Tag Avanade Brasil

Pesquisa global: líderes empresariais estão otimistas em relação ao aumento da força de trabalho criada pela automação inteligente

Empresas devem adotar a automação inteligente nos próximos três anos caso queiram se diferenciar pela inovação. Essa é uma das conclusões de uma pesquisa global encomendada pela Avanade, consultoria líder em soluções digitais inovadoras. O levantamento, realizado com 400 executivos C-Level e 400 tomadores de decisão em TI, também indica que metade dos líderes globais, ao contrário do senso comum, acredita que a automação inteligente aumentará a força de trabalho humano, ao invés de substituir empregos.

“Na realidade, muitas empresas já estão experimentando um forte aumento na produtividade a partir da automação inteligente, que oferece uma nova oportunidade para superar a concorrência”, afirma Rodrigo Caserta, Country Manager da Avanade Brasil.

Entre os entrevistados, 79% reconhecem que a resistência interna à tecnologia de automação inteligente é um inibidor para a sua implementação. No entanto, os líderes empresariais devem superar as questões culturais para impulsionar o crescimento futuro.

Outros dados da pesquisa:

31% das organizações já estão usando automação inteligente e a previsão é que, até 2020, o dobro das empresas adote esta tecnologia;

86% dos líderes empresariais globais acreditam que sua organização deve implantar a automação inteligente nos próximos cinco anos para tornarem-se líderes em seus setores;

De acordo com alguns líderes empresariais globais, os principais benefícios da automação inteligente serão a produtividade (50%) e um melhor time-to-market (45%);

Quase metade dos líderes empresariais globais (43%) acredita que a automação inteligente possibilitará que mais trabalhadores estejam disponíveis para concentrar em tarefas complexas e, sobretudo, em inovação.

A pesquisa também alerta que é preciso adotar novas habilidades para permanecer relevante no setor de automação. Quase dois terços (60%) dos líderes empresariais pesquisados acreditam que a compreensão de tecnologias novas e emergentes, como a Inteligência Artificial, e a capacidade de gerenciar uma força de trabalho especializada, serão mais importantes para a competitividade nos próximos cinco anos do que as especializações tradicionais, como vendas e marketing.

Segundo Rodrigo Caserta, “os líderes reconhecem o potencial de automação inteligente para acelerar a produtividade, gerando mais valor nos dados e informações, e liberando o funcionário de tarefas repetitivas para se concentrar em atividades que exigem intervenção humana e/ou valor agregado, como a inovação”.

“Para permanecerem relevantes, os líderes precisam ampliar sua visão de automação, e devem educar os funcionários sobre o enorme potencial de se gerar novas capacidades nos âmbitos prossissional e pessoal. Os líderes mundiais já ultrapassaram o fator medo na relação entre humanos e máquinas. Agora, os funcionários precisam ser estimulados.”, afirma Caserta.

A Avanade recomenda que os líderes tenham um roteiro no local para ajudar a orientar as conversas de alto nível, bem como as discussões em relação ao que significa a automação inteligente para a força de trabalho.

A automação inteligente foi definida para os entrevistados como uma forma de inteligência artificial onde as máquinas simulam a aprendizagem, a tomada de decisões e as ações dos seres humanos por meio da inteligência habilitada pelos serviços avançados de análise e cognitivos. Exemplos de automação inteligente incluem chat bots, reconhecimento de objeto / voz e processamento de linguagem natural.

Para ter acesso à pesquisa completa, visite: Avanade – Automação Inteligente

Sobre a Pesquisa Global

A pesquisa online da Avanade foi realizada entre maio de 2017 e junho de 2017 pela Wakefield Research (www.wakefieldresearch.com), empresa de pesquisa independente. Foram pesquisados 400 executivos de C-Level e 400 tomadores de decisão de TI nos EUA, Reino Unido, Austrália, Canadá, Itália, Alemanha, Japão e Suécia. Um total de 3.000 consumidores (1.000 por mercado) também foi pesquisado na Alemanha, Estados Unidos e Reino Unido.

Tags, ,

Pesquisa global mostra como as tecnologias móveis e sociais mudam os processos B2B de vendas

Empresas pagam até 30% a mais em produtos ou serviços que melhorem a experiência do cliente; mais de 80% das companhias brasileiras entrevistadas estão integrando sistemas CRM para Mídias Sociais

A Avanade, fornecedora global de soluções de tecnologia de negócios e serviços gerenciados, divulga os resultados de uma pesquisa global sobre a mudança do processo de vendas e padrões de compra de negócios e tomadores de decisão de TI. A mais recente pesquisa da companhia mostra que o movimento de “consumerização” está mudando o processo de vendas – que vai além do controle do vendedor, à medida que os compradores corporativos começam a ter os mesmos comportamentos dos consumidores finais. Com esta mudança, o valor da experiência do cliente é ainda mais importante do que o preço dos negócios.

No Brasil, este processo ainda está em andamento, já que as organizações estão apenas começando a se preocupar mais com a eficácia das soluções que estão comprando do que com o preço. “Localmente, em geral, a ação de compra de produtos e soluções de TI ainda é feito especialmente por equipes de compra. Para eles, o preço é extremamente importante e reduzir os custos é o objetivo principal”, explica Marcelo Serigo, CTIO da Avanade Brasil.

Destaques

• Agora, a experiência do cliente é um dos fatores mais importantes no processo de decisão de compra. Os clientes corporativos, incluindo os brasileiros, estão dispostos a pagar até 30% a mais por um produto ou serviço que ofereça uma melhor experiência do cliente.
• As empresas não têm mais controle sobre as informações compartilhadas a respeito de seus produtos ou serviços. Por isso, 61% dos tomadores de decisão nas empresas afirmam que sites de terceiros e feedback de parceiros de negócios, companhias do setor ou canais sociais são mais importantes do que as conversas com as equipes de vendas na tomada de decisão de compra de alguma solução de negócio. No Brasil, esse tipo de decisão é feita com base em conversas diretas com equipes de vendas (60%); pesquisa online entre os sites de especialistas (53%); feedbacks de colegas (35%) e os parceiros da rede (50%); e canais sociais da empresa (40%).
• Há três anos, o relacionamento com o cliente baseava-se em serviços de atendimento ao cliente e Call Centers. Hoje, as organizações estão recrutando novas pessoas e departamentos para gerenciar a experiência do cliente, funções realizadas principalmente pelas áreas de TI e Marketing.
• 70% dos entrevistados da pesquisa pensam que a tecnologia vai substituir a interação humana com os clientes nos próximos 10 anos. No Brasil, este número é de 80%.
• Para se antecipar à mudança, as empresas vêm fazendo novos investimentos em tecnologia, ao alterar os processos de negócio e redesenhar funções organizacionais, por exemplo. Mais de 80% das organizações mudou pelo menos um processo de negócio nos últimos três anos com o objetivo de interagir de maneira mais efetiva com os clientes. As organizações brasileiras pesquisadas estão investindo em vendas e tecnologia de apoio como o Customer Relationship Management – CRM (88,6%), os dispositivos móveis (40,9%) e os meios de comunicação social (63,6%) e de aplicativos móveis (29,5%).

“A ‘consumerização de TI’ está transformando radicalmente as formas tradicionais com que as organizações vendem produtos e serviços para outras empresas e consumidores”, diz Mick Slattery, Vice-Presidente Executivoda linha de serviço global da Avanade. “Os modelos B2B e B2C de compra estão se fundindo. Não é mais business-to-business ou business-to-consumer, é business-to-all, ou seja, negócios para todos. Aquelas que compreendem o novo perfil dos clientes estão criando relacionamentos mais lucrativos a longo prazo”.

Este novo estudo global baseia-se em resultados de pesquisa Work Redesigned da Avanade, realizada em janeiro de 2013. As empresas líderes estão mudando seus processos de negócios para se adaptar a um novo estilo de trabalho influenciado por dispositivos móveis, ferramentas de colaboração e tecnologias sociais. Neste último estudo, a Avanade descobriu que as empresas líderes estão modificando os processos de negócios para se adaptar a um novo estilo de trabalho, influenciado pela mobilidade, ferramentas de colaboração e tecnologias sociais para atingir o novo comprador de negócios. A partir disso, é possível observar o aumento das vendas e tecnologias de apoio (44%), de funcionários que interagem com os clientes (40%) e da adição de automação para o processo de vendas (32%).

Essas mudanças trazem benefícios. A pesquisa mostra que as empresas que investem em tecnologia para oferecer um melhor serviço ao cliente e modificar papéis internos veem resultados positivos e aquelas que, de fato, realizam essas mudanças estão experimentando o aumento da fidelização de clientes (61%), das receitas (60%) e da base de clientes (60%). Clique aqui para tuitar.

O estudo também apoia as conclusões do relatório High Performers in IT: Defined by Digital, da Accenture, que constatou que as empresas de TI com alto desempenho estão focadas em alavancar as tecnologias digitais para melhorar a experiência do cliente. Enquanto que três dos principais objetivos de negócios de alto desempenho referem-se a melhorar essa prática, por outro lado, outras organizações se concentram principalmente na redução de custos e aumento da produtividade.

Para saber mais, visite: http://avana.de/CustJourney.

Tags, , , , , , , ,