Empreendedorismo feminino: 65% das mulheres empreendem sozinhas no online

Empreendedorismo feminino: 65% das mulheres empreendem sozinhas no online

A Nuvemshop, plataforma de e-commerce líder na América Latina, fez um levantamento inédito para traçar o perfil da empreendedora brasileira dona de pequenos e médios negócios. De acordo com a empresa, as mulheres são maioria no digital: 66% das PMEs online são lideradas por elas. Contudo, para muitas delas o empreendedorismo é uma jornada solitária. O estudo indica que, dentre as lojas de mulheres empreendedoras, 65% tem apenas a empreendedora como funcionária.
 

Um dos possíveis impactos desse perfil das empreendedoras brasileiras é a saúde. As mulheres são mais acometidas por problemas de saúde relacionados ao trabalho do que homens: 36,3% delas revelam que já tiveram complicações psicológicas e/ou físicas (homens apenas 20%). “As mulheres ainda precisam enfrentar muitos desafios no mercado de trabalho, como a falta de oportunidades de crescimento, o que faz com que elas busquem um caminho solo para alcançar o próprio sucesso com as estratégias que constroem no contexto digital que nós vivenciamos hoje” comenta Juliana Gusmão, Diretora de Talent Acquisition da Nuvemshop.
 

Grande parte das empreendedoras possui entre 18 e 29 anos – representando cerca de 35% das donas de negócio no online. O percentual mostra que as mulheres têm começado a empreender cada vez mais jovens, enquanto os homens da mesma faixa etária representam 31% dos empreendedores.
 

Ainda, o levantamento aponta que 36,5% das mulheres que lideram e-commerce têm ensino superior completo e 20,2% já concluíram a pós-graduação. Entre os homens, 27,5% não terminaram a faculdade e apenas 10% finalizaram a pós-graduação.
 

Perfil das lojas e uso de redes sociais

Os setores que mais contam com a presença feminina são:

  • Arte (72%), 
  • Materiais para escritório (70%);
  • Acessórios de moda (69%);
  • Produtos eróticos (67%);
  • Joias (63%).

A principal motivação para a criação das lojas online, entre as empreendedoras, é a expansão do negócio para aumentar as vendas (65,3%). Em segundo lugar, ter mais autonomia e liberdade foi um motivo indicado por 48,8% das entrevistadas. “As mulheres abraçaram de vez as vendas online. É muito importante fornecer todas as ferramentas para que mais mulheres possam iniciar e ampliar o seu próprio negócio, expandindo não só o faturamento, mas também permitindo mais flexibilidade para seu dia a dia”, explica Juliana.
 

Em relação à presença no online, os dados mostram que elas são mais ativas nas redes sociais em alta no momento. Segundo o levantamento, as mulheres utilizam mais o WhatsApp como canal de vendas complementar ao site do que homens (76,3% x 67,5%). Já para a criação e publicação de conteúdo da loja e dos produtos, as empreendedoras estão mais presentes nas plataformas que focam em fotos e vídeos:
 

  • 98,2% das mulheres utiliza o Instagram (contra 90,4% dos homens empreendedores);
  • 30,4% delas usa o Tik Tok (contra 18,3% dos homens);
  • 24,5% delas usa o Pinterest (contra 9,2% dos homens).

Já entre dificuldades para empreender, o perfil é bem semelhante entre mulheres e homens: ambos apontam o dinheiro e a falta de crédito como as principais dores. “Nós, da Nuvemshop, temos trabalhados diariamente para que o e-commerce seja um ambiente cada vez mais democrático, possibilitando que as pessoas possam realizar o sonho de terem seu próprio negócio e que sejam bem-sucedidos nesta empreitada, auxiliando-os em todas as etapas da trajetória”, complementa a executiva. 
 

O levantamento também traz outros dados, como:

  • Em 44,7% dos casos, as mulheres já fizeram trabalhos e parcerias com influenciadores digitais e 43% das entrevistadas não trabalharam esse tipo de divulgação em 2021, porém têm interesse para 2022;
  • Questionadas sobre os planos para melhorar ainda mais o seu negócio em 2022, 77% das empresárias responderam aprender mais sobre estratégia de e-commerce.

Comments are closed