Page

Category startup

Startups do Acelera MGTI vão participar do Startup Games

ddb811ee-17b6-4d92-8e43-9beedf07c31f As startups Homix, Conciliadora, Foxus, Virturian e Contself, incubadas pelo programa de incubação e aceleração Acelera MGTI, administrado pela Fumsoft, foram selecionadas para os Startup Games, que acontecem em 8 e 9 de agosto, durante os Jogos Olímpicos Rio 2016. A App Prova, que foi acelerada pelo Acelera, e é uma grande parceira do programa, também está entre as 50 participantes.

Os Startup Games são como uma olimpíada de tecnologia para empresas nascentes, promovido pelo governo do Reino Unido, e que acontece na British House, um espaço que funcionará durante os jogos olímpicos e paraolímpicos na cidade do Rio de Janeiro. Os Games já aconteceram em Londres, nas Olimpíadas de 2012. Naquele ano os vencedores receberam medalhas do então primeiro-ministro inglês, David Cameron. As inscrições para a edição de 2016 eram abertas para startups de todo o mundo.

Os competidores terão mentorias especializadas com grandes empresários sobre estratégias para transformar suas startups em negócios bem-sucedidos. As 50 startups do mundo todo participarão também de workshops e palestras sobre empreendedorismo com renomados investidores, no que será um espaço rico para networking e aprendizado.

Os Startup Games trarão o espírito olímpico para o mundo dos negócios. Nos dois dias de jogos, cada startup estará em uma competição virtual, que vai simular uma bolsa de valores. Aquelas que subirem ao pódio terão uma oportunidade ímpar de visibilidade internacional, pois esta é a única competição de startups do mundo com esse formato.

Foram convidados para o evento de 2016 investidores, aceleradoras e instituições de empreendedorismo do Brasil e do mundo, como Robin Klein, um dos maiores investidores do Reino Unido; Michael Acton Smith OBE, criador da Mind Candy e dos Moshi Monsters; Andrew Humphries, fundador da aceleradora britânica The Bakery; Eric van der Kleij, empreendedor britânico que liderou a Level39, maior aceleradora de startups de fintech do mundo; e Douglas Almeida, fundador da startup brasileira Stayfilm.

A startup vencedora da edição de 2012, Versarien, também estará presente no Rio. Menos de 10 meses depois de ganhar os Games de 2012, a Versarien registrou-se na London Stock Exchange, a bolsa de valores de Londres.

Minas Gerais terá uma das maiores delegações da competição. Allan Moura, assessor de empreendedorismo do Acelera MGTI, que acompanha a delegação estadual aos jogos promovidos pelo Governo Britânico, acredita na força do evento. “O Startup Games será uma grande oportunidade de aprendizado para as startups participantes, neste evento elas vão poder se conectar a vários investidores, empresas, incubadoras e grandes nomes internacionais. Graças as ações conjuntas com a Sectes (Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior), SEED e AceleraMGTI o nosso Estado terá grandes representantes de empresários das startups mineiras e com certeza trarão grandes novidades para nosso ecossistema”.

Tags, , , , , , , , , ,

Movimento apresenta lista final de 100 open startups brasileiras boas para investimento

O movimento “100 Open Startups” divulga a relação final das 100 startups brasileiras mais inovadoras e boas para investimento na opinião de quem atua no mercado. Elas foram selecionadas a partir de um processo que teve cinco fases e que durou, ao todo, um ano.

Foram classificadas as startups que mais despertaram interesse ou fecharam contrato com as grandes empresas participantes do projeto – como Grupo Fleury, 3M, Abbott, Natura, Bradesco, IBM, J&J, Estácio e outras. Para se ter uma ideia, quase mil startups de 23 Estados que se inscreveram no movimento.

Cada startup recebeu pontos de acordo com suas conquistas ao longo do processo, que teve cinco etapas. No topo do ranking, estão as startups que mais despertaram interesse das grandes empresas e aquelas que conseguiram fechar contratos.

O interesse pela startup manifestado por uma empresa do movimento, por exemplo, vale um ponto. Já contratos de serviços e/ou pilotos estabelecidos valem dez pontos (ou 20 pontos, se o contrato envolver participação societária). Para se ter uma ideia, no top 10, as startups receberam uma média de 100 pontos cada.

“A vibração dos empreendedores ajuda executivos a driblar o desânimo causado pela atual crise econômica, o que é um passo muito importante”, diz o investidor Bruno Rondani, investidor e mentor do movimento.

O movimento conseguiu ao todo:

# 30 avaliações foi a média recebida por cada startup participante do movimento em todo o processo

# 75 grandes empresas se conectaram ao movimento

# 25 fundos de investimento ou redes de investidores-anjo participam das avaliações

# 53 contratos já foram firmados entre empresas e startups desde a conclusão do ciclo anterior

# 30 startups captaram investimentos em até 2 meses após o fim do ciclo anterior

# 692 parcerias estão em negociação

E O QUE ACONTECE AGORA?

O movimento 100 Open Startups está com inscrições abertas para qualquer startup do Brasil e do mundo que queira participar de uma rede de conexão que envolve 120 grandes empresas do Brasil –o triplo do número de empresas no lançamento da edição do ano passado. A novidade é que, agora, o movimento sai do Brasil e chega também a outros países na America Latina, EUA, Europa e Ásia.

Neste ano, o 100 Open Startups parte com 20 desafios temáticos propostos pela rede de grandes empresas das mais diversas áreas.

Para entrar para o movimento, a startup deve se inscrever e escolher o desafio que tem mais sinergia com sua solução e em qual “Capital da Inovação” do programa pretende se apresentar. O processo acontece em cinco etapas. Inicialmente, as avaliações da startup são feitas online pela rede de especialistas e executivos das grandes empresas que participam do movimento. As propostas com mais combinações com executivos de grandes empresas são convidadas a participar de um pitch pessoalmente na Capital escolhida – são 12 no país e 9 no exterior.

As inscrições das startups devem ser feitas pelo site http://www.openstartups.org.br/ até 15 de agosto.

CONFIRA A LISTA DAS 100 OPEN STARTUPS SELECIONADAS

1 – Lean Survey

2 – Beenoculus

3 – Nexxto

4 – Seekr

5 – Standout

6 – Nama

7 – VRMonkey

8 – Bliive

9 – StoryMax

10 – CRIO

11 – ColOff Industrial

12 – Conteúdo sob Demanda

13 – Educacross

14 – Virtual Care

15 – Broou

16 – Encontre um Nerd

17 – Tippz Mobile

18 – JáTá Chegando

19 – Leva Eu

20 – Aliado

21 – Pin People

22 – PickMeApp

23 – Solides Tecnologia

24 – Step.Box

25 – Wearable Sun Block

26 – Reachr

27 – RFIDBRASIL

28 – PROSUMIR

29 – Meerkat

30 – Omnize

31 – Soluz Energia

32 – Ubivis

33 – LogPyx

34 – Beenergy

35 – POP Recarga

36 – DICOM Grid Brasil

37 – Joy Street

38 – PrintGreen3D

39 – Eventplatz

40 – Me Passa Aí

41 – Droneng

42 – TracknMe

43 – Netbee

44 – Sou Genial

45 – Treevia Forest Technologies

46 – Woole

47 – Screens

48 – Nearbee

49 – Dropo

50 – Confirm8

51 – Carona Phone

52 – FindMe

53 – Dunning

54 – VisiLog

55 – Dr CUCO

56 – Ti.Mob

57 – Vineo

58 – Blue Mind

59 – SaleSIM

60 – Bluelux

61 – ASAPP

62 – iPlantão

63 – Escola de Inventor

64 – Outclass

65 – Previseme Suporte Inteligente

66 – CellSeq

67 – BBroker

68 – DSPGeo

69 – Intelectron

70 – Construct App

71 – Atestados.Med

72 – LIVRE

73 – Matere Educacional

74 – Portal Workbook

75 – Controly

76 – Setupmyteam

77 – Go Touch

78 – Estoks

79 – Opifex

80 – easySubsea

81 – Genoprimer

82 – Farmácia Agora

83 – Pluga

84 – Youper

85 – Noiga

86 – LeadLovers

87 – Eduapps

88 – Agrosmart

89 – Intcom

90 – Fleeber

91 – Maxprotein

92 – Agropixel

93 – RankMyApp

94 – I.Systems

95 – Litma

96 – ZapIn Tecnologia e Informação

97 – CropWatch

98 – Moxchat.it

99 – Exotraje NSA1

100 – Edudream

Tags, ,

Oxigênio Aceleradora inicia segundo ciclo de programa de aceleração

A Oxigênio Aceleradora encerra o processo seletivo, iniciado em abril deste ano, com o anúncio das sete empresas que irão participar do 2º Ciclo de Aceleração. Ao todo foram 1.300 empresas cadastradas para participar do programa.

“O primeiro ciclo de aceleração trouxe ótimos resultados para a Porto Seguro, gerando mais de 20 projetos em andamento com as cinco startups selecionadas”, afirma Italo Flammia, diretor da Oxigênio Aceleradora, “por isso acreditamos no potencial da Oxigênio e dos nossos parceiros para dar continuidade a esse projeto e trazer cada vez mais soluções integradas para o mercado”.

Durante os três primeiros meses de aceleração, os empreendedores contarão com mentoria, palestras e workshops compreendendo várias especialidades com executivos da Porto Seguro e profissionais renomados do mercado. Após esse período, as startups completarão o processo de aceleração na sede da Plug and Play Tech Center, aceleradora localizada no Vale do Silício nos Estados Unidos.

Nesta segunda fase, a companhia optou por acelerar sete startups – duas a mais que no ciclo anterior. A novidade é que as empresas Atendente Virtual e BemCombinado são comandadas por colaboradores da Porto Seguro, que terão investimento e apoio da Oxigênio para seguir em frente com o desenvolvimento de seus negócios. “Ficamos extremamente felizes em ver que pessoas de dentro da companhia estão ousando e inovando, principalmente por termos a chance de ajudá-los a realizar o sonho do empreendimento próprio”, diz Flammia.

Conheça as startups selecionadas:

• Automobi (https://www.automobi.com.br/) – plataforma que auxilia proprietários de veículos a manter a saúde do carro em dia, conectando os usuários a mais de 100 mil oficinas e concessionárias no Brasil.

• Evnts (http://evnts.com.br/) – ferramenta de hospedagem para eventos para grupos, que oferece descontos de até 40% em hotéis parceiros, além de benefícios para organizadores e participantes.

• InvesteApp (http://investeapp.com/) – aplicativo de investimento que busca aproximar as pessoas dos seus sonhos, usando uma linguagem financeira acessível a todos.

• KickSIM (http://www.kicksim.com/) – ferramenta que fornece roaming celular grátis, por meio de direcionamento de chamadas para planos pré-pagos ilimitados e custo zero roaming internacional.

• Nexoos (https://www.nexoos.com.br/) – plataforma de empréstimos peer-to-peer para pequenas e médias empresas, que conecta empresas em busca de crédito com pessoas dispostas a financiá-las, proporcionando taxas de juros mais baixas e retornos mais expressivos aos investidores.

• Atendente Virtual – sistema de inteligência artificial que interage em linguagem natural com o cliente ao se integrar com sistemas e recursos corporativos e aprende diferentes roteiros de atendimento num curto espaço de tempo.

• BemCombinado (http://bemcombinado.com/) – plataforma que conecta usuários que têm a necessidade de resolver uma tarefa com uma outra pessoa disposta a resolvê-la.

O 2º ciclo do programa de aceleração da Oxigênio teve início nesta segunda-feira, 1º de agosto, na sede da empresa localizada na Rua Conselheiro Nébias, no bairro de Campos Elíseos em São Paulo.

Tags, , , , , , , , ,

Startup Marmotex cresce mais de 130% em vendas e bate recorde de entrega diária de pedidos

view.aspx

Com menos de 1 ano de atuação, a Marmotex, plataforma de entrega de almoço executivo que se difere do tradicional delivery, cresceu mais de 130% em vendas, atingindo a média de 100 entregas diárias. O recorde de vendas bateu a marca de 180 pratos.

Antes restrito à região da Vila Olímpia e das avenidas Faria Lima e Brigadeiro Luís Antônio, o serviço de entrega inicia uma nova operação na Chácara Santo Antônio, que deve ter início em agosto. Para que isso fosse possível, os gestores avaliaram e cadastraram restaurantes na região para que tivessem condição de atender a demanda. O passo seguinte é atingir a Avenida Paulista até o final desse ano.

Segundo Peter Chun, co-fundador da Marmotex, o processo de crescimento teve início em abril, quando entraram para o ecossistema da Move2, um Venture Builder que coloca a mão na massa de todo o processo de desenvolvimento e gestão de uma startup. “A profissionalização do serviço, aliada às estratégias implantadas, deram suporte para fazer diferente e melhor cada ação”, declara Peter Chun.

Atualmente, a startup conta com mais de 245 grupos de empresas cadastradas e possui uma lista de espera com mais de 140 grupos, que aguardam a liberação para fazer parte da plataforma e usufruir das vantagens do serviço.

Criada para atender o segmento corporativo, a Marmotex iniciou o trabalho com a entrega de almoço, cujos pedidos são feitos até às 10h para serem entregues a partir das 12h no horário mais conveniente para cada grupo. Os pedidos são feitos no site https://www.marmotex.com/ e podem ser programados com antecedência. No cardápio estão à disposição mais de 250 pratos, além das promoções diárias, sempre variadas.

Recentemente, a empresa inseriu também a opção de snacks para atender o público adepto ao lanche da tarde. O pedido pode ser feito junto com o almoço ou individualmente, sempre até às 15h. No cardápio estão incluídas mais de 50 opções de lanches. Em média, o almoço tem preços a partir de R$ 15,00 com opções tradicionais, light e veganas, e os snacks custam a partir de R$ 2,00.

Outra novidade é a ‘Fruta Feira’, que consiste numa embalagem com duas frutas da época, sempre higienizadas, que podem ser entregues diariamente, de segunda a sexta, ou 3 vezes por semana, por um custo fixo, através da assinatura do serviço. Também é possível fazer o pedido individual, quando quiser, pelo preço de R$ 5,90 por dia.

Como todo o serviço é online, o pagamento segue a mesma linha, através do cadastro de um cartão de crédito ou até mesmo do próprio Vale Refeição, inserindo crédito no valor mínimo de R$ 100,00, que é descontado a cada pedido.

Tags, , ,

Samsung e Anprotec graduam startups da primeira edição do Programa de Promoção da Economia Criativa

A Samsung Electronics e a Anprotec acabam de concluir a primeira etapa do Programa de Promoção da Economia Criativa. O término dessa etapa consolida o processo de cooperação tecnológica iniciado entre os governos brasileiro e sul-coreano por meio dos Ministérios de Ciência, Tecnologia e Inovação dos dois países em 2015. As startups selecionadas na primeira edição foram aceleradas pelo programa entre janeiro e julho de 2016, recebendo investimentos diretos, acesso à tecnologias móveis, mentorias e capacitação para introdução no mercado.

Graduaram-se nessa primeira edição as startups Mind The Graph e Sinapse Virtual, incubadas na Incubadora Tecnológica de Campina Grande no Estado da Paraíba (ITCG), DEV Tecnologia, VRMonkey e Doutor Recomenda, incubadas no Centro de Inovação, Empreendedorismo e Tecnologia da USP em São Paulo (CIETEC), Reminds e Oobj Tecnologia, incubadas no Centro de Empreendedorismo e Incubação da Universidade Federal de Goiás (PROINE), e Optix Imagens Médicas, da incubadora de empresas da PUCRS no Rio Grande do Sul (RAIAR).

Segundo Antonio Marcon, gerente de pesquisa e desenvolvimento da Samsung e responsável pelo programa no Brasil, a iniciativa contribui significativamente para o aperfeiçoamento dos mecanismos e ferramentas de colaboração entre as grandes empresas e as pequenas startups de base tecnológica, um exemplo a ser seguido.

“Esta primeira edição do Programa de Promoção da Economia Criativa materializou empreendimentos inovadores em áreas como Educação Digital, Saúde Digital, IoT, Realidade Virtual e Convergência, e demonstrou o efeito catalisador da colaboração para impulsionar o desenvolvimento de tecnologias emergentes e aperfeiçoar modelos de negócios no Brasil. A grande empresa é um poderoso canal de acesso a tecnologias e mercados, e contribui para potencializar rapidamente os resultados dos empreendimentos mais jovens”, afirma Marcon.

Para o presidente da Anprotec, Jorge Audy, a parceria da Associação com a Samsung é estratégica para o Brasil. “Eu vejo as ações da Samsung como alguns dos principais ambientes de inovação da Europa e da Ásia, além da própria Coréia, e percebo a importância desse projeto que desenvolvemos juntos, compartilhando experiências e aprendendo com eles, uma empresa de classe mundial que surge numa das economias mais inovadoras do mundo que é a coreana”, explica.

Audy afirma ainda que o programa estabelece um novo tipo de parceria possível, utilizando os recursos da Lei de Informática brasileira. “Esse projeto é um marco. Abre um novo caminho de parcerias para fomentar o surgimento de startups, de empresas inovadoras, na área de economia criativa principalmente, gerando emprego, renda e desenvolvimento para o país”, acrescenta o presidente da Anprotec.

Na prática

A Optix Imagens Médicas foi uma das empresas participantes da primeira etapa do programa. A startup desenvolveu um produto de tele radiologia capaz de compactar imagens médicas, reduzindo custos e agilizando a emissão de laudos médicos nas plataformas web e mobile, inclusive em situações de emergências médicas. Segundo Paulo Aguiar, diretor da startup, o apoio do programa foi fundamental para o crescimento e aperfeiçoamento da empresa. “Todo o design do produto e os fluxos da solução foram muito discutidos com a equipe da Samsung. Isso ajudou muito para tornar o produto maduro e com qualidade para chegar ao mercado agora”, afirma Paulo.

Outra startup participante é a Sinapse Virtual Tecnologia e Serviços, que desenvolve soluções tecnológicas para ajudar crianças com dificuldades de aprendizagem a superarem suas limitações cognitivas e pedagógicas. Segundo um dos sócios da empresa, Glenny Gurgel, a ideia do projeto, antes limitada a auxiliar professores, foi significativamente ampliada durante o programa, ficando aberta a todas as crianças, dentro e fora do ambiente escolar, por meio de um aplicativo de jogos educativos, desenvolvido em parceria com a Samsung. Com isso, a expectativa de faturamento da empresa passou de R$ 100mil para R$ 1 milhão por ano. “Uma startup paraibana conseguir fazer uma parceria com uma multinacional e ter a perspectiva de distribuir seus produtos pra toda América Latina é incrível”, avalia Gurgel.

Segunda etapa

A Anprotec e a Samsung anunciam também que já foi iniciada a segunda rodada do programa, abrindo novas oportunidades para os empreendedores. O sucesso da primeira fase promoveu o aumento de 5 para 12 incubadoras distribuídas em todo o território nacional. O número de vagas para empreendimentos foi ampliado para 10 startups. Além disso, o valor do apoio financeiro aumentou, podendo agora chegar até a R$ 250 mil por empreendimento, e ainda não será mais exigido o tempo mínimo de operação das empresas candidatas. “Assim, os projetos mais jovens, dispostos a acelerar seu desenvolvimento e sua introdução no mercado, encontram conosco uma ótima oportunidade de desenvolvimento”, destaca Marcon.

“A expectativa mais importante de resultados do programa é que as empresas possam vir a gerar resultados positivos do ponto de vista de desenvolvimento econômico e desenvolvimento de inovação para elas próprias e para a região e os ecossistemas de inovação onde elas estão instaladas”, avalia Jorge Audy.

Gradução

O encerramento da primeira etapa do programa foi realizado em 28 de julho, na sede regional da Samsung em São Paulo (SP). As oito startups aceleradas pelo programa fizeram uma pitch session para os participantes e investidores. O evento contou ainda com a participação de diretores e gestores da Samsung, da Anprotec, das Incubadoras, do Centro de Economia Criativa e Inovação de Daegu Coreia do Sul, além de representantes do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, investidores e agências nacionais de apoio ao empreendedorismo e inovação.

Tags, , , , , , , , , , ,

Startup chega a 100 mil usuários com plataforma que ajuda a organizar eventos científicos

Segundo dados da ABEOC Brasil (Associação Brasileira de Empresas e Eventos), estima-se que a indústria de eventos no Brasil movimenta mais de R$ 200 bilhões todos os anos, quase 5% do PIB brasileiro. O número, que continua a crescer, quintuplicou em 12 anos. Com o avanço da ciência e novas tecnologias, torna-se fundamental reunir especialistas, pesquisadores, críticos e profissionais de diferentes áreas no intuito de promover ideias inovadoras e buscar soluções para pautas urgentes. Desde fóruns até feiras de inovação, eventos deste tipo já são parte do calendário anual de muitos países – inclusive do Brasil. Pode-se citar, por exemplo, o Congresso de Ciência do Desporto e Educação Física dos Países e Educação Física dos Países de Língua Portuguesa – que ocorre em 6 países – e a Mostra de Pesquisa em Ciência e Tecnologia Devry Brasil, presente simultaneamente em 12 cidades e 10 mil participantes.

Todo o processo de organização destes acontecimentos precisa ser minunciosamente elaborado e adaptado tanto para atingir o objetivo principal do que está sendo proposto quanto para dialogar com os públicos que comparecerão. Neste ponto, o mercado de eventos abre espaço para quem está no “backstage” e garante que o setor em questão continue firme mesmo em tempos de crise econômica. Em outras palavras: eis a chance de investir neste nicho e transformá-lo em negócio.

Uma startup vem chamando atenção quando o assunto é facilitar a organização e realização de eventos: a Even3. Criada para atender uma demanda específica – a de eventos científicos, destacou-se por atender diferentes perfis dentro da área que vão desde professores, pesquisadores e estudantes universitários até diretores de instituições privadas e equipes de TI que lidam com inovações tecnológicas para o setor.

Um primeiro ponto a ser considerado como positivo é o fato de que a ferramenta não tem taxa de instalação ou configuração. Caso o evento seja pago, a startup cobra apenas uma pequena comissão sobre cada inscrição. Os organizadores ganham tempo, recebendo trabalhos sem planilhas desnecessárias, trocas de e-mail ou avaliação manual.

Organização é a “alma” do negócio

Uma das características do eventos científicos e acadêmicos é a complexidade de sua organização. Isso porque, além da infraestrutura, faz-se necessário pensar no tema, no formato (que pode variar entre feiras, exposições, mesas-redondas, conferências, jornadas etc.), levantamento de custos e lista de palestrantes, basicamente. E é neste “basicamente” que se encontra o desafio maior: conciliar o tempo disponível com todas as tarefas indispensáveis. Neste ponto, o auxílio de quem já conhece tais eventos e atua no mercado com soluções práticas e efetivas também se torna fundamental.

A plataforma criada pela Even3, por exemplo, realiza boa parte dos processos ligados à metodologia do evento em si (como ele irá ser organizado, de fato, e quais os processos envolvidos). Para além dos aspectos funcionais – como gerenciamento da lista de convidados, fichas cadastrais e formas de pagamento, também há necessidade de uma contribuição mais detalhada quando se trata da concretização do evento em questão. É desta demanda que surge o diferencial.

“Organizar as submissões e avaliações de trabalhos científicos, disponibilizar os anais e periódicos online, controlar o credenciamento e emissão de certificados, gerenciar inscrições online com diversas formas de pagamento (PagSeguro, Cielo, PayPal, GRU) e gerenciar a programação do evento com informações de palestrantes e programação científica são elementos complexos que exigem tempo e alto nível de administração”, enfatiza Cláusio Barbosa, sócio da empresa. Reunir todos estes processos em uma única ferramenta colaborativa e sem dependência de setup ou equipe de TI resultou na Even3 e sua efetividade no ramo de eventos acadêmicos e científicos.

Com diversas universidades, empresas, e associações utilizando a plataforma, neste mês foi ultrapassada a marca de 100 mil usuários ativos. “Pelo fato de ainda não termos 2 anos de funcionamento, este resultado nos surpreendeu. Isto é o resultado de muito esforço, comprometimento”, afirma Cláusio Barbosa, cofundador da Even3. Ele também enfatiza que a maior parte dos eventos ocorre nas regiões norte e nordeste – com destaque para Acre, Mato Grosso e Ceará, respectivamente, entretanto, há estratégias elaboradas para abranger o sudeste do país e, principalmente, o estado de São Paulo.

Resultados: e depois do evento?

Toda a estratégia organizacional e cuidado com os detalhes serão inexpressivos se, ao comparar os resultados atingidos com os de outras edições do evento, nenhuma melhoria for detectada. Mensurar o que foi obtido e quais objetivos não apenas foram atingidos, mas também superados comprova a efetividade de quem ficou responsável por “fazer acontecer”.

A VII Mostra Devry Brasil contou com os serviços da Even3. O evento tem por objetivo apresentar e fomentar trabalhos científicos voltados para tecnologia, além de reunir pesquisadores e especialistas da área junto do público participante que integrará diferentes atividades ao longo da programação. A startup, junto dos responsáveis pela mostra, teve como desafio gerenciar mais de 10 instituições simultaneamente, garantindo automatização de processos tanto do setor financeiro quanto o de conteúdo – com publicações sobre o evento no âmbito online. Como parte dos resultados positivos pode-se citar o aumento de 69% no número de inscritos e de 111% no número de atividades.

A eficiência é fruto de diversos fatores, incluindo a oportunidade. Tratando-se de startups, conseguir vaga em processos de aceleração que garantam não apenas o desenvolvimento do projeto, mas também o contato com investidores e outros empreendimentos inovadores no mercado pode ser considerado como uma primeira vitória. A Even3, por sua vez, foi uma das 40 empresas – entre 1.450 – selecionadas pela SEED, uma das principais aceleradoras da América Latina.

Aqueles que buscam ferramentas para melhor gerenciar seus eventos científicos junto de quem entende desta área em questão, basta acessar a página oficial da Even3 ou entrar em contato diretamente com o setor comercial pelo e-mail comercial@even3.com.br.

Tags, , ,

Startup cria plataforma que automatiza logística e reduz custo com frete

42fa7cc1-a80a-40ba-9cd5-e5a6c8e4bbe0

O atual momento econômico do Brasil cria uma tendência natural de redução de custos nas empresas, fazendo com que muitas troquem de fornecedores, apliquem férias coletivas, demissões e, em alguns casos, encerrem suas atividades.

Algumas destas práticas podem ser evitadas com pequenas mudanças na gestão da empresa, de modo que otimizem seus gastos e seu tempo. O grande vilão, algumas vezes, é o frete que em alguns produtos corresponde a até 80% do preço de venda. São muitos os fatores que contribuem para este elevado custo; destaque para três: contato com poucas transportadoras, falta de investimento em logística, e demora entre encontrar uma transportadora e solicitar a coleta da carga.

Estes problemas podem ser solucionados com ferramentas gratuitas disponíveis na internet que permitem realizar cotações de preços a qualquer momento, consultar várias transportadoras em tempo real, solicitar as coletas e acompanhar todas as cargas até a entrega.

No momento em que vender mais é essencial nas empresas, uma startup lança a plataforma Frete Rápido que conecta empresas e transportadoras de todo Brasil, automatizando o setor logístico das empresas de forma gratuita. A redução de custo obtida nestes casos pode ser repassada ao preço de venda, proporcionando um aumento significativo nos negócios e dando força para a empresa suportar este período de crise.

Tags, ,

Aplicativo que devolve a voz original a pacientes vence o 2º Startup Weekend Health

No último final de semana, investidores, profissionais e empreendedores da área de saúde se reuniram em São Paulo para o 2º Startup Weekend Health, que selecionou ideias de startups voltadas para a área de saúde para serem desenvolvidas. O evento, que teve apoio do Google Foundation e da Janssen, farmacêutica do grupo Johnson & Johnson, reuniu 120 participantes em 13 projetos que contaram com o apoio de mentores, investidores e empresários da área dispostos a ajudá-los a tirar suas ideias do papel e tocar suas próprias startups.

O projeto vencedor, escolhido pelos jurados no final das 54 horas de trabalho, foi o Minha Voz, um aplicativo que permite a reprodução de palavras para pessoas que perderem a voz por conta de cirurgias ou algum tipo de doença.

Ao contrário de aplicativos similares que já existem no mercado, o Minha Voz tem como objetivo reproduzir a voz original da pessoa ao invés de usar um som eletrônico pré-programado, o que ajuda bastante na recuperação da autoestima do paciente. O grupo, formado por duas fisioterapeutas, uma fonoaudióloga, um médico especializado em medicina da família e urgências e um desenvolvedor, usou como case uma paciente que perdeu a voz há 16 anos. A partir de uma antiga fita de VHS, os empreendedores conseguiram captar algumas palavras ditas por ela e inseriram esses áudios no banco de dados do programa. Ao digitar as palavras no aplicativo os áudios são emitidos.

Segundo a fisioterapeuta Verônica Vilalta, integrante do grupo vencedor, a ideia do projeto surgiu porque o pai de uma das componentes da equipe teve um câncer na garganta e perdeu a voz. “Existem outros aplicativos no mercado com esta finalidade, mas nenhum que use a voz original do paciente. A nossa expectativa agora é conseguir viabilizar o projeto e lançar o aplicativo em caráter definitivo”, explica. A equipe vencedora recebeu muitos telefonemas de pessoas interessadas em ajudar a desenvolver e financiar o projeto e já até tem reuniões agendadas. Em princípio, o Minha Voz – com algumas palavras – será gratuito, podendo evoluir para uma versão paga com a programação de frases e textos mais longos.

Além do projeto Minha Voz, mais duas equipes se destacaram nessa edição do Startup Weekend Health. Tratam-se da solução “No Dia”, ferramenta de agendamento de consultas para o mesmo dia e o “Acompanhare”, que funciona como um “Uber” de cuidadores para idosos.

De acordo com Fernando Cembranelli, CEO da aceleradora de saúde Berrini Ventures, foram 54 horas de muito aprendizado trocas, discussões e, no final, um resultado absolutamente surpreendente. “Foi um privilégio poder testemunhar tantos profissionais e apaixonados por saúde lutarem para transformar seus sonhos realidade, através de startups.”

Sobre o Startup Weekend

É uma rede global de líderes e empreendedores de alto impacto com a missão de inspirar, educar e capacitar indivíduos, equipes e comunidades. Mais de 8.000 startups foram criadas nos eventos realizados em cerca de cem países. O Startup Weekend é ainda um evento de imersão, uma experiência única onde empreendedores e aspirantes a empreendedores podem descobrir se suas ideias de startups são viáveis. O encontro é uma oportunidade para desenvolver ideias, formar equipes e lançar startups. O Startup Weekend já realizou 4.240 eventos em 1.150 cidades de 150 países, tendo mobilizado mais de 240 mil participantes. No Brasil, chega à sua 235ª edição, tendo passado por 54 cidades e aglutinado mais de 20 mil participantes.

Tags, , , , , , ,

Empresa alemã lança concurso para selecionar projetos inovadores

A Visual Meta, empresa alemã que administra o comparador de produtos UmSóLugar, no Brasil, acaba de lançar a nova edição do concurso Berlin Startup Calling 2016, com o objetivo de premiar jovens talentos e seus projetos inovadores. As inscrições vão até o dia 31/12/2016.

O primeiro colocado poderá receber até 7 mil euros em dinheiro e ainda ter a chance de estagiar na sede da empresa, em Berlim – Alemanha, por um período de seis meses. Os segundo e terceiro lugares também receberão prêmios em dinheiro (€ 3.500 e € 1.750 respectivamente) enquanto o quarto lugar ganhará um Macbook Air (11″ 128 GB) e o quinto, um iPad mini 4 (16 GB).

O concurso é destinado a jovens entre 18 e 30 anos, de qualquer nacionalidade, que podem participar individualmente ou em grupo de até cinco pessoas. O plano de negócios deve ser enviado no momento da inscrição e será aceito em dois formatos:

1- pitch deck em texto, com máximo de 10 páginas, em inglês; ou

2- pitch deck em vídeo, com no máximo cinco minutos de duração, também em inglês.

Ambos devem expor, de forma clara e objetiva, o problema, sua solução, uma análise do mercado em questão, os possíveis concorrentes, a equipe de atuação e o negócio em si. Junto com o pitch deck, também será preciso enviar:

3- seu currículo com informações sobre formação, experiência profissional (caso tenha);

4- dados para contato; e

5- cópia digitalizada de um documento que comprove sua idade, como RG, CPF ou CNH.

Para mais informações ou para realizar a inscrição, acesse a página Berlin Startup Calling 2016. Os vencedores serão anunciados em 31 de janeiro de 2017.

http://www.umsolugar.com.br/berlin-startup-calling-2016

Tags, , ,

Startup seleciona passagens aéreas até 65% mais baratas

Após o sucesso do Baixou, Patrick Nogueira lança site que promete ajudar o consumidor a viajar com economia

A plataforma inovadora lançada recentemente, PassagensAéreas.com.br, promete mudar a forma de encontrar promoções de passagens para diversos destinos, e fazer com que o viajante economize até 65%.

Anteriormente, Patrick Nogueira foi o responsável por uma outra grande inovação online, o site Baixou, que encontra os preços mais baratos de diversos produtos.

A nova Startup surgiu com o desenvolvimento de um algoritmo que interage com as informações dos bancos de dados das principais companhias aéreas do mundo, capaz de selecionar as melhores promoções. “A economia é real e baseada nas informações das próprias companhias aéreas”, explica o CEO da empresa.

Além de buscar no próprio site, o usuário pode se cadastrar e receber por e-mail os destinos mais baratos, saindo das principais cidades do país e com opção de diversas datas. Além disso, as ofertas já são apresentadas na moeda Real, facilitando para o consumidor no cálculo dos gastos com a viagem.

Inovação promete aquecer mercado

Em um cenário de crise, economizar na compra de passagens aéreas faz com que mais pessoas viajem, mantendo o mercado mais aquecido. “Antes de desenvolver essa plataforma, eu viajava uma vez por ano. Agora viajo três vezes com o mesmo valor”, revela Patrick Nogueira, que descobriu esse método “por acaso” e hoje trabalha para levar essa economia a outras pessoas.

Tags, ,

Startup de mobilidade corporativa recebe investimento de R$ 5 milhões

ced5be00-5e08-4f6a-80a0-bcf3594ef65d

A startup uMov.me, empresa de tecnologia desenvolvedora da primeira plataforma brasileira que permite a qualquer pessoa, mesmo sem experiência em programação, criar aplicativos móveis corporativos recebeu investimento do Fundo CVentures Primus, gerido pela CVentures em conjunto com a CRP Companhia de Participações. Com isto o Fundo passa a ter uma participação minoritária não divulgada na uMov.me, contando com um representante no Conselho de Administração cuja missão será implantar as melhores práticas de governança corporativa, além de suporte estratégico no projeto de crescimento da companhia.

O aporte, irá cobrir parte dos R$ 15 milhões que serão investidos nos próximos 36 meses com o objetivo, principalmente, de aprimorar o relacionamento e o desenvolvimento de negócios com sua crescente base de parceiros, que conta com nomes com atuação internacional como Manpower, Neogrid, Contax, TOTVS, entre muitos outros. Eles atendem empresas como pra Nissin, Makro, Bradesco, Hyundai, Renault, Embraer, Etna e mais algumas centenas de empresas dos mais diversos portes e segmentos.

O grande diferencial da plataforma uMov.me é a capacidade de gerar soluções completas (automação, monitoramento e gestão de equipes de campo) de alta qualidade, independente de plataforma e sem programação para qualquer segmento de atuação. Totalmente na nuvem, as soluções permitem automatizar atividades de coleta de dados em campo utilizando recursos de GPS, roteirização, conteúdos multimídia, processamento de imagens e muitos outros.

A uMov.me vem trabalhando há 3 anos na construção de uma rede de parceiros que hoje é composto por de mais de 250 empresas (desenvolvedores e integradores), que constroem aplicativos e atendem os clientes finais com soluções como Automação de Força de Vendas, Logística, Equipes de Serviço, Trade Marketing, Auditorias, Eventos, entre muitos outros. Atualmente são mais de 105 mil usuários utilizando aplicativos desenvolvidos com a plataforma, que já passam dos 7 mil aplicativos.

Além do investimento de canais, a plataforma vai receber novos módulos e recursos que irão aumentar a entrega de valor. Quanto aos serviços, os principais beneficiados serão os parceiros que passam a contar com novos serviços especializados oferecidos por analistas de negócios, marketing e de tecnologia da uMov.me para apoiar o desenvolvimento de suas soluções e ofertas para seus clientes considerando a estratégia de negócio de cada parceiro.

A diretoria da companhia segue inalterada, com Alexandre Trevisan (CEO), Daniel Wildt (CTO) e Vinicius Vasconcelos (CBDO). Trevisan reforça o momento: “a empresa segue com gestão independente e tem como principal objetivo ajudar nossos parceiros a desenvolver negócios na área de mobilidade. É a maior oportunidade do mercado de tecnologia e precisa de empresas especializadas e preparadas para atendê-los. Criar a maior e mais qualificada rede de empresas de mobilidade do Brasil é a nossa missão”.

O mercado recessivo não tem sido barreira para o desenvolvimento acelerado da companhia. Em 2015 apresentou um crescimento de 65% e as expectativas para 2016 são ainda mais agressivas. A companhia considera fazer algumas aquisições pontuais como forma de acelerar ainda mais o crescimento. Elas deverão estar vinculadas a novas ofertas de produtos e serviços e na expansão de mercado. A empresa tem alguns parceiros na América Latina mas entende que há muito espaço no mercado internacional para a sua proposta de valor.

Tags, , , , , ,

Startups: como proteger o seu negócio antes mesmo de começar

Não corra riscos, conheça os primeiros passos legais para abrir uma empresa inovadora

Elas são relativamente novas, mas a fama já se espalhou. As startups, conhecidas no mercado pelo grande potencial de negócios e forte espírito empreendedor, ganham cada vez mais espaço no cenário nacional.

Estimativa da Associação Brasileira de Startups mostra que o número de startups em operação no Brasil cresceu 30,4% entre março e dezembro do ano passado, chegando a 4,1 mil empresas iniciantes. Um cenário animador para empreendedores, fomentado ainda mais pela crise econômica e política instalada no País.

Mas nem tudo são flores. As startups podem ser pequenos meteoros, operando num campo de muitas incertezas, e acabarem com a mesma velocidade em que começaram. Então, se você teve uma ideia incrível e, de repente se junta ao seu amigo de infância ou aos seus familiares para desenvolver essa ideia, é preciso observar alguns detalhes importantes antes de tirar o projeto do papel. Por isso, Tatiana Soares de Azevedo, especialista em direito tributário do escritório Penachio, Moroni Câmara, Mattos & Azevedo Advogados listou alguns pontos que devem ser observados para proteger o seu negócio antes mesmo dele começar:

1. Proteja a sua marca

– Antes de abrir o negócio, faça uma busca no site do INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial), mais especificamente no sistema e-marcas.

“Antes de começar, é necessário proteger a propriedade intelectual ou, pelo menos, analisar a viabilidade ou necessidade de fazê-lo”, esclarece Tatiana.

– Faça um acordo de não divulgação para sócios, investidores e funcionários: curto e simples, com cláusulas que restrinjam a divulgação de informações estratégicas e confidenciais da empresa. Recomendação que se estende para os domínios na internet, bem como para os nomes de contas das mídias sociais.

2. Defina as regras da sociedade

Também é necessário tomar uma série de providências com relação aos sócios:
– Acordo para a divisão das ações. Esse acordo será utilizado mais adiante, no momento da elaboração dos atos constitutivos – contrato social ou estatuto social, dependendo do modelo de sociedade escolhido.
– Definir regras de entrada, de reembolso, de saída etc.

3. Cadastre a sua empresa

Chegado o momento de contratação de pessoal, é preciso abrir formalmente a empresa, com o registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ).
A empresa pode ser uma limitada (Ltda), sociedade anônima (S/A) fechada ou aberta, empresa individual, sociedade em conta de participação, entre outras. “Com relação ao regime de apuração de lucros, há algumas possibilidades: lucro real, lucro presumido e SIMPLES. A consultoria tributária, nesse momento, será muito útil”, ressalta a especialista.

4. Evite dor de cabeça na hora de formar o seu time

Com relação à contratação de funcionários, a regra geral é o regime da CLT. Um custo muitas vezes inviável para uma empresa que pouco ou nada fatura. Há outras opções? A resposta é sim.
Há uma pessoa muito talentosa no time, que veste a camisa do projeto? Ofereça a ela uma opção de compra, um share da empresa. Na prática ela será sócia, terá um pro labore e participará da divisão dos lucros.
E se, por acaso, a pessoa admitida na sociedade decide sair? E, alguns anos após a saída dessa pessoa, a startup explode de sucesso e faz um IPO? Como fica a situação do sócio que abandonou o barco lá atrás?
“Para evitar que isso seja um tormento para a empresa, é comum que se recorra a um contrato de VESTING”, conta Tatiana Azevedo. Nesse contrato será estabelecido:

– A quantidade de ações que serão disponibilizadas para o sócio que não comprou a sua participação;

– O período para o sócio vestir 100% das ações que lhe foram destinadas;

– O Cliff, que nada mais é que o prazo para a pessoa receber as primeiras ações;

“Imagine que a empresa agrega ao time um diretor comercial, e oferece para ele vestir 5% das ações em 4 anos, sendo 25% no primeiro aniversário da empresa, e o restante, 75%, divididos pelos meses restantes”, exemplifica Tatiana.

Tudo isso por quê? “No momento oportuno os empreendedores esperam alavancar o negócio a partir de um aporte do investidor anjo. Por certo que esse investidor vai querer saber quais as medidas de proteção já foram tomadas”, completa a especialista.

Tags, , , ,

Algar Ventures busca negócios inovadores e soluções disruptivas

Com o intuito de identificar empreendedores e parceiros com negócios inovadores e soluções disruptivas para investimentos, o grupo Algar lança a Algar Ventures. Com a iniciativa, o Grupo irá participar ativamente do ecossistema de inovação, por meio do contato com rede de startups, faculdades, espaços de coworking, fundos de investimento em Venture Capital, incubadoras, e aceleradoras, e promover a ponte entre este ecossistema e as empresas do grupo Algar.

“A ideia é antecipar tendências no mercado e, consequentemente, alavancar vantagens competitivas do Grupo. Desenvolvendo este relacionamento também poderemos complementar o nosso portfólio de forma a gerar negócios sustentáveis com valor percebido”, destacou o vice-presidente de Estratégia e Inovação do Grupo Algar, Clau Sganzerla.

Em sua primeira etapa a Algar Ventures irá atuar por meio de parcerias e acordos com incubadoras, aceleradoras e outros agentes de inovação em todo o Brasil. Na segunda etapa, com o modelo Corporate Venture Capital, realizando investimentos diretos ou por participação em fundos. A intenção é priorizar o conceito de Open Innovation e parcerias com setores alinhados à estratégia de negócio do Grupo, com foco em negócios inovadores.

Formada por associados (como são chamados os funcionários do grupo Algar) da Holding e demais empresas do Grupo, a Algar Ventures tem como campos de interesse: cidades inovadoras, agronegócios, indústria do futuro, energia, educação do futuro, wearables, sociedade da informação, alimentos, transporte e logística, pequenas empresas, turismo e viagem, plataformas científicas e tecnológicas.

Metodologia Algar Ventures:

– Engajar o ecossistema: participar, promover, organizar, patrocinar eventos e atividades de engajamento do ecossistema de inovação;

– Análise por comitês de seleção e especialistas: hipóteses de problemas do cliente; testes de conceito de produto e validação das hipóteses de problema;

– Incubação/Aceleração: desenvolvimento do protótipo; identificar padrões de demanda e validação preliminar do modelo de negócio;

– Avaliação para investimento e/ou internalização

Mais informações: http://www.algarventures.com.br

Tags, , ,

Cabify lança solução para mercado corporativo

A Cabify, startup que tem por objetivo oferecer solução de mobilidade urbana inteligente, anuncia seu mais novo produto para o mercado brasileiro, o Cabify Corporate. Com foco no público corporativo, o novo serviço é uma solução para empresas que precisam reduzir custos, controlar despesas e ter uma gestão eficiente da mobilidade de seus colaboradores. O serviço é oferecido nas áreas de atuação da Cabify. A empresa é líder no mercado corporativo nos mercados em que atua desde 2011 e agora traz todo o seu conhecimento e know-how para o mercado brasileiro, por já ter parceria com Samsung, Nike, Visa, CNN, Red Bull, AOC, KPMG, Michael Page, Scotia Bank, entre outras.

“Este tipo de serviço faz parte do nosso carro-chefe nos mercados em que atuamos, por isto estamos muito otimistas com esse lançamento. Nossa experiência possibilitou que desenvolvêssemos um modelo de trabalho robusto para oferecer a melhor solução para pequenas, médias e grandes empresas. Temos milhares de empresas que já utilizam a nossa solução e vemos no Brasil uma enorme oportunidade para seguir com este nosso modelo que é um grande diferencial da Cabify” afirma Daniel Velazco-Bedoya, diretor de Operações da Cabify Brasil.

Todos os parceiros da Cabify passam por um processo para operar por meio da empresa e estão totalmente aptos a atender o público corporativo. Todas as facilidades oferecidas para o consumidor privado estarão disponíveis agora para o Cabify Corporate, como, por exemplo, o preço fixo a partir da rota ótima do ponto de partida ao ponto de chegada, time de atendimento suporte 24/7, além de veículos novos e motoristas qualificados. Pelo método de cobrança da Cabify o gestor pode ter um controle exato do custo dos deslocamentos dos colaboradores, sem surpresas ao fechar o mês. Ainda é possível acompanhar as rotas dos usuários. Assim, o gestor da empresa tem, em tempo real, acesso ao sistema e verificar, em um mapa interno, o deslocamento dos funcionários e com isso avaliar o bom uso internamente. Além disso, a plataforma disponibiliza a criação de diversos relatórios que podem ser extraídos para auxiliar no controle de custos e também na gestão do sistema de transporte internamente. Na questão financeira, o sistema possibilita faturamento do serviço (pós pago) e concilia todos os pagamentos em um único canal facilitando a dinâmica financeira das empresas clientes.

Vale destacar que o Cabify Corporate é uma ferramenta de fácil implementação, além de ser configurável. Assim, podem ser criadas restrições por grupo de usuários, como, por exemplo, em horários determinados para realizar viagens, rotas específicas, limite de gasto por funcionário, entre outros. Ainda conta com uma equipe de atendimento disponível 24h por dia, sete dias por semana para dar suporte em qualquer necessidade da empresa como, por exemplo, vans, carros blindados, motorista bilingue, entre outros. Ainda é possível realizar o agendamento de corridas a fim de facilitar a programação de viagens de forma prática e segura, perfeita para períodos fora do comum como na madrugada, horário de pico, entre outros.

“Adotar uma frota tercerizada pode ser bom para as empresas, uma vez que proporciona redução de custos e controle. Em uma frota própria há várias despesas envolvidas, além da manutenção do carro, tais como: gastos com estacionamento, seguros, conservação do veículo, entre outros. Um funcionário como passageiro acaba sendo mais produtivo, pois não ficará perdendo tempo no transito e em congestionamentos. Todas as empresas que têm interesse neste sistema, podem acessar facilmente nosso site e ter instruções de como se tornar um corporativo Cabify e desfrutar de todas as vantagens que temos a oferecer ” completa o executivo.

Tags, ,

Mondelez Brasil acelera inovações em co-criação com startups e plataformas digitais

view.aspx

A Mondelez International, detentora de marcas como Lacta, Trident e Oreo, realiza a segunda edição do programa Digital Accelerator, que busca startups e parceiros digitais para empreender de maneira colaborativa a fim de acelerar a transformação da maneira como a companhia conecta suas marcas aos consumidores, além de potencializar a cultura de criatividade nos times de marketing e no ecossistema de trabalho.

O evento de lançamento, que ocorreu no último dia 13 e já iniciou tirando todos os participantes de suas zonas de conforto, aconteceu na Wayra – parceira do programa e onde algumas das startups mais criativas do Brasil foram aceleradas. Durante todo o dia, eles tiveram contato com os parceiros digitais e foram provocados a pensar diferente.

A companhia acredita na inovação como motor de crescimento e desenvolvimento de seus talentos. Por essa razão, o objetivo do programa é encorajar os times de marketing da Mondelez Brasil a pensarem fora do lugar comum, a se arriscarem sem medo e a aprenderem fazendo. Os projetos devem ser baseados em plataformas mobile, focados em elevar a relação entre os consumidores e as marcas a um novo patamar no universo digital, além de ter potencial para serem escalados para a América Latina.

Primeiro encontro do Digital Accelerator 2016, na Wayra Brasil

“O Digital Accelerator é uma grande oportunidade que nós desenvolvemos para acelerar a inovação na Mondelez International e transformar a forma como nos conectamos com as pessoas. Queremos criar o futuro mobile, hoje. As indústrias de tecnologia e de mídia digital são algumas das mais inovadoras do mercado, especialmente no que se refere a experiência e engajamento do consumidor, e têm alguns dos talentos mais criativos do mundo. Nossa empresa também tem alguns dos melhores talentos da área de marketing, e por isso queremos colocá-los para trabalhar juntos, para incentivar dentro da companhia uma cultura de criatividade empreendedora”, afirma Maria Mujica, diretora de marketing e comunicação da Mondelez International Latinoamerica.

A Seleção

Em parceria com empresas que têm o digital em seu DNA, a Mondelez International desenvolverá projetos que acelerem de forma exponencial o crescimento de suas marcas neste universo. No Brasil, os projetos serão escolhidos após um processo seletivo que começou no último dia 13, no qual as empresas candidatas – Tinder, Buzzfeed, Waze, Spotify, Vice, Vevo, Izit, InLocoMedia, Twitch, Aquto, EA Games, Heatmape e Spumenews – apresentaram as suas capacidades e conheceram os desafios de cada uma das marcas da companhia. A partir daí, cada marca escolherá um parceiro para trabalhar e, juntas, farão a co-criação de um projeto. As três propostas selecionadas receberão o investimento de US$ 30 mil cada uma para sua implementação.

“Estamos mudando a nossa forma de investir em mídia. Entendemos que o ambiente digital é onde o nosso consumidor mais a consome, então é lá que precisamos estar. Também sabemos que o retorno sobre investimento em digital é o dobro se comparado com a mídia tradicional, por esse motivo, até 2018, 30% do total do investimento em mídia, será em digital”, reitera Mujica.

Mais informações a respeito do Digital Accelerator estão disponíveis no site http://www.digitalaccelerator-mdlz.com/

Tags, , , ,

Os 10 motivos que levam os jovens a optar por trabalhar numa startup

Geralmente a vida em uma startup está associada a certos conceitos tais como: “horários flexíveis”, “uma mesa de ping-pong” ou “um escritório mais despojado“, aspectos que não refletem ou representam o que realmente ocorre em tais empresas, na realidade, nem se aproximam do espírito que se respira quando se inicia um empreendimento deste estilo.

Como não existe uma definição única de startup, pode-se considerá-la como uma companhia com um alto potencial de crescimento a um ritmo muito acelerado e que, além disso, sustenta uma missão ambiciosa tentando resolver algum tipo de problema ou necessidade de uma grande quantidade de pessoas ou organizações.

Companhias como Nuvem shop, Cinemad ou Brownie do Luiz se aplicam a esta definição. Cada uma delas tem uma missão ambiciosa junto com objetivos agressivos, ano após ano, e para alcança-los, requerem um dinamismo especial de trabalho. Por outro lado, há exemplos de empresas que já transcorreram esta definição de startup e que hoje são grandes companhias como é o caso do Mercado Livre, Google, Facebook, entre outras empresas.

O fenômeno das companhias modernas traz consigo uma quebra de paradigma ligada a diversos aspectos tradicionais do ambiente de trabalho. Por exemplo, em que o Google contribuiu neste sentido? São mundialmente conhecidas as mudanças inovadoras que foram geradas em seuambiente de trabalho: horários flexíveis, ambientes que estimulam a imaginação, refeitórios livres, escritórios dinâmicos e muito mais. Representam, além disso, um modelo de negócio de êxito e lideram no quesito inovação.

Então, qual é a motivação para ingressar em uma startup? Por quê os jovens se atraem pelo desafio de fazer parte delas?

Para esta pergunta, há resposta. Segundo, Randstad Award, os jovens se preocupam mais em ter um bom treinamento, com o conteúdo do trabalho que realizam, e com a oportunidade de crescimento profissional. Portanto, todas as organizações que busquem ser uma marca forte voltada para esta geração deverão trabalhar desta maneira para chamar sua atenção e atraí-los.

Os motivos pelos quais um jovem decide integrar uma startup poderiam ser resumidos em 10 itens:

1. Adeus à rotina: ingressar no mundo startup envolve mudar de atividades ao longo do dia, ser parte de trocas constantes na organização das equipes de trabalho, ter que provar, errar e melhorar constantemente, tendo a sensação de que a casa está fora de ordem ou feita caos. Uma startup necessita de agilidade para tomar novos rumos constantemente; caso contrário, morre na praia.

2. Crescimento profissional: em uma startup não é possível falar em um limite em relação ao plano de carreira, evolução e desafio pessoal. O aprendizado é contínuo, se baseia no ato de fazer, e a realidade com constantes mudanças faz com que os desafios se renovem a cada passo. Definitivamente, não há limites para o crescimento, tudo depende das próprias ações, resultados e expectativas.

3. Horários fixos? Em uma startup desaparece a noção de “cumprir” um horário. Os prazos de trabalho, por exemplo, têm uma ordem, mas estão ligados à atitude e as capacidades. Dentro de uma startup todos fazem sua parte; cada dia conta e pode fazer a diferença entre o êxito e o fracasso.

4. O dinheiro não é tudo: obviamente a aspiração por um salário competitivo existe mas fica em segundo plano no rol das prioridades dentro de uma startup.

5. Perks (benefícios): A dinâmica de trabalho permite oferecer certas vantagens muito valorizadas neste meio, como horários flexíveis, a possibilidade de trabalhar em “home office” ou um escritório com um ambiente mais despojado. As corporações, por sua vez, oferecem outro tipo de benefícios.

6. Gerar um impacto real: uma startup nasce com a ideia de sanar um problema ou necessidade que muitas pessoas ou organizações têm. Esta acaba por ser a missão da companhia.

7. Nome próprio: ao fazer parte de uma equipe pequena, de menos de 100 pessoas, o que cada um faz ou deixa de fazer pode realmente fazer a diferença. Portanto, todos têm nome e sobrenome e um certo protagonismo a desenvolver.

8. Empreender dentro de uma startup: muitos dos que se juntam a uma startup o fazem porque querem empreender algum dia ou inclusive já fizeram. A realidade é que se juntar a uma startup já é empreender. Todas as companhias têm recursos limitados para executar e alcançar seus objetivos, mas em uma startup tal limitação é particularmente mais notória e por isso deve-se pensar em ideias bem inovadoras e diferentes

9. União em equipes: em uma startup se respira um ar de compromisso e entusiasmo. Por se tratar de equipes menores, a união e a coesão se dão naturalmente. Se trabalha em um ambiente de superação continua que envolve uma entrega de 110%. E, através desta dinâmica, todos ensinam a todos.

10. Formar uma cultura: a cultura de trabalho é formada em equipe de maneira horizontal. Não resulta de uma estrutura vertical, onde as ações e costumes da equipe vêm especialmente dos integrantes de hierarquias superiores e dão um rumo ao estilo de trabalho e aos valores da empresa.

Tags, , , , , , ,

Competição seleciona startups para incubação na França

Brasileiros podem se inscrever na segunda temporada do FRENCH TECH TICKET. Equipes vencedoras serão hospedadas na França para desenvolver seus projetos.

Startups brasileiras já podem se inscrever na 2ª temporada do French Tech Ticket, uma competição global aberta para empreendedores com startups em fase de criação ou crescimento, e concorrer a € 45,000 em financiamento. Após uma 1ª temporada bem-sucedida, com 23 equipes de startups de 23 países alocadas em Paris, a 2ª temporada da competição está mais ambiciosa: serão 70 equipes vencedoras em todo o mundo, hospedadas por mais de 40 incubadoras de alto renome por toda a França a partir de janeiro de 2017.

Todo segmento é elegível ao prêmio e os times de startups devem ser compostos por grupos de 2 a 3 pessoas. Os membros devem possuir fluência em inglês, pois o programa será realizado inteiramente no idioma. Além desses requisitos, as equipes vencedoras devem estar preparadas para se mudar para a França em janeiro de 2017 e dedicar 100% de seu tempo ao desenvolvimento do projeto pelo período de um ano.

Os interessados devem se inscrever até o dia 24 de agosto no site www.frenchtechticket.com. As startups ganhadoras serão anunciadas ainda em dezembro deste ano.

Tags,

Bayer recruta startups para iniciativa em parceria com a Câmara Brasil-Alemanha

Você quer que a sua startup cresça e apareça? A Bayer vai te ajudar nesta empreitada. A multinacional alemã, com foco de atuação em Ciências da Vida, busca startups que possuam soluções para as áreas de agricultura ou saúde (humana e animal) para integrar o projeto Startups Connected, em parceria com a Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha. As inscrições podem ser feitas até 15 de julho.

A iniciativa faz parte do programa AHK Startups Accelerator, que visa dar apoio às startups com o objetivo de promover o crescimento e gerar oportunidades de negócio entre elas e às empresas patrocinadoras da iniciativa. A proposta é fomentar o crescimento de soluções digitais inovadoras que já estejam disponíveis no mercado. O programa tem a duração de 3 meses.

“Essa é uma iniciativa orientada às startups brasileiras, em um país que se desponta como um celeiro global de empreendedorismo. Para se inscrever na categoria Ciências da Vida, representada pela Bayer nesse programa, as startups precisam apresentar uma solução inovadora para as áreas de agricultura ou saúde humana e animal. Buscamos projetos digitais que reforcem nossa cultura de inovação e nossa missão de fazer ciência para uma vida melhor, e para isso o principal critério de escolha será o potencial de impacto que a solução apresenta para a sociedade e/ou no seu respectivo mercado de atuação”, ressalta Camila Navarro, IT Digital & Innovation Manager da Bayer.

A partir da participação no programa de aceleração, as startups terão acesso a benefícios como: possibilidade de ser vinculada a desafios das empresas patrocinadoras; revisão do modelo de negócio; criação de um plano de ação e contato com as empresas patrocinadoras. Confira mais informações no regulamento: http://www.startupsconnected.com/#!regulamento/vha40

Como participar?

A startup precisa estar qualificada entre as três finalistas em uma das categorias do Prêmio Brasil-Alemanha de Inovação, e também integrar o processo de diagnóstico, visto que será usado como base para escolha das startups que participarão do programa de aceleração.

Para participar, a startup precisa escolher uma categoria, preencher o formulário e acompanhar o cadastro – http://www.fundacity.com/cmara-brasil-alemanha/apply/921

• Mobilidade
• Ciências da Vida
• Cultura
• Digitalização
• Cidades do Futuro

Datas e prazos:

Prêmio Brasil-Alemanha de Inovação:

• Prazo de inscrição: até 15 de julho;
• Processo de avaliação: 18 de julho a 2 de setembro;
• Premiação: 29 de setembro em São Paulo/SP.

Programa AHK Startups Accelerator:

• Diagnóstico: 30 de setembro;
• Aceleração: 17 de outubro de 2016 a 17 de janeiro de 2017;
• Apresentação dos resultados: 1 de fevereiro.

Tags, , , , , , , ,