Page

Category startup

O desafio do macroambiente para startups no Brasil – Por João Gabriel Chebante

O ano de 2016 terminou e o ambiente de startups brasileiro ficou marcado por grandes histórias, como os avanços no segmento de serviços (destaque à Movile e Samba Tech), bem como de aplicações para o grande público e seus embates com o que podemos chamar de geração anterior de negócios – desde o Spotify e a commoditização do consumo de música, o Uber e o compartilhamento de veículos, até o Nubank e seu embate contra o status-quo do segmento bancário e a meteórica expansão do Netflix, que rivaliza com os grandes grupos de mídia nacional por audiência e receitas.

Empreender no Brasil já é desafiador – vide a estatística que 30% das empresas que nascem hoje não estarão vivas até 2018, segundo o SEBRAE. Em um país onde a banda larga ainda está muito aquém do potencial, o cenário ainda é mais desafiador. Mesmo assim, temos grandes histórias no Brasil, onde ao menos o engajamento por ferramentas de interação social e facilitação de acesso a itens como veículos, filmes e crédito é um dos maiores do mundo. Pensar que o Netflix, segundo dados de mercado, tem no Brasil um faturamento maior que a segunda maior emissora de televisão aberta, mesmo tendo acesso inferior a 10% da população só mostra o quão lucrativo um negócio bem estruturado pode chegar, e o tamanho da demanda reprimida por produtos e serviços do país. Soma-se a isso a propaganda e publicidade gratuita que usuários e até concorrentes realizam – ou vocês acham que as paralizações de taxi nas grandes capitais beneficiaram quem, além do Uber?

Um grande desafio destes aplicativos – e para empresários ou empreendedores – reside no ambiente político-legal do nosso macroambiente de marketing. Temos uma legislação civil e trabalhista mais complexa do planeta, o que dificulta tanto o acesso a mão de obra quanto seus resultados financeiros. Netlflix e Spotify que o digam: depois de meses em negociação com autarquias públicas, provavelmente terão de considerar o pagamento de ISS e outros impostos nas suas operações no país a partir do ano que vem. Custos que vão gerar maior cobrança ao consumidor. Dificilmente a assinatura destes serviços não terá um incremento de 10% no próximo ano. O mesmo veremos no Uber e sua intrincada regulamentação em grandes centros como Rio e São Paulo. Foi um vespeiro que nenhum candidato a prefeito tocou por temer a perda de votos, mas que virá à tona e demanda uma resolução ainda em 2017.

O capítulo de maior destaque, contudo, fica ao Nubank: a startup que alçou ao estrelato não exatamente pelo seu modelo de negócio, mas por deter uma comunicação e relacionamento aberto e divertido com seu público-alvo, ameaçou fechar as portas caso o Banco Central mude a polícia de repasse de valores em compras para operadoras de cartões – hoje estruturado para 28 dias entre pagamento e recebimento por parte do lojista. Apesar das reclamações, a medida pode ser um alívio para pequenos e médios negócios que precisam de capital de giro (muitas vezes obtido a base de juros abusivos) para pagar suas despesas e investimentos para manter a operação em dia. Uma canetada que pode tornar o ambiente de negócios do país como um todo mais competitivo pode invariavelmente não somente comprometer a performance de grandes empresas (as ações da Cielo, líder nacional em transações eletrônicas veem em trajetória de queda desde a sondagem desta medida) e o fechamento de quem possui menor porte, como Nubank e outras startups fintech que possuem uma carteira de clientes apaixonados, mas pouca estrutura de caixa para suportar um giro mais rápido de remuneração ao comercio – ainda que o provável seja a venda da carteira e marca a algum concorrente.

Por isso, no estudo e uso da Inteligência de Mercado como disciplina e filosofia de negócios, o mapeamento do macroambiente é fundamental para a estruturação da estratégia de uma empresa, independente do porte. Seja através da tecnologia que coloca uma classe inteira de profissionais em xeque, como os taxistas, ou de reinventar a atuação de outra como os músicos, a soma papel, caneta e assinatura pode mudar tudo. Em 2017, quanto mais ciente e antecipado à estas mudanças você estiver, mais preparado para lidá-las de forma rápida e assertiva estará. E tudo que você precisa para 2017 e ser mais estratégico, enxuto e veloz.

João Gabriel Chebante, fundador da Chebante Brand Strategy. Formado em Administração com Ênfase em Marketing na ESPM, com especialização em Modelagem de Negócios pela mesma faculdade e Gestão de Marcas (branding) pela FGV.

Tags, ,

Startup mineia cria plataforma de divulgação de ofertas

c1dc0ac4-a8fe-4dfb-9bb1-f8116f694118

A partir de fevereiro, consumidores mineiros terão um novo aliado na hora de reduzir os custos com as compras em supermercados, lojas e farmácias. Por meio da plataforma InstaOfertas, os consumidores receberão na palma da mão ofertas exclusivas disponíveis por bairro ou região. O usuário ainda poderá cadastrar os principais produtos de interesse e encontrar os melhores preços e promoções antes mesmo de sair de casa. Garantia de economia financeira e no tempo gasto com as compras.

A ideia é de dois jovens empreendedores mineiros, o engenheiro Eduardo Sampaio e o administrador Gabriel Fernandes, que enxergaram um gargalo no mercado e aproveitaram a oportunidade para construir um negócio juntos. “O consumidor brasileiro está cada dia mais atento às ofertas relacionadas aos produtos que compra e esse interesse aumenta ainda mais em tempos de crise”, conta Eduardo.

Com o crescimento do acesso da população a smartphones e a conexão constante com a internet, surge na economia um espaço para desenvolver novos hábitos junto ao consumidor moderno. Para atender às necessidades desses compradores, o varejo precisa se adaptar e prover novas formas de atingir os consumidores. Nesse sentido, o InstaOfertas traz uma solução dinâmica e diferente do que os varejistas utilizam atualmente. “O folheto de ofertas distribuído na rua gera custos e tem um baixo retorno, pois é entregue para qualquer pessoa. Uma solução digital possibilita um maior retorno ao varejista por focar exatamente no nicho de consumidores de cada produto e região”, explica.

A solução estará disponível incialmente na região metropolitana de Belo Horizonte (MG), e a previsão é expandir por todo o país até o fim do próximo ano. Enquanto a novidade não vai ao ar, os consumidores interessados já podem fazer o pré-cadastro no site www.instaofertas.com.br.

Tags, , ,

Startup possibilita que estabelecimento tenha seu próprio aplicativo de delivery

82efad24-97b9-4cee-8669-7c848da7457d

Startup lança aplicativo completo e acessível para bares, pizzarias, restaurantes, farmácias, distribuidoras de água , gás e outros negócios que oferecem serviço de delivery, o Delivery2me, onde é possível que o cliente realize pedidos através da plataforma.

O Delivery2me, diferente dos aplicativos já existentes no mercado que trabalham com o formato multiloja, tem como foco e diferencial fornecer um app exclusivo para cada restaurante somente com o pagamento de uma taxa de assinatura única e de manutenção mensal, com valores fixos e acessíveis, diferente dos aplicativos multiloja, que, além da taxa de assinatura e manutenção, cobram comissões sobre os pedidos realizados através de suas plataformas.

Lançado inicialmente em Fortaleza-CE, porém com clientes em São Paulo-SP e outros estados, a empresa inicia em 2017 seu plano de expansão nacional e internacional. A ideia do Delivery2me é que o estabelecimento tenha o app não só como um canal de vendas, mas como uma possibilidade de aumentar seus lucros e criar um canal de relacionamento com o cliente, através de atendimento personalizado, envio ilimitado de mensagens push e programas de fidelidade.

Com foco na usabilidade do cliente final, a Startup investiu em um layout moderno, privilegiando o destaque aos pratos e a facilidade no processo do pedido, aumentando a taxa de conversão do estabelecimento.

Outro diferencial do aplicativo, é que ele oferece módulos extras que otimizam e facilitam a administração dos pedidos, como o acompanhamento em tempo real da localização do entregador através do mapa.

Para mais informações, acesse o site da empresa: www.delivery2me.com.br e baixe o aplicativo de demonstração: http://onelink.to/d2medemo

Tags,

É possível construir um “negócio da China” aqui no Brasil?

Por Zhen Zhang

Enquanto a China é o segundo país com maior quantidade de empresas unicórnio – aquelas de capital privado e que valem mais de 1 bilhão de dólares -, outros países, como o Brasil, lutam diariamente para serem os próximos a despontar e crescer nesse ranking, atraindo capital e desenvolvimento para a região. Talvez por isso o termo “negócio da China” seja tão utilizado por aqui como sinônimo de sucesso.

Desde que cheguei ao Brasil, em 2012, foram inúmeras as vezes que me perguntaram se estou aqui para fazer um “negócio da China”, e minha resposta é sempre a mesma: O mercado brasileiro, apesar de ter cerca de 7 vezes menos pessoas que meu país de origem, tem potencial para acolher dezenas de unicórnios que venham a surgir e nos mais diversos segmentos. Sendo assim, quem souber empreender no país oferecendo soluções que esse público precisa vai conseguir criar um negócio bilionário, seja ele da China, do Brasil, da Índia ou qualquer outra nacionalidade.

Na verdade podemos dizer que o que mais contribui hoje para o sucesso de um empreendedor, além de seu esforço e dedicação diários, é a experiência que traz em sua bagagem de vida pessoal e profissional e a facilidade de se adaptar com agilidade a diversas situações, algo muito valorizado por investidores asiáticos. Até meus 18 anos vivi em uma pequena cidade na China, mas assim que pude eu saí para conhecer o mundo e afirmo que essa experiência de conviver com diferentes culturas e aprender a pensar fora da caixa contribui muito para o sucesso do empreendedor.

Por ser espacialmente e culturalmente tão distante da China, a América Latina sempre foi uma região que me atraiu. Quando tive a oportunidade de fazer um intercâmbio internacional a partir da faculdade que eu cursava na Itália, o Brasil foi minha primeira opção, diferente do restante da turma de classe que preferiu instituições europeias ou nos Estados Unidos. Quando acabei meus estudos, decidi ficar aqui. Além de ter sido conquistado pela cultura e pelo povo, eu via muitas oportunidades de negócio no mercado brasileiro e desde então tenho desenvolvido soluções que facilitem o cotidiano do usuário de tecnologia.

Mesmo que atualmente o país esteja com sua economia estagnada e tenha uma população inferior à da China ou da Índia, o Brasil se apresenta como um local propício para o surgimento de empresas gigantes de tecnologia. Isso porque a renda per capita nacional é mais alta do que os países citados e o povo brasileiro realiza muitas transações online e via cartão de crédito. Já em outros países às vezes é necessário educar o consumidor e criar a cultura de compra online.

Esse comportamento do brasileiro cria o cenário ideal para o crescimento de novos negócios digitais e é nisso que me baseei para criar a Mobocity. Muitas startups brasileiras têm surgido nos últimos anos e o nível de profissionalismo só tem crescido, assim como o mercado B2B tem se preparado para elas. Já temos associações, coworkings e mídias especializadas nesse segmento, o que ajuda a criar uma base de sustentação para os empreendedores. Portanto afirmo que é só questão de tempo até começarem a surgir os primeiros unicórnios.

Zhen Zhang, empreendedor chinês, CEO da Mobocity, startup criada no Brasil e com equipe nos dois continentes.

Tags, , , ,

Novo aplicativo de serviços automotivos delivery oferece diferentes funcionalidades e serviços

O aplicativo mobile da Easy Carros, startup que conecta donos de carro a profissionais de serviços automotivos e eleita a melhor startup do Brasil em 2016 pela G-Startup, acaba de ganhar uma nova versão. A atualização, que ganhou uma interface mais clean e intuitiva, também oferece novos serviços e a melhora na experiência do usuário.

Entre os novos serviços, destaque para a possibilidade de solicitar, separadamente, apenas a lavagem interna ou apenas a lavagem externa do veículo, que também possuem preços mais atrativos, de R$32,00 cada. Além disso, como a recorrência de pedidos é muito alta por parte dos clientes, o novo app facilita a experiência para que, em apenas um clique, seja possível selecionar um serviço já realizado anteriormente.

Outra vantagem é que agora o novo aplicativo permite adicionar veículos diferentes em um mesmo pedido, além de mostrar a faixa de preço de cada um dos pedidos e a duração de cada serviço.

“Como uma startup inovadora, buscamos melhorar a prestação de serviços do nosso aplicativo constantemente. Esse movimento de oferecer lavagens interna ou externa é algo que parte dos clientes tinha interesse, já que em alguns casos o veículo pode necessitar de lavagem em apenas uma das partes. Dessa forma, ele tem um serviço mais focado e com melhor custo. Além disso, queremos que o usuário tenha um aplicativo cada vez mais intuitivo, então buscaremos melhorá-lo sempre”, destaca Fernando Saddi, CEO da Easy Carros.

Lançada em janeiro de 2015, a Easy Carros reúne, em um único ambiente, prestadores de serviços que oferecem opções como lavagem ecológica, enceramento, polimento, higienização interna, higienização do ar-condicionado, cristalização de vidros, limpeza técnica do motor, troca de óleo e hidratação de couro e, agora, lavagem interna e lavagem externa. Tudo isso de forma delivery, ou seja, os serviços são realizados no próprio local definido pelo cliente, sem precisar tirar o carro da garagem.

Em 2016, além de ser eleita a melhor startup do Brasil, a Easy Carros se destacou em competições internacionais como a latino-americana QPrize, que aconteceu em Buenos Aires (Argentina) e a competição global G-Startup WorldWide, realizada no Vale do Silício (Estados Unidos), na qual ficou em segundo lugar. A Easy Carros fechará 2016 com cerca de 25 mil pedidos realizados por mês, o que registra um aumento de 20% em relação ao mesmo período do ano passado.

A nova versão do aplicativo já está disponível para smartphones e tablets com sistemas operacionais iOs e Android.

Tags, , , ,

Startup transforma agências de viagem em corretoras de câmbio

65e198f5-304f-488a-a07b-43bc9da7187f

Cada vez mais as agências de viagem precisam se destacar em meio à concorrência física ou digital. Para se diferenciar e facilitar a compra de moeda pelo melhor preço, essas empresas já podem convidar os seus clientes a utilizarem a Bidollar . O marketplace de câmbio agora é multimoedas e, por meio de inteligência artificial, ajuda o viajante a comparar e comprar online em apenas alguns minutos.

Com a nova parceria, o agente de viagem envia por e-mail o convite com um código promocional para acessar a Bidollar. Na primeira transação, o cliente ganha um desconto. Todo o processo é online: comparação em tempo real das cotações nas principais casas de câmbio do país, aquisição, acompanhamento do pedido e entrega em um dia útil. O viajante ainda tem a praticidade de pesquisar e comprar via chat do Facebook ou Telegram. Basta enviar uma mensagem e o chatbot responde automaticamente com a melhor cotação e como proceder.

Ao longo da transação dá para poupar, em média, 20% do valor final ao adquirir dólar, por exemplo. “Alguns clientes economizaram mais de R$ 750. Além disso, não temos a taxa de balcão, oferecemos gráficos para comprar no melhor momento do mercado e ainda agilizamos o processo”, esclarece Kenzo Tominaga, fundador da Bidollar.

A principal vantagem para as empresas de turismo, além da comissão recebida, é fidelizar clientes e poder acompanhar tudo de perto. “Os agentes não perdem tempo e focam no negócio principal, com a tranquilidade de garantir a melhor cotação para o cliente e reforçar a confiança nos serviços prestados”, afirma Tominaga. Se antes o dólar americano era a especialidade da plataforma, a empresa atendeu aos pedidos e expandiu os serviços para dólar canadense, dólar australiano, libra e euro. Até o fim do ano, a Bidollar quer ser parceira de mais de 300 agências, chegando a mil em 2017.

Tags, , , ,

Faculdadde substitui monografia por criação de startups em trabalho de conclusão de curso

ba4f0db5-4000-4127-baf6-f396c46b08fc

Na faculdade de tecnologia FIAP, as monografias esquecidas nas prateleiras das bibliotecas já ficaram no passado. A instituição aposta na criação de startups para a conclusão dos cursos de graduação e MBA. Os estudantes desenvolvem um plano de negócio para a startup que criam durante as aulas, com mentoria dos professores, e os melhores projetos são apresentados a investidores e aceleradoras. A ideia é colocar em prática várias soluções para problemas reais, aplicando o conhecimento técnico de cada curso. Os vencedores ainda ganham um curso intensivo na Babson College, considerada uma das melhores escolas de empreendedorismo do mundo, em Massachuetts (EUA).

Muitas pessoas estão querendo tirar do papel a sua ideia, com vontade de ser empreendedor e colocar na prática. Só que a verdade é que muitos não têm tempo e suporte profissional. O que a FIAP está disponibilizando para eles não é só o tempo, mas também um suporte técnico. Temos uma equipe de empreendedorismo, professores com experiência neste assunto que os apoiam para transformar os projetos de startups em uma coisa real” explicou o diretor acadêmico da pós-graduação da FIAP, Eduardo Endo.

Depois de ser avaliados por uma banca formada por empresários, investidores, parceiros e convidados, dez grupos finalistas apresentam pitchs no evento de encerramento. Em 15 de dezembro, aconteceu a cerimônia dos grupos de MBA, no Museu de Arte Moderna (MAM). Os estudantes tiveram 2 minutos para apresentar seus pitchs aos convidados. No final, foram anunciados os três grupos vencedores. Conheça os projetos:

LeBraile

O Lebraile é um equipamento móvel desenvolvido para deficientes visuais criado pelos alunos Cristiano de Moraes e Paulo Eduardo Santos Porto, do curso de MBA em Desenvolvimento de Aplicações JAVA-SOA. Através de pequenos itens que sobem e descem, o dispositivo permite ao deficiente visual sentir a letra braile por meio do tato. “O tato do deficiente visual é muito sensível, então o equipamento não precisa ser muito grande. Hoje, os dispositivos que existem não são móveis, são grandes e pesados. Então, o deficiente visual não pode contar com ele no transporte público, por exemplo, ou em uma clínica médica” explica o integrante do grupo Paulo Eduardo. Um portal na web vai estar conectado ao aparelho e tudo o que estiver assinado nele será traduzido automaticamente, como textos e legendas de filmes. “Vai poder ser utilizado em cinemas e em qualquer lugar que existir um deficiente visual com a necessidade de leitura” conclui Cristiano. O dispositivo utiliza componentes de IOT e o projeto foi desenvolvido dentro do Maker Lab da FIAP – laboratório de tecnologia. A startup já possui protótipo funcionando.

NXT – Baladas e Bares

A startup desenvolvida por Guilherme Rocha Nazaré da Silva, do curso de MBA em Arquitetura de Soluções, conecta estabelecimentos aos usuários com interesses semelhantes. “É um aplicativo para baladas e bares, que une as pessoas com os mesmos interesses e possibilita a reserva de camarotes, compra de ingressos e conhecer pessoas diferentes. O nosso objetivo é cuidar de toda a sua vida noturna no aplicativo. O NXT já este no ar, pronto para ser baixado nas lojas para Android ou IOS” explica Guilherme. O estudante também ressalta como é a experiência de criar uma startup “Empreender tem sido algo muito gratificante, unir as coisas que gosto de fazer no trabalho é muito bom e desafiador. Estamos só começando”.

Imagine

O Imagine é um aplicativo educativo criado pelos alunos de MBA em Big Data, Kauê Pinheiro, Murilo de Oliveira, Rodrigo de Oliveira e Wellington Hideki, que permite que crianças criem suas próprias histórias. “Para crianças já alfabetizadas e com amplo vocabulário, as mesmas vão escrever a história e o aplicativo criará imagens a partir de suas palavras. Ela também será guiada com dicas para criar uma narrativa. Já as crianças não alfabetizadas vão escolher o rumo da história a partir de imagens. Elas definem o enredo e final da história” explica o integrante do grupo, Wellington Hideki. Os pais terão um feedback do comportamento dos filhos no aplicativo que será analisado por um psicopedagogo. “O objetivo da análise é identificar se a criança sofre algum tipo de bullying, dentre outros problemas e psicológicos, e avaliar o desenvolvimento intelectual das mesmas” conclui Wellington.

Tags, , ,

Startup catarinense Sensorweb é reconhecida pela Anprotec como melhor incubada do Brasil

unnamed-85

A Sensorweb, startup que desenvolve soluções em Internet das Coisas (IoT) para o mercado de Saúde, encerra 2016 comemorando o reconhecimento como melhor incubada no Brasil pelo Prêmio Nacional de Empreendedorismo Inovador 2016. Promovido pela Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), em parceiria com o Sebrae, a iniciativa prestigia projetos, incubadoras de empresas, parques tecnológicos e empresas graduadas e incubadas, que, por meio de suas ações, serviços e produtos, fortalecem o movimento empreendedor no Brasil. A Sensorweb, que hoje é a responsável pela unidade de conectividade da FANEM, tem sede em Santa Catarina e nasceu dentro do MIDI Tecnológico, também premiado na ocasião como a melhor incubadora orientada ao desenvolvimento local e setorial (DLS).

“Ao longo desses anos temos trabalhado fortemente para proporcionar qualidade de vida, conectando ambientes, dispositivos e pessoas na área da saúde. Esse reconhecimento só fortalece e reafirma nossa preocupação em oferecer serviços de excelência aos clientes. Mais do que resultados financeiros, o impacto positivo que nossas soluções proporcionam ao mercado de saúde foram essenciais para essa conquista”, afirma Douglas Pesavento, CEO da Sensorweb.

Além do prêmio recebido, a startup encerra 2016 com um incremento de 50% em seus negócios e projeta até 2021 um crescimento aproximado de 80% ao ano. De acordo com CEO, Douglas Pesavento, os planos para os próximos anos incluem ingressar em novas áreas da saúde, como a neonatal e os gases medicinais. Já para 2017 o foco é aumentar a presença nos principais hospitais do país, em especial no estado de São Paulo, atingindo quatro mil pontos monitorados.

Fundada em 2009, a Sensorweb tem alcançado resultados expressivos desde então. Ao todo, a startup cresceu mais de 2000% neste período de incubação, permitindo uma economia de mais de R$5 milhões em seus clientes, sendo este valor investido em medicamentos e insumos críticos na área de saúde que tiveram suas perdas evitadas com o uso da solução. Em 2014, a empresa associou-se a Fanem, multinacional brasileira que fabrica produtos nas áreas de neonatologia e de laboratórios, o que a permitiu alavancar novos mercados.

Atualmente, a Sensorweb tem mais de 2,5 mil sensores em operação espalhados em várias regiões do país, número que demonstra o grau de confiabilidade e robustez da solução entregue aos clientes, entre eles estão Grandes Hospitais, Clínicas Oncológicas, Bancos de Sangue, Institutos e Laboratórios de Pesquisa. As soluções completas da Sensorweb atuam de maneira significativa na preservação de produtos e insumos sensíveis à temperatura e umidade, tais como sangue, vacinas, medicamentos, pesquisas, reagentes e ambientes. São mais de 260 mil bolsas de sangue, R$120 milhões em medicamentos, especialmente os que se destinam a tratamentos como câncer que possuem um alto custo, além de amostras biológicas com valores inestimáveis, como embriões, medulas e pesquisas. Por exemplo, atualmente a pesquisa da chikungunya são monitoradas pela solução.

“Entregamos uma solução completa de tecnologia e serviços de forma a garantir um monitoramento à distância preciso, seguro e contínuo. Assim os clientes reduzem seus riscos de perdas com o disparo de alertas eficientes e podem contar com nossa equipe capacitada atuando para o funcionamento integral do sistema. Nossa solução não é somente tecnologia, vai muito além disso, pois a mesma necessita de engajamento dos usuários e um suporte rápido e continuado para permitir o sucesso na sua aplicação”, finaliza.

Tags, , , , , , , , ,

ANS anuncia vencedores do Hackathon da saúde suplementar

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) anunciou nesta terça-feira (13/12) o resultado do 1º Hackathon ANS. A maratona de programação reuniu profissionais de diversas áreas para desenvolver aplicativos para celulares e tablets para o setor de planos de saúde. Os protótipos foram elaborados pelos participantes ao longo de dois dias. Ao final, os competidores apresentaram as iniciativas à comissão avaliadora, que julgou e escolheu os vencedores.

Os aplicativos deveriam se enquadrar em um dos seguintes temas: qualidade; interação entre operadoras, prestadores e beneficiários; ou interação entre a ANS e beneficiários. Sete equipes, totalizando 29 profissionais – entre especialistas em informática, programadores, desenvolvedores, designers e profissionais de saúde – competiram na maratona. No dia 5/12, eles participaram de um pré-evento para que pudessem conhecer melhor os desafios do setor e depois se reuniram para os dois dias de maratona, ocorrida nesta segunda e terça-feira no Rio de Janeiro.

“Ao idealizarmos este evento, buscamos aproveitar a criatividade e o talento dos profissionais que atuam no desenvolvimento de softwares e aplicativos e também as tecnologias existentes para aumentar a transparência da informação na saúde suplementar e criar ferramentas úteis aos beneficiários de planos de saúde e ao setor de maneira geral”, explica a diretora de Desenvolvimento Setorial da ANS, Martha Oliveira.

“A experiência que tivemos com a realização desse primeiro Hackathon foi muito positiva. Os protótipos elaborados nos ajudaram a avaliar lacunas existentes na interação entre a ANS, os beneficiários, as operadoras e os prestadores de saúde e apontaram soluções para melhorar essa relação e processos relacionados. Além disso, a maratona trouxe outros ganhos paralelos, para além do que foi produzido, especialmente ao agregar conhecimento e inovação”, aponta a diretora.

Os quatro projetos vencedores receberam prêmios em dinheiro no valor de R$ 5 mil a R$ 15 mil. A licença é de domínio público e o código-fonte dos apps já está disponível na internet.

unnamed

1º lugar: ANS + Simples (187 pontos)
Equipe: Anderson Freitas, Cícero Campanharo, Diogo Alves, Ricardo Morais e Luis de Carvalho.
O que propõe: A ferramenta foca no beneficiário e, segundo os desenvolvedores, busca traduzir o grande volume de dados de operadoras e prestadores, dando poder ao usuário de plano de saúde. A ideia é que, com o aplicativo, o beneficiário tenha facilmente à mão todas as informações do seu plano e consiga buscar planos por hospitais e por operadora, verificar prazos de atendimento e atributos de qualidade das operadoras, fazer reclamações e acionar rapidamente o plano em situações de emergência.
Link: github.com/diogoalves/hackthon_ans_2016

unnamed

2º lugar: Sannas (173 pontos)
Equipe: Jhonny Mosquera, Anderson Christian, Victor Carlos, Washington Luiz e Maickel Ewerson
O que propõe: Melhorar a interação entre operadoras, prestadores e beneficiários. Para isso, o aplicativo busca ampliar o conhecimento dos beneficiários em relação ao plano, oferecendo informações sobre cobertura assistencial e rede de atendimento. Para os prestadores, prevê novas possibilidades de autorização/prestação de atendimento, mais transparência dos serviços, redução de custos e melhoria da qualidade. E para as operadoras, pode auxiliar nas obrigações frente à ANS, verificar a satisfação dos beneficiários e identificar problemas e obter melhor controle e utilização do plano.
Link: github.com/victor-carlos/sannas

unnamed

3º lugar: Meu Plano (171 pontos)
Equipe: Álvaro Andrioli, Diego Marcílio, Gabriel Rodrigues, Marcos Rodrigues e Tales Porto
O que propõe: Facilitar a busca por procedimentos cobertos pelo plano e por prestadores. Entre as facilidades, permite ao beneficiário indicar erros de rede, solicitar informações e avaliar prestadores e operadoras e, às empresas, possibilita identificar problemas na rede de atendimento. Esse app já está disponível inclusive para download: http://play.google.com/store/apps/details?id=br.com.rhases.app.my_plan&hl=pt_BR
Link: github.com/rhases/meu-plano-app e github.com/rhases/meu-plano-ws

unnamed

4º lugar: Qualiguia Suplementar (162 pontos)
Equipe: Gustavo Braga, Gustavo Brito, Gustavo Laviola, Luã Lucian e Wellington Jorge
O que propõe: Um guia de Saúde Suplementar que reúne informação, agilidade e qualidade a partir da percepção e interação dos usuários. Entre as funcionalidades, permite ao beneficiário fazer o agendamento de consultas diretamente pelo App, contato com a operadora e a ANS na tela após o login e, à operadora, receber o resultado com o feedback dos prestadores pelos beneficiários.
Link: github.com/gustavobragac/aplicativo/tree/master/Aplicativo e github.com/gustavolavi/ApiBase

unnamed

As apresentações, os links e as notas de todas as equipes serão disponibilizados na página do evento. Clique aqui para acessar.

A comissão avaliadora foi formada por 10 profissionais ligados às seguintes instituições: ANS, Associação Brasileira de Planos de Saúde (Abramge), Abramge/RJ, Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp), Federação Nacional de Saúde Suplementar (Fenasaúde), Live Healthcare Media, W3C – World Wide Web Consortium e Proteste. Eles avaliaram quatro critérios: interesse público, criatividade (inovação), qualidade técnica e adequação ao tema.

O 1º Hackathon ANS tem como parceiros a Abramge, a Abramge/RJ, a Associação Nacional das Administradoras de Benefícios (Anab), a Anahp e a Fenasaúde.

Tags, , , , , , , ,

Startup permite contratar serviços domésticos em 24 horas com garantia

Após um vazamento em sua cozinha, vários orçamentos de profissionais nas plataformas de freelancers e um serviço mal executado que lhe tirou o sono, o jovem empreendedor Edmee Moreira percebeu uma lacuna no enorme mercado de reparos domésticos: uma plataforma que encontre e garanta a qualidade do serviço executado, escolhendo apenas profissionais certificados.

Foi assim que, com mais dois sócios, lançou a startup BemCombinado (www.bemcombinado.com). Na plataforma, o cliente encontra empresas certificadas para 12 categorias e mais de 300 serviços – como marcenaria, hidráulica, instalações, montagens e reparos emergenciais – que a empresa já negociou o preço antecipadamente.

O agendamento é online e a execução do trabalho é realizada em até 24 horas, com garantia de três meses. O usuário paga direto na plataforma e como os preços são pré-estabelecidos por serviço, não tem aquele “vai e vem” de orçamento via e-mail ou WhatsApp. “Nossa ideia sempre é facilitar a vida para quem já está com um problema”, diz Edmee Moreira, CEO da startup.

“O BemCombinado resolve as duas principais dores de cabeça dos pequenos reparos e manutenções: primeiro não precisa escolher o profissional. O preço é tabelado e nós enviamos o prestador de serviço mais qualificado e próximo da sua casa. Outra dor de cabeça é a segurança do serviço: todos os profissionais são certificados e garantimos a qualidade. Tudo isso com um preço justo”, completa.

Lançada há dois meses com incentivo da Oxigênio Aceleradora, a startup também ajuda as empresas que prestam serviços a conseguirem mais clientes, já que os parceiros não precisam pagar mensalidade para estar na plataforma – que fica com 15% de cada serviço prestado.

Atualmente, o BemCombinado atende a Grande São Paulo e deve expandir para outras capitais no primeiro trimestre de 2017. “Por enquanto estamos atuando nas grandes cidades de SP, mas a ideia é chegar em todo país, inclusive, nos tornando uma franquia”, conta Edmee.

Tags, , ,

B Certification: conheça a novidade que atrai atenção de startups e empresas de TI

O empresário Maurício Castro entrevista Fernando Granato, diretor da Quiron. A conversa foi na Aldeia Coworking em Curitiba. Eles falaram sobre B Certification, uma novidade que atrai o interesse de startups e empresas de tecnologia.

Tags, , , , , , ,

Startup QuintoAndar recebe aporte de 42 milhões de reais

O QuintoAndar, startup que desburocratiza o processo de locação de apartamentos, acaba de receber uma nova rodada de investimentos no valor de US$ 12.6 milhões, o equivalente a R$ 42 milhões. Com o novo aporte, o QuintoAndar soma um total de aproximadamente R$ 70 milhões já recebidos nos últimos dois anos.

A segunda rodada de investimentos é liderada por um grupo de investidores do Acacia Partners, fundo baseado em Nova Iorque, e seguida por Qualcomm Ventures, o braço de investimentos da Qualcomm, líder mundial em tecnologias móveis 3G. A Kaszek Ventures, investidora no primeiro aporte, também participa do novo round.

“Os novos incentivos serão usados especialmente para crescer o time de tecnologia da empresa e levar o QuintoAndar para outras capitais do Brasil em 2017”, declara Gabriel Braga, CEO e co-fundador da empresa.

“Alugar um apartamento é um processo doloroso no Brasil. Os clientes enfrentam demora, burocracia e ineficiência. As garantias locatícias são caras e inconvenientes. Nós fundamos QuintoAndar para fazer o aluguel mais simples e rápido, tanto para o inquilino quanto para o proprietário. Todos merecem poder passar por essa experiência com tranquilidade e segurança. Queremos levar essa solução para outras regiões do país”, revela Braga.

Expansão para novas cidades

Nos últimos 60 dias, a empresa iniciou suas atividades em mais seis cidades da região metropolitana da cidade de São Paulo — São Caetano do Sul, Santo André, São Bernardo do Campo, Osasco, Guarulhos e Barueri —, mantendo sua presença em São Paulo e Campinas. A startup também ampliou seu raio de ação em regiões da capital paulista nas quais já vinha trabalhando, como zonas Sul e Leste . A chegada em novas capitais do país devem ocorrer a partir de 2017.

10x mais rápido que as imobiliárias

O QuintoAndar consegue ser até 10 vezes mais rápido que as imobiliárias tradicionais. “Os nossos clientes alugam um apartamento em 3 dias. No método antigo, esse processo chega a demorar mais de 30 dias”, diz o CEO.

“Somos mais rápidos porque desburocratizamos o aluguel de apartamentos, permitindo aos inquilinos e proprietários de imóveis uma experiência de auto-atendimento online muito mais segura e rápida em comparação com os métodos tradicionais de locação”, comenta Braga.

No site e nos apps criados pela startup, o inquilino pode instantaneamente reservar uma visita aos seus apartamentos favoritos. As visitas são acompanhadas por corretores credenciados, os quais também trabalham usando um aplicativo de celular — à semelhança do que faz um motorista Uber.

A empresa ajusta as rotas dos corretores e otimiza a agenda de visitas, além de controlar a qualidade do atendimento através de um sistema de avaliação de corretores. Havendo interesse em fechar negócio, inquilino e proprietário negociam diretamente online e podem assinar o contrato digitalmente, com assinatura eletrônica, sem precisar se deslocar até o cartório.

Seguro-fiança grátis

O QuintoAndar banca 100% do valor do seguro-fiança para todos os inquilinos que alugam um imóvel administrado pela empresa. O proprietário fica como segurado ao longo de todo o contrato de locação. O QuintoAndar mantém o seguro ativo enquanto o inquilino estiver morando no imóvel e enquanto administrar a locação. O seguro cobre aluguel, condomínio, IPTU, água, luz e gás encanado até montante equivalente a 30 vezes o valor do aluguel mensal.

“Nas grandes cidades, as pessoas mudam de apartamento a toda hora. Essa dinâmica de mercado coloca desafios aos proprietários de imóveis, cujos lucros dependem da manutenção das altas taxas de ocupação. O QuintoAndar ataca esta situação de uma forma sem precedentes em todo o mundo, fazendo com que todo o processo seja online e eliminando a necessidade de fiador para a locação”, esclarece Braga.

Melhor aplicativo de 2016, segundo APPLE

O aplicativo QuintoAndar foi eleito pela APPLE como um dos melhores aplicativos do ano. Antes disso, o app já havia sido recomendado pelos sites GIZMODO/UOL e Manual do Usuário. Disponível para os sistemas Android e iOS, o app permite que usuários encontrem apartamentos para locação navegando pelo mapa da cidade, verifiquem os preços do aluguel e já agendem visitas aos imóveis, sem precisar telefonar pra ninguém.

Mais números

Com quase zero investimento em marketing, o QuintoAndar cresce em média 25% mês a mês desde novembro de 2015.

A empresa, criada em 2013, atua hoje em 8 cidades: São Paulo, Campinas, São Caetano do Sul, Santo André, São Bernardo do Campo, Osasco, Guarulhos e Barueri.

Em 2017, o QuintoAndar pretende chegar em mais capitais do país.

Cerca de 10 mil visitas em apartamentos foram realizadas pelo QuintoAndar em novembro de 2016.

Os corretores do QuintoAndar acompanham 10x mais visitas a apartamentos em comparação com o mercado. Numa imobiliária tradicional, um corretor atende em média 3 ou 4 clientes por semana. No QuintoAndar, realiza de 6 a 7 visitas por dia.

Mais de 2 mil corretores da cidade de São Paulo já se inscreveram para trabalhar com o QuintoAndar. Os corretores atuam como parceiros credenciados, semelhantes aos motoristas da Uber, e não são funcionários da empresa.

A empresa conta atualmente com 140 funcionários, dos quais 40 são engenheiros de computação.

A cada contrato assinado, o QuintoAndar fica com o primeiro mês de aluguel e, em seguida, 8% do valor do aluguel em cada mês.

O mercado de aluguéis no Brasil mobiliza cerca de R$ 200 bilhões por ano, segundo dados do IBGE. Atualmente, a porcentagem de residências alugadas no Brasil é de 18%. O mercado de aluguéis residenciais no Brasil vem crescendo duas vezes mais rápido que o mercado de vendas desde 2000.

Tags, , , ,

Um cartão de credito e débito em forma de um adesivo levou o primeiro lugar no Hackathon WeAr + C&A

O time vencedor do primeiro Hackathon WeAr + C&A de wearables do Brasil foi o Freedom, composto por Evelyn Costa, Sarah Lopes e Gabrielle Pigato, que elaborou um dispositivo que se encaixa em patches e traz informações de identificação pessoal e pagamento, prático e fashion para ser usado no dia-a-dia. O patch foi bordado à mão por uma das designers, já que o grupo tem a preocupação de unir o processo artesanal a alta tecnologia. “A gente quer ir na balada ou sair para almoçar durante o trabalho e deixar a bolsa no escritório e assim criamos um patch com um adesivo que cola em qualquer peça de roupa”, diz Evelyn Costa, uma das integrantes do grupo.

Cada uma delas ganhou R$ 1 mil em compras na C&A, e uma bolsa de estudo para qualquer pós graduação do IED-SP. Entre os jurados estava a consultora de moda Gloria Kalil, além de profissionais da área de moda e varejo, que avaliaram os projetos segundo critérios de criatividade, design, execução, viabilidade de produção e eco-friendly.

Entre os projetos desenvolvidos está uma bolsa com dispositivo antifurto, que avisa quando o zíper está sendo aberto, além de uma coleção de acessórios, com anéis e pulseiras com botão de proteção pessoal.

A maratona de dois dias, com 235 inscritos, e os 44 participantes selecionados foram divididos em nove equipes, e tiveram como desafio criar e prototipar um item conceitual ou que esteja pronto para ser produzido para o mercado em grande escala. Para tanto, os presentes contaram com o auxílio de mentores especializados em moda, negócios e tecnologia, como o estilista Dudu Bertholini, que deu suporte na modelagem da ideia, prototipagem e com soluções em softwares e processos. Além disso, foram disponibilizados equipamentos de confecção, hardwares e componentes para a produção das peças no laboratório do IED.

O Hackathon WeAr + C&A teve co-patrocínio do cartão ELO, além do apoio do IED – Instituto Europeo di Design, Airfrance, Shop2gether, Basico.com, Santista Jeanswear e Metro Jornal.

Tags, , , , , , , ,

Adyen e VTEX se unem para internacionalizar o e-commerce brasileiro

A Adyen, fintech de pagamentos que impulsiona o comércio global para empresas como Uber e Netflix, anuncia a parceria global com a VTEX, empresa líder no fornecimento de tecnologias para o comércio eletrônico. O contrato impulsionará a abertura de fronteiras para o e-commerce brasileiro expandir seus negócios a outros mercados em que a VTEX e a Adyen estão presentes, como EUA e Europa.

A VTEX é reconhecida internacionalmente pela oferta modular e escalável de Cloud Software para e-commerce, sendo a pioneira e líder com 84% de marketshare no Brasil, segundo dados da Datanyze. Com a parceria estratégica, a Adyen ofertará o processamento de pagamentos global dos clientes da plataforma, oferecendo aumentos significativos nas taxas de conversão, com mais de 150 moedas e 250 opções de métodos de pagamento disponíveis.

Segundo o vice-presidente sênior da Adyen para a América Latina, Jean Christian Mies, isso significa que o e-commerce brasileiro terá a oportunidade de expandir para os principais mercados do mundo, com uma gestão integrada e centralizada de pagamentos. “Estamos quebrando barreiras para atingir novos mercados e incentivar o crescimento do setor, que contará com a qualidade e o suporte global desta importante parceria entre duas empresas inovadoras”, diz Mies.

Em outubro deste ano, a Adyen inovou ao se tornar a primeira adquirente no Brasil com integração de todas as etapas do processo de pagamento – englobando gateway, gestão de risco e adquirência. Com isso, ela oferece uma comunicação direta entre lojistas e as bandeiras, agregando controle, confiabilidade e uma visão completa da operação para clientes. “Como única adquirente no mercado capaz de gerar faturamento adicional através do uso de tecnologia avançada, oferecemos uma plataforma capaz de aumentar consideravelmente a receita online, ao mesmo tempo em que permitimos que os comerciantes deem uma experiência de compra simples e segura a seus consumidores”, explica Mies.

Para Mariano Gomide de Faria, co-CEO da VTEX, essas qualidades tornam a parceria fundamental para complementar a oferta de valor ao e-commerce. “O Brasil é um dos mais competitivos países do mundo tratando-se de política de incentivos fiscais para exportação. Tornar líquida a venda de produtos de empresas brasileiras para mais de 120 países do mundo é um primeiro passo pragmático para colocarmos o Brasil no mapa do varejo no mundo.”

Um exemplo do potencial do mercado exterior para empresas brasileiras foi observado na Black Friday deste ano. Na data, a VTEX gerou 379 mil pedidos, dos quais menos de 0,05% foram para o exterior. O mercado de cross border no exterior chega a representar até 25%, e as marcas brasileiras são muito competitivas também fora do país. Com a abertura de transações internacionais, a expectativa é de acelerar a descoberta desse potencial pelos empresários brasileiros.

“O brasileiro por muito tempo acreditou que o nosso país era grande o suficiente. Não é. Ou abrimos a economia para o mundo e nos tornamos competitivos globalmente ou sofreremos as consequências”, afirma Mariano. “Existe uma demanda latente de empresas que pensam no futuro que esta parceria com a Adyen despertará e estamos muito animados pelo que a parceria vai representar para o comércio brasileiro”, completa

Tags, , , , ,

Algar lança programa de aceleração em parceria com Endeavor

Algar, por meio de sua iniciativa de Corporate Venture Capital – Algar Ventures, acaba de firmar parceria com a Endeavor para realizar um programa de inovação aberta que vai acelerar scale-ups (empresas de alto crescimento) nos setores de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), Agronegócios, Turismo, Entretenimento e Energias Renováveis. O objetivo é encontrar soluções totalmente novas para seus produtos atuais, se antecipando na busca de oportunidades de novos negócios. O programa chamado Algar Ventures Open vai selecionar 15 scale-ups para um processo de aceleração com duração de seis meses que será lançado no dia 9 de dezembro, em São Paulo. Por ser um Grupo empresarial diversificado – atua nas áreas de TIC, Agro, Turismo e Serviços – os temas de interesse da Algar são:

– Plataformas que promovam a melhor experiência do consumidor final (online e offline)

– Soluções que promovam o ganho de produtividade na gestão do ambiente de tecnologia de empresas (Big data, Analytics, Cloud)

– Inteligência cognitiva que facilite o relacionamento entre empresa e consumidor

– Ferramentas e tecnologias para a gestão eficiente das cidades e de ambientes urbanos (iot)

– Soluções inteligentes para a gestão da saúde e bem estar

– Soluções para geração distribuída de energias renováveis e smart grid

– Experiência do consumidor para complexos turísticos

– Alimentos funcionais que tragam benefícios para a saúde humana

– Tecnologia para nutrição animal

Os interessados terão até o dia 5 de março de 2017 para se inscreverem no site http://algarventuresopen.scaleupendeavor.org.br/. Os critérios de seleção serão direcionados a: aspectos do empreendedor, como papel de liderança e impacto no ecossistema; características do negócio, como potencial para escalar, inovação, track record e investor appeal; e o timing do negócio, que analisa o crescimento do faturamento ou do número de usuários.

Para Clau Sganzerla, vice-presidente de Estratégia e Inovação da Algar, além da busca de negócios inovadores, a iniciativa consolida a imagem do Grupo como player relevante no ecossistema empreendedor. “Além da mentoria de padrinhos Endeavor, as empresas poderão dispor da experiência dos principais executivos do Grupo na orientação dos negócios, apoio operacional, tecnológico e contar com business networking entre o próprio grupo de empreendedores. Com isso, esperamos que elas possam crescer de forma acelerada e sustentável”, informou.

“A Endeavor trabalha para apoiar empreendedores que estão fazendo a diferença nos setores em que atuam. A parceria com o Grupo Algar chega para fortalecer esse trabalho de encontrar as scale-ups que mais têm potencial de gerar empregos para o país e se tornarem os exemplos que irão inspirar a futura geração”, afirma Marcela Zonis, diretora de Relações Institucionais da Endeavor.

Fazem parte do programa as etapas de Aceleração, Conexão Algar Ventures e Networking. A primeira compreende todo o trabalho de mentoria – serão feitos “matchings” entre cada uma das 15 scale-ups e um mentor-padrinho, da rede da Endeavor, para acompanhá-las ao longo do processo e auxiliar na superação de seus maiores desafios de crescimento. Já no Conexão Algar Ventures os participantes terão acesso às unidades de negócios e executivos do Grupo Algar, possibilitando a troca de conhecimento entre as empresas e eventuais investimentos por parte da Algar Ventures. O Networking acontecerá durante todo o programa, por meio das conexões e trocas de experiência entre os participantes.

As mentorias acontecerão presencialmente, em São Paulo, e de forma online, de acordo com a demanda e os acordos entre mentores e acelerados. O programa terá o custo de R$ 3 mil para cada empresa participante, sendo que o valor poderá ser parcelado em até seis vezes.

Principais datas do Algar Ventures Open:

· Lançamento – 09/12/16

· Inscrições – 09/12/16 a 05/03/17

· Divulgação dos selecionados – 31/03/17

· Evento de Abertura em SP – 19/04/17

· Evento de Conexões Algar – 26/04/17

· Encerramento em Uberlândia – 20/10/17

Tags, , , , , ,

Solução que aproxima marcas e clientes pelas redes sociais vence Demoday InovAtiva Brasil 2016

Os sócios, Bruno Medeiros, Renata Chemin e Fernando Ott

Os sócios, Bruno Medeiros, Renata Chemin e Fernando Ott

Cada vez mais produtos e soluções voltadas a Inteligência Artificial, realidade virtual e facilitadores de processos ganham espaço, tanto no âmbito B2B quanto B2C. Essa tendência pode ser muito bem comprovada durante o DemoDay InovAtiva 2016.

O evento concluiu o Ciclo de Aceleração 2016 do InovAtiva Brasil e o terceiro de três dias da etapa final (ocorrida nos dias 3, 4 e 5 de dezembro) do programa gratuito de aceleração realizado inicialmente com 300 startups de todo o país pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços em parceria com o SEBRAE e o SENAI. Com a execução da CERTI (Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras), a ocasião marcou a apresentação e a disputa entre os 125 startups finalistas do projeto para 110 investidores convidados.

Um dos grandes destaques, entre o bootcamp feito no último domingo e a disputa de pitches é a Bonuts (www.getbonuts.com), considerada pela banca formada por investidores e executivos de grandes empresas uma dos 14 startups mais atraentes do evento: “Participar do InovAtiva Brasil foi uma experiência sensacional para o Bonuts. Tivemos o privilégio de conhecer startups com grande potencial, além de termos recebido mentorias que fizeram toda diferença, tanto nos preparando para falar com investidores como trazendo novas oportunidades de negócio e ajudando com estratégias e feedbacks. Sermos selecionados como um dos 14 destaques foi uma grande honra! ”, celebra Renata Chemin, CEO do Bonuts. O Bonuts é uma ferramenta que potencializa campanhas de marketing de qualquer empresa colocando a marca, literalmente, ao lado do cliente.

A startup curitibana dos empreendedores Renata Chemin (CEO), Bruno Medeiros (Novos Negócios) e Fernando Ott (CTO), recém entrante no mercado, iniciou suas operações há pouco mais de um mês ao disponibilizar campanhas de marcas em seu aplicativo para usuários inserirem molduras relacionadas a uma delas em troca de pontos Bonuts, que podem ser revertidos em milhas aéreas. No primeiro mês de existência, foram realizadas campanhas com a seguradora Arval, Sépha Perfumaria e a plataforma Incast. Como resultado até então, o app já gerou mais de 500 fotos postadas pelos usuários.

Tags, , , ,

Banco do Brasil promove a criação de startups internas

O Banco do Brasil abre suas portas, mais uma vez, para a inovação e empreendedorismo, desta vez exclusivamente para seus funcionários. O Action BB, evento que ocorre nessa semana, em Brasília, representa uma trilha de negócios digitais, e reúne 70 funcionários que já propuseram soluções criativas para produtos e serviços do Banco.

Mais de 400 soluções foram inscritas para participar do evento, que funciona como um encontro de “startups internas”. Dessas, 70 foram escolhidas e seus próprios autores selecionaram as 15 melhores, para poderem ser incubadas e desenvolvidas. As ideias passam por diversas áreas do Banco do Brasil, como crédito imobiliário, capitalização, investimentos, educação financeira e seguridade, por exemplo.

Os funcionários do BB se dividem em equipes, de 4 a 5 pessoas, e já utilizam ferramentas, como Lean Startup, Business Model Canvas e Customer Development. Para apoiá-los nesse desafio, mentores com experiência em diversas áreas (marketing, tecnologia, experiência do usuário, negócios, estratégia, etc.) estão, durante todo o evento, conversando com as equipes e orientando-as para a construção dos projetos e desenvolvimento das ideias.

Hoje, 8, as soluções serão apresentadas para uma banca formada por: Marco Mastroeni, diretor de negócios digitais do BB; José Caetano Minchillo, diretor de gestão de pessoas, e Gustavo Fosse, diretor de tecnologia. Até cinco ideias serão selecionadas e a equipe campeã será premiada com 200 mil pontos do programa de relacionamento “Ponto pra Você” do BB, para cada funcionário.

“Além de disseminar a cultura digital dentro da organização, o Action insere cada vez mais o banco como protagonista em um mundo de economia compartilhada, abundância de recursos em diversas esferas, crescimento exponencial de tecnologias e atitudes empreendedoras. Permite que todos, independente de função ou cargo, proponham soluções inovadoras que facilitem e transformem a vida das pessoas”, explica Marco Mastroeni, diretor de negócios digitais do BB.

Tags, ,

Por que apostar nas ferramentas de monitoramento para as compras de final de ano?

Por Patrick Nogueira

Com a crise econômica, muitas pessoas se anteciparam e já realizaram suas compras de final de ano durante a Black Friday. Porém, alguns brasileiros estão em busca dos melhores preços e ainda não sabem o que vão dar de presente para seus familiares. Como todos os anos, o Natal é a data que mais se consome, mas também é o período em que as pessoas mais se endividam no Brasil.

Com o avanço da tecnologia, muitas empresas passaram a oferecer seus produtos na internet e a pesquisa por preços mais acessíveis se tornou muito mais fácil, gerando economia para os consumidores. O que percebo, é que alguns consumidores se sentem receosos em comprar algum produto pelo e-commerce e isso tem alguns motivos como, por exemplo, valor alto do frete, não entrega de produtos, valores inflacionados, medo de levar algum tipo de golpe, entre outros.

O que posso reforçar nesse artigo é que realizar compras por meio dos e-commerces ficou ainda melhor. Hoje, existem ferramentas de monitoramento de preço que facilitam a vida dos compradores e proporcionam maior economia durante a época de Natal. Além da comodidade e variedade de produtos, pela internet ainda é possível checar os comentários e opiniões de outros usuários sobre a venda de um produto ou até mesmo a reputação da loja.

Além da vantagem de não ter que enfrentar filas, trânsito, estacionamentos lotados, mal atendimento, entre outros desagrados, a compra online pode ser muito mais cômoda do que parece. O que muitos não sabem é que os preços das lojas online são mais baratos ou equivalente as lojas físicas, pois elas concorrem entre si. Isso faz com que você, por meio de ferramentas de monitoramento, possa comparar os preços de ambas as lojas (online e física), além de outras semelhantes que vendem o mesmo produto.

Estamos na era do consumo consciente e as plataformas estão aí para facilitar a vida do consumidor. Hoje, realizar uma compra na internet é muito mais simples do que há alguns anos. Por meio de um plugin, por exemplo, é possível monitorar preços de diversas lojas e produtos e encontrar aquele que melhor se encaixa no seu orçamento. A partir daí, é só realizar a compra, esperar o produto chegar na sua residência e curtir o Natal.

Patrick Nogueira é sócio-fundador do Baixou, startup do Espírito Santo especializada em ferramentas online que monitoram a variação de preço de mais de 3 milhões de produtos em todo varejo nacional.

Tags, , ,