que definem o Valor Corporativo de uma companhia:
Resultados, Reputação (definida como Credibilidade/Imagem), Competitividade e Riscos.

Tags, , , , ,

Diretor de TI da Delta: “Este é o momento de transformar a tecnologia em uma vantagem competitiva”

Criado em Mumbai na Índia, Rahul Samant aprendeu cedo o valor de trabalho árduo e humildade.

“Cresci em uma família de classe média, vivendo em uma casa de 35 metros quadrados com meu pais e um irmão mais velho. Éramos, sem dúvidas, uma família próxima”, brinca. “Mas o que nos faltava em bens materiais, sobrava em amor e humor”.

Após se formar em engenharia eletrônica pela Universidade de Mumbai, Samant se mudou para Londres para trabalhar como programador de software. Foi a primeira vez que estava longe de casa e a sua primeira vez em um avião.

“Foi um choque cultural e eu tive que amadurecer rapidamente”, disse Samant.

Conforme ele começou a crescer na carreira profissional, os valores ensinados por sua família tornaram-se uma força orientadora, lembrando-o constantemente onde havia chegado e do futuro que havia sonhado em construir.

“Sempre soube que queria ser o diretor de TI de uma grande empresa, portanto conduzi minha carreira profissional nesta trajetória”, lembra ele.

Após 23 anos atuando no setor financeiro no American International Group (AIG) e Bank of America, Samant começou a trabalhar na Delta em fevereiro, um caminho que ele nunca imaginou, mas que diz que tem sorte por ter encontrado.

No AIG, Samant era diretor digital, responsável pela estratégia digital de toda a empresa, incluindo o desenvolvimento de programas para engajamento de clientes, novos modelos de negócios e processos operacionais digitalizados. Antes do AIG, trabalhou em diversas posições no Bank of America, incluindo um período de dois anos como diretor de TI na divisão de gestão patrimonial da empresa e outros três anos como o diretor de TI para canais dos clientes.

Trabalhando há apenas seis meses na Delta, Samant recebeu a ligação que todos os diretores de TI temem: os sistemas de TI caíram, impactando operações em todo o mundo. Pelas próximas 72 horas, ele liderou a equipe de TI da Delta durante os esforços para a recuperação e assegurou que uma falha como esta nunca ocorreria novamente.

Antes desta ligação, Samant já havia começado a trabalhar nos estágios iniciais de uma longa transformação de TI em infraestrutura, aplicativos, cibersegurança e dados – partes vitais de cada aspecto da experiência dos clientes e funcionários.

Em uma entrevista recente para o Delta News Hub, o novato na indústria de aviação compartilhou suas percepções sobre seu novo cargo, quais são os outros líderes em tecnologia que o inspiram e como um de seus projetos preferidos tornou-se um trabalho real.

unnamed-53

Delta News Hub: Qual é o papel da tecnologia em uma companhia aérea como a Delta?

Samant: A Delta é a companhia aérea mais confiável do mundo e o setor de TI desempenha um papel fundamental em manter as aeronaves voando de maneira segura e sendo pontuais. Estas são coisas fundamentais.

A interrupção operacional que enfrentamos recentemente demonstra o quanto é importante um alicerce sólido e reforçado de TI para a nossa operação. Toda a equipe de liderança está comprometida em assegurar que isto não ocorra nunca mais na Delta.

Ter uma sólida infraestrutura de TI é essencial para alcançar nosso objetivo de melhorar a experiência de nossos clientes do começo ao fim, de uma maneira envolvente e ininterrupta. Portanto, continuamos a entregar cada vez mais funcionalidade diretamente aos nossos clientes por meio dos canais móveis e web, ao mesmo tempo que equipamos nossos funcionários com as ferramentas necessárias para entregar o melhor atendimento ao cliente na indústria.

Nunca deixo passar a oportunidade de conversar com um comissário de bordo sobre a funcionalidade de seu tablet SkyPro ou seguir os agentes de solo para verificar como o novo rastreamento de bagagens RFID está sendo implementado. Sempre busco novas maneiras para me infiltrar nos processos internos da nossa operação. E conforme a tecnologia se transforma, nós vamos ouvir, aprender e atender as necessidades de nossos clientes e funcionários.

DNH: Qual é o projeto mais importante que está trabalhando ou que está focado neste momento?

Samant: Aqui na Delta, embarcamos em uma longa jornada com diversas fases para transformar o setor de TI e oferecer uma experiência mais confiável para nossos clientes e funcionários.

Nossa missão tem dois lados. Queremos tornar a tecnologia uma fonte de vantagem competitiva para a Delta, não apenas como uma função de apoio, mas também como uma parceira de escolha que não é utilizada somente em caso de necessidade. Também estamos focados em contratar novos talentos e em manter uma força de trabalho extremamente qualificada. Finalmente, nosso objetivo é mesclar aqueles com conhecimento na indústria da aviação com os que possuem experiência em tecnologias modernas, como Cloud, API e dispositivos móveis.

Em maio, a Delta lançou o Comfort+, uma classe com poltronas que contêm mais espaço para as pernas e amenidades adicionais como cerveja artesanal e vinho cortesias. Oferecer este tipo de tarifa para compra requer que a Delta mude os aplicativos móveis e para a web, assim como os sistemas de reservas, atendimento ao cliente, entre outros.

Em abril, lançamos nossa nova e aprimorada intranet para os funcionários, a Deltanet, que com o tempo será um ponto de entrada único para uma ampla variedade de recursos

Além disso, a Delta implementará diversos projetos interessantes no setor de TI até o fim do ano, incluindo o “Flight Family”, focado em aprimorar a comunicação durante o processo de embarque e o lançamento de nossas novas rotas para Cuba.

O projeto de comunicação “Flight Family” tem como objetivo aprimorar a eficácia da comunicação por meio de um sistema de mensagens entre as equipes que trabalham juntas para conseguir que os voos sejam sempre pontuais. Este projeto piloto incluirá como participantes comissários de bordo, agentes de portão, funcionários de operações e do atendimento ao cliente em voos selecionados.

O lançamento do serviço para Cuba é outro importante projeto na lista de tarefas do setor de TI. As pessoas às vezes não sabem o trabalho que é necessário para lançar uma nova rota, desde aplicativos de hardware e software até a conectividade para instalar estações de trabalho em diversos aeroportos. É muito demorado e o setor de TI participa de todo o processo.

DNH: O que você acha que torna um líder bem-sucedido? Como você descreveria seu estilo de liderança?

Samant: Liderança consiste em impulsionar a mudança, especialmente em nosso mundo dinâmico. Para liderar bem, é necessário invocar o compromisso e inspirar.

Meu estilo se baseia em três princípios básicos. Primeiro, valorizo a humildade e a sinceridade

Segundo, vivo por três conceitos – confiança, transparência e trabalho em equipe.

Terceiro, eu lidero as pessoas e gerencio o trabalho. Quando você faz o oposto, arrisca tornar-se um líder em microgerenciamento. O mais importante em uma jornada transformadora, como a que estamos embarcando, é criar uma visão realística de nossa companhia aérea baseada em uma tecnologia confiável, consistente e inovadora, alinhar a equipe com esta visão e torná-la parte da jornada para o sucesso.

DNH: Qual foi o maior desafio ou dificuldade em sua carreira e como fez para superar isto?

Samant: Em 2008, trabalhava como diretor de TI para a divisão de gestão patrimonial do Bank of America e estava responsável pela integração de uma aquisição. Apesar de verificações rigorosas terem ocorrido, a conversão da conta foi um desastre. Muitas razões levaram a isto, mas eu como líder, assumi toda a responsabilidade.

Liderei os esforços de recuperação e reuni nossos colegas na área de negócios e as equipes de TI e operações para resolvermos os problemas, conta por conta. No momento, me situava em Boston mas tive que me mudar para a cidade de Nova York durante dois meses, até que a situação estivesse sob controle.

DNH: Qual é sua maior conquista e como ela te influenciou?

Samant: Em 1998, como parte de um projeto final para o meu MBA na Wake Forest University, pesquisei e escrevi um trabalho recomendando que a empresa na qual trabalhava naquele momento, Bank of America, globalizasse suas operações de TI. Pelos próximos 24 meses, distribui o projeto para diversos executivos em níveis muito mais altos que o meu.

Finalmente, encontrei um patrocinador que me ofereceu ajuda e pediu para transformar meu projeto em um trabalho de período integral. Quando terminei de implementar o novo programa, tínhamos uma rede global de centros integrados em três continentes diferentes.

Mais ou menos, foi como se fosse um empreendedor e catalizador de mudanças em uma grande empresa Fortune 500. Tive acesso a diversas disciplinas em toda a empresa, de financiamentos transfronteiriços a contratações de recursos humanos ou transações imobiliárias…e eu era apenas um funcionário de TI com 30 e poucos anos!

DNH: Que palavras de sabedoria e conselhos de carreira você gostaria de transmitir aos outros?

Samant: Nunca coloque sua carreira no piloto automático. Se seus objetivos não forem claros, você nunca saberá qual caminho deve tomar e é possível que nunca se sinta satisfeito em seu trabalho.

E quanto aos contatos, qualidade supera a quantidade. Invista naqueles relacionamentos e conseguirá estes contatos com o tempo. Lembre-se, para criar uma rede de contatos é necessário alimentá-la quando você não precisa, não o contrário.

Veja a entrevista completa em http://news.delta.com/diretor-de-ti-da-delta-este-o-momento-de-transformar-tecnologia-em-uma-vantagem-competitiva

Tags, , ,

64% dos executivos do setor aeroespacial e de defesa esperam crescer nos próximos dois anos, aponta pesquisa da KPMG

De acordo com a edição recente da pesquisa Panorama Global do Setor Aeroespacial e de Defesa (Global A&D Outlook), 64% dos entrevistados estão confiantes ou muito confiantes em relação às previsões de crescimento das empresas nos próximos dois anos. O estudo foi produzido pela KPMG com 76 executivos seniores desses setores do mundo inteiro.

Segundo o estudo, o panorama ainda é mais otimista para as fabricantes originais de equipamentos de aeronaves e as empresas contratadas para prestar serviços para o setor de defesa. Cem por cento dos respondentes de organizações de maior porte (com receitas anuais globais de mais dez bilhões de dólares) parecem confiantes nas estratégias de crescimento. Ainda de acordo com o levantamento, 41% delas dizem que o crescimento será uma das prioridades no topo da lista nos próximos dois anos. Um percentual mais alto do que os 13% observados no ano anterior.

“A pesquisa também nos mostra como as empresas vão buscar esse crescimento, já que a gestão de custos e desempenho ainda é um tópico em alta na pauta das organizações dessa indústria”, afirma o sócio do setor aeroespacial e defesa (A&D) da KPMG, Marcio Peppe.

O executivo destaca que, segundo o levantamento, 81% dos participantes estão focados em aprimorar a gestão de custos e desempenho. “Isso indica que muitas organizações estão investindo de modo mais orientado ao crescimento em novas tecnologias e serviços enquanto enfatizam a redução e a consolidação de custos. Os líderes precisarão expandir as organizações, experimentar novas abordagens e unir-se a novos parceiros que possam ajudá-las a explorar essas oportunidades de modo mais rápido e com maior relação custo-benefício”, analisa Peppe.

Novos serviços

O Panorama Global do Setor Aeroespacial e de Defesa aponta que 87% dos respondentes planejam mudar a gama de produtos que oferecem nos próximos dois anos, sendo que, dentre eles, 47% farão investimentos significativos para lançar um ou mais novos produtos no mercado.

Dessa forma, investimentos em pesquisa e desenvolvimento (P&D) vão crescer. Trinta por cento dos entrevistados disseram ter gasto 6% ou mais das receitas com P&D no ano passado e agora 45% dizem que irão gastar no mínimo esse mesmo valor nos próximos dois anos. “O mais impressionante ainda é o fato de que 20% deles disseram que irão gastar mais de 10% das receitas em P&D nos próximos dois anos. Façamos uma comparação com o percentual de 2014, ano em que nenhum deles indicou ou previu um índice de gastos com P&D maior do que 10%”, afirma o sócio da KPMG.

Novos mercados

A pesquisa mostrou que mais de 90% dos respondentes do setor A&D dizem ter planos de expansão para novos mercados nos próximos dois anos. Adicionalmente, quase 30% dos participantes dizem que as estratégias de investimentos estrangeiros são influenciadas principalmente pelo desejo de aproximar-se do cliente e obter acesso a novos mercados.

“Como as economias continuam em ritmo lento e os orçamentos do setor de defesa estagnados nos mercados desenvolvidos, muitas organizações do setor A&D estão atualmente à procura de novos mercados estrangeiros para gerar nova receita. Além da busca pelo crescimento da receita, a redução dos custos com fabricação é um grande fator influenciador”, analisa Peppe.

Riscos e inovação da cadeia de suprimentos

Devido a uma transição para novos produtos e novos mercados, o levantamento mostra que a falha da cadeia de suprimentos continua a ser vista como um grande risco para as organizações do setor A&D, com 87% dos respondentes citando-a como uma grande ameaça à concretização da pauta de crescimento da empresa. Os riscos da cadeia de suprimentos foram classificados como o segundo maior risco enfrentado pelas fabricantes do setor A&D, atrás somente das preocupações com uma ameaça de outra recessão econômica. “A melhor forma de reduzir o risco de falha da cadeia de suprimento é obter uma maior visibilidade de ponta a ponta e gerenciá-la de modo multidisciplinar e mais profundo”, afirma Peppe.

Quase dois terços (64%) dos entrevistados disseram ter planos para investir em detecção de demanda para aprimorar as operações das cadeias de suprimentos e 60% dizem que investirão em análise de dados. Além disso, 32% dos respondentes disseram que investiriam em tecnologias de IoT (internet das coisas) na cadeias de suprimentos. “As organizações mais avançadas estão pensando em como podem combinar dados da tecnologia de detecção com fontes de dados externas para criar um valor ainda maior para os clientes e oportunidades de crescimento mais sustentáveis para si mesmas”, finaliza o executivo.

Sobre o estudo

O relatório tem como base uma pesquisa realizada com 76 executivos seniores do setor de A&D, sendo que metade deles está localizada na Europa e 21% nas Américas. Mais de 30%vdos entrevistados representam empresas com receitas anuais globais de mais de 5 bilhões de dólares e 8% representam organizações com receitas de mais de 25 bilhões de dólares. Você pode fazer o download do A&D Outlook na íntegra em https://home.kpmg.com/xx/en/home/insights/2016/07/kpmg-2016-aerospace-defense-outlook.html

Tags, , , , ,

Aplicativo inovador da Delta ajuda pilotos a visualizarem e evitarem turbulências

unnamed-49

A turbulência é um fenômeno que sempre incomodou pilotos em todo o mundo e de acordo com o estudo Weather Accident Prevention Project da NASA (estudo para prevenção de acidentes relacionados a condições meteorológicas, em inglês), as turbulências custam aproximadamente US$ 100 milhões às companhias aéreas todos os anos. Ela também é responsável por incomodar clientes e a tripulação de bordo e, em alguns casos raros, pode até causar pancadas nas pessoas a bordo.

Prever quando e onde ela irá acontecer e a intensidade da turbulência é algo muito difícil, mas a Delta desenvolveu um novo aplicativo líder de indústria que está ajudando os pilotos a visualizarem e evitarem as turbulências.

Lançado em abril, o aplicativo Flight Weather Viewer da Delta oferece aos pilotos gráficos de turbulências e previsões em tempo real na cabine de comando.

“A Delta pode se beneficiar de uma convergência de tecnologia acessível (por exemplo, tablet, dados meteorológicos aprimorados e conectividade de aeronaves) para desenvolver uma maneira inovadora de informar condições climáticas aos pilotos”, disse o capitão Steve Dickson, vice-presidente sênior de Operações de Voo. “Esta abordagem permite que nossas tripulações tomem decisões informadas para um voo mais seguro, uma operação mais eficiente e uma melhor experiência aos passageiros”.

O aplicativo, desenvolvido em parceria com a empresa Basic Commerce and Industries (BCI), permite que pilotos conectem seu plano de voo e visualizem onde a turbulência está e como ela será encontrada em um mapa colorido 3D e escala 0-100.

O sistema utiliza algoritmos especiais de sensores aviônicos instalados em mais de 300 aeronaves da frota da companhia aérea, para combinar dados dos acelerômetros verticais com dados do estado atmosférico, incluindo fatores como inclinação, rotação e velocidade do vento, gerando relatórios sobre as turbulências. Estes relatórios são enviados para modelos de previsões e ficam disponíveis no aplicativo em tempo real. Pilotos podem mandar alertas de ameaças durante a sua rota, o que aciona notificações em áudio e visuais, sinalizando quando uma área de turbulência se encontra à frente, quando a sinalização de cinto de segurança deve ser acesa e quando a cabine necessita de atenção.

A grande diferença entre o aplicativo da Delta e tecnologias similares é que os dados são personalizados por tipo de aeronave, afinal uma turbulência afeta uma aeronave 737 de fuselagem estreita de maneira diferente de uma muito maior, como o A330. O aplicativo também está disponível em tempo real, graças à conectividade rápida e segura da rede de wi-fi de bordo da Gogo, em vez do tradicional sistema digital ACARS que está em atuação desde o final dos anos de 1970.

Tradicionalmente, antes do voo os pilotos recebem instruções sobre condições climáticas previstas. Estas instruções incluem relatórios de pilotos, também conhecidos como PIREPS, com informações limitadas, subjetivas e às vezes até desatualizadas. Como os tablets (ou bagagens de voos eletrônicas) substituíram gráficos de papel e manuais, os pilotos têm utilizado aplicativos na cabine de voo. A Delta começou a trabalhar com seus tablets Microsoft Surface em 2013.

Os pilotos da Delta se voluntariaram para testar o aplicativo desde janeiro e muitos disseram que ele iria transformar a indústria.

“O aplicativo Flight Weather Viewer se tornou uma ferramenta valiosa. É o aprimoramento mais incrível de conhecimento de situações durante o voo desde o desenvolvimento da cabine de comando de vidro e do FMC (computador de gerenciamento de voo)”, disse o co-piloto Jason Rice. “As previsões são precisas, os relatórios são objetivos e indicam condições reais, e a funcionalidade do aplicativo torna o acesso às informações muito mais fácil… Nós avançamos muito em relação à segurança e conforto do passageiro”.

Despachantes de voos e a equipe de 25 meteorologistas da Delta também estão capacitados com esta nova e aperfeiçoada ferramenta, que oferece atualizações de alertas sobre riscos relacionados às condições climáticas em todo o mundo com maior frequência.

A Delta espera observar uma queda significante no número de lesões e manutenções provocadas por conta de turbulências.

Espera-se também que o aplicativo reduza a emissão de carbono da companhia aérea, pois os pilotos não precisarão utilizar mais combustível para alterar a velocidade ou altitude em busca de melhores condições climáticas. Esta abordagem única de oferecer relatórios e previsões sobre turbulências em tempo real à cabine de comando foi patenteada e reconhecida pelo NTSB (organização responsável pela investigação de acidentes aéreos), pela FAA (Administração Federal de Aviação) e pelo National Center for Atmospheric Research (Centro Nacional de Pesquisas Atmosféricas). Entre 2013 e 2014, a FAA ofereceu suporte a uma versão demo do aplicativo para validar esta nova tecnologia.

Atualmente, a Delta tem o algoritmo reportando turbulências instalado em sua frota de aeronaves 737 e 767 e planeja expandir para aeronaves maiores que fazem voos internacionais, ao adicionar à frota de 777 e A330 em um futuro próximo. Na fase dois do projeto do aplicativo, os desenvolvedores esperam adicionar detecção para diversos outros tipos de interferências climáticas, como raios, granizo e até mesmo cinzas vulcânicas.

Clique aqui para ver o infográfico da Delta sobre turbulências.

Tags, , , , , , , , ,

Olimpíada marca primeiro voo comercial do A380 para o Rio de Janeiro

view.aspx

m 22 de agosto, às 20h05, o primeiro voo comercial do A380 aterrissou no RIOgaleão – Aeroporto Internacional Tom Jobim. O voo da Air France entre Paris e o Rio de Janeiro foi especialmente programado em razão das Olimpíadas de Verão Rio 2016. A marca foi comemorada pelo aeroporto em uma saudação com jatos de água, na chegada da aeronave. O aeroporto ingressa na lista dos 230 aeroportos compatíveis com o A380 em todo o mundo.

O RIOgaleão oferece três posições de estacionamento que permitem a programação de futuras operações do A380. Como resultado de esforços contínuos para certificação nos últimos anos, quatro aeroportos na América Latina já estão prontos para receber as operações comerciais do A380 e comportar o crescimento do tráfego aéreo de longo prazo na região. Além do Aeroporto Internacional Tom Jobim, juntam-se à lista Aeroporto da Cidade do México Benito Juarez, o Aeroporto Internacional de Guarulhos-São Paulo e o Aeroporto Internacional de Cancun.

O A380 é a maior e mais espaçosa aeronave do mundo e oferece aos passageiros a viagem mais tranquila e silenciosa. Acomodando confortavelmente 544 passageiros em média em rotas de até 8.200 milhas náuticas, o A380 tem a capacidade única de gerar receita, estimular o tráfego e atrair passageiros. O A380 é a única aeronave com dois andares completos. Mais de 130 milhões de passageiros aproveitaram a experiência de voar a bordo de um A380. A cada três minutos, um A380 decola ou pousa em algum lugar do mundo.

Tags, , , , , , ,

Avianca Brasil é a primeira cliente do Airbus Smarter Fleet® Maintenance Mobility na América do Sul

view.aspx

A Avianca Brasil tornou-se a primeira cliente da América do Sul a optar pela “Airbus Smarter Fleet Maintenance Mobility”. Esta solução digital oferecerá uma visão completa do status da aeronave e das atividades de manutenção em toda a companhia, além de proporcionar mais eficiência aos mecânicos através de dados técnicos e itens acionáveis em dispositivos móveis. Desta forma, a Avianca Brasil será beneficiada pela otimização da comunicação, tomada de decisões e economias significativas.

O contrato inclui a integração dos serviços de Maintenance Mobility ao sistema de informações da companhia, bem como a hospedagem do software e dos dados por um período de cinco anos.

A implementação será realizada passo-a-passo com especialistas da Airbus, que estarão trabalhando in loco com a Avianca Brasil para disseminar a integração e gerenciar a mudança gradualmente. A Avianca Brasil se tornou cliente da Airbus em 2010, e hoje opera 40 aeronaves da Família A320 e um avião de carga A330.

O serviço Maintenance Mobility é apenas um dos diversos serviços oferecidos na plataforma em nuvem Smarter Fleet, desenvolvida pela Airbus em parceria com a IBM. Smarter Fleet Maintenance Mobility é um aplicativo web, composto por uma página da web (para o supervisor); aplicativos (para os mecânicos); e sincronizado em nuvem (Plataforma Smarter Fleet).

O Maintenance Mobility permite que os mecânicos da companhia aérea tenham acesso a todas as informações técnicas que precisam por meio de tablets, otimizando a comunicação e a tomada de decisões e, ao mesmo tempo, economizando tempo durante paradas programadas nas operações da companhia aérea. Graças à integração com os sistemas de informação da companhia, a solução oferece aos supervisores de manutenção um monitoramento em tempo real da progressão das atividades de manutenção de cada aeronave e o status operacional. Também inclui um navegador e-Doc, que permite acesso ao Manual de Manutenção da Aeronave (Aircraft Maintenance Manual – AMM), ao Catálogo de Peças Ilustrado (Ilustrated Parts Catalogue – IPC) ou à Lista de Equipamentos Mínimos (Minimum Equipament List – MEL) a partir de um dispositivo móvel.

Frederico Pedreira, Presidente da Avianca Brasil afirma: “Nós, da Avianca Brasil, somos focados na satisfação dos clientes. Oferecemos serviços de alta qualidade e operamos em linha com os melhores padrões e práticas do setor. Somos movidos pela inovação. A implementação do Maintenance Mobility nos permitirá ir além, utilizando as tecnologias mais recentes disponíveis em comunicação de manutenção”.

Didier Lux, Diretor de Atendimento ao Cliente da Airbus, comenta: “A Airbus está, mais uma vez, fazendo uso dos dispositivos móveis, bem como da tecnologia em nuvem, para digitalizar as operações de manutenção”. Ele completa: “A Airbus ajudará a garantir que os mecânicos da Avianca Brasil tenham acesso direto às informações específicas que precisarem, além de otimizarem o tempo gasto entre a aeronave e o escritório”.

Com mais de mil aeronaves já vendidas e uma lista de pedidos de mais de 450, a Airbus possui mais de 600 aeronaves em operação em toda a América Latina e Caribe. Desde 1990, a Airbus tem garantido mais de 60 por cento dos pedidos líquidos na região, tendo triplicado sua frota em operação nos últimos 10 anos.

Por meio do “Services by Airbus”, a Airbus oferece soluções completas para todo o ciclo de vida das frotas de seus clientes. Seu portfólio inclui desde serviços independentes até as mais completas soluções integradas, dentre elas os pacotes Flight Hour & Tailored Support, atualizações, treinamentos, soluções eletrônicas, engenharia e manutenção, operações de voo Air Traffic Management e serviços de gestão de materiais. Juntas, estas soluções aumentam a competitividade das aeronaves ao adaptarem-se constantemente às necessidades dos clientes. Com mais de 40 anos de experiência no setor de aeronaves e uma rede mundial de mais de 2,5 mil profissionais, os clientes se beneficiam do conhecimento e dos recursos únicos da Airbus e suas empresas afiliadas.

Tags, , , , , , , , ,

China Eastern Airlines escolhe a Worldpay para entrega de pagamentos globais

A quarta maior companhia aérea do mundo*, China Eastern Airlines (CEA), selecionou a Worldpay como seu principal provedor de pagamentos internacionais. Com o acordo, as taxas de aceitação de pagamento na lista crescente de sites da empresa subiu para mais de 90% nas semanas seguintes após implementação.

Atendendo a mais de 80 milhões de viajantes por ano, a CEA precisava de uma plataforma de pagamentos para ajudá-la a aumentar seus negócios internacionais e de longa distância, nos principais mercados mundiais, como os EUA, Ásia, Austrália e Europa. Como uma adquirente líder e com uma cobertura verdadeiramente global, a Worldpay foi idealmente posicionada para oferecer uma infraestrutura de pagamentos completa em 17 sites locais da companhia aérea. A estabilidade do sistema de pagamentos da Worldpay também trouxe benefícios imediatos para os negócios da CEA, que viu as taxas de aceitação de pagamento nos sites incluídos na primeira fase da implementação subir para mais de 90% pela primeira vez.

Após a conexão bem-sucedida da plataforma de pagamentos da Worldpay para os seus sites dos EUA, Canadá e Singapura, a CEA optou por antecipar a próxima fase de implementação em Hong Kong e nas Filipinas. Também nesses mercados, foi registrada uma alta de mais de 90% nas taxas de aceitação de pagamento. A solução da Worldpay está atualmente em 14 de websites locais da CEA. Atualmente, o processo de implementação na Coreia, Taiwan e Japão está na fase final, completando projeto este mês.

A Worldpay também oferece mais eficiência para que a CEA concorra com outras companhias aéreas globais, ao proporcionar dados valiosos de transações. Análise de dados da Worldpay na forma de taxas de aprovação de pagamento e métodos de pagamento preferidos dos clientes estão desempenhando um papel central em ajudar a CEA a melhorar o serviço que oferece aos viajantes, obtendo uma visão melhor da sua jornada de pagamento. O alcance global da Worldpay e o trabalho realizado com múltiplas moedas também mostra que a CEA está bem preparada para oferecer uma experiência de pagamento excelente para os passageiros em novos território on-line, usando uma solução que vai permitir que os passageiros comprem passagens usando seus métodos de pagamento locais preferidos, tais como Alipay ou PayPal.

“Na China Eastern Airlines, a nossa visão global é oferecer ao crescente número de viajantes de todo o mundo, um serviço excepcional, que começa no momento em que o consumidor entra no nosso site até o momento em que a viagem é finalizada. A experiência de pagamento on-line que oferecemos é uma parte crítica de fornecer as boas-vindas e garantir a confiança que nossos clientes exigem antes de voar. Estamos muito satisfeitos que nossa parceria com a Worldpay tenha sido tão bem sucedida até agora e estamos ansiosos para trabalhar ainda mais com eles, à medida em que o nosso negócio cresce”, disse um dos porta vozes da CEA.

Juan D’Antiochia, gerente geral da Worldpay para a América Latina concluiu: “O crescente poder econômico da Ásia, juntamente com o aumento das viagens na região, significa que operadoras como a China Eastern Airlines estão em um ótimo patamar para se juntar ao clube global de companhias aéreas reconhecidas. Ao ajudar a proporcionar grandes experiências de eCommerce, aliadas aos dados e conhecimentos que necessitam para melhorar continuamente os seus serviços, estamos ajudando a China Eastern Airlines a utilizar sua plataforma de pagamentos como uma fundação para cumprir suas ambições globais.”

* De acordo com o ranking companhia aérea CAPA (Centro de Aviação), pelo número de assentos em 2015.

Tags, , ,