Page

Category startup

Startup conecta tutores a pessoas que precisam de ajuda profissional e pessoal

Cada vez mais as pessoas procuram soluções que otimizem o tempo no dia a dia. Do outro lado, com a ajuda da tecnologia, startups buscam soluções que impactam diretamente os modelos de negócios tradicionais. É o caso da Thutor (www.thutor.com) que desenvolveu uma plataforma online que oferece serviços interativos para mapear o perfil de pessoas em busca de evolução pessoal e profissional e a partir do perfil traçado as ajudam, com uma espécie de mentoria, no caso deles chamado de “thutoria”, a atingir o objetivo desejado ou ajudar nos dilemas da vida, potencializando o indivíduo.

Como funciona

A plataforma disponibiliza um “thutor” – profissional treinado e capacitado para orientar as pessoas conforme suas necessidades que ajuda, por meio de interações semanais, no aprimoramento da inteligência emocional, autoconhecimento, habilidades técnicas e comportamentais.
O acesso à plataforma é todo online e pode ser feito de qualquer lugar. Um gestor ou empreendedor que deseja desenvolver sua liderança e está no exterior, por exemplo, pode entrar em contato com o seu “thutor” de lá mesmo. No caso de uma pessoa que deseja ser reconhecida e promovida no trabalho, o “thutor” vai aplicar sua experiência e vivência, além das técnicas disponíveis na plataforma para ajudar o cliente a ter mais foco, disciplina, responsabilidade e uma gestão mais humanizada, que são algumas das competências que líderes e empregadores procuram em bons profissionais.

“Com a correria do dia a dia, a Thutor, por ser uma plataforma digital, acaba quebrando a barreira do espaço físico e o paradigma da falta de tempo para resolver problemas, muitas vezes, pontuais, porque a pessoa pode acessar a plataforma pelo computador ou dispositivo móvel de qualquer lugar e fazer a thutoria ali mesmo”, explica Marcos Roberto Alves, um dos diretores da Thutor.

Filosofia de Gestão + Thutor

A plataforma tem como base a Filosofia de Gestão método criado por Márcio Fernandes, referência nacional em gestão de pessoas, que assumiu a presidência de uma grande empresa ainda jovem, aos 36 anos, e além de ser um dos líderes mais admirados do país, é apoiador da Thutor. Intuitiva, a plataforma tem uma navegação simples: o cliente se cadastra, responde um questionário que irá ajudar a mapear seu perfil e auxiliar o “thutor” a entender o problema ou meta para traçar um plano que atinja o objetivo desejado. Além da mentoria, com interação semanal com o “thutor”, a plataforma disponibiliza ferramentas de mapeamento e orientação, além de uma biblioteca multimídia disponível 24 horas com artigos, vídeos, e-books e etc. O atendimento é totalmente personalizado e confidencial e tem uma mensalidade de apenas R$ 89,90 com 50% de desconto no primeiro mês. A assinatura pode ser feita por meio do cartão de crédito ou boleto bancário e não tem qualquer tipo de multas ou burocracia no cancelamento da conta.

Tags, , ,

Desenvolvedora de apps brasileira realiza evento em Londres com premiação para startups

90e98005-7a6e-4b3c-bc82-4a53047e367f

A produtora apps ioasys, em uma parceria com a aceleradora britânica The Bakery, está promovendo em Londres o App Factor, um evento que reunirá empreendedores, investidores e startups de todo o Reino Unido.

O App Factor é uma competição que irá ajudar empreendedores a tirar uma grande ideia do papel. Os 10 melhores projetos foram selecionados em fevereiro e contam com startups de diversas áreas como fintech, negócios, imóveis, realidade virtual, artes e finanças.

Conheça melhor as 10 ideias finalistas:

Artwise – Artwise é uma iniciativa que funciona como um guia para turistas que são apaixonados por arte: a plataforma fornece um tour pelas principais obras de arte; contando histórias e informações na linguagem nativa do usuário sobre cada obra.

Banders – É uma ferramenta de empoderamento para músicos independentes que desejam levar o seu trabalho com mais eficácia para o mercado. Baseado em uma estratégia de release digital, o Banders formula uma estratégia de Relações Públicas personalizada baseado nos objetivos de cada banda ou músico.

Dymmo – É um negócio mobile para ciclistas. Através dele, você pode se locomover com sua bicicleta e deixá-la em qualquer lugar: com um selo de GPS a bicicleta pode ser trancada ou destrancada via app.

Fashion Kanvas – É uma plataforma interativa que permite que freelancers da moda achem trabalhos via localização com contratação instantânea.

Go Sweat – Descubra o seu jeito ideal de se exercitar. Você pode encontrar, comparar e registrar todas as atividades físicas imagináveis.

Mulalo – Economiza dinheiro para você automaticamente, e usa a tecnologia de machine learning para encontrar mais outras economias.

Safe in Sound – Um novo aplicativo de segurança rodoviária que alerta o usuário sobre os perigos no caminho, como atravessar a rua quando estamos usando nossos fones de ouvido.

SalaryFits – Uma solução que visa tornar o crédito sustentável uma realidade e capacitar os usuários através de seus salários.

Rentometry – Um robô assistente revolucionário que ajuda você a encontrar a sua casa dos sonhos. O app te recomenda algumas perguntas relevantes para fazer durante a visualização do imóvel e te diz se a propriedade tem um custo-benefício que faça valer a pena seu preço no mercado.

VRTU – Uma empresa de realidade virtual de impacto social. Eles produzem conteúdo de realidade virtual especificamente adaptado para fornecer aos cuidadores e aos pacientes recursos terapêuticos para combater os sintomas da demência.

A Grande Final acontece nessa terça-feira, 14 de março, e o vencedor terá como prêmio um app inteiramente desenvolvido pela empresa, além do contato com investidores britânicos.

“O App Factor é uma oportunidade única para startups de tecnologia em estágio inicial que contam com o mobile como sua principal maneira de se desenvolver, além de mostrar claramente a nossa intenção de expansão global,” afirmou Walter Galvão, um dos co-fundadores da ioasys.

Os competidores precisam mostrar o quão importante são seus projetos em 5 níveis: inovação, mercado, time, execução e mobile.

O App Factor, ação para consolidação da empresa brasileira no mercado britânico, também deve acontecer no Brasil no segundo semestre de 2017, visto que o mercado de startups vem crescendo 30% ao ano desde 2011 e não recuou mesmo com a chegada da crise.

A Uber é o exemplo perfeito de uma empresa que usou a inovação para conseguir driblar a crise. Em 2008 nos EUA, em meio à recessão causada pelo estouro da bolha imobiliária, nascia o Uber e o Airbnb. Atualmente, as duas empresas juntas valem aproximadamente 100 bilhões de doláres.

A ioasys é uma empresa com sede em Belo Horizonte e escritórios em São Paulo, Rio de Janeiro, Madrid e Londres. Focada no desenvolvimento de soluções para plataformas mobile, hoje a empresa coleciona mais de 100 apps entregues, vários cases de sucesso e uma clientela que vai desde startups à multinacionais.

Tags, , , , ,

Open Innovation Week promove mais de 2.400 reuniões e cerca de 700 matches entre startups e grandes empresas

Com mais de 20 mil startups na rede e 6,5 mil avaliadas desde seu lançamento, a 9ª edição da Open Innovation Week, principal evento de empreendedorismo e inovação aberta entre startups e grandes empresas reuniu em sua última edição, mais de 150 startups nacionais e internacionais que se conectaram com mais de 100 grandes empresas, com o intuito de engajar e propor novas práticas e metodologias de modelos de negócios para a inovação.

Foram registradas 2.410 reuniões que geraram 693 matches entre os participantes. Isso representa o dobro do que foi realizado em 2016, o que amplia a expectativa de conversão de contratos para as startups ao longo de 2017. “Estamos otimistas com os negócios que poderão se concretizar ao longo dos próximos 12 meses. Acreditamos que muitas startups vão evoluir e escalar seus negócios. Encerramos mais um evento com grandes novidades e oportunidades para o ano”, comenta Bruno Rondani, Cofundador da Open Innovation Week.

Com o tema central “Novos modelos de negócios para inovação”, a Oiweek 2017 mostrou ao ecossistema a importância da inserção de empresas de base científica e tecnológica, em conjunto com as digitais, para a colaboração aberta com companhias de diferentes setores da indústria.

De acordo com Michelle Morcos, CCO da Justto, a Oiweek foi excelente, permitindo ótimas conexões com grandes companhias, como Oi, Santander, Softplan, Accenture, Whirpool, Algar, Natura e AWC Tecnologia.

Participando pela primeira vez da Oiweek, André Tanesi, CEO da Descola, classificou o evento como excelente, com muitas oportunidades. “Conseguimos mostrar nosso produto para muita gente e falamos em um curto espaço de tempo com quase 20 grandes empresas, algo que certamente levaria mais de um ano fora daqui. Estar na Oiweek é obrigatório para qualquer startup”, destaca o empreendedor.

Para as grandes empresas, a conexão com as startups realmente trazem excelentes resultados. Larissa Macedo, responsável pela área de Inovação da Algar Agro, acrescenta que o evento gera muitas oportunidades. “No ano passado fizemos algumas conexões, evoluímos com alguns contatos e este ano devemos seguir com umas cinco startups que conversamos aqui, além de termos fechado um contrato com a Beenoculus”, explica. A empresa tem hoje parceria com seis startups, em estágios diferentes, algumas prototipando e outros que já viraram projetos, trazendo retorno financeiro à operação.

O gerente-geral de Sustentabilidade e Inovação da Votorantim S.A, David Canassa, destaca a importância das startups “Em um ambiente de negócios cada vez mais complexo, as startups podem dar agilidade, aumentar a produtividade das operações, propor novos produtos e possibilidades de negócios ao portfólio”.

Simultaneamente ao evento aconteceu a 5ª edição do Encontro Acadêmico em Inovação Colaborativa, que contou com a participação de pesquisadores, professores doutores e doutorandos que estudam empreendedorismo corporativo e redes de inovação. Os participantes conheceram o “Observatório de Startups”, iniciativa que compila e disponibiliza dados sobre inovação e empreendedorismo para fins acadêmicos e participaram de uma “visita guiada” à metodologia de categorização/classificação de startups.

Vitrine das Startups

Uma das novidades desta edição foi a Vitrine das Startups, espaço para que as top 10 startups de 2016 contassem rapidamente sobre a evolução de seus negócios aos longos dos últimos 12 meses. O resultado foi bastante positivo, com as startups realizando negócios com grandes empresas e algumas já recebendo investimentos Series A ou B. São elas: Lean Survey, Beenoculus, Nexxto, Reachr, Prosumir, Storymax, Ominize, Dr. Cuco, Nama e Virtual Care.

Movimento 100 Open Startups

Durante a 9ª edição da Oiweek, aconteceu a etapa final do movimento que obteve recorde de avaliações. No último semestre, mais de 2.100 avaliadores representaram 317 grandes empresas que classificaram online (4.356 avaliações) e presencialmente (2.287 avaliações) cerca de 2.700 projetos de startups. As etapas incluíram reuniões e demo days em diversas cidades do Brasil – Campinas, Curitiba, Rio de Janeiro, São José dos Campos, Recife, Porto Alegre, São Paulo, Florianópolis e Belo Horizonte – e do exterior – Bangalore (Índia) e Pittsburgh (Estados Unidos). As 150 startups selecionadas para o evento passaram por novas reuniões, avaliações e pitches com investidores e executivos. As que obterem melhor desempenho na Oiweek irão compor o ranking do Movimento 100 Open Startups 2017, o qual está em fase de conclusão.

Tags, , , , , , , , , ,

Startup de logística cria solução de armazenamento capaz de reduzir os custos de pequenos e médios e-commerces

Basta trafegar por algumas das principais rodovias do País para se deparar com enormes galpões e veículos entrando e saindo a todo instante. Também é fácil identificar os proprietários, na maioria são grandes marcas do e-commerce nacional. Toda aquela estrutura tem por objetivo reduzir seus custos; em uma conta simples, quanto maior e mais movimentada for a estrutura, possivelmente menores serão seus custos. Isso só é possível pela otimização dos processos.

Esta é uma realidade distante para a maioria do e-commerce brasileiro que é formado por pequenas e medias empresas; seus volumes de vendas não possibilitam que tenham tal estrutura. Pensando nisso que a Startup de Logística Frete Rápido acaba de lançar o serviço e-Rápido, uma solução que contempla: coleta, armazenamento, empacotamento, cotação de frete com centenas de transportadoras e entrega em todo Brasil.

Segundo o CEO da Startup “Cada vez mais empresas estão passando a venderem seus produtos em Marketplaces, devido ao grande fluxo de potenciais clientes. Esse tipo de operação precisa ser muito bem gerida e executada, pois a competitividade por preços tende a ser muito maior, e, uma operação logística automatizada e terceirizada pode proporcionar uma redução de até 20% no preço de venda do produto, sem comprometer sua margem de lucro”.

A Frete Rápido conta com um Centro Logístico na cidade de São Paulo, equipe treinada, e um sistemas de rastreio bastante eficaz para ofertar estes serviços no formato on-demand. Diferente de outras empresas que ofertam apenas coleta, empacotamento e despacho, a Frete Rápido possibilita que os produtos fiquem armazenados por até 5 dias sem custo.

Com modelo de negócio voltado para rapidez e baixo custo, o serviço pode ser contratado e utilizado em menos de 24 horas, ele vem integrado a um sistema que compara o preço do frete com centenas de transportadoras a cada venda realizada, para garantir o menor custo e a entrega mais rápida.

O Centro de Distribuição fica localizado a 30 minutos do centro de São Paulo-SP, já que os fretes com origem desta cidade costumam ser até 40% mais baratos em relação a outros pontos do Brasil, essa decisão foi estratégica para o crescimento da empresa. Outra grande vantagem da Startup é que seus clientes não precisam manter contrato ou tabelas de preços com as transportadoras, todo esse trabalho é feito por ela.

Tags, ,

Startup Dinneer recebe novo aporte de grupo americano

dinneer-03

A startup brasileira de jantares compartilhados acaba de receber um aporte de fundos de investimentos americanos. Trata-se do Dinneee.com que conecta anfitriões que oferecem jantares em suas próprias casas – uma espécie de “Airbnb da comida”. Ela é uma das startups brasileiras com melhor presença internacional: são 270 cidades de 42 países diferentes.

Os fundos Eldar Investments e ECS Capital Partners escolheram a Dinneer, a primeira startup sul-americana a receber investimento por eles. A companhia já tinha recebido investimento, em 2016, da Bossa Nova Investimentos, que lidera um fundo que no ano passado investiu mais de R$10 milhões em 16 startups e este ano deve dobrar o valor total investido.

O Dinneer é uma das startups que representam o conceito de share economy e que vem causando impacto em vários setores da economia. Entre as gigantes do setor estão Airbnb, Uber, Doghero e Blablacar

A ideia não é ser um restaurante

Para usar o serviço como visitante, basta entrar no site, escolher uma refeição entre as oferecidas, realizar a reserva com base nos preços, os pratos oferecidos, número de visitantes e local do jantar. Assim, no dia e na hora agendados o anfitrião recebe os visitantes em casa para degustar o banquete completo.

A Dinneer acompanha o processo e se esforça para que o anfitrião siga o seu padrão de qualidade e atendimento, servindo entrada, prato principal, sobremesa e bebidas para todos visitantes. Além disso, ela também gerencia todo processo de pagamento e contato entre os anfitriões e os visitantes.

O anfitrião recebe 90% do valor do anúncio 24 horas após o encontro. “A proposta de valor é muito diferente de um restaurante, pois o ambiente caseiro e o contato próximo com o anfitrião eleva o nível da experiência. Já no restaurante tradicional o cliente não tem um ambiente exclusivo ou a oportunidade de sentar na mesa para comer com o dono do restaurante”, destaca Flavio Estevam, CEO do Dinneer.

Expansão Internacional

Nas 270 cidades em que opera – em 42 países diferentes -, a companhia visa o mercado de expatriados brasileiros, que apresenta mais de 4 milhões em todo o mundo. A ideia é que a startup facilite o trabalho para que brasileiros realizem jantares com outros brasileiros. Hoje existem mais de 3.000 anfitriões na plataforma.

Ela vai, com o dinheiro, expandir para outros mercados. “Com a nova rodada de investimento, nós vamos replicar o mesmo modelo para outros expatriados, são eles: espanhóis, japoneses e argentinos. A nossa missão é dar aos expatriados do mundo inteiro o acesso a sua comida nativa, trazendo um impacto financeiro e emocional positivo em suas vidas”, termina Estevam.

Tags, , , , , ,

GFT promove mudanças globais com foco em inovação para Fintechs e Startups

A GFT, companhia de Tecnologia da Informação especializada em Digital para o setor financeiro, acaba de promover duas mudanças em suas estruturas globais para atuar como uma ponte de inovação entre fintechs e instituições financeiras.

A primeira trata-se da inauguração do recentemente ampliado e totalmente renovado Digital Innovation Lab, localizado em Sant Cugat del Vallès, na Espanha, que foi reformulado para incentivar a inovação por meio da co-criação, oferecendo um espaço aberto a organizações bancárias e startups, principalmente as fintechs. Juntos, eles poderão projetar de forma colaborativa o futuro digital dos serviços financeiros.

No Brasil, o conceito já é desenvolvido no LAB localizado no escritório de Alphaville, em São Paulo, que também se beneficiará da nova investida, uma vez que as equipes brasileira e espanhola promoverão ainda mais o intercâmbio das melhores práticas.

Os modelos desenvolvidos nos GFT Innovation Labs são baseados em conceitos inovadores ou disruptivos, como aplicações revolucionárias de pagamento móvel ou soluções personalizadas de gerenciamento de contas com base nos perfis individuais e necessidades dos clientes.

Além disso, o Digital Innovation Lab dispõe de instalações que simulam situações reais da vida cotidiana, nas quais a tecnologia já está mudando a forma de interação entre as pessoas, como por exemplo, uma loja com opções de compras on-line para combinar a experiência digital omnichannel com cenários de compras físicas ou um espaço que simula uma casa, onde é possível criar uma série de cenários de interação entre bancos e clientes que usam dispositivos móveis, como smartphones ou através de canais mais convencionais.

“Com a evolução do LAB de Barcelona, todo o Grupo tem a ganhar. A capacidade de demonstrar soluções disruptivas com foco no cliente para diversos segmentos está muito aumentada agora: mais fintechs poderão expor suas soluções e, desse modo, complementarão as jornadas desenhadas e mais tecnologias inovadoras poderão ser testadas. Como esse trabalho é compartilhado entre os Lab’s, todos terão acesso aos ganhos proporcionados”, pontua o managing director Latam da GFT, Marco Santos.

O segundo investimento trata-se da expansão do campus de inovação CODE_n, que funciona como um hotspot para a comunidade pioneira digital em Stuttgart, na Alemanha, mesmo local onde a companhia mantém sua sede.

Quatorze novos espaços, que poderão ser utilizados como salas ou escritórios por startups selecionadas, serão instalados. O CODE_n SPACES fornece um espaço para startups digitais, equipes de inovação de empresas internacionais e gestores com experiência prévia em empreendedorismo.

O conceito bem-sucedido irá incluir um lounge relaxante e uma área comum totalmente equipada e modernas salas. “Ainda há uma forte demanda por ambientes e locais de trabalho adaptáveis e dinâmicos – não apenas para startups, mas também para equipes de inovação de empresas já estabelecidas”, afirma Ulrich Dietz, CEO da GFT e iniciador da CODE_n.

À medida que os processos de negócios rumam cada vez mais em direção à tecnologia digital, as empresas veem que não têm escolha a não ser repensar a forma como trabalham seus modelos de negócio. “Isso fica mais fácil de alcançar em um ambiente inspirador, que preze pelo espírito empreendedor – fora de sede da empresa com suas estruturas rígidas. Pensando a longo prazo, os empresários também precisam da infraestrutura certa para tornar o crescimento dinâmico possível”, afirma sênior manager & head of digital transformation da GFT no Brasil, Ricardo Zanini.

As instalações do CODE_n fornecem um local de partida de atividades criativas e desafiadoras, e que catalisem a inspiração que leva a algo novo. As startups também encontram amplas oportunidades de networking e acesso a um valioso know-how. Startups de qualquer setor da indústria podem se candidatar on-line a qualquer momento. O principal requisito é ser um modelo de negócio convincente e bem encaminhado, e de preferência baseado nas tecnologias mais recentes.

Tags, ,

Liga Ventures e Intel anunciam programa para startups ligadas a Internet das Coisas

A Liga Ventures, aceleradora de startups especializada em gerar negócios entre startups e grandes corporações, oficializou, nesta quinta-feira (23), a criação da Liga IoT, uma plataforma de inovação aberta que vai prospectar, selecionar e acelerar startups ligadas à Internet das Coisas. As inscrições para o primeiro ciclo de aceleração já estão abertas. A vertical temática contará com grandes parceiros corporativos e o primeiro a aderir ao programa é a Intel.

O principal objetivo da plataforma é conectar grandes empresas a startups do setor para que explorem oportunidades de negócio ou testem novas tecnologias em conjunto. A Liga IoT cria um ecossistema que foca em compreender e antecipar a revolução que a Internet das Coisas está trazendo para diversos setores como agricultura, varejo, indústria, automação de casas e edifícios e cidades inteligentes.

A Intel está engajada na iniciativa que irá abrir portas para que startups possam testar novas soluções e explorar oportunidades de negócios com seus clientes e parceiros. “Acreditamos no trabalho de startups como uma maneira de acelerar a chegada da Internet das Coisas no Brasil. Como se trata de um mercado novo e de alto potencial, há um enorme espaço para tomar à frente da inovação e gerar produtos e serviços de alto valor agregado”, comenta Maurício Ruiz, diretor geral da Intel Brasil. “A Intel desenvolve soluções de hardware e software para Internet das Coisas que são referência mundial. Através da Liga IoT, podemos utilizar esses recursos para apoiar os empreendedores que irão fazer a diferença no futuro.”

A iniciativa se soma a outros programas que a Liga Ventures possui com empresas como Porto Seguro, AES Brasil, EMBRAER e Mercedes-Benz. “Para nós, é muito importante ter a Intel como grande parceira na Liga IoT. Estamos seguros de que juntos ofereceremos muitas oportunidades para os empreendedores que participarem do programa” é o que diz Rogério Tamassia, Sócio-diretor da Liga Ventures.

A plataforma Liga IoT

Serão selecionadas 5 startups de hardware ou software com soluções em Internet das Coisas em temas como agricultura, varejo, indústria, veículos conectados, automação de casas e edifícios, cidades inteligentes e outros.

As startups passarão por um programa de aceleração de quatro meses em São Paulo. Durante esse período, vão ter acesso a tecnologias e executivos da Intel, com quem podem explorar sinergias e oportunidades de negócio, além da rede de mentores da Liga Ventures e a amplo networking com potenciais parceiros e investidores.

Os principais objetivos são desenvolver o ecossistema de IoT no Brasil e explorar novas oportunidades de negócio. Nenhuma contrapartida em participação societária ou propriedade intelectual é exigida das startups.

As inscrições para o 1° ciclo de aceleração da Liga IoT já estão abertas e vão até o dia 03 de abril. Startups e grandes empresas que queiram saber as novidades dessa iniciativa podem acessar o site http://liga.ventures/iot.

Tags, , , , ,

Fintech lança desafio inédito para empreendedores sociais

a3086e5b-a1df-4c10-b64c-11c662a3beea

Quem sonha em empreender de um jeito diferente, inspirado nos impactos que os negócios podem ter na sociedade, mas ainda não sabe como colocar as ideias na prática, tem agora uma oportunidade. É o Triggers powered by Visionários, um programa inédito de educação e pré-aceleração de negócios sociais, que acaba de abrir suas inscrições pelo http://www.triggers.com.br/.

O projeto prevê ainda um aporte financeiro para a startup vencedora do desafio, além de um programa de aceleração de quatro meses, que inclui áreas como gestão, tecnologia, social e marketing.

Triggers powered by Visionários oferecerá aos participantes a mentoria de um time de notáveis, formado por lideranças de mercado, oficinas com o instituto Quintessa, e desafios de inovação ao lado de organizações como Graac, Escola de Notícias, HandTalk,, Instituto Fazendo História, Moradigna, So+Ma, Teto, Litro de Luz, Arrastão, Arredondar.

Entre os nomes que farão parte da mentoria das equipes, estão Célia Goldstein (Spotify), Cristiane Pedote (ex Barclays no Brasil), Neivia Justa (Johnson & Johnson), Renata Marques, (Whirlpool Latin America), Guilherme Muller (Trigg), Guilherme Ribenboim (Twitter), Mauro Rezende (YouTube), Roberto Grosman (F. Biz), Rodrigo Padron (Brain) e Vitor Elman (Cappuccino Digital)

Triggers powered by Visionários integra a estratégia da fintech Trigg, multiplataforma de serviços financeiros, para o lançamento de seu cartão de crédito, no mês que vem. Segundo Marcela Miranda, sócia e Head da Trigg, seus clientes poderão participar ativamente do desafio, de diferentes maneiras. “A inovação também está na lógica de uso do cartão. Cada cliente terá a opção de usar todo ou parte do dinheiro do cashback – um dos principais benefícios do cartão – que pode chegar a 1,3% do valor da fatura-, para apoiar o projeto vencedor”, explica.

“Entendemos que se trata de uma iniciativa sem paralelos no mercado brasileiro ou mundial. É um esforço coletivo para o desenvolvimento de ideias de negócios sociais e de formação de lideranças alinhadas à chamada “economia criativa ou de consciência”, completa Marcela.

“O programa ajudará a desenvolver as habilidades dos profissionais do futuro e empoderará a nova geração de líderes com causa, seja na criação de um novo negócio ou na renovação de seu trabalho dentro de uma empresa”, destaca Lilo Chachamovits, fundador do Visionários, parceiro da Trigg no projeto.

Triggers powered by Visionários é um desafio eliminatório, com seis grandes fases, que são: inscrição, seleção inicial, desafio de inovação, funil social, desenvolvimento de startup e premiação go-to-market.

Os interessados devem fazer suas inscrições no http://www.triggers.com.br/ até o dia 15 de março, para garantir sua participação no processo de seleção. A ideia vencedora receberá um aporte de, no mínimo, R$ 50 mil e um programa de aceleração de startups de quatro meses. Outros R$ 20 mil serão aportados para a organização envolvida com a ideia ganhadora.

Tags, , ,

Startups das áreas de saúde e bem-estar trazem inovações para a população na Oiweek 2017

No segundo dia da 9ª Open Innovation Week 2017, as startups com soluções em saúde e bem-estar demonstram como a tecnologia pode contribuir para a melhoria em diversas áreas da sociedade. Neste ano, o evento conta com 50 projetos que vão desde simulador que ajuda no treinamento do futuro médico a testes em pele artificial para desenvolvimento de cosméticos. Conheça algumas das novidades

MedRoom – desenvolve simuladores para treinamento médico com realidade virtual, recriou uma sala cirúrgica, onde o aluno pode treinar na prática como fazer procedimentos diversos, como drenagem torácica, intubação, entre outros. A empresa vem para revolucionar a maneira como os estudantes aprendem e praticam a clínica médica.

Guepardo Sistemas – apresenta o protótipo Gproxy, um sistema de transmissão de exames de imagens médicas, que utiliza a internet 3G. O equipamento cabe na palma da mão e é integrável a qualquer sistema PACS existente no mercado.

New Tissue – startup de biotecnologia que desenvolve testes em pele artificial para desenvolvimento de novas formulações farmacêuticas e cosméticas. Assim, a empresa busca reduzir o uso de animais necessários para testes de produtos.

Nuclearis – software dedicado para medicina nuclear que incorpora metodologias para aquisição e processamento de imagens de medicina nuclear que garantem o aumento da produtividade, redução de custos e padronização da qualidade dos exames. Com as informações disponíveis em tempo real, ressalta-se o ganho de eficiência operacional, sem a necessidade de recorrer a sistemas genéricos desconectados, ou de fazer cálculos manuais para gerenciar a agenda e rotina de exames com máxima eficiência.

Sensorweb – monitora a temperatura, umidade, energia e abertura de portas em câmaras, estufas, freezers, ambientes e geladeiras com um serviço contínuo e online. São mais de 2.500 pontos de monitoramento de temperatura em clientes de diferentes portes em setores da saúde, alimentos e ciências da vida, com atuação em todo o Brasil.

Sugarzyme – startup de biotecnologia que desenvolve produtos para a indústria cosmética e farmacêutica, utilizando resíduos agroindustriais (biomassa), visando agregar valor a toda cadeia produtiva e contribuindo para a diminuição do impacto ambiental.

Audicor – wearable de monitoramento cardíaco que pode ser integrado. A Tecnologia permite detectar, gravar documentar e analisar os sons cardíacos, associando-os a funções cardíacas normal e anormal. O sensor pode ser integrado a uma vestimenta.

AltaMedia – Plataforma de monitoramento e análise cognitiva em tempo real da exposição da reputação em todas as mídias. Monitora e aplica ferramentas cognitivas para interpretar em tempo real a qualidade de exposição da reputação em todas as mídias on e offline, incluindo redes sociais. Estabelece uma ruptura para a área de comunicação, ao propiciar análise automática de grandes volumes de dados, gerar indicadores confiáveis e orientar ações de alta efetividade para a promoção de marcas.

Ambra Saúde – especializada em tecnologia de informação em saúde, dedicada a tornar o compartilhamento de imagens médicas (DICOM) mais simples e acessível. Ao simplificar o processo de compartilhamento de imagens médicas, conecta instituições de saúde, médicos e pacientes em todo o mundo. A plataforma continua em constante evolução para posicionar o seu hospital, clínica ou serviço de diagnóstico por imagem com um sistema robusto, prático e ágil de transmissão, armazenamento e visualização de imagens e laudos médicos para transformar o seu modo de praticar a Medicina.

Esses e outros projetos estão sendo apresentados na etapa final do Movimento 100 Open Startups, durante a 9ª Open Innovation Week (Oiweek), principal evento de empreendedorismo e inovação aberta entre startups e grandes empresas, que acontece até amanhã, 22/2, em São Paulo.

Com o tema central “Novos modelos de negócios para inovação”, a Oiweek reunirá mais de 150 startups e 100 grandes companhias. As startups que tiverem melhor desempenho na Open Innovation Week irão compor o ranking do Movimento 100 Open Startups 2017.

Faça seu credenciamento: http://migre.me/w3Uzl

Veja a agenda completa no site: www.oiweek.com.br/2017

Serviço: 9ª edição da Open Innovation Week

Dias: 21 e 22 de fevereiro – das 8:00 às 19:00

Local: Centro de Convenções Rebouças: Av. Rebouças, 600 – São Paulo

Tags, , , , , , , , , , , , ,

Educação do Futuro está entre os destaques da Oiweek 2017

Gamificação, ensino à distância, óculos de realidade virtual para alunos de medicina e rede social focada em estudantes são os destaques das startups que prometem revolucionar a educação no Brasil. Elas se apresentam hoje e amanhã durante a 9ª Open Innovation Week, principal evento de empreendedorismo e inovação aberta entre startups e grandes empresas, que acontece em São Paulo.

Confira a lista das principais soluções para educação:

Educacross – plataforma de educação para o ensino de matemática e língua portuguesa, dirigida aos alunos do 1º ao 5º ano, por meio do Game-based Learning (o aprendizado baseado em jogos). Os estudantes interagem com jogos em um ambiente digital totalmente lúdico, enquanto um conjunto de algoritmos, técnicas estatísticas e ferramentas analíticas permitem aos professores a avaliação contínua da evolução das competências cognitivas.

Kriativar – startup de educação e tecnologia que tem como missão promover o protagonismo infantil, oferecendo aos pais e às escolas ferramentas para que eles possam desenvolver todo o potencial criativo de crianças e jovens. A empresa desenvolve os próprios produtos, como a plataforma de cocriação Kriativar, e também oferece soluções customizadas para empresas, que unem tecnologia à produção de conteúdo qualificado. Recentemente, a empresa fundiu suas operações com a startup Kitutor, a partir de uma conexão feita na primeira etapa do 100 Open Startups, permitindo chegar ao mercado em escala, além de atender a outras demandas na área de educação e comunicação corporativa.

mLearn – com mais de 3 milhões de usuários, a plataforma oferece mais de 50 cursos certificados, entre línguas, capacitação profissional e gastronomia. Permite estudar a qualquer hora e lugar. Plataforma gamificada, que torna o estudo ainda mais divertido, além de oferecer a possibilidade de estudar off-line e acessar videoaulas e podcasts que facilitam o aprendizado.

MedRoom – desenvolve simuladores para treinamento médico com realidade virtual. Foi recriada uma sala cirúrgica, onde o aluno pode treinar na prática como fazer procedimentos diversos, como drenagem torácica, intubação, entre outros. A empresa vem para revolucionar a maneira como os estudantes aprendem e praticam a clínica médica.

Beenoculus – há 15 anos trabalha em soluções tecnológicas para serem usadas como linguagem no processo de ensino-aprendizado, para que a tecnologia possa efetivamente auxiliar no desenvolvimento das habilidades sócio emocionais dos alunos. Durante a Open Innovation Week 2017, a Beenoculus apresenta ao mercado um inovador dispositivo de realidade virtual, chamado BEEyond, que consiste num óculos de realidade virtual All-In-On, com telas de resolução1K em cada olho, sistema operacional Android e CPU com processador Qualcomm embarcados que, segundo a empresa, permite experiências premium em realidade virtual. A Beenoculus também mostra os novos recursos de sua plataforma de distribuição de conteúdos VR 360º que está conquistando grandes empresas de diversos setores.

Descola – escola de inovação online, com grandes experiências de aprendizagem para temas como Storytelling, Design Thinking, Empreendedorismo etc. Os cursos são criados a quatro mãos com os professores, pensando em toda a jornada do aluno para um curso online. Todo ciclo de aprendizagem passa por base teórica, exercícios, ferramentas, práticas e reflexão conceitual. Os cursos contam com fotografia, edição e produção de alta qualidade. Os cursos são divididos em capítulos curtos, de até 7 minutos, para atrair a atenção dos alunos, possuem linguagem informal e estão cheios de exemplos e inserções de materiais da internet. Hoje são 32 cursos, mais de 16.000 alunos.

Apta – ambiente de aprendizado gamificado que promove formação inovadora em áreas técnicas e profissionais, através de cursos online, proporcionando maior engajamento dos aprendizes através da ludicidade, com consequente redução das altas taxas de evasão típicas do EAD tradicional e imersão em experiências práticas através de missões em problemas reais.

O evento acontece nesta terça e quarta-feira (21 e 22 de fevereiro), das 8h às 19h, no Centro de Convenções Rebouças, em SP. A Oiweek reúne no mesmo ambiente empreendedores, executivos e pesquisadores da comunidade científica, com o intuito de engajar e propor novas práticas e metodologias de modelos de negócios para a inovação.

Veja a agenda completa no site: www.oiweek.com.br/2017

9ª edição da Open Innovation Week

Dias: 21 e 22 de fevereiro – das 8:00 às 19:00

Local: Centro de Convenções Rebouças: Av. Rebouças, 600 – São Paulo

# Conheça o Movimento “100 Open Startups”: http://www.openstartups.org.br/

Tags, , , , , , , , , , ,

Startup de Gestão e RH se apresenta na Open Innovation Week

bef06aec-23b0-4b33-ae33-05180dbede01

Frente à natureza tecnológica baseada em People Analytics para atrair e reter talentos, a Pin People participa, pelo segundo ano consecutivo, da Open Innovation Week. Além de promover o encontro e união de startups, grandes empresas e da comunidade científica, o evento incentiva o debate em torno de novas práticas e metodologias pautadas em modelos inovadores de negócio no Brasil e no exterior. O evento está em sua nona edição e acontece na capital paulista.

“Participamos mais uma vez do evento, pois o mesmo nos abriu muitas portas no ano passado. Na ocasião, conversamos com quase 20 empresas de peso e queremos seguir nesse ritmo de novo. Afinal, acreditamos no potencial das conexões entre as comunidades e, por isso, estaremos à disposição, durante todo o evento, para prover conhecimento a respeito no segmento de Gestão e RH no qual atuamos. Temos uma solução poderosa de People Analytics em mãos, que permite o matching entre a cultura e os valores da empresa e do candidato, tanto na fase de contratação, como na etapa de retenção desse talento no dia-a-dia corporativo”, explica Isabella Botelho, CEO da Pin People.

A Pin People participa do evento como uma das 100 Open Startups selecionadas pela Wenovate, organizadora do evento, tendo a oportunidade de se conectar com dezenas de grandes empresas ao longo dos dias 21 e 22 de fevereiro. Na ocasião, os fundadores da Pin People, Isabella Botelho e Frederico Lacerda, apresentarão as soluções baseadas em People Analytics com o objetivo de encontrar novos parceiros para o desenvolvimento de projetos-piloto.

Open Innovation Week 2017

Data: 21 a 22 de fevereiro
Horário: 8h às 19h
Local: Centro de Convenções Rebouças
Endereço: Av. Rebouças, 600 – Pinheiros
Inscrições: http://www.oiweek.com.br/2017/

Tags, , , , ,

Últimas semanas para inscrição no programa mundial de aceleração de startups da EDP

Startups com ideias inovadoras para o setor elétrico terão até o dia 28 de fevereiro para se inscreverem no Free Electrons Global Accelerator, iniciativa do Grupo EDP realizada em parceria com outros sete players mundiais do mercado energético.

Com o programa, a EDP, empresa que atua nas áreas de geração, distribuição, comercialização e soluções em energia elétrica, visa o fomento à criação de projetos inovadores relacionados à energia limpa, eficiência energética, mobilidade elétrica, digitalização, serviços de apoio ao cliente e internet das coisas. O período de seleção ocorrerá em março e as 12 selecionadas serão divulgadas no início de abril. Os interessados podem se candidatar pelo sitewww.freelectrons.co.

“Visando uma estratégia de escopo global, a EDP tem monitorado o ecossistema empreendedor a fim de trazer transformações significativas para o Setor de Energia, capazes de impulsionar a competitividade da companhia. Já as Startups terão a oportunidade de estarem inseridas em um programa de alto nível para seu desenvolvimento nos principais polos de empreendedorismo do mundo” afirma Livia Brando, gestora de Estratégia e Inovação.

As startups escolhidas participarão de um programa de aceleração com duração prevista de seis meses e passarão por três módulos de um processo de “customer adoption” focado em empresas do setor de infraestrutura. Com duração de uma semana cada, as três fases serão realizadas em São Francisco/Silicon Valley, Lisboa/Dublin e Singapura.

Os 12 selecionados competirão ainda por dois prêmios que somam US$ 200 mil. O primeiro, de US$ 25 mil, será entregue aos empreendedores com o melhor pitch durante um concurso em Dublin. Por fim, ao término do programa, a equipe mais bem avaliada em todas as fases receberá US$ 175 mil e o título Free Electrons de Melhor Startup de Energia do Mundo.

O Free Electrons é resultado da parceria entre oitocompanhias internacionais: AusNet Services, Dubai Electricity and Water Authority (DEWA), ESB (Electricity Supply Board), EDP (Energias de Portugal), Innogy, Origin Energy, Singapore Power (SP) e Tokyo Electric Power Company (TEPCO). A iniciativa conta ainda com o apoio das aceleradoras New Energy Nexus e da Swissnex San Francisco.

Os parceiros do programa são líderes do movimento de transição para uma matriz energética limpaem mais de 40 países, representando cerca de US$ 148 bilhões em faturamento e permitindo o acesso dos empreendedores a mais de 73 milhões de clientes finais em todo o mundo.

Uma abordagem vantajosa para ambas as partes

As empresas e os aceleradores que apoiam o programa Free Electrons assumiram o compromisso de promover um futuro em que a energia é inteligente, limpa e acessível a todos. A iniciativa foi desenvolvida para que startups ligadas ao setor energético possamaperfeiçoar seus produtos e serviços, testá-los e desenvolver uma carteira de clientes global. Para isso, os parceiros disponibilizarão os seus conhecimentos, recursos e acesso à sua carteira clientes em troca de oportunidades de investimento e de parceria.

EDP e Empreendedorismo

O Grupo EDP, por meio do seu Ecossistema de Inovação e do EDP Open Innovation,apoia o empreendedorismo no setor de energia desde 2007. Nesse sentido, a empresa conta cominiciativas como o EDP Ventures (fundo de capital de risco corporativo), a EDP Starter (programa de incubação de negócios) e o desenvolvimento de diversos projetos piloto e de demonstração tecnológica via programas como P&D da Aneel, dentre outros.

Tags, ,