Tag Alexandre Morais

Atos leva expertise de migração de dados para o S/4 Hana ao SAP Fórum

A demonstração prática da excelência da Atos, líder global em transformação digital, na implantação e na migração de dados para o S/4 Hana, uma das plataformas de negócios mais utilizadas do mundo, é o principal destaque da participação da empresa no SAP Fórum – evento que será realizado nos dias 12 e 13 de setembro em São Paulo.

Durante o fórum que será organizado pela SAP, a Atos mostrará casos de sucesso de migração de sistemas de Gestão Integrada (ERP) para esta nova solução, que é a mais avançada ferramenta disponível no mercado.

“Em mais de 35 anos de parceria, a Atos tem comprovado seu know-how e experiência para alinhar as aplicações SAP aos objetivos de negócios das empresas, promovendo redução de custos e ganhos operacionais”, afirma Alexandre Morais, head de Transformação Digital da Atos.

O S/4 Hana reúne soluções de diferentes linhas de negócios por meio de uma única plataforma, permitindo a administração e controle de processos gerenciais em tempo real, garantindo ganho de produtividade, economia de tempo e de recursos gastos com processos burocráticos em até 80%.

Infraestrutura

Uma das melhores bases de infraestrutura para operar o S/4 Hana no mundo, o servidor de alta performance Bullion, desenvolvido pela Atos, é um dos únicos com certificação específica para operar o SAP HANA. Além de ser o único com capacidade de até 16TB de memória.

O Bullion é utilizado por mais de 500 organizações para abrigar cargas de trabalho mais críticas em um ambiente seguro e com exigências de alto desempenho. Ele também se destaca em processos de virtualização, IT modernization, otimização de data centers e analítico de Big Data.

Outras soluções

Durante o SAP Fórum, também será possível consultar especialistas da Atos a respeito da utilização do SAP R/3, versão anterior ao S/4. Eles estarão à disposição para realizar análises de cenários a fim de identificar pontos de melhoria na plataforma em cada empresa, considerando volume de dados, tempo de processamento e redução de custos.

Em parceria com a espanhola Stratesys, a Atos leva ao evento duas soluções: a SAP Ariba, focada em outsourcing estratégico e a SAP VIM by Opentext, para operações de contas a pagar. A primeira é uma metodologia muito utilizada em países europeus e que demonstra ser tendência no Brasil. Já a SAP VIM by Opentext é considerada a melhor solução para rastreamento e automação dos processos de recebimento fiscal e contas a pagar nas plataformas SAP.

Ainda entre as soluções fiscais e contábeis, serão apresentadas a TAXBRA e a SAP Tax Declaration Framework, que promovem acesso rápido às informações contábeis para atender às obrigações fiscais com agilidade e facilidade. Estas ferramentas, segundo Alexandre Morais, aumentam a produtividade nos departamentos de contabilidade e reduzem as multas por não conformidade.

Atendimento automatizado

Sistematizar o atendimento dos usuários de SAP é o objetivo do conceito de Robotics Process Automation (RPA), apresentado recentemente pela Atos. A solução, que otimiza o tempo da equipe ao automatizar os atendimentos dos usuários SAP, reduz o custo para a empresa e gera informações de inteligência em tempo real de forma flexível, dessa maneira, a companhia pode adota-la sem a necessidade de alterar os sistemas já existentes.

Tags, , ,

Modelos de negócios digitais: o caminho da inovação – Por Alexandre Morais

A agilidade de decisão, a capacidade de inovação e o baixo custo de operação de uma startup combinados à disciplina, expertise e à capacidade de entrega de uma megacorporação. Esse é o principal desafio imposto às organizações atualmente, numa época em que empresas como Uber e Airbnb se destacam, entre outros motivos, por uma efetiva interação B2C, colocando uma pressão significativa sobre os negócios tradicionais de táxis e hotéis.

Nesse cenário, é fundamental que os gestores questionem constantemente o status quo e façam da inovação parte de sua cultura organizacional de forma pragmática. Para companhias bem-sucedidas no passado, pode ser mais difícil enxergar a necessidade de combinar o digital a um modelo tradicional de negócios. O processo exige uma mudança significativa da cultura empresarial, mas é absolutamente viável.

Várias das abordagens por trás das empresas digitais podem ser aplicadas com sucesso às companhias tradicionais para ajudar a acelerar sua transformação digital, por exemplo:

1. As empresas digitais têm bases de custos mais baixas, flexíveis, concentrados unicamente em custos mínimos de material, Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) ou infraestrutura de escritório.

2. As técnicas de negócios digitais permitem a simplificação do negócio. A digitalização e a automação de processos de negócios ajudam a obter mais produtividade, repetibilidade e redução de custos, levando as empresas tradicionais ao próximo nível de excelência operacional e experiência do cliente.

3. As empresas digitais aprendem rapidamente através de uma cultura de tentativa e erro. Enquanto isso, a aversão ao risco dentro das empresas tradicionais pode dificultar a mudança. No cenário atual, as empresas devem se comportar mais como investidores: devem tentar, experimentar, e falhar rapidamente e com frequência.

No entanto, os modelos antigos também têm suas particularidades e vantagens. Muitas interações com clientes digitais dependem de cadeias de fornecimento de ponta a ponta que incorporam relações B2B mais tradicionais, por exemplo. Além disso, os orçamentos de marketing são a grande exceção na comparação de vantagem de custos, já que empresas digitais são mais jovens e muitas vezes o orçamento necessário para publicidade e marketing excede o orçamento da própria implementação e operações.

O futuro será das empresas que combinam capacidades existentes com novas técnicas de negócios digitais

Nos próximos 3 a 5 anos, o equilíbrio empresarial digital/tradicional será enfim estabelecido e palpável aos consumidores, conforme prevê a publicação Journey 2020, desenvolvida pela Comunidade Científica da Atos na Europa. Muitas indústrias tradicionais sofrerão mudanças regulares de fusões e aquisições com startups para manterem o ritmo de inovação; as fontes de dados serão facilmente adquiridas; os algoritmos obterão um novo valor substancial e os dados em si se tornarão cada vez mais uma commodity.

Apenas fornecer o melhor serviço não será mais suficiente: as empresas deverão fornecer a melhor experiência. À medida que os produtos se transformam em serviços, as empresas de commodities se tornarão ecossistemas totalmente automatizados – desde a negociação até a entrega.

Por causa do digital, estamos apenas a um microssegundo de distância, todo tipo de interação se aproxima de acontecer em tempo real, além da marginalização de custo, que pode chegar a zero em várias frentes de atividade. Portanto, depois de aprimorados os negócios existentes aplicando princípios digitais, o próximo passo natural será inventar e apresentar os próprios serviços digitais, não apenas inovando, mas reinventando modelos de negócio.

Novamente, uma mente aberta é mais do que esperada – É vital.

Alexandre Morais é graduado em Processamento de Dados pela Universidade São Judas Tadeu, e com MBA em Business Management na HEC Paris e Fundação Getúlio Vargas. Atua há mais de 20 anos no setor de Tecnologia da Informação, sendo os últimos seis na empresa Atos América do Sul. Atuou como head de integração de sistemas na Siemens, companhia na qual esteve por 14 anos. Nesta função, foi responsável pelas operações e entregas de integração de sistemas. Atualmente, é head de Transformação Digital e Consulting da Atos América do Sul e SAP da Atos Brasil, sendo responsável pelo gerenciamento de consultoria de TI, incluindo desenvolvimento de negócios, propostas, análise de bid, entregas e profit and loss.

Tags,

Atos lança aplicativo para o varejo do futuro

A Atos, líder internacional em serviços digitais, acaba de lançar um aplicativo voltado para a transformação digital do varejo. O aplicativo, chamado Atos Connected Shopping, foi desenvolvido na Fábrica de Software da Atos, em Londrina (PR), e promete mudar a experiência de compra em estabelecimentos como supermercados, atacadistas, lojas de materiais de construção e móveis, entre outros.

Com o Atos Connected Shopping, não será mais preciso, por exemplo, se locomover dentro de um supermercado carregando todos os produtos dentro do carrinho. Basta baixar o app, escanear o código de barras ou QR code do produto com o smartphone, selecionar quantas unidades pretende comprar e realizar o pagamento no caixa. A ideia é garantir mais praticidade, agilidade e conforto ao consumidor.

Após a compra, o cliente poderá retirar os produtos diretamente na saída da loja, recebê-los onde estacionou seu veículo ou até mesmo por delivery, de acordo com a política de cada estabelecimento. O aplicativo vai facilitar também a comercialização dos chamados produtos de alto risco – bebidas alcoólicas, cigarros, perfumes etc. – que ficam armazenados fora das prateleiras dos supermercados e são retirados após a compra.

Integração

O aplicativo pode ser totalmente integrado com os softwares já existentes no varejo, diminuindo o custo de implementação pelas empresas. Ele pode ser utilizado com ou sem conexão de internet. Porém, a presença de Wi-Fi na loja melhora a experiência do usuário, já que é possível ter acesso a informações do produto (foto, descrição, preço), além de ter acesso a produtos semelhantes ou relacionados, o chamado cross-selling.

“A ferramenta foi criada utilizando os dispositivos mais modernos para aprimorar a experiência do consumidor”, diz Alexandre Morais, head de Transformação Digital da Atos América do Sul. “O Atos Connected Shopping é uma ferramenta que além de fidelizar os clientes, é capaz de aumentar o ticket médio das lojas”, adiciona.

O executivo exemplifica que um carrinho de compras mais vazio abre espaço para outros produtos. O cliente, por sua vez, sente-se mais confortável com um carrinho mais leve e tem menos pressa de ir embora da loja.

Prateleiras inteligentes

Além do aplicativo, a Atos possui know how global para oferecer tecnologias de identificação de consumidores na loja, como um mapa de calor, que auxilia as empresas a gerenciar ou remanejar produtos para locais onde há maior circulação ou visualização por parte dos clientes, garantindo melhores ofertas e aumento exponencial de vendas, seguindo seu perfil de consumo.

“Para a Atos, os processos de transformação digital devem abranger não apenas tecnologia, mas também processos, gestão de mudança, integração e principalmente a experiência do cliente”, afirma Alexandre Morais.

“É importante que todas as soluções entreguem valor agregado para o cliente. A Transformação Digital não está na adoção da tecnologia por si só, mas na mudança introduzida no processo de negócio, que cria uma nova alternativa para o consumidor se relacionar com a empresa. Este é o segredo do sucesso”, acrescenta Sergio Saad, gerente de consultoria em Transformação Digital e Negócios da Atos.

Tags, , ,

Transformação digital não depende de tecnologias disruptivas – Por Alexandre Morais

É indiscutível que cada vez mais caminhamos para a transformação digital em todos os âmbitos de nossas vidas, especialmente nas relações corporativas. Empresas que ainda resistem em discutir a digitalização de suas atividades perdem a chance de diminuir custos, otimizar recursos materiais e humanos, reduzir tempo de trabalho e até mesmo de obter insights de novos modelos de negócios, sendo esta a principal característica da transformação digital.

Porém, é importante ressaltar que para um processo desse tipo acontecer este não se depende, necessariamente, da adoção de tecnologias disruptivas para ser bem sucedido. É possível promover mudanças organizacionais relevantes com ferramentas já existentes no mercado, desde que adaptadas a modelos de negócios diferenciados, que tenham como foco a experiência do cliente.

Um exemplo claro disso foi o que ocorreu nos Jogos Olímpicos Rio 2016, com a implementação de um sistema em Cloud no gerenciamento das operações de TI. A tecnologia de computação em nuvem não era nova, mas a orquestração de todas as aplicações de TI, ofertadas por diferentes fornecedores, com um sistema integrado coordenado pela Atos, foi uma verdadeira transformação digital dos Jogos.

A partir de um único centro de operações, essa transformação permitiu desde a entrega de resultados esportivos em tempo real até a neutralização de milhões de incidentes de segurança.

Alinhamento estratégico

Outro fator fundamental para as organizações que pretendem acelerar seus processos de transformação digital é o alinhamento estratégico de objetivos, que precisa envolver os níveis executivos da companhia. Essa coordenação é indispensável quando a transformação exige mudanças de gestão e de cultura organizacional, que podem necessitam garantir o engajamento em todos os níveis.

Em outras palavras: convencer executivos e gestores sobre a necessidade de romper paradigmas e apostar em soluções inovadoras é sempre um dos primeiros passos de um processo de transformação digital bem sucedido.

Além disso, contar com o apoio de um consultor de qualidade, capaz de orientar os esforços de transformação é um fator crítico para o sucesso. Esse parceiro pode guiar a empresa na hora de definir que tipo de tecnologia é mais adequada para sua realidade naquele momento ou projeto específico.

A computação em nuvem, por exemplo, pode reduzir custos de TI e agilizar processos. No entanto, para utilizá-la, é necessário realizar, de forma estruturada, a migração das plataformas atualmente utilizadas, um processo que exige know-how e experiência comprovada.

Outra tecnologia de ponta, a análise de Big Data, é cada vez mais importante na relação entre as empresas e seus clientes, permitindo maior fidelização e oferta de produtos segmentados de acordo com seus hábitos de consumo. Mas também demanda a digitalização de processos e a adoção de sistemas de gestão avançados.

O universo digital passa por constantes transformações. Hoje, temos modelos de negócios inovadores que crescem rapidamente tomando o espaço daqueles dominavam o mercado há poucos anos. No futuro, certamente teremos novidades ainda maiores, com a consolidação da internet das coisas (IoT) e da computação cognitiva, por exemplo.

Por isso, não ter medo de mudanças e estar sempre atualizado sobre as tecnologias de vanguarda é essencial. Mas também é preciso ter em mente que muitas ferramentas capazes de modernizar o negócio já estão à disposição. É possível agir agora.

Alexandre Morais é graduado em Processamento de Dados pela Universidade São Judas Tadeu, e com MBA em Business Management na HEC Paris e Fundação Getúlio Vargas. Atua há mais de 20 anos no setor de Tecnologia da Informação, sendo os últimos seis na empresa Atos América do Sul. Atuou como head de integração de sistemas na Siemens, companhia na qual esteve por 14 anos. Nesta função, foi responsável pelas operações e entregas de integração de sistemas. Atualmente, é head de Transformação Digital e Consulting da Atos América do Sul e SAP da Atos Brasil, sendo responsável pelo gerenciamento de consultoria de TI, incluindo desenvolvimento de negócios, propostas, análise de bid, entregas e profit and loss.

Alexandre Morais é graduado em Processamento de Dados pela Universidade São Judas Tadeu, e com MBA em Business Management na HEC Paris e Fundação Getúlio Vargas. Atua há mais de 20 anos no setor de Tecnologia da Informação, sendo os últimos seis na empresa Atos América do Sul.

Tags,