Tag América Latina

Unisys anuncia Luis Carlos Rego como VP e Líder de Serviços Financeiros para América Latina

A Unisys Corporation (NYSE: UIS) anuncia ao mercado a contratação de Luis Carlos Rego como Vice-presidente e Líder da Vertical de Serviços Financeiros para América Latina. Nesta função, ele será responsável por alavancar os negócios da companhia nesta vertical, que atualmente representa 23% das receitas globais com base nos resultados do terceiro trimestre fiscal. Luis está baseado em São Paulo e reporta-se a Eduardo Almeida, VP de Enterprise Solutions e Gerente Geral da Unisys para a América Latina.

A Unisys tem uma forte atuação no segmento financeiro na América Latina, com uma base sólida de clientes e um amplo portfólio de soluções que otimizam e protegem as operações dessas organizações, que vão desde plataformas omnichannel para bancos digitais, sistemas de core bancário, aplicações de crédito imobiliário, serviços gerenciados de segurança, além de todo o suporte e gestão de equipamentos e sistemas de back-office. No mundo, 600 instituições financeiras confiam nas soluções da Unisys, entre as quais estão mais da metade dos 50 maiores bancos globais.

O executivo tem mais de 23 anos de experiência nas indústrias de Tecnologia da Informação e Telecomunicações no Brasil e na América Latina. Em sua carreira, acumula passagem de destaque pela Cisco, onde exerceu funções de gerência e direção nos setores de vendas, marketing e inovação para toda a região. Atuou ainda em empresas de tecnologia e solucoes como StrataCom, AT&T, Telematics e CPM/Capgemini.

Luis é graduado em Engenharia Eletrônica pela Universidade Mackenzie, possui pós-graduação em Administração, com especialização em Finanças, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e Especialização de Desenvolvimento Executivo pela Kellogg School of Management (Northwestern University).

Tags, , , , , , ,

Daurio Speranzini Jr. é o novo CEO da GE para América Latina

A GE anuncia hoje Daurio Speranzini Jr. como seu novo CEO para América Latina, O executivo, que anteriormente ocupava o cargo Líder Global de Vendas de Serviços da GE Healthcare, sucede Rafael Santana, novo CEO Global da GE Transportation. Daurio é brasileiro e estará baseado em São Paulo, sede da empresa na América Latina.

Manter a região, da qual o Brasil faz parte, em lugar de destaque no mapa prioritário da GE continuará sendo uma das principais metas. “É um grande privilégio poder liderar as operações na América Latina, uma das que mais crescem no mundo dentro da companhia”, afirma Speranzini. Como empresa líder na transformação digital da indústria, trazer mais eficiência e produtividade aos clientes faz parte da estratégia para manter os resultados e visibilidade dos países latinos.

O executivo ainda faz um balanço da sua percepção e perspectiva para o futuro próximo. “Ao longo dos últimos anos, tive o privilégio de acompanhar não somente a evolução do mercado latino americano nos diferentes setores em que a GE está presente, como também a transformação da própria empresa dentro do contexto digital. Acredito que temos uma enorme oportunidade de fortalecer ainda mais nossa parceria com os clientes para ajudá-los a obter maior produtividade e custos reduzidos, ao mesmo tempo em que proporcionem soluções de melhor qualidade aos seus consumidores. É pensando nos ecossistemas como um todo que seguiremos contribuindo para o crescimento da nossa região”, acrescenta o executivo.

Com mais de 20 anos de experiência no setor de saúde, chegou à GE em 2011 como Gerente Geral de Healthcare Systems para a América Latina. Em 2013, foi promovido a Vice-Presidente Comercial e, em 2014, nomeado CEO Latam do negócio. Durante esse período, consolidou o foco regional em educação e foi responsável por impulsionar a implementação das melhorias necessárias em torno da Excelência Comercial – um pilar chave da estratégia de crescimento sustentável da região, ao mesmo tempo em que se concentrou na redefinição da estratégia do go-to-market LATAM.

Tags, ,

Bango impulsiona operações na América Latina

A Bango (AIM: BGO), empresa líder em pagamentos móveis, anuncia novos investimentos em toda a América Latina com contratações-chaves para o escritório de São Paulo e abertura de escritório em Bogotá, na Colômbia. A expansão de presença na região apoiará os parceiros da loja Bango, incluindo Amazon, Google e Microsoft.

A região da América Latina, ávida por conteúdo, é o foco das principais app stores, em um dos mercados de smartphone com crescimento mais rápido em todo o mundo. A tecnologia Bango é usada por estes players para permitir que cada vez mais consumidores tenham acesso total a conteúdos e serviços digitais, incluindo vídeos, música, jogos, produtividade, softwares, entre outros.

O pagamento em um clique fornecido pela Bango permite que qualquer pessoa com uma conta móvel compre conteúdo e fature direto na conta do telefone. Nenhum cartão de crédito ou detalhes bancários são necessários, abrindo o vasto ecossistema de conteúdo digital para milhares de latino-americanos não bancarizados. A tecnologia Bango é capaz de cobrar contas pré-pagas assim como as pós-pagas, o que é vital para abrir a base de clientes na América Latina.

“O primeiro lançamento de carrier billing na América Latina foi pela Google Play Store usando a plataforma Bango, já habilitado em 2015”, disse Anil Malhotra – Diretor de Marketing da Bango. “Como parte do compromisso de longo prazo da empresa com as lojas parceiras e operadores, a Bango cresceu a sua presença na região com contratações estratégicas técnicas e de desenvolvimento de negócios”.

Márcio Mattos é uma das várias nomeações recentemente indicadas para expandir a capacidade de integração na Bango, atuando como arquiteto de Soluções Sênior. Com base em São Paulo e on-site com clientes, Mattos fornece capacitação técnica e de integração para operadores móveis, usando a tecnologia inovadora da Bango para integrações rápidas.

Maria José Vargas é a nova integrante da equipe de Desenvolvimento de Negócios do escritório de Bogotá, na Colômbia. Ela vem da Telefonica e está perfeitamente posicionada para entender os desafios das operadoras de telefonia móvel que querem crescer com novas receitas com o sucesso das lojas de aplicativos globais através da plataforma Bango.

Partilhando com mais principais lojas de aplicativos do que qualquer outra, a plataforma Bango é o padrão da indústria para operadores possibilitarem carrier billing para seus clientes. Com a diminuição do uso de recursos pessoais e as receitas tradicionais de Serviços de Valor Agregado (SVA) para tipos de conteúdo antigos, como toques e papéis de parede, as operadoras móveis da região estão se voltando cada vez mais para que a Bango as ajude a inovar e capturar novos negócios com os principais players.

A penetração de dispositivos móveis é alta na América Latina, com 690 milhões de conexões móveis no Q32017, os smartphones representaram 60% desses (GSMA, 2017). As assinaturas de internet móvel continuam a crescer fortemente, dado que o acesso e o envolvimento digital se tornam cada vez mais importantes em toda a região. Os recursos e capacidade dos smartphones tornaram-se cada vez mais sofisticados, resultando em um ecossistema de conteúdo rico e imersivo. Títulos, incluindo o Google Play Music, Pokémon GO, Clash Royale e Netflix, estão regularmente na lista de best sellers em conteúdo carrier billing na região.

Tags, , , ,

Estudo da SAP revela características principais das empresas em transformação digital no Brasil e América Latina

Embora 84% das companhias globais afirmem que a transformação digital é fundamental para sua sobrevivência nos próximos cinco anos, apenas 3% delas completaram os esforços de transformação em toda a empresa. Isso é o que mostra o “SAP Digital Transformation Executive Study: 4 Ways Leaders Set Themselves Apart”, um dos mais abrangentes estudos sobre o tema, realizado por iniciativa da SAP. Com base em resultados de entrevistas com mais de 3 mil executivos seniores em 17 países, o estudo identificou desafios, oportunidades, valor e tecnologias relevantes usadas na transformação digital.

Cenário no Brasil e América Latina

Mais de metade das empresas na América Latina e no Brasil esperam aumentar seu faturamento entre 2017 e 2018, mas têm consciência de que, nos próximos dois anos, a velocidade das mudanças no mercado deve aumentar, gerando uma necessidade de acelerar também o “go to market”.

Claudio Muruzabal destaca ainda a importância, para todas as indústrias e não apenas para o varejo, da transformação digital. “Já não se trata mais, para as empresas de todos os segmentos, hoje, de uma simples escolha. A transformação digital é o motor essencial para receitas, lucros e crescimento no mercado”.

A pesquisa realizada pela SAP avaliza plenamente as observações do executivo, apontando que 56% das empresas brasileiras esperam um crescimento de receita de 5,1% a 10% a partir da transformação digital já a partir do próximo ano. E 51% delas querem acelerar o mercado.

Enquanto hoje as empresas investem mais em Big Data and Analytics (63%), Plataformas de segurança (59%), Mobile (51%), Cloud (50%), Iot (45%), nos próximos dois anos elas investirão prioritariamente em Big Data and Analytics (78%), Cloud (61%), Plataformas de segurança (58%), IoT (53%), Mobile (44 %), Aprendizado de Máquinas / AI (29%).

O estudo também mostra que os maiores desafios às iniciativas de transformação digital no Brasil são a falta de liderança (24%), falta de gerenciamento (19%) e de habilidades na força de trabalho (16%).

Impacto no varejo

A indústria de varejo está em plena transformação digital. O setor se encontra em um momento cheio de oportunidades e no qual a inovação é chave para se aproximar e dinamizar a conversa com uma nova geração de consumidores, muito mais atento e exigente. Segundo dados da Nielsen, já em 2018, os millenials representarão metade do consumo global e este número aumentará para 75% em 2025.

“O Varejo está-se consolidando como uma das indústrias estratégicas da SAP na América Latina. No primeiro semestre deste ano, as vendas deste setor totalizaram dois dígitos, tanto em soluções na nuvem como em instalações on premises”, diz Claudio Muruzabal, presidente da SAP LAC e Caribe. Ele destaca que o momento do varejo é o de uma indústria em plena transformação digital. “Estams em um momento muito especial para o setor, e a velocidade com que esse segmento cresce e se transforma não acontece por acaso, tem tudo a ver com os modelos e mudanças pelos quais o consumidor está hoje”.

Para Muruzabal, mais do que nunca, o cliente deve ser o grande foco de atenção. “A experiência do cliente é a porta de entrada para uma transformação digital bem sucedida e as ferramentas do dia a dia, como as que proporcionam dados emergentes para entender os padrões de comportamento do cliente; a omnicanalidade para gerenciar o relacionamento, e as tecnologias emergentes como a aprendizagem de máquina – capazes até de detectar o humor da pessoa de acordo com seus comentários – são vitais para gerar as respostas desejadas pelas empresas”.

No Brasil, uma das grandes companhias que atuam no varejo, que já percebeu a nova realidade e atualizando seus negócios, levando-os para a nuvem, é o Grupo Boticário, terceira maior empresa de cosméticos do País e maior rede de franquia do mundo. Com mais de 4.070 lojas no Brasil e em nove outros países, o Boticário começou a jornada da transformação digital com uma variedade de soluções da SAP para simplificar seus negócios.

Além do significativo valor que oferecemos para varejistas em todo o mundo, incluindo Macys, Burberry, Mink, L’Oreal, The BodyShop, e, na América Latina, para empresas como o Grupo Éxito, Liverpool, El Palacio de Hierro, Mabe e as lojas brasileiras Marisa, que estão avançando sem seus planos de transformação digital com nossa participação, estamos focados, com nossa expertise e experiência, em alavancar a transformação digital, para empresas de todos os segmentos e portes”, salienta Muruzabal.

Tags, ,

ClickSoftware anuncia novo Diretor de Alianças para América Latina

Em virtude da crescente importância do mercado latino-americano e a necessidade de seguir investindo na região, a ClickSoftware, líder no fornecimento de soluções para organizações de serviços em campo, anuncia a contratação de Paulo Vendramini para a nova posição de Diretor de Alianças para América Latina. A iniciativa está alinhada à estratégia de crescimento da companhia, que vem ampliando a equipe para suportar a demanda na região, assegurando assim a qualidade de serviços com atendimento local, que resulte em ainda mais satisfação dos clientes. O novo Diretor de Alianças será responsável por desenvolver um modelo de venda por canais na América Latina que contemple desde parceiros globais como SAP e Accenture, regionais como Sonda IT e Indra, até alianças locais para cada um dos países da região. A ClickSoftware possui presença direta no Brasil, México, Colômbia, Argentina, Chile e Peru.

De acordo com Vendramini, a área de canais possui uma importância estratégica para o crescimento dos negócios da companhia. “O objetivo é expandir nossa capacidade operacional na região por meio de um modelo de canal de valor agregado, o que ajudará estes novos parceiros a construírem o seu sucesso juntamente com a ClickSoftware”, ressalta. A companhia atua em todos os segmentos, mas a prioridade atual são os mercados de Utilities, Telecom, Seguros, Oil&Gas e Saúde.

A ClickSoftware já realizou grandes investimentos na América Latina. Hoje, todas as operações da companhia são geridas pela sede regional, localizada em São Paulo. O país, apesar do cenário econômico conturbado que enfrenta, apresenta boas oportunidades de negócios no setor de Field Services Management (Gerenciamento de Equipes em Campo). Esse é um mercado em expansão, uma vez que todas as empresas que possuem grandes equipes de campo buscam soluções para melhorar a eficiência, alocação, redução de custos e principalmente a satisfação dos clientes com seus serviços. “Estamos desenvolvendo um programa de canais para atender as necessidades específicas da América Latina. Com uma comunidade de parceiros com um conhecimento apurado de nossa solução e que entenda as particularidades de mercado de cada país, conseguiremos manter nossa competitividade em toda a região”, finaliza o executivo.

Paulo Vendramini é graduado em Gestão de Negócios Internacionais, possui MBAs em Gestão de Negócios e Gestão Empresarial Internacional pela FGV. O novo Diretor de Alianças da ClickSoftware para América Latina teve passagens destacadas como Diretor Comercial Brasil na SOLO Network, Executivo de Vendas de Soluções de Segurança na HP e Diretor América Latina de Pré-Vendas, Diretor de Vendas Enteprise e Diretor de Canais e Alianças na Symantec.

Tags, ,

IBM anuncia nova gerente geral para América Latina

1

A IBM anuncia que Ana Paula Assis foi nomeada gerente geral para a IBM América Latina. Ana Paula será responsável pela estratégia de negócios da companhia, desenvolvimento de talentos, trabalhará com os clientes e o mercado para ajudar a acelerar a transformação digital e a adoção de inteligência artificial e novos modelos cognitivos na região.

Ana Paula se torna a primeira mulher executiva a liderar a operação da IBM na América Latina.

A executiva sucede o Rodrigo Kede, que foi nomeado gerente geral para a unidade de Global Technology Services para a IBM América do Norte, região que inclui os Estados Unidos da América e Canadá. Kede ficará baseado em Nova Iorque.

Ana Paula Assis conta com experiência de mais de 20 anos na indústria de Tecnologia da Informação e no desenvolvimento de negócios estratégicos, além de uma extensa experiência internacional que inclui uma série de posições de liderança no Brasil, América Latina e global. Na última década, ela atuou como diretora para Indústria de Serviços Financeiros para IBM Global Technology Services América Latina, assim como diretora de Strategic Outsourcing e vice-presidente de Software Group, ambas funções na IBM Brasil.

Em 2015, foi nomeada vice-presidente da unidade de negócio de software para a IBM Greater China Group, região que reúne a China, Hong Kong e Taiwan. No início de 2017, retornou à América Latina sendo responsável pela organização de serviços na região.

“Estou muito entusiasmada em liderar uma organização extremamente talentosa e diversa, em um ambiente dinâmico e inovador como é a América Latina. Temos o compromisso com o progresso de nossa região ao suportar as constantes transformações dos setores público e privado através de incomparáveis capacidades em inteligência artificial, nuvem e conhecimento de indústria. A América Latina está bem preparada para aproveitar essa oportunidade. A tecnologia melhorou a vida das pessoas de formas inimagináveis no último século. Nós vamos continuar a liderar esse caminho e ajudando a construir um futuro melhor”, disse a nova gerente geral para a IBM América Latina.

Ana Paula entrou na IBM em 1996. Ela é formada em Ciência da Computação, com especialização em administração de negócios pela Fundação Getúlio Vargas, e conta com um MBA pela Fundação Dom Cabral.

Tags, , ,

NEORIS entre as 10 maiores empresas de consultoria de TI em penetração de mercado da América Latina

A NEORIS continua a ser classificada entre as 10 maiores empresas de Consultoria e Integração de Sistemas em penetração do mercado da região, de acordo com o mais recente Latin America Semi-Annual IT Services Tracker publicado este mês pela IDC. Mais uma vez a NEORIS é classificada como nº 1 em Integração de Sistemas do México, baseado na receita agregada, crescimento e participação do mercado em 2016. A NEORIS consistentemente superou mais de 110 outras empresas analisadas pela IDC e melhorou sua classificação e participação do mercado em vários países da região.

O Latin America Semiannual IT Services Tracker da IDC fornece para os fornecedores completas estatísticas, tendências e previsões para 12 mercados de serviço. A IDC examina e analisa o desempenho dos 120 principais provedores de serviço em termos de receita, crescimento e participação do mercado na América Latina.

De acordo com o relatório publicado, a NEORIS ficou classificada:

Entre as 10 Maiores Empresas de Consultoria e de Integração de Sistemas de TI da América Latina

1ª empresa de Integração de Sistemas do México
2ª empresa de Consultoria de TI do México
1ª empresa de Desenvolvimento de Aplicativos Customizados da Argentina
2ª empresa de Consultoria de TI da Argentina
4ª empresa de Consultoria de TI da Colômbia

Sem nenhuma surpresa no relatório, a NEORIS continua a dominar o México, como a empresa nº 1 em integração de sistemas pelo 12º ano consecutivo e 2ª em consultoria de TI.

A NEORIS também manteve sua posição na Argentina, classificada como a 2ª maior empresa de Consultoria de TI pelo 8º ano consecutivo e como nº 1 em Desenvolvimento de Aplicativos Customizados pelo 2º ano consecutivo. A NEORIS na Argentina também aumentou a participação do mercado na categoria de Integração de Sistemas, continuando classificada como a 4ª maior empresa do país. A NEORIS também aumentou seu mercado de Consultoria de TI no Chile, classificada como a 8ª maior empresa do país, e conquistando a 2ª melhor posição no Brasil desde a sua participação no estudo.

“Os números contam uma história e, neste caso, eles são um testemunho da nossa liderança na região e dedicação ao fornecimento de soluções inovadoras, principalmente na indústria de tecnologia de ritmo acelerado”, disse Martin Mendez CEO da NEORIS.

A IDC está mais otimista sobre o mercado de serviços de TI na região e espera um crescimento mais rápido nos próximos anos.

Tags, , , , ,

Microsoft nomeia Mariano Amartino diretor de Startups para a América Latina

unnamed (38)

Mariano Amartino foi designado para o cargo de diretor de Startups da Microsoft América Latina. Ele ficará subordinado diretamente ao diretor geral de Inteligência Artificial e Inovação para a região, Fabio Scopeta. Em seu novo cargo, Mariano terá a responsabilidade de liderar a estratégia da Microsoft focada no ecossistema das startups latino-americanas, para impulsionar a inovação na América Latina.

Mariano tem ampla experiência como empreendedor e blogueiro. Foi CEO da Hipertextual e membro do conselho de administração de várias startups. Além disso, ele cobre temas relativos a comunidades online, internet e novos meios no portal uberbin.net, um dos primeiros blogs de tecnologia editados em espanhol. Depois de atuar como empreendedor durante quase duas décadas, ele dirigiu a Wayra, a aceleradora de empreendimentos da Telefónica na América Latina, que apoiou mais de 500 startups, tanto em âmbito global como regional.

Mariano tem conhecimentos sólidos sobre o funcionamento dos ecossistemas de inovação, desde uma perspectiva regional e local, além de ter tido conquistas relevantes ao apoiar empreendimentos em seu crescimento.

“Estou encantado por poder fazer parte da Microsoft e sua equipe. Durante anos, a Microsoft vem inovando constantemente as plataformas tecnológicas e liderando de forma consistente as diferentes ondas tecnológicas”, declara Mariano.

Devido a sua paixão pelo empreendedorismo e por novas tecnologias, Mariano viveu em diversos países e seu atual cargo na Microsoft América Latina o levará para a Argentina, de onde irá trabalhar para apoiar empreendedores em toda a região com tecnologias que possam impulsionar seus projetos.

Tags, ,

Unisys apresenta novo Vice-Presidente para o Setor Público na América Latina

unnamed-86

A Unisys Corporation(NYSE: UIS) anuncia a nomeação de Alejandro González Estrada como Vice-Presidente para o Setor Público na América Latina de Enterprise Solutions.

Alejandro fica baseado na Cidade do México e sob sua responsabilidade está a liderança da estratégia de crescimento para o setor de governo em toda a região. Além disso, na função de líder do país, Alejandro será responsável por conduzir as operações e dar suporte aos clientes existentes no México e apoiar a geração de novos negócios.

“Chego à Unisys em um momento muito importante, onde estamos renovando a nossa marca e fazendo investimentos em novos serviços e soluções em diferentes verticais de negócios, em busca de um crescimento sustentável na região. Para o setor público existe um grande desafio de transformação digital em vários países e estou certo de que vamos contribuir para que as entidades públicas possam cada vez mais mover-se em direção ao conceito de governo digital, para fornecer serviços mais eficientes aos cidadãos”, afirma González.

Alejandro tem mais de 20 anos de experiência na indústria de tecnologia, atuando em posições de destaque em empresas como IBM, Microsoft, Lenovo e SAP. Sua experiência de trabalho mais recente foi como Partner na empresa HOLIS – Soluções de TIC. O executivo é graduado em Administração de Empresas pela Universidade de Tecnologia do México (UNITEC) e tem especialização em Finanças pela mesma universidade.

Tags, , ,

Wardner Maia é eleito pela terceira vez para direção do LACNIC, que cuida da internet na América Latina

S2Publicom_strip_70339_0_full

O brasileiro Wardner Maia foi reeleito diretor do LACNIC, órgão sem fins lucrativos que gere os recursos de numeração para a internet na região da América Latina e Caribe. Atualmente, ele também é parte do Conselho Consultivo da Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações (Abrint), mas já ocupou os cargos de presidente da Diretoria e presidente do Conselho.

Maia, que hoje ocupa o cargo de presidente do LACNIC entende que os principais desafios dos próximos anos estarão relacionados ao esgotamento dos recursos de endereçamento IP e nas políticas que regem a estrutura da internet. “Estamos vivenciando em nossa região o que já acontece na Ásia há mais de três anos, pois não há mais endereços IPv4 suficientes para suprir a demanda. Temos que ter políticas adequadas de distribuição para enfrentar essa fase difícil e mais do que nunca temos um trabalho árduo para o incentivo da adoção do novo protocolo de IPv6”, aponta o diretor.

Outra questão relevante que se mostra como um desafio é a nova configuração da governança da internet resultante da aprovação de um novo modelo de estrutura que descentraliza a raiz do mundo online, diminuindo o controle dos processos por parte dos Estados Unidos. “No dia 30 de setembro, foi concluído um processo muito importante para a internet mundial. A supervisão das funções de IANA, antes delegada ao governo norte americano, agora é exercida por um sistema multistakeholder com a participação de toda a comunidade. Este foi um processo em que muitos se dedicaram por mais de dois anos e que queremos ver em pleno funcionamento daqui para diante”, coloca Maia.

Além disso, LACNIC deve seguir firmemente com sua missão de promover o desenvolvimento de uma internet aberta, estável e segura e principalmente mirando regiões que enfrentam situações sociais críticas.

LACNIC é uma organização internacional com sede em Montevideo, sendo um dos cinco registros de endereçamento de internet do mundo. A direção do LACNIC é composta por sete membros, sendo que apenas dois podem ser brasileiros – cota já preenchida com a reeleição de Wardner Maia. A eleição é feita de forma eletrônica e nela votam as empresas, universidade e instituições que possuem recursos de numeração delegados por LACNIC. Nesta última disputa, cinco candidatos pleitearam duas vagas na organização havendo um total de 1101 votantes. Foram eleitos Wardner Maia com 815 votos e Javier Salazar do México com 356 votos.

Tags, , ,

Telecomunicações continuam crescendo na América Latina e o Brasil pode voltar a ser o centro das atenções – Por Ricardo Claro

Um dos principais desafios dos próximos anos, dentro do ambiente digital, é atender a elevada demanda por uma comunicação de qualidade no Brasil. Neste sentido é necessário discutir a disponibilidade de infraestrutura de redes em determinadas regiões, os mecanismos e as tecnologias para expandi-la.

O setor de telecomunicações tem sido uma das forças motrizes da economia, pois permite a troca de informações, propiciando, negócios, parcerias, gerando recursos e impulsionando a economia. Para se ter uma ideia, o Brasil possui o quarto maior mercado de telecomunicações do mundo, atrás somente dos Estados Unidos, da China e do Japão. Só na América Latina, a previsão de receita para este setor é de US$ 167 bilhões, em 2017. O dado faz parte de um levantamento feito pela Analysys Mason, que também aponta para um aumento de 3,3% no setor, entre 2012 e 2017.

O advento da banda larga deixou a comunicação ainda mais rápida e os números crescem exponencialmente. De acordo com dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), foram 26 milhões de acessos de banda larga em maio deste ano, um aumento de 0,57% na base, comparado ao mês anterior. As grandes operadoras continuam registrando crescimento em suas bases de clientes, assim como, os provedores regionais que levam a internet à regiões distantes do Brasil.

Quando se fala em internet fixa, o serviço de fibra FTTH (Fiber to the home) tem se destacado na América Latina como a tecnologia de acesso que mais cresce, atingindo 5,1 milhões de conexões, segundo apontam dados do FTTH Council. E nesse cenário, o Brasil acumula um quarto deste total, com potencial de crescimento contínuo nos próximos anos. A tendência é que as operadoras do país sigam investindo na instalação de fibras e na melhoria dos serviços em regiões já abastecidas. Esses recursos vêm em parte das próprias empresas privadas e também em função de políticas públicas, como o programas para popularizar a banda larga na região.

Entre 2014 e 2015, a fibra óptica cresceu 31,61%, atingindo 1,44 milhão de assinantes conectados com esta tecnologia, de acordo com a Anatel. Apesar desta evolução contínua no mercado brasileiro, é preciso que o ritmo de instalação de novas redes FTTH seja continue acelerado, acompanhando as demandas da indústria, do comércio e das residências. A troca de dados, como os serviços de simetria de largura de banda (download e upload), cresce muito e, por isso, as fibras necessitam chegar a mais lugares, visando oferecer um serviço de maior qualidade propiciado hoje somente pelo acesso com fibra até a casa.

Temos um potencial gigantesco no setor de telecomunicações que precisa ser explorado na América Latina. São países com território extenso, ainda com baixa penetração da banda larga, com oportunidades de geração de negócios. E neste sentido, as tecnologias em fibra estão cada vez mais acessíveis, tornando o retorno financeiro possível para as grandes operadoras e os pequenos e médios provedores. Os serviços são os mais variados e as possibilidades, infinitas. É preciso continuar a inovar, conectando pessoas e negócios e, consequentemente, reduzindo distâncias, e os custos de instalação e operacionais. Sem dúvida, o Brasil vive um momento muito importante quando olhamos para esse tema e é preciso investir para atender a essa crescente demanda e oferecer, cada vez mais, serviços de qualidade para os clientes neste ambiente de alta competividade.

Ricardo Claro, Gerente de Marketing & Desenvolvimento de Mercado para América Latina da Corning Optical Communications

Tags, , , , , , , ,

Kaspersky Lab unifica divisão de negócios da América Latina em uma região autônoma

unnamed-63 A Kaspersky Lab anunciou a consolidação de sua divisão latino-americana, que antes compreendia o Brasil e a região estratégica da América Latina, em uma unidade de negócios autônoma, tornando-se a sétima região comercial da empresa, junto com a APAC, Europa, América do Norte, Japão, META (Oriente Médio, Turquia e África) e Rússia/STAN. A nova estrutura reconhece a grande contribuição da América Latina para os resultados da Kaspersky Lab, assim como seu potencial de crescimento, garantindo à região uma oportunidade de se desenvolver com maior autonomia. Com essa mudança, a divisão recém-formada será capaz de estabelecer uma estrutura corporativa e implementar estratégias para beneficiar seus clientes, parceiros e canais de acordo com as necessidades locais e culturais.

Claudio Martinelli, diretor-executivo do Brasil, foi nomeado diretor-executivo da América Latina. Ele continuará gerenciando a empresa no Brasil até que seja nomeado um sucessor. Daniel Molina permanece como diretor-executivo da região estratégica da América Latina, subordinado a Martinelli. Claudio se reportará diretamente a Alexander Moiseev, diretor global de vendas da Kaspersky Lab.

“Como uma empresa global, a Kaspersky Lab sabe que para um negócio ser bem-sucedido, é necessário considerar as complexidades culturais envolvidas. A promoção da América Latina para uma região autônoma confirma essa crença e nos dá flexibilidade para explorar nossos recursos culturais, não só em benefício da região, mas da empresa como um todo”, afirmou Martinelli, diretor-executivo da Kaspersky Lab na América Latina.

De acordo com o indicador Endpoint Tracker de 2016 da IDC (resultados de 2015), a Kaspersky Lab tem uma participação de 21% no mercado latino-americano. Resultado expressivo, tendo em vista que, segundo a IDC, o mercado de endpoints na América Latina diminuiu 4% em 2015, se comparado com 2014. Mesmo com a instabilidade da economia, o crescimento da empresa na região foi de quase 5%.

“Nossos negócios na América Latina estão crescendo de forma ritmada. Na verdade, as vendas geradas na região em 2015 representam 7% de nossa receita global. Isso, em conjunto com os resultados trimestrais sólidos e com o potencial de mercado existente, deixou claro que nossa empresa na América Latina tinha capacidade e precisava caminhar por conta própria para alcançar um novo nível de crescimento. Tenho certeza de que essa nova estrutura ajudará Claudio e sua equipe a dirigir os negócios da Kaspersky Lab na região de maneira mais eficiente e assegurar um gerenciamento estratégico e operacional melhor em nível local”, declarou Alexander Moiseev, diretor global de vendas da Kaspersky Lab.

Tags, , ,

Universidades brasileiras dominam ranking 2016 da América Latina

A Universidade de São Paulo (USP) manteve seu lugar como a melhor universidade da América Latina no ranking QS de regiões de 2016, sendo reconhecida também como a colaboradora internacional de maior sucesso da região. A também paulista Universidade Estadual de Campinas garantiu o segundo lugar novamente. Neste ano, o ranking da América Latina identificou as 300 melhores universidades da região, mais uma vez destacando a predominância brasileira.

O ranking 2016 aponta ainda que:

– Quatro universidades brasileiras estão dentre as 10 primeiras da região;

– Três outros países têm 2 universidades entre as 10: o Chile, Colômbia, e México;

– 76 universidades brasileiras encontram-se entre as 300 ranqueadas, mais do que qualquer outro país latino-americano

Captura de Tela 2016-06-13 às 21.40.14

O Ranking de Universidades QS América Latina utiliza uma metodologia própria. Esta metodologia única avalia as universidades de acordo com 8 critérios, pesando os desafios e oportunidades específicos que as universidades encontram em sua própria região para tornarem-se reconhecidas em escala regional e global.

Um destes desafios é a necessidade de estabelecer parcerias internacionais para garantir fundos de investimento e qualidade em pesquisa, além de atrair estudantes e professores de excelência internacional. Com este intuito, a QS introduziu um novo critério este ano: “a rede de pesquisas internacional”, que mede o número de parcerias em pesquisa que uma universidade tem.

Avaliadas sob este novo critério, as universidades brasileiras também apresentaram bom desempenho: cinco delas estão entre as 10 melhores da América Latina em parcerias de pesquisa internacional. São elas: a Universidade de São Paulo (1ª), a Universidade Federal do Rio de Janeiro (4ª), a Unicamp (8ª), a Universidade Federal de Minas Gerais (9ª em tal critério e 14ª no geral) e Universidade Federal do Rio Grande do Sul (10ª pelo critério e 16ª no ranking geral). Os resultados concluem que as universidades brasileiras estão caminhando firmemente na direção de firmar programas de pesquisa de colaboração global, sendo das mais bem-sucedidas na região.

FONTE QS Quacquarelli Symonds

Tags, , , , ,

Economia digital: América Latina está no bom caminho

A revolução já está acontecendo. Ingressamos no mundo da economia digital e em tudo o que isso implica em termos de oportunidades e desafios. Sem dúvida, a economia digital abre caminhos para elevar a receita e competir em mercados globais. Por outro lado, as empresas que não conseguem adaptar seus produtos, serviços e ferramentas de gestão ao novo contexto estão condenadas a ceder espaço ou mesmo a perder sua relevância para uma concorrência digital cada vez mais eficiente.

Nos últimos anos, temos visto desaparecer na América Latina serviços físicos de aluguel de filmes, lojas de discos e uma grande porcentagem das agências de viagem. Da mesma maneira, imobiliárias, corretoras de seguro e empresas de serviços hoteleiros estão lutando para se reinventar, enquanto outros como Uber, Airbnb e Amazon estão sendo os grandes vencedores da economia digital.

Graças à digitalização, organizações de qualquer tamanho ou setor são hoje capazes de transformar suas operações de tal forma que se tornam capazes de prestar um serviço mais rápido, mais eficiente e especialmente sob medida para cada um dos seus clientes.

Nós, latinos, estamos criando e consumindo bens cada vez mais digitais – desde músicas e filmes em formatos eletrônicos até aplicações para nossos telefones inteligentes e tablets que nos permitem gerir empresas a partir de qualquer lugar. De acordo com a GSMA, a América Latina será a segunda região com o maior número de telefones inteligentes até 2020 e por isso se espera que centenas de milhões de novos clientes entrem na economia digital.

Por outro lado, a economia digital está se tornando um motor do crescimento econômico e geração de emprego, fatores fundamentais para países em desenvolvimento. Um estudo da Cepal destaca que esse segmento contribui com quase um milhão de novos postos de trabalho a cada ano na região.

Ao mesmo tempo, os latino-americanos estão cada vez mais conectados – 47% da população já tem acesso à Internet. O Departamento de Estado dos Estados Unidos relata que o público da América Latina na Internet cresceu 23% em 2014 e representa 8% da audiência global.

Os números são muito promissores, mas ainda estamos longe de alcançar os níveis da economia digital em outras regiões. Faz falta uma política de governo que estimule o investimento privado em empreendimentos digitais. Enquanto em Israel esse valor equivale a US$ 818 per capita por ano, na América Latina é de apenas US$ 1, 67.

A América Latina está dando apenas os primeiros passos nesse terreno, mas, sem dúvida, estamos no bom caminho.

*Claudio Muruzábal, Presidente da SAP América Latina

Tags,

6 tendências de varejo na América Latina

As tendências mais importantes do varejo na América Latina vão desde as estratégias de shopper, passando pela fidelização dos clientes, o e-commerce e a variedade de formatos, até chegar aos produtos, que hoje são apreciados pelo consumidor. A Nielsen compilou as tendências mais importantes do universo varejista na região latino-americana em uma análise completa, agrupando as mais relevantes em seis blocos.

1.Shopper Marketing – São todas as estratégias para mercados de nicho e de segmentação. O mais importante neste ponto é entender o shopper e compreender que todos são diferentes. Hoje em dia, é fundamental considerar a geração a qual pertencem os shoppers para definir as diferentes estratégias.A geração com maior crescimento é a dos Boomers (50-64 anos), mas, sem dúvida alguma, são os Millennials (Geração Y) que detém o maior poder econômico e que ditam as regras em termos de consumo global.

Baby Boomers – a geração de hoje – Os conhecidos como Baby Boomers possuem hoje o consumo de 40% de PGC (produto de grande consumo), sendo eles os principais responsáveis pelas compras do lar. Atualmente, eles representam a parcela da população que conta com o maior poder aquisitivo no mundo. Ao contrário dos Millennials (Geração Y), para os Boomers a qualidade vs. o preço é o principal driver de compra e seus hábitos se concentram em produtos especializados.

Millennials (Geração Y) – a geração do futuro – Estima-se que no ano de 2018, representarão a metade do consumo global e espera-se que em 2025 já sejam 75% da força mundial. É a geração que hoje tem a maior representatividade na população e está mudando as regras do jogo e das estratégias de mercado, movendo-as para uma era mais moderna, digital e dinâmica. É importante ter em mente que a melhor idade para gerar maior conexão e fidelidade com uma marca é entre os 18 e 34 anos.

2. Fidelização do Shopper – Os programas de fidelidade se institucionalizaram com o decorrer do tempo, convertendo-se hoje em um aspecto que, definitivamente, é crucial no momento de ganhar um shopper. 82% dos shoppers asseguram que, provavelmente, escolheriam um varejista que lhes oferecesse um programa de fidelidade. Entretanto, quando falamos da América Latina, apenas 46% dos varejistas oferecem algum programa deste para seus clientes. A maioria trabalha com a troca de pontos por dinheiro ou alguns optam por oferecer um diferencial com valor agregado, como cupons de descontos, evento, entre outros.

Apesar disso, fidelizar os clientes não é uma tarefa fácil, ainda que alguns se digam “clientes fiéis”, o que na verdade não são. Muitos mudam constantemente de varejista ao encontrarem uma melhor oferta de preços (42%), outros buscam produtos com melhor qualidade (28%), melhor serviço (18%), melhor sortimento (7%) e melhores características (3%).

3. Mix de Formatos – Na América Latina, o mix de formatos se evidencia em todos os países da região. Porém, as estruturas mudam e há pontos fortes e diferenciais interessantes, mas todos influenciados pela conveniência e comodidade.

· Canal Tradicional (lojas)

Equador, República Dominicana e Peru são atualmente os países com maior concentração de canais tradicionais e onde o desenvolvimento do varejo não aconteceu tão rapidamente.

· Moderno (supermercados)

O canal moderno teve seu desenvolvimento mais forte no Chile, Brasil, México, Argentina e Colômbia, onde os supermercados ganharam um importante espaço. Nesses países, o consumidor busca por comodidade e conveniência, o que também fortaleceu os supermercados pequenos.

· Drogarias

As drogarias, ou farmácias, seguem sendo um canal com grande importância em países como Venezuela, Porto Rico e Chile. Localidades estas onde grandes players se instalaram, melhorando a frequência de compra, ticket médio e “share of wallet” (parcela do bolso).

E graças a este mix de formatos que hoje o shopper tem mais opções na América Latina, aumentando as visitas aos supermercados (30%), hipermercados (27%), lojas de descontos/ clubes de compra (15%), conveniência (14%) e online (8%).

“Neste sentido, nascem negócios paralelos à atividade principal como agências de viagens, seguros, giros, telefonia celular, cartões de créditos, centros comerciais etc.” comenta Jonatas Rosa, Executivo de Retail Services do Brasil.

4. E-commerce – O comércio eletrônico cresce mundialmente a uma taxa de 23%. Aproximadamente, 1.000mm de consumidores globais estão dispostos a fazerem suas compras em supermercados online.

O mercado que mais acendeu no e-commerce, no último ano, foi a Ásia – Pacífico, seguida pela América Latina, que cresce a taxas de 21,5%, sendo o Brasil o país que mais impulsiona o crescimento, seguido pelo México.

9% dos compradores globais usam cupons virtuais e baixam os aplicativos dos varejistas para receberem informações e/ou promoções. Na América Latina, a média é de 10%, mas com possibilidades de crescer até 64%, de acordo com o Estudo Global de e-commerce da Nielsen.

5. Marcas Próprias

O desenvolvimento das marcas próprias nos países desenvolvidos é bastante alto e está focado, essencialmente, em um portfólio amplo de produtos e diversas faixas de preços.

A marca própria representa, em nível global, 16,5% das vendas, de acordo com o Reporte Global Nielsen. Com 45%, a Suíça lidera o ranking de produtos de marca própria. Na América Latina, a líder em vendas é a Colômbia, com 15%, embora se tenha constatado crescimento em todos os países medidos pela Nielsen neste reporte (Argentina, Chile, Brasil, México, Venezuela, Peru).

A diferença, talvez, seja a percepção que os consumidores têm sobre a qualidade das marcas próprias na América Latina. De qualquer forma, a economia continua a ser o principal fator na escolha de uma marca própria, especialmente quando as famílias buscam reduzir seus custos (44% tem esta preferência).

81% dos consumidores preferem que a localização das marcas próprias seja ao lado das marcas comerciais, para assim encontrá-las mais facilmente. Um fator chave, de acordo com os resultados do Estudo Global da Nielsen sobre este tema, revela que os consumidores comprariam mais dessas marcas se houvesse maior variedade na oferta (71%) e 34% consideram que há uma excelente relação entre preço e qualidade.

6. Saudáveis – 51% dos entrevistados no Estudo Nielsen sobre Saúde e Bem-Estar consideram que estão acima do peso e 70% dos mesmos estão realizando algum tipo de dieta ou exercício físico para diminuí-lo. Esta é uma das razões pela qual a cesta de Saudáveis, ou Alimentos e Bebidas que têm benefícios funcionais ou representam um consumo mais light, cresce cada dia mais regionalmente.

Tags, , ,

SAP divulga crescimento de dois dígitos na América Latina em 2015

Claudio Muruzábal, presidente da SAP América Latina

Claudio Muruzábal, presidente da SAP América Latina

A SAP anuncia os resultados do ano fiscal de 2015 na América Latina, em que as soluções relacionadas com a transformação digital dos clientes da região desempenharam um papel fundamental. A empresa registrou um crescimento de dois dígitos da receita de vendas de software em nuvem.

A plataforma de processamento de dados em tempo real SAP HANA teve grande adesão na região, puxada pelas vendas da solução de gestão S/4HANA, lançada no início do ano passado. A América Latina é uma das principais responsáveis pelos 2.700 clientes em todo o mundo que adotaram o software.

Um grande impulsionador do aumento da receita em nuvem foi a Ariba (uma empresa da SAP), cujas soluções para fortalecer redes eletrônicas para compra e vendas entre empresas e fornecedores, alcançaram um elevado nível de adoção. As expectativas do mercado crescem cada vez mais. De acordo com dados da consultoria de mercado IDC, os varejistas latino-americanos devem investir 30% a mais no desenvolvimento do comércio eletrônico este ano e os gastos em transações eletrônicas na região alcançarão US$ 68,8 bilhões.

“As oportunidades são infinitas no contexto da economia digital e as empresas da região estão se preparando para competir com mais força nesse novo mundo dos negócios”, diz Claudio Muruzábal, presidente da SAP América Latina. “Estamos mantendo nosso foco nos clientes, ouvindo suas demandas e fornecendo soluções adaptadas aos seus negócios para ajudá-los a navegar pela transformação digital”, acrescentou.

Em uma classificação por país, o crescimento no Brasil teve um destaque particular. Apesar da situação adversa do mercado, algumas empresas, como a Embraer, estão abraçando a inovação como a melhor maneira de se recuperar e crescer. A empresa de capital misto criada em 1969, que fabrica aviões comerciais, executivos, militares e de uso agrícola, escolheu a solução SAP HANA para evitar a obsolescência técnica, considerando a próxima década, e garantir o cumprimento das normas ITAR (regulação sobre o tráfico internacional de armas) com um impacto mínimo em suas operações.

As soluções on-premise (adquiridas com a compra de licenças de uso de software), que compõem um negócio tradicional da empresa, tiveram um aumento de dois dígitos durante o quarto trimestre de 2015, um fato inédito considerando que se trata de um segmento em que o mercado total está apresentando queda. Nessa área, houve uma grande atuação do Brasil e também do Chile e da América Central.

Em uma análise por setor de atividade, as áreas que mostraram crescimento mais relevante foram Saúde, Varejo e Telecomunicações.

O segmento das pequenas e médias empresas, que representa 80% do total de clientes da empresa na região da América Latina, experimentou um crescimento de dois dígitos.

Globalmente, a SAP reportou durante o ano fiscal 2015 um crescimento de 12% em moeda constante nas receitas de software e soluções de nuvem, superando a previsão de crescimento que era de 8% a 10% em moeda constante. Novas vendas de assinaturas de nuvem – um indicador-chave do sucesso da SAP na nuvem – cresceram 103% no ano fiscal de 2015, atingindo € 890 milhões.

Tags,

Moovit e Easy Taxi estabelecem parceria para facilitar a mobilidade nas grandes cidades da América Latina

view

Com integração do serviço de solicitação de táxi no aplicativo Moovit, os usuários conquistam ferramentas importantes para planejamento de suas viagens em grandes centros urbanos

Moovit e Easy Taxi, maior aplicativo de chamadas de taxi da América Latina, acabam de anunciar uma parceria para facilitar a mobilidade urbana na América Latina. As duas das mais relevantes empresas do setor integraram seus serviços no aplicativo Moovit, para que o usuário consiga planejar suas viagens de uma maneira mais rápida e eficaz em apenas uma interface de navegação. O serviço está sendo lançado em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Santiago. O objetivo das empresas é aprimorar a experiência de mobilidade nos grandes centros por meio do uso da tecnologia.

Agora, é possível selecionar a opção “táxi”via Moovit sem precisar migrar para o app da Easy Taxi. Além dessa nova ferramenta, Moovit também planejará a melhor rota considerando o veículo de transporte individual, além das opções já existentes na ferramenta- ônibus, metrô, caminhada. Quando o usuário inserir o destino, o app estimará o tempo de chegada, tudo em tempo real, de acordo com as condições de tráfego e linhas de transporte público do local.

“Através da tecnologia, Easy Taxi eMoovit transformaram o setor de mobilidade urbana. Easy Taxi criou o primeiro aplicativo de chamada de táxi no Brasil, enquanto Moovit tornou a rota de planejamento de transporte público mais eficiente”, diz Dennis Wang, Co-CEO Global da Easy Taxi. “Nós unimos esforços para o bem maior do cidadão e, assim,podemos oferecer mais para o usuário final. Agora com a ampla cobertura de táxi nas cidades, os passageiros do Moovit serão capazes de chegar ao destino da forma mais rápida possível,”, completa Wang.

A parceria entre Moovit e Easy Taxi traz benefícios tanto para as empresas como para os usuários, que a partir de agora poderão planejar suas rotas de forma híbrida e chegar com mais rapidez e facilidade a locais com pouca cobertura de transporte público, tudo isso utilizando um único app. Atualmente, 85% dos pedidos de taxi não são feitos por aplicativos, o que apresenta uma margem significante de crescimento do mercado. Impulsionados pelos mais de 10 milhões de usuários da Moovit na região da América Latina, a parceria entre ambas as empresas é uma oportunidade para aumentar o número de corridas de táxi feitas por aplicativos.

“Esta parceria com Easy Taxi reforça nosso compromisso em oferecer ao usuário a melhor experiência durante a utilização do transporte público”, afirma Nir Erez, co-fundador e CEO da Moovit. “Oferecendo o táxi como mais uma opção de transporte dentro do aplicativo melhorará a experiência do usuário e facilitará seu dia a dia ainda mais, fazendo do Moovit mais do que um app de transporte público, mas sim uma plataforma de transporte multimodal”, completa Erez.

Além dos benefícios gerados aos usuários, a parceria entre as duas empresas pode trazer benefícios ao setor de mobilidade urbana. Ao melhorar a experiência do usuário com o transporte público e oferecer o táxi como mais uma opção para chegar com mais agilidade ao seu destino final, as pessoas poderão deixar seus carros com mais frequência em casa, diminuindo os níveis de poluição e, automaticamente, o trânsito nas cidades – de acordo com um estudo da FGV, São Paulo, uma das cidades beneficiadas com a parceria, perde cerca de US$ 40 bilhões por ano com a crise de mobilidade, cerca de 1% do PIB nacional.

Como utilizar a nova opção?

Há duas maneiras para que os usuários solicitem um táxi por meio do Moovit. Uma delas é diretamente na tela inicial, clicando no ícone da Easy Taxi. Dessa forma, o passageiro só precisa confirmar a localização atual ao seu pedido de táxi. A segunda maneira é por meio do planejador de viagem do Moovit: basta o usuário introduzir o seu destino, selecionar a opção “rota de táxi” e o carro cadastrado no app da Easy Taxi mais próximo será acionado via Moovit e enviado ao usuário.

Os aplicativos Easy Taxi e Moovit estão disponíveis para download gratuitamente para iOS, Google Play, Windows Phone.

Tags, , , , , , , , , ,

Cencosud escolhe Unisys como provedor de serviços de Help Desk para seus usuários em toda a América Latina

A Unisys Corporation (NYSE: UIS) anuncia que suas subsidiárias na América Latina firmaram um contrato regional com o grupo chileno Cencosud, uma das maiores empresas do setor varejista na região, para fornecer serviços de Service Desk aos usuários internos da Cencosud em cinco diferentes países da América Latina: Colômbia, Chile, Peru, Brasil e Argentina.

Firmado no primeiro trimestre do ano, o contrato tem duração de cinco anos e se trata do primeiro acordo em âmbito regional firmado pela Cencosud com um provedor de tecnologia, o qual marca o início de importantes esforços de integração e padronização de processos da companhia.

A Unisys planeja atender a mais de 70.000 chamados por mês a partir de seus Centros de Serviços e Operações de TI em Bogotá, na Colômbia, para atender aos países de língua hispânica, e em Campo Grande, no Brasil, para dar suporte aos usuários em língua portuguesa. Além disso, a Unisys fornecerá serviços a partir de seu Centro de Delivery em Shanghai os usuários da Cencosud baseados na China.

“Com base em sua reconhecida experiência global, incluindo o gerenciamento de altos volumes de chamados, grande cobertura regional e apoio contínuo, a Unisys oferece a Cencosud uma solução eficiente e que se ajusta a nossas atuais necessidades, permitindo que nos concentremos na essência de nossos negócios”, explica Sebastián Cabrera, Líder Regional do Centro de Atenção ao Usuário da Gerência de Operações de TI da Cencosud.

“Por meio deste projeto, a Unisys pode oferecer a Cencosud desde o primeiro ano de implementação, uma solução de suporte a seus usuários de TI de alta qualidade, além de uma ampla cobertura para toda sua operação na América Latina, com pessoal altamente especializado e fluente em idiomas como espanhol, português e inglês”, afirma Helcio Beninatto, Presidente da Unisys para América Latina.

Tags, , , , , ,