Page

Category startup

Startup brasileira cria primeira plataforma de realidade virtual do mundo

Muitas pessoas já conhecem ou ouviram falar dos óculos de realidade virtual que logo chegarão ao mercado, porém uma das questões do mercado é como serão feitas a distribuição do conteúdo em realidade virtual (VR)? Uma plataforma de conteúdo que reúna Entretenimento, Games, Educação e ecommerce em um só ambiente virtual, essa é a proposta da startup brasileira Youfacer.

O projeto em desenvolvimento pretende revolucionar a forma que interação homem/PC. Navegar no Facebook, assistir um vídeo 360o do Youtube, estudar ou fazer compras em um shopping virtual são algumas das opções disponíveis na Youfacer. A plataforma será disponibilizada para PC, Web, Android e iOS e será compatível com os principais dispositivos do mercado como Oculus Rift, HTC Vive, Samsung Gear VR, Google Cardboard, entre outros. A plataforma prevista para ser lançada em 2017, traz experiências que tornem o uso dos dispositivos de realidade virtual, algo comum em nosso dia-a-dia, assim como já utilizamos smartphones, por exemplo.

Felipe Coimbra, diretor da empresa justifica o investimento em um dispositivo de realidade Virtual. ‘’Iremos resolver o problema do acesso a conteúdo “VR” (realidade virtual), o maior desafio é tornar a experiência de realidade virtual algo comum em nosso cotidiano e isso temos conseguido após muitos testes de usabilidade da interface Youfacer’’. Utilizando a plataforma também será possível ter experiências como participar de eventos como shows, esportes em 360°, jogar games em realidade virtual, fazer compras em supermercados ou reservas de hotéis como se estivessem no local, tudo através de VR.

A plataforma também oferecerá aos seus usuários um assistente virtual, o “Steve”, que acompanhará o cliente em toda a experiência na plataforma, conversando com o usuário e realizando tarefas através de comandos de voz. Até o ano de 2025, mais de 327 milhões de pessoas utilizaram ferramentas e dispositivos de realidade virtual em seu cotidiano. Esse mercado estima faturar mais de US$ 17 bilhões em todo o mundo, segundo levantamento da Goldman Sachs Global Investment Research.

Tags,

Quarto Startup Weekend reúne novos empreendedores em Manaus

A capital amazonense se prepara para receber um evento internacional para desenvolver o empreendedorismo na região. A quarta edição do Startup Weekend Manaus será realizada entre os dias 1 e 3 de abril deste ano, no espaço Ocean Samsung Manaus da Escola Superior de Tecnologia, localizada na Avenida Darcy Vargas, Zona Centro-Sul de Manaus. O evento – promovido pelo Google – possui cunho educativo e visa formar novos empreendedores com ideias inovadoras. Os valores dos ingressos variam entre R$ 89 e R$ 125.

O Startup Weekend trata-se de um evento de imersão para que empreendedores e aspirantes possam desenvolver novas ideias para startups. Logo no primeiro dia, são formadas equipes em torno das melhores ideias – escolhidas por meio de votação. A partir disso, as 54 horas seguintes são utilizadas para criação de modelos de negócios, programação, design e validação do mercado. O evento é encerrado com a apresentação dos projetos para receber retorno da banca avaliadora.

O evento é realizado em Manaus com a ajuda de voluntários. Um deles é Daniel Goettenauer, diretor de aceleradora de Startups da empresa FabriQ. Segundo ele, o evento de renome internacional possui cunho educativo para desenvolver a cultura empreendedora na região.

“O objetivo final não é fazer com que esses participantes saiam com empresas criadas. O evento existe para aumentar a visibilidade do potencial deste novo tipo de empreendedorismo, porque os participantes entram em contato com outros estados e países”, contou.

Já na quarta edição em Manaus, o encontro mostra o interesse da capital em conhecer e investir mais em Startups. “O evento encurta diversos caminhos. Recebê-lo pela quarta vez demonstra que caminhamos no mesmo ritmo que outros lugares do Brasil”, analisou Goettenauer.

Um dos destaques do evento trata-se da atuação de 14 mentores. Segundo Goettenauer, estes profissionais são responsáveis por compartilhar conhecimentos com os novos empreendedores. “Eles tentam abrir a mente dos participantes como questionadores. Eles não estão lá para dar dicas ou fornecer atalhos, mas para causar inquietação”, explicou.

As melhores ideias serão escolhidas pelos três jurados do evento. Um deles será o empresário José Benchimol. Formado em economia pela Universidade de Stanford, é fundador e diretor da Para Guardar Self Storage, integra o conselho de administração do Grupo Bemol-Fogás e é membro da CDL Jovem Manaus. Segundo ele, o novo empreendedor precisa ter persistência, visão e curiosidade.

“Procuramos durante o evento ideias com viabilidade econômica que possam conquistar mercado e que tenha um modelo de negócios sólido. Os participantes precisam de conhecimento de mercado e da área em que vão atuar para entender como o negócio pode ir para frente”, explicou.

Para Benchimol, o evento significa desenvolvimento para o empreendedorismo local. “O Startup Weekend mobiliza toda a comunidade de tecnologia e permite que as pessoas troquem experiências e informações entre si – o que possibilita o refinamento de seus projetos”, disse.

Os ingressos para o evento estão disponíveis no site Sympla. Os valores, dependendo da área de atuação de cada participante, vão de R$ 89 a R$ 125. O pagamento pode ser feito via boleto bancário ou transferência online. Além disso, é possível parcelar as entradas em até três vezes. – See more at: http://www.dino.com.br/releases/quarto-startup-weekend-reune-novos-empreendedores-em-manaus-dino89081166131#sthash.h47C2Kz9.dpuf

Tags, , , ,

Oxigênio Aceleradora abre inscrições para novo ciclo de aceleração

view.aspx

A Oxigênio Aceleradora abre as inscrições para a nova rodada de seu processo seletivo. Startups de todo o país terão de 15 de março até 24 de abril para se inscreverem para participar do 2º Ciclo de Aceleração. O objetivo é promover a interação entre a comunidade de empreendedores e os mercados onde essas startups atuam. Na primeira fase, iniciada em setembro do ano passado, foram mil projetos cadastrados para participar do programa.

“Após o grande número de inscrições e qualidade das empresas cadastradas no primeiro período, estamos otimistas para esse segundo ciclo” afirma Italo Flammia, diretor da Oxigênio Aceleradora. “O nosso objetivo é estimular o empreendedorismo, oferecendo suporte para que as startups selecionadas possam aprimorar suas soluções de forma a obter crescimento e reconhecimento no mercado” completa ele. Cada uma das empresas selecionadas receberá um investimento de US$50 mil para desenvolver seu negócio, além de R$100 mil em smart money, aplicados em investimentos indiretos, em forma de benefícios e recursos para os empreendedores.

O programa de aceleração da Oxigênio começará em julho, na sede da empresa localizada na Rua Conselheiro Nébias, no bairro de Campos Elíseos em São Paulo com duração de seis meses. Durante os três primeiros meses de aceleração, os empreendedores das selecionadas passarão por sessões de mentoria, palestras e workshops englobando diversas especialidades com executivos da Porto Seguro e profissionais renomados do mercado. Após esse período, as startups poderão completar o processo de aceleração na sede da Plug and Play Tech Center, aceleradora localizada no Vale do Silício nos Estados Unidos.

Tags, , ,

Startup desenvolve tecnologia de seleção ótica de uvas para produção de vinho

eebb0f8d-d5f7-4b05-a9de-e2161a4bcd2d

O mercado nacional de produção de vinhos e espumantes agora conta com uma startup gaúcha para impulsionar sua produtividade. A empresa D2G Tecnologia, com sede em Porto Alegre/RS, desenvolveu um software de Seleção Ótica de Uvas, capaz de detectar em alta velocidade pequenas variações no padrão da uva, eliminando aquelas inadequadas para a produção dos vinhos e espumante. A tecnologia, mais difundida no exterior, é capaz de selecionar até duas toneladas de uvas em apenas alguns minutos, representando um grande salto de produtividade em relação aos métodos tradicionais.

“Nós desenvolvemos todo o software de seleção de uvas utilizando técnicas avançadas de inteligência artificial e processamento de imagens em tempo real. Conseguimos detectar pequenas imperfeições na uva, mesmo aquelas difíceis de serem percebidas por um olho não-treinado – como variações de cor, manchas, tamanho, forma geométrica, entre outros – utilizando como referência uma amostra de uva considerada “ideal” pelo produtor. O software funciona buscando em uma grande amostra todas aquelas uvas que se assemelham com a uva “padrão”.” – Explica Grégory Gusberti – especialista em algoritmos de inteligência artificial e Diretor de Inovação da empresa.

“A maior complexidade técnica da máquina já foi desbravada pela D2G Tecnologia: nosso software é o “cérebro” do equipamento. Já iniciamos o projeto do “corpo”, que é a máquina completa, capaz de processar em altíssima velocidade grandes lotes de uva. Estamos buscando investimento para a construção de um protótipo autônomo para ser comercializado. A tecnologia é pouco difundida no mercado nacional, devido a dificuldades de importação e seu alto custo. Entretanto, os ganhos de produtividade são inquestionáveis e podem servir de impulso para a indústria vitivinícola nacional, liberando todo o seu potencial internacional.” – Acrescenta Diego Trindade, Diretor de Negócios da empresa.

A empresa está buscando investimentos para viabilizar a construção de um protótipo até o começo de 2017 e já foi procurada por vinícolas nacionais para testes de funcionamento do software. O objetivo é comercializar a máquina a partir do segundo semestre de 2017.

A D2G Tecnologia tem sede em Porto Alegre/RS no endereço Av. Ipiranga 7464, conjunto 525, e se coloca à disposição para contato através do telefone (51) 3377 2366. O site da startup pode ser acessado pelo link: http://www.d2gtecnologia.com.br

Tags, , , ,

Startup cria plataforma que facilita o trabalho de empreendedores de comida artesanal

a7510ec2-549c-4084-af4e-134d760a6974

O Melga oferece uma plataforma que conecta consumidores e produtores de comida artesanal através de geolocalização e curadoria.
Com a crise financeira, empreender no ramo de alimentação se tornou uma opção cada vez mais comum para milhões de brasileiros. Pensando nisso, a startup Melga desenvolveu uma ferramenta prática que, além do marketplace para venda de produtos alimentícios de produção caseira, também auxilia o vendedor a profissionalizar seu negócio através de um suporte de marketing avançado.

Para desfrutar dos benefícios oferecidos pela ferramenta, basta ter acesso ao aplicativo do Melga, se cadastrar gratuitamente e informar a cidade que deseja atuar. O sistema possui interface amigável, além de oferecer auxílio para melhoria dos textos e imagens dos produtos. Os consumidores visualizam estes produtos e fecham as compras diretamente pelo celular.

“A ideia é tornar a vida mais fácil de quem compra e vende comida, com total praticidade, e com a vantagem que permite economia e qualidade para quem compra, pois nada se compara ao sabor da comida preparada com ingredientes frescos” – afirma Eduardo Barbosa, um dos fundadores da startup.

Não há cobrança de mensalidades

No Brasil, há milhares de produtores independentes de comida artesanal: entre bolos, doces, refeições prontas e salgados que desejam crescer, mas desconhecem maneiras de como vender mais e até para quem vender. O Melga não cobra mensalidade de quem vende, apenas uma pequena porcentagem sobre cada transação. Inicialmente,

Pesquisas revelam que a alimentação fora do lar representa 33% dos gastos com alimentos e bebidas dos brasileiros. Nesse sentido, o Melga pode se tornar um grande aliado para os consumidores que podem descobrir novos sabores nas suas proximidades com significativas diferença de preço.

Tags, , ,

Camila Farani assume a presidência do Gávea Angels. É a primeira mulher à frente de um Fundo de Investidores-Anjo no país

Camila Farani, Cofundadora da Lab22, Gestora de Startups e Cofundadora do MIA – Mulheres Investidoras Anjo, assume posição de Presidente no Gávea Angels, um dos primeiros grupos de investimento anjo do Brasil com mais de 10 anos de existência.

“Fiquei muito honrada em assumir a presidência do Gávea! Há quatro anos quando entrei no Gávea Angels, olhava os outros investidores com muita admiração e achava que eles eram inatingíveis. Hoje, assumindo esse cargo de relevância, me sinto muito lisonjeada e principalmente, reconhecida por investidores que possuem um background muito relevante”, contou ela.

O processo dentro do Gávea funciona da seguinte maneira: O empreendedor submete seu Pitch pelo site, que é avaliado por um comitê de operações que faz todo o processo de triagem das startups. Depois desse processo, 3 projetos são selecionados para se apresentarem presencialmente em um fórum que acontece de 5 a 6 edições durante o ano. É no fórum que os empreendedores têm contato com toda a rede de investidores da associação e conseguem realmente vender a sua ideia.

O Gávea Angels é uma associação sem fins lucrativos e conta com uma série de investidores que dedicam o seu tempo sem nenhum tipo de monetização. Camila destaca que é muito difícil manter um grupo ativo e reunido por mais de 10 anos, ainda mais se tratando de uma instituição sem fins lucrativos, por isso, ela pretende implementar uma gestão mais profissionalizada com foco em governança. À frente da Gávea, Camila pretende trabalhar em cima de 3 pontos principais:

Aumentar o deal flow – número de propostas de investimento que chegam ao capitalista de risco. Camila conta que o deal flow também passará a ser cada vez mais online e dinâmico. Hoje basicamente a captação é online, mas os empreendedores precisam participar presencialmente do fórum. A ideia é que não necessariamente eles precisem estar ali presentes, mas que todas as startups tenham acesso aos investimentos de uma forma mais dinâmica.

Atrair mais fundos de investimentos – Camila acredita que existe um gap entre os investidores e empreendedores que receberam investimento de anjo. Como conseguimos otimizar o ciclo de investimento? Como fazer com que aquela empresa melhor capacitada seja melhor direcionada para ter contato com os fundos? Uma startup precisa de ciclos de investimento, por isso a ideia é trazer esses fundos de investimentos mais perto do Gávea Angels. A forma como isso será feita ainda está sendo decidida.

Trazer startups internacionais para o Brasil – Ao invés de termos que ir até o Vale do Silício ou para outro lugar para entender como outras startups e ecossistemas funcionam, a ideia da Camila é trazer startups internacionais para o Brasil, para que elas fiquem um período específico, trocando experiências com os empreendedores brasileiros. O grupo pretende implementar a ideia por meio de parcerias que já estão sendo firmadas.

“Quero que todo o processo se torne mais acessível e mais direto para os empreendedores e investidores”, comenta.

Camila é a primeira mulher à frente de um fundo de investidores-anjo no País e se sente lisonjeada pela confiança e respeito depositado, mas isso garante uma responsabilidade muito maior de trabalho para que realmente consigam evoluir com o cenário empreendedor brasileiro.

“Existem tantas boas investidoras anjo no Brasil, eu quero que elas participassem mais! Precisamos de mais mulheres liderando diversos tipos de fomento ao empreendedorismo”, provoca Camila. E por que precisamos de mais mulheres? Simplesmente porque já foi comprovado que as mulheres se inspiram em outras mulheres. “Não adianta querermos aumentar o número de empreendedoras se não temos mulheres investidoras para servirem como ponto de referência para quem está começando”.

E o que falta para que mais startups recebam investimento? Para Camila a resposta é educação e conhecimento! Ela acredita que estamos vivendo uma revolução, assim como aconteceu com a espécie humana. Como ainda é tudo muito novo, ambos estão amadurecendo, startups e investidores. “Talvez falte capacitação tanto dos empreendedores quanto dos investidores para efetivamente construir uma cadeia de valor e de investimento”.

Sobre a “banalização” do investidor anjo com o surgimento de cada vez mais eventos de captação de recurso e de equity crowndfundings, Camila destaca dois vieses: de certa forma essas iniciativas acabam ampliando o leque de oportunidades para os empreendedores, mas ali existem investidores que são meramente financeiros, com algumas exceções. Se esse ponto não for levado para as discussões e estratégias de negócio da startup, isso acaba sendo um ponto negativo.

Ela acredita que a proposta do equity crowndfunding tem muito a acrescentar, aumentando o número de investidores e incentivando o mercado, mas em algum momento será levantada a bandeira da necessidade da capacitação. Por que? Pois como em todo processo de investimento existem jargões e termos jurídicos, e os investidores precisam saber que podem não conseguir um retorno imediato. “É muito importante esse entendimento por ambas as partes, investidores e empreendedores. Eu como investidora, assumo o papel de capacitar os investidores, levantando todos os pontos que devem ser analisados”.

O Gávea Angels tem o perfil de investir em startups de todos os segmentos, desde que sejam negócios com alto potencial de crescimento e que possuam modelos já tracionados, mas não deixa de olhar projetos em fase pré-operacional, devido a pluralidade e diversidade de expertise dos investidores em sua rede.

Para se dedicar 100% ao Gávea Angels, Camila não está mais à frente do grupo Boxx, focado em soluções para alimentação para o varejo e serviço. Como Cofundadora do MIA – Mulheres Investidoras Anjo, ela continua participando das decisões, mas não tão ativamente no dia-a-dia. A partir de agora, a operação do MIA estará ligada a Anjos do Brasil com Maria Rita Spina, utilizando o mesmo modus operandi da associação.

Tags, , , , ,

Acelera MGTI recebe novas startups para aceleração

799348db-4ccd-47c8-b306-4bb08ae99c7d

O Programa de Empreendedorismo Acelera MGTI recebe, a partir de 03/03, as 10 startups selecionadas pelo edital próprio 011/2015. As novas empresas passarão pela aceleração do programa mantido pelo MGTI – programa de fomento da área de TI em Minas, formado por Assespro-MG, Fumsoft, SINDINFOR e Sucesu Minas – durante um período de seis meses. As empresas foram avaliadas por uma banca composta por técnicos do Acelera MGTI, além de consultores e mentores convidados, especialistas nas áreas de gestão, tecnologia, mercado e finanças. Para este processo de seleção, que aconteceu no fim de janeiro, a estratégia adotada foi a de trazer empresas já com alguma tração ou com perspectivas claras de faturamento.

Durante o período de aceleração, as startups receberão apoio financeiro, técnico, consultorias e mentorias com profissionais capacitados e experientes. O grupo de empresas nascentes ocupará um moderno espaço em regime de coworking, com toda a infraestrutura tecnológica necessária – internet, telefonia, recepcionista bilíngue, etc. – em localização privilegiada, na avenida Afonso Pena, 4000, no Cruzeiro.

As novas startups do programa Acelera MGTI são: Foxus, Smart Convert, Virturian, Homix, NetGás, WorldSense, Contself, Core2, Conciliadora e MatMed.

Quem são e o que fazem:

FOXUX – Focada na gestão do trabalho e motivação do usuário, permitindo um controle simples, mas completo das equipes envolvidas. Este processo é fruto de um minucioso estudo do comportamento humano, métodos de gestão e elementos sociais que resultaram em um motivante sistema de pontos e níveis, proporcionado a gestão ágil de projetos e processos, e a interação entre as pessoas de forma simples e direta.

www.foxus.me

SMART CONVERT – Trabalha de forma a contribuir para que empresas do comércio reduzam a quantidade de vendas perdidas, a partir da identificação e análise das causas de cada perda de venda nas lojas, possibilitando assim o desenvolvimento de ações corretivas que aumentem o faturamento.

www.smartconvert.com.br/demonstracao

VIRTURIAN – Fornece uma solução de monitoramento da condição de motores elétricos industriais, com o grande diferencial inovativo da tecnologia utilizada. A técnica é baseada na análise dos dados existentes nas indústrias através de um software não invasivo (sem a necessidade de instalação de hardware), que utiliza dados existentes na rede de automação industrial, realizando um processamento, utilizando diversas técnicas avançadas, que permitem a avaliação da condição dos equipamentos.

www.virturian.com/

HOMIX – É uma plataforma online (web e mobile) voltada para serviços e reparos domésticos. O portfólio de serviços prestados é extenso: alvenaria, pintura, hidráulica, elétrica/eletrônico, chaveiro, jardinagem, limpeza residencial, etc. Com apenas alguns cliques, é possível orçar e agendar o serviço no local e horário desejado. Será enviada uma equipe especializada para realizar os serviços. Todos os serviços contam com garantia de execução e excelência.

www.homix.me

NETGÁS – Apresenta uma plataforma inédita, que conecta quem vende a quem compra gás de cozinha no Brasil, um mercado que movimenta 30 bilhões de reais por ano. Quando um usuário busca o gás de cozinha, encontra um cadastro com quais revendedores atendem sua região, qual está mais próximo, qual está aberto naquele momento e, por fim, qual tem o melhor preço. Com o preço do gás variando, em uma mesma cidade, em até 70%, e com mais de 50 mil revendedoras no país, fazer a pesquisa manualmente é difícil. Com a plataforma, todo esse processo foi automatizado, possuindo, inclusive, um mecanismo de leilão para compras em lote.

www.netgas.com

WORLD SENSE – Fornece apoio para publishers monetizarem seus conteúdos por meio da descoberta de links patrocinados. A tecnologia busca oportunidades de links patrocinados que podem ser inseridos em textos online, trazendo uma fonte adicional de receita para produtores de conteúdo web.

www.worldsense.com

CONTSELF – Disponibiliza um serviço de contabilidade online para profissionais da área da saúde. A tecnologia permite, através do aplicativo, que o cliente fotografe todas as despesas e receitas, que entrarão em seu livro caixa, relacionadas a sua atividade. As informações serão validadas por uma empresa de contabilidade parceira. Após o OK da contabilidade o sistema calcula os impostos a serem pagos pelo cliente, fazendo um planejamento tributário que pode permitir uma economia de até 40% nos tributos.

www.contself.com.br

CORE2 – Trabalha com soluções inteligentes para concursos públicos. Aplicando a mobilidade dos tablets e a segurança das impressões digitais, a Core2 busca levar o segmento de organizadoras de concursos a um novo patamar de segurança. Com o FingerID os clientes podem coletar a impressão digital e a fotografia dos candidatos no momento da realização das provas e, depois, para tomar posse, o candidato deverá ser validado. Tudo isso de forma fácil, rápida e segura.

www.fingerid.core2.com.br

CONCILIADORA – Plataforma que faz, de forma automatizada, o serviço de conciliação das vendas em cartão dos varejistas. A grande inovação é a integração, em diversos níveis, com outros softwares, trazendo uma resposta pontual ao problema do varejista. O sistema analisa cada venda, devolvendo, de forma clara e objetiva, as informações, permitindo uma visão geral de todo o processo de vendas e recebimento dos cartões.

www.conciliadora.com.br

Tags, , , ,

Bovinocultura: Startup lança aplicativo gratuito que permite estimar o peso dos animais sem o uso de balança

aplicativo 1- divulgação

A anotação em planilhas, tabulação de dados e sistemas complicados são rotinas do passado para os produtores rurais, especialmente para quem atua na pecuária. Hoje o uso de tecnologias está cada vez mais presente no campo e por meio de celulares ou tablets é possível acessar informações que são relevantes para o negócio e acompanhar todos os indicadores de produtividade e rentabilidade. E esses recursos, que antes eram quase uma exclusividade de grandes produtores, chegam às pequenas propriedades com baixo custo – pois dispensam pagamento de licença e investimento em instalação – e facilidade de utilização.

Entre as vantagens desses sistemas é que algumas vezes o pecuarista não precisa nem de acesso à internet, uma dificuldade muito comum quando se trata de comunicação em áreas rurais. Tendo tudo isso em mente, a JetBov – startup com sede em Joinville (SC) -desenvolveu um aplicativo, muito semelhante ao WhatsApp, para auxiliar na coleta e na comunicação de dados a respeito do rebanho.

Segundo o diretor executivo da empresa, Xisto Alves, o aplicativo funciona como um ‘caderno de campo’, onde é possível fazer as anotações sobre o animal e os dados são sincronizados de forma automática ao software JetBov na nuvem, assim que o aparelho estiver conectado. Com isso é possível estimar o peso do animal mesmo sem o uso de balança, que é uma realidade comum em pequenas propriedades. “Com o uso de uma fita métrica o pecuarista pode fazer a medição do animal e, em seguida, jogar os dados no aplicativo que faz a conversão da estimativa de peso”, explica.

O aplicativo também permite utilizar leitores de brincos eletrônicos. Por meio de um sensor via Bluetooth™, a comunicação é feita direto do chip para o sistema, o que representará um ganho de até 30% no tempo do manejo. “A automação no campo é uma tendência, e representa um ganho de tempo e de confiabilidade na coleta dos dados para o produtor, permitindo armazenar e gerar informações que são essenciais para aumentar a eficiência e a produtividade” afirma Alves.

O aplicativo da JetBov está disponível para os aparelhos da versão Android e podem ser acessados sem nenhum no custo pelo https://play.google.com/store/apps/details?id=com.jetbov.jetbovdecampo .

Diferenciais

A JetBov é considerada pioneira no Brasil por desenvolver um sistema especializado em bovinocultura de corte, empregando tecnologias cloud computing ou computação em nuvem, que disponibiliza a informação a qualquer momento e lugar, bastando para isso ter o acesso à internet. Outro diferencial em relação aos sistemas tradicionais é que ele não exige pagamento de licença e manutenção, sendo ainda de fácil utilização. Entre as principais vantagens do sistema é que ele trabalha em todas às etapas da produção de carne: como cria, recria e engorda. Como isso, permite ao produtor gerenciar toda a atividade da fazenda, acompanhando dados que são relevantes para o negócio, desde o ganho de peso do animal, vacinas, gestão do rebanho, todos os custos associados à produção e o resultado financeiro.

O sistema pode ser testado gratuitamente. Basta acessar www.jetbov.com .

Tags, , , ,

Planet Startup abre inscrição para novos projetos

A Planet Startup (PSUP), uma aceleradora que transforma ideias em grandes negócios, abriu seu processo de captação de novos projetos em 2016. Serão escolhidos 10 planos para integrar o grupo, que tem hoje sete empresas incubadas.

A empresa avaliou desde 2013 cerca de oito mil propostas, sendo que 85% delas eram de empreendedores na faixa de 18 a 25 anos. A grande maioria, cerca de 60%, eram do segmento de Internet, com destaque para o mercado de Comércio Eletrônico, Educação, SAAS e FinTechs. A expectativa dos fundadores da PSUP é de avaliar cerca de três mil projetos até o fim do ano para conseguirem chegar à meta de 10 startups para acelerar.

Fernando Taddeo, um dos sócios, explica que “fazemos um processo de seleção detalhado para ver quem está pronto para desenvolver seu projeto, acelerar o seu crescimento e receber aporte. Tem muito projeto bom no mercado, mas estamos em busca de pessoas que tenham mais do que uma ideia, que tenham a força de vontade para colocá-la em prática”.

Os projetos para investimento vão até R$ 300 mil e as inscrições podem ser realizadas em www.psup.com.br. Elas serão recebidas e avaliadas uma a uma.

Tags, ,

Acelera Startups realiza sua Conferência Anual de 14 a 19 de Março de 2016

logo-site-branca

Evento abordará conteúdo e melhores práticas para empreender em uma era cheia de transformações e oportunidades.

A Conferência Anual Acelera Startups é um evento online e gratuito que irá acontecer no período de 14 a 19 de março divulgando as melhores práticas empreendedoras, entrevistas e dicas para que os empreendedores possam enfrentar os desafios da nova era e aproveitar as oportunidades advindas dela.

Irão participar do evento grandes nomes do Empreendedorismo nacional como a escritora Martha Gabriel, Raul Candeloro (Diretor da Revista Venda Mais), Eric Santos (CEO Resultados Digitais) e Lucas Izoton (Fundador da Marca Cobra D”agua), além da estrela internacional Sujan Patel (Empreendedor e Growth Hacker).

Para saber mais detalhes e garantir a sua vaga, basta acessar o link: http://conferencia.acelerastartups.com

Tags

Startup de fidelidade hoteleira conquista usuários de forma independente

Marcelo Bicudo, CEO da Allpoints

Marcelo Bicudo, CEO da Allpoints

Programa de fidelização de turistas tem atraído interesse de usuários finais e hotéis por ser único a transformar pontos acumulados em hospedagens em passagens aéreas, produtos e diárias em qualquer hotel do mundo

Lançada em dezembro de 2015, a startup brasileira Allpoints(www.allpoints.com.br) – plataforma online de programa de fidelidade -, já começa a despontar como pioneiro no segmento hoteleiro. Em apenas 1 mês e meio, possui cerca de 5 mil usuários cadastrados e parcerias com grandes redes de hotelaria, como Blue Tree Hotel e Transamérica.

O motivo da procura é a liberdade do programa de fidelidade, uma vez que os pontos acumulados nas hospedagens podem ser trocados por diárias grátis em hotéis, milhas aéreas ou produtos. A regra é simples: a cada R$ 1,00 gasto com hospedagem, o participante acumula 1 ponto. A partir de 3 mil pontos já é possível fazer o resgate na forma que achar mais interessante.

De acordo com Marcelo Bicudo, CEO da Allpoints, em janeiro este número deve aumentar ainda mais. “Estamos fechando parceria com redes internacionais e em breve os nossos clientes poderão fazer a reserva em mais de 100 mil hotéis diretamente por meio do nosso site”.

Embora a crise econômica não seja positiva para nenhum setor, Bicudo acredita que o programa de fidelidade da Allpoints seja uma alternativa para manter os setores de turismo e hotelaria aquecidos. “É uma alternativa para o consumo consciente, com benefícios reais e vantajosos para o cliente final”.

Para participar do programa de fidelização, é preciso fazer um cadastro no sitewww.allpoints.com.br ou apenas se hospedar nos hotéis que são parceiros com o conceito Rewards by ALLPOINTS, que promovem benefício extras para os participantes do programa e facilitam a adesão enviando um email logo após o check-out do hóspede, para aderir ao programa e garantir a pontuação já na estada realizada.

Acelerador de Pontos

Quem se cadastra no programa Allpoints conta com quatro categorias: Classic, Silver, Gold e Black. A regra é a mesma dos programas de fidelidade das Cias Aéreas: quanto mais o cliente se hospeda nos hotéis credenciados à Allpoints, mais acumula pontos e progride na categoria e desfruta de percentuais de bônus. A diferença é o grande leque de opções oferecido pela Allpoints e a liberdade de ganhar sempre o mesmo ponto nas suas hospedagens.

Investidores

Atentos ao crescimento da startup 100% brasileira, a procura de joint ventures dispostas a investir na Allpoints também tem sido uma surpresa.

“Como temos interesse em levar este plano de negócio para outros países, ter investidores conosco é bastante positivo”, diz Bicudo, que já prevê ter operar com investimentos externos até o final de março.

Tags, , , , ,

Startup marQ Systems recebe aporte de R$ 1 milhão de investidor anjo

O objetivo é expandir o investimento em até R$ 5 milhões. A startup voltada ao mercado de wearable devices possui planos de internacionalização dos produtos em 2016

Com o início das operações ocorrido em fevereiro de 2015, a marQ Systems, startup especializada no desenvolvimento de tecnologias vestíveis de monitoramento para animais de estimação, crianças, idosos e pessoas com necessidades especiais recebeu aporte inicial de R$ 1 milhão, realizado por um investidor anjo ligado ao setor de telecomunicações. O objetivo é expandir o investimento em até R$ 5 milhões em 2016.

A quantia será utilizada para P&D, Capital de Giro e ações de marketing. Além do aporte, foram aplicados R$ 1 milhão para o desenvolvimento e fabricação da primeira solução de monitoramento da marca, o easepet, oriundo de investimentos próprios. “O aporte que recebemos consolida esta etapa da marQ coroando nossos esforços na identificação de nichos e criação de soluções que realmente façam sentido aos nossos clientes e que possam trazer retorno no cenário atual. Nossa primeira linha, por exemplo, é direcionada a um mercado que atravessa os anos de crise sem ser abalado: o de animais de estimação”, afirma Luciana Schavacini, sócia fundadora da marQ Systems.

O primeiro produto a ser lançado pela startup, o easepet, é voltado para o monitoramento de cães e gatos e visa atender a um mercado de produtos para animais de estimação em constante expansão, mesmo na crise financeira. Só no ano passado, foram gastos R$ 16,7 bilhões com produtos e serviços para os bichinhos – segundo levantamento pela Abinpet (Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação). Ainda de acordo com o estudo, o segmento pet é responsável pela geração de mais de três milhões de empregos.

A escolha da linha de produtos e serviços da marQ Systems foi resultado de uma extensa pesquisa, com compras e análises de dispositivos em quatro continentes. “Após o easepet, lançaremos dois novos produtos e plataforma voltados para humanos. Em paralelo, expandiremos o easepet para outros países ainda em 2016, sempre analisando cuidadosamente as oportunidades para não perder o foco no seu principal mercado, que é o brasileiro. Temos, por exemplo, interessados em nosso know-how e produtos na América do Norte e Europa”, revela Daniel P. Rosenfeld, CEO da marQ Systems.

Fundada pelos sócios Luciana Schavacini, Tiago Albino e Daniel Rosenfeld, o diferencial da startup é oferecer inovação tecnológica por meio de gadgets vestíveis ligados à Internet das Coisas. Devido à lacuna de mercado, identificada pelos próprios sócios quando precisaram deste tipo de solução, por bons produtos que façam mais do que calcular calorias e atividade física, a marQ Systems foi criada e objetiva oferecer soluções com peso e tamanho reduzidos, aliadas a uma plataforma web e mobile intuitiva, e que também inclui funcionalidades complementares ao monitoramento.

“Pensando em easepet, o que torna a nossa solução exclusiva no mercado é ir além do rastreamento: estamos desenvolvendo parcerias dentro do mundo da medicina veterinária para que a plataforma seja também um canal de informação para os tutores dos animais, além de ser um meio de comunicação com o médico veterinário do pet”, finaliza o CEO.

Tags, , , , , , ,

Startup Marmotex participa da Campus Party em dose dupla

Startup está entre as 200 selecionadas para participar da Startup & Makers Camp 2016 e também venderá refeições “marmotex”

A Marmotex, startup que desenvolveu um novo conceito de almoço corporativo que se difere do tradicional delivery por ser o elo entre o restaurante e o consumidor, foi selecionada para participar da Campus Party como integrante da Startup&Makers (S&M), que tem a missão de conectar os campuseiros com o mundo do empreendedorismo.

Em sua nona edição no Brasil, a Campus Party acontece entre os dias 26 e 31 de janeiro, no Anhembi, e é a maior experiência tecnológica do mundo nas áreas de inovação, criatividade, ciência, empreendedorismo e entretenimento digital.

A Startup&Makers tem a missão de conectar os campuseiros com o mundo do empreendedorismo e apresenta uma área de exposição, atividades de mentoria, networking, hackathons, além de conteúdo educacional com palestras e workshops. O espaço é dividido em dois grupos: Growth Stage, para startups em crescimento, e Early Stage, iniciantes. A Marmotex participa do grupo Growth Stage.

Outra participação da Marmotex na Campus Party acontece através da entrega de ‘marmotex’ para os campuseiros. Neste caso, será a segunda participação da startup no evento, que no ano passado vendeu mais de 1000 refeições.

Para adquirir sua refeição durante o evento, acessar a página www.marmotex.com, fazer o cadastro e se inscrever no grupo Campus Party. O campuseiro define a quantidade e datas nas quais quer receber sua refeição, que custa cerca de 50% menos do que o valor convencional. Excepcionalmente para o evento, o cardápio contará com duas opções, com preços a R$ 15,00 e R$ 22,90. Normalmente, o cardápio convencional da Marmotex tem mais de 10 opções diárias.

Tags,

Como uma startup brasileira pode revolucionar a Educação no Brasil e no mundo

Estimativas da OECD (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) indicam que, na última década, metade do crescimento econômico nos países desenvolvidos foi devido a habilidades em educação melhoradas.

Segundo a Diretoria de Políticas de Formação, Materiais Didáticos e de Tecnologias para a Educação Básica do MEC, para melhorar as habilidades em educação é indiscutível a importância do experimento na fixação dos conteúdos e o valor do laboratório como fonte essencial do desenvolvimento pedagógico do educando faz parte de um desafio para as políticas públicas. O órgão destaca ainda que em grande parte das escolas brasileiras, os laboratórios estão sucateados, dada a falta de investimentos dos entes públicos, que não oferecem as condições mínimas necessárias à sua modernização ou até mesmo à reposição dos equipamentos que os compõem. (Fonte: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=607-laboratorio&Itemid=30192)

O laboratório didático ajuda na interdisciplinaridade e na transdisciplinaridade, já que permite desenvolver vários campos, testar e comprovar diversos conceitos, favorecendo a capacidade de abstração do aluno. Além disso, auxilia na resolução de situações-problema do cotidiano, permite a construção de conhecimentos e a reflexão sobre diversos aspectos, levando-o a fazer interrelações. Isso o capacita a desenvolver as competências, as atitudes e os valores que proporcionam maior conhecimento e destaque no cenário sociocultural.

Assim, a necessidade de inserir novas tecnologias, mostrar a importância da alfabetização científica e tecnológica no processo de formação dos indivíduos, destacar a associação entre as diferentes teorias e o ensino experimental tornam fundamental o uso de laboratórios nas escolas na era moderna.

A Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), no seu Artigo 35, Inciso IV, diz: “É essencial a compreensão dos fundamentos científico-tecnológicos dos processos produtivos, relacionando a teoria com a prática, no ensino de cada disciplina”. Mostra, pois, que as escolas de ensino médio devem proporcionar ao aluno oportunidades de união entre a teoria e a prática em cada disciplina.

De acordo com os dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais, Anísio Teixeira (Inep), menos de 11% das escolas brasileira possuem laboratório de ciências, e das que possuem, menos de 2% são utilizados por falta de insumos, recursos humanos e segurança.

Além da falta de investimentos em infraestrutura e a precariedade daquelas existentes, temos ainda um grande desafio para educação em nossa Era: Segundo o estudo “O que pensam os jovens de baixa renda sobre a escola” elaborado pela Fundação Victor Civita, Fundação Itaú Social, Fundação Telefonica e publicado pelo CEBRAP em 2013, o grande problema na educação brasileira é que “a Escola perdeu o papel de referência na vida dos jovens”. O que se reflete nos índices alarmantes, que colocam nosso país nas piores posições do ranking mundial da educação, dentre estes, um índice é estarrecedor e revela a má qualidade de nossa educação: “74% da população brasileira não consegue entender um texto simples”.
(Fonte: http://www.fvc.org.br/estudos-e-pesquisas/2012/pdf/relatorio_jovens_pensam_escola.pdf)

A boa notícia é que uma startup brasileira, a Beenoculus, sensível a este grande problema nacional, pesquisa e vem investindo em inovações que acredita, podem melhorar a educação brasileira. Com uma proposta de implementar laboratórios de realidade virtual para simular laboratórios reais, a empresa desenvolveu de forma pioneira em todo o mundo uma inovadora metodologia que permite utilizar a realidade virtual como uma nova linguagem de comunicação com os jovens e não apenas como mais uma ferramenta tecnológica.
Com apenas 1 ano de vida, a Beenoculus ganhou em 2015 diversos prêmios importantes em desafios de startups pelo país, e agora é finalista do movimento 100OpenStartups que identifica as 100 startups mais atraentes do mercado para as grandes empresas. Esse reconhecimento é fruto do trabalho duro e inovador de seus 5 sócios e do apoio que receberam através de mentorias para desenvolvimento de suas estratégias no Programa Promessas Endeavor, no Programa Braskem Labs e como integrante do CUBO Coworking considerado um dos espaços de inovação mais promissores em todo o mundo.

Ainda colhendo os frutos desse trabalho e parcerias, a Beenoculus inicia o ano com investimentos superiores a R$ 1 milhão já assegurados com investidores que chegaram a um Valuation da empresa entre R$ 15 e R$ 20 milhões, recursos suficientes para desenvolver seu planejamento estratégico até o fim de 2016.

Caso raro no mercado, a empresa navega contra a corrente pessimista que assola a economia brasileira, contando com um acordo de cooperação assinado com a Universidade Estácio e outros projetos já contratados, a Beenoculus pretende avançar a passos largos com seus projetos na área de educação, projetando um faturamento superior a 10X o de seu primeiro ano. Com a Estácio a Beenoculus irá desenvolver em coprodução atividades educacionais em realidade virtual e aumentada para as principais disciplinas de ensino superior, atendendo a cursos de educação à distância e presenciais. Áreas como medicina, direito, engenharia, física, química, entre outras, se beneficiarão com as diversas experiências em realidade virtual que serão desenvolvidas através de uma inovadora metodologia criada pela Beenoculus e denominada: “Metodologia de Educação Imersiva em Primeira Pessoa – MEIP”.

E do que se trata esta metodologia? O cofundador e diretor de marketing da Beenoculus Rawlinson Peter Terrabuio explica:
“Com nossa metodologia somos capazes de colocar um sujeito na posição de um outro sujeito que realizou uma determinada ação, este agora passará a enxergar o mundo em 360o através da tecnologia de realidade virtual imersiva, com o mesmo ponto de vista daquele que realizou a ação, quem executa a ação será invariavelmente um profissional, aquele que detém o conhecimento e o domínio do que está realizando, e quem visualiza será o aprendiz.”
Para entender esse conceito peguemos um exemplo de um médico realizando uma cirurgia: A Beenoculus utilizando equipamentos especiais de audiovisual 360o, capta essa ação, edita, acrescenta elementos que auxiliam no entendimento do usuário como: locução, gráficos, animações e outras informações, para então um aprendiz (um aluno ou residente médico) visualizar o procedimento realizado através do ponto de vista do médico com o Beenoculus (um hardware que é a mídia de realidade virtual desenvolvida pela empresa, e tem o mesmo nome). É com essa metodologia que acontece o grande avanço na educação: Para o cérebro do sujeito que visualiza a ação em realidade virtual, é ele próprio quem está executando aquela ação e isso faz com que retenha em sua memória uma experiência próxima a prática, com muito mais qualidade e riqueza de informações do que ao visualizar por exemplo, o mesmo procedimento, em um vídeo na TV ou no computador.

Os potenciais da tecnologia e metodologia, principalmente para um país como o Brasil que tem urgência em avançar na melhoria da qualidade da educação, são gigantescos, isso porque a empresa conseguiu desenvolver uma solução de baixo custo para levar a tecnologia para escolas e universidades, segundo Rawlinson, a infraestrutura de laboratório de realidade virtual da Beenoculus pode ser implantada em uma escola pública ou privada por menos de R$ 80 mil reais, o executivo destaca que não são necessárias obras ou locais específicos para instalação dos laboratórios já que os conjuntos são móveis, ocupam pouco espaço para sua guarda e são utilizados nas próprias salas de aula: “além da realidade virtual transportar os alunos para mundos virtuais simulando as mais variadas situações do cotidiano, agora o aluno não precisa ir até o laboratório, é o laboratório que irá até ele e a qualquer tempo e em qualquer lugar.” complementa Rawlinson.

Grandes empresas mundiais como o Google, a Samsung e o Facebook com a Oculus VR tem suas soluções em realidade virtual, porém a desenvolvida aqui no Brasil pela Beenoculus tem vantagens sobre todas elas: Em relação ao Gear da Samsung a solução da Beenoculus custa 5 vezes menos, comparando com o Oculus Rift essa diferença aumenta para 15 vezes, ao contarmos impostos e custos de importação essa diferença será ainda maior, cerca de 30 vezes o custo do Beenoculus, com diversos recursos como ajuste de foco, ajuste de DIP (distância intrapupilar) permitir assepsia para uso coletivo e se tratar de um bem durável, a solução da Beenoculus está pronta para ser adotada pelas escolas e é muito mais robusta que por exemplo o projeto do Google Cardgoard, um dispositivo descartável feito de papelão.

Mas além de tudo isso, o grande avanço na proposta da Beenoculus é tratar a tecnologia como linguagem de comunicação com os jovens e não como mais uma ferramenta pedagógica.O executivo da Beenoculus destaca que “as atividades educacionais que estão sendo desenvolvidas permitirão aos alunos ter sentimentos e emoções enquanto aprendem, isso é efetivo, aprendendo assim a pessoa retém conhecimento porque vivencia experiências em Realidade Virtual muito próximas a prática”

A Beenoculus está depositando 4 novas patentes de equipamentos de audiovisual 360o para produzir conteúdos para a educação e destaca que está desenvolvendo parcerias com outras empresas e startups que irão fazer uso destas tecnologias para juntos construírem um grande acervo de obras de Realidade Virtual Imersivas para a Educação.

“Nós estamos chamando as empresas para trabalharem com a Beenoculus, empresas de games, de audiovisual, estamos desenvolvendo esse ecossistema, o BEE de nossa marca não é só uma palavra bacana em inglês com sonoridade, trata-se de um símbolo, BEE é Abelha em inglês e representa a cooperação, a colaboração, esse é o nosso DNA, não vamos fazer essa transformação na educação sozinhos, precisamos de Autores, Professores, Criativos, Matemáticos, Físicos, Designers, Programadores, Cineastas, Câmeras, Cientistas, Investidores, entre outros, a Beenoculus traz oportunidades para esses profissionais, para todo o ecossistema, temos um grande problema na Educação em nosso país e é essa enorme carência e necessidade que nos faz usar toda a nossa imaginação e criatividade para desenvolvermos uma inovação mundial que acreditamos irá transformar não só a educação no Brasil, mas em todo o mundo! Quem quiser poderá se unir a Beenoculus para fazer essa transformação.” conclui Rawlinson.

Tags,

Epitrack é a startup vencedora do “The Venture” Brasil

A startup Epitrack foi eleita vencedora do concurso “The Venture” Brasil, do whisky Chivas Regal. O anúncio acaba de ser realizado em festa exclusiva para convidados na última quinta-feira, dia 17, na Casa Fares, em São Paulo. O empreendedor Onício Leal Neto recebeu o prêmio das mãos de Lucas Foster e Maria Prata, mentores dessa edição do projeto. Também estiveram presentes no evento nomes como Dudu Linhares, Ícaro Silva e Lia Paris.

“Ser a representante brasileira na final do “The Venture” é uma das maiores conquistas da Epitrack até hoje”, afirma Juliana Perazzo, CFO da Epitrack. “Nossa proposta é utilizar a tecnologia na construção de uma sociedade mais colaborativa no controle de doenças infecciosas” comenta Onício Leal Neto, fundador da plataforma.

Desenvolvida pelo biomédico Onício Leal Neto, a startup de Recife (PE) é focada em vigilância epidemiológica em dispositivos móveis, detecção digital de doenças e treinamento para epidemiologistas. A Epitrack será a representante brasileira na final mundial do concurso, em julho de 2016 em Nova York, e ganha um curso na Singularity University (EUA), além de concorrer na etapa mundial com outras startups a um prêmio de U$$ 1 milhão.

“Nós sempre valorizamos o empreendedorismo e acreditamos que negócios e economia podem transformar problemas em oportunidades, sendo assim apoiar jovens que usam o seu talento para gerar oportunidades para os outros é natural para a marca. Com iniciativas como “The Venture” queremos impulsionar ideias que contribuam para que os negócios sejam usados como uma grande força do bem. Esperamos que o vencedor aproveite o curso na Singularity University, além da oportunidade de conhecer empresas líderes em tecnologia e serem orientados por especialistas. E, principalmente, que o projeto atinja todo seu potencial de transformação social” diz Melanie Conrad, gerente de marketing de Chivas da Pernod Ricard Brasil.

Tags, , , , , , , , , , ,

Sobre Unicórnios e Elefantes, ou: Como a Cloud Computing está Impulsionando a Revolução das Startups – Por Renato Morsch*

Estamos muito empolgados com o fato da Salesforce ter apoiado o CASE2015, a maior conferência de startups da América Latina. A Salesforce é uma eterna startup, começamos em um apartamento em San Francisco faz 16 anos, e acreditamos enfaticamente na importância de fomentar a inovação e o empreendedorismo em nossas comunidades locais. E um dos fenômenos mais interessantes da revolução das startups são os Unicórnios. Nos dois últimos anos este curioso animal emergiu como o símbolo de fantasias das startups, ele se tornou o mascote das mudanças disruptivas. Alguns temem que estas valorizações enormes de mais de US $ 1 bilhão, retiradas do escrutínio das ofertas de ações públicas, sejam sintomas de uma bolha econômica prestes a explodir. Outros enxergam isso como avanços na criação de emprego – não somente na altamente tecnológica San Francisco, a casa da Salesforce, e o portal de entrada do Vale do Silício, mas também em qualquer cidade com rápido crescimento, onde a tecnologia é dominante. Com iniciativas como o CASE e a primeira edição da São Paulo Tech Week, estamos tentando trazer este ambiente e esta cultura para São Paulo e para o Brasil.

Em ambos os casos, o glamour dessas feras elegantes está ofuscando o elefante em salas de diretoria dos capitalistas de risco: Ou seja, o grau em que “a nuvem” tem absolutamente e inerentemente ativado esse fenômeno.

É notável que a nuvem tenha se tornado tão rapidamente a principal corrente aceita da atividade empresarial ligada à TI. Há menos de uma década, a computação em nuvem foi recebida com hostilidade por muitas organizações e profissionais de TI –
Um serviço barato que ameaçava a governança, uma praga para os provedores de hardware, uma ameaça destruidora para os empregos de profissionais com alto nível de especialização e altos salários. Recentemente, por volta de 2011, a computação em nuvem era o mote da desconfiança entre os departamentos de TI, que foi retratado em manchetes como “A nuvem vs. TI: seu emprego está em risco?”.

Hoje em dia, a balança das opiniões distintas claramente pendeu para o lado da nuvem, como uma criadora de oportunidades. Como aconteceu com a impressora de tipos móveis (e o que acontece com os escribas da aldeia?), o motor de combustão (os noivos não serão mais conduzidos por charretes?) e até mesmo o computador (milhões de funcionários ficando sem trabalho?) a nuvem está agora mensuravelmente fazendo a economia crescer, ao invés de fazer com que ela diminua. De acordo com um novo estudo da empresa da empresa de análise IDC, que vem acompanhando as mudanças no setor de tecnologia por 50 anos, a nuvem tem um impacto econômico enormemente positivo hoje – e também nos próximos anos.

Como a nuvem cria crescimento econômico

Como a nuvem faz isso? Vamos começar com a microeconomia. De acordo com a IDC, a nuvem liberta departamentos de TI da manutenção de sistemas e das atualizações de rotina, que afligem 71% das empresas pesquisadas recentemente pela IDC. Estas são tarefas que não são diferenciadoras quando feitas perfeitamente, mas que podem ser devastadoras para um negócio quando feita mais ou menos bem. Delegar essas tarefas para a nuvem permite a um departamento de TI interno de uma empresa se concentrar em inovação de alto valor: criando aplicativos de contato direto com o consumidor, novos serviços baseados na nuvem ou mesmo linhas de negócios inteiramente novas construídas com o poder analítico alimentado pela Internet das Coisas.

Os entrevistados para a pesquisa da IDC relataram uma mistura saudável de novos projetos empresariais, impulsionado por um novo excedente de “capacidade de inovação ” emergindo da nuvem. Estes projetos variaram de trabalho voltados para o cliente (como CRM ou gestão de vendas), para melhorias operacionais (tais como gestão de cadeia de demanda ou de fornecimento), para melhorias de produtividade (tais como gestão de RH ou gerenciamento de desempenho corporativo). O valor desta inovação – frequentemente criada pela TI corporativa – não só é notável, mas também eleva a TI da sala do servidor para a sala da diretoria. Para os profissionais que se lembram de quando a ” informatização ” era um ato de inovação, em vez de administração, é bom estar de volta.

O efeito da computação de nuvem na macroeconomia é ainda mais surpreendente. Irradiando para fora da linha da presença alteradora de horizonte de alteração da Salesforce, a IDC prevê que clientes e o ecossistema de milhares de parceiros em torno da Salesforce irão criar mais de 1 milhão de empregos em todo o mundo até o final de 2018; mais 1,5 milhões de postos de trabalho indiretos, como os funcionários que investem dinheiro na economia mais ampla. Nesse mesmo período, a IDC estima que os benefícios de computação em nuvem resultantes para os clientes da Salesforce irão adicionar US$ 272 bilhões no PIB mercados locais, que é um monte de unicórnios – e a Salesforce é apenas uma da crescente gama de nuvens para fazer negócios.

A IDC prevê que os Estados Unidos verão a “parte do leão” desse impacto no PIB – mais de 50% – , devido à sua grande parcela de implementação de nuvem. Tomando uma visão mais ampla, no entanto, essa é uma história de sucesso macroeconômico global, uma vez que 60% da criação de empregos vão acontecer em mercados fora dos Estados Unidos , onde os custos laborais são frequentemente menores. É ainda mais importante reconhecer que enquanto os gastos nuvem pública superaram US$ 50 bilhões em todo o mundo no ano passado, isso ainda representava menos de 3% do total de gastos em TI. Há oportunidade econômica significativa ainda por vir.

Unicórnios chamam a atenção, mas os líderes de negócios inteligentes estão aproveitando o elefante para trazê-los para o futuro. Estamos somente no começo do potencial da nuvem para estimular o crescimento econômico. A inovação que isso vai trazer, para empresas de todos os tamanhos, é limitada apenas pela nossa capacidade de vislumbrar novas experiências para oferecer para o cliente.

*Renato Morsch é Head de Enterprise Sales LATAM na Salesforce

Tags,

Maior fusão de duas startups na América Latina: Easy Taxi & Tappsi unem forças

view.aspx

Easy Taxi e Tappsi anunciaram hoje, na Colômbia, a maior fusão de duas startups na América Latina. Impulsionados pela mesma missão – conectar passageiros e taxistas de uma maneira rápida, prática e segura – as empresas esperam acelerar o crescimento do mercado em uma região que ainda tem muito potencial a ser explorado. Hoje, apenas 15% de todas as corridas de táxi são pedidas pelos aplicativos de taxi.

Estratégia

A fusão é um passo importante para a melhoria da indústria de transporte na América Latina. Com a fusão, as empresas, que agora completam mais de oito milhões de corridas por mês, trabalharão juntas para continuar reformulando o setor e melhorar a experiência de transporte para taxistas e passageiros. No entanto, respeitando a preferência dos usuários, as empresas continuarão a operar independentemente com equipes e negócios separados.

A fusão permite a ambas compartilhar e coordenar as melhores práticas e assim, aprimorar continuamente os níveis de serviço a bordo do táxi. Entre os benefícios estão os treinamentos focados em atendimento ao cliente para proporcionar uma experiência de nível superior e o aprimoramento das iniciativas de segurança em todo o setor.

Gestão

Ao continuar operando como duas marcas separadas, Juan Salcedo permanecerá como CEO da Tappsi, enquanto Dennis Wang continuará liderando a Easy Taxi globalmente.

“Pelos últimos quatro anos, a Easy Taxi tem crescido enormemente de uma startup local pequena para uma empresa que hoje é líder na América Latina. Temos acompanhado de perto o desenvolvimento da Tappsi e estamos muito empolgados com fato de nos unirmos a uma empresa que compartilha os mesmos valores e visões sobre o setor de mobilidade urbana. Juntos, não só consolidaremos a nossa posição na região, mas também, continuaremos explorando o setor enquanto oferecemos a melhor solução de transporte possível aos nossos usuários” afirma Dennis Wang.

“Para o universo colombiano de startups, isso é um marco importantíssimo. Essa fusão da visibilidade do nosso país ao mundo tech. Como colombianos, estamos muito orgulhosos de nos unir a Easy Taxi, uma empresa sólida que traz investimento, conhecimento e experiência global para nosso ecossistema de empreendedorismo” completa Juan Salcedo.

Apps de chamadas de taxi líderes na América Latina

Desde 2012, as empresas forçavam uma a outra a continuar inovando e melhorando as condições do mercado. Ambas gastaram recursos e tempo para superar barreiras e transformar uma indústria.

Hoje, com uma visão compartilhada, Easy Taxi e Tappsi, esperam continuar aumentando o seu marketshare e consolidar a sua posição como o maior player da região.

A base de usuários compartilhada agora superará a barreira de 25 milhões de downloads, enquanto o número de taxistas será de meio milhão. Com o enorme potencial de crescimento do setor, as empresas continuarão recebendo investimentos para aplicar na América Latina e continuar impactando a região e a indústria.

Tags, , , ,

Startup Kokar arrecada R$ 300 mil Via EqSeed

A startup capixaba Kokar, desenvolvedora de uma solução descomplicada para automação residencial, finalizou sua captação, na qual conseguiu arrecadar R$300 mil reais em investimentos via EqSeed, uma das principais plataformas de equity crowdfunding do Brasil. O sucesso mostra que o mercado de automação residencial no país está em plena expansão e que existe demanda de investidores interessados em aportar em empresas startups.

Segundo Giulliano Siviero, COO da Kokar, o sucesso da campanha prova que a demanda para automação residencial no país está cada vez mais forte e que investidores aguardavam por uma solução realmente inovadora para o setor. “Estamos muito satisfeitos com o resultado da campanha, pois ela valida mais uma vez nosso produto e nos dá condições de alçar voos ainda mais altos”, comemora.

Brian Begnoche, sócio-fundador da EqSeed, concorda com Siviero e afirma que o modelo de equity crowdfunding está funcionando perfeitamente. “Ficamos muito felizes com o sucesso da campanha da Kokar. Tivemos investidores de diversos setores e perfis aplicando valores entre R$1.000 e R$50.000 – com um investimento médio de R$8.000. Estes números são realmente um ótimo resumo da captação possível via equity crowdfunding”, diz.

“A Kokar tem todas as qualidades que procuramos em uma empresa que capta investimento pela plataforma EqSeed: um produto forte, um modelo escalável e grande potencial de crescer nos próximos anos. Mais importante ainda é a equipe que tem um grande nível de profissionalismo, paixão e dedicação”, assinala Greg Kelly, também sócio-fundador da plataforma.

Com esse investimento, a Kokar pretende impulsionar o desenvolvimento da solução, em busca da liderança em automação residencial no Brasil. Para isso, dará prioridade para ampliação da equipe, – de 3 para 9 integrantes – investimento em ações de marketing e infraestrutura para melhorias do produto. “Agora que temos o investimento que precisamos para implementar o nosso modelo de negócios, queremos crescer e ganhar o mercado nacional. Para que isso ocorra, vamos em frente com ainda mais paixão e garra para conquistar esses objetivos” comenta Renan Arantes, CEO e sócio-fundador da Kokar.

De acordo com Kelly, a campanha comprovou que existe uma demanda entre investidores brasileiros para esse tipo de produto financeiro “Muitos que investiram na Kokar ficaram extremamente felizes em saber que podiam finalmente acessar esse tipo de investimento. Vários comentaram que sempre quiseram diversificar suas carteiras com investimento em startups, mas mal sabiam por onde começar. Após ver a estrutura e a segurança fornecidas pela EqSeed, já estão pedindo mais empresas nas quais possam investir. E vamos trazer essas campanhas em 2016, já a partir de janeiro”, afirma.

Ainda não conhece a Kokar?

O sistema da Kokar é formado por um aplicativo e três dispositivos: interruptor Guará, que ativa todo o sistema de iluminação; o módulo Sabiá, que dispara os comandos para dispositivos de áudio, vídeo e condicionadores de ar; e a central OKA, controladora de todo o sistema da casa. A mágica acontece na relação entre a central Oka e o aplicativo, que uma vez configurado, permite ao usuário através da troca de dados atuar sobre o sistema de qualquer lugar com apenas alguns toques.

“Até o momento, quem deseja automatizar sua casa encontra diversas barreiras infra estruturais e financeiras. Nossa solução é ideal para a geração de consumidores que busca interação completa com seus eletroeletrônicos como TVs, plataformas Blu-Ray, home theaters e condicionadores de ar, de maneira fácil e intuitiva através do smartphone ou tablet, de qualquer lugar do mundo e sem necessidade de obras nem grandes investimentos”, assinala Giulliano.

Modelo EqSeed é opção vantajosa para diversificar carteira

Por meio do site www.eqseed.com, o potencial investidor pode descobrir e interagir com micro e pequenas empresas nas quais é possível investir a partir de R$ 1 mil (por empresa). Visando a transparência, a plataforma oferece ao investidor a possibilidade de conferir o plano de negócios e confirmar os dados da empresa, além de contatar diretamente seus sócios. Vale ressaltar que todas as campanhas publicadas passam por um rigoroso sistema de avaliação, bem como um processo de aprovação com a Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Na prática, as ofertas de investimento na EqSeed tomam forma de uma campanha com uma meta e um prazo fixos, aproveitando-se de um mecanismo de “tudo ou nada”. Isto é, ou a empresa consegue arrecadar o montante total de investimento pedido no prazo, ou não recebe nada.

“O segmento de equity crowdfunding demanda empresas com equipes fortes e focadas, que visam atingir alto crescimento com modelos inovadores”, diz Begnoche. “Existem muitas startups excelentes no país, mas geralmente faltam experiência com captação de investimento. Agora elas podem contar com a EqSeed para realizar o processo” finaliza Kelly.

Tags, , , , , ,