Tag Analysys Mason

Telecomunicações continuam crescendo na América Latina e o Brasil pode voltar a ser o centro das atenções – Por Ricardo Claro

Um dos principais desafios dos próximos anos, dentro do ambiente digital, é atender a elevada demanda por uma comunicação de qualidade no Brasil. Neste sentido é necessário discutir a disponibilidade de infraestrutura de redes em determinadas regiões, os mecanismos e as tecnologias para expandi-la.

O setor de telecomunicações tem sido uma das forças motrizes da economia, pois permite a troca de informações, propiciando, negócios, parcerias, gerando recursos e impulsionando a economia. Para se ter uma ideia, o Brasil possui o quarto maior mercado de telecomunicações do mundo, atrás somente dos Estados Unidos, da China e do Japão. Só na América Latina, a previsão de receita para este setor é de US$ 167 bilhões, em 2017. O dado faz parte de um levantamento feito pela Analysys Mason, que também aponta para um aumento de 3,3% no setor, entre 2012 e 2017.

O advento da banda larga deixou a comunicação ainda mais rápida e os números crescem exponencialmente. De acordo com dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), foram 26 milhões de acessos de banda larga em maio deste ano, um aumento de 0,57% na base, comparado ao mês anterior. As grandes operadoras continuam registrando crescimento em suas bases de clientes, assim como, os provedores regionais que levam a internet à regiões distantes do Brasil.

Quando se fala em internet fixa, o serviço de fibra FTTH (Fiber to the home) tem se destacado na América Latina como a tecnologia de acesso que mais cresce, atingindo 5,1 milhões de conexões, segundo apontam dados do FTTH Council. E nesse cenário, o Brasil acumula um quarto deste total, com potencial de crescimento contínuo nos próximos anos. A tendência é que as operadoras do país sigam investindo na instalação de fibras e na melhoria dos serviços em regiões já abastecidas. Esses recursos vêm em parte das próprias empresas privadas e também em função de políticas públicas, como o programas para popularizar a banda larga na região.

Entre 2014 e 2015, a fibra óptica cresceu 31,61%, atingindo 1,44 milhão de assinantes conectados com esta tecnologia, de acordo com a Anatel. Apesar desta evolução contínua no mercado brasileiro, é preciso que o ritmo de instalação de novas redes FTTH seja continue acelerado, acompanhando as demandas da indústria, do comércio e das residências. A troca de dados, como os serviços de simetria de largura de banda (download e upload), cresce muito e, por isso, as fibras necessitam chegar a mais lugares, visando oferecer um serviço de maior qualidade propiciado hoje somente pelo acesso com fibra até a casa.

Temos um potencial gigantesco no setor de telecomunicações que precisa ser explorado na América Latina. São países com território extenso, ainda com baixa penetração da banda larga, com oportunidades de geração de negócios. E neste sentido, as tecnologias em fibra estão cada vez mais acessíveis, tornando o retorno financeiro possível para as grandes operadoras e os pequenos e médios provedores. Os serviços são os mais variados e as possibilidades, infinitas. É preciso continuar a inovar, conectando pessoas e negócios e, consequentemente, reduzindo distâncias, e os custos de instalação e operacionais. Sem dúvida, o Brasil vive um momento muito importante quando olhamos para esse tema e é preciso investir para atender a essa crescente demanda e oferecer, cada vez mais, serviços de qualidade para os clientes neste ambiente de alta competividade.

Ricardo Claro, Gerente de Marketing & Desenvolvimento de Mercado para América Latina da Corning Optical Communications

Tags, , , , , , , ,

Amdocs é apontada líder global em sistemas de Billing

A Amdocs (NASDAQ: DOX), líder no fornecimento de soluções de experiência do cliente, foi classificada por duas empresas analistas como a líder de participação do mercado global de sistemas de tarifação (billing). Ao analisar todos os sistemas e serviços relacionados à gestão de receitas, a Analysys Mason(*) estima em 26,7% a participação de mercado da Amdocs, quase três vezes o percentual do fornecedor classificado em segundo lugar, enquanto a Frost & Sullivan Stratecast(**) credita à Amdocs uma participação de mercado de 17%. A empresa tem mantido respectivamente nos últimos oito e sete anos consecutivos a sua liderança nos relatórios da Analysys Mason e da Stratecast.

Ambos os relatórios cobrem um período que antecede o fechamento pela Amdocs da recente aquisição de uma substancial maioria dos ativos BSS da Comverse e cobrem as duas empresas separadamente. No entanto, a Analysys Mason afirma que a aquisição fortalecerá ainda mais a posição da Amdocs no mercado e classifica a empresa como líder de participação de mercado no subsegmento de tarifação convergente, destacando um maior gasto das operadoras em plataformas convergentes, movido pela sua necessidade de consolidar ambientes de sistemas e substituir plataformas legadas para suportar novos casos de uso.

“A Amdocs continua a liderar com uma folga considerável a participação do mercado global de gestão de receitas”, disse John Abraham, diretor do programa de gestão de receitas da Analysys Mason. “Os últimos lançamentos do portfólio da empresa trouxeram aprimoramentos para a sua solução carro-chefe de tarifação convergente, entre as quais está a cobrança em tempo real das capacidades de voz sobre LTE e sobre Rich Communication Services, que aumentam a capacidade das operadoras de monetizar a próxima geração de serviços digitais”.

A Frost & Sullivan Stratecast vê o processo de tarifação ponta a ponta como a chave para uma experiência positiva do cliente na era atual das expectativas de serviços sempre conectados e disponíveis. A empresa também considera esse processo essencial para a operacionalização de novas ideias, observando que muitas vezes ela é dificultada por sistemas legados inflexíveis de tarifação.

“As operadoras estão hoje à procura das melhores soluções oferecidas por parceiros estratégicos, como uma maneira de abordar a criticidade crescente na obtenção do direito de realizar o processo de tarifação ponta a ponta para ativar e monetizar os complexos serviços de hoje”, disse Karl Whitelock, diretor global de operações e estratégia de monetização da Frost & Sullivan Stratecast. “Além da contínua implantação de capacidades otimizadas de tarifação e cobrança, a Amdocs continua investindo em aprimoramentos em todos os seus produtos, visando habilitar o valor do negócio por meio de eficiências operacionais e para atender às novas necessidades do mercado dos seus clientes”.

“A experiência do cliente na era digital exige que as operadoras sejam capazes de envolver e apoiar os seus clientes de forma consistente e contínua através do canal escolhido por eles”, disse Chris Williams, diretor de marketing global da Amdocs. “Os novos recursos introduzidos no nosso mais recente portfólio CES 9.3 permitem que as operadoras melhorem a experiência do cliente através do acesso sob demanda a uma fatura contendo informações completas, entregue de forma consistente em diferentes canais, assim como uma elevada qualidade de serviços para as ofertas de LTE também quando em roaming. Com esses novos recursos, estamos ajudando nossos clientes a entregarem o que a Amdocs chama de The New World of Customer ExperienceTM, o Novo Mundo da Experiência do Cliente, uma era na qual se espera que as operadoras ofereçam serviços inovadores e personalizados, com uma experiência de serviço de rede”.

Entre as mais recentes vitórias da Amdocs no espaço da gestão de receitas estão:

– A Singtel escolhe a Amdocs para um projeto de transformação de negócios em Singapura e na Austrália, seus principais mercados, com a migração da tarifação e do suporte aos clientes das áreas de varejo, empresas e governo para uma única plataforma que forneça uma visão holística de seus clientes.

– A Telefonica escolhe a Amdocs para um projeto de transformação de soluções de suporte ao negócio (BSS) no Brasil para proporcionar uma experiência integrada, multicanal, aos clientes quad-play da Vivo através da rede fixa (incluindo fibra), wireless (pré e pós-pago), Internet (incluindo fibra) e TV (incluindo IPTV).

– A Kcell no Cazaquistão escolhe a Amdocs para um projeto de transformação de BSS em um contrato de cinco anos de duração, destinado a substituir sistemas legados e de terceiros por uma única suíte BSS totalmente convergente.

Em julho de 2015, a Amdocs concluiu a aquisição de uma maioria substancial dos ativos de soluções de suporte ao negócio (BSS) da unidade de negócios da Comverse, incluindo os ativos convergidos, pré-pagos, pós-pagos e de tarifação Kenan. A aquisição expande e diversifica a base global de clientes da Amdocs e permite que a empresa ofereça maior valor, inovação e uma ampla gama de ofertas e serviços aos clientes da Comverse BSS.

(*) Relatório de pesquisa da Analysys Mason: “Sistemas de gestão de receitas: as participações de mercado em todo o mundo em 2014”, agosto de 2015

(**) Relatório de pesquisa da Stratecast: “Tarifação CSP Global, edição de 2015 parte 1: Previsões para o mercado de tarifação CSP de ponta-a-ponta e análise de participação de mercado”, maio de 2015

Tags, , , ,