Tag Argentina

PageGroup: aumenta a confiança dos executivos brasileiros em promover novas contratações de funcionários

Os executivos brasileiros estão mais otimistas para fazer novas contratações de funcionários neste ano. É o que revela o Estudo de Perspectivas de Carreiras e Profissões LATAM 2017, desenvolvido pelo PageGroup, consultoria líder mundial em recrutamento executivo especializado, que opera com as marcas Page Executive, Michael Page, Page Personnel e Page Interim na região. De acordo com a pesquisa, 22% apostavam na expansão do quadro de empregados em 2016. Neste ano, 29% acreditam nessa possibilidade.

De acordo com Patrick Hollard, diretor executivo do PageGroup para as LATAM, África e Oriente Médio, os resultados refletidos na pesquisa estão ligados à melhora do cenário econômico na região. “Os executivos estão mais confiantes com as perspectivas econômicas no Brasil e na América Latina. Com essa confiança em alta, aumentam as possibilidades de vermos novas contratações de empregados em alguns mercados e setores. Essa retomada da confiança é um ótimo indicador de que as empresas devem retomar seus investimentos e a expansão do quadro funcional é parte desse processo”, analisa.

Participaram do levantamento, realizado em dezembro do ano passado, 6.437 executivos que ocupam cargos de média e alta gestão no Brasil, Argentina, Chile, Peru, Colômbia e México.

latam1

Peru lidera a expectativa de contratações

O Peru é o país onde mais da metade dos respondentes (51%) afirmam que pretendem contratar mais funcionários em 2017. O percentual aumentou 10 pontos em relação à pesquisa anterior (41%). A busca por mais empregados também será mais intensa na Argentina (46% X 37%), Colômbia (45% X 42%) e Chile (30% X 26%). A exceção ficou por conta do México, onde diminuiu o interesse por novas contratações – caiu de 54% em 2016 para 47% neste ano.

“O México passa por um momento de desaceleração e isto está refletido no resultado. Nos demais países o clima de otimismo é maior”, explica Patrick Hollard.

Áreas com possibilidade de contratação no Brasil

– Vendas
– Operações
– Logística
– Tecnologia da Informação
– Finanças

Áreas com possibilidade de contratação na América Latina

– Operações
– Vendas
– Tecnologia da Informação
– Marketing
– Logística

Executivos do Brasil e Colômbia lideram investimento em qualificação técnica

Outra parte do levantamento procurou entender quais são as prioridades dos trabalhadores em seu plano de carreira. Executivos de Brasil e Colômbia aparecem na liderança para investir em qualificação técnica, com 13%. Logo na sequência aparecem Peru (12%), México (9%), Argentina (6%) e Chile (5%).

Quando o assunto é trocar de emprego, quem aparece na dianteira são os argentinos, com 47% de intenções de buscar novas oportunidades no mercado e no mesmo setor (23%) e buscar oportunidades em um setor diferente (24%). Em seguida aparecem os mexicanos, com 39% de intenção de mudança, e os colombianos, com 31%. Os brasileiros aparecem na quarta posição, com 31%, seguidos por chilenos (29%) e peruanos (26%).

A promoção na carreira é o item que desperta menos interesse para peruanos (5%) e brasileiros (6%). O interesse é maior por parte dos executivos consultados na Colômbia (7%), Chile e Argentina (8%) e México (11%).

Emprego

A crise também reflete no mercado de trabalho. Para 72% dos entrevistados pelo PageGroup, não haverá redução de postos de trabalho. Na América Latina, esse índice de contratação está mais favorável. Pouco mais de um terço (37%) das companhias pretendem contratar neste ano. E 80% informaram que não vão reduzir o quadro de funcionários.

Na América Latina, esse índice de contratação está mais favorável. Pouco mais de um terço (37%) das companhias pretendem contratar neste ano. E 80% informaram que não vão reduzir o quadro de funcionários.

Possibilidades de cortes nas áreas de Operações e Contabilidade/ Finanças no Brasil superam a média na América Latina
A pesquisa mostra se haverá redução de equipe no primeiro semestre deste ano. Para 83% dos respondentes, não haverá.

Ao promover o recorte por área, foi possível identificar os setores mais prejudicados pelas demissões:

latam2

No Brasil, o levantamento apontou que as áreas de Operações e Contabilidade/ Finanças estão mais vulneráveis a reduções de quadro que a média verificada nos demais países da América Latina. Em Operações esse percentual chega a 75% e no setor de Contabilidade e Finanças, 43%.

latam3
Confiança em alta
A confiança dos executivos latino-americanos em uma recolocação se mantém em alta. Do total consultado, 12% estão desempregados e, deste universo, 72% estão confiantes ou muito confiantes para conseguir uma oportunidade de trabalho nos próximos seis meses. No Brasil os resultados capturados foram semelhantes a este.

Executivos elegeram os grandes desafios para 2016

– Desenvolver estratégia para melhorar os resultados (25%)
– Ganhar mercado em um ambiente altamente competitivo (15%)
– Enfrentar problemas econômicos/ manter a produtividade (11%)
– Reter e desenvolver talentos na empresa (9%)
– Manter os colaboradores motivados/ enfrentar dificuldades (9%)

Dos profissionais consultados na pesquisa, 51% são de empresas multinacionais e 49% de companhias locais e ocupam postos de observação privilegiados. Desse total, 22% atuam em companhias com faturamento superior a US$ 1 bilhão, 15% em empresas com faturamento até US$ 1 bilhão, 24% em empresas com faturamento de até US$ 500 milhões e, por fim, 39% estão alocados em empresas com faturamento de até US$ 100 milhões. Hierarquicamente estão divididos em CEO ou diretor geral (6%), vice presidentes (7%), diretores (17%), gerentes executivos (18%), gerentes (28%) e outros cargos (24%).

Tags, , , , , , , , ,

Novo sistema de cabos de fibra ótica submarinos vai conectar Argentina e Brasil, com conectividade subsequente com os EUA

1 (2)

A Seaborn Networks (Seaborn), uma desenvolvedora, proprietária e operadora líder em sistemas de cabos submarinos e o Grupo Werthein (Werthein), uma proeminente empresa argentina de holdings com um histórico de importantes holdings em telecomunicações, anunciou o acordo vinculativo para a construção de um novo sistema submarino de cabos de fibra ótica conectando a Argentina e o Brasil (o sistema ARBR). O sistema ARBR fornecerá conectividade subsequente via Seabras-1 para a rota mais direta entre a Argentina e os Estados Unidos.

O sistema ARBR será de propriedade e desenvolvido pelo Seabras Group (um afiliado da Seabras) e do Werthein. A Seabras é a única proprietária do sistema submarino completo de cabos Seabras-1 entre Nova York (EUA) e São Paulo (Brasil), o qual foi desenvolvido e é operado e de propriedade da Seaborn Networks, juntamente com os fundos administrados e/ou assessorados pelo Partners Group, um gestor de investimentos globais de mercado privado com um total de US$57 bilhões em ativos sob gestão. A Seabras vendeu capacidade no Seabras-1 para uma ampla variedade de empresas de telecomunicações de pequeno e grande porte e para outros clientes através de direitos irrevogáveis de uso (IRUs) ou de locação a curto prazo. Além de ser a operadora do Seabras-1, a Seaborn será tam bém a operadora do sistema ARBR. Os cabos do sistema ARBR + Seabras-1 representam um projeto de acima de US$575 milhões.

“Estamos muitos satisfeitos em anunciar nosso contrato com o Grupo Werthein para a construção e operação do sistema ARBR”, disse Larry Schwartz, presidente e CEO da Networks e do Seabras Group. “O projeto responde à demanda substancial do mercado argentino por uma capacidade internacional maior em um sistema de próxima geração enquanto oferece também o primeiro modelo independente de operadora para uma rota crítica de cabos submarinos.”

Oscar Aguad, ministro de comunicações da Argentina disse: “A Argentina precisa de uma modernização global da infraestrutura de comunicações e esse primeiro sistema independente de cabos submarinos é um passo muito importante em direção a isso. Estamos a caminho da transformação econômica do país. Esse grande projeto é o resultado das novas regras do jogo que promovemos, as quais, ao fornecer previsibilidade e segurança legal, possibilitam as condições necessárias para as empresas investirem em grande escala em projetos novos no país.”

“Considerando-se que o último sistema de cabos submarinos da Argentina ao Brasil foi construído há dezesseis anos, aliado ao fato de esta ser a rota principal para as comunicações de voz e dados entre a Argentina e o resto do mundo, essa nova rota independente já chega com atraso”, disse Dario Werthein do Grupo Werthein.

A nova estação terrena do sistema ARBR no Brasil será a existente estação terrena de cabos Seabras-1 na Praia Grande (Brasil), possibilitando assim a próxima conectividade direta para Nova York no Seabras-1. A estação terrena para o ARBR na Argentina está prevista para ser localizada em Las Toninas ou próximo do local. O ARBR consistirá de um sistema de cabos de quatro pares de fibra com uma capacidade inicial máxima de design de 48 Tbps e a data de conclusão prevista para o segundo semestre de 2018.

Tags, , , , , , , ,

Stefanini completa 20 anos de operação na Argentina e cresce 40% em 2016

A Stefanini, uma das mais importantes provedoras globais de soluções de negócios baseadas em tecnologia, comemora 20 anos de atuação na Argentina, sendo a primeira filial da companhia fora do Brasil. Apesar das taxas de inflação acima de 25% ao ano e da retração do câmbio, a Stefanini manteve sua visão de longo prazo e continuou investindo na região, o que permitiu crescer 40% em 2016.

Atualmente, a subsidiária argentina conta com 300 funcionários e 44 clientes ativos, que são atendidos pelos escritórios de Buenos Aires e Córdoba. “A Stefanini Argentina tornou-se um fornecedor bem-sucedido nas operações de TI e nos processos de negócios com clientes internacionais, mantendo o mesmo nível de qualidade e atendimento, independente do tamanho da empresa”, afirma Marcelo Ciasca, CEO da Stefanini na América Latina.

Para o próximo ano, a Stefanini Argentina espera manter seu crescimento de forma sustentável. “Nossa expectativa é positiva porque o país atingiu um padrão elevado na oferta de soluções de infraestrutura, internet de alta velocidade, penetração dos smartphones e utilização das redes sociais, beneficiando a indústria da terceirização”, comenta Ciasca.

De acordo com Damian Mendez, diretor geral da operação na Argentina, a Stefanini possui vasta experiência no fornecimento de soluções neashoring, alavancando operações maduras de prestação de serviços em todo o continente americano. “O fuso horário da Argentina tem pequena diferença do fuso de Nova York, o que facilita ajustes de turnos para coincidir com a carga horária de trabalho dos clientes”, ressalta.

“Queremos que o cliente tenha a mesma experiência, independente de onde o contrato foi fechado. Nossa meta é que ele nos reconheça, cada vez mais, como um parceiro estratégico, capaz de oferecer soluções inovadoras que poderão transformar seus negócios, garantindo maior eficiência operacional, menos custos e uma experiência diferenciada em todos os países em que atuamos”, enfatiza Marco Stefanini, CEO Global do Grupo Stefanini.

Tags, , , ,

Comércio Brasil-Argentina: agenda positiva em vez de discutir problemas

Para estimular uma agenda positiva nas relações comerciais entre Brasil e Argentina, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), promove nesta terça-feira (08/05), em sua sede, a Rodada de Negócios Brasil-Argentina. O evento, que prossegue até o final da tarde, reúne representantes de 330 empresas argentinas e 270 indústrias brasileiras.e acordo com o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, a realização deste encontro atende a um pedido da presidente da Argentina, Cristina Kirchner, por meio de representantes dos ministérios de Relações Internacionais, Economia e Indústria Argentina durante uma visita do presidente da Fiesp ao país vizinho, em fevereiro. “Somos vizinhos e sempre seremos vizinhos. Em vez de discutir os problemas, estamos com uma agenda positiva. Nós temos que buscar o maior equilíbrio no comércio e eliminar barreiras. Tem que haver uma relação de amizade e camaradagem. O objetivo de todo este trabalho é o de eliminar os problemas que existem nas relações comerciais Brasil e Argentina”, avaliou Skaf. Leia mais…

Tags, , , , , ,