Ribon levanta R$ 20 milhões em rodada post-seed

Ribon levanta R$ 20 milhões em rodada post-seed

A Ribon, startup brasileira que possibilita a qualquer pessoa ter a experiência de doar para instituições de caridade sem tirar dinheiro do bolso, recebe aporte de R$ 20 milhões em investimento post-seed liderado por Valor Capital Group, seguido dos fundos Venture Capital Bitkraft, Kenetic, Flori Ventures e 2TM, holding que controla o Mercado Bitcoin, além de investidores anjos como Gabby Dizon (CEO da YGG) e Fernando Martinelli (CEO da Balancer). Os recursos levantados serão utilizados para o lançamento do protocolo Ribon em blockchain, o qual possibilitará a distribuição automatizada das doações, além da recompensação – via tokens – dos doadores e plataformas que contribuírem para o funcionamento do protocolo.

Com sede no Distrito Federal, a Ribon foi fundada em 2016 com o objetivo de estimular a cultura de doação no ambiente digital, e com isso, levantar recursos para projetos que estão trabalhando para solucionar problemas sociais em todo o mundo. Ao acessar a plataforma da Ribon, não é necessário desembolsar valor algum para ter a experiência de doar para os projetos disponíveis. O valor das doações, no entanto, é financiado por Promotores: pessoas e empresas que colocam dinheiro na Ribon com o objetivo de incentivar com que mais pessoas criem o hábito de doar para caridade. 
 

“Em vez de pedir ou insistir para que as pessoas doem para a caridade, a Ribon mostra que é possível fazer o bem, com uma experiência de doação gratuita, além de garantir que os valores doados chegarão ao seus destinos finais de forma eficiente e segura. Após ter essa experiência, muitas pessoas se interessam pelo movimento e começam a doar do próprio bolso”, afirma Rafael Rodeiro, CEO e fundador da Ribon.
 

Em 2021, o modelo de negócios único da Ribon ganhou o prêmio da Bill & Melinda Gates Foundation como um dos 10 projetos mais inovadores no mundo na área de filantropia. “Agora está na hora de trazer o que criamos para o mundo crypto. Esse processo vai nos ajudar a crescer de forma rápida e permitir a internacionalização da Ribon”, completa. Ainda este ano, a empresa pretende também lançar seu token de governança, para que uma Organização Autônoma Descentralizada (DAO) passe a gerenciar o protocolo em blockchain.
 

Com o novo investimento, a Ribon visa aumentar o número de doadores recorrentes em todo o mundo – hoje, já são mais de 50 mil doadores ativos na plataforma. Esse crescimento geraria um impacto grande no ecossistema, possibilitando a startup alcançar o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 1 da ONU – Organização das Nações Unidas – em ser um agente chave na erradicação da extrema pobreza até 2030.
 

“O investimento que estamos direcionando para a Ribon, que possibilita a doação para causas sociais em criptomoedas, faz parte da nossa estratégia de implementar o uso de ativos digitais, cada vez mais, no dia a dia das pessoas.”, afirma Roberto Dagnoni, CEO da 2TM.
 

A startup conta também com outros investidores anjos, sendo eles Michiel Lescrauwaet (Tioga Capital), Yuan Han Li (Blockchain Capital), Ricardo Simon (Eclipseon), Lior Messika (Eden Block), Andrea Chang (NGC), Howard Peng, John Kwak (Elipti Ventures), Alex Buelau (Parfin), Guto Martino (Hathor).
 

“É interessante acompanhar como a Ribon tem usado a tecnologia para conectar doadores a instituições e incentivar a cultura da doação em todo o mundo. Acreditamos no modelo de negócio da empresa e na sua capacidade de transformar a forma como as pessoas fazem doações nos dias de hoje”, declara Eduardo Vasconcellos, do Valor Capital Group.
 

Também participaram da rodada investidores anjos como Gabby Dizon (CEO da YGG), Fernando Martinelli (CEO da Balancer), Michiel Lescrauwaet (Tioga Capital), Yuan Han Li (Blockchain Capital), Ricardo Simon (Eclipseon), Lior Messika (Eden Block), Andrea Chang (NGC), Howard Peng, John Kwak (Elipti Ventures), Alex Buelau (Parfin), além dos fundos Redpoint eventures, Harvard Angels e Verve Capital.

Comments are closed