Tag aplicativos móveis

Startup brasileira participa de programa de incentivos da Microsoft

A startup Greengow Technology agora conta com o apoio do BizSpark, programa criado pela Microsoft para apoiar startups através da oferta gratuita de produtos e serviços. A parceria inclui a tecnologia da Microsoft Translator, que está inserida no algoritmo de tradução “push-to-talk” do aplicativo Greengow que permite usuários falar em tempo real em até 10 idiomas diferentes.

A plataforma foi recentemente lançada na versão beta no Brasil, e é o único aplicativo que foi projetado nativamente para ser um tradutor de chamadas de voz em tempo real. “Usando a plataforma não é necessário comprar nenhum acessório para funcionar e funciona em qualquer modelo de smartphone, tanto para plataforma iOS ou Android. É possível se comunicar com uma pessoa do seu lado, ou localizada a milhares de quilômetros de distância, bastando estar conectado à internet.”, diz Carlos Tanaka, CEO da companhia.

Estabelecimentos comerciais podem disponibilizar o número Greengow para seus clientes de qualquer lugar do mundo se comunicarem, sem mais a barreira do idioma e sem custo de ligação. “Hotéis, restaurantes, parques, clubes, lojas podem agora oferecer o número Greengow para seus clientes, e dessa forma, aumentar suas vendas ou mesmo, melhorar a qualidade de atendimento permitindo a comunicação em uma mesma chamada em idiomas diferentes. Todas as informações destes estabelecimentos ficam disponíveis para consulta dos usuários Greengow.” explica Tanaka.

“Nós estamos realmente orgulhosos em apoiar o Greengow via BizSpark e também animados sobre o impacto que este extraordinário aplicativo pode trazer para cidadãos de todo o mundo, ajudando a construir pontes através do uso de novas conexões da Microsoft Translator que antes não eram possíveis”, diz Alessandro Jannuzzi, diretor de inovação e novas tecnologias da Microsoft Brasil.

Tags, , , , , , , , , , ,

Aplicativo garante agilidade em promoção de Dia dos Namorados

As conhecidas promoções de Dia dos Namorados promovidas pelos shoppings agora contam com a tecnologia para acabar com as filas na hora de trocar as notas fiscais por cupons. Os clientes dos shoppings da Sonae Sierra Brasil podem baixar o aplicativo Chega de Fila e participar dos sorteios com poucos toques na tela do celular e ainda garantir cupons em dobro.

Utilizar o aplicativo é simples. Basta fazer o download na App Store ou na Google Play (disponível para smartphones com os sistemas operacionais iOS e Android, respectivamente), fotografar suas notas fiscais e preencher um rápido formulário com os dados pessoais. O cadastro das notas também pode ser feito pelo site www.chegadefilapromo.com.br. Para estimular ainda mais a participação pelo aplicativo e site, os shoppings darão cupons em dobro para os consumidores digitais! A novidade faz parte do projeto SSB Digital Experience, que tem o objetivo de levar experiências digitais aos shoppings.

A PROMOÇÃO
Realizar sonhos é o objetivo da promoção de Dia dos Namorados dos empreendimentos da Sonae Sierra Brasil, que acontece até 15/06. Intitulada Sonho Real, a campanha sorteia barras de ouro para os consumidores. Participam os quatro shoppings da capital paulista – Boavista, Campo Limpo, Penha e Plaza Sul –, além do Shopping Metrópole, em São Bernardo do Campo; o Franca Shopping, em Franca; o Tivoli Shopping, em Santa Bárbara d’Oeste; o Parque D. Pedro Shopping, em Campinas, e o Manauara Shopping, em Manaus.

Já em Londrina, O Boulevard Londrina Shopping sorteia um automóvel RAV4 e 30 minigeladeiras retrôs. O Uberlândia Shopping premia com um carro Mini-Cooper e dois kits com TV e home-theather, e o Passeio das Águas Shopping, de Goiânia, com duas Pajeros.

Para participar, basta o cliente trocar seus cupons fiscais nos valores estipulados por cada empreendimento (entre R$ 250,00 e R$ 300,00).

Tags, , , ,

Três dicas para (não) estragar a estratégia de aplicativos móveis da sua empresa

Por Quinton Wall*

Boa parte dos aplicativos móveis corporativos percorrem um longo caminho antes de serem considerados grandes sucessos. Infelizmente, os apps muitas vezes falham repetidamente pelas mesmas razões, com organizações deixando de ver os problemas antes que seja tarde demais. Logo, a adoção dos usuários cai, e os aplicativos de sombra (aqueles não aprovados pela TI) tornam-se comuns, e o negócio começa a sofrer.

Com isso em mente, aqui estão três erros comuns que estragarão o aplicativo móvel da sua empresa – e como evitar que isso aconteça.

1. Dar aos usuários exatamente o que eles pedem

Comece encontrando o seu melhor analista de negócio e passe algumas semanas compilando uma lista de requisitos para seu aplicativo. Depois de ter uma boa ideia do que você precisa, faça uma solicitação de proposta (RFP) e procure um fornecedor que não entende como funciona seu negócio para implementar o aplicativo.

Assim, você se sente confiante de que o app será um enorme sucesso: você entrevistou partes interessadas, criou uma especificação funcional baseada em processos existentes e anotou tudo. Como isto poderia falhar?

Eu tenho uma palavra para você: repetição. Quantas vezes você pediu exatamente o que queria em um restaurante apenas para ficar desapontado quando recebeu o pedido? Esse mesmo sentimento de arrependimento acontece o tempo todo com os aplicativos móveis.

Em vez de gastar semanas ou meses reunindo os requisitos, identifique rapidamente o MVP (Minimum Viable Product, ie, algo que atenda os requisitos mínimos) e disponibilize um app já funcionando – e rápido! Uma vez que o aplicativo é liberado, peça a seus usuários um feedback. Incorpore esse feedback. Lance o aplicativo novamente e novamente. Não só o seu aplicativo não será ruim, mas seus usuários vão sentir que participaram dele.

2. Modele seu aplicativo com base em um processo de negócio existente

E se eu dissesse para você anotar o que faria se precisasse encontrar o número de telefone, endereço e horário de funcionamento de um restaurante específico no centro de uma cidade – mas sem acesso à internet? Louco, né? Então, por que criar aplicativos móveis corporativos modelados sobre processos já existentes?

Seus usuários provavelmente não gostam de processos quando eles têm um teclado completo e uma cadeira confortável para inserir informações. Então os forçar a fazer em um teclado projetado para pixies será ainda mais doloroso.

Aqui está um exemplo: os motoristas de entrega muitas vezes tem dificuldade em encontrar o endereço certo na primeira visita. Com o processo existente, os condutores adicionam uma descrição da localização no sistema. Com os dispositivos móveis, no entanto, o motorista pode tirar uma foto do local e marcá-lo no GPS. O processo mobile é completamente diferente e mais eficiente, e os motoristas podem concluí-lo muito mais rapidamente.

Experimente essa tática para evitar a armadilha comum na construção de aplicativos móveis baseados em processos existentes: divida um quadro em três colunas verticais. As classifique em Processos de Negócios, Mobile-First e Novas Oportunidades. Na primeira coluna, desenhe o processo existente em um diagrama de fluxo. Na segunda coluna, desenhe linhas a partir do diagrama de fluxo para as etapas que poderiam ser reimaginadas com mobile e as inclua na coluna Mobile-First.

Finalmente, na terceira coluna, com base em suas ideias para o fluxo Mobile-First, anote todas as novas oportunidades de aplicativos ou processos de negócio que este novo processo oferece. Usando o exemplo de motorista de entrega já citado, o fato de que o motorista tenha marcado o local como apartamento significa que as entregas podem ser sinalizadas, por exemplo, como “apenas embalagem fina” para permitir que o motorista deslize a entrega sob a porta e evite que entregas futuras faltem ao cliente, mesmo que eles não estejam em casa.

3. Verifique se o aplicativo realmente não está ligado ao seu negócio

Se você realmente quer estragar o seu aplicativo móvel, faça um app que cria ou atualiza dados em um único sistema, mas força o usuário a editar posteriormente os dados ou adicionar mais informações para que sejam parte de um processo mais amplo.

Você não quer que seu aplicativo móvel seja separado de seus processos de negócios e incapaz de atualizar seus sistemas centrais. Você quer que os dados de aplicativos móveis sejam parte contínua da experiência empresarial – o que eu gosto de chamar de empresa UX (User Experience – ou experiência do usuário, em tradução).

Estou constantemente vendo organizações lançarem novos aplicativos móveis incríveis para a visualização de dados corporativos que são completamente desprovidas de empresa UX. Estes aplicativos permitem que os usuários exibam informações em movimento, mas os obriga a ir para outro sistema para atualizar dados. O que realmente acontece é que o seu processo de negócio é mais difícil agora do que era antes de você dar a seus usuários o novo aplicativo sofisticado.

Uma estratégia para evitar uma empresa UX ruim é a utilização de plataformas de nuvem e provedores, conectando com segurança os sistemas existentes para a nuvem como um hub de integração móvel. Então, construa seus aplicativos com esta nova plataforma como um ponto único de conectividade de aplicativos mobile.

Plataformas de nuvem falam em mobilidade – com APIs RESTful, transferências de dados eficientes e SDKs móveis nativas – para que seja possível criar uma grande empresa UX sem nunca gastar em ciclos de desenvolvimento caros atualizando sistemas legados.

Com frequência, vejo empresas condenarem seus aplicativos mobile. O motivo predominante é que eles se aproximam de aplicativos móveis da mesma forma que sempre trataram projetos: criando volumes de especificações de requisitos, não reimaginando processos para utilizar novas tecnologias, e não prestando atenção à experiência do usuário empresarial (ou enterprise UX experience).

Juntas, essas estratégias irão impulsionar qualquer plano de aplicativo mobile e – parabéns! – seu app estará quase dando errado.

*Quinton Wall é Diretor de Tecnologia de Plataforma da Salesforce.com

Tags, ,

IDG NOW: uso de aplicativos móveis cresceu 115% em 2013, diz pesquisa

O uso de aplicativos móveis cresceu mais 115% no mundo em 2013, de acordo com dados da empresa de pesquisas mobile Flurry.

Para chegar a esse número, a Flurry, que rastreia cerca de 400 mil aplicativos, leva em conta quando um usuários abre um app e inicia uma sessão.

Como esperado, pelo sucesso de aplicativos novos como WhatsApp e o SnapChat, que teria recusado uma oferta de 3 bilhões de dólares do Facebook, o setor de apps sociais e de mensagens foi o que mais cresceu em 2013 em relação ao ano anterior: 203%.

Em segundo lugar, aparece o segmento de apps de produtividade, com aumento de 149% no período. A Flurry também destaca o desempenho dos games, com crescimento de 66%. Já o setor de apps de notícias e revistas online aparece em último lugar, com crescimento de apenas 31% na temporada.

Outro lado

No entanto, como aponta o The Next Web, é preciso ficar atento a um ponto em meio a esse crescimento geral. Um porta-voz da Flurry ouvido pelo site afirma que a taxa de crescimento de downloads de apps pode estar diminuindo, “ainda que em uma base muito maior (de aplicativos)”.

Fonte: IDG NOW

Tags, , , ,

Aplicativos móveis: veja como foi o evento da Cenetic

A Central de Negócios de TI de Curitiba realizou evento sobre aplicativos móveis em parceria com a Universidade Positivo. Os participantes puderam acompanhar cases de de empresas como Mapway, Vitrina, Guia Unimed/Visionnaire, SnowMan Labs. Também houve palestra com Giuliano Morais, que apresentou tendências e ferramentas para desenvolvimento da IBM Brasil.

Tags, , , , , , , , , , , ,

Não perca,amanhã, o evento Aplicativos Móveis – Grandes Oportunidades

Nessa terça-feira, 26/11, acontece o evento “Aplicativos Móveis- Descubra Grandes Oportunidades. A realização é da Cenetic – Central de Negócios de TI de Curitiba em parceria com a Universidade Positivo e com apoio da Assespro-PR.

Acompanhe, a programação em http://cenetibr.acessotemp.net/eventos/ e uma entrevista em vídeo com Oscar Monteiro, presidente do conselho da Cenetic.

Tags, ,

CIO: Preste atenção nessas dicas para o projeto de aplicativo móvel

Fonte:CIO

Galen Gruman M., InfoWorld/EUA
Um bom design é importante para qualquer aplicação, apesar daquilo que as péssimas experiências de anos e anos nos levaram a acreditar. No contexto móvel, um bom design é ainda mais crítico, pois a tela pequena e o ambiente operacional instável tornam o uso ainda mais difícil.

O que os desenvolvedores podem fazer sobre isso? E o que os usuários procuram?

Conversei recentemente com Michael Griffith, diretor de criação da Bottle Rocket Apps, desenvolvedora de aplicativos móveis cujas aplicações incluem o bem concebido app da de notícias da NPR. Ele segue um conjunto de 10 princípios e recomendações que leva ao desenvolvimento de melhores apps – especialmente melhores aplicativos móveis.

Confira:

1. Não basta portar o que você tem para outras plataformas (iOS para Android, Web para iOS, Android para o BlackBerry, e assim por diante). A aparência deve honrar a plataforma de destino, que os usuários optaram por determinada razão. Além disso, os recursos também podem ser diferentes, com base no que a plataforma oferece.

Para aplicativos corporativos utilizados em vários contextos e dispositivos, Griffith observa que o grau de padronização deve ser maior do que em aplicações de consumo, assim os usuários podem fazer o que é conhecido em todos os dispositivos e reduzir o tempo de aprendizagem. Neste caso, a aplicação é o centro da experiência do usuário, mais do que o dispositivo.

Você ainda deve honrar os pressupostos fundamentais da interface de usuário da plataforma na hora de criar as interações básicas do aplicativo – como o acesso aos menus.

2. Tire proveito das restrições móveis (especialmente dos smartphones) para pensar criativamente.

3. Tire vantagem das capacidades móveis que não estão disponíveis em um PC. Por exemplo, use a câmera para tirar fotos ou serviços de localização para diminuir sugestões de busca. Use sensores, especialmente quando dados adicionais puderem ajudar a reduzir o esforço do usuário ou da aplicação.

4. Cuide da acessibilidade. É comum ver jovens designers usando pequenos textos e layouts apertados, difíceis de serem lidos e tocados com precisão por usuários mais velhos. Evite o efeito Retina, só porque agora existem pixels menores que fazem texto tecnicamente legível em tamanhos ainda menores. Se você já passou dos 35 anos de idade, sabe bem o esforço que os olhos humanos fazem para ler esse texto minúsculo. Ao contrário disso, ofereça opções de adaptação no seu projeto, como o ajuste de preferências de tamanho do texto. A nova API do iOS 7 deve reduzir a carga de codificação necessária para inclusão desse recurso em apps para iPhones e iPads.

5. Ao mostrar maquetes e protótipos para clientes ou usuários, procure fazê-lo no aparelho no qual o aplicativo será executado. PDFs ou Photoshops em uma grande tela de computador simplesmente não refletem o olhar e a sensação de um smartphone ou tablet, nem as interações. O que parece funcionar direito em uma tela grande com mouse e teclado podem ser horrível na pequena tela sensível ao toque de um dispositivo móvel. Da mesma forma, o que funciona bem em um dispositivo móvel pode funcionar mal em uma tela de computador, fazendo com que os usuários e clientes rejeitem boas opções.

6. Cuidado com metáforas. Há poucas metáforas gráficas universais com as quais você pode contar. Das imagens analógicas antigas (as telas de TV, controles de rádio, toca-fitas, câmeras, filmstrips, LPs, seletor giratório, luzes piloto e até CDs)muitas não são operacionalmente familiares para as gerações mais jovens, mesmo que eles possam tê-las visto em um filme antigo. Embora a teoria da iconografia permita um design mais universal, muitas das bases analógicas para os ícones estão se tornando menos e menos conhecidas, o que pode deixar os usuários mais confusos. Em várias situações o uso de texto pode ser melhor.

7. Cuidado com a simplificação, onde tudo (cor, peso, textura, e assim por diante) parece igual. Uma interface muito simples pode ser tão confusa quanto uma muito complexa.

8. Não sobrecarregue o app. Se você tem um monte de funcionalidades para fornecer, considere dividi-las em um conjunto de aplicativos relacionados, cada um deles focado em uma funcionalidade central. Essa opção pode ser difícil de explicar aos clientes, especialmente tendo em conta a pressão para “fazer mais” em cada revisão, mas é essencial que os aplicativos não se tornem inviáveis ou muito complexos. (Griffith sugere que você cite a máxima “liberdade de escolha é o que você ganha, liberdade de escolha é o que você quer” do icônico “Freedom of Choice”, música de banda Devo.)

9. Projete para diferentes graus de experiência. Usuários iniciantes devem sentir algo especial e imediatamente valioso quando usarem seu aplicativo. Usuários subsequentes devem descobrir mais facilidades de uso. Pessoas que usem o aplicativo regularmente ao longo do tempo devem começar a descobrir funcionalidades mais profunda para fazer algo ainda mais útil. O Flipboard é um bom exemplo dessa abordagem, segundo Griffith.

10. Use movimentos e transições para enriquecer a experiência do usuário, e empurre valor, em vez de forçar o usuário a procurar por ele. Deixe uma maneira de ir mais fundo para aqueles que sdesejam, em vez de sobrecarregar as pessoas com informações.

Tags, ,

Evento em Curitiba apresenta grandes oportunidades para quem quer trabalhar com aplicativos móveis

Dia 26 de novembro, na Universidade Positivo, você pode conhecer casos de sucesso de startups e empresas maduras que se especializam em aplicativos móveis. Vai saber também quais são as tendências e onde estão as oportunidades do mercado nos próximos anos com palestras de especialistas do setor.

O evento é voltado a empresários de TI e Comunicações, Agências de Publicidade, alunos universitários e associados da Cenetic – Central de Negócios de Tecnologia da Informação e Comunicações de Curitiba, responsável pela organização.

Nos próximos dias, você vai acompanhar notícias sobre o mundo móvel e sobre startups que nascem voltadas para crescer desenvolvendo aplicativos para smartphones, tablets e dispositivos de uso corporativo.

Para mais informações e inscrição:

http://cenetibr.acessotemp.net/eventos/

Tags, , , , , , ,

Nokia acelera inovação em aplicativos

Fonte: TechLider

A Nokia anunciou recentemente uma variedade de aplicativos para aumentar as experiências dos consumidores com as linhas Asha e Lumia. DreamWorks Animation, Flipboard, Electronic Arts, Vine e WhatsApp estão entre os desenvolvedores líderes que construíram novos apps para os mais recentes dispositivos Lumia com tela grande e para a linha Asha, incluindo o primeiro tablet da Nokia.

O aplicativo mais popular de compartilhamento de foto e vídeo, o Instagram, também foi anunciado hoje. Ele está chegando ao Windows Phone 8 já nas próximas semanas.

“Nossa última conquista é levar o Instagram para todos que quiserem usá-lo”, diz Kevin Systrom, CEO e co-fundador do Instagram. “Nós estamos ansiosos para ver a comunidade do Windows Phone nas próximas semanas usando o Instagram para capturar e compartilhar momentos”.

A Nokia também lançou seus próprios aplicativos, o Nokia Storyteller, o Nokia Video Diretor e o Nokia Beamer, aproveitando a mais recente inovação de imagem da Nokia e a integração profunda com HERE Maps para que os clientes possam capturar, compartilhar e reviver memórias como nunca antes.

“Cada vez mais, os consumidores estão demandando aplicativos de alta qualidade e com melhor usabilidade”, explica Bryan Biniak, vice-presidente de ecossistemas da Nokia. “Nós estamos trabalhando em conjunto com a Microsoft e desenvolvedores de diferentes partes do mundo para entregar uma experiência única de aplicativos, estendendo os limites da inovação para nosso ecossistema. Com os novos dispositivos Lumia e Asha, a Nokia permite aos desenvolvedores alavancar nossas mais recentes ferramentas para oferecer aos consumidores a melhor experiência com os aplicativos e ainda aumentar as receitas”.

Leia a reportagem completa.

Tags, ,

Aplicativos móveis: descubra oportunidades em evento em Curitiba

Dia 26 de novembro, na Universidade Positivo, você pode conhecer casos de sucesso de startups e empresas maduras que se especializam em aplicativos móveis. Vai saber também quais são as tendências e onde estão as oportunidades do mercado nos próximos anos com palestras de especialistas do setor.

O evento é voltado a empresários de TI e Comunicações, Agências de Publicidade, alunos universitários e associados da Cenetic – Central de Negócios de Tecnologia da Informação e Comunicações de Curitiba, responsável pela organização.

Nos próximos dias, você vai acompanhar notícias sobre o mundo móvel e sobre startups que nascem voltadas para crescer desenvolvendo aplicativos para smartphones, tablets e dispositivos de uso corporativo.

Sabia mais sobre o evento.

Tags, , , , , , , ,

Segmento de aplicativos móveis pode alavancar o setor de software e serviços

O mais recente estudo divulgado pela ABES (Associação Brasileira das Empresas de Software) com o IDC (International Data Corporation) apontou um horizonte bastante promissor para o mercado de TI nacional. O setor cresceu 41,6%, em 2012, e uma das expectativas da pesquisa é de que o Brasil seja o país que terá maior crescimento em investimentos em TI, em 2013. Crescemos 26,7% com o mercado brasileiro de software e serviços, em 2012, mas ainda continuamos respondendo apenas por 3% do mercado mundial, com um mercado formado por 86% de micro e pequenas empresas.

Apesar dos números positivos, o setor ainda tem muitos desafios a superar para manter sua evolução e tornar-se mais competitivo. Representando 42,2% dos investimentos em software no Brasil, em 2012, o segmento de desenvolvimento de aplicativos pode ser uma grande oportunidade para superar esse desafio.

Se avaliarmos a mensagem deixada pelo professor Eduardo Costa, consultor e diretor geral do ÁgoraLab, que esteve presente no ABES Software Conference 2013, em agosto, cujo o tema foi os “ Desafios e Oportunidade em Inovação e Fomento para a Indústria Brasileira de Software e Serviços”, entenderemos que a solução para iniciativas inovadoras de sucesso em TI está na compreensão das necessidades do cidadão para que a tecnologia seja colocada a serviço do ser humano.

Já somos um país de 265 milhões de aparelhos celulares, segundo dados da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) de junho deste ano. As vendas de smartphones no país subiram 110% no segundo trimestre, em relação ao mesmo período do ano passado, para 8,3 milhões de unidades, segundo levantamento do IDC Brasil. A grande demanda por esse “ device” gera um enorme fluxo de dados e com eles diversas novas necessidades dos usuários, maior oportunidade para as empresas se conectarem melhor e com novos públicos.

A recente publicação da portaria nº 87 do Ministério das Comunicações que prevê isenção de impostos sobre smartphones fabricados no Brasil, que contenham um pacote mínimo de aplicativos nacionais é um grande incentivo e oportunidade para os desenvolvedores nacionais.

Os números desse estudo apontam claramente para um mercado formado, em sua grande maioria, por pequenas empresas que necessitam de incentivo, suporte e um ambiente de negócios favorável para que possam crescer. Temos ainda um caminho longo pela frente, mas em contrapartida, contamos com um mercado em franca ascensão, com grandes demandas, que necessitam, fundamentalmente, de conhecimento local e experiência neste mercado para explorar qualquer oportunidade.

Jorge Sukarie, -presidente do Conselho da ABES e presidente da Brasoftware, um dos mais tradicionais revendedores de software, com mais de 26 anos de atuação no mercado brasileiro.

Tags, , , , , ,

Computerworld: aplicativos móveis corporativos devem faturar US$ 40 milhões em 2014

Fonte: Computerworld

O mercado de mobilidade corporativa deve movimentar cerca de US$ 40 milhões em 2014, segundo levantamento apresentado pela Tata Consultancy Services, em parceria com a Perfecto Mobile.

O estudo apontou ainda que metade das empresas está mudando sua forma de se relacionar com o mercado por exigência dos funcionários e 43% para aumentar a competitividade. Estes números mostram que muitas empresas já estão cientes da necessidade de reformular seus meios de atuação e interação com o cliente e o meio corporativo.

Leia a reportagem completa.

Tags

Visionnaire Informática desenvolve aplicativo para Guia Unimed Curitiba

Com mais de 570 mil clientes, a Unimed Curitiba busca o melhor da tecnologia para disponibilizar informações sobre a rede credenciada de médicos, clínicas, hospitais. Recentemente, lançou o Guia Unimed Curitiba, que pode ser consultado em tablets e smartphones. A novidade foi desenvolvida pela Visionnaire Informática. Acompanhe a reportagem em vídeo para o programa de tv Valor Agregado.

Tags, , , , , , , ,

Organizações priorizam tecnologia móvel para melhorar a eficiência de TI

Nessa segunda onda da revolução móvel que a sociedade está entrando, o destaque não são os dispositivos, mas sim o que será possível fazer com eles.

Com o intuito de mapear como essa transformação está acontecendo, a IBM publicou, recentemente, um estudo que mostra em que patamar a tecnologia móvel está presente dentro das corporações. A pesquisa “Colocando a mobilidade em primeiro lugar: melhores práticas dos líderes da tecnologia móvel” aponta que o nível de maturidade ainda é baixo, mas as organizações estão priorizando iniciativas de tecnologia móvel para melhorar a eficiência de TI.

O estudo revelou que 49% das empresas líderes na adoção de tecnologias móveis constataram aumento no desempenho dos negócios em relação aos seus concorrentes. Nas companhias que ainda não utilizam a mobilidade esse número foi de 26%. Em relação ao crescimento da receita, 26% das empresas que usam as tecnologias móveis disseram ter obtido expansão de 10% ou mais, esse bom resultado só foi sentido por 14% das marcas que não adotaram a mobilidade em seus negócios.

As empresas que investem na tecnologia móvel têm melhor produtividade de funcionários e interação com clientes, resultando na ampliação das vendas. O estudo também abordou quais as estratégias de planejamento, execução e gerenciamento que levam corporações à liderança. Alguns resultados apontados foram a integração da mobilidade na empresa, a otimização da infraestrutura móvel para acesso e desempenho, além do gerenciamento para obter segurança e eficiência, principalmente pela adoção ampliada da política de BYOD (bring your own device).
Para chegar aos resultados, foram ouvidos 361 executivos de TI de sete países, incluindo o Brasil.

Dentro do plano de expansão do portfólio de mobilidade estão inseridas as aquisições de dez empresas nos últimos quatro anos. O recente contrato assinado entre a IBM Brasil e a Apple permitirá à IBM vender diretamente aos seus clientes os produtos iPad, iPod e Mac com um pacote de serviços de mobilidade mais competitivo. Entre os serviços disponíveis para os equipamentos móveis estão a preparação e configuração dos dispositivos antes de serem entregues aos usuários finais; gerenciamento e controle remoto; e manutenção de hardware e software com gestão da garantia e inventário.

A IBM acredita que a mobilidade transformará a forma como muitos segmentos de negócios atuam, assim como a internet mudou totalmente segmentos como bancos, viagens e a saúde.

Tags, , , , , ,