Fujifilm Corporation desenvolve prédio sustentável no Japão para maximizar a criatividade das áreas de design e TI

Fujifilm Corporation desenvolve prédio sustentável no Japão para maximizar a criatividade das áreas de design e TI

A Fujifilm Corporation inaugurará, em maio, a Fujifilm Creative Village, em Tóquio, para abrigar as áreas de Design e Desenvolvimento de TI do Grupo Fujifilm. O objetivo da nova instalação, composta pelos edifícios Clay, para a base de Design, e ITs, para TI, é facilitar que designers e engenheiros de TI maximizem o desempenho. Por meio deste projeto, a Fujifilm fomentará a criatividade e a produtividade dos departamentos e acelerará o desenvolvimento de produtos e serviços inovadores de criação de valor, fortalecendo a parceria entre as divisões e contribuindo para a resolução de problemas sociais.

Os designers da Fujifilm trabalharam no desenvolvimento desde a criação do conceito até o design arquitetônico e espacial da Fujifilm Creative Village. Ambos os edifícios têm um exterior caracterizado por janelas amplas e abertas e construção de concreto sólido e pontiagudo. Além disso, instalações e recursos exclusivos foram introduzidos para permitir que designers e engenheiros de TI expressem sua criatividade em um ambiente espaçoso e sem pilares. Clay contará com um estúdio de vídeo e uma sala de produção de protótipos equipada com impressoras 3D e cabines de revestimento, enquanto o ITs terá um layout de espaço de trabalho que pode ser usado de diferentes maneiras, dependendo da fase de desenvolvimento, incluindo um layout de mesa para pequenos grupos de engenheiros de TI para discutir e criar conceito e cabines individuais para programação e outras tarefas que exigem concentração.

O conceito do Fujifilm Creative Village é fundamentado no desenvolvimento sustentável e empregará uma variedade de tecnologias de economia de energia. O desempenho de isolamento térmico dos edifícios será aprimorado com a instalação de materiais termoisolantes no interior da estrutura do edifício, com adoção de uma “fachada de pele dupla”, estrutura dupla com vidro que cobre as paredes exteriores do edifício para reduzir a o uso de ar-condicionado e de iluminação artificial. Além disso, toda a eletricidade usada será derivada de fontes de energia renováveis para tornar o edifício neutro em carbono.

Comments are closed