Com tecnologia na nuvem, setor financeiro acelera para se tornar full digital

Com tecnologia na nuvem, setor financeiro acelera para se tornar full digital

Por Wagner Jesus, Country Head da Wipro no Brasil 

As recentes mudanças do comportamento do consumidor têm alavancado uma transformação drástica no setor bancário brasileiro. Para atender às expectativas dos clientes, os bancos precisam adotar novas tecnologias que os ajudem a elevar o nível de competitividade para se destacar em um mercado altamente acirrado. É nesse momento que entra em cena a tecnologia na nuvem, que oferece ganhos de agilidade e flexibilidade, necessários para atender aos requisitos de negócios cada vez mais digitais.

Segundo um estudo realizado pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban), sete em cada dez operações bancárias feitas no Brasil em 2021 foram realizadas pela internet e pelo celular. Segundo o levantamento, o resultado foi impulsionado pelo crescimento de 28% nas operações com smartphones, que totalizaram 67,1 bilhões e representam 56% do total. As transações por internet banking aumentaram 6%.

Esses números traduzem o cenário de expansão digital da indústria financeira impulsionado pela mudança de hábito de clientes, cada vez mais ávidos por inovação, e pela entrada agressiva de grandes empresas de tecnologia que agem como bancos.

Na contramão desse cenário, os sistemas legados de grandes instituições financeiras foram construídos com tecnologias que se tornaram obsoletas ao longo do tempo e apresentam uma série de desafios de agilidade, escalabilidade e inovação, além de prejudicarem a agenda de transformação dos negócios. E cada vez mais pressionados por modernização, não resta outra alternativa para as companhias do setor: investir em soluções na nuvem. Por isso, listo abaixo quatro benefícios da tecnologia cloud que podem ajudar as empresas a embarcar em uma jornada 100% digital.

1) Redefinir a experiência do usuário
Os clientes não consideram mais os bancos exclusivamente como guardiões do seu dinheiro. Isso ocorre porque a tecnologia redefiniu completamente as expectativas das pessoas com serviços bancários. Portanto, as instituições devem se concentrar não apenas na transformação digital de seus processos, mas principalmente na experiência dos usuários.  

2) Hiperpersonalização
Para responder a essa clientela exigente, a hiperpersonalização é a solução ideal. Os bancos devem investir nessa ferramenta para interagir com os consumidores em tempo real e fornecer produtos e serviços mais alinhados às suas necessidades. A tecnologia na nuvem e a Inteligência Artificial (IA) estão possibilitando analisar padrões de consumos e hábitos das pessoas, históricos de crédito e outros dados não estruturados para recomendar serviços financeiros mais assertivos.

3) Modelo de negócio orientado por dados
Informação representa um dos ativos mais importantes de uma empresa para orientar a tomada de decisões mais assertivas. Nesse sentido, os bancos estão criando modelos de negócio baseado em dados, que garantem a oferta de serviços bancários mais diversificados e personalizados. A gestão orientada por dados consegue tirar o máximo proveito de recursos disponíveis no ambiente digital, transformando-os em conhecimentos e insights relevantes para alavancar os negócios.

4) O momento é dos microsserviços
Com a adoção de uma estratégia de nuvem aplicável ao core banking, as instituições financeiras teriam ganhos competitivos com uma arquitetura de microsserviços ao poder criar, rapidamente, novas aplicações para atender às necessidades de negócios complexos e em constante mudança.  

Os bancos estão realizando muitas iniciativas de transformação para se alinharem com as expectativas dos clientes. A mudança da chave para uma empresa full digital depende de uma estratégia de nuvem muito bem definida e eficaz. Isso vai permitir abraçar a inovação e preparar as empresas do setor na construção do banco do futuro. 

Comments are closed