Pesquisa IBM: 67% dos líderes de Supply Chain do Brasil revelam que infraestrutura de tecnologia é principal desafio para os próximos três anos

Pesquisa IBM: 67% dos líderes de Supply Chain do Brasil revelam que infraestrutura de tecnologia é principal desafio para os próximos três anos

Um novo estudo do IBM IBV (Institute for Business Value), intitulado Own Your Transformation, aponta que 67% dos líderes brasileiros de Supply Chain colocam a infraestrutura de tecnologia como o principal desafio das empresas nos próximos dois a três anos — o maior percentual entre os mais de 35 países que participaram da pesquisa. Mais do que isso: 53% desses executivos brasileiros responderam às interrupções na cadeia de suprimentos introduzindo novas tecnologias, como automação. A pesquisa do IBV contou com a participação de 1,5 mil Chief Supply Chain Officers (CSCOs) de todo o mundo.

O estudo vislumbra um cenário de transformação do setor no Brasil ao apontar que 60% dos executivos brasileiros entrevistados estão utilizando abordagens preditivas nas operações da cadeia de suprimentos como forma de gerenciar riscos, além de 49% dos entrevistados confirmarem que estão acelerando investimentos. Nestes dois quesitos, os números do Brasil são superiores à média da América Latina, o que evidencia uma atenção das empresas do país na transformação digital em Supply Chain. Vale acrescentar ainda que inteligência artificial (IA) e machine learning (49%) e nuvem híbrida (40%) são as tecnologias apresentadas na pesquisa que os líderes acreditam que mais auxiliarão nos resultados da organização das cadeias de suprimentos no País no próximo triênio.

“Em geral, o estudo revela que os líderes de Supply Chain estão repensando suas operações com base nos desafios que enfrentaram no pico da pandemia de Covid-19 e também por questões relacionadas à inflação, mudanças climáticas e eventos geopolíticos. A grande maioria está aumentando os investimentos para transformar seus fluxos de trabalho com automação e IA e se aliando ao ecossistema para ser mais sustentável e gerar uma experiência mais satisfatória para os consumidores “, diz Marco Kalil, Head de IBM Consulting no Brasil.

No Brasil, sustentabilidade é tanto um desafio como uma força que impulsiona a mudança para esses líderes. 36% dos CSCOs colocam a sustentabilidade em sua lista de prioridade e 40% veem como um dos maiores desafios para os próximos 3 anos. 42% disseram que acreditam que seus investimentos em sustentabilidade acelerarão o crescimento dos negócios e relatam experimentar a pressão mais direta para a transparência desse tema por investidores e membros do conselho (56%) e clientes (53%).

Os principais resultados globais do estudo mostram ainda que:

“Os Inovadores”: 20% dos entrevistados na pesquisa se destacam por acelerar sua inovação com base em dados para se preparar para um futuro desafiador. Esse grupo já está superando seus pares em métricas-chave, incluindo crescimento de receita anual 11% maior. Eles estão:

— Integrando fluxos de trabalho automatizados em funções organizacionais e com seus parceiros para visibilidade, insights e ação em tempo real (95% a mais do que outros CSCOs).
 

— Modernizando sua infraestrutura de tecnologia: 56% estão atualmente operando em nuvem híbrida e 60% estão investindo em infraestrutura digital para dimensionar e agregar valor.
 

— Foco em segurança cibernética (quase 20% a mais do que outros CSCOs).
 

— Ampliando suas iniciativas de sustentabilidade, com a criação de produtos e serviços: 58% veem oportunidades para melhorar o envolvimento do cliente com a marca por meio dessa temática.

*Metodologia

Em cooperação com a Oxford Economics, o IBM Institute for Business Value pesquisou 1.500 CSCOs e COOs de mais de 35 países e 24 indústrias como parte da 26ª edição da série IBM C-suite Study. Para simplificar, nos referimos à população completa como CSCOs.

Comments are closed