Page

Category startup

Santander divulga relatório sobre o impacto do Bitcoin para empresas financeiras brasileiras

O Banco Santander divulgou para seus clientes institucionais, como fundos de investimentos, um relatório sobre a moeda digital Bitcoin. Nele o banco avalia o impacto da tecnologia em empresas do mercado financeiro brasileiro e afirma que ela pode ser tanto uma oportunidade quanto uma ameaça a diferentes setores.

Para explicar a tecnologia a clientes convidados e criar o relatório, o banco convidou a startup brasileira Mercado Bitcoin. “As instituições financeiras estão se movimentando para que não aconteça com elas o que aconteceu com a Kodak, após a popularização da fotografia digital, ou com a Blockbuster após o sucesso da Netflix”, diz Rodrigo Batista, sócio do Mercado Bitcoin.

O Santander avalia que empresas que processam transações de pagamento com cartões de crédito como a Cielo e empresas que emitem estes cartões, como os bancos, podem ser impactados negativamente por conta da agilidade, menor burocracia e menores taxas que envolvem transações com Bitcoin.

Já as bandeiras de cartões como Elo, Visa e Mastercard podem se beneficiar da tecnologia que pode ser utilizada para redução de custos. As bolsas de valores, como a BM&FBovespa, também podem sair ganhando, incluindo moedas digitais em seu portfólio de produtos.

Na conclusão do relatório, o Santander reconhece que uma das barreiras para adoção do dinheiro eletrônico é o medo de seu uso para lavagem de dinheiro. Contudo, o banco diz que essa situação está mudando, informando que grandes bancos já estudam tecnologias de moeda digital. Um dos argumentos usados para tal citação é um relatório em que o banco central inglês afirma o baixo risco do uso do Bitcoin para a prática de lavagem de dinheiro.

Tags, , ,

PAGO, empresa do Grupo Nexxera prestes a completar um ano, pretende transacionar R$25 milhões de reais por mês até outubro deste ano

A PAGO – empresa do Grupo Nexxera, líder nacional em transações eletrônicas financeiras e mercantis no relacionamento das empresas com a sua cadeia de valor – completa um ano de existência em outubro de 2016. Atuando no mercado de captura e subadquirentes de cartões de crédito e débito (atualmente Visa e Mastercard), a empresa procurou se diferenciar de suas concorrentes trabalhando com soluções 100% próprias e inovadoras, o que significa mais flexibilidade para atender as necessidades de seus clientes, como varejistas e prestadores de serviço.

Hoje, transacionando cerca de R$5 milhões de reais por mês – por meio de aproximadamente 750 máquinas de cartão em operação direta, sem contar operações em parceria com bancos e bandeiras – a PAGO pretende alcançar a cifra de R$25 milhões de reais em transações até o fim de setembro/começo de outubro deste ano.

A empresa também tem como objetivo aumentar sua presença de mercado em mais de 500%, colocando 5 mil máquinas de cartão para operar com um tíquete médio variável entre R$7.000 a R$8.000 por mês.

E como a empresa pretende dar este salto? O Diretor da PAGO, Roberto Masotti, explica: “atendemos desde grandes projetos com demanda de customizações e integrações até pequenos clientes (CNPJ ou CPF) com taxas competitivas. O modelo da PAGO permite integração das soluções de captura com as mais diversas necessidades do cliente de forma rápida e segura. A empresa integra bandeiras de cartão regional e private label, ERP do cliente para consulta e envio de dados de transações, recarga de celular, programa de fidelidade, informações gerenciais, entre outras. A PAGO possui toda a linha de terminais de captura já funcionando e com preços competitivos para o cliente adquirir a máquina e não pagar aluguel nem licenciamento pela tecnologia, seja ela POS, mPOS ou TEF”.

O CEO do Grupo, Edson Silva, afirma que o investimento na PAGO é uma estratégia que visa atender a uma necessidade real do mercado de MPEs. “Sabemos que as MPMEs têm dificuldades com as atuais opções no mercado e, por termos ciência do que o mercado precisa, temos a oportunidade de investir em uma empresa como a PAGO que, diferentemente das concorrentes, realiza todas as operações internamente – desde captura até atendimento com SAC próprio -, oferecendo soluções customizadas, com tecnologias 100% proprietárias, para a necessidade específica de cada segmento”, explica Silva.

A PAGO atende atualmente de forma direta cerca de 750 PMEs e já tem estabelecido parcerias com bandeiras regionais para capilarizar sua atuação no cenário nacional.

O Grupo Nexxera investiu R$1,5 milhão nos últimos 12 meses na PAGO que hoje se localiza em Alphaville e emprega 30 funcionários. O Nexxera é o principal gateway de serviços e soluções financeiras e mercantis em termos de marketshare no mundo B2B e o mais relevante fornecedor de conectividade (EDI) do setor, alcançando, com suas soluções, mais de 980 mil CNPJ’s e dois milhões de pessoas físicas conectados em tempo real.

Tags, , , , , ,

Programa MGTI-Stanford rumo ao Vale do Silício

A segunda turma do Programa de Inovação e Empreendedorismo da Fumsoft-MGTI com o Centro de Desenvolvimento Profissional da Universidade de Stanford está prestes a decolar. Os 40 passageiros de 23 empresas já confirmaram seus tickets, estão de malas prontas e se acomodando em seus lugares. Agora em 2016 teremos participantes de cinco cidades de quatro estados, Minas Gerais, Paraná, São Paulo e Rio Grande do Sul, o que demonstra o crescimento do programa em relação a sua edição de 2014, que teve predomínio mineiro entre os inscritos.

Serão novos 40 empreendedores brasileiros que desenvolverão e apresentarão seus projetos inovadores para avaliação dos professores de Stanford, empresários e investidores do Vale do Silício. O programa MGTI-Stanford em 2016 conta com a participação de empresas de base tecnológica de vários segmentos e grau de maturidade bastante diversos, contando inclusive com a participação da gigante nacional TOTVS. Todos os participantes compartilharão um objetivo principal: inovar com sucesso! Além do que será visto e aprendido com a melhor universidade dos Estados Unidos, segundo a revista Forbes, o network empresarial gerado é de valor inestimável para todos os participantes do programa.

A agenda deste ano traz webinars ao vivo em 28 de setembro, 11 e 26 de outubro; um curso online entre 29 de setembro e 28 de outubro; e o ponto alto do programa, a aguardada semana presencial no Centro de Desenvolvimento Profissional de Stanford, de 31 de outubro a 04 de novembro. Além de fomentar uma nova mentalidade inovadora em produtos e serviços de tecnologia, os professores de Stanford possuem grande experiência e visão de negócios, pois muitos empreendedores em série e empresários de sucesso. Todo o currículo é pensado para levar os participantes a um patamar acima do atual em seus negócios, com uma renovada visão sobre como criar e inserir produtos no mercado, com foco na solução das dores dos clientes e na sustentabilidade desses produtos. Como mostra a lista de inscritos, até mesmo empresas maduras e de reconhecido sucesso enxergam os benefícios de participar do programa.

Estas são as empresas da turma de 2016 do Programa MGTI-Stanford:

CRM Educacional, Belo Horizonte/MG; Méliuz, Belo Horizonte/MG; Take.net, Belo Horizonte/MG; Polifrete, Uberlândia/MG Contamobi, Belo Horizonte/MG; Concert, Belo Horizonte/MG; Prime Systems, Belo Horizonte/MG; Enacom, Belo Horizonte/MG; GDAX, Belo Horizonte/MG; Samba Tech, Belo Horizonte/MG; FH, Curitiba/PR; Lavemcasa, Belo Horizonte/MG; Tekann Tecnologia da Informação, Santa Cruz do Sul/RS; Gassend, Belo Horizonte/MG; Fastdezine São Paulo/SP; Hometeka do Brasil, Belo Horizonte/MG; Compass 3D, Belo Horizonte/MG; Sindicato das Empresas de Informática de Minas Gerais, SINDINFOR, Belo Horizonte/MG; RCI, Porto Alegre/RS; Dito, Belo Horizonte/MG; Hekima/Zahpee, Belo Horizonte/MG; Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais, Fapemig, Belo Horizonte/MG; Totvs, Regional Minas Gerais, Belo Horizonte/MG.

Tags, ,

Embratel apoia desenvolvimento de startups e empreendedorismo

Participantes da Android DevConference podem testar e conhecer os benefícios do Cloud Server

A Embratel anuncia novas ofertas para startups e empreendedores no Android DevConference, evento para desenvolvedores da plataforma Android e que acontece nos dias 5 e 6 de setembro, em São Paulo. Novas ofertas de serviços de Cloud e de Hospedagem estão sendo apresentadas pela Embratel para mais de 1.500 empreendedores de todo o Brasil que participam da conferênciae que podem acompanhar apresentações sobre soluções, desenvolvimento de aplicativos e outros temas do universo da tecnologia.

“Estamos com uma série de ações e anúncios em nosso portfólio de soluções para empresas de todos os tamanhos e para destacar o DNA empreendedor da Embratel”, afirma Mário Rachid, Diretor Executivo de Soluções Digitais da Embratel. O executivo destaca que os participantes podem conferir as novidades no Salão de Negócios, onde está o estande da Embratel, para conhecer mais sobre a ampla gama de ofertas convergentes de Telecomunicações e Soluções Digitais para pequenas, médias e grandes empresas.

O evento recebe a visitação também de parceiros de negócios e comunidades apoiadas pela Embratel, como a iMasters, com mais 300 mil profissionais de TI, desenvolvimento e criatividade digital.

A promoção para o Android DevConference é especial. Todos os participantes recebem um voucher com bônus de R$ 500 para experimentar e atestar a qualidade do Cloud Server da Embratel. O Cloud Server é um servidor virtual dinâmico que garante flexibilidade para aumentar ou diminuir a capacidade do servidor segundo a demanda computacional dos clientes. A solução é indicada para empresas de todos os portes que necessitam de uma infraestrutura mais flexível para armazenar com segurança seus projetos.

O Cloud Server possui vantagens como discos virtuais de alta capacidade (Virtual-SAN com tiering SSD) em rede dedicada de 40 Gbps, suporte em português sem custo adicional, melhor tempo de resposta às aplicações devido à maior abrangência de conexão de rede do Brasil, proporcionando melhor tempo de resposta para suas aplicações, e múltiplas funcionalidades via painel de controle para auxiliar a rotina de administração do servidor como ferramenta de Backup, Load Balance, API Restful e vLAN (rede privada). Outra vantagem do Cloud Server é a cobrança, feita conforme o volume de uso do serviço, evitando que as empresas tenham custos imobilizados com a aquisição de equipamentos ou que paguem por recursos não utilizados.

Com diversas configurações disponíveis, o Cloud Server permite a instalação de dezenas de servidores em poucos minutos por meio de Painel de Controle. As opções de memória vão de 512 MB a 256 GB, o processamento varia entre 1 vCPUs e 20 vCPUs, com velocidade de 1 GHZ a 2,5 GHZ, e os discos têm com capacidade de armazenamento de 20 GB a 5.000 GB. A ferramenta funciona nos sistemas operacionais Windows, Ubuntu, CentOS, OpenSUSE, RedHat Enterprise, MySQL e SQL.

Interessados podem contratar o Cloud Server pelo portal https://loja.embratelcloud.com.br.

Embratel no Android DevConference
Data: 05 e 06 de setembro
Local: Hotel Tivoli Mofarrej – Endereço: Alameda Santos, 1437 – São Paulo – SP

Tags, , , ,

Startup Evnts recebe investimento e é acelerada na Oxigênio

Startup recebeu 230 mil reais para expandir suas operações

A Evnts, plataforma tecnológica de reservas de hotéis para
eventos, anuncia um importante momento em sua trajetória. A empresa
recebeu um aporte de R$ 230 mil de um investidor-anjo. Agora, a
startup planeja aumentar a equipe comercial, de tecnologia e
atendimento, além de modernizar as ferramentas e funcionalidades da
plataforma.

“A Evnts é a primeira tecnologia que assegura a melhor tarifa da
internet para a reserva de hotéis em eventos. Há um grande mercado
para ser explorado dentro desse nicho, já que temos inúmeros eventos
em todo país. Com a chegada desse investimento-anjo, teremos a
possibilidade de explorar amplamente esse segmento”, afirma
Alexandre Rodrigues, CEO e fundador da Evnts.

Além do investimento, a startup também foi aprovada no processo da
Oxigênio, aceleradora da Porto Seguro. Durante três meses, a empresa
contará com o apoio de mentores referências no mercado, terá a
possibilidade de fazer negócios e networking com a rede de contatos
da Porto Seguro e ainda receberá um investimento de U$50 mil para
aprimorar o serviço da startup. Por fim, a equipe da Evnts passará
mais três meses na Plug and Play Tech Center, uma das maiores
aceleradoras do Vale do Silício, que tem parceria com a Oxigênio.

“Participar desta aceleração será incrível para nós. Além de
todo aprendizado, ter a Porto Seguro como investidora e parceira é
uma grande oportunidade, já que poderemos trabalhar inclusive em
soluções integradas que sejam aproveitadas pela própria
seguradora”, explica Alexandre.

Atualmente, o mercado de reservas de grupos movimenta aproximadamente
U$137 bilhões no mundo todo. Por meio da Evnts, os organizadores de
eventos conseguem alcançar em média de 20% a 40% de descontos nos
hotéis parceiros. A empresa já ofereceu seus serviços para eventos
importantes, como a Campus Party, o Brasil Game Show e o CASE.

“Temos acordo com as 20 principais redes de hotéis do país. Além
disso, analisamos sempre as melhores opções de hotéis, visando
oferecer alternativas próximas aos locais de eventos, das mais
acessíveis às mais luxuosas, desde que com qualidade garantida. Já
temos mais de 2 mil hotéis em nossa base e há uma grande procura de
novos hotéis a cada evento”, finaliza Alexandre.

Tags, , ,

Startup brasileira de locação de malas mira os mercados do Mercosul e da Europa em 2017

7154be7f-e286-400d-9f96-e4138c3a0a0b

Guillermo Benzáquen, ex-diretor da Samsonite, chega para reforçar o time da GetMalas e coordenar o processo de internacionalização.

Mesmo em meio à crise, a GetMalas, empresa pioneira na locação de malas via internet, mantém seus planos de crescimento e planeja expandir suas franquias para o Mercosul e Europa no próximo ano. À frente desse movimento está o executivo Guillermo Benzáquen, ex-diretor geral da Samsonite para o Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai, e com passagem pela Freddo e AB InBev Group. Benzáquen entra como sócio e assume o relacionamento com parceiros, investidores e a coordenação de expansão.

“A vinda de Guillermo é um reforço de peso para o nosso time. Sua experiência com os principais players e fornecedores do nosso mercado-alvo é exatamente o que estávamos buscando para o crescimento do negócio”, comemora Tiago Botelho, 33 anos, CEO e fundador da GetMalas.

A GetMalas nasceu a princípio como uma loja de aluguel de malas em Belo Horizonte. Mas a experiência levou Tiago a mudar o formato e aperfeiçoar o negócio. Ele fechou a loja física ainda no primeiro ano e só não abandonou o projeto porque colhia indicadores e viu que os clientes percebiam valor no serviço inovador. Hoje a GetMalas tem suas operações rodando 100% pela internet e, apenas três anos após sua criação, tornou-se uma franquia que se expande rapidamente pelo Brasil e já está presente em Brasília, João Pessoa, Natal, Nova Lima, Niterói, Porto Alegre e São Paulo, além da capital mineira. O objetivo é fechar o ano com 20 franqueados espalhadas pelo país.

A experiência em Belo Horizonte ajudou a desenhar um serviço bem mais redondo e enxuto. Tiago sabe onde falhou, fez as correções necessárias e, com isso, abriu os caminhos para quem deseja começar um negócio próprio. “A vivência dos três primeiros anos me ajudou a construir um negócio mais maduro. Quem vai começar agora com a franquia pode percorrer o mesmo caminho em bem menos tempo e evitar todos os erros que cometemos”, explica. Uma das mudanças que conferiu mais agilidade ao negócio foi eliminar alguns processos aparentemente intocáveis. “Antes o cliente tinha que assinar um contrato de locação e deixar um cheque caução como garantia, o que deixava a operação complexa, engessada e, no final das contas, encarecia o produto. Agora o processo é totalmente digital e com o mesmo amparo jurídico”, explica.

Um dos grandes atrativos da franquia GetMalas é que ela pode funcionar como uma segunda atividade do investidor. O franqueado precisa apenas de um espaço de 2 a 4 metros quadrados em casa para armazenar as malas. O investimento inicial é baixo, a partir de 15 mil reais, já com um estoque de 20 malas. E, diferente da maioria das franquias, não existem royalties fixos. Estes só são cobrados em cima de locações efetivadas. “A operação do negócio é simples, não requer dedicação integral e tem uma boa oportunidade de escalabilidade, já que as expectativas de crescimento são excelentes”, explica Tiago. A empresa recebe o cadastro de interessados pelo site www.getmalas.com.br

GetMalas, como tudo começou

Quando se mudou para um flat, em 2013, o empreendedor Tiago Santiago Botelho, 33 anos, de Belo Horizonte, descobriu que precisaria fazer um exercício de desapego por causa da falta de espaço. Um dos objetos dos quais ele precisou se despedir foi da sua mala. “Eu não tinha ideia de quando a usaria novamente e não tinha onde guardá-la porque era enorme”, relembra. Ele pensou em quantas pessoas deveriam passar pela mesma situação e decidiu resolver não só o seu problema, mas dos outros também. Foi aí que surgiu a ideia da GetMalas.

“O aluguel representa em média 15% do que a pessoa pagaria para comprar uma mala, além disso o consumidor não precisa se preocupar com estragos e espaço para armazenamento”, destaca Tiago. “Trata-se de uma forma de consumo muito mais consciente, inteligente e econômica”. É só fazer as contas: para adquirir uma mala de qualidade, o consumidor precisa desembolsar em torno de 750 reais. Na GetMalas, por 94 reais é possível alugar uma mala média por até 14 dias. A locação de objetos é um exemplo de economia compartilhada, um novo modelo de consumo que vem ganhando força em todo o mundo. O produto que atenderia apenas uma pessoa tem seu uso ampliado e o descarte reduzido.

Tags, , , ,

VanHack promove 2ª edição do VanHackathon e pretende receber mais de 10 mil profissionais

A VanHack, empresa canadense que ajuda brasileiros a trabalhar no mercado digital do país da América do Norte, promove nos dias 21, 22 e 23 de outubro, a 2ª edição do VanHackathon, de forma virtual.

Com o objetivo de promover a imigração de novos talentos interessados em trabalhar fora do Brasil e ter uma carreira promissora no país, o VanHackathon vai conectar profissionais de design e programadores de TI a empresas no Canadá que estão à procura de jovens com essas habilidades e funções para fazer parte da equipe.

“Devido à grande procura e o sucesso que tivemos durante o primeiro evento, decidimos promover a 2ª edição. Nosso objetivo é alcançar o maior número de especialistas no setor que não tiveram a oportunidade de se inscrever da última vez. Nós pretendemos receber mais de 10 mil profissionais e queremos ser o segundo maior hackathon do mundo”, afirma Ilya Brotzky, CEO da VanHack.

Na primeira edição, o VanHackathon reuniu aproximadamente 20 empresas, dentre elas Hootsuite e Shopify e contou com mais de 946 participantes distribuídos em 64 times, com a duração de 54 horas. Durante a ocasião, foram realizados mais de 267 projetos, 26 entrevistas de emprego e enviadas aproximadamente 36 mil mensagens aos representantes de cada área. Como resultado do evento, sete pessoas foram contratadas pelas empresas canadenses.

Devido a atual situação financeira e política do Brasil, nos últimos anos houve um aumento expressivo no número de pessoas interessadas em trabalhar fora do país. De acordo com a Receita Federal e o Fisco, o número de declarações de imigração qualificada aumentou em 67% de 2011 para 2015. Em 2011, a Receita Federal recebeu em torno de 8 mil declarações, em média 21 para cada dia do ano. Já em 2015, foram 13 mil, com uma média diária de 36.

O evento custará CAD$ 10/mês para os profissionais participarem dessa interação e ter acesso a cursos, consulta pelo Linkedin, Webinars e vídeos semanais que fazem parte dos conteúdos disponíveis no pacote Pro da VanHack. Quem optar por pagar CAD$ 65/mês pelo pacote Premium, contará com uma equipe de especialistas da empresa para auxiliar na capacitação e ingresso no mercado de trabalho canadense, suporte na criação do currículo, quatro horas de entrevistas por semana que será realizada em inglês, apresentações e vídeos exclusivos feitos pelo time da empresa.

“Queremos unir a demanda e a necessidade do Canadá em buscar profissionais qualificados para vagas em aberto nas empresas de tecnologia com a atual situação econômica do Brasil e o alto número de pessoas que estão a procura de novas oportunidades de trabalho. Nosso objetivo é proporcionar novas experiências e ajudar a aumentar o círculo de networking entre as duas partes”, finaliza Brotzky.

A segunda edição do VanHackathon será apresentada em inglês com o objetivo de mostrar as habilidades para as empresas canadenses participantes. As inscrições podem ser feitas aqui.

Tags, , , ,

Apex-Brasil organiza semana de eventos no Vale do Silício

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) organiza, de 12 a 16 de setembro, a Brasil Week Silicon Valley, em São Francisco, Estados Unidos, com o objetivo de oferecer aos parceiros e investidores internacionais informações qualificadas sobre o ecossistema de capital empreendedor no Brasil, com suas peculiaridades, tendências e oportunidades.

Durante uma semana serão realizados quatro eventos onde o setor brasileiro de tecnologia será o destaque. O principal deles será o 3º Demo Day Apex-Brasil & Start-Up Brasil, no dia 12 de setembro, onde 11 startups brasileiras vão apresentar seus projetos a investidores norte-americanos. O encontro será realizado dentro do Tech Crunch Disrupt, conferência anual onde as startups de tecnologia lançam seus produtos e serviços a um público formado principalmente por investidores e pela mídia especializada.

Na semana anterior, as startups brasileiras – selecionadas pela Apex-Brasil e pelos programas Start-Up Brasil, do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) com gestão da Softex, e o Inovativa, do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) – participam do Programa Catalyzer, uma missão de imersão no Vale do Silício. Na programação estão workshops com investidores, visitas a empresas da região, treinamento de apresentação de projetos e um curso de design thinking na Universidade da Califórnia em Berkeley.

A agenda da Brasil Week inclui ainda um evento de relacionamento com investidores em venture capital, aceleradoras, investidores-anjo e empresas brasileiras, realizado no dia 13 de setembro, em parceria com o fundo investidor RedPoint EVentures. No dia 14, a Associação Brasileira de Private Equity & Venture Capital (ABVCAP) organiza reuniões privadas entre gestores de recursos brasileiros e investidores estrangeiros (fundos de pensão, seguradoras e family offices), e no dia 15, realiza o 4º Seminário Venture Capital in Brazil, com o objetivo de conectar fundos de investimentos brasileiros de venture capital e investidores estrangeiros.

Para encerrar a programação da Brasil Week, a Apex-Brasil participa de painel na conferência Brazil in the 21st Century, organizada pela Associação Bay Brazil, que nas últimas quatro edições reuniu empresários, investidores, representantes do governo e líderes do setor privado para discutir ciência, tecnologia, empreendedorismo e papel do Brasil na economia global.

“O Brasil é um celeiro de empresas nascentes inovadoras e vem atraindo a atenção dos investidores internacionais. Esse evento, realizado no Vale do Silício, um dos ecossistemas de TI mais vibrantes do mundo, nos permite apresentar o potencial de negócio de nossas startups. É também uma oportunidade para que elas possam compreender a importância de pensarem seus negócios de forma global para que possam ser bem-sucedidas em um mercado cada vez mais competitivo”, disse Maximiliano Martinhão, Secretário de Política de Informática (Sepin) do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

“O Vale do Silício é o maior ecossistema de inovação do mundo e possui uma grande concentração de recursos em Venture Capital”, comenta o presidente da Apex-Brasil, Embaixador Roberto Jaguaribe. Segundo ele, o relacionamento com investidores estrangeiros requer tempo para ser construído e a Apex-Brasil tem trabalhado nisso. “Pela primeira vez, a Agência organiza eventos que eram realizados em datas distintas em uma semana chamada Brasil Week para mostrar positivamente, e de forma coordenada, o Brasil como um destino de recursos que oferece de oportunidades inovadoras e de qualidade”, completa.

A segunda edição da Brasil Week será realizada em São Paulo, em outubro, e o ponto alto será o Corporate Venture in Brasil, que vai reunir grandes corporações globais e nacionais interessadas em se relacionar com startups, fundos e aceleradoras envolvidos no ambiente de inovação e atração de investimentos.

Mais detalhes em http://brasilweeksv.apexbrasil.com.br/

Tags, , , ,

Banco do Brasil recebe evento de fintechs

Nos dias 16, 17 e 18 de setembro, o Banco do Brasil abre suas portas para receber o seu primeiro Startup Weekend Fintech, edição especial do maior evento de empreendedorismo do mundo. Pela primeira vez em Brasília e no BB, o evento promoverá um encontro de 54 horas, entre desenvolvedores, designers, profissionais do setor financeiro e empreendedores, para que sejam desenvolvidas ideias de negócios.

O Startup Weekend Fintech está em sua terceira edição no país (as edições anteriores ocorreram em São Paulo) e pretende reunir até 120 pessoas, para trocar ideias, contatos e, até mesmo, criar novas empresas que tragam inovação ao setor financeiro. O facilitador do evento será Tony Celestino, Diretor da Techstart Startup Programs, no Brasil. De acordo com informações da Techstart, aceleradora de startups internacionais e detentora do formato, mais de 13 mil startups já foram criadas nos eventos mundiais do Startup Weekend.

A programação do Startup Weekend Fintech contempla formação de equipes para criar modelos de negócios, desenvolver ideias escolhidas, envolvendo programação, design e validação de mercado; mentorias, para auxiliar as equipes na implementação e validação dos projetos; palestras; oficina de pitches (apresentações concisas, para expor ideias) e banca de jurados para selecionar as ideias com maior potencial de negócio. O BB, apoiador e cenário do evento, participa ainda com a presença do seu Diretor de Negócios Digitais, Marco Mastroeni.

“A decisão do BB de apoiar o evento parte de um princípio de cooperação com as fintechs. O Banco do Brasil não as vê como concorrentes e apoia ideias inovadoras, tanto dos nossos próprios funcionários, como de fintechs. Vale ressaltar que é preciso estar 100% do tempo antenado no que os clientes pedem e no que você pode surpreendê-los”, afirma Mastroeni.

O BB pretende, continuamente, melhorar a experiência dos usuários, sob todos os aspectos, e continuar fazendo frente aos novos entrantes digitais. “O nosso objetivo é que o BB esteja cada vez mais presente no dia a dia das pessoas, facilitando suas vidas com inovadoras soluções”, completa o diretor.

As inscrições para participar estão abertas, custam R$ 175 e podem ser feitas até a véspera do evento, ou término das vagas.

Startup Weekend Fintech Brasília

Quando: 16, 17 e 18 de setembro
Onde: Edifício Sede do Banco do Brasil (SAUN, quadra 5, Lote B, Brasília – DF).
Mais informações e inscrições: http://www.up.co/communities/brazil/brasilia/startup-weekend/9382

Tags, , , ,

Principais startups do ramo de saúde criam primeiro cluster de saúde digital do Brasil

Seis das startups mais reconhecidas do mercado acabam de criar o 1o Cluster de Saúde Digital do Brasil, que reúne seus serviços com o objetivo de atender e gerar mais valor aos grandes players do mercado, como Hospitais, Laboratórios, Operadoras e Seguradoras de Saúde e o setor Farmacêutico.

As startups que compõem o Cluster já auxiliam diretamente quase 1 milhão de usuários com seus produtos e serviços. São conhecidas no mercado e entre as startups de Saúde, e juntas conseguem atender várias linhas de negócios em pequenas, médias ou grandes instituições de saúde.

Sobre o Cluster de Saúde Digital

A ideia do “cluster” surgiu tendo em vista o atual cenário das startups e instituições de saúde. “De um lado temos as empresas de saúde consolidadas, sem tanto problemas financeiros, que desejam trabalhar com startups mas cujos processos internos acabam dificultando as implantações”, disse Immo Paul, fundador da Carenet, startup responsável pela análise de dados de saúde móvel. “Já do outro temos as startups, com propostas que ajudam de verdade as empresas e que matam um leão por dia pra encontrar seu nicho”, completou.

Fernando Nandico, do MovaMais, startup que recompensa atividades físicas, disse ter gostado da ideia desde o início. “A possibilidade de cross-selling é imensa e com este Cluster já estamos presentes em 4 estados do Brasil, que vai ajudar no crescimento dos membros (DF, SP, MG e SC)”.

Já para Lívia, fundadora do Dr. Cuco, startup responsável pela adesão de medicamentos, a união das startups criará um marco histórico no mercado de Saúde do Brasil. “Não encontramos nenhuma iniciativa parecida, com a proposta de realmente acompanhar a jornada do paciente com ferramentas digitais de engajamento”, completou.

“Apesar de já atendermos grandes clientes, acredito que o Cluster conseguirá dar musculatura para as startups e aumentar ainda mais o valor agregado para as empresas”, comentou a Dra. Cristiane Benvenuto, cofundadora do Medicinia, startup responsável pela comunicação entre médicos, profissionais de saúde e pacientes.

Para Ricardo Moraes, CEO da Memed, startup responsável pela solução de e-prescrição e consulta de medicamentos, o cluster proporciona uma abrangência de conhecimentos fazendo com que o mercado de saúde se fortaleça. “Essa troca de experiências e misturas faz surgir um mercado sólido que supre todas as áreas e necessidades dos nossos clientes”, acrescentou.

O fundador da Cybergia, Dr. André Queiroz, startup responsável pela gestão da saúde populacional, comentou que pelas startups serem totalmente complementares, não concorrentes, a união entre elas só vem agregar mais valor ao mercado em geral. “Somos todos guerreiros neste imenso mercado de Saúde do Brasil e juntos conseguiremos oferecer uma proposta de valor mais completa”, disse ele.

Ao invés de gerenciar cada um dos serviços, as empresas interessadas em fazer negócios com o Cluster poderão acessar um Painel único com todos os dados referentes às startups que contrataram. A integração entre as startups beneficiará também seus atuais clientes, que podem contratar serviços complementares de forma mais simples e integrada.

É sempre um desafio para as startups conseguirem atender as recomendações das empresas, pois elas (startups) geralmente resolvem um problema específico e são focadas em uma única solução. Os membros do Cluster estão convencidos que juntos, acumulando 50 anos de experiência profissional na saúde, poderão atender qualquer desafio dos seus clientes.

As startups do “cluster” já tem reuniões de vendas agendadas em conjunto, para apresentarem uma solução mais completa aos clientes e promoverem o próprio Cluster.

Startups participantes do Cluster

Foco em integração:
Carenet Longevity (www.carenet.com.br) acelerada pela Wayra / Telefônica Open Future
A Carenet foi fundada por sócios suíços e brasileiros, e desenvolveu a maior Plataforma de Integração de Dados de Saúde Digital da América Latina, ajudando empresas a aproveitar dos dados gerados por wearables, aplicativos de saúde, smartphones e dispositivos médicos, de forma rápida e sem grandes investimentos.

Foco em recompensas:
MovaMais (http://movamais.com)
Mova Mais é uma plataforma de motivação para a prática continuada de atividades físicas através da oferta de recompensas aos consumidores.

Foco em tratamento:
Dr. Cuco (http://www.drcuco.com.br)
Fundada em 2015, o Dr. CUCO oferece soluções para melhorar a experiência do tratamento médico dos pacientes.

Foco em comunicação:
Medicinia (https://medicinia.com.br)
Medicinia foi criado em 2012 para reinventar a comunicação em saúde, aproveitando tudo o que a tecnologia pode oferecer para aproximar de forma seguro, humana estruturada as equipes de saúde e seus pacientes.

Foco em prescrição:
Memed (https://memed.com.br)
A Memed é uma plataforma online, onde médicos podem consultar mais de 20.000 medicamentos e fazer prescrições eletrônicas, de maneira rápida e eficiente.

Foco em promoção:
Cybergia (http://cybergia.com.br)
A Cybergia é uma plataforma web para saúde populacional, que promove saúde, previne doenças e ajuda o gestor a diagnosticar e implementar estratégias populacionais.

Tags, , , , , , , ,

Startups focadas em soluções digitais para a área da saúde têm até domingo para se inscrever em prêmio

Descobrir jovens empresas de tecnologia e incentivar o desenvolvimento de soluções digitais inovadoras que contribuam para os cuidados com a saúde. Esse é o objetivo da 2ª edição do prêmio Desafio Pfizer, que selecionará três startups nacionais de Saúde Digital para um programa de mentoria com executivos da Pfizer no Brasil e nos Estados Unidos. Os interessados em participar da iniciativa, promovida em parceria com a Berrini Ventures, aceleradora de startups na área da saúde, podem se inscrever por meio do site www.desafiopfizer.com.br, até o dia 4 de setembro.

“O sucesso obtido no lançamento do prêmio em 2015 nos motivou a planejar uma nova edição. Para a Pfizer, que tem a inovação em seu próprio DNA e investe fortemente em pesquisa e desenvolvimento em busca de novos tratamentos, essa é uma grande oportunidade de impulsionar o desenvolvimento de produtos e soluções que ajudem a melhorar a prática médica e, consequentemente, a vida dos pacientes, criando valor para a sociedade como um todo”, afirma o diretor comercial da Pfizer, Vagner Pin, que também lidera na companhia a área de Multi-Channel Marketing, idealizadora do projeto.

Startups brasileiras podem participar em três etapas: early-stage (em fase inicial de desenvolvimento), commitment (empresas já constituídas, com solução em uso beta por usuários) e scalling (com produtos finalizados e em crescimento expressivo no número de clientes). Entre as empresas inscritas, 12 serão selecionadas para apresentar seus projetos a uma banca multidisciplinar formada por executivos da Pfizer, da Berrini Ventures e de hospitais e grandes empresas na área de saúde.

As três vencedoras serão anunciadas no dia 27 de setembro, durante o Hospital Innovation Show, em São Paulo. Entre os mentores do prêmio estão Maria Lanzarone (diretora de Produto para a América Latina da Pfizer Inc), Sílvio Ferrari (diretor de Marketing e Vendas da Área Hospitalar da Pfizer Brasil) e Fernando Cembranelli (CEO da Berrini Ventures). O grupo terá encontros presenciais e virtuais com as startups vencedoras.

Os três primeiros colocados participarão do ciclo de aceleração da Berrini Ventures. “Só nos Estados Unidos, o setor de Digital Health recebeu quase US$ 1 bilhão em investimento nos primeiros quatro meses do ano. No Brasil, o mercado ainda é incipiente, mas tem grande potencial de se desenvolver”, destaca Cembranelli.

Globalmente, desde 2004, a Pfizer investe em empresas inovadoras em todo o mundo por meio da Pfizer Venture Investments, seu braço em Venture Capital.

Vencedores da primeira edição

A primeira edição do Desafio Pfizer foi realizada no ano passado. Os quatro vencedores foram a LinCare (que desenvolveu uma pulseira inteligente para monitoramento de idosos), Epistemic (com um projeto de dispositivo para detecção antecipada de surtos epilépticos), DoctorID (tecnologia para gestão de escalas e plantões médicos) e Clever Care (solução para monitoramento de pacientes a distância).

Para a fundadora da LinCare, a empresária Ana da Mata, participar do Desafio Pfizer foi uma experiência rica, que ajudou a empresa a se desenvolver. “O contato com uma empresa de renome mundial nos fez amadurecer e enxergar possibilidades por meio da ajuda e da colaboração dos mentores da Pfizer. Ganhamos uma aprovação do negócio e a ajuda de experts que colaboraram com a startup”, afirma. Ela destaca também a importância do apoio da Berrini Ventures para as startups vencedoras no processo de aproximação do mercado de São Paulo. “Trocamos contatos, participamos de eventos e nos ajudamos. Foi incrível”, completa.

Um dos mentores da primeira edição do prêmio, o diretor da Unidade de Vacinas da Pfizer Brasil, Marco Ferrazoli, destaca que a parceria com as startups é um processo de aprendizagem mútuo, em que ambas as partes saem fortalecidas. “De um lado, provocamos os empreendedores para que pudessem desenvolver uma visão mais estratégica de planejamento e de gestão financeira, sempre pensando no longo prazo. Ao mesmo tempo, também aprendemos lições importantes que estão totalmente alinhadas com as premissas de uma organização global, como pensar grande, mas sem esquecer que muitas vezes é preciso começar de baixo, sempre validando as estratégias ao longo do percurso”, ressalta.

Desafio Pfizer 2016

Inscrições: até 4 de setembro, por meio do site www.desafiopfizer.com.br
Avaliação das 12 startups finalistas: 15 de setembro
Premiação das 3 startups vencedoras: 27 de setembro
HIS – Hospital Innovation Show – São Paulo Expo (Ex-Imigrantes)

Tags, ,

Evento que lançou o Easy Taxi agora pretende criar a fintech mais inovadora do Brasil

O maior evento de incentivo do empreendedorismo do mundo, o Startup Weekend, tem sua edição voltada para FinTechs no Rio

Após duas edições de sucesso em São Paulo, que contaram com mais de 200 participantes, o Startup Weekend Fintech chega ao Rio de Janeiro no dia 16 para reforçar o compromisso da Techstars em promover o empreendedorismo em todas as esferas – incluindo a financeira, que é a cada dia mais importante para a vida pessoal e profissional da população. O Fintech é um dos conceitos inovadores recentes, que mistura tecnologia com finanças, e soluções que descentralizam o poder de bancos sobre o dinheiro do usuário.

Com mais de 3 mil edições realizadas em 300 países, o evento é conhecido no Brasil por ter sido o responsável pelo nascimento do app Easy Taxy, hoje líder no segmento e presente em mais de 30 países.

Como funciona?

O Startup Weekend tem um formato inovador que dura o fim de semana inteiro. Na noite de sexta-feira (16) os participantes reúnem-se para elaborar ideias e formar grupos. As aprovadas passam para a próxima fase, que se inicia na própria sexta e vai até o final do domingo, onde os grupos irão desenvolver o plano de negócios e validar o problema a ser resolvido.

Com o apoio de mentores e organizadores, os grupos receberão dicas e serão avaliados ao longo de todo o processo. As ideias de startups serão trabalhadas e retrabalhadas, mudarão de formato e se adequarão de acordo com a necessidade do mercado.

Já no final de domingo, o grupo de jurados convidados e sem contato prévio com os grupos fará a avaliação final, onde apenas uma das ideias sairá vitoriosa. O evento conta com o apoio de empresas de peso do setor financeiro, como a Rico, Circles Group, Sicoob, InvesteApp e Stone.

Tags,